SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
Baixar para ler offline
Perspectivas      Sillas Oliva Filho
Mundiais dos
Biocombustíveis   Maio, 2007
Petrobras e os Biocombustíveis

Uso dos Biocombustíveis no Mundo

Motivação para os Biocombustíveis

   Atividades da Petrobras nos
         Biocombustíveis
Alinhamento Estratégico
            Estratégico
Alinhamento Estratégico
                                                 Estratégico



   Investimentos 2007- 2011                    Metas 2011
       Plantas de Biodiesel          Disponibilidade de 855 Mil m3/ano
                                      Processamento de Óleo Vegetal
       HBio (Bio-Refinaria)
                                             1.033 Mil m3/year
       Poliduto de Etanol           Exportação de 3,5 milhões de m3/ano
   Projeto de Navio para Etanol                 de Etanol

         Energia Eólica
                                     Capacidade Instalada de Geração
          Energia Solar                Elétrica de 240 MW de fontes
                                                renováveis.
Energia Renovável e Outras Fontes
Estratégia de Negócios
                                          Estratégia    Negócios


                                • Atividades em 23 países;

                                • Adição de valor a produção de óleo
                                pesado da Petrobras;

                                • Busca da liderança na America Latina
                                como empresa integrada de energia;

• Expansão de atividades nas áreas que contribem para o crescimento e
diversificação do portfólio de produtos;

• Expansão de suas operações no Golfo do México e no Oeste da África;

• Internacionalizar a marca Petrobras, agregando valor.
Petrobras e os Biocombustíveis

Uso dos Biocombustíveis no Mundo

Motivação para os Biocombustíveis

   Atividades da Petrobras nos
         Biocombustíveis
Utilização do etanol no mundo
                                 Utilização




Programas existentes de etanol         Programas em implantação

                                                           IFQC, 2006.
Limites de mistura de etanol




                IFQC, 2006.
Utilização de biodiesel no mundo




                    IFQC - 2006
O mundo em busca de alternativa
Demanda de biocombustíveis no mundo
                       biocombustíveis
        Demanda de Biocombustíveis em 2005:
                 Pequena mas crescente.




Biocombustíveis representam cerca de 1% dos
 combustíveis em uso no setor de transporte.
Mercado Mundial - 49,9 Bi Litros


América Central e    USA                      Europe
 Norte – 39,6%
                    38,3%                      9,5%

                             Brazil
                             33,5%
                                                Asia
América do Sul
                                               14,3%
    35,1%

                                                        F.O.Licht 2006




              Previsão de Produção Mundial:
        35,3 Bi Litros (2005) → 77,3 Bi Litros (2010)
                           PIRA 2007
Petrobras e os Biocombustíveis

Uso dos Biocombustíveis no Mundo

Motivação para os Biocombustíveis

   Atividades da Petrobras nos
         Biocombustíveis
Motivação para os Biocombustíveis
             Motivação         Biocombustíveis
                        O que as Nações buscam?
Segurança Energética – Redução da
dependência do petróleo.

Diversificação Energética – Expansão dos
biocombustíves para atender a demanda de
energia no setor de transporte.

Desenvolvimento do agronegócio –
Geração de emprego.

Redução da emissão de CO2 e seu impacto
nas mudanças climáticas.
Motivação para os Biocombustíveis
                 Motivação         Biocombustíveis
      Por quê os Biocombustíveis é uma alternativa?
Demanda mundial de energia crescerá em 40% para 2020.

Capacidade de refino mundial saturada.

Aumento do uso do petróleo representa aumento de gases de
efeito estufa na atmosferia.

Tratado de Quioto – Mudanças Climáticas

Fácil adapatação da atual frota de veículos para uso de etanol
em mistura a gasolina – até 10% e qualquer mistura de
biodiesel.

Uso da mesma infraestrutura dos combustíveis líquido para os
biocombustíveis.
Demanda Energética
                                                                                               Energética
                 Até 2030, o crescimento do consumo mundial de energia é de 2,1% a.a.
                   o crescimento anual na produção de petróleo e gás é de 1,9% a.a.

Projeção de Consumo Mundial de Energia (milhões TEP/ano)
 20.000
 18.000

 16.000                                                                              • Déficit entre a oferta de energia
 14.000                                                                                e crescimento da demanda;
 12.000

 10.000
  8.000                                                                              • Reservas fósseis decrescentes;
  6.000
  4.000

  2.000
                                                                                     • Insegurança no abastecimento;
     0
          2000




                    2005




                               2010




                                            2015




                                                          2020




                                                                       2025




                                                                              2030
                                                                                     • Aumento de pressões ambientais.
                    Consumo de Energia   Produção de Petróleo + Gás Natural

      Fonte: ONU, IEA




Demanda por novas fontes de energia, limpas, sustentáveis e economicamente viáveis

                                         E porque os Biocombustíveis?
   Os biocombustíveis complementará a demanda crescente de energia
        no setor de transporte, com ganhos para o meio ambiente.
Brasil é o pais com as melhores condições
                                     condições

Economia estável.

