SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 57
PROJECT MANAGEMENT:
Rumo às próximas fronteiras
O Setor Bioenergético em Transformação
Das Melhores Práticas de Engenharia às Melhores Práticas em Gestão de Projetos
Carlos Leger Sherman Palmer
Carlos.sherman@nextautomation.com.br
OBJETIVOS
Panorama Energético Global;
Definição conceitual de Bioenergia;
Apresentar a situação atual e as perspectivas para o
Setor de Bioenergia (Etanol, Biodisel, Energia Elétrica)
na Matriz Energética Nacional;
Por dentro da Indústria Sucroalcooleira (Açúcar e
Etanol) e das Termelétricas de Bagaço de Cana;
Mostrar as oportunidades para profissionais em PM
dentro do setor.
DIRETOS
OS OBJETIVOS
Economia Sustentável e Renovável (LCA);
Otimismo em Tempo de Crise;
Ecologia;
Human Being;
Fair Play;
Indiretos...
PANORAMA ENERGÉTICO GLOBAL
 A demanda projetada de energia no mundo aumentará 1,7% ao
ano até 2030, quando alcançará 15,3 bilhões de toneladas
equivalentes de petróleo (TEP/TOE), segundo Instituto
Internacional de Economia (Michael Mussa, 2003);
 Em condições ceteris paribus, sem alteração da matriz
energética mundial, os combustíveis fósseis responderiam por
90% do aumento projetado na demanda mundial, até 2030;
 O esgotamento progressivo das reservas mundiais de petróleo é
uma realidade. A Bristish Petroleum, em seu estudo “Revisão
Estatística de Energia Mundial”, diz que as reservas mundiais de
petróleo durarão 41 anos, gás natural, 67 anos, e as reservas
brasileiras de petróleo, 18 anos;
 A Bioenergia pode alterar este quadro.
Projeções
PANORAMA ENERGÉTICO GLOBAL
Composição da Matriz Energética
Fontes:
BIOENERGIA
A abundante vida vegetal do nosso planeta é
armazenadora da energia solar e de substâncias
químicas, sendo um recurso renovável que chamamos
de BIOENERGIA. Assim, todos os organismos biológicos
que podem ser aproveitados como fontes de energia,
são chamados de Biomassa: a cana-de-açúcar, o
eucalipto, a beterraba (dos quais se extrai álcool), o
biogás (produzido pela biodegradação anaeróbica
existente no lixo e dejetos orgânicos), lenha e carvão
vegetal, alguns óleos vegetais (amendoim, soja,
dendê), etc.
Qual é a Definição de Bioenergia???
Fonte:
BIOMASSA
A BIOMASSA é formada pela combinação de dióxido
de carbono da atmosfera e água na fotossíntese
clorofiliana, que produz os hidratos de carbono - a
energia solar é armazenada nas ligações químicas dos
componentes estruturais da Biomassa. Se a Biomassa
for queimada de modo eficiente, há produção de
dióxido de carbono e água. Portanto, o processo é
cíclico e dizemos que a Biomassa é um recurso
renovável.
Definição...
Fonte:
BIOENERGIA
Atualmente, a Bioenergia representa 10% da oferta global de Energia
Primária, cujo uso tradicional da biomassa (por exemplo, lenha) em países
em desenvolvimento representa a maior porcentagem. No entanto, o
emprego tecnológico de biomassa está crescendo, especialmente nos
países industrializados, devido à preocupação crescente em relação às
mudanças climáticas e à segurança energética, além dos recentes
aumentos dos preços do petróleo.
No entanto, o potencial e os diferentes tipos de aplicação das diversas
fontes de energia provenientes de Biomassa variam enormemente, bem
como os impactos sócio-ambientais de sua produção e aplicação. Em
particular, há maior preocupação com o uso de Biocombustíveis no
Setor de Transporte, diferente do uso relativamente seguro da
Biomassa em Usinas para Produção de Calor e Eletricidade.
Advertência...
Fonte:
BIOENERGIA
Cadeia Produtiva
Fontes:
BIOCOMBUSTÍVEIS
 Os combustíveis fósseis foram descobertos em Titusville, Lousiana
em 1859, e o seu uso tornou-se imperioso. Mas a crença de que o
petróleo nunca iria acabar, está sendo contestada. Seu fim
estimado dificilmente será alcançado, pois seu custo se tornará
proibitivo, e deixará de ser competitivo em relação à outras fontes
energéticas;
 O francês Rudolf Diesel (1897), iniciou seus testes para patente do
motor de combustão interna com pistões, utilizando óleo de
amendoim (Biocombustível); diversos cientistas têm se dedicado à
tarefa de melhorar a produção e o uso de biomassa para fins
energéticos.
Qual a importância dos Biocombustíveis?
BIOCOMBUSTÍVEIS
O que é Etanol?
Fonte:
BIOCOMBUSTÍVEIS
 Energeticamente positivo: a quantidade de energia requerida no
processo é menor do que a energia gerada na forma de Etanol;
 Ecológico: seqüestra mais CO2 da atmosfera do que devolve
através de motores de combustão interna;
 O Futuro aponta para combustíveis líquidos: sendo a alternativa
clara em termos de volume, densidade de energia e facilidade de
transporte, etc.;
 O Futuro dos Transportes: Motores Elétricos, Células de
Hidrogênio, e o Etanol fornecendo o Hidrogênio;
 Em 2007, Brasil, África do Sul, China, Estados Unidos, Índia e a
União Européia anunciaram, na sede da ONU em New York, a
criação do Fórum Internacional de Biocombustíveis. Com o
objetivo é aumentar a eficiência na produção, na distribuição e
no consumo em escala mundial (commodity internacional).
Vantagens na Produção de Etanol de Cana
Fonte:
BIOCOMBUSTÍVEIS
Cana x Grãos na produção de Etanol
 O Etanol derivado de grãos não é viável economicamente;
 Os Grãos são essenciais como fonte alimentar;
 Os preços dos grãos tem acompanhado a subida nos preços dos
combustíveis enquanto o açúcar tem se mantido estável;
 New York Times: “Brasil se tornou reino do Álcool”.
Fontes:
BIOCOMBUSTÍVEIS
A Dança do Petróleo... E dos Alimentos...
Fontes:
 Comida no prato ou no
motor? Desde 2005, os
Biocombustíveis feitos
com grãos tornaram-se
importantes para os países
ricos;
 Lester Brown, fundador
do Worldwatch Institute,
prevê o preço da comida e
o do petróleo estarão
amarrados: “Sempre que a
cotação da comida for
menor que a do
combustível, os grãos e os
recursos naturais seguirão
para o setor energético”;
BIOCOMBUSTÍVEIS
Etanol News...
 O Brasil sai vitorioso na OMC sobre os subsídios europeus. A
retirada destes subsídios trará mais de US$ 500 milhões às usinas
brasileiras;
 Em 2010 as exportações de Etanol brasileiras, deverão gerar uma
receita de USD 5,5 bilhões;
 Projetos anunciados somente entre os meses de Julho e Agosto de
2008, somam R$ 5 Bilhões;
 Em relatório da organização não-governamental britânica Oxfam
calcula que a 'inundação de investimentos' no setor
sucroalcooleiro pode dobrar a participação de usinas sob o
comando de estrangeiros no país, atraindo até US$ 33 Bilhões, em
investimentos até 2012. Países como a Índia, China; empresas
como Cargill, Bunge, ADM e Louis Dreyfus; e investidores
financeiros como Goldman Sachs, Merrill Lynch, George Soros e
Carlyle Riverstone, e do bilionário britânico Richard Branson.
BIOCOMBUSTÍVEIS
Projeção da Produção de Etanol no Brasil
Fonte:
BIOCOMBUSTÍVEIS
