1
do estudanteNúm. XXIII- ANO II 2ª quinzena - Agosto/2013
Folhetim do estudante é uma
publicação de cunho cultural e
educ...
2
do estudante ano II agosto/2013
OPINIÃO
São Paulo vista
com outros olhos...
São Paulo, a grande “Selva
de Pedra”. Desven...
3
do estudante ano II agosto/2013
debate
Um Olhar
aprofundado sobre
a Cidade
São Paulo, uma cidade
cuja história transcend...
4
do estudante ano II agosto/2013
to talk
Várias formas de dizer
“batata frita” em inglês
Não é nenhuma surpresa dizer
que...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIII

208 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
208
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIII

  1. 1. 1 do estudanteNúm. XXIII- ANO II 2ª quinzena - Agosto/2013 Folhetim do estudante é uma publicação de cunho cultural e educacional com artigos e textos de Professores, alunos, membros da comunidade da “E. E. Miguel Maluhy” e de pensadores humanistas. Acesse o BLOG do folhetim http://folhetimdoestudante.blogspot.com.br Sugestões e textos para: vogvirtual@gmail.com Resenha... pág. 2 Debate... pág. 3 Poéticas... pág. 3 To Talk... pág. 4 A Mão do Homem... A mão do homem está destruindo o nosso planeta e seus reflexos são as alterações na natureza. Estão ocorrendo modificações fora do normal, muitas de causas naturais e a maioria não onde, os avanços científicos e os estudos genéticos, têm causado mais prejuízos. Atualmente a poluição está com índices elevados e seus principais causadores são os homens com suas fábricas, grandes indústrias, desmatamento, devasta- ção de rios e lagos entre tantas outras coisas que afetam o nosso meio ambiente. A natureza está morrendo, o homem não cansa de maltratá-la com suas intervenções, pois cada vez mais nós agimos inconscien- temente contra ela. Temos no mundo só alguns poucos grandes reservatórios de água, o desperdício aumenta cada vez mais, a água potável está acabando e toda a cadeia ambiental está sendo destruída. Enfim, temos que acordar o quanto antes, porque nosso ambiente natural está sendo demolido, precisamos ter essa consciência e ajudar a preservar a natureza visando o nosso futuro para colhermos o melhor, para termos um ecosistema vivo não sendo modificado e nem alterado com as pesquisas geneticistas. O homem tem que criar soluções para combater o acúmulo de gases poluentes como o CO2 que é o grande causador do efeito estufa bem como o SO2 já que seus resíduos combinam com a água na atmosfera formando o ácido sulfúrico altamente tóxico e corrosivo formando chuvas ácidas que acarretam profundos danos ao meio ambiente. Talita Cavelho – 1ºE Folhetim
  2. 2. 2 do estudante ano II agosto/2013 OPINIÃO São Paulo vista com outros olhos... São Paulo, a grande “Selva de Pedra”. Desvendá-la não é tão simples assim, pois temos inúmeros bairros compostos por diferentes classes sociais e diferentes culturas. Nossa metrópole tem uma imensa vocação econômica. Com os aspectos históricos, áreas de lazer, atrações turísticas, riquezas culturais e a mobilidade urbana, desenvolvemos uma motivação para a grande circulação de pessoas que geram milhões em recursos econômicos, todos os dias. A questão sustentável é um tema recente nas discussões sobre a cidade pois ainda somos adeptos pela praticidade no descarte daquilo que não é mais útil, porém já vemos alguns avanços em diversas partes da cidade como postos de coleta seletiva de lixo, usinas de reciclagem, reuso de óleo de cozinha, garrafas PET e afins. Independente da maneira, cada vez mais, a cidade está crescendo e continua sendo a locomotiva do país. Redescobrir a nossa cidade não é apenas focar nos principais lugares, ou nos mais belos, mas sim trazer à tona a realidade de onde vivemos e sem deixar de conhecer o melhor do que há aqui em São Paulo. Nossa cidade, digamos, é o grande centro do país. Aqui existem tantas diferenças sócio- culturais que não conseguimos distinguir o que ou qual é a cara dela. Mas de um forma ou de outra o objetivo é surpreender-se. Camila Mendes – 1ºE RESENHAS Meu Campo Limpo Não tínhamos noção de como era a região onde moramos atualmente, nem tão pouco imaginávamos, como era maravilhoso e tranquilo morar no Campo Limpo, hoje em dia marcado pela violência, poluição e trânsito, diferentemente de antigamente quando era tudo uma paz. Antes encontrávamos chácaras e mais chácaras, muito verde e lagos além do rio na região. Hoje vemos prédios, algumas fábricas, ruas pavimen- tadas e córregos poluídos com os esgotos sendo despejados sem nenhum tratamento, sem nenhuma consciência de preservação daquilo que nos restou de bom por parte da polução que habita esse bairro. Tínhamos medo de que roubassem nossas roupas no varal, tínhamos brincadeiras saudáveis, hoje, nem sequer temos coragem de sair à rua durante a noite, nossas relações com vizinhos e conhecidos não eram tão fechadas e vazias como as de hoje em que vivemos isolados em nosso mundo nos contentando com o barulho, com a sujeira, a poluição, a violência, o trânsito e o descaso de quem governa. Larissa Zanetti – 2ºF Ficha Técnica Filme - “Meu Campo Limpo” Direcão : Aldrich Kanashiro e Albertina Araújo Gênero : Documentário Ano 2012, Duração 27min folhetim
