Leptospirose
Introdução <ul><li>Zoonose </li></ul><ul><li>Agente etiológico:  Leptospira sp . </li></ul><ul><li>Infecta diversos animai...
História <ul><li>1886: Doença de Weil </li></ul><ul><li>Descobrimento da  Leptospira  em 1914 por um grupo japonês </li></...
Etiologia <ul><li>Espiroqueta, gram-negativa </li></ul><ul><li>Motilidade </li></ul><ul><li>Aeróbia obrigatória </li></ul>...
Microscopia por técnica de varredura
Microscopia por técnica  de campo escuro
Classificação Leptospira Borrelia Spirillum Flagelos internos Corte transversal Flagelo interno Membrana externa Cilindro ...
Classificação <ul><li>Classificação clássica: sorovariedade </li></ul><ul><ul><li>L. interrogans : 23 sorogrupos, 218 sero...
Classificação <ul><li>Estudos de DNA </li></ul><ul><ul><li>L. interrogans L. biflexa </li></ul></ul><ul><ul><li>L. sanator...
Epidemiologia e Transmissão <ul><li>Ocorrência mundial </li></ul><ul><li>Preferência por clima temperado e tropical </li><...
Transmissão ocupacional <ul><li>Pessoas que trabalham com animais, produtos animais ou solo ou água contaminados </li></ul...
 
Transmissão acidental <ul><li>Associação com natação e esportes aquáticos, especialmente em rios e lagos </li></ul><ul><li...
 
 
Patogênese <ul><li>Porta de entrada </li></ul>Conjuntivas Aerossol ou ingestão Lesões em pele ou mucosas
Patogênese <ul><li>Alteração tóxica-inflamatória: toxinas </li></ul><ul><ul><li>Alterações patológicas sugestivas </li></u...
Manifestações clinicas <ul><li>Incubação: 5 a 14 dias (extremos de 2 a 30 dias) </li></ul><ul><li>Cerca de 90%: doença aut...
Manifestações clinicas Porta de entrada Disseminação Excreção Meningite (primeira e segunda fases) Hepatite (principalmte ...
Manifestações clinicas Tajiki M., Tese, 1996 6 1 Diarréia 11 2 Tosse 11 2 Dor abdominal 17 3 Vômitos 17 3 Alteração do vol...
Manifestações clinicas Lomar, Veronesi, Brito, Diament, 1996
Manifestações clinicas Lomar, Veronesi, Brito, Diament, 1996 Doença de Wiel
Manifestações clinicas Lomar, Veronesi, Brito, Diament, 1996
Diagnóstico <ul><li>Isolamento e identificação </li></ul><ul><ul><li>Sangue e líquor: 7 a 10 dias </li></ul></ul><ul><ul><...
Diagnóstico <ul><li>Métodos de detecção indireta </li></ul><ul><ul><li>Teste de aglutinação (permite chegar a serovar). Pa...
Diagnóstico <ul><li>Métodos de detecção direta </li></ul><ul><ul><li>Microscopia de campo escuro: depende de muita experie...
Tratamento e profilaxia <ul><li>Suporte e hidratação </li></ul><ul><li>Antimicrobianos: ate o quarto dia de doença </li></...
Tratamento e profilaxia 0,5 a 1,0 g 4x ao dia Ampicilina 20 a 24 MUI ao dia, 4 ou 6x ao dia Penicilina Tratamento de doenç...
Vacinas <ul><li>Disponível para animais (especialmente gado), porém com imunogenicidade limitada a alguns meses (necessita...
O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Morgan e cols.,  Clin Infect Dis ,  34 :1593-9, 2002 </li></ul><ul><li>...
O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>834 triatletas (95%) responderam </li></ul><ul><li>98 preencheram crite...
O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Casos de leptospirose nos triatletas </li></ul>Morgan e cols.,  Clin In...
O caso da epidemia em Springfield, Ilinois Morgan e cols.,  Clin Infect Dis ,  34 :1593-9, 2002 37 19 29 28 Olhos vermelho...
O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Foram identificados como fatores de risco: </li></ul><ul><ul><li>Deglut...
O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Aspectos microbiológicos </li></ul><ul><ul><li>52 atletas com sorologia...
O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Aspectos microbiológicos </li></ul><ul><ul><li>Amostras ambientais </li...
O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Avaliação pluviométrica revelou que houve grande precipitação em junho,...
 
