SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Autora: Vithória Karollyne
O homem, ontem e
hoje, sempre se
preocupou com sua
sexualidade. O sexo,
que antes servia apenas
como um meio de
reprodução, hoje é o
meio de comunicação
entre casais.
A sexualidade abrange muito mais do que apenas o sexo genital e as
exigências na expressão e comunicação.
Tornou-se a forma mais humana de convívio entre as pessoas.
Mais regras e formas de expressão foram criadas para estabelecer os
limites éticos e a nossa vida sexual.
A relação entre sexo, sexualidade e, ainda, a reprodução se
mostra tanto mais estreita quanto mais se sobe na escala zoológica.
No homem, no entanto,
em virtude de elementos culturais , as questões ligadas à sexualidade
se libertaram das determinações do sexo e da reprodução, e se
situaram principalmente na esfera da afetividade.
Vamos tentar definir e diferenciar o sexo da
sexualidade.
Ato sexual propriamente dito, sendo um impulso primitivo e a
sexualidade é a forma de expressar o ato e a atração sexual, pois a
sexualidade está sempre ligada a circunstâncias emocionais, a cultura de
cada pessoa, a educação recebida, do ambiente que habita, da cultura
que o cerca e de sua personalidade.
O chamado diencéfalo ou cérebro primitivo, intervém, através
do hipotálamo, no desejo, no interesse sexual e também recolhe as
informações que chegam do exterior e dos hormônios, controlando-os e
dando as respostas da excitação sexual, ejaculação, sensações de prazer
e regulando as respostas emocionais e afetivas no comportamento
sexual.
O chamado sistema límbico do nosso cérebro discrimina e
seleciona os estímulos, reconhecendo os sinais de saciedade
inibindo o comportamento sexual.
SEXO
Conjunto de caracteres estruturais e funcionais
segundo os quais um ser vivo se classifica como
macho ou fêmea e desempenha papel específico de
uma dessas condições na reprodução da espécie.
No que se refere aos aspectos psicossociais da
sexualidade, desde os primeiros meses, os pais
orientam o comportamento da criança para torná-lo
condizente com seu respectivo sexo, fazendo com que
o menino e a menina acabem por considerar-se
como tais e assim serão considerados pelos outros.
SEXUALIDADE
Modo como o ser humano responde a estímulos eróticos e obtém
prazer por meio de atividade sexual com outra pessoa, em grupo ou
sozinho (masturbação).
A sexualidade envolve todas as zonas erógenas do corpo, não
somente os órgãos genitais, além de impulsos, desejos e fantasias
associados ao sexo.
A capacidade de ter sensações eróticas está presente no ser
humano desde os primeiros momentos de vida e compõe sua libido
(termo que designa, na psicanálise, a energia do impulso sexual).
O comportamento sexual humano é determinado por três fatores:
Herança genética: que caracteriza biologicamente o indivíduo;
Fator social: composto por influências da sociedade (educação, família)
sobre o indivíduo;
Fator psicológico: formado pelos mecanismos psíquicos inconscientes.
SEXO E PERSONALIDADE
A personalidade de cada pessoa seja introvertida (tímido)
ou extrovertida, está marcada pela genética que, por sua vez
determina sua resposta sexual.
Os introvertidos costumam caracterizar-se por retração do
impulso sexual. Buscar satisfações solitariamente seja
tocando um instrumento, colecionando obras de arte e
muitas vezes a masturbação é frequente.
A expressão das emoções costuma ser mais fácil para os
extrovertidos, principalmente para os jovens. Os movimentos
corporais de exibição, os atos sinuosos da corte amorosa, nas
quais os jovens se aproximam e se afastam uns dos outros,
constituem uma forma manifesta de excitar o parceiro e levá-
lo a uma comunicação mais íntima.
O Precocemente, mais variadas e variáveis,
sua frequência será provavelmente maior que
