SlideShare uma empresa Scribd logo
REDAÇÃO - PAS
2º ANO
Professora Vivian Trombini
viviantrombini@hotmail.com
www.slideshare.net/viviantrombini
CARTAS
CARTAS (PESSOAL, RECLAMAÇÃO)
Ø
Deixe evidente o objetivo oferecido no comando (manifestar
opinião/ expor opinião/ comentar/relatar/ reclamar/ solicitar) logo
no início da carta.
Ø
Na introdução, explicite sua socialização, faça um perfil composto
(além do de leitor/ solicitante/ reclamante, uma função social)
que possa servir como base para sua argumentação.
Ø
Apresente opinião sobre o tema, presente no texto, extrapole o
texto de apoio, não o copie apenas.
Ø
Use sua posição social para argumentar/ expor comprovação
sobre o tema.
Ø
Ø
CARTAS (PESSOAL E RECLAMAÇÃO)
Ø
O uso da primeira pessoa do singular deve ser recorrente, ao
menos uma vez em cada parágrafo.
Ø
Retome o vocativo no decorrer da carta.
Ø
A interlocução com o uso da segunda pessoa do discurso ou
de pronomes de tratamento também deve ser recorrente, por
isso deve haver referências ao interlocutor ao menos uma vez
em cada parágrafo.
Ø
Há a necessidade dos dados de personificação, ou seja, é
importante que seja criado um locutor que mostre competência
para discutir o assunto da carta (máscara).
Ø
Assine (ou não) conforme sugestão do comando.
Ø
Ø
CARTA PESSOAL
A estrutura deve ser esta:
Local, data.
Vocativo,
Socialização + contextualização + objetivo da carta +
argumentação + explicação + comprovação (seguir as
orientações do enunciado) + retomada do vocativo +
reforço do objetivo da carta + expectativa/perspectiva.
Despedida,
Assinatura.
●
CARTA PESSOAL
Contexto de produção: Em conversas informais com amigos e
também com sua família, foi exposto que todos estãofoi exposto que todos estão
preocupados e incomodados com a sua mania de tirar selfies empreocupados e incomodados com a sua mania de tirar selfies em
todos os momentos, ato que torna as suas relações interpessoaistodos os momentos, ato que torna as suas relações interpessoais
bastante difíceis.bastante difíceis. Por esse motivo, você decidiu pedir ajuda a uma
amiga que mora em outra cidade, por meio de uma carta, uma
vez que ela não tem o hábito de usar de tecnologia.
Comando de produção: Elabore uma CARTA PESSOAL na qual
confidencie a um(a) amigo(a) o seu vício em tirarconfidencie a um(a) amigo(a) o seu vício em tirar selfiesselfies.. Diga a
ele(a) o que acontece com você quando fica sem tirar fotoso que acontece com você quando fica sem tirar fotos e
como se sente quando não consegue uma boa foto. Peça a ele(a)como se sente quando não consegue uma boa foto. Peça a ele(a)
orientação sobre como proceder para livrar-se do vício.orientação sobre como proceder para livrar-se do vício. Use entre
10 e 15 linhas. Nessa carta pessoal, seu destinatário deverá
chamar-se Bruno ou Bruna e você, o remetente, deverá assinar
como Rafael ou Rafaela.
CARTA PESSOAL
Maringá, 26 de agosto de 2017.
Cara Bruna,
Sei que faz um bom tempo que não entro em contato contigo
e isso se deve a um problema pelo qual estou passando. Amiga,
acredito que eu esteja viciada em tirar “selfies”, uma vez que
não consigo praticar nenhuma ação do meu dia sem fotografa-
la, isso sem contar o tempo perdido com as inúmeras
fotografias, a escolha dos filtros , as maquiagens e edições. Eu
nem havia percebido isso, mas comecei a notar que todo mundo
passou a me condenar pelo hábito. Esses dias disse a uma
colega de grupo que não tivera tempo para fazer o trabalho
escolar e ela me respondeu que era só parar de tirar tantos
