SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
ESTUDOS DESCRITOS:
VARIÁVEIS RELATIVAS ÀS
PESSOAS
PROF. ESP. FRANCIELLY BORDON
1) O estudos descritivos fornecem informações
importantes para alocar recursos financeiros
eficientemente e para planejar programas de
intervenção ou educacional.
Também geram hipóteses sobre determinantes
de doença.
Estas devem ser testadas em estudos
analíticos.
2) O estudos descritivos descreve as
características gerais da distribuição de uma
doença em relação ao lugar, ao tempo e aos
atributos das pessoas:
PESSOA:
“quem está adquirindo a doença?”
- Evidências sobre o padrão e possível etiologia
da doença.
Exemplo clássico:
Pesquisa de Goldberger (Public Health Rep. 29: 1683,
1914): Investigando pelagra, verificou que era mais
comum em internos de asilo do que nas enfermeiras,
onde todos compartilhavam mesmo ambiente, exceto o
tipo de comida.
A pelagra é uma doença causada pela deficiência de vitamina B3 (niacina) e
que é causada por deficiências primárias ou secundárias de niacina. O quadro
clínico dela é caracterizado pela tríade dos “Ds”: dermatite, demência e diarreia.
Com base nestes resultados formulou
hipóteses: pouco provável ser infeccioso,
provável ser devido a algum fator da dieta.
Então:
Fez estudo analítico, que demonstrou como
causa a deficiência de ácido nicotínico, parte
do complexo vitamínico B.
• IDADE
• SEXO
• GRUPO ÉTNICO
• RELIGIÃO
• OCUPAÇÃO
• CONDIÇÃO SOCIOECONÔMICA
• ESTADO CIVIL
Características das pessoas acometidas
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa
• IDADE
• SEXO
• GRUPO ÉTNICO
• RELIGIÃO
• OCUPAÇÃO
• CONDIÇÃO
SOCIOECONÔMICA
• ESTADO CIVIL
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa
A doença
afeta
de maneira
desigual os
vários
grupos
etários
• IDADE
• SEXO
• GRUPO ÉTNICO
• RELIGIÃO
• OCUPAÇÃO
• CONDIÇÃO
SOCIOECONÔMICA
• ESTADO CIVIL
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa Sexo
A doença
afeta
de maneira
desigual os
diferentes
sexos
Seriam diferenças
de exposição a
fatores?
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa Sexo
 Fumo e câncer do pulmão
 Relação ocupacional
 Acidente de tráfego
Seriam diferenças
de exposição a
fatores?
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa Sexo
• IDADE
• SEXO
• GRUPO ÉTNICO
• RELIGIÃO
• OCUPAÇÃO
• CONDIÇÃO
SOCIOECONÔMICA
• ESTADO CIVIL
A doença afeta
de maneira
desigual os
diferentes grupos
étnicos
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa Grupo étnico
• IDADE
• SEXO
• GRUPO ÉTNICO
• RELIGIÃO
• OCUPAÇÃO
• CONDIÇÃO SÓCIO-
ECONÔMICA
• ESTADO CIVIL
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa Grupo étnico
Ao se trabalhar
com grupo étnico o
que se busca são as
diferenças de
exposição a fatores,
estudando-se as
distribuições dos
agravos entre os
grupos.
• IDADE
• SEXO
• GRUPO ÉTNICO
• RELIGIÃO
• OCUPAÇÃO
• CONDIÇÃO
SOCIOECONÔMICA
• ESTADO CIVIL
Seria semelhante
a grupo étnico?
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa Religião
• IDADE
• SEXO
• GRUPO ÉTNICO
• RELIGIÃO
• OCUPAÇÃO
• CONDIÇÃO
SOCIOECONÔMICA
• ESTADO CIVIL
Nível socioeconômico precário
• Risco gravídico
• Mortalidade subta infantil
Nível econômico
favorável
Alta prevalência
• Neuroses
• Problemas psíquicos
•Ocupação
•Renda
•Escolaridade
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa Condição sócioeconômica
• IDADE
• SEXO
• GRUPO ÉTNICO
• RELIGIÃO
• OCUPAÇÃO
• CONDIÇÃO
SOCIOECONÔMICA
• ESTADO CIVIL
•Ocupação
•Renda
•Escolaridade
TRABALHADORES
• qualificados
• semi-qualificados
• não qualificados
EXECUTIVOS CARDIOPATIAS
SITUAÇÃO ECONÔMICA
RISCOS
• físicos
• químicos
• biológicos
DOENÇAS
PROFISSIONAIS
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa Condição socioeconômica
• IDADE
• SEXO
• GRUPO ÉTNICO
• RELIGIÃO
• OCUPAÇÃO
• CONDIÇÃO
SOCIOECONÔMICA
• ESTADO CIVIL
AGRAVOS QUE PODEM TER RELAÇÃO
Suicídio Acidente de
trânsito Cirrose
hepática
GRUPOS
• Solteiro
• Casado
• Viúvo
• Separado
MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva
A pessoa Estado civil
RISCOS ?
Mais fatores relacionados às pessoas:
Características Familiares (Estado conjugal,
Idade dos pais, dimensão da família, posição na
ordem de nascimento, privação de pais,
morbidade familiar)
Ocorrências durante a vida – desde vida intra-
uterina e ao nascer, doenças próprias da
infância, etc.
Mais fatores relacionados às pessoas:
Características Endógenas – constituição física,
resistência individual, estado fisiológico,
nutrição, doenças intercorrentes,
comportamento
Ocorrências Acidentais – ocorrências
estressantes, doenças sofridas, medicamentos
consumidos, acidentes sofridos
Hábitos e Atividades – ocupação, medicamentos
habituais, uso/abuso de inseticidas domésticos e
e agrícolas, abuso de drogas lícitas (fumo,
álcool, medicamentos), ilícitas, comportamento