nos introvertidos, é mais provável que pensem
e queiram atos sexuais mais persistentemente
que os introvertidos e têm, em geral, uma
sexualidade mais "poderosa".
O extrovertido excita-se sexualmente com
mais facilidade, temem pouco as relações
sexuais, e têm pouca dificuldade na expressão
de fortes sentimentos sexuais.
O comportamento extrovertido se adapta e
é mais apropriado para a juventude.
]
Com o passar da idade e com o
amadurecimento sexual, as diferenças
sexuais entre os entro e extrovertidos
desaparecem e o desempenho e a
satisfação sexual podem ser muito
bons, dependendo da cabeça aberta
do homem e da mulher, para possíveis
mudanças sexuais, sempre para
melhor, e como resultado ter uma vida
mais prazerosa e feliz.
Diferença entre amor, paixão e
atração
Quando se fala de sentimentos nos confundimos
de tal maneira que não sabemos exatamente aquilo
que estamos sentindo e ficamos sem saber se
estamos amando, ou se estamos apaixonados ou se
estamos atraído por alguma pessoa. Desde a
existência da civilização já se tem essa duvida do
amor, paixão e atração e pensando nisso o Alienado
trouxe uma explicação tendo assim o significado de
cada um dos abstratos, ai sim você pode saber o que
está sentindo de verdade, então se liga nos
significados de cada um:
AMOR : É um sentimento duradouro,
sempre calmo, quando ambos sabem o
que o outro gosta ou pensa, aceita a outra
pessoa assim como ela é e não querer
mudá-la para o seu jeito de agir e pensar,
amor é um sentimento verdadeiro, é saber
que você quer aquela pessoa pra vida toda,
que você aceita amá-la na saúde e na
doença, na riqueza e na pobreza até que a
morte os separe, amor é eterno.
PAIXÃO: É um sentimento passageiro,
paixão vem todo aquele fogo e euforia,
é passageiro, mas é eterno enquanto
dura, pois você até sente um pouco
daquele abstrato de amor, mas você vê
mais tarde que não era verdade, é
apenas um fogo de palha, que
resplandece quando acende, mas
acaba rápido.
ATRAÇÃO: como a própria palavra já diz, você se
sente atraído por alguém, mas você não ama
essa pessoa, talvez o porte físico desta pessoa
que chamou a sua atenção e como o ser
humano é um ser possessivo você começa a
idealizar a posse de tal pessoa, mas ai neste
caso o amor e a paixão podem vir depois de um
tempo se houver o convívio dessas pessoas,
mas em relação ao sentimento é somente uma
atração física, esse é o sentimento da atração,
que pode virar paixão e mais tarde amor.
Sexualidade de forma positiva
O autor queria dizer que.
Quando falamos em sexualidade, é comum imaginarmos
a fase da adolescência. Puro engano. A sexualidade é um
atributo dos seres
humanos, experimentada e expressa por meio de
pensamentos,
fantasias, desejos, crenças, atitudes, valores, atividades
práticas, papéis
e relacionamentos. Envolve o corpo, a história, os costumes,
as relações
afetivas e a cultura de cada um, além das concepções
provenientes da
religião, da moral e de relações ao longo do desenvolvimento
humano.
Identificamos a imagem com o tema
sexualidade por que.
Asexualidade, sendo parte da construção da identidade
da criança, é também uma construção social relacionada
às ideias de gênero (menino/menina) e poder que temos e
compartilhamos com as crianças. Por isso,
mesmo depois de muitos avanços nas discussões sobre
sexo/sexualidade, esse continua sendo um assunto polêmico.
É polêmico porque a
discussão sobre esse tema envolve valores, crenças,
religiosidades e tabus
familiares e pessoais e, na verdade, não há consenso. As
pessoas não
concordam com uma única visão sobre a aceitação da
sexualidade.
Sexualidade de forma negativa
O autor queria dizer que.
A gravidez na adolescência tem se destacado como um problema de saúde pública em