 A produção brasileira de ácool é de 18 Bilhões de Litros. Dos 3,5
bilhões de litros de álcool combustível exportados pelo Brasil em
2007, 2 bilhões foram para os Estados Unidos;
 Em 2013 a produção brasileira será de 30 bilhões de litros anuais;
 A produção brasileira de etanol cresce 10% ao ano.
Qual Futuro da Biomassa na Produção de Etanol de Cana?
 Biometanização: Processo de digestão anaeróbica da Vinhaça ou
Vinhoto, resíduo do processo de Destilação. Um complexo de
cultura mista de microorganismos, metaboliza a matéria orgânica
contida na Vinhaça (carboidratos, lipídios e proteínas), para
produzir metano (CH4) e dióxido de carbono (CO2), e material
celular.
O que é Metanização da Vinhaça ou Vinhoto?
BIOCOMBUSTÍVEIS
 Biodiesel é um combustível alternativo de queima limpa, produzido
de recursos renováveis;
 O biodiesel não contém petróleo, mas pode ser adicionado a ele
formando uma mistura, e pode ser usado num motor de ignição a
compressão (diesel) sem necessidade de modificação;
 O biodiesel é simples de ser usado, biodegradável, não tóxico e
essencialmente livre de compostos sulfurados e aromáticos;
 O biodiesel é fabricado através de um processo químico chamado
“transesterificação”, na qual a glicerina é separada da gordura ou
do óleo vegetal. O processo gera dois produtos: ésteres (o nome
químico do biodiesel) e glicerina-produto valorizado no mercado
de sabões;
O que é Biodiesel?
Fonte: PARENTE, 2003
BIODIESEL
 O Biodiesel é produzido a partir de óleos vegetais, gordura
animal, óleos e gorduras residuais;
 Óleos vegetais e gorduras são basicamente compostos de
triglicerídeos, ésteres de glicerol e ácidos graxos. No óleo de
soja, o ácido predominante é o ácido oléico, no óleo de babaçu,
o laurídico e no sebo bovino, o ácido esteárico;
 Fontes para extração de óleo vegetal: baga de mamona, polpa
do dendê, amêndoa do coco de dendê, amêndoa do coco de
babaçu, semente de girassol, amêndoa do coco da praia, caroço
de algodão, grão de amendoim, semente de canola, semente de
maracujá, polpa de abacate, caroço de oiticica, semente de
linhaça, semente de tomate e de nabo forrajeiro.
 Gordura animal: sebo bovino, os óleos de peixes, o óleo de
mocotó, a banha de porco;
Qual a Matéria Prima do Biodiesel?
Fonte: PARENTE, 2003
 Gordura residuais: óleos de frituras (potencial de oferta no país
superior a 30 mil toneladas por ano), lanchonetes e cozinhas
industriais, indústrias de fritura de produtos alimentícios, a nata
sobrenadante dos esgotos municipais (rica em matéria graxa),
águas residuais de processos industriais alimentícios;
 Impõe-se um dramático investimento em PD & I (Pesquisa,
Desenvolvimento e Inovação), de maneira a promover um
adensamento energético das espécies oleaginosas ;
Qual a Matéria Prima do Biodiesel?
Fonte: PARENTE, 2003
BIODIESEL
 Portabilidade (combustível líquido), e densidade energética
superior ao Etanol, permitindo que um menor volume transporte
mais energia;
 Alterações nas cotações agrícolas podem inviabilizar o Biodiesel,
que ainda custa mais caro que o Diesel derivado do Petróleo;
 O break even, em condições ceteris paribus, entre o preço do
álcool e da gasolina oscila entre US$30 e US$35,00, e de
US$60,00 para Biocombustíveis derivados de óleos vegetais;
 o crescimento da agricultura de energia significará aumento da
produção de alimentos. Por exemplo, a expansão do cultivo de
girassol para fins energéticos implicará no aumento da oferta da
torta ou farelo de girassol (indústria de alimentos e ração);
 O Diesel é responsável por mais de 55% do consumo geral de
combustíveis no Brasil;
 Investimento em Pesquisa;
Qual o Futuro da Produção de Biodiesel?
BIODIESEL
Panorama Internacional
BIODIESEL
Fonte:
MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA
Plano de Expansão
MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA
Plano de Expansão
Fonte: GAZZONI, 2008
MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA
Unidades em Operação - SIN
Fonte:
Tipo Unidades
Potência Fiscalizada
(kW)
%
CGH 193 101.996 0,11%
EOL 12 120.650 0,13%
PCH 265 1.364.654 1,43%
SOL 1 20 0,00%
UHE 155 71.225.567 74,73%
UTE 936 20.495.110 21,50%
UTN 2 2.007.000 2,11%
Total 1.564 95.314.997 100,00%
MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA
UTE – Unidades em Operação por Classes de Combustível
Combustível Unidades
Potência
Fiscalizada (kW)
%
Biomassa 274 3.538.156 17,26%
Fóssil 634 16.312.906 79,59%
Outros 28 644.048 3,14%
Total 936 20.495.110 100,00%
Fonte:
BIOENERGIA
 Energia renovável;
 Demanda de carga crescente e geração insuficiente para 2011;
 Contratos de Energia estabelecidos com o governo para 15 anos, e
preços que rondam os R$ 150,00 por MWh, alavancam os novos
projetos, com investimentos médios de R$ 500 Milhões, por
unidade geradora, com retorno do investimento de 15% ao ano;
 Cerca de 100 novas unidades em construção até 2011, 40
unidades anunciam o início de atividades de co-geração para a
safra 2008-2009;
 Projetos de co-geração em 2008 somando R$ 3,2 bilhões, 5,7%
dos desembolsos totais do BNDES, e representam 1,6 mil MW em
Energia. Sem considerar outras linhas de financiamento, e capital
externo.
Qual Futuro da Biomassa na Produção de Energia Elétrica?
Fonte:
MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA
Leilão de Energia
 O 1º leilão de reserva para contratação de energia produzida por
térmicas movidas a biomassa, em 14 de agosto, identificou 210
empreendimentos só nos estados de São Paulo, Minas Gerais,
Goiás e Mato Grosso do Sul, que juntos somam uma capacidade
instalada potencial de 14.800 MW até 2015, e potencial de
exportação de 10.200 MW para o sistema elétrico (SIN);
 Os contratos finais do leilão ficaram em 548 megawatts (MW)
médios para entrega a partir de 2009 e 2010, quase a metade do
volume ofertado de 1.100 MW médios, com volume de negócios
na ordem de R$ 10,7 bilhões em contratos de 15 anos;
 Para a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), e
o próprio Ministério de Minas e Energia, o resultado final foi um
sucesso;
 O preço da energia co-gerada da biomassa ficou entre R$
148/MWh e R$ 157/MWh;
Fonte:
SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO
Tome Nota...
 A experiência brasileira indica que é possível gerar de 10 a 20
vezes mais empregos na agricultura de energia,
comparativamente à cadeia de petróleo;
 A produção agrícola desconcentra renda mais intensamente que a
extração de petróleo ou gás, podendo tornar o Brasil um
paradigma mundial de como enfrentar três grandes desafios do
século XXI, com uma única política pública através do incentivo à
agricultura de energia: 1) produção de energia sustentável; 2)
proteção ambiental; 3) geração de emprego e renda, com
distribuição mais eqüitativa.