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a variavel pessoas.pptx

Aula 2 epidemiologia_descritiva
Aula 2 epidemiologia_descritivaAula 2 epidemiologia_descritiva
Aula 2 epidemiologia_descritivaCleber Lima
 
Introdução a epidemiologia - slide pronto
Introdução a epidemiologia - slide prontoIntrodução a epidemiologia - slide pronto
Introdução a epidemiologia - slide prontoRobsonGomes753918
 
aula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdfaula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdfcarlasuzane2
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaGhiordanno Bruno
 
Sebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologiaSebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologiaDalila_Marcao
 
Práticas religiosas de cuidado e cura entre mulheres negras
Práticas religiosas de cuidado e cura entre mulheres negrasPráticas religiosas de cuidado e cura entre mulheres negras
Práticas religiosas de cuidado e cura entre mulheres negrasPopulação Negra e Saúde
 
Introdução à epidemiologia.pdf
Introdução à epidemiologia.pdfIntrodução à epidemiologia.pdf
Introdução à epidemiologia.pdfssusercb6cc2
 
Aula 4 _UFRR Saúde e Doença.pptx
Aula 4 _UFRR Saúde e Doença.pptxAula 4 _UFRR Saúde e Doença.pptx
Aula 4 _UFRR Saúde e Doença.pptxAna Paula
 
MULHER NEGRA E MIOMAS: UMA INCURSÃO NA ÀREA DA SAÚDE, RAÇA/ETNIA.
MULHER NEGRA E MIOMAS: UMA INCURSÃO NA ÀREA DA SAÚDE, RAÇA/ETNIA.MULHER NEGRA E MIOMAS: UMA INCURSÃO NA ÀREA DA SAÚDE, RAÇA/ETNIA.
MULHER NEGRA E MIOMAS: UMA INCURSÃO NA ÀREA DA SAÚDE, RAÇA/ETNIA.pesquisaracaesaude
 