diversos países devido ao elevado risco de morbimortalidade materna e infantil e por constituir
um possível evento desestruturado da vida das adolescentes.
Complicações na gestação e parto têm sido a principal causa de morte de adolescentes
entre 15 e 19 anos em diversos países do mundo. No Brasil, estudos têm observado maior
probabilidade de óbito entre mães adolescentes, quando comparadas àquelas com idade
superior a 20 anos.
Além disso, bebês de mães adolescentes têm maior risco de apresentar baixo peso ao
nascer, prematuridade e, consequentemente, maior chance de morte do que filhos de mães
adultas. Esses riscos se devem em parte a fatores biológicos como a imaturidade fisiológica e o
desenvolvimento incompleto da pelve feminina e do útero das adolescentes.
Ao mesmo tempo, a imaturidade emocional do adolescente pode levar a dificuldades em
estabelecer relações afetivas com o seu filho, baixa autoestima e despreparo no cuidado da
criança, que podem aumentar os riscos de agravos à saúde física e emocional da adolescente e
do bebê.
Ainda, a gravidez nessa fase da vida pode levar a problemas sociais, como a evasão escolar,
redução das oportunidades de qualificação profissional e consequente dificuldade no acesso ao
mercado de trabalho, instabilidade conjugal e preconceito por parte da sociedade.
Identificamos a imagem com o tema
sexualidade por que.
A adolescência representa uma fase
de descobertas, mudanças e expansão
da vida social da mulher. Porém,
muitas jovens acabam engravidando, e
não apenas interrompem essa etapa
como assumem uma grande
responsabilidade, para a qual nem
sempre estão preparadas.
Sexualidade de forma negativa
O autor queria dizer que.
A violência sexual pode ser considerada uma das violências de gênero já que está
baseada na desigualdade entre homens e mulheres.
É importante salientar que a dominação do sexo masculino em relação do sexo
feminino se expressa na forma como meninos e meninas são educados e socializados,
os meninos aprendem a ter comportamentos agressivos de domínio do mundo
público, enquanto, espera-se que as meninas sejam sensíveis e capazes de
desempenhar funções domésticas.
Os impactos da violência sexual na saúde física e mental nas mulheres apresentam-
se nas formas de: DST, lesões de maior ou menor gravidade, inflamações pélvicas,
gravidez indesejada, aborto espontâneo, dor pélvica crônica, dores de cabeça
persistentes, problemas ginecológicos, abuso de álcool e drogas, asma, síndrome de
irritação intestinal, stress, depressão, ansiedade, disfunções sexuais, distúrbios
alimentares, tentativa de suicídio, entre outras.
A maioria das mulheres foi educada achando que o sexo faz parte das obrigações
do sexo feminino nas relações afetivas, dessa forma, acabam por naturalizar o sexo
forçado, não identificando as situações de violência sexual. Para prevenir a violência
sexual, é importante buscar ouvir as mulheres e identificar se estão em situação de
violência sexual, além de suspeitar de sinais desse tipo de violência
Identificamos a imagem com o tema
sexualidade por que.
A violência sexual é considerada grave violação de direitos humanos.
As evidências científicas mostram incidência elevada
entre as mulheres, com
impactos severos para a saúde sexual e reprodutiva. As mulheres
apresentam
riscos de traumas físicos, doenças sexualmente transmissíveis, infecção
pelo
HIV, e a gravidez resultante do estupro. Além disso, elas sofrem
consequências
Psicológicas devastadores, muitas vezes irreparáveis. Neste artigo, a
violência
sexual é abordada como problema de saúde pública e como violência de
gênero. São analisadas medidas de proteção e de redução de danos, e a
responsabilidade dos serviços de saúde
.
Sexualidade de forma positiva
Sexualidade de forma negativa
sexualidade
sexualidade
sexualidade
sexualidade