 Os novos investimentos no setor Sucroalcooleiro estão baseados
na Geração de Energia Elétrica, tendo o Etanol como segundo
produto.
SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO
Tome Nota...
 A Indústria Sucroalcooleira Brasileira é considerada a mais
eficiente e lucrativa do mundo;
 85% da produção da cana está concentrada na região Centro-
Sudeste;
 A carteira do BNDES para o setor já é de R$ 19,7 Bilhões;
 Produtos: Açúcar VHP, Açúcar Branco Direto, Açúcar Refinado,
Álcool Hidratado, Álcool Anidro, Energia Elétrica, Fibra de Bagaço,
Ração Animal, Ração para consumo Humano, Gás Metano
(Vinhaça), outros;
Os Dólares e Euros Estão Chegando...
 A organização não-governamental britânica Oxfam calcula que a
'inundação de investimentos' no setor sucroalcooleiro pode
dobrar a participação de usinas sob o comando de estrangeiros no
país;
 A Oxfam nota que os investimentos estão vindo de todos os
lugares, incluindo Índia e China, das grandes companhias do
agronegócio, como Cargill, Bunge, ADM e Louis Dreyfus, e de
investidores financeiros como Goldman Sachs, Merrill Lynch,
George Soros e Carlyle Riverstone, e do bilionário britânico
Richard Branson;
 A Oxfam prevê que o setor receberá até US$ 33 bilhões em
investimentos entre 2008 e 2012.
SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO
Fontes:
Novos e Poderosos Atores...
Grupo COSAN anuncia compra da
ESSO no Brasil por USD 826 Milões
SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO
Números Que Assustam...
 Segundo a Unica (União das Indústrias da Cana-de-Açúcar), a
região Centro-Sul será responsável por processar 498 milhões de
toneladas de cana, enquanto a safra total (somando a safra da
região Nordeste) será de 555 milhões de toneladas de cana;
 Para a produção nacional, a expectativa é melhor ainda: estima-
se que a safra 2008-2009 feche a produção de etanol com 21,3%
(27,1 bilhões de litros) a mais que a safra anterior, mas a
produção de açúcar pode recuar 2% (30,2 milhões de toneladas);
SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO
Fonte:
Ranking por Estado
ESTADO UNIDADES
São Paulo 182
Minas Gerais 33
Paraná 33
Alagoas 25
Goiás 25
Pernambuco 24
Mato Grosso do Sul 13
Mato Grosso 11
Paraíba 9
Rio de Janeiro 7
Espírito Santo 6
Rio Grande do Norte 4
Maranhão 4
Sergipe 4
Bahia 3
Ceará 3
Amazonas 1
Pará 1
Piauí 1
Rondônia 1
Rio Grande do Sul 1
TOTAL 391
SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO
Fonte:
MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA
Biomassa: Bagaço de Cana
“IGNIÇÃO”
Eletricidade e
Combustível
GERAÇÃO DE
VAPOR
(Caldeiras)
CANA DE
AÇÚCAR
EXTRAÇÃO
(Moenda ou
Difusor)
GERAÇÃO DE
ENERGIA
ELÉTRICA
(Casa de Força)
SUB-ESTAÇÃO
(138kV)
PROCESSO
Tratamento Físico-Químico e
Concentração do Caldo)
FBRRICAÇÃO DE AÇÚCAR
(Cristalização, Centrifugação,
Secagem)
BAGAÇO
(Excedente)
FBRRICAÇÃO DE ÁLCOOL
Hidratado e Anidro
(Fermentação, Separação,
Destilação)
A
A
RAÇÃOVINHAÇA
METANIZAÇÃO
(Biodigestão)
CASE TÍPICO – UNIDADE “GREENFIELD”
Plano de Safra...
01. Cana Safra 3.000.000 ton
02. Tempo Aproveitável 88,00 %
03. Moagem Horária (Real) 528,00 tch
04. Moagem Diária (Real) 12.672 tch
05. Dias de Safra 237 dias
06. Início de Safra 15-abr
07. Término de Safra 7-dez
08. Produção de Açúcar Cristal 3.917.522 sacas
09. Produção de Açúcar Refinado - sacas
10. Produção de Álcool Hidratado - litros
11. Produção de Álcool Anidro 133.324.208 litros
12. Energia Elétrica Exportada 227.547 MW
Fonte: SISDELLI, 2008
01. Moagem 600,00 tch
02. ART % Cana 15,76 %
03. Fibra % Cana 12,50 %
04. Embebição % Cana 31,25 %
05. Consumo de Vapor e Bagaço
Produção de Vapor - Caldeiras 311,33 ton/dia
Produção Específica de Vapor - Caldeiras 518,88 kgv/tc
Consumo de Vapor - Processo 232,42 ton/dia
Consumo Específico de Vapor - Processo 387,37 kgv/tc
Produção de Bagaço 3.832,97 ton/dia
Consumo de Bagaço 3.832,99 ton/dia
Sobra de Bagaço (0,01) ton/dia
06. Recuperação Fabricação de Açúcar 80,06 %
07. Recuperação % ART 87,00 %
08. Sacas de Açúcar/TC 1,31 sacas/t.c.
09. Pureza do Mel Final 55,00 %
CASE TÍPICO – UNIDADE “GREENFIELD”
Balanço de Massa e Energia... Eficiência...
Fonte: SISDELLI, 2008
CASE TÍPICO – UNIDADE “GREENFIELD”
Balanço de Massa e Energia... Produção...
Fonte: SISDELLI, 2008
01. Moagem 600,00 tch
02. Produção
Açúcar Cristal 18.804 sacas/dia
Álcool Hidratado - litros/dia
Álcool Anidro 639.956 litros/dia
Energia Elétrica Gerada para Indústria 20,40 MW
Energia Elétrica Comprada - MW
Energia Elétrica Consumo Total 20,40 MW
Energia Elétrica Exportada (Contrapressão) 21,66 MW
Energia Elétrica Exportada (Condensação) 23,85 MW
Energia Elétrica Exportada (Total) 45,51 MW
Energia Elétrica Gerada (Total) 65,91 MW
Energia Elétrica Gerada por Tonelada de Cana 109,85 kw/tc
Energia Elétrica Exportada por Tonelada de Cana 75,85 KW/tc
COI – Centro de Operações Industriais
USINA ALTA MOGIANA
USINA ALTA MOGIANA
Destilaria e Casa de Força
USINAS EQUIPAV E ALTA MOGIANA
Destilarias (Etanol)
USINA EQUIPAV
EXTRAÇÃO E GERAÇÃO DE VAPOR
USINA EQUIPAV
COI – Centro de Operações Industriais
USINA EQUIPAV
Casa de Força Usina Equipav (120 MWh)
USINA ALTA MOGIANA
Biomassa: Pátio de Bagaço de Cana
USINA EQUIPAV
Biomassa: Pátio de Bagaço de Cana
USINA ALTA MOGIANA
Matéria Prima: Pátio de Cana
USINA EQUIPAV
Extração de Caldo de Cana
SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO
Cultura Canavieira... Corte Mecanizado...
USINA EQUIPAV
Tanques de Etanol
USINA ALTA MOGIANA
Extração: Moenda de Cana Eletrificada
USINA EQUIPAV
Processo: Tratamento Físico-Químico do Caldo de Cana
USINA ALTA MOGIANA
Refinaria: Cristalização e Centrifugação de Açúcar
UM SETOR EM TRANSFORMAÇÃO
Empresas familiares, investimentos com capital próprio
e a auto-suficiência, dão lugar à internacionalização e
profissionalização do setor;
Novos atores, com seus balanços e operações
publicadas em Bolsa, precisam basear seus
investimentos e metodologia de gerenciamento de
projetos;
Projetos Turn-Key, Full EPC, EPCM;
As Melhores Práticas de Engenharia já não são
suficientes para garantir o sucesso do investimento. Os
Riscos, os Custos, a Qualidade, os Recursos Humanos,
o Tempo, o Escopo, as Aquisições e a Comunicação,
precisam ser medidos e controlados;
Das Melhores Práticas de Engenharia às Melhores Práticas de Gestão...
?Gestão
Integrada
UM SETOR EM TRANSFORMAÇÃO
Qual a Solução???
Aquisições
Custo
Tempo
Qualidade
Escopo Rec. Humanos
Riscos
Comunicação
UM SETOR EM TRANSFORMAÇÃO
P E R G U N T A S ???
carlos.sherman@nextautomation.com.br
UM SETOR EM TRANSFORMAÇÃO
O B R I G A D O
carlos.sherman@nextautomation.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Etanol - Pesquisa de Marketing
Etanol - Pesquisa de MarketingEtanol - Pesquisa de Marketing
Etanol - Pesquisa de MarketingEduardo Silva
 