Aula_03 (1).ppt
Aula_03 (1).pptAula_03 (1).ppt
Aula_03 (1).pptLu Galdino
 
1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saude1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saudePelo Siro
 
Avaliacao do-perfil-energetico
Avaliacao do-perfil-energeticoAvaliacao do-perfil-energetico
Avaliacao do-perfil-energeticobelaicc
 
Epidemiologia da obesidade
Epidemiologia da obesidadeEpidemiologia da obesidade
Epidemiologia da obesidadeElaine Bedin
 

Semelhante a variavel pessoas.pptx (20)

Aula 2 epidemiologia_descritiva
Aula 2 epidemiologia_descritivaAula 2 epidemiologia_descritiva
Aula 2 epidemiologia_descritiva
 
Introdução a epidemiologia - slide pronto
Introdução a epidemiologia - slide prontoIntrodução a epidemiologia - slide pronto
Introdução a epidemiologia - slide pronto
 
Epidemiologia ris
Epidemiologia risEpidemiologia ris
Epidemiologia ris
 
aula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdfaula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdf
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
 
Txt 690106550
Txt 690106550Txt 690106550
Txt 690106550
 
1 epidemiologia saude
1   epidemiologia saude1   epidemiologia saude
1 epidemiologia saude
 
Sebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologiaSebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologia
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
 
Práticas religiosas de cuidado e cura entre mulheres negras
Práticas religiosas de cuidado e cura entre mulheres negrasPráticas religiosas de cuidado e cura entre mulheres negras
Práticas religiosas de cuidado e cura entre mulheres negras
 
Aula 1 de epidemiologia
Aula 1 de epidemiologiaAula 1 de epidemiologia
Aula 1 de epidemiologia
 
Tudo junto subjetividade
Tudo junto subjetividadeTudo junto subjetividade
Tudo junto subjetividade
 
Introdução à epidemiologia.pdf
Introdução à epidemiologia.pdfIntrodução à epidemiologia.pdf
Introdução à epidemiologia.pdf
 
Aula 4 _UFRR Saúde e Doença.pptx
Aula 4 _UFRR Saúde e Doença.pptxAula 4 _UFRR Saúde e Doença.pptx
Aula 4 _UFRR Saúde e Doença.pptx
 
MULHER NEGRA E MIOMAS: UMA INCURSÃO NA ÀREA DA SAÚDE, RAÇA/ETNIA.
MULHER NEGRA E MIOMAS: UMA INCURSÃO NA ÀREA DA SAÚDE, RAÇA/ETNIA.MULHER NEGRA E MIOMAS: UMA INCURSÃO NA ÀREA DA SAÚDE, RAÇA/ETNIA.
MULHER NEGRA E MIOMAS: UMA INCURSÃO NA ÀREA DA SAÚDE, RAÇA/ETNIA.
 
Aula_03.ppt
Aula_03.pptAula_03.ppt
Aula_03.ppt
 
Aula_03 (1).ppt
Aula_03 (1).pptAula_03 (1).ppt
Aula_03 (1).ppt
 
1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saude1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saude
 
Avaliacao do-perfil-energetico
Avaliacao do-perfil-energeticoAvaliacao do-perfil-energetico
Avaliacao do-perfil-energetico
 
Epidemiologia da obesidade
Epidemiologia da obesidadeEpidemiologia da obesidade
Epidemiologia da obesidade
 

Mais de ssuser51d27c1

Trabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptxTrabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptxssuser51d27c1
 
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptxSISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptxssuser51d27c1
 
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptx
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptxATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptx
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptxssuser51d27c1
 
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.ppt
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.pptAS TEORIAS PEDAGÓGICAS.ppt
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.pptssuser51d27c1
 
educaçao em saude aula 01.pptx
educaçao em saude aula 01.pptxeducaçao em saude aula 01.pptx
educaçao em saude aula 01.pptxssuser51d27c1
 
slaid educação permanente.pptx
slaid educação permanente.pptxslaid educação permanente.pptx
slaid educação permanente.pptxssuser51d27c1
 