“selfies”. Na semana passada, fui mandada para fora da sala de
aula porque tirei uma fotografia durante a aula de filosofia.
CARTA PESSOAL
Porém, ontem foi o momento do reconhecimento do
meu vício, eu tirei uma “selfie” no velório da minha avó.
Minha mãe não sabia se chorava mais ou me batia,
tamanha minha falta de noção sobre a gravidade daquilo.
É por isso, querida amiga, que lhe peço ajuda, pois sei que
você é uma pessoa desapegada dos meios tecnológicos e
não sei como fazer para evitar esse hábito danoso. Por
favor, aproveite que teremos uma semana de feriado e
venha passar uns dias comigo aqui em casa. Sei que você
é muito focada e vai me ajudar bastante, custe o que
custar. Estou aqui esperando ansiosa!
Um abraço da amiga, Rafaela.
CARTA DE RECLAMAÇÃO
A estrutura deve ser esta:
Local, data.
Vocativo,
Socialização (perfil composto) + contextualização (do
que reclama? Sua reclamação se justifica?) + objetivo da
carta (o que pretende com a carta) + CONTRA
ARGUMENTAÇÃO + argumentação + explicação +
comprovação + reforço do objetivo da carta + retomada do
vocativo + solicitação (o que quer para resolver o
problema?) + expectativa/perspectiva.
Despedida,
Assinatura.
CARTA DE RECLAMAÇÃO
Contexto de produção: Suponha que você tenha começado a
denunciar usuários e páginas do Fdenunciar usuários e páginas do Facebookacebook os quais se utilizamos quais se utilizam
da rede para tecer comentários preconceituosos e até parada rede para tecer comentários preconceituosos e até para
propagar o ódio de diversas maneiras.propagar o ódio de diversas maneiras. Porém, a rede se justificaa rede se justifica
com a alegação de que suas denúncias não ferem a políticacom a alegação de que suas denúncias não ferem a política
deles.deles.
Comando de produção: Desse modo, em face do contexto de
produção supracitado, escreva, como usuário docomo usuário do FacebookFacebook,,
uma CARTA DE RECLAMAÇÃO para a rede social,
manifestando sua insatisfação com a sua política demanifestando sua insatisfação com a sua política de
administração de páginas e conteúdos, uma vez que aadministração de páginas e conteúdos, uma vez que a
considera extremamente permissiva.considera extremamente permissiva. Assine como Cidadão ou
Cidadã. Use entre 10 e 15 linhas.
CARTA DE RECLAMAÇÃO
Maringá, 22 de janeiro de 2017.
À rede social Facebook,
Sou usuário desta rede social há alguns anos e indignei-me
diante do descaso desta quanto ao monitoramento de páginas
ofensivas e de teor preconceituoso, as quais, perpassam o ódio
e conteúdos pejorativos. Escrevo, dessa maneira, a fim deEscrevo, dessa maneira, a fim de
reclamarreclamar sobre o constrangimento que as vítimas passam e a
injustiça para com aqueles que não seguem o parâmetro dos
usuários que, em sua ignorância, desqualificam o diferente de si
por meio das mídias sociais. Ademais, os que sofrem
julgamentos com alto teor de inferioridade afirmam, em
suas próprias redes sociais, que já denunciavam os casos,
mas nenhuma atitude foi tomada por parte da rede.
CARTA DE RECLAMAÇÃO
Assim, por mais que a finalidade da rede seja que todos
tenham direito à liberdade de expressão, casos como de o
racismo e a homofobia, por exemplo, são crimes cada vez
mais recorrentes perpetuando estereótipos mediante
aspectos distintos das pessoas, o que acarretará em cada
vez mais problemas sociais. Por esses e outros motivos, os
usuários identificados podem e devem ser penalizados.
Diante disso, solicito ao Facebooksolicito ao Facebook que haja uma varredura
em todas as páginas e comunidades vinculadas a si, para