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....Marco Aurélio Gondim
 
BiocombustíVeis
BiocombustíVeisBiocombustíVeis
BiocombustíVeismaiquelsulz
 
Biocombustíveis e seu derivados
Biocombustíveis e seu derivados Biocombustíveis e seu derivados
Biocombustíveis e seu derivados Ana Roberta Souza
 
Biocombustiveis no brasil
Biocombustiveis no brasilBiocombustiveis no brasil
Biocombustiveis no brasilLíbian Volsi
 
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....Marco Aurélio Gondim
 
Combustíveis alternativos
Combustíveis alternativosCombustíveis alternativos
Combustíveis alternativosip5
 
Os combustíveis alternativos no brasil
Os combustíveis alternativos no brasilOs combustíveis alternativos no brasil
Os combustíveis alternativos no brasilggmota93
 
Biocombustíveis - vantagens e desvantagens - Análise Ambiental
Biocombustíveis - vantagens e desvantagens - Análise AmbientalBiocombustíveis - vantagens e desvantagens - Análise Ambiental
Biocombustíveis - vantagens e desvantagens - Análise AmbientalRaul Mourão
 
Etanol como Fonte de Energia Renovável e Outros Usos
Etanol como Fonte de Energia Renovável e Outros UsosEtanol como Fonte de Energia Renovável e Outros Usos
Etanol como Fonte de Energia Renovável e Outros UsosAna Keizy
 
Mamona e a produção de biodiesel
Mamona e a produção de biodieselMamona e a produção de biodiesel
Mamona e a produção de biodieselProjetoBr
 
1. seminário de pesquisa (july)
1. seminário de pesquisa (july)1. seminário de pesquisa (july)
1. seminário de pesquisa (july)Juliana Costa
 

Mais procurados (20)

Etanol - Pesquisa de Marketing
Etanol - Pesquisa de MarketingEtanol - Pesquisa de Marketing
Etanol - Pesquisa de Marketing
 
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
 
BiocombustíVeis
BiocombustíVeisBiocombustíVeis
BiocombustíVeis
 
Biocombustíveis e seu derivados
Biocombustíveis e seu derivados Biocombustíveis e seu derivados
Biocombustíveis e seu derivados
 
Biocombustiveis no brasil
Biocombustiveis no brasilBiocombustiveis no brasil
Biocombustiveis no brasil
 
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
 
Combustíveis alternativos
Combustíveis alternativosCombustíveis alternativos
Combustíveis alternativos
 
Biocombustíveis
BiocombustíveisBiocombustíveis
Biocombustíveis
 
Os combustíveis alternativos no brasil
Os combustíveis alternativos no brasilOs combustíveis alternativos no brasil
Os combustíveis alternativos no brasil
 
Biogás No Brasil
Biogás No BrasilBiogás No Brasil
Biogás No Brasil
 
Minicurso biodiesel - Profª Drª Claudia Cardoso Bejan
Minicurso biodiesel - Profª Drª Claudia Cardoso BejanMinicurso biodiesel - Profª Drª Claudia Cardoso Bejan
Minicurso biodiesel - Profª Drª Claudia Cardoso Bejan
 
9º GEAR - Biogas
9º GEAR - Biogas9º GEAR - Biogas
9º GEAR - Biogas
 
Intercambio
IntercambioIntercambio
Intercambio
 
Biocombustível
BiocombustívelBiocombustível
Biocombustível
 
Etanol
Etanol  Etanol
Etanol
 
Biocombustíveis - vantagens e desvantagens - Análise Ambiental
Biocombustíveis - vantagens e desvantagens - Análise AmbientalBiocombustíveis - vantagens e desvantagens - Análise Ambiental
Biocombustíveis - vantagens e desvantagens - Análise Ambiental
 
Etanol como Fonte de Energia Renovável e Outros Usos
Etanol como Fonte de Energia Renovável e Outros UsosEtanol como Fonte de Energia Renovável e Outros Usos
Etanol como Fonte de Energia Renovável e Outros Usos
 
Mamona e a produção de biodiesel
Mamona e a produção de biodieselMamona e a produção de biodiesel
Mamona e a produção de biodiesel
 
1. seminário de pesquisa (july)
1. seminário de pesquisa (july)1. seminário de pesquisa (july)
1. seminário de pesquisa (july)
 
TCC sobre Biodiesel
TCC sobre Biodiesel TCC sobre Biodiesel
TCC sobre Biodiesel
 

Destaque (11)

Sistema de gestion de la calidad
Sistema de gestion de la calidadSistema de gestion de la calidad
Sistema de gestion de la calidad
 