DOENÇA CORONARIANA.pptx
DOENÇA CORONARIANA.pptxDOENÇA CORONARIANA.pptx
DOENÇA CORONARIANA.pptxssuser51d27c1
 
AULA DIA 27.04.2021.pptx
AULA DIA 27.04.2021.pptxAULA DIA 27.04.2021.pptx
AULA DIA 27.04.2021.pptxssuser51d27c1
 
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptxVIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptxssuser51d27c1
 
atribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxatribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxssuser51d27c1
 
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdf
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdfAula_4_-modelos_de_atenção.pdf
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdfssuser51d27c1
 
aula 02 politicas publicas.pptx
aula 02 politicas publicas.pptxaula 02 politicas publicas.pptx
aula 02 politicas publicas.pptxssuser51d27c1
 
impactos ambientais.pptx
 impactos ambientais.pptx impactos ambientais.pptx
impactos ambientais.pptxssuser51d27c1
 
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptxDEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptxssuser51d27c1
 
TERRITORIALIZAÇÃO.pptx
TERRITORIALIZAÇÃO.pptxTERRITORIALIZAÇÃO.pptx
TERRITORIALIZAÇÃO.pptxssuser51d27c1
 
indicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptxindicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptxssuser51d27c1
 
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptx
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptxBiossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptx
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptxssuser51d27c1
 

Mais de ssuser51d27c1 (20)

Trabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptxTrabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptx
 
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptxSISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
 
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptx
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptxATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptx
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptx
 
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.ppt
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.pptAS TEORIAS PEDAGÓGICAS.ppt
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.ppt
 
educaçao em saude aula 01.pptx
educaçao em saude aula 01.pptxeducaçao em saude aula 01.pptx
educaçao em saude aula 01.pptx
 
slaid educação permanente.pptx
slaid educação permanente.pptxslaid educação permanente.pptx
slaid educação permanente.pptx
 
DOENÇA CORONARIANA.pptx
DOENÇA CORONARIANA.pptxDOENÇA CORONARIANA.pptx
DOENÇA CORONARIANA.pptx
 
AULA DIA 27.04.2021.pptx
AULA DIA 27.04.2021.pptxAULA DIA 27.04.2021.pptx
AULA DIA 27.04.2021.pptx
 
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptxVIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
 
atribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxatribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptx
 
08 abdome.pptx
08 abdome.pptx08 abdome.pptx
08 abdome.pptx
 
DANT DCNT.pptx
DANT DCNT.pptxDANT DCNT.pptx
DANT DCNT.pptx
 
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdf
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdfAula_4_-modelos_de_atenção.pdf
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdf
 
aula 02 politicas publicas.pptx
aula 02 politicas publicas.pptxaula 02 politicas publicas.pptx
aula 02 politicas publicas.pptx
 
impactos ambientais.pptx
 impactos ambientais.pptx impactos ambientais.pptx
impactos ambientais.pptx
 
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptxDEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
 
DHAA.pptx
DHAA.pptxDHAA.pptx
DHAA.pptx
 
TERRITORIALIZAÇÃO.pptx
TERRITORIALIZAÇÃO.pptxTERRITORIALIZAÇÃO.pptx
TERRITORIALIZAÇÃO.pptx
 
indicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptxindicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptx
 
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptx
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptxBiossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptx
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptx
 

Último

DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALCarlosLinsJr
 
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemAula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemCarlosLinsJr
 
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICO
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICOCCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICO
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICOTHIALYMARIASILVADACU
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.pptos-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.pptfernandoalvescosta3
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdfHELLEN CRISTINA
 
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoTécnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoPamelaMariaMoreiraFo
 
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999vanessa270433
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obrasosnikobus1
 
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinaaula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinajarlianezootecnista
 