que sejam excluídas e os agressores devidamente punidos.
Só assim será possível manter um cenário agradável entre os
usuários dessa rede social.
Sem mais para o momento,
Cidadão.
●
CARTA ABERTA
A estrutura deve ser esta:
*Local, data.
Carta aberta + remetente + destinatário+ assunto
Contextualização + socialização + identificação da
situação problema + suas causas e consequências +
justificativa do motivo pelo qual esses problemas
incomodam ou fazem mal ao grupo + sugestões de
possíveis medidas para a solução do problema +
justificativas para as medidas de solução + expectativas.
Despedida,
Assinatura.
CARTA ABERTA
Contexto de produção: Na sua escola, um projeto de
caráter interdisciplinar reuniu seus professores de Filosofia,
de Sociologia e de Língua Portuguesa. Na ocasião, houve
uma importante abordagem temática sobre doação dedoação de
órgãos, solidariedade e altruísmo.órgãos, solidariedade e altruísmo. Foram apresentados
depoimentos de duas famílias (a doadora e a receptora de
órgãos) e um cartaz de campanha publicitária institucional
de uma prefeitura (textos 1 e 2, respectivamente)
incentivando esse tipo de doação. Movido(a) pelas
discussões promovidas pelo projeto, você resolve divulgarvocê resolve divulgar
na sua página pessoal de uma rede social uma carta,na sua página pessoal de uma rede social uma carta,
destinada a sua família, onde apresenta a sua decisão dedestinada a sua família, onde apresenta a sua decisão de
ser ou não um(a) doador(a) de órgãos.ser ou não um(a) doador(a) de órgãos.
●
CARTA ABERTA
Comando de produção: Considerando o contexto de
produção acima, elabore uma CARTA ABERTA a sera ser
divulgada em sua página pessoal de uma rede socialdivulgada em sua página pessoal de uma rede social,,
destinada aos seus familiares, onde você expresse seudestinada aos seus familiares, onde você expresse seu
desejo de ser ou não ser doador(a) de órgãos e as razõesdesejo de ser ou não ser doador(a) de órgãos e as razões
que o(a) motivaram a tomar tal decisão.que o(a) motivaram a tomar tal decisão. Sua carta deve ter
o mínimo de 10 e o máximo de 15 linhas. Assine como
Lúcia ou Lúcio, sem mais complemento.
●
CARTA ABERTA
Maringá, 12 de dezembro de 2016.
Carta aberta aos meus familiaresaos meus familiares sobre a doação de órgãossobre a doação de órgãos
Como vocês sabem, sempre tive minhas dúvidas se eu seria ou não
um doador de órgãos, mas, movido pela discussão de um projeto de
caráter interdisciplinar em minha escola, pude concluir que desejo ser
um doador de órgãos. A felicidade de ter recebido e a satisfação nos
depoimentos das famílias - que doaram e receberam os órgãos - foi
capaz de me comover e me fazer enxergar essa questão de uma
maneira diferente. Como vocês tem conhecimento da minha
solidariedade e ambição por ajudar o próximo, vi que a doação de
órgãos é uma das maneiras mais honrosas para tais ações. Ademais,
alimentar as esperanças e acabar com o sofrimento das famílias que
esperam incansavelmente será um grande feito para mim. Por isso,
meus familiares,meus familiares, minha decisão de ser um doador de órgãos é certa e
definida, pois quero acabar com a necessidade e o desespero de, ao
menos, algumas pessoas. Com a publicação desta carta, espero que
vocês entendam o meu desejo e que isso os motive também.
Atenciosamente, Lúcio.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANOREDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANOVIVIAN TROMBINI
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesIsis Barros
 