Disponibilidade de terra para atender o crescimento
da produção dos biocombustíveis.

Mínima infra-estrutura para exportação.

Experiência no uso de combustíveis alternativos.
Petrobras e os Biocombustíveis

Uso dos Biocombustíveis no Mundo

Motivação para os Biocombustíveis

   Atividades da Petrobras nos
         Biocombustíveis
Biodiesel
Demanda Estimada de Biodiesel


                       Demanda de Biodiesel
                                    (mil m3/ano)

3.000                                                                           2.771
                                                                2.571   2.666

2.500
                                      2%
2.000                              Mandatório

1.500
                                                         993
                                                                           5%
                      871    898        926        958
1.000                                                                   Mandatório
               620
 500    240

   0
        2006   2007   2008   2009      2010    2011      2012   2013    2014    2015

                                           Ano
Biodiesel in Petrobras


Implementação de 3 plantas de biodiesel no Nordeste Brasileiro, com
capacidade de 50 mil tons/ano cada, de qualquer tipo de oleoginosa.

As oleoginosas consideras são: soja, mamona, algodão e pinhão manso.

Localização:
   • Quixadá (CE)
   • Candeias (BA)
   • Montes Claros (MG)

Objetivo: produção de 855 mil m3/ano

Parcerias estão sendo estudadas e analisadas para outras unidades.

As Unidades estarão em produção em Janeiro de 2008
HBIO
HBIO

HBIO é um processo de:

  • Refino que usa óleo vegetal como matéria prima para obter óleo
    diesel.
  • Hidrogenação da mistura diesel + óleo vegetal
Processo HBIO
  Objetivo 2011 – 1.033 mil m3/ano de óleo vegetável
 Investimento total nas 10 Refinarias é de US$ 60 MM



                                                              Óleo                   Outras
Petróleo                        DIESEL DD                                          frações de
                Destilação                                   Vegetal
               Atmosférica

        Resíduo
     Atmosférico
                                                                         HDT
                                                                       Existente
                Destilação   Gasoil             DIESEL FCC
                                      FCC                                                       DIESEL
                 Vácuo
                                                                        Processo
                                                                          HBIO
           Resíduo a
              Vácuo



              Craqueamento    Diesel de Coque
HBIO e Biodiesel
Processos Complementares
Etanol
Novos Mercados para o Etanol


                                             Substituição do chumbo pelo
                                              ethanol na gasolina (E10)



Primeira entrega de etanol na Venezuela - 10/08/2005




                                          Estabelecimento da Brazil Japan
                                              Ethanol no Japão para
                                                implementar o (E3)


Petrobras e a Japan Alcohol Trading – 10/04/2006
Novos Mercados para o Etanol


                                        Introdução do E10 na Nigéria para
                                          criar o mercado de produção de
                                         etanol a partir da cana de açúcar.
   NNPC e Petrobras – 30/05/2005




                                          Introdução de E10 na África do
                                            Sul para criar o mercado de
                                                       etanol.

Central Energy Fund e Petrobras – 01/09/2006
Petrobras e a Expansão do Etanol


           Introdução do Etanol na
       Indonesia e apoiar as inicitivas de
               biocombustíveis.




            Apoiar a implantação dos
        biocombustíveis em Moçambique.
Novos Mercados para o Etanol



                      Financimentos de projetos de
                     biocmbustíveis em parceria com
                          empresas japonesas.




      Há diversos outros acordos de
importância, tais como: Chile – Colômbia
  – Itália – Tanzânia – Angola e outros.
Novas Produções e sua Logística
                          Produções       Logística

                                                       Ferrovia Carajás


                                                       Porto de Itaqui – São Luís
                                                                             Luí
                               Açailândia

                                                   1
             Ferrovia Norte-Sul
                                                                              Recife

                                                                             Maceió
                                                                             Maceió
                                               2
                                                                               FCA
                                                   Brasília
                                                   Brasí
                                                                             Salvador
                             Goiania
                                                          3
                          Uberaba                                  Ferrovia Vitória-Minas
                  Ribeirão Preto
                  Ribeirã                      Belo Horizonte    Porto de Vitória
                                                                          Vitó
          Duto de Etanol                                      Ilha D’água – Rio de Janeiro
                                                                    ’água
                       Paulínia
                       Paulí                             Terminal de Guararema

                                                Porto de São Sebastião
                                        Porto de Santos
                     Ferroban

Áreas de Cana-de-Açúcar
Logística de Exportação de Etanol
Logística    Exportação


 Novo Duto de Álcool
 (800 km)

 Hidrovia com uso de
 álcool
                 Álcool para Exportação
                 8,0 Milhões m3 em 2012


                         Terminal Marítimo
                         de Ilha D’água - RJ




                  Terminal Marítimo de São
                         Sebastião
A Energia é o Nosso Desafio!




