OSTEONECROSE POR BIFOSFONATO ASPECTOS CLÍNICOS BUCAIS

2.404 visualizações

Publicada em

Apresentação de TCC

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Parabéns pelos esclarecimentos tão úteis em nossos procedimentos. Gostaria de saber níveis sanguíneos seguros para procedimentos dentários e tempo necessário de suspensão do bifosfonato para segurança em procedimento implantodontia
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.404
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
57
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

OSTEONECROSE POR BIFOSFONATO ASPECTOS CLÍNICOS BUCAIS

  1. 1. 29/08/2012 Objetivo Recentemente, foi identificada uma nova complicação oral associada à OSTEONECROSE POR BIFOSFONATO utilização de bifosfonatos para o tratamento de lesões esqueléticas, decorrentes do câncer e osteoporose. ASPECTOS CLÍNICOS BUCAIS O objetivo do estudo é esclarecer aos cirurgiões-dentistas, médicos e fabricantes de medicamentos sobre o risco de desenvolvimento de Disciplina de Semiologia osteonecrose bucal após a utilização do bifosfonato, assim como a apresentação clínica de suas lesões orais e o tratamento odontológico com o intuito de prevenir o seu desenvolvimento. JULIANA VAZ PINCINATO Orientadora: Profª.Dulce Helena Cabelho Passarelli A osteonecrose é uma doença caracterizada pela morte das células ósseas, Nos casos de osteonecrose bucal os fatores de risco local e sistêmico são: causada pela interrupção do fluxo sanguíneo local. Fatores de risco sistêmico: Fatores de risco local: • Câncer de mama (metástase óssea); • Extrações dentárias; • Câncer de pulmão (metástase óssea); • Manipulação óssea cirúrgica; • Câncer de próstata (metástase óssea); • Trauma por prótese; Possíveis fatores de risco para o desenvolvimento de osteonecrose: • Mieloma múltiplo; • Presença de infecção oral; • Origem local: ocorre após a incidência de fratura ou deslocamento do osso; • Osteoporose; • Má saúde oral. • Origem sistêmica: ocorre em pessoas com histórico de alto consumo de álcool, fumo, • Uso de bifosfonato (intravenoso/ oral) exposição a radioterapia, altas dosagens de corticóides e mais recentemente os bifosfonatos.Os bifosfonatos surgiram como nova opção para o tratamento da osteoporose e O uso contínuo de bifosfonatos pode inibir a remodelação óssea - funçãomostraram-se efetivos também no tratamento de complicações esqueléticas fisiológica que ocorre em ossos saudáveis.decorrentes de metástase óssea. A remodelação óssea tem o objetivo de remover os microdanos e substituir o osso danificado por tecido ósseo elástico novo: • Os bifosfonatos possuem grande afinidade com o Cálcio e são Absorção de bifosfonato pelo osso incorporados rapidamente à matriz mineral dos ossos; • Durante o processo de reabsorção óssea, os bifosfonatos são liberados Diminuição da regeneração óssea e incorporados pelos osteoclastos (fagocitose), provocando sua apoptose; • Tem início a perda da capacidade de reparação de microfraturas • Possuem grande afinidade com o cálcio; Osso se torna quebradiço decorrentes do processo diário de mastigação; • Desaparecem rapidamente da circulação e unem-se aos minerais dos ossos; • A incapacidade do osso responder à necessidade de regeneração torna- Risco de osteonecrose bucal se mais crítica em situações de infecção maxilar ou mandibular • Se não forem incorporados na matriz óssea, os bifosfonatos são eliminados através da urina provocadas por dispositivos protéticos e após extrações dentárias. • Podem manter-se no organismo por diversos anos; 1
  2. 2. 29/08/2012A apresentação clínica típica da osteonecrose bucal inclui: dor, edema nos tecidos Os sintomas podem ocorrer de forma espontânea, ou mais comumente nomoles, infecção, trismo, halitose, drenagem, exposição de osso. local de uma prévia extração. • Paciente com osteonecrose na mandíbula e grande edema; • Paciente com osteonecrose na mandíbula, manifestada após extração; • Submetido à tratamento com Ácido Zoledrônico e Pamidronato por 4 anos; • Prescrição de Ácido Zoledrônico para tratamento de metástase óssea decorrente de câncer de • A aparência da osteonecrose bucal é idêntica à da osteorradionecrose desenvolvida em pacientes mama ; submetidos a radiação na cabeça e no pescoço. • A aparência da osteonecrose bucal é idêntica a da osteorradionecrose desenvolvida em pacientes submetidos à radiação de cabeça e pescoço.O mais recomendado é a utilização de ressonância magnética, pois o RX na Após a constatação de osteonecrose, a intervenção cirúrgica