Figura de linguagem conotativo x denotativo
Figura de linguagem conotativo x denotativoFigura de linguagem conotativo x denotativo
Figura de linguagem conotativo x denotativoJuliana Oliveira
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4GernciadeProduodeMat
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo Guilherme Cardozo
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoTexto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoCicero Luciano
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesaPacatubaLei
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAMarcelo Cordeiro Souza
 
Formação de palavras (derivações e composições) aula 1
Formação de palavras (derivações e composições)  aula 1Formação de palavras (derivações e composições)  aula 1
Formação de palavras (derivações e composições) aula 1Alice Silva
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101) LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101) GoisBemnoEnem
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LGG201)/ (GO-EMLGG201A)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LGG201)/ (GO-EMLGG201A)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LGG201)/ (GO-EMLGG201A)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LGG201)/ (GO-EMLGG201A)GernciadeProduodeMat
 
Musica- Quem de nòs dois
Musica- Quem de nòs doisMusica- Quem de nòs dois
Musica- Quem de nòs doisDeisy Chagas
 

Mais procurados (20)

REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANOREDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slides
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Figura de linguagem conotativo x denotativo
Figura de linguagem conotativo x denotativoFigura de linguagem conotativo x denotativo
Figura de linguagem conotativo x denotativo
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
 
FATO E OPINIAO.pptx
FATO E OPINIAO.pptxFATO E OPINIAO.pptx
FATO E OPINIAO.pptx
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo
 
Oficina de Redação
Oficina de RedaçãoOficina de Redação
Oficina de Redação
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Produção de Texto
Produção de TextoProdução de Texto
Produção de Texto
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoTexto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Formação de palavras (derivações e composições) aula 1
Formação de palavras (derivações e composições)  aula 1Formação de palavras (derivações e composições)  aula 1
Formação de palavras (derivações e composições) aula 1
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Aulão de redação -Resumo de redação
Aulão de redação -Resumo de redaçãoAulão de redação -Resumo de redação
Aulão de redação -Resumo de redação
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101) LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LGG201)/ (GO-EMLGG201A)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LGG201)/ (GO-EMLGG201A)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LGG201)/ (GO-EMLGG201A)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LGG201)/ (GO-EMLGG201A)
 
Musica- Quem de nòs dois
Musica- Quem de nòs doisMusica- Quem de nòs dois
Musica- Quem de nòs dois
 
Uso dos porquês
Uso dos porquêsUso dos porquês
Uso dos porquês
 

Semelhante a CARTAS - UEM - PAS 2

A carta argumentativa 9 ano (1)
A carta argumentativa 9 ano (1)A carta argumentativa 9 ano (1)
A carta argumentativa 9 ano (1)colegiojao
 
Gêneros textuais 02 (3ª série - A)
Gêneros textuais   02 (3ª série - A)Gêneros textuais   02 (3ª série - A)
Gêneros textuais 02 (3ª série - A)Diógenes de Oliveira
 
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007Oficina MetaSorocaba 23.10.2007
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007Hudson Augusto
 
O Numero De Dunbar FSB Comunicações
O Numero De Dunbar FSB ComunicaçõesO Numero De Dunbar FSB Comunicações
O Numero De Dunbar FSB ComunicaçõesFSB Comunicação
 
Encontro Administrativo da Rede de Colégios Maristas
Encontro Administrativo da Rede de Colégios MaristasEncontro Administrativo da Rede de Colégios Maristas
Encontro Administrativo da Rede de Colégios MaristasEduca Comunicação
 
A notícia nas diferentes mídias 2
A notícia nas diferentes mídias 2A notícia nas diferentes mídias 2
A notícia nas diferentes mídias 2Célia Polotto
 
LP8 - Currículo em Ação.pdf
LP8 - Currículo em Ação.pdfLP8 - Currículo em Ação.pdf
LP8 - Currículo em Ação.pdfEuber Medrado
 
Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12wluis001
 
Gêneros textuais trabalho de português (3° série - a)
Gêneros textuais   trabalho de português (3° série - a)Gêneros textuais   trabalho de português (3° série - a)
Gêneros textuais trabalho de português (3° série - a)Matheus Alves
 
Explorando o uso responsável das redes sociais
Explorando o uso responsável das redes sociaisExplorando o uso responsável das redes sociais
Explorando o uso responsável das redes sociaisSandro Neto Ribeiro
 
CURSO BÁSICO EM REDES SOCIAIS
CURSO BÁSICO EM REDES SOCIAISCURSO BÁSICO EM REDES SOCIAIS
CURSO BÁSICO EM REDES SOCIAISCid Nunes Ferreira
 
Comunicação Não Violenta: Roda de Conversa
Comunicação Não Violenta: Roda de ConversaComunicação Não Violenta: Roda de Conversa
Comunicação Não Violenta: Roda de ConversaAlessandro Almeida
 
#1 Muito além do encontro
#1 Muito além do encontro#1 Muito além do encontro
#1 Muito além do encontroCamila Haddad
 