                                                  Transportes
               Produção         Distribuição
Exploração




                Meio-Ambiente                      Produtos
   H-Bio

                                     Refino &
                                   Petroquímica



      Bio-Energia                                    Eólica
                          Gas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

New Plants in the Northeast of Brazil
New Plants in the Northeast of BrazilNew Plants in the Northeast of Brazil
New Plants in the Northeast of BrazilDaniel Guedes
 
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...STAB Setentrional
 
Sustentabilidade bioenergia
Sustentabilidade bioenergiaSustentabilidade bioenergia
Sustentabilidade bioenergiaAzizGalvao
 
XIV CBE - MESA 4 - Fernando Zancan - 24 outubro 2012
XIV CBE - MESA 4 - Fernando Zancan - 24 outubro 2012XIV CBE - MESA 4 - Fernando Zancan - 24 outubro 2012
XIV CBE - MESA 4 - Fernando Zancan - 24 outubro 2012CBE2012
 
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson Ferreira
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson FerreiraDesafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson Ferreira
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson FerreiraFundação Fernando Henrique Cardoso
 
Oportunidades de avanços na matriz energética mato grossense
Oportunidades de avanços na matriz energética mato grossenseOportunidades de avanços na matriz energética mato grossense
Oportunidades de avanços na matriz energética mato grossenseIvo Leandro Dorileo
 
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Elbia Silva ...
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Elbia Silva ...Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Elbia Silva ...
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Elbia Silva ...Fundação Fernando Henrique Cardoso
 
Sg01 logística e a sustentabilidade
Sg01 logística e a sustentabilidadeSg01 logística e a sustentabilidade
Sg01 logística e a sustentabilidadeSergio Grisa
 
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...Petrobras
 
Políticas Públicas para Conservação de Energia
Políticas Públicas para Conservação de EnergiaPolíticas Públicas para Conservação de Energia
Políticas Públicas para Conservação de EnergiaHabitante Verde
 
Estudo sobre realação nafta petróleo
Estudo sobre realação nafta petróleoEstudo sobre realação nafta petróleo
Estudo sobre realação nafta petróleoBraskem_RI
 
Viterbo Sinergia Eolica E P&G Apresentacao
Viterbo   Sinergia Eolica E P&G   ApresentacaoViterbo   Sinergia Eolica E P&G   Apresentacao
Viterbo Sinergia Eolica E P&G ApresentacaoJean Viterbo
 

Mais procurados (18)

New Plants in the Northeast of Brazil
New Plants in the Northeast of BrazilNew Plants in the Northeast of Brazil
New Plants in the Northeast of Brazil
 
Nuno Baptista - ADENE
Nuno Baptista - ADENENuno Baptista - ADENE
Nuno Baptista - ADENE
 
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
 
António Farinha
António FarinhaAntónio Farinha
António Farinha
 
Reunião apimec 2007
Reunião apimec 2007Reunião apimec 2007
Reunião apimec 2007
 
Sustentabilidade bioenergia
Sustentabilidade bioenergiaSustentabilidade bioenergia
Sustentabilidade bioenergia
 
XIV CBE - MESA 4 - Fernando Zancan - 24 outubro 2012
XIV CBE - MESA 4 - Fernando Zancan - 24 outubro 2012XIV CBE - MESA 4 - Fernando Zancan - 24 outubro 2012
XIV CBE - MESA 4 - Fernando Zancan - 24 outubro 2012
 
Suzano energia renovável lançamento
Suzano energia renovável   lançamentoSuzano energia renovável   lançamento
Suzano energia renovável lançamento
 
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson Ferreira
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson FerreiraDesafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson Ferreira
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson Ferreira
 
Oportunidades de avanços na matriz energética mato grossense
Oportunidades de avanços na matriz energética mato grossenseOportunidades de avanços na matriz energética mato grossense
Oportunidades de avanços na matriz energética mato grossense
 
Biomassa
BiomassaBiomassa
Biomassa
 
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Elbia Silva ...
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Elbia Silva ...Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Elbia Silva ...
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Elbia Silva ...
 
Sg01 logística e a sustentabilidade
Sg01 logística e a sustentabilidadeSg01 logística e a sustentabilidade
Sg01 logística e a sustentabilidade
 
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...
 