2
22
2
 
Calendario Escolar 2016 2017
Calendario Escolar 2016 2017Calendario Escolar 2016 2017
Calendario Escolar 2016 2017
 
Top 5 vacatures week 17
Top 5 vacatures week 17Top 5 vacatures week 17
Top 5 vacatures week 17
 
Rocódromo
RocódromoRocódromo
Rocódromo
 
Las Cuentas y Su Clasificacion
Las Cuentas y Su ClasificacionLas Cuentas y Su Clasificacion
Las Cuentas y Su Clasificacion
 
Ecbolics
EcbolicsEcbolics
Ecbolics
 
Como motivar a mis empleados
Como motivar a mis empleadosComo motivar a mis empleados
Como motivar a mis empleados
 
Moisés participante plan est merca
Moisés   participante plan est mercaMoisés   participante plan est merca
Moisés participante plan est merca
 
Contribuciones Especiales
Contribuciones Especiales Contribuciones Especiales
Contribuciones Especiales
 
PIS as a Solution
PIS as a SolutionPIS as a Solution
PIS as a Solution
 

Semelhante a PMI 2008 - Sherman

Trabalho de bioenergia sérgio valadão
Trabalho de bioenergia  sérgio valadãoTrabalho de bioenergia  sérgio valadão
Trabalho de bioenergia sérgio valadãoSérgio Valadão
 
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09LCA promo
 
Perspectivas e tendências os biocombustíveis no Brasil e no mundo
Perspectivas e tendências os biocombustíveis no Brasil e no mundoPerspectivas e tendências os biocombustíveis no Brasil e no mundo
Perspectivas e tendências os biocombustíveis no Brasil e no mundoSydney Dias
 
Pró álcool e-pró-óleo
Pró álcool e-pró-óleoPró álcool e-pró-óleo
Pró álcool e-pró-óleomakemx
 
A política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveisA política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveisProjetoBr
 
Apresentação Eng. Pedro Sampaio Nunes
Apresentação Eng. Pedro Sampaio NunesApresentação Eng. Pedro Sampaio Nunes
Apresentação Eng. Pedro Sampaio Nunescideias
 
Bicombustíveis x fome
Bicombustíveis x fomeBicombustíveis x fome
Bicombustíveis x fomemarciabahia
 
Bicombustíveis x fome
Bicombustíveis x fomeBicombustíveis x fome
Bicombustíveis x fomemarciabahia
 
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º BMatéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º BFísica Química A
 
Rio oil and gas expo conference presidente da petrobras biocombustível alan...
Rio oil and gas expo conference   presidente da petrobras biocombustível alan...Rio oil and gas expo conference   presidente da petrobras biocombustível alan...
Rio oil and gas expo conference presidente da petrobras biocombustível alan...Petrobras
 
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...Petrobras
 
Ecodesign daceia produtiva
Ecodesign daceia produtivaEcodesign daceia produtiva
Ecodesign daceia produtivaEduardo Garcia
 
Gilliane trabalho de ciencias biogas
Gilliane trabalho de ciencias biogasGilliane trabalho de ciencias biogas
Gilliane trabalho de ciencias biogasGeorgina Gomes
 

Semelhante a PMI 2008 - Sherman (20)

Trabalho de bioenergia sérgio valadão
Trabalho de bioenergia  sérgio valadãoTrabalho de bioenergia  sérgio valadão
Trabalho de bioenergia sérgio valadão
 
Combustiveis - Química
Combustiveis - QuímicaCombustiveis - Química
Combustiveis - Química
 
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09
 
Donato Aranda
Donato ArandaDonato Aranda
Donato Aranda
 
Bioenergias
BioenergiasBioenergias
Bioenergias
 
Perspectivas e tendências os biocombustíveis no Brasil e no mundo
Perspectivas e tendências os biocombustíveis no Brasil e no mundoPerspectivas e tendências os biocombustíveis no Brasil e no mundo
Perspectivas e tendências os biocombustíveis no Brasil e no mundo
 
Biomassa
BiomassaBiomassa
Biomassa
 
Agronegócio
AgronegócioAgronegócio
Agronegócio
 
Pró álcool e-pró-óleo
Pró álcool e-pró-óleoPró álcool e-pró-óleo
Pró álcool e-pró-óleo
 
A política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveisA política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveis
 
Apresentação Eng. Pedro Sampaio Nunes
Apresentação Eng. Pedro Sampaio NunesApresentação Eng. Pedro Sampaio Nunes
Apresentação Eng. Pedro Sampaio Nunes
 
Bicombustíveis x fome
Bicombustíveis x fomeBicombustíveis x fome
Bicombustíveis x fome
 
Bicombustíveis x fome
Bicombustíveis x fomeBicombustíveis x fome
Bicombustíveis x fome
 
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º BMatéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
 
Rio oil and gas expo conference presidente da petrobras biocombustível alan...
Rio oil and gas expo conference   presidente da petrobras biocombustível alan...Rio oil and gas expo conference   presidente da petrobras biocombustível alan...
Rio oil and gas expo conference presidente da petrobras biocombustível alan...
 
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...
18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Jan...
 
Combustiveis
CombustiveisCombustiveis
Combustiveis
 
Ecodesign daceia produtiva
Ecodesign daceia produtivaEcodesign daceia produtiva
Ecodesign daceia produtiva
 
Biomassa brasil
Biomassa brasilBiomassa brasil
Biomassa brasil
 
Gilliane trabalho de ciencias biogas
Gilliane trabalho de ciencias biogasGilliane trabalho de ciencias biogas
Gilliane trabalho de ciencias biogas
 