Aula sobre artigo de opinião.pptx
Aula sobre artigo de opinião.pptxAula sobre artigo de opinião.pptx
Aula sobre artigo de opinião.pptxMariaLusaBrunoBaumga
 
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdfaula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdfThaisRibeiro971223
 

Semelhante a CARTAS - UEM - PAS 2 (20)

Carta Argumentativa.pptx
Carta Argumentativa.pptxCarta Argumentativa.pptx
Carta Argumentativa.pptx
 
A carta argumentativa 9 ano (1)
A carta argumentativa 9 ano (1)A carta argumentativa 9 ano (1)
A carta argumentativa 9 ano (1)
 
PAS UEM - 1º ANO
PAS UEM - 1º ANOPAS UEM - 1º ANO
PAS UEM - 1º ANO
 
Gêneros textuais 02 (3ª série - A)
Gêneros textuais   02 (3ª série - A)Gêneros textuais   02 (3ª série - A)
Gêneros textuais 02 (3ª série - A)
 
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007Oficina MetaSorocaba 23.10.2007
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007
 
O Numero De Dunbar FSB Comunicações
O Numero De Dunbar FSB ComunicaçõesO Numero De Dunbar FSB Comunicações
O Numero De Dunbar FSB Comunicações
 
Encontro Administrativo da Rede de Colégios Maristas
Encontro Administrativo da Rede de Colégios MaristasEncontro Administrativo da Rede de Colégios Maristas
Encontro Administrativo da Rede de Colégios Maristas
 
A notícia nas diferentes mídias 2
A notícia nas diferentes mídias 2A notícia nas diferentes mídias 2
A notícia nas diferentes mídias 2
 
LP8 - Currículo em Ação.pdf
LP8 - Currículo em Ação.pdfLP8 - Currículo em Ação.pdf
LP8 - Currículo em Ação.pdf
 
Apostila de-dinamicas
Apostila de-dinamicasApostila de-dinamicas
Apostila de-dinamicas
 
Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12
 
Gêneros textuais trabalho de português (3° série - a)
Gêneros textuais   trabalho de português (3° série - a)Gêneros textuais   trabalho de português (3° série - a)
Gêneros textuais trabalho de português (3° série - a)
 
Explorando o uso responsável das redes sociais
Explorando o uso responsável das redes sociaisExplorando o uso responsável das redes sociais
Explorando o uso responsável das redes sociais
 
CURSO BÁSICO EM REDES SOCIAIS
CURSO BÁSICO EM REDES SOCIAISCURSO BÁSICO EM REDES SOCIAIS
CURSO BÁSICO EM REDES SOCIAIS
 
Perfil - JoBásico
Perfil - JoBásicoPerfil - JoBásico
Perfil - JoBásico
 
Comunicação Não Violenta: Roda de Conversa
Comunicação Não Violenta: Roda de ConversaComunicação Não Violenta: Roda de Conversa
Comunicação Não Violenta: Roda de Conversa
 
#1 Muito além do encontro
#1 Muito além do encontro#1 Muito além do encontro
#1 Muito além do encontro
 
Aula sobre artigo de opinião.pptx
Aula sobre artigo de opinião.pptxAula sobre artigo de opinião.pptx
Aula sobre artigo de opinião.pptx
 
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdfaula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
 
Carta aberta conceito e exemplos
Carta aberta   conceito e exemplosCarta aberta   conceito e exemplos
Carta aberta conceito e exemplos
 

Mais de VIVIAN TROMBINI

Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017VIVIAN TROMBINI
 
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEADANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEAVIVIAN TROMBINI
 
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃODANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃOVIVIAN TROMBINI
 
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAISARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAISVIVIAN TROMBINI
 
Revisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMRevisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMVIVIAN TROMBINI
 
Memórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubasMemórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubasVIVIAN TROMBINI
 
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3VIVIAN TROMBINI
 

Mais de VIVIAN TROMBINI (20)

Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017
 
VANGUARDAS EUROPEIAS
VANGUARDAS EUROPEIASVANGUARDAS EUROPEIAS
VANGUARDAS EUROPEIAS
 
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEADANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
 