  3. 3. 3 do estudante ano II agosto/2013 debate Um Olhar aprofundado sobre a Cidade São Paulo, uma cidade cuja história transcende anos e tradições, cingida de caracterís- ticas que ainda perduram mesmo após toda urbanização acelerada que acaba por afogar os pedaços da história no rio do desenvolvi- mento. Por trás de toda correria de uma grande cidade, que segue um fluxo capitalista, onde tempo é dinheiro, existem aspectos históricos e culturais que num momento de pré-urbanização predominava. Características geográficas que sofreram transformações radicais sobrevivem na memória dos moradores mais antigos de bairros de nomes conhecidos pela capital e se tornaram memórias passadas de geração a geração pela boca de quem guarda com carinho o que foi apagado pelo tempo. Assim, como as famílias tradicionalistas guardam sua linhagem, os poucos que viram a transmutação geográfica e social, guardam seus registros mentais como forma de reviver através da oralidade um pedaço da história. A cidade que adotou uma personalidade destrutiva e consumidora já foi palco de um espetáculo simples, de uma vida descomplicada e menos caótica, porém a urbanização trouxe os piores aspectos de um mundo globalizado, transformando as pessoas em cascas vazias e a vida em um show de conflitos. São Paulo, a cidade cinza, onde muitos imigrantes buscam conforto, pode ser o paraíso escondido cheio de variedades culturais, mas por enquanto é apenas um inferno caótico cujo qual nem DANTE suportaria transitar. Romário Oliveira – 3ºD POÉTICAS CAMPO LIMPO Mil histórias, mil vidas Vividas no Campo Limpo, meu lar. Mil trutas, mil tretas Da ponte pra cá. Vi revolver disparar Gigante Golias derrubar Urbanização se instalar Depois o trem passar. Na manhã seguinte Os camelôs não vão estar mais Na estrada do Campo Limpo Pois, como o trem, o rapa vai passar O Campo Limpo é lindo E tem histórias pra contar Antigo e vivido, tem um rosto envelhecido Com lábios tímidos Conta sua história como um drama no olhar Apesar de toda sua pobreza Muito fácil se apegar Campo Limpo, poluído de córregos e tristeza Ainda assim, tenho orgulho de dizer... Campo Limpo é o meu lar. Silas Guerra – 3ºD folhetim
  4. 4. 4 do estudante ano II agosto/2013 to talk Várias formas de dizer “batata frita” em inglês Não é nenhuma surpresa dizer que a batata é um dos alimentos mais consumidos mundo afora. Um trecho do Jornal Americano Sun Sentinel deixa isso bem claro: ‘’potatoes are one of the main staples in a household’’(a batata é um dos principais alimentos básicos em uma casa). Entre as possibilidades mais comuns, podemos mencionar quatro nos EUA e quatro no Reino Unido. Observe a seguir. French fries ou fries – American English [batata frita feita em casa, restaurantes ou lanchonetes] Potato chips ou Chips – American English [batata frita vendida em pacotes] Chips – British English [batata frita feita em casa, restaurantes ou lanchonetes] Potato crisps ou Crisps – British English [batata frita vendida em pacotes] Hash browns - American English / British English [tipo de batata ralada frita feita em casa, restaurantes ou lanchonetes] Potato wedges - American English / British English [tipo de batata frita em forma de cunha - daí o uso de "wedges"] É importante saber que a opção “fried potatoes” poderia até ser usada, porém, ela é muito geral e imprecisa. O melhor a se fazer é ser específico e dizer, por exemplo, “French fries”, “chips”, “hash browns” etc. Outro detalhe: “French fries” também pode ser escrito com letra minúscula: french fries. Não é obrigatório o uso de maiúscula neste caso. Vamos agora dar uma olhada em alguns exemplos de uso. We ordered French fries yesterday. [Nós pedimos batata frita ontem.] The students had chips for lunch. [Os alunos comeram batata frita no almoço.] I love steak and french fries. [Eu adoro bife com batata frita.] Children eat crisps every day. [Crianças comem batata frita todos os dias.] www.institutoorange.blogspot.com ação Desvendando São Paulo O trabalho de investigação sobre a cidade vai ser uma grande oportunidade de todos nós conhecermos a nossa grande São Paulo, saber o que se passa em cada bairro, poder conhecer como surgiu, o porquê foi dado esse ou aquele nome, como vivem as pessoas, aprofundar algo mais sobre os dados de violência, segurança, se é ou não uma boa opção de moradia, qualidades das escolas, etc. Podemos descobrir pontos turísticos que nem imaginávamos, áreas de lazer, parques e clubes. Podemos, também, saber como cresceu a grande cidade, quais foram suas características históricas e como ocorreram suas transformações. Hoje muitas coisas mudaram em São Paulo, ocorreu a diminuição do número de favelas, o aumento da oferta de empregos e bons empregos com muitos benefícios e bons salários, coisas que no passado recente eram mais difíceis. A cidade era bonita, era tudo verde, tudo muito bonito, muitas propriedades, chácaras, fazendas no entorno, construções monumentais que cederam lugar a casas populares, prédios e rios poluídos. O que nossa grande cidade tem de importante? A maravilhosa cultura diversificada, os museus, e locais onde as pessoas não perderam suas tradições que sempre foram e serão mantidas daquele jeitinho, como antigamente. Todos os dias pessoas de fora visitam nossa cidade e observam o seu cotidiano agitado e diversificado que nunca para de crescer. Thainá Barbosa – 2ºF folhetim

×