Políticas Públicas para Conservação de Energia
Políticas Públicas para Conservação de EnergiaPolíticas Públicas para Conservação de Energia
Políticas Públicas para Conservação de Energia
 
Estudo sobre realação nafta petróleo
Estudo sobre realação nafta petróleoEstudo sobre realação nafta petróleo
Estudo sobre realação nafta petróleo
 
Sequestro de carbono
Sequestro de carbonoSequestro de carbono
Sequestro de carbono
 
Viterbo Sinergia Eolica E P&G Apresentacao
Viterbo   Sinergia Eolica E P&G   ApresentacaoViterbo   Sinergia Eolica E P&G   Apresentacao
Viterbo Sinergia Eolica E P&G Apresentacao
 

Destaque

Gefo IntroduçãO
Gefo   IntroduçãOGefo   IntroduçãO
Gefo IntroduçãOtiagoajs
 
As Regiões do Brasil (7º ANO - 2015)
As Regiões do Brasil (7º ANO - 2015)As Regiões do Brasil (7º ANO - 2015)
As Regiões do Brasil (7º ANO - 2015)Nefer19
 
O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)Nefer19
 
Egito Antigo - 6º Ano (2017)
Egito Antigo - 6º Ano (2017)Egito Antigo - 6º Ano (2017)
Egito Antigo - 6º Ano (2017)Nefer19
 
Aula 1 introdu+º+úo aos m+®todos indiretos de prospec+º+úo
Aula 1   introdu+º+úo aos m+®todos indiretos de prospec+º+úoAula 1   introdu+º+úo aos m+®todos indiretos de prospec+º+úo
Aula 1 introdu+º+úo aos m+®todos indiretos de prospec+º+úoWalknaércio Alves
 
Aspectos populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2017)Aspectos populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2017)Nefer19
 
China Antiga - 6º Ano (2017)
China Antiga - 6º Ano (2017)China Antiga - 6º Ano (2017)
China Antiga - 6º Ano (2017)Nefer19
 
História da Astronomia - Roma e Pré Copérnico - Parte 3 de 7
História da Astronomia - Roma e Pré Copérnico - Parte 3 de 7História da Astronomia - Roma e Pré Copérnico - Parte 3 de 7
História da Astronomia - Roma e Pré Copérnico - Parte 3 de 7Instituto Iprodesc
 
www.CentroApoio.com - Biologia - Bioquímica
www.CentroApoio.com - Biologia - Bioquímicawww.CentroApoio.com - Biologia - Bioquímica
www.CentroApoio.com - Biologia - BioquímicaVídeo Aulas Apoio
 
Sistema de Mundos dos antigos europeus - Marcos Calil
Sistema de Mundos dos antigos europeus - Marcos CalilSistema de Mundos dos antigos europeus - Marcos Calil
Sistema de Mundos dos antigos europeus - Marcos CalilMarcos Calil
 
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2017)Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2017)Nefer19
 
A chegada do ser humano na América - 6º Ano (2017)
A chegada do ser humano na América - 6º Ano (2017)A chegada do ser humano na América - 6º Ano (2017)
A chegada do ser humano na América - 6º Ano (2017)Nefer19
 
água e biomoléculas
água e biomoléculaságua e biomoléculas
água e biomoléculasVictor Maciel
 
A Civilização Grega - Os Deuses - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - Os Deuses - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - Os Deuses - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - Os Deuses - 6º Ano (2016)Nefer19
 
2015. aula 3 xviii oba sistema sol terra-lua
2015. aula 3 xviii oba sistema sol terra-lua2015. aula 3 xviii oba sistema sol terra-lua
2015. aula 3 xviii oba sistema sol terra-luaInstituto Iprodesc
 
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...Nefer19
 
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...Nefer19
 

Destaque (20)

Gefo IntroduçãO
Gefo   IntroduçãOGefo   IntroduçãO
Gefo IntroduçãO
 
As Regiões do Brasil (7º ANO - 2015)
As Regiões do Brasil (7º ANO - 2015)As Regiões do Brasil (7º ANO - 2015)
As Regiões do Brasil (7º ANO - 2015)
 
Aminoácidos 1
Aminoácidos 1Aminoácidos 1
Aminoácidos 1
 
O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)
 
Egito Antigo - 6º Ano (2017)
Egito Antigo - 6º Ano (2017)Egito Antigo - 6º Ano (2017)
Egito Antigo - 6º Ano (2017)
 
Aula 1 introdu+º+úo aos m+®todos indiretos de prospec+º+úo
Aula 1   introdu+º+úo aos m+®todos indiretos de prospec+º+úoAula 1   introdu+º+úo aos m+®todos indiretos de prospec+º+úo
Aula 1 introdu+º+úo aos m+®todos indiretos de prospec+º+úo
 
Aspectos populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2017)Aspectos populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2017)
 
China Antiga - 6º Ano (2017)
China Antiga - 6º Ano (2017)China Antiga - 6º Ano (2017)
China Antiga - 6º Ano (2017)
 
História da Astronomia - Roma e Pré Copérnico - Parte 3 de 7
História da Astronomia - Roma e Pré Copérnico - Parte 3 de 7História da Astronomia - Roma e Pré Copérnico - Parte 3 de 7
História da Astronomia - Roma e Pré Copérnico - Parte 3 de 7
 
www.CentroApoio.com - Biologia - Bioquímica
www.CentroApoio.com - Biologia - Bioquímicawww.CentroApoio.com - Biologia - Bioquímica
www.CentroApoio.com - Biologia - Bioquímica
 