PMI 2008 - Sherman

  • 1. PROJECT MANAGEMENT: Rumo às próximas fronteiras O Setor Bioenergético em Transformação Das Melhores Práticas de Engenharia às Melhores Práticas em Gestão de Projetos Carlos Leger Sherman Palmer Carlos.sherman@nextautomation.com.br
  • 2. OBJETIVOS Panorama Energético Global; Definição conceitual de Bioenergia; Apresentar a situação atual e as perspectivas para o Setor de Bioenergia (Etanol, Biodisel, Energia Elétrica) na Matriz Energética Nacional; Por dentro da Indústria Sucroalcooleira (Açúcar e Etanol) e das Termelétricas de Bagaço de Cana; Mostrar as oportunidades para profissionais em PM dentro do setor. DIRETOS
  • 3. OS OBJETIVOS Economia Sustentável e Renovável (LCA); Otimismo em Tempo de Crise; Ecologia; Human Being; Fair Play; Indiretos...
  • 4. PANORAMA ENERGÉTICO GLOBAL  A demanda projetada de energia no mundo aumentará 1,7% ao ano até 2030, quando alcançará 15,3 bilhões de toneladas equivalentes de petróleo (TEP/TOE), segundo Instituto Internacional de Economia (Michael Mussa, 2003);  Em condições ceteris paribus, sem alteração da matriz energética mundial, os combustíveis fósseis responderiam por 90% do aumento projetado na demanda mundial, até 2030;  O esgotamento progressivo das reservas mundiais de petróleo é uma realidade. A Bristish Petroleum, em seu estudo “Revisão Estatística de Energia Mundial”, diz que as reservas mundiais de petróleo durarão 41 anos, gás natural, 67 anos, e as reservas brasileiras de petróleo, 18 anos;  A Bioenergia pode alterar este quadro. Projeções
  • 5. PANORAMA ENERGÉTICO GLOBAL Composição da Matriz Energética Fontes:
  • 6. BIOENERGIA A abundante vida vegetal do nosso planeta é armazenadora da energia solar e de substâncias químicas, sendo um recurso renovável que chamamos de BIOENERGIA. Assim, todos os organismos biológicos que podem ser aproveitados como fontes de energia, são chamados de Biomassa: a cana-de-açúcar, o eucalipto, a beterraba (dos quais se extrai álcool), o biogás (produzido pela biodegradação anaeróbica existente no lixo e dejetos orgânicos), lenha e carvão vegetal, alguns óleos vegetais (amendoim, soja, dendê), etc. Qual é a Definição de Bioenergia??? Fonte:
  • 7. BIOMASSA A BIOMASSA é formada pela combinação de dióxido de carbono da atmosfera e água na fotossíntese clorofiliana, que produz os hidratos de carbono - a energia solar é armazenada nas ligações químicas dos componentes estruturais da Biomassa. Se a Biomassa for queimada de modo eficiente, há produção de dióxido de carbono e água. Portanto, o processo é cíclico e dizemos que a Biomassa é um recurso renovável. Definição... Fonte:
  • 8. BIOENERGIA Atualmente, a Bioenergia representa 10% da oferta global de Energia Primária, cujo uso tradicional da biomassa (por exemplo, lenha) em países em desenvolvimento representa a maior porcentagem. No entanto, o emprego tecnológico de biomassa está crescendo, especialmente nos países industrializados, devido à preocupação crescente em relação às mudanças climáticas e à segurança energética, além dos recentes aumentos dos preços do petróleo. No entanto, o potencial e os diferentes tipos de aplicação das diversas fontes de energia provenientes de Biomassa variam enormemente, bem como os impactos sócio-ambientais de sua produção e aplicação. Em particular, há maior preocupação com o uso de Biocombustíveis no Setor de Transporte, diferente do uso relativamente seguro da Biomassa em Usinas para Produção de Calor e Eletricidade. Advertência... Fonte:
  • 10. BIOCOMBUSTÍVEIS  Os combustíveis fósseis foram descobertos em Titusville, Lousiana em 1859, e o seu uso tornou-se imperioso. Mas a crença de que o petróleo nunca iria acabar, está sendo contestada. Seu fim estimado dificilmente será alcançado, pois seu custo se tornará proibitivo, e deixará de ser competitivo em relação à outras fontes energéticas;  O francês Rudolf Diesel (1897), iniciou seus testes para patente do motor de combustão interna com pistões, utilizando óleo de amendoim (Biocombustível); diversos cientistas têm se dedicado à tarefa de melhorar a produção e o uso de biomassa para fins energéticos. Qual a importância dos Biocombustíveis?
  • 11. BIOCOMBUSTÍVEIS O que é Etanol? Fonte:
  • 12. BIOCOMBUSTÍVEIS  Energeticamente positivo: a quantidade de energia requerida no processo é menor do que a energia gerada na forma de Etanol;  Ecológico: seqüestra mais CO2 da atmosfera do que devolve através de motores de combustão interna;  O Futuro aponta para combustíveis líquidos: sendo a alternativa clara em termos de volume, densidade de energia e facilidade de transporte, etc.;  O Futuro dos Transportes: Motores Elétricos, Células de Hidrogênio, e o Etanol fornecendo o Hidrogênio;  Em 2007, Brasil, África do Sul, China, Estados Unidos, Índia e a União Européia anunciaram, na sede da ONU em New York, a criação do Fórum Internacional de Biocombustíveis. Com o objetivo é aumentar a eficiência na produção, na distribuição e no consumo em escala mundial (commodity internacional). Vantagens na Produção de Etanol de Cana Fonte:
  • 13. BIOCOMBUSTÍVEIS Cana x Grãos na produção de Etanol  O Etanol derivado de grãos não é viável economicamente;  Os Grãos são essenciais como fonte alimentar;  Os preços dos grãos tem acompanhado a subida nos preços dos combustíveis enquanto o açúcar tem se mantido estável;  New York Times: “Brasil se tornou reino do Álcool”. Fontes:
  • 14. BIOCOMBUSTÍVEIS A Dança do Petróleo... E dos Alimentos... Fontes:  Comida no prato ou no motor? Desde 2005, os Biocombustíveis feitos com grãos tornaram-se importantes para os países ricos;  Lester Brown, fundador do Worldwatch Institute, prevê o preço da comida e o do petróleo estarão amarrados: “Sempre que a cotação da comida for menor que a do combustível, os grãos e os recursos naturais seguirão para o setor energético”;
  • 15. BIOCOMBUSTÍVEIS Etanol News...  O Brasil sai vitorioso na OMC sobre os subsídios europeus. A retirada destes subsídios trará mais de US$ 500 milhões às usinas brasileiras;  Em 2010 as exportações de Etanol brasileiras, deverão gerar uma receita de USD 5,5 bilhões;  Projetos anunciados somente entre os meses de Julho e Agosto de 2008, somam R$ 5 Bilhões;  Em relatório da organização não-governamental britânica Oxfam calcula que a 'inundação de investimentos' no setor sucroalcooleiro pode dobrar a participação de usinas sob o comando de estrangeiros no país, atraindo até US$ 33 Bilhões, em investimentos até 2012. Países como a Índia, China; empresas como Cargill, Bunge, ADM e Louis Dreyfus; e investidores financeiros como Goldman Sachs, Merrill Lynch, George Soros e Carlyle Riverstone, e do bilionário britânico Richard Branson.
  • 16. BIOCOMBUSTÍVEIS Projeção da Produção de Etanol no Brasil Fonte:
  • 17. BIOCOMBUSTÍVEIS  A produção brasileira de ácool é de 18 Bilhões de Litros. Dos 3,5 bilhões de litros de álcool combustível exportados pelo Brasil em 2007, 2 bilhões foram para os Estados Unidos;  Em 2013 a produção brasileira será de 30 bilhões de litros anuais;  A produção brasileira de etanol cresce 10% ao ano. Qual Futuro da Biomassa na Produção de Etanol de Cana?  Biometanização: Processo de digestão anaeróbica da Vinhaça ou Vinhoto, resíduo do processo de Destilação. Um complexo de cultura mista de microorganismos, metaboliza a matéria orgânica contida na Vinhaça (carboidratos, lipídios e proteínas), para produzir metano (CH4) e dióxido de carbono (CO2), e material celular. O que é Metanização da Vinhaça ou Vinhoto?
  • 18. BIOCOMBUSTÍVEIS  Biodiesel é um combustível alternativo de queima limpa, produzido de recursos renováveis;  O biodiesel não contém petróleo, mas pode ser adicionado a ele formando uma mistura, e pode ser usado num motor de ignição a compressão (diesel) sem necessidade de modificação;  O biodiesel é simples de ser usado, biodegradável, não tóxico e essencialmente livre de compostos sulfurados e aromáticos;  O biodiesel é fabricado através de um processo químico chamado “transesterificação”, na qual a glicerina é separada da gordura ou do óleo vegetal. O processo gera dois produtos: ésteres (o nome químico do biodiesel) e glicerina-produto valorizado no mercado de sabões; O que é Biodiesel? Fonte: PARENTE, 2003
  • 19. BIODIESEL  O Biodiesel é produzido a partir de óleos vegetais, gordura animal, óleos e gorduras residuais;  Óleos vegetais e gorduras são basicamente compostos de triglicerídeos, ésteres de glicerol e ácidos graxos. No óleo de soja, o ácido predominante é o ácido oléico, no óleo de babaçu, o laurídico e no sebo bovino, o ácido esteárico;  Fontes para extração de óleo vegetal: baga de mamona, polpa do dendê, amêndoa do coco de dendê, amêndoa do coco de babaçu, semente de girassol, amêndoa do coco da praia, caroço de algodão, grão de amendoim, semente de canola, semente de maracujá, polpa de abacate, caroço de oiticica, semente de linhaça, semente de tomate e de nabo forrajeiro.  Gordura animal: sebo bovino, os óleos de peixes, o óleo de mocotó, a banha de porco; Qual a Matéria Prima do Biodiesel? Fonte: PARENTE, 2003
  • 20.  Gordura residuais: óleos de frituras (potencial de oferta no país superior a 30 mil toneladas por ano), lanchonetes e cozinhas industriais, indústrias de fritura de produtos alimentícios, a nata sobrenadante dos esgotos municipais (rica em matéria graxa), águas residuais de processos industriais alimentícios;  Impõe-se um dramático investimento em PD & I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação), de maneira a promover um adensamento energético das espécies oleaginosas ; Qual a Matéria Prima do Biodiesel? Fonte: PARENTE, 2003 BIODIESEL
  • 21.  Portabilidade (combustível líquido), e densidade energética superior ao Etanol, permitindo que um menor volume transporte mais energia;  Alterações nas cotações agrícolas podem inviabilizar o Biodiesel, que ainda custa mais caro que o Diesel derivado do Petróleo;  O break even, em condições ceteris paribus, entre o preço do álcool e da gasolina oscila entre US$30 e US$35,00, e de US$60,00 para Biocombustíveis derivados de óleos vegetais;  o crescimento da agricultura de energia significará aumento da produção de alimentos. Por exemplo, a expansão do cultivo de girassol para fins energéticos implicará no aumento da oferta da torta ou farelo de girassol (indústria de alimentos e ração);  O Diesel é responsável por mais de 55% do consumo geral de combustíveis no Brasil;  Investimento em Pesquisa; Qual o Futuro da Produção de Biodiesel? BIODIESEL
  • 23. MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA Plano de Expansão
  • 24. MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA Plano de Expansão Fonte: GAZZONI, 2008
  • 25. MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA Unidades em Operação - SIN Fonte: Tipo Unidades Potência Fiscalizada (kW) % CGH 193 101.996 0,11% EOL 12 120.650 0,13% PCH 265 1.364.654 1,43% SOL 1 20 0,00% UHE 155 71.225.567 74,73% UTE 936 20.495.110 21,50% UTN 2 2.007.000 2,11% Total 1.564 95.314.997 100,00%
  • 26. MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA UTE – Unidades em Operação por Classes de Combustível Combustível Unidades Potência Fiscalizada (kW) % Biomassa 274 3.538.156 17,26% Fóssil 634 16.312.906 79,59% Outros 28 644.048 3,14% Total 936 20.495.110 100,00% Fonte:
  • 27. BIOENERGIA  Energia renovável;  Demanda de carga crescente e geração insuficiente para 2011;  Contratos de Energia estabelecidos com o governo para 15 anos, e preços que rondam os R$ 150,00 por MWh, alavancam os novos projetos, com investimentos médios de R$ 500 Milhões, por unidade geradora, com retorno do investimento de 15% ao ano;  Cerca de 100 novas unidades em construção até 2011, 40 unidades anunciam o início de atividades de co-geração para a safra 2008-2009;  Projetos de co-geração em 2008 somando R$ 3,2 bilhões, 5,7% dos desembolsos totais do BNDES, e representam 1,6 mil MW em Energia. Sem considerar outras linhas de financiamento, e capital externo. Qual Futuro da Biomassa na Produção de Energia Elétrica? Fonte:
  • 28. MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA Leilão de Energia  O 1º leilão de reserva para contratação de energia produzida por térmicas movidas a biomassa, em 14 de agosto, identificou 210 empreendimentos só nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul, que juntos somam uma capacidade instalada potencial de 14.800 MW até 2015, e potencial de exportação de 10.200 MW para o sistema elétrico (SIN);  Os contratos finais do leilão ficaram em 548 megawatts (MW) médios para entrega a partir de 2009 e 2010, quase a metade do volume ofertado de 1.100 MW médios, com volume de negócios na ordem de R$ 10,7 bilhões em contratos de 15 anos;  Para a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), e o próprio Ministério de Minas e Energia, o resultado final foi um sucesso;  O preço da energia co-gerada da biomassa ficou entre R$ 148/MWh e R$ 157/MWh; Fonte:
  • 29. SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO Tome Nota...  A experiência brasileira indica que é possível gerar de 10 a 20 vezes mais empregos na agricultura de energia, comparativamente à cadeia de petróleo;  A produção agrícola desconcentra renda mais intensamente que a extração de petróleo ou gás, podendo tornar o Brasil um paradigma mundial de como enfrentar três grandes desafios do século XXI, com uma única política pública através do incentivo à agricultura de energia: 1) produção de energia sustentável; 2) proteção ambiental; 3) geração de emprego e renda, com distribuição mais eqüitativa.  Os novos investimentos no setor Sucroalcooleiro estão baseados na Geração de Energia Elétrica, tendo o Etanol como segundo produto.