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Leptospirose

6.754 visualizações

Publicada em

Se informe e cuide-se, ajude a divulgar.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.754
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
233
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Leptospirose

  1. 1. Leptospirose
  2. 2. Introdução <ul><li>Zoonose </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Leptospira sp . </li></ul><ul><li>Infecta diversos animais e humanos </li></ul><ul><li>Infecção através de contato direto ou agua ou solo contaminado com urina </li></ul><ul><li>Doença febril aguda </li></ul><ul><li>Conseqüências graves podem ocorrer </li></ul>
  3. 3. História <ul><li>1886: Doença de Weil </li></ul><ul><li>Descobrimento da Leptospira em 1914 por um grupo japonês </li></ul><ul><li>Entre 1914 e 1940 foram descritas as diversas apresentações clinicas relacionadas a Leptospira </li></ul>
  4. 4. Etiologia <ul><li>Espiroqueta, gram-negativa </li></ul><ul><li>Motilidade </li></ul><ul><li>Aeróbia obrigatória </li></ul><ul><li>Parede bacteriana, coberta pelo lipopolissacarideo (LPS) </li></ul>
  5. 5. Microscopia por técnica de varredura
  6. 6. Microscopia por técnica de campo escuro
  7. 7. Classificação Leptospira Borrelia Spirillum Flagelos internos Corte transversal Flagelo interno Membrana externa Cilindro espiral da espiroqueta
  8. 8. Classificação <ul><li>Classificação clássica: sorovariedade </li></ul><ul><ul><li>L. interrogans : 23 sorogrupos, 218 serovars </li></ul></ul><ul><ul><li>L. biflexa : 28 sorogrupos, 60 serovars </li></ul></ul><ul><li>Por exemplo: </li></ul><ul><li>L. interrogans , serovar icterohaemorrhagiae </li></ul>
  9. 9. Classificação <ul><li>Estudos de DNA </li></ul><ul><ul><li>L. interrogans L. biflexa </li></ul></ul><ul><ul><li>L. sanatorosi L. meyeri </li></ul></ul><ul><ul><li>L. borgpetersenii L. wolbachii </li></ul></ul><ul><ul><li>L. kirschneri L. alexanderi </li></ul></ul><ul><ul><li>L. noguchii </li></ul></ul><ul><ul><li>L. Inadai </li></ul></ul><ul><ul><li>L. weilii </li></ul></ul>
  10. 10. Epidemiologia e Transmissão <ul><li>Ocorrência mundial </li></ul><ul><li>Preferência por clima temperado e tropical </li></ul><ul><li>Pico de ocorrência: apos época de chuvas </li></ul><ul><li>Afeta diversos animais selvagens e domesticados </li></ul><ul><li>Excretada na urina </li></ul><ul><li>Sobrevive por semanas ou meses apos excreção </li></ul><ul><li>Humanos: hospedeiros acidentais </li></ul>
  11. 11. Transmissão ocupacional <ul><li>Pessoas que trabalham com animais, produtos animais ou solo ou água contaminados </li></ul><ul><ul><li>Caçadores, amestradores, etc… </li></ul></ul><ul><ul><li>Trabalhadores de fazendas de leite e derivados </li></ul></ul><ul><ul><li>Criadores de animais de abate </li></ul></ul><ul><ul><li>Veterinários </li></ul></ul><ul><ul><li>Trabalhadores de fazendas de arroz </li></ul></ul><ul><ul><li>Militares </li></ul></ul><ul><ul><li>Bombeiros </li></ul></ul><ul><ul><li>Trabalhadores em esgotos </li></ul></ul>
  12. 13. Transmissão acidental <ul><li>Associação com natação e esportes aquáticos, especialmente em rios e lagos </li></ul><ul><li>Epidemias: associação com enchentes, tempestades tropicais, tornados, etc… </li></ul><ul><li>No Brasil: enchentes </li></ul>
  13. 16. Patogênese <ul><li>Porta de entrada </li></ul>Conjuntivas Aerossol ou ingestão Lesões em pele ou mucosas
  14. 17. Patogênese <ul><li>Alteração tóxica-inflamatória: toxinas </li></ul><ul><ul><li>Alterações patológicas sugestivas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Vasculite generalizada </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Muita inflamação e poucas bactérias visíveis </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Deposição de antígenos em tecidos afetados </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Mediadores inflamatórios </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Citocinas: fator de necrose tumoral alfa (TNF-  ) </li></ul></ul></ul>