Sistema de Mundos dos antigos europeus - Marcos Calil
Sistema de Mundos dos antigos europeus - Marcos CalilSistema de Mundos dos antigos europeus - Marcos Calil
Sistema de Mundos dos antigos europeus - Marcos Calil
 
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2017)Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2017)
 
Design Inteligente - portifolio
Design Inteligente - portifolioDesign Inteligente - portifolio
Design Inteligente - portifolio
 
A chegada do ser humano na América - 6º Ano (2017)
A chegada do ser humano na América - 6º Ano (2017)A chegada do ser humano na América - 6º Ano (2017)
A chegada do ser humano na América - 6º Ano (2017)
 
água e biomoléculas
água e biomoléculaságua e biomoléculas
água e biomoléculas
 
Planetas visíveis a olho nu
Planetas visíveis a olho nuPlanetas visíveis a olho nu
Planetas visíveis a olho nu
 
A Civilização Grega - Os Deuses - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - Os Deuses - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - Os Deuses - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - Os Deuses - 6º Ano (2016)
 
2015. aula 3 xviii oba sistema sol terra-lua
2015. aula 3 xviii oba sistema sol terra-lua2015. aula 3 xviii oba sistema sol terra-lua
2015. aula 3 xviii oba sistema sol terra-lua
 
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
 
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
 

Semelhante a Perspectivas da Petrobras nos Biocombustíveis

Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009BrasilEcodiesel
 
Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009BrasilEcodiesel
 
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09LCA promo
 
Rio oil and gas expo conference presidente da petrobras biocombustível alan...
Rio oil and gas expo conference   presidente da petrobras biocombustível alan...Rio oil and gas expo conference   presidente da petrobras biocombustível alan...
Rio oil and gas expo conference presidente da petrobras biocombustível alan...Petrobras
 
A estratégia da Petrobras e auto-suficiência energética para o Brasil
A estratégia da Petrobras e auto-suficiência energética para o BrasilA estratégia da Petrobras e auto-suficiência energética para o Brasil
A estratégia da Petrobras e auto-suficiência energética para o BrasilPetrobras
 
Usos do Biodiesel no Brasil e no Mundo
Usos do Biodiesel no Brasil e no Mundo Usos do Biodiesel no Brasil e no Mundo
Usos do Biodiesel no Brasil e no Mundo Rural Pecuária
 
Biocombustíveis: energia do século XXI
Biocombustíveis: energia do século XXIBiocombustíveis: energia do século XXI
Biocombustíveis: energia do século XXIRafael Nunan
 
Biodiesel petrobras cascavel - fev07 03
Biodiesel petrobras   cascavel - fev07 03Biodiesel petrobras   cascavel - fev07 03
Biodiesel petrobras cascavel - fev07 03aob
 
Apresentação Eng. Pedro Sampaio Nunes
Apresentação Eng. Pedro Sampaio NunesApresentação Eng. Pedro Sampaio Nunes
Apresentação Eng. Pedro Sampaio Nunescideias
 
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1Sérgio Valadão
 
Apresentação SPEtro 17-10-2017
Apresentação SPEtro 17-10-2017Apresentação SPEtro 17-10-2017
Apresentação SPEtro 17-10-2017Gabriel Costa
 
Pró álcool e-pró-óleo
Pró álcool e-pró-óleoPró álcool e-pró-óleo
Pró álcool e-pró-óleomakemx
 
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...Marco Antonio Zanirato Cabral
 
Biotecnologia aplicada à produção de energia
Biotecnologia aplicada à produção de energiaBiotecnologia aplicada à produção de energia
Biotecnologia aplicada à produção de energiaGuilherme Rocha
 
Biodiesel perspectivas no brasil e no mundo pdf
Biodiesel perspectivas no brasil e no mundo pdfBiodiesel perspectivas no brasil e no mundo pdf
Biodiesel perspectivas no brasil e no mundo pdfRede Jatropha
 

Semelhante a Perspectivas da Petrobras nos Biocombustíveis (20)

Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
 
Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009
 
Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009
 
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09
 
Rio oil and gas expo conference presidente da petrobras biocombustível alan...
Rio oil and gas expo conference   presidente da petrobras biocombustível alan...Rio oil and gas expo conference   presidente da petrobras biocombustível alan...
Rio oil and gas expo conference presidente da petrobras biocombustível alan...
 