  • 30. SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO Tome Nota...  A Indústria Sucroalcooleira Brasileira é considerada a mais eficiente e lucrativa do mundo;  85% da produção da cana está concentrada na região Centro- Sudeste;  A carteira do BNDES para o setor já é de R$ 19,7 Bilhões;  Produtos: Açúcar VHP, Açúcar Branco Direto, Açúcar Refinado, Álcool Hidratado, Álcool Anidro, Energia Elétrica, Fibra de Bagaço, Ração Animal, Ração para consumo Humano, Gás Metano (Vinhaça), outros;
  • 31. Os Dólares e Euros Estão Chegando...  A organização não-governamental britânica Oxfam calcula que a 'inundação de investimentos' no setor sucroalcooleiro pode dobrar a participação de usinas sob o comando de estrangeiros no país;  A Oxfam nota que os investimentos estão vindo de todos os lugares, incluindo Índia e China, das grandes companhias do agronegócio, como Cargill, Bunge, ADM e Louis Dreyfus, e de investidores financeiros como Goldman Sachs, Merrill Lynch, George Soros e Carlyle Riverstone, e do bilionário britânico Richard Branson;  A Oxfam prevê que o setor receberá até US$ 33 bilhões em investimentos entre 2008 e 2012. SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO Fontes:
  • 32. Novos e Poderosos Atores... Grupo COSAN anuncia compra da ESSO no Brasil por USD 826 Milões SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO
  • 33. Números Que Assustam...  Segundo a Unica (União das Indústrias da Cana-de-Açúcar), a região Centro-Sul será responsável por processar 498 milhões de toneladas de cana, enquanto a safra total (somando a safra da região Nordeste) será de 555 milhões de toneladas de cana;  Para a produção nacional, a expectativa é melhor ainda: estima- se que a safra 2008-2009 feche a produção de etanol com 21,3% (27,1 bilhões de litros) a mais que a safra anterior, mas a produção de açúcar pode recuar 2% (30,2 milhões de toneladas); SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO Fonte:
  • 34. Ranking por Estado ESTADO UNIDADES São Paulo 182 Minas Gerais 33 Paraná 33 Alagoas 25 Goiás 25 Pernambuco 24 Mato Grosso do Sul 13 Mato Grosso 11 Paraíba 9 Rio de Janeiro 7 Espírito Santo 6 Rio Grande do Norte 4 Maranhão 4 Sergipe 4 Bahia 3 Ceará 3 Amazonas 1 Pará 1 Piauí 1 Rondônia 1 Rio Grande do Sul 1 TOTAL 391 SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO Fonte:
  • 35. MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA Biomassa: Bagaço de Cana “IGNIÇÃO” Eletricidade e Combustível GERAÇÃO DE VAPOR (Caldeiras) CANA DE AÇÚCAR EXTRAÇÃO (Moenda ou Difusor) GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA (Casa de Força) SUB-ESTAÇÃO (138kV) PROCESSO Tratamento Físico-Químico e Concentração do Caldo) FBRRICAÇÃO DE AÇÚCAR (Cristalização, Centrifugação, Secagem) BAGAÇO (Excedente) FBRRICAÇÃO DE ÁLCOOL Hidratado e Anidro (Fermentação, Separação, Destilação) A A RAÇÃOVINHAÇA METANIZAÇÃO (Biodigestão)
  • 36. CASE TÍPICO – UNIDADE “GREENFIELD” Plano de Safra... 01. Cana Safra 3.000.000 ton 02. Tempo Aproveitável 88,00 % 03. Moagem Horária (Real) 528,00 tch 04. Moagem Diária (Real) 12.672 tch 05. Dias de Safra 237 dias 06. Início de Safra 15-abr 07. Término de Safra 7-dez 08. Produção de Açúcar Cristal 3.917.522 sacas 09. Produção de Açúcar Refinado - sacas 10. Produção de Álcool Hidratado - litros 11. Produção de Álcool Anidro 133.324.208 litros 12. Energia Elétrica Exportada 227.547 MW Fonte: SISDELLI, 2008
  • 37. 01. Moagem 600,00 tch 02. ART % Cana 15,76 % 03. Fibra % Cana 12,50 % 04. Embebição % Cana 31,25 % 05. Consumo de Vapor e Bagaço Produção de Vapor - Caldeiras 311,33 ton/dia Produção Específica de Vapor - Caldeiras 518,88 kgv/tc Consumo de Vapor - Processo 232,42 ton/dia Consumo Específico de Vapor - Processo 387,37 kgv/tc Produção de Bagaço 3.832,97 ton/dia Consumo de Bagaço 3.832,99 ton/dia Sobra de Bagaço (0,01) ton/dia 06. Recuperação Fabricação de Açúcar 80,06 % 07. Recuperação % ART 87,00 % 08. Sacas de Açúcar/TC 1,31 sacas/t.c. 09. Pureza do Mel Final 55,00 % CASE TÍPICO – UNIDADE “GREENFIELD” Balanço de Massa e Energia... Eficiência... Fonte: SISDELLI, 2008
  • 38. CASE TÍPICO – UNIDADE “GREENFIELD” Balanço de Massa e Energia... Produção... Fonte: SISDELLI, 2008 01. Moagem 600,00 tch 02. Produção Açúcar Cristal 18.804 sacas/dia Álcool Hidratado - litros/dia Álcool Anidro 639.956 litros/dia Energia Elétrica Gerada para Indústria 20,40 MW Energia Elétrica Comprada - MW Energia Elétrica Consumo Total 20,40 MW Energia Elétrica Exportada (Contrapressão) 21,66 MW Energia Elétrica Exportada (Condensação) 23,85 MW Energia Elétrica Exportada (Total) 45,51 MW Energia Elétrica Gerada (Total) 65,91 MW Energia Elétrica Gerada por Tonelada de Cana 109,85 kw/tc Energia Elétrica Exportada por Tonelada de Cana 75,85 KW/tc
  • 39. COI – Centro de Operações Industriais USINA ALTA MOGIANA
  • 40. USINA ALTA MOGIANA Destilaria e Casa de Força
  • 41. USINAS EQUIPAV E ALTA MOGIANA Destilarias (Etanol)
  • 42. USINA EQUIPAV EXTRAÇÃO E GERAÇÃO DE VAPOR
  • 43. USINA EQUIPAV COI – Centro de Operações Industriais
  • 44. USINA EQUIPAV Casa de Força Usina Equipav (120 MWh)
  • 45. USINA ALTA MOGIANA Biomassa: Pátio de Bagaço de Cana
  • 46. USINA EQUIPAV Biomassa: Pátio de Bagaço de Cana
  • 47. USINA ALTA MOGIANA Matéria Prima: Pátio de Cana
  • 49. SETOR SUCROALCOOLEIRO BRASILEIRO Cultura Canavieira... Corte Mecanizado...
  • 51. USINA ALTA MOGIANA Extração: Moenda de Cana Eletrificada
  • 52. USINA EQUIPAV Processo: Tratamento Físico-Químico do Caldo de Cana
  • 53. USINA ALTA MOGIANA Refinaria: Cristalização e Centrifugação de Açúcar
  • 54. UM SETOR EM TRANSFORMAÇÃO Empresas familiares, investimentos com capital próprio e a auto-suficiência, dão lugar à internacionalização e profissionalização do setor; Novos atores, com seus balanços e operações publicadas em Bolsa, precisam basear seus investimentos e metodologia de gerenciamento de projetos; Projetos Turn-Key, Full EPC, EPCM; As Melhores Práticas de Engenharia já não são suficientes para garantir o sucesso do investimento. Os Riscos, os Custos, a Qualidade, os Recursos Humanos, o Tempo, o Escopo, as Aquisições e a Comunicação, precisam ser medidos e controlados; Das Melhores Práticas de Engenharia às Melhores Práticas de Gestão...
  • 55. ?Gestão Integrada UM SETOR EM TRANSFORMAÇÃO Qual a Solução??? Aquisições Custo Tempo Qualidade Escopo Rec. Humanos Riscos Comunicação
  • 56. UM SETOR EM TRANSFORMAÇÃO P E R G U N T A S ??? carlos.sherman@nextautomation.com.br
  • 57. UM SETOR EM TRANSFORMAÇÃO O B R I G A D O carlos.sherman@nextautomation.com.br