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃODANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
 
GÊNEROS LITERÁRIOS
GÊNEROS LITERÁRIOSGÊNEROS LITERÁRIOS
GÊNEROS LITERÁRIOS
 
Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAISARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Musica brasileira
Musica brasileiraMusica brasileira
Musica brasileira
 
Revisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMRevisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEM
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
Memórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubasMemórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubas
 
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.MAULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 4 - ARTE - 1º E.M
AULA 4 - ARTE - 1º E.MAULA 4 - ARTE - 1º E.M
AULA 4 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 3 - ARTE - 1º E.M
AULA 3 - ARTE - 1º E.MAULA 3 - ARTE - 1º E.M
AULA 3 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 2 - ARTE - 1º E.M
AULA 2 - ARTE - 1º E.MAULA 2 - ARTE - 1º E.M
AULA 2 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 1 - ARTE - 1º E.M
AULA 1 - ARTE - 1º E.MAULA 1 - ARTE - 1º E.M
AULA 1 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
 

Último

Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfemeio123
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-carloseduardogonalve36
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosbiancaborges0906
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoPedroFerreira53928
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 

Último (20)

Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 

CARTAS - UEM - PAS 2

  • 1. REDAÇÃO - PAS 2º ANO Professora Vivian Trombini viviantrombini@hotmail.com www.slideshare.net/viviantrombini
  • 3. CARTAS (PESSOAL, RECLAMAÇÃO) Ø Deixe evidente o objetivo oferecido no comando (manifestar opinião/ expor opinião/ comentar/relatar/ reclamar/ solicitar) logo no início da carta. Ø Na introdução, explicite sua socialização, faça um perfil composto (além do de leitor/ solicitante/ reclamante, uma função social) que possa servir como base para sua argumentação. Ø Apresente opinião sobre o tema, presente no texto, extrapole o texto de apoio, não o copie apenas. Ø Use sua posição social para argumentar/ expor comprovação sobre o tema. Ø Ø
  • 4. CARTAS (PESSOAL E RECLAMAÇÃO) Ø O uso da primeira pessoa do singular deve ser recorrente, ao menos uma vez em cada parágrafo. Ø Retome o vocativo no decorrer da carta. Ø A interlocução com o uso da segunda pessoa do discurso ou de pronomes de tratamento também deve ser recorrente, por isso deve haver referências ao interlocutor ao menos uma vez em cada parágrafo. Ø Há a necessidade dos dados de personificação, ou seja, é importante que seja criado um locutor que mostre competência para discutir o assunto da carta (máscara). Ø Assine (ou não) conforme sugestão do comando. Ø Ø
  • 5. CARTA PESSOAL A estrutura deve ser esta: Local, data. Vocativo, Socialização + contextualização + objetivo da carta + argumentação + explicação + comprovação (seguir as orientações do enunciado) + retomada do vocativo + reforço do objetivo da carta + expectativa/perspectiva. Despedida, Assinatura. ●
  • 6. CARTA PESSOAL Contexto de produção: Em conversas informais com amigos e também com sua família, foi exposto que todos estãofoi exposto que todos estão preocupados e incomodados com a sua mania de tirar selfies empreocupados e incomodados com a sua mania de tirar selfies em todos os momentos, ato que torna as suas relações interpessoaistodos os momentos, ato que torna as suas relações interpessoais bastante difíceis.bastante difíceis. Por esse motivo, você decidiu pedir ajuda a uma amiga que mora em outra cidade, por meio de uma carta, uma vez que ela não tem o hábito de usar de tecnologia. Comando de produção: Elabore uma CARTA PESSOAL na qual confidencie a um(a) amigo(a) o seu vício em tirarconfidencie a um(a) amigo(a) o seu vício em tirar selfiesselfies.. Diga a ele(a) o que acontece com você quando fica sem tirar fotoso que acontece com você quando fica sem tirar fotos e como se sente quando não consegue uma boa foto. Peça a ele(a)como se sente quando não consegue uma boa foto. Peça a ele(a) orientação sobre como proceder para livrar-se do vício.orientação sobre como proceder para livrar-se do vício. Use entre 10 e 15 linhas. Nessa carta pessoal, seu destinatário deverá chamar-se Bruno ou Bruna e você, o remetente, deverá assinar como Rafael ou Rafaela.