A estratégia da Petrobras e auto-suficiência energética para o Brasil
A estratégia da Petrobras e auto-suficiência energética para o BrasilA estratégia da Petrobras e auto-suficiência energética para o Brasil
A estratégia da Petrobras e auto-suficiência energética para o Brasil
 
Usos do Biodiesel no Brasil e no Mundo
Usos do Biodiesel no Brasil e no Mundo Usos do Biodiesel no Brasil e no Mundo
Usos do Biodiesel no Brasil e no Mundo
 
Biocombustíveis: energia do século XXI
Biocombustíveis: energia do século XXIBiocombustíveis: energia do século XXI
Biocombustíveis: energia do século XXI
 
Biodiesel petrobras cascavel - fev07 03
Biodiesel petrobras   cascavel - fev07 03Biodiesel petrobras   cascavel - fev07 03
Biodiesel petrobras cascavel - fev07 03
 
PMI 2008 - Sherman
PMI 2008 - ShermanPMI 2008 - Sherman
PMI 2008 - Sherman
 
Apresentação Eng. Pedro Sampaio Nunes
Apresentação Eng. Pedro Sampaio NunesApresentação Eng. Pedro Sampaio Nunes
Apresentação Eng. Pedro Sampaio Nunes
 
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1
 
Apresentação SPEtro 17-10-2017
Apresentação SPEtro 17-10-2017Apresentação SPEtro 17-10-2017
Apresentação SPEtro 17-10-2017
 
Pró álcool e-pró-óleo
Pró álcool e-pró-óleoPró álcool e-pró-óleo
Pró álcool e-pró-óleo
 
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
 
Biogás no planejamento energético nacional
Biogás no planejamento energético nacional Biogás no planejamento energético nacional
Biogás no planejamento energético nacional
 
Biotecnologia aplicada à produção de energia
Biotecnologia aplicada à produção de energiaBiotecnologia aplicada à produção de energia
Biotecnologia aplicada à produção de energia
 
Etanol
EtanolEtanol
Etanol
 
Etanol
EtanolEtanol
Etanol
 
Biodiesel perspectivas no brasil e no mundo pdf
Biodiesel perspectivas no brasil e no mundo pdfBiodiesel perspectivas no brasil e no mundo pdf
Biodiesel perspectivas no brasil e no mundo pdf
 

Mais de Sydney Dias

Trabalho prático #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)
Trabalho prático   #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)Trabalho prático   #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)
Trabalho prático #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)Sydney Dias
 
Trabalho prático #5 sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
Trabalho prático #5   sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...Trabalho prático #5   sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
Trabalho prático #5 sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...Sydney Dias
 
Trabalho prático #4 brocas (henrique santana 74278)
Trabalho prático #4   brocas (henrique santana 74278)Trabalho prático #4   brocas (henrique santana 74278)
Trabalho prático #4 brocas (henrique santana 74278)Sydney Dias
 
Trabalho prático #2 (marco regulatório - henrique santana 74278)
Trabalho prático   #2 (marco regulatório - henrique santana 74278)Trabalho prático   #2 (marco regulatório - henrique santana 74278)
Trabalho prático #2 (marco regulatório - henrique santana 74278)Sydney Dias
 
Trabalho prático #3 gom (henrique santana 74278)
Trabalho prático #3   gom (henrique santana 74278)Trabalho prático #3   gom (henrique santana 74278)
Trabalho prático #3 gom (henrique santana 74278)Sydney Dias
 
Trabalho prático #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)
Trabalho prático   #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)Trabalho prático   #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)
Trabalho prático #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)Sydney Dias
 
1 programacao final-iii-semacit-26-08-2010
1   programacao final-iii-semacit-26-08-20101   programacao final-iii-semacit-26-08-2010
1 programacao final-iii-semacit-26-08-2010Sydney Dias
 
2 descricao-iii semacit
2   descricao-iii semacit2   descricao-iii semacit
2 descricao-iii semacitSydney Dias
 
E mail do-sidney_e_a_resposta
E mail do-sidney_e_a_respostaE mail do-sidney_e_a_resposta
E mail do-sidney_e_a_respostaSydney Dias
 

Mais de Sydney Dias (20)

Tn+76 flip novo
Tn+76 flip novoTn+76 flip novo
Tn+76 flip novo
 
Unipeg
UnipegUnipeg
Unipeg
 
Coluna eco oil
Coluna eco oilColuna eco oil
Coluna eco oil
 
Revista164
Revista164Revista164
Revista164
 
Unipeg
UnipegUnipeg
Unipeg
 
Unipeg
UnipegUnipeg
Unipeg
 
Unipeg
UnipegUnipeg
Unipeg
 
Trabalho prático #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)
Trabalho prático   #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)Trabalho prático   #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)
Trabalho prático #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)
 
Trabalho prático #5 sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
Trabalho prático #5   sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...Trabalho prático #5   sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
Trabalho prático #5 sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
 
Trabalho prático #4 brocas (henrique santana 74278)
Trabalho prático #4   brocas (henrique santana 74278)Trabalho prático #4   brocas (henrique santana 74278)
Trabalho prático #4 brocas (henrique santana 74278)
 
Trabalho prático #2 (marco regulatório - henrique santana 74278)
Trabalho prático   #2 (marco regulatório - henrique santana 74278)Trabalho prático   #2 (marco regulatório - henrique santana 74278)
Trabalho prático #2 (marco regulatório - henrique santana 74278)
 