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pilares da sexualidade encontro com professores mediadores 2013
Pilares da sexualidade   encontro com professores mediadores 2013Pilares da sexualidade   encontro com professores mediadores 2013
Pilares da sexualidade encontro com professores mediadores 2013Fernanda Rezende Pedroza
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Alinebrauna Brauna
 
Educação sexual e prevenção slides
Educação sexual e prevenção   slidesEducação sexual e prevenção   slides
Educação sexual e prevenção slidesValentinacarvalho
 
Sexualidade Na Adolescência
Sexualidade Na AdolescênciaSexualidade Na Adolescência
Sexualidade Na AdolescênciaPedui
 
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteLuisa Sena
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaCamila Oliveira
 
Sexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantilSexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantilMary Lopes
 
Sexualidade na Escola
Sexualidade na EscolaSexualidade na Escola
Sexualidade na EscolaLeandroFuzaro
 
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIASEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIAJose Camara
 
A adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdadeA adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdadeEspaço Emrc
 
Projeto educação Sexual
Projeto educação SexualProjeto educação Sexual
Projeto educação SexualLuana Santos
 
Workshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educaçãoWorkshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educaçãoAnaí Peña
 

Mais procurados (20)

Pilares da sexualidade encontro com professores mediadores 2013
Pilares da sexualidade   encontro com professores mediadores 2013Pilares da sexualidade   encontro com professores mediadores 2013
Pilares da sexualidade encontro com professores mediadores 2013
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
 
Educação sexual e prevenção slides
Educação sexual e prevenção   slidesEducação sexual e prevenção   slides
Educação sexual e prevenção slides
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Violência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para criançasViolência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para crianças
 
Sexualidade Na Adolescência
Sexualidade Na AdolescênciaSexualidade Na Adolescência
Sexualidade Na Adolescência
 
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
 
Slides infanto completo
Slides infanto completoSlides infanto completo
Slides infanto completo
 
Educação Sexual
Educação SexualEducação Sexual
Educação Sexual
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
 
Sexualidade feminina
Sexualidade femininaSexualidade feminina
Sexualidade feminina
 
Adolescencia
AdolescenciaAdolescencia
Adolescencia
 
Sexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantilSexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantil
 
Sexualidade na Escola
Sexualidade na EscolaSexualidade na Escola
Sexualidade na Escola
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
 
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIASEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
 
A adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdadeA adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdade
 
Projeto educação Sexual
Projeto educação SexualProjeto educação Sexual
Projeto educação Sexual
 
A adolescência
A adolescênciaA adolescência
A adolescência
 
Workshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educaçãoWorkshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educação
 

Destaque

La Sexualidad Infantil Conferencia Ii
La Sexualidad Infantil Conferencia IiLa Sexualidad Infantil Conferencia Ii
La Sexualidad Infantil Conferencia IiAmira Peña
 
Afectividad y Sexualidad en la Infancia
Afectividad y Sexualidad en la InfanciaAfectividad y Sexualidad en la Infancia
Afectividad y Sexualidad en la InfanciaAnum Rayen
 
Conceito e breve histórico sobre a sexualidade
Conceito e breve histórico sobre a sexualidadeConceito e breve histórico sobre a sexualidade
Conceito e breve histórico sobre a sexualidadeSimoneHelenDrumond
 
Palestra sexualidade, gravidez e dst s pronta
Palestra sexualidade, gravidez e dst s prontaPalestra sexualidade, gravidez e dst s pronta
Palestra sexualidade, gravidez e dst s prontaBianca Trajanoski
 
PresentacióN Educacion De Sexualidad
PresentacióN Educacion De SexualidadPresentacióN Educacion De Sexualidad
PresentacióN Educacion De Sexualidadleslukita
 

Destaque (11)

Manuelrojas 110211
Manuelrojas 110211Manuelrojas 110211
Manuelrojas 110211
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
2ª sesion sexualidad sin complejos
2ª sesion sexualidad sin complejos2ª sesion sexualidad sin complejos
2ª sesion sexualidad sin complejos
 
La Sexualidad Infantil Conferencia Ii
La Sexualidad Infantil Conferencia IiLa Sexualidad Infantil Conferencia Ii
La Sexualidad Infantil Conferencia Ii
 
Afectividad y Sexualidad en la Infancia
Afectividad y Sexualidad en la InfanciaAfectividad y Sexualidad en la Infancia
Afectividad y Sexualidad en la Infancia
 
Scfv para idosos
Scfv para idososScfv para idosos
Scfv para idosos
 
Slide sexualidade
Slide sexualidadeSlide sexualidade
Slide sexualidade
 
Conceito e breve histórico sobre a sexualidade
Conceito e breve histórico sobre a sexualidadeConceito e breve histórico sobre a sexualidade
Conceito e breve histórico sobre a sexualidade
 
SEXUALIDADE E ENVELHECIMENTO
SEXUALIDADE E ENVELHECIMENTOSEXUALIDADE E ENVELHECIMENTO
SEXUALIDADE E ENVELHECIMENTO
 
Palestra sexualidade, gravidez e dst s pronta
Palestra sexualidade, gravidez e dst s prontaPalestra sexualidade, gravidez e dst s pronta
Palestra sexualidade, gravidez e dst s pronta
 