  • 7. CARTA PESSOAL Maringá, 26 de agosto de 2017. Cara Bruna, Sei que faz um bom tempo que não entro em contato contigo e isso se deve a um problema pelo qual estou passando. Amiga, acredito que eu esteja viciada em tirar “selfies”, uma vez que não consigo praticar nenhuma ação do meu dia sem fotografa- la, isso sem contar o tempo perdido com as inúmeras fotografias, a escolha dos filtros , as maquiagens e edições. Eu nem havia percebido isso, mas comecei a notar que todo mundo passou a me condenar pelo hábito. Esses dias disse a uma colega de grupo que não tivera tempo para fazer o trabalho escolar e ela me respondeu que era só parar de tirar tantos “selfies”. Na semana passada, fui mandada para fora da sala de aula porque tirei uma fotografia durante a aula de filosofia.
  • 8. CARTA PESSOAL Porém, ontem foi o momento do reconhecimento do meu vício, eu tirei uma “selfie” no velório da minha avó. Minha mãe não sabia se chorava mais ou me batia, tamanha minha falta de noção sobre a gravidade daquilo. É por isso, querida amiga, que lhe peço ajuda, pois sei que você é uma pessoa desapegada dos meios tecnológicos e não sei como fazer para evitar esse hábito danoso. Por favor, aproveite que teremos uma semana de feriado e venha passar uns dias comigo aqui em casa. Sei que você é muito focada e vai me ajudar bastante, custe o que custar. Estou aqui esperando ansiosa! Um abraço da amiga, Rafaela.
  • 9. CARTA DE RECLAMAÇÃO A estrutura deve ser esta: Local, data. Vocativo, Socialização (perfil composto) + contextualização (do que reclama? Sua reclamação se justifica?) + objetivo da carta (o que pretende com a carta) + CONTRA ARGUMENTAÇÃO + argumentação + explicação + comprovação + reforço do objetivo da carta + retomada do vocativo + solicitação (o que quer para resolver o problema?) + expectativa/perspectiva. Despedida, Assinatura.
  • 10. CARTA DE RECLAMAÇÃO Contexto de produção: Suponha que você tenha começado a denunciar usuários e páginas do Fdenunciar usuários e páginas do Facebookacebook os quais se utilizamos quais se utilizam da rede para tecer comentários preconceituosos e até parada rede para tecer comentários preconceituosos e até para propagar o ódio de diversas maneiras.propagar o ódio de diversas maneiras. Porém, a rede se justificaa rede se justifica com a alegação de que suas denúncias não ferem a políticacom a alegação de que suas denúncias não ferem a política deles.deles. Comando de produção: Desse modo, em face do contexto de produção supracitado, escreva, como usuário docomo usuário do FacebookFacebook,, uma CARTA DE RECLAMAÇÃO para a rede social, manifestando sua insatisfação com a sua política demanifestando sua insatisfação com a sua política de administração de páginas e conteúdos, uma vez que aadministração de páginas e conteúdos, uma vez que a considera extremamente permissiva.considera extremamente permissiva. Assine como Cidadão ou Cidadã. Use entre 10 e 15 linhas.
  • 11. CARTA DE RECLAMAÇÃO Maringá, 22 de janeiro de 2017. À rede social Facebook, Sou usuário desta rede social há alguns anos e indignei-me diante do descaso desta quanto ao monitoramento de páginas ofensivas e de teor preconceituoso, as quais, perpassam o ódio e conteúdos pejorativos. Escrevo, dessa maneira, a fim deEscrevo, dessa maneira, a fim de reclamarreclamar sobre o constrangimento que as vítimas passam e a injustiça para com aqueles que não seguem o parâmetro dos usuários que, em sua ignorância, desqualificam o diferente de si por meio das mídias sociais. Ademais, os que sofrem julgamentos com alto teor de inferioridade afirmam, em suas próprias redes sociais, que já denunciavam os casos, mas nenhuma atitude foi tomada por parte da rede.