Trabalho prático #3 gom (henrique santana 74278)
Trabalho prático #3   gom (henrique santana 74278)Trabalho prático #3   gom (henrique santana 74278)
Trabalho prático #3 gom (henrique santana 74278)
 
Trabalho prático #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)
Trabalho prático   #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)Trabalho prático   #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)
Trabalho prático #1 (regime de concessão -henrique santana 74278)
 
Unipeg
UnipegUnipeg
Unipeg
 
161pdf final
161pdf final161pdf final
161pdf final
 
Revista gm
Revista gmRevista gm
Revista gm
 
1 programacao final-iii-semacit-26-08-2010
1   programacao final-iii-semacit-26-08-20101   programacao final-iii-semacit-26-08-2010
1 programacao final-iii-semacit-26-08-2010
 
2 descricao-iii semacit
2   descricao-iii semacit2   descricao-iii semacit
2 descricao-iii semacit
 
E mail do-sidney_e_a_resposta
E mail do-sidney_e_a_respostaE mail do-sidney_e_a_resposta
E mail do-sidney_e_a_resposta
 
Polimeros 3
Polimeros 3Polimeros 3
Polimeros 3
 

Perspectivas da Petrobras nos Biocombustíveis

  • 1. Perspectivas Sillas Oliva Filho Mundiais dos Biocombustíveis Maio, 2007
  • 2. Petrobras e os Biocombustíveis Uso dos Biocombustíveis no Mundo Motivação para os Biocombustíveis Atividades da Petrobras nos Biocombustíveis
  • 4. Alinhamento Estratégico Estratégico Investimentos 2007- 2011 Metas 2011 Plantas de Biodiesel Disponibilidade de 855 Mil m3/ano Processamento de Óleo Vegetal HBio (Bio-Refinaria) 1.033 Mil m3/year Poliduto de Etanol Exportação de 3,5 milhões de m3/ano Projeto de Navio para Etanol de Etanol Energia Eólica Capacidade Instalada de Geração Energia Solar Elétrica de 240 MW de fontes renováveis. Energia Renovável e Outras Fontes
  • 5. Estratégia de Negócios Estratégia Negócios • Atividades em 23 países; • Adição de valor a produção de óleo pesado da Petrobras; • Busca da liderança na America Latina como empresa integrada de energia; • Expansão de atividades nas áreas que contribem para o crescimento e diversificação do portfólio de produtos; • Expansão de suas operações no Golfo do México e no Oeste da África; • Internacionalizar a marca Petrobras, agregando valor.
  • 6. Petrobras e os Biocombustíveis Uso dos Biocombustíveis no Mundo Motivação para os Biocombustíveis Atividades da Petrobras nos Biocombustíveis
  • 7. Utilização do etanol no mundo Utilização Programas existentes de etanol Programas em implantação IFQC, 2006.
  • 8. Limites de mistura de etanol IFQC, 2006.
  • 9. Utilização de biodiesel no mundo IFQC - 2006
  • 10. O mundo em busca de alternativa
  • 11. Demanda de biocombustíveis no mundo biocombustíveis Demanda de Biocombustíveis em 2005: Pequena mas crescente. Biocombustíveis representam cerca de 1% dos combustíveis em uso no setor de transporte.
  • 12. Mercado Mundial - 49,9 Bi Litros América Central e USA Europe Norte – 39,6% 38,3% 9,5% Brazil 33,5% Asia América do Sul 14,3% 35,1% F.O.Licht 2006 Previsão de Produção Mundial: 35,3 Bi Litros (2005) → 77,3 Bi Litros (2010) PIRA 2007
  • 13. Petrobras e os Biocombustíveis Uso dos Biocombustíveis no Mundo Motivação para os Biocombustíveis Atividades da Petrobras nos Biocombustíveis
  • 14. Motivação para os Biocombustíveis Motivação Biocombustíveis O que as Nações buscam? Segurança Energética – Redução da dependência do petróleo. Diversificação Energética – Expansão dos biocombustíves para atender a demanda de energia no setor de transporte. Desenvolvimento do agronegócio – Geração de emprego. Redução da emissão de CO2 e seu impacto nas mudanças climáticas.
  • 15. Motivação para os Biocombustíveis Motivação Biocombustíveis Por quê os Biocombustíveis é uma alternativa? Demanda mundial de energia crescerá em 40% para 2020. Capacidade de refino mundial saturada. Aumento do uso do petróleo representa aumento de gases de efeito estufa na atmosferia. Tratado de Quioto – Mudanças Climáticas Fácil adapatação da atual frota de veículos para uso de etanol em mistura a gasolina – até 10% e qualquer mistura de biodiesel. Uso da mesma infraestrutura dos combustíveis líquido para os biocombustíveis.