  15. 18. Manifestações clinicas <ul><li>Incubação: 5 a 14 dias (extremos de 2 a 30 dias) </li></ul><ul><li>Cerca de 90%: doença auto-limitada </li></ul><ul><li>Minoria: Manifestações graves, até doença de Wiel (relação com a serovar?) </li></ul><ul><li>Primeira fase : leptospiremia </li></ul><ul><li>Segunda fase : resposta imunol ó gica </li></ul>
  16. 19. Manifestações clinicas Porta de entrada Disseminação Excreção Meningite (primeira e segunda fases) Hepatite (principalmte canalicular) Nefrite (hipocalemia) Exantema (vasculite e ictericia) Febre (início subito) Mialgias (panturrilhas e lombar)
  17. 20. Manifestações clinicas Tajiki M., Tese, 1996 6 1 Diarréia 11 2 Tosse 11 2 Dor abdominal 17 3 Vômitos 17 3 Alteração do volume urinário 39 7 Hepatomegalia 56 10 Dispnéia 61 11 Cefaléia 78 14 Febre 83 15 Icterícia 94 17 Mialgia % n Sinais e sintomas em 18 pacientes
  18. 21. Manifestações clinicas Lomar, Veronesi, Brito, Diament, 1996
  19. 22. Manifestações clinicas Lomar, Veronesi, Brito, Diament, 1996 Doença de Wiel
  20. 23. Manifestações clinicas Lomar, Veronesi, Brito, Diament, 1996
  21. 24. Diagnóstico <ul><li>Isolamento e identificação </li></ul><ul><ul><li>Sangue e líquor: 7 a 10 dias </li></ul></ul><ul><ul><li>Urina: 2 a 3 semanas </li></ul></ul><ul><ul><li>Meios de cultura especiais </li></ul></ul><ul><ul><li>Inoculação em animais (seguida de testes sorológicos) </li></ul></ul>
  22. 25. Diagnóstico <ul><li>Métodos de detecção indireta </li></ul><ul><ul><li>Teste de aglutinação (permite chegar a serovar). Painel com antigenos de 21 serovars. Aumento em 4x o título ou título de pelo menos 1:800 na presença de sintomas é indicativo de doença </li></ul></ul><ul><ul><li>Hemaglutinação indireta </li></ul></ul><ul><ul><li>ELISA (IgM) </li></ul></ul>
  23. 26. Diagnóstico <ul><li>Métodos de detecção direta </li></ul><ul><ul><li>Microscopia de campo escuro: depende de muita experiencia </li></ul></ul><ul><ul><li>Imuno-histoquimica </li></ul></ul><ul><ul><li>PCR para detecção de DNA bacteriano </li></ul></ul>
  24. 27. Tratamento e profilaxia <ul><li>Suporte e hidratação </li></ul><ul><li>Antimicrobianos: ate o quarto dia de doença </li></ul><ul><ul><li>Penicilina G cristalina </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reação de Jarisch-Herxheimer pode acontecer </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Amoxicilina, tetraciclina, doxiciclina </li></ul></ul><ul><li>Profilaxia: situações de risco </li></ul>
  25. 28. Tratamento e profilaxia 0,5 a 1,0 g 4x ao dia Ampicilina 20 a 24 MUI ao dia, 4 ou 6x ao dia Penicilina Tratamento de doença moderada ou grave 500 mg 4x ao dia Amoxicilina 500 a 750 mg 4x ao dia Ampicilina 100 mg 2x ao dia Doxiciclina Tratamento de doença leve 200 mg semanal Doxiciclina Quimioprofilaxia Dose Droga Indicação
  26. 29. Vacinas <ul><li>Disponível para animais (especialmente gado), porém com imunogenicidade limitada a alguns meses (necessita de duas doses por ano) </li></ul><ul><li>Imunidade serovar-específica dificulta o desenvolvimento de vacinas para humanos </li></ul>
  27. 30. O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Morgan e cols., Clin Infect Dis , 34 :1593-9, 2002 </li></ul><ul><li>Meio de julho de 1998: três casos de participantes em um triatlo, que desenvolveram sintomas sugestivos de leptospirose, dois confirmados laboratorialmente </li></ul><ul><li>Foi desenvolvido um programa de investigação de provável surto, envolvendo os participantes do triatlo, membros da comunidade e amostras de agua e soro de animais das redondezas </li></ul>