torna-se necessária,fase inicial da doença pode apresentar resultado semelhante ao de uma porém seu resultado é incerto.pessoa saúdavel, dificultando a sua identificação. • Paciente com osteonecrose na mandíbula, após 5 meses da extração dos dentes 20,21 e • Paciente com osteonecrose na mandíbula, manifestada após extração; 22; • Prescrição de Ácido Zoledrônico para tratamento de mieloma multíplo; • Realizado debridamento do osso necrosado e posterior extração do dente 23; • Maioria dos casos de osteonecrose bucal é identificada por cirurgiões-dentistas e não • Após a realização de múltiplo debridamento, paciente ainda apresentava evidências de pelos oncologistas, responsáveis pela prescrição dos bisfofonatos. osteonecrose.Tabulação dos resultados coletados na Revisão da Literatura: Tabulação dos resultados coletados na Revisão da Literatura:• distribuição da osteonecrose bucal por gênero; • mapeamento dos bifosfonatos ministrados;• mapeamento das doenças cujo tratamento com bifosfonato foi indicado. • relacionamento entre procedimentos odontológicos e o desenvolvimento de osteonecrose bucal. Medicamento Desenvolvimento da Osteonecrose Bucal Incidência de osteonecrose bucal por Gênero Bifosfonato para tratamento de: 177 128 140 111 180 160 250 204120 120 140 90100 100 Mieloma múltiplo 200 120 80 98 Câncer de mama Zoledronato Outros Pamidronato ou zoledronato80 48 Feminino 100 Câncer de próstata 80 Pamidronato Masculino Osteoporose Outros Após extração ou pequena intervenção cirúrgica 150 80 Câncer de pulmão Aledronato Evento espontâneo60 Leucemia 60 Risedronato 60 38 72 3640 100 40 40 12 10 5 220 20 20 3 50 1 0 0 0 0 Total de pacientes - 159: Total de pacientes - 340: • Sexo feminino: 111 (70%) • Mieloma múltiplo: 177 (52%) Total de pacientes – 340: Total de pacientes - 276: • Sexo masculino: 48 (30%) • Câncer de mama: 98 (29%) • Zoledronato: 128 (37,65%) • Extração de dentes ou pequenas • Pamidronato ou Zoledronato: 90 (26,47%) intervenções cirúrgicas : 204 (74%) • Câncer de próstata: 12 (3%) • Pamidronato: 80 (23,53%) • Eventos espontâneos: 72 (26%) • Osteoporose: 10 (3%) • Aledronato: 3 (0,88%) • Câncer de pulmão: 5 (1%) • Risedronato: 1 (0,29% do total) • Leucemia: 2 ( >1% ) • Outros bifosfonatos: 38 (11,18%) • Outras doenças: 36 (11%) 2
  3. 3. 29/08/2012 Tabulação dos resultados coletados na Revisão da Literatura: Tabulação dos resultados coletados na Revisão da Literatura: • tipo de administração dos bifosfonatos; • localização do desenvolvimento da osteonecrose bucal; • tempo de tratamento com bifosfonato até o desenvolvimento da osteonecrose bucal . • antibióticos ministrados a pacientes com osteonecrose bucal; Tipo de Administração Duração do Tratamento • mapeamento de tratamentos cirúrgicos. 74 64 Localização da Osteonecrose Bucal Antibióticos ministrados Tratamento cirúrgico 45 98 3780 70 45 40 100 4070 90 35 60 28 35 80 30 30 2560 70 Sequestrectomia 50 Mandíbula 25 Clindamicina Resecção mandibular marginal 60 Maxila Aminopenicilina 25 Resecção mandibular Intravenosa Mais de 1 ano 37 Ambos Penicilina Maxiloctomia parcial50 Oral Outros Maxiloctomia completa Até 1 ano 50 20 14 20 40 40 15 1540 7 30 6 14 6 10 10 5 30 20 130 5 10 5 4 20 0 020 010 100 0 Total de pacientes - 141: Total de pacientes - 86: Total de pacientes - 82: Total de pacientes - 78: Total de pacientes - 78: • Mandíbula: 98 (70%) • Clindamicina: 37 (47%) • Debridamento e Sequestrectomia : 45 • Tratamento por via intravenosa : 74 (95%) • Após 1 ano de tratamento : 64 (82%) • Maxila: 37 (26%) • Aminopenicilina: 28 (36%) (71%) • Tratamento via oral: 4 (5%) • Antes de 1 ano de tratamento: 14 (18%) • Ambos: 6 (4%) • Penicilina: 14 (18%) • Ressecção mandibular marginal: 25 (25%) • Outros antibióticos: 7 (9%) • Ressecção mandibular: 6 (10% ) • Maxilectomia parcial: 5 (8%) • Maxilectomia completa: 1 (2%) Conclusão As seguintes ações devem ser tomadas pelos profissionais da saúde: • Divulgação dos riscos aos pacientes submetidos ao tratamento com bifosfonatos; • Inclusão de informações específicas nas bulas dos medicamentos (fabricantes de medicamentos); • Inclusão do tema “Osteonecrose bucal por bifosfonato” no curso de Odontologia; • Inserção de tópicos no Protocolo de Atendimento para cirurgião dentista (pacientes que serão submetidos ao tratamento com bifosfonato e pacientes em tratamento com bifosfonato ou com desenvolvimento de osteonecrose bucal); • Atendimento multidisciplinar (oncologista ou médico responsável, cirurgião dentista, bucomaxilofacial, nutricionista) 3

×