  • 16. Demanda Energética Energética Até 2030, o crescimento do consumo mundial de energia é de 2,1% a.a. o crescimento anual na produção de petróleo e gás é de 1,9% a.a. Projeção de Consumo Mundial de Energia (milhões TEP/ano) 20.000 18.000 16.000 • Déficit entre a oferta de energia 14.000 e crescimento da demanda; 12.000 10.000 8.000 • Reservas fósseis decrescentes; 6.000 4.000 2.000 • Insegurança no abastecimento; 0 2000 2005 2010 2015 2020 2025 2030 • Aumento de pressões ambientais. Consumo de Energia Produção de Petróleo + Gás Natural Fonte: ONU, IEA Demanda por novas fontes de energia, limpas, sustentáveis e economicamente viáveis E porque os Biocombustíveis? Os biocombustíveis complementará a demanda crescente de energia no setor de transporte, com ganhos para o meio ambiente.
  • 17. Brasil é o pais com as melhores condições condições Economia estável. Disponibilidade de terra para atender o crescimento da produção dos biocombustíveis. Mínima infra-estrutura para exportação. Experiência no uso de combustíveis alternativos.
  • 18. Petrobras e os Biocombustíveis Uso dos Biocombustíveis no Mundo Motivação para os Biocombustíveis Atividades da Petrobras nos Biocombustíveis
  • 20. Demanda Estimada de Biodiesel Demanda de Biodiesel (mil m3/ano) 3.000 2.771 2.571 2.666 2.500 2% 2.000 Mandatório 1.500 993 5% 871 898 926 958 1.000 Mandatório 620 500 240 0 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Ano
  • 21. Biodiesel in Petrobras Implementação de 3 plantas de biodiesel no Nordeste Brasileiro, com capacidade de 50 mil tons/ano cada, de qualquer tipo de oleoginosa. As oleoginosas consideras são: soja, mamona, algodão e pinhão manso. Localização: • Quixadá (CE) • Candeias (BA) • Montes Claros (MG) Objetivo: produção de 855 mil m3/ano Parcerias estão sendo estudadas e analisadas para outras unidades. As Unidades estarão em produção em Janeiro de 2008
  • 22. HBIO
  • 23. HBIO HBIO é um processo de: • Refino que usa óleo vegetal como matéria prima para obter óleo diesel. • Hidrogenação da mistura diesel + óleo vegetal
  • 24. Processo HBIO Objetivo 2011 – 1.033 mil m3/ano de óleo vegetável Investimento total nas 10 Refinarias é de US$ 60 MM Óleo Outras Petróleo DIESEL DD frações de Destilação Vegetal Atmosférica Resíduo Atmosférico HDT Existente Destilação Gasoil DIESEL FCC FCC DIESEL Vácuo Processo HBIO Resíduo a Vácuo Craqueamento Diesel de Coque
  • 25. HBIO e Biodiesel Processos Complementares
  • 27. Novos Mercados para o Etanol Substituição do chumbo pelo ethanol na gasolina (E10) Primeira entrega de etanol na Venezuela - 10/08/2005 Estabelecimento da Brazil Japan Ethanol no Japão para implementar o (E3) Petrobras e a Japan Alcohol Trading – 10/04/2006
  • 28. Novos Mercados para o Etanol Introdução do E10 na Nigéria para criar o mercado de produção de etanol a partir da cana de açúcar. NNPC e Petrobras – 30/05/2005 Introdução de E10 na África do Sul para criar o mercado de etanol. Central Energy Fund e Petrobras – 01/09/2006
  • 29. Petrobras e a Expansão do Etanol Introdução do Etanol na Indonesia e apoiar as inicitivas de biocombustíveis. Apoiar a implantação dos biocombustíveis em Moçambique.
  • 30. Novos Mercados para o Etanol Financimentos de projetos de biocmbustíveis em parceria com empresas japonesas. Há diversos outros acordos de importância, tais como: Chile – Colômbia – Itália – Tanzânia – Angola e outros.
  • 31. Novas Produções e sua Logística Produções Logística Ferrovia Carajás Porto de Itaqui – São Luís Luí Açailândia 1 Ferrovia Norte-Sul Recife Maceió Maceió 2 FCA Brasília Brasí Salvador Goiania 3 Uberaba Ferrovia Vitória-Minas Ribeirão Preto Ribeirã Belo Horizonte Porto de Vitória Vitó Duto de Etanol Ilha D’água – Rio de Janeiro ’água Paulínia Paulí Terminal de Guararema Porto de São Sebastião Porto de Santos Ferroban Áreas de Cana-de-Açúcar
  • 32. Logística de Exportação de Etanol Logística Exportação Novo Duto de Álcool (800 km) Hidrovia com uso de álcool Álcool para Exportação 8,0 Milhões m3 em 2012 Terminal Marítimo de Ilha D’água - RJ Terminal Marítimo de São Sebastião
  • 33. A Energia é o Nosso Desafio! Transportes Produção Distribuição Exploração Meio-Ambiente Produtos H-Bio Refino & Petroquímica Bio-Energia Eólica Gas