PresentacióN Educacion De Sexualidad
PresentacióN Educacion De SexualidadPresentacióN Educacion De Sexualidad
PresentacióN Educacion De Sexualidad
 

Semelhante a sexualidade

Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência Gisele Da Fonseca
 
Dimensões da sexulidade estereotipos de género
Dimensões da sexulidade estereotipos de géneroDimensões da sexulidade estereotipos de género
Dimensões da sexulidade estereotipos de géneroJosé António Farias
 
Sexualidade Na Terceira Idade
Sexualidade Na Terceira IdadeSexualidade Na Terceira Idade
Sexualidade Na Terceira Idadea20061577
 
Workshop sexualidade e deficiência
Workshop  sexualidade e deficiênciaWorkshop  sexualidade e deficiência
Workshop sexualidade e deficiênciaSER_2011
 
Sexualidade powerpoint
Sexualidade powerpointSexualidade powerpoint
Sexualidade powerpointgeorgiamfc
 
A sexualidade na adolescência
A sexualidade na adolescênciaA sexualidade na adolescência
A sexualidade na adolescênciaLilia Braga
 
Sexualidade 7 e12micaela
Sexualidade 7 e12micaelaSexualidade 7 e12micaela
Sexualidade 7 e12micaelaEspaço Emrc
 
Bicastiradentes orientaçãosexual
Bicastiradentes orientaçãosexualBicastiradentes orientaçãosexual
Bicastiradentes orientaçãosexualtemastransversais
 
Unidade iii sexualidade e questões de gênero
Unidade iii   sexualidade e questões de gêneroUnidade iii   sexualidade e questões de gênero
Unidade iii sexualidade e questões de gêneropmarisa
 
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)jornadaeducacaoinfantil
 
Sexualidade na Contemporaneidade
Sexualidade na ContemporaneidadeSexualidade na Contemporaneidade
Sexualidade na ContemporaneidadeOliveira Junior
 
A sexualidade do idoso.pptx
A sexualidade do idoso.pptxA sexualidade do idoso.pptx
A sexualidade do idoso.pptxanasoares14061
 
A sexualidade dos 2 aos 10 ano snovo
A sexualidade dos 2 aos 10 ano snovoA sexualidade dos 2 aos 10 ano snovo
A sexualidade dos 2 aos 10 ano snovoVera Gama
 

Semelhante a sexualidade (20)

Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
 
Dimensões da sexulidade estereotipos de género
Dimensões da sexulidade estereotipos de géneroDimensões da sexulidade estereotipos de género
Dimensões da sexulidade estereotipos de género
 
educação sexual.pptx
educação sexual.pptxeducação sexual.pptx
educação sexual.pptx
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Sexualidade Na Terceira Idade
Sexualidade Na Terceira IdadeSexualidade Na Terceira Idade
Sexualidade Na Terceira Idade
 
Workshop sexualidade e deficiência
Workshop  sexualidade e deficiênciaWorkshop  sexualidade e deficiência
Workshop sexualidade e deficiência
 
Aula de Sexualidade
Aula de Sexualidade Aula de Sexualidade
Aula de Sexualidade
 
Sexualidade powerpoint
Sexualidade powerpointSexualidade powerpoint
Sexualidade powerpoint
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
2ºc
2ºc2ºc
2ºc
 
A sexualidade na adolescência
A sexualidade na adolescênciaA sexualidade na adolescência
A sexualidade na adolescência
 
Sexualidade 7 e12micaela
Sexualidade 7 e12micaelaSexualidade 7 e12micaela
Sexualidade 7 e12micaela
 
Bicastiradentes orientaçãosexual
Bicastiradentes orientaçãosexualBicastiradentes orientaçãosexual
Bicastiradentes orientaçãosexual
 
Unidade iii sexualidade e questões de gênero
Unidade iii   sexualidade e questões de gêneroUnidade iii   sexualidade e questões de gênero
Unidade iii sexualidade e questões de gênero
 
Sexualidade e Saúde reprodutiva.
Sexualidade e Saúde reprodutiva.Sexualidade e Saúde reprodutiva.
Sexualidade e Saúde reprodutiva.
 