  28. 31. O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>834 triatletas (95%) responderam </li></ul><ul><li>98 preencheram criterios de suspeita de leptospirose (2 ou mais dos seguintes sintomas: cefaléia, calafrios, mialgias, diarréia, olhos avermelhados ou dor ocular) </li></ul><ul><li>52 preencheram critérios laboratoriais de leptospirose </li></ul>Morgan e cols., Clin Infect Dis , 34 :1593-9, 2002
  29. 32. O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Casos de leptospirose nos triatletas </li></ul>Morgan e cols., Clin Infect Dis , 34 :1593-9, 2002
  30. 33. O caso da epidemia em Springfield, Ilinois Morgan e cols., Clin Infect Dis , 34 :1593-9, 2002 37 19 29 28 Olhos vermelhos 44 23 51 50 Diarréia 50 26 42 41 Dor ocular 81 42 76 74 Mialgias 90 47 80 78 Cefaléia 98 51 91 89 Calafrios % n % n Número de casos confirmados ( n =52) Número de casos suspeitos ( n =98)
  31. 34. O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Foram identificados como fatores de risco: </li></ul><ul><ul><li>Deglutição de água mais de uma vez </li></ul></ul><ul><ul><li>Ter nadado durante mais que 42 minutos </li></ul></ul><ul><li>Entre os casos: </li></ul><ul><ul><li>7 punções liquóricas </li></ul></ul><ul><ul><li>1 biopsia de fígado </li></ul></ul><ul><ul><li>2 colecistectomias </li></ul></ul><ul><li>Foram identificados 14 casos na comunidade com confirmação laboratorial </li></ul>Morgan e cols., Clin Infect Dis , 34 :1593-9, 2002
  32. 35. O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Aspectos microbiológicos </li></ul><ul><ul><li>52 atletas com sorologia positiva </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>L. interrogans , serovar grippotyphosa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>L. interrogans , serovar bratislava </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>L. interrogans , serovar djasiman </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>14 casos na comunidade com sorologia positiva </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>L. interrogans , serovar grippotyphosa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>L. interrogans , serovar bratislava </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>L. interrogans , serovar djasiman </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>1 atleta e dois residentes com isolamento </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>DNA: L. kirshneri , compativel com L. interrogans , serovar grippotyphosa </li></ul></ul></ul>Morgan e cols., Clin Infect Dis , 34 :1593-9, 2002
  33. 36. O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Aspectos microbiológicos </li></ul><ul><ul><li>Amostras ambientais </li></ul></ul><ul><ul><li>27 amostras de agua do lago Springfield </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Uma amostra obtida da margem adjacente à competição foi positiva na reação da PCR </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>205 amostras de animais domésticos e exóticos foram obtidas para sorologia, mas nao ajudaram a definir a origem do surto </li></ul></ul><ul><ul><li>60 amostras de animais foram obtidas para cultura, todas negativas </li></ul></ul>Morgan e cols., Clin Infect Dis , 34 :1593-9, 2002
  34. 37. O caso da epidemia em Springfield, Ilinois <ul><li>Avaliação pluviométrica revelou que houve grande precipitação em junho, precedendo a ocorrência do surto </li></ul><ul><li>Foi também documentado um aumento no numero de coliformes fecais antes da competição, acima da media anual obtida entre 1994 e 1997 na mesma epoca. </li></ul>Morgan e cols., Clin Infect Dis , 34 :1593-9, 2002

×