  • 12. CARTA DE RECLAMAÇÃO Assim, por mais que a finalidade da rede seja que todos tenham direito à liberdade de expressão, casos como de o racismo e a homofobia, por exemplo, são crimes cada vez mais recorrentes perpetuando estereótipos mediante aspectos distintos das pessoas, o que acarretará em cada vez mais problemas sociais. Por esses e outros motivos, os usuários identificados podem e devem ser penalizados. Diante disso, solicito ao Facebooksolicito ao Facebook que haja uma varredura em todas as páginas e comunidades vinculadas a si, para que sejam excluídas e os agressores devidamente punidos. Só assim será possível manter um cenário agradável entre os usuários dessa rede social. Sem mais para o momento, Cidadão. ●
  • 13. CARTA ABERTA A estrutura deve ser esta: *Local, data. Carta aberta + remetente + destinatário+ assunto Contextualização + socialização + identificação da situação problema + suas causas e consequências + justificativa do motivo pelo qual esses problemas incomodam ou fazem mal ao grupo + sugestões de possíveis medidas para a solução do problema + justificativas para as medidas de solução + expectativas. Despedida, Assinatura.
  • 14. CARTA ABERTA Contexto de produção: Na sua escola, um projeto de caráter interdisciplinar reuniu seus professores de Filosofia, de Sociologia e de Língua Portuguesa. Na ocasião, houve uma importante abordagem temática sobre doação dedoação de órgãos, solidariedade e altruísmo.órgãos, solidariedade e altruísmo. Foram apresentados depoimentos de duas famílias (a doadora e a receptora de órgãos) e um cartaz de campanha publicitária institucional de uma prefeitura (textos 1 e 2, respectivamente) incentivando esse tipo de doação. Movido(a) pelas discussões promovidas pelo projeto, você resolve divulgarvocê resolve divulgar na sua página pessoal de uma rede social uma carta,na sua página pessoal de uma rede social uma carta, destinada a sua família, onde apresenta a sua decisão dedestinada a sua família, onde apresenta a sua decisão de ser ou não um(a) doador(a) de órgãos.ser ou não um(a) doador(a) de órgãos. ●
  • 15. CARTA ABERTA Comando de produção: Considerando o contexto de produção acima, elabore uma CARTA ABERTA a sera ser divulgada em sua página pessoal de uma rede socialdivulgada em sua página pessoal de uma rede social,, destinada aos seus familiares, onde você expresse seudestinada aos seus familiares, onde você expresse seu desejo de ser ou não ser doador(a) de órgãos e as razõesdesejo de ser ou não ser doador(a) de órgãos e as razões que o(a) motivaram a tomar tal decisão.que o(a) motivaram a tomar tal decisão. Sua carta deve ter o mínimo de 10 e o máximo de 15 linhas. Assine como Lúcia ou Lúcio, sem mais complemento. ●
  • 16. CARTA ABERTA Maringá, 12 de dezembro de 2016. Carta aberta aos meus familiaresaos meus familiares sobre a doação de órgãossobre a doação de órgãos Como vocês sabem, sempre tive minhas dúvidas se eu seria ou não um doador de órgãos, mas, movido pela discussão de um projeto de caráter interdisciplinar em minha escola, pude concluir que desejo ser um doador de órgãos. A felicidade de ter recebido e a satisfação nos depoimentos das famílias - que doaram e receberam os órgãos - foi capaz de me comover e me fazer enxergar essa questão de uma maneira diferente. Como vocês tem conhecimento da minha solidariedade e ambição por ajudar o próximo, vi que a doação de órgãos é uma das maneiras mais honrosas para tais ações. Ademais, alimentar as esperanças e acabar com o sofrimento das famílias que esperam incansavelmente será um grande feito para mim. Por isso, meus familiares,meus familiares, minha decisão de ser um doador de órgãos é certa e definida, pois quero acabar com a necessidade e o desespero de, ao menos, algumas pessoas. Com a publicação desta carta, espero que vocês entendam o meu desejo e que isso os motive também. Atenciosamente, Lúcio.