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
 
Sexualidade na Contemporaneidade
Sexualidade na ContemporaneidadeSexualidade na Contemporaneidade
Sexualidade na Contemporaneidade
 
7º ano reda cem - 7.15
7º ano   reda cem - 7.157º ano   reda cem - 7.15
7º ano reda cem - 7.15
 
A sexualidade do idoso.pptx
A sexualidade do idoso.pptxA sexualidade do idoso.pptx
A sexualidade do idoso.pptx
 
A sexualidade dos 2 aos 10 ano snovo
A sexualidade dos 2 aos 10 ano snovoA sexualidade dos 2 aos 10 ano snovo
A sexualidade dos 2 aos 10 ano snovo
 

Mais de Vithória Almeida (9)

Relatorio
RelatorioRelatorio
Relatorio
 
Relatorio
RelatorioRelatorio
Relatorio
 
Relatorio
RelatorioRelatorio
Relatorio
 
Relatorio
RelatorioRelatorio
Relatorio
 
Separação de misturas
Separação de misturas Separação de misturas
Separação de misturas
 
Separação de misturas
Separação de misturas Separação de misturas
Separação de misturas
 
Mosaico
MosaicoMosaico
Mosaico
 
Segunda guerra-mundial33893
Segunda guerra-mundial33893Segunda guerra-mundial33893
Segunda guerra-mundial33893
 
o samba
o sambao samba
o samba
 

Último

Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docCarolineWaitman
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasdiegosouzalira10
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 

Último (20)

Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 

sexualidade

  • 2. O homem, ontem e hoje, sempre se preocupou com sua sexualidade. O sexo, que antes servia apenas como um meio de reprodução, hoje é o meio de comunicação entre casais.
  • 3. A sexualidade abrange muito mais do que apenas o sexo genital e as exigências na expressão e comunicação. Tornou-se a forma mais humana de convívio entre as pessoas. Mais regras e formas de expressão foram criadas para estabelecer os limites éticos e a nossa vida sexual. A relação entre sexo, sexualidade e, ainda, a reprodução se mostra tanto mais estreita quanto mais se sobe na escala zoológica. No homem, no entanto, em virtude de elementos culturais , as questões ligadas à sexualidade se libertaram das determinações do sexo e da reprodução, e se situaram principalmente na esfera da afetividade.
  • 4. Vamos tentar definir e diferenciar o sexo da sexualidade. Ato sexual propriamente dito, sendo um impulso primitivo e a sexualidade é a forma de expressar o ato e a atração sexual, pois a sexualidade está sempre ligada a circunstâncias emocionais, a cultura de cada pessoa, a educação recebida, do ambiente que habita, da cultura que o cerca e de sua personalidade. O chamado diencéfalo ou cérebro primitivo, intervém, através do hipotálamo, no desejo, no interesse sexual e também recolhe as informações que chegam do exterior e dos hormônios, controlando-os e dando as respostas da excitação sexual, ejaculação, sensações de prazer e regulando as respostas emocionais e afetivas no comportamento sexual. O chamado sistema límbico do nosso cérebro discrimina e seleciona os estímulos, reconhecendo os sinais de saciedade inibindo o comportamento sexual.
  • 5. SEXO Conjunto de caracteres estruturais e funcionais segundo os quais um ser vivo se classifica como macho ou fêmea e desempenha papel específico de uma dessas condições na reprodução da espécie. No que se refere aos aspectos psicossociais da sexualidade, desde os primeiros meses, os pais orientam o comportamento da criança para torná-lo condizente com seu respectivo sexo, fazendo com que o menino e a menina acabem por considerar-se como tais e assim serão considerados pelos outros.
  • 6. SEXUALIDADE Modo como o ser humano responde a estímulos eróticos e obtém prazer por meio de atividade sexual com outra pessoa, em grupo ou sozinho (masturbação). A sexualidade envolve todas as zonas erógenas do corpo, não somente os órgãos genitais, além de impulsos, desejos e fantasias associados ao sexo. A capacidade de ter sensações eróticas está presente no ser humano desde os primeiros momentos de vida e compõe sua libido (termo que designa, na psicanálise, a energia do impulso sexual). O comportamento sexual humano é determinado por três fatores: Herança genética: que caracteriza biologicamente o indivíduo; Fator social: composto por influências da sociedade (educação, família) sobre o indivíduo; Fator psicológico: formado pelos mecanismos psíquicos inconscientes.
  • 7. SEXO E PERSONALIDADE A personalidade de cada pessoa seja introvertida (tímido) ou extrovertida, está marcada pela genética que, por sua vez determina sua resposta sexual. Os introvertidos costumam caracterizar-se por retração do impulso sexual. Buscar satisfações solitariamente seja tocando um instrumento, colecionando obras de arte e muitas vezes a masturbação é frequente. A expressão das emoções costuma ser mais fácil para os extrovertidos, principalmente para os jovens. Os movimentos corporais de exibição, os atos sinuosos da corte amorosa, nas quais os jovens se aproximam e se afastam uns dos outros, constituem uma forma manifesta de excitar o parceiro e levá- lo a uma comunicação mais íntima.
  • 8. O Precocemente, mais variadas e variáveis, sua frequência será provavelmente maior que nos introvertidos, é mais provável que pensem e queiram atos sexuais mais persistentemente que os introvertidos e têm, em geral, uma sexualidade mais "poderosa". O extrovertido excita-se sexualmente com mais facilidade, temem pouco as relações sexuais, e têm pouca dificuldade na expressão de fortes sentimentos sexuais. O comportamento extrovertido se adapta e é mais apropriado para a juventude.
  • 9. ] Com o passar da idade e com o amadurecimento sexual, as diferenças sexuais entre os entro e extrovertidos desaparecem e o desempenho e a satisfação sexual podem ser muito bons, dependendo da cabeça aberta do homem e da mulher, para possíveis mudanças sexuais, sempre para melhor, e como resultado ter uma vida mais prazerosa e feliz.
  • 10. Diferença entre amor, paixão e atração Quando se fala de sentimentos nos confundimos de tal maneira que não sabemos exatamente aquilo que estamos sentindo e ficamos sem saber se estamos amando, ou se estamos apaixonados ou se estamos atraído por alguma pessoa. Desde a existência da civilização já se tem essa duvida do amor, paixão e atração e pensando nisso o Alienado trouxe uma explicação tendo assim o significado de cada um dos abstratos, ai sim você pode saber o que está sentindo de verdade, então se liga nos significados de cada um:
  • 11. AMOR : É um sentimento duradouro, sempre calmo, quando ambos sabem o que o outro gosta ou pensa, aceita a outra pessoa assim como ela é e não querer mudá-la para o seu jeito de agir e pensar, amor é um sentimento verdadeiro, é saber que você quer aquela pessoa pra vida toda, que você aceita amá-la na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza até que a morte os separe, amor é eterno.
  • 12. PAIXÃO: É um sentimento passageiro, paixão vem todo aquele fogo e euforia, é passageiro, mas é eterno enquanto dura, pois você até sente um pouco daquele abstrato de amor, mas você vê mais tarde que não era verdade, é apenas um fogo de palha, que resplandece quando acende, mas acaba rápido.
  • 13. ATRAÇÃO: como a própria palavra já diz, você se sente atraído por alguém, mas você não ama essa pessoa, talvez o porte físico desta pessoa que chamou a sua atenção e como o ser humano é um ser possessivo você começa a idealizar a posse de tal pessoa, mas ai neste caso o amor e a paixão podem vir depois de um tempo se houver o convívio dessas pessoas, mas em relação ao sentimento é somente uma atração física, esse é o sentimento da atração, que pode virar paixão e mais tarde amor.
  • 15. O autor queria dizer que. Quando falamos em sexualidade, é comum imaginarmos a fase da adolescência. Puro engano. A sexualidade é um atributo dos seres humanos, experimentada e expressa por meio de pensamentos, fantasias, desejos, crenças, atitudes, valores, atividades práticas, papéis e relacionamentos. Envolve o corpo, a história, os costumes, as relações afetivas e a cultura de cada um, além das concepções provenientes da religião, da moral e de relações ao longo do desenvolvimento humano.
  • 16. Identificamos a imagem com o tema sexualidade por que. Asexualidade, sendo parte da construção da identidade da criança, é também uma construção social relacionada às ideias de gênero (menino/menina) e poder que temos e compartilhamos com as crianças. Por isso, mesmo depois de muitos avanços nas discussões sobre sexo/sexualidade, esse continua sendo um assunto polêmico. É polêmico porque a discussão sobre esse tema envolve valores, crenças, religiosidades e tabus familiares e pessoais e, na verdade, não há consenso. As pessoas não concordam com uma única visão sobre a aceitação da sexualidade.
  • 18. O autor queria dizer que. A gravidez na adolescência tem se destacado como um problema de saúde pública em diversos países devido ao elevado risco de morbimortalidade materna e infantil e por constituir um possível evento desestruturado da vida das adolescentes. Complicações na gestação e parto têm sido a principal causa de morte de adolescentes entre 15 e 19 anos em diversos países do mundo. No Brasil, estudos têm observado maior probabilidade de óbito entre mães adolescentes, quando comparadas àquelas com idade superior a 20 anos. Além disso, bebês de mães adolescentes têm maior risco de apresentar baixo peso ao nascer, prematuridade e, consequentemente, maior chance de morte do que filhos de mães adultas. Esses riscos se devem em parte a fatores biológicos como a imaturidade fisiológica e o desenvolvimento incompleto da pelve feminina e do útero das adolescentes. Ao mesmo tempo, a imaturidade emocional do adolescente pode levar a dificuldades em estabelecer relações afetivas com o seu filho, baixa autoestima e despreparo no cuidado da criança, que podem aumentar os riscos de agravos à saúde física e emocional da adolescente e do bebê. Ainda, a gravidez nessa fase da vida pode levar a problemas sociais, como a evasão escolar, redução das oportunidades de qualificação profissional e consequente dificuldade no acesso ao mercado de trabalho, instabilidade conjugal e preconceito por parte da sociedade.
  • 19. Identificamos a imagem com o tema sexualidade por que. A adolescência representa uma fase de descobertas, mudanças e expansão da vida social da mulher. Porém, muitas jovens acabam engravidando, e não apenas interrompem essa etapa como assumem uma grande responsabilidade, para a qual nem sempre estão preparadas.
  • 21. O autor queria dizer que. A violência sexual pode ser considerada uma das violências de gênero já que está baseada na desigualdade entre homens e mulheres. É importante salientar que a dominação do sexo masculino em relação do sexo feminino se expressa na forma como meninos e meninas são educados e socializados, os meninos aprendem a ter comportamentos agressivos de domínio do mundo público, enquanto, espera-se que as meninas sejam sensíveis e capazes de desempenhar funções domésticas. Os impactos da violência sexual na saúde física e mental nas mulheres apresentam- se nas formas de: DST, lesões de maior ou menor gravidade, inflamações pélvicas, gravidez indesejada, aborto espontâneo, dor pélvica crônica, dores de cabeça persistentes, problemas ginecológicos, abuso de álcool e drogas, asma, síndrome de irritação intestinal, stress, depressão, ansiedade, disfunções sexuais, distúrbios alimentares, tentativa de suicídio, entre outras. A maioria das mulheres foi educada achando que o sexo faz parte das obrigações do sexo feminino nas relações afetivas, dessa forma, acabam por naturalizar o sexo forçado, não identificando as situações de violência sexual. Para prevenir a violência sexual, é importante buscar ouvir as mulheres e identificar se estão em situação de violência sexual, além de suspeitar de sinais desse tipo de violência
  • 22. Identificamos a imagem com o tema sexualidade por que. A violência sexual é considerada grave violação de direitos humanos. As evidências científicas mostram incidência elevada entre as mulheres, com impactos severos para a saúde sexual e reprodutiva. As mulheres apresentam riscos de traumas físicos, doenças sexualmente transmissíveis, infecção pelo HIV, e a gravidez resultante do estupro. Além disso, elas sofrem consequências Psicológicas devastadores, muitas vezes irreparáveis. Neste artigo, a violência sexual é abordada como problema de saúde pública e como violência de gênero. São analisadas medidas de proteção e de redução de danos, e a responsabilidade dos serviços de saúde .
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.