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdfAromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdfanalucia839701
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfMarceloMonteiro213738
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdfHELLEN CRISTINA
 

Último (14)

DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
 
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemAula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
 
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICO
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICOCCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICO
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICO
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.pptos-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
 
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoTécnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
 
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
 
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinaaula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
 
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdfAromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdf
 

variavel pessoas.pptx

  • 1. ESTUDOS DESCRITOS: VARIÁVEIS RELATIVAS ÀS PESSOAS PROF. ESP. FRANCIELLY BORDON
  • 2. 1) O estudos descritivos fornecem informações importantes para alocar recursos financeiros eficientemente e para planejar programas de intervenção ou educacional. Também geram hipóteses sobre determinantes de doença. Estas devem ser testadas em estudos analíticos.
  • 3. 2) O estudos descritivos descreve as características gerais da distribuição de uma doença em relação ao lugar, ao tempo e aos atributos das pessoas: PESSOA: “quem está adquirindo a doença?” - Evidências sobre o padrão e possível etiologia da doença.
  • 4. Exemplo clássico: Pesquisa de Goldberger (Public Health Rep. 29: 1683, 1914): Investigando pelagra, verificou que era mais comum em internos de asilo do que nas enfermeiras, onde todos compartilhavam mesmo ambiente, exceto o tipo de comida. A pelagra é uma doença causada pela deficiência de vitamina B3 (niacina) e que é causada por deficiências primárias ou secundárias de niacina. O quadro clínico dela é caracterizado pela tríade dos “Ds”: dermatite, demência e diarreia.
  • 5. Com base nestes resultados formulou hipóteses: pouco provável ser infeccioso, provável ser devido a algum fator da dieta. Então: Fez estudo analítico, que demonstrou como causa a deficiência de ácido nicotínico, parte do complexo vitamínico B.
  • 6. • IDADE • SEXO • GRUPO ÉTNICO • RELIGIÃO • OCUPAÇÃO • CONDIÇÃO SOCIOECONÔMICA • ESTADO CIVIL Características das pessoas acometidas MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa
  • 7. • IDADE • SEXO • GRUPO ÉTNICO • RELIGIÃO • OCUPAÇÃO • CONDIÇÃO SOCIOECONÔMICA • ESTADO CIVIL MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa A doença afeta de maneira desigual os vários grupos etários
  • 8. • IDADE • SEXO • GRUPO ÉTNICO • RELIGIÃO • OCUPAÇÃO • CONDIÇÃO SOCIOECONÔMICA • ESTADO CIVIL MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa Sexo A doença afeta de maneira desigual os diferentes sexos
  • 9. Seriam diferenças de exposição a fatores? MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa Sexo
  • 10.  Fumo e câncer do pulmão  Relação ocupacional  Acidente de tráfego Seriam diferenças de exposição a fatores? MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa Sexo
  • 11. • IDADE • SEXO • GRUPO ÉTNICO • RELIGIÃO • OCUPAÇÃO • CONDIÇÃO SOCIOECONÔMICA • ESTADO CIVIL A doença afeta de maneira desigual os diferentes grupos étnicos MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa Grupo étnico
  • 12. • IDADE • SEXO • GRUPO ÉTNICO • RELIGIÃO • OCUPAÇÃO • CONDIÇÃO SÓCIO- ECONÔMICA • ESTADO CIVIL MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa Grupo étnico Ao se trabalhar com grupo étnico o que se busca são as diferenças de exposição a fatores, estudando-se as distribuições dos agravos entre os grupos.
  • 13. • IDADE • SEXO • GRUPO ÉTNICO • RELIGIÃO • OCUPAÇÃO • CONDIÇÃO SOCIOECONÔMICA • ESTADO CIVIL Seria semelhante a grupo étnico? MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa Religião
  • 14. • IDADE • SEXO • GRUPO ÉTNICO • RELIGIÃO • OCUPAÇÃO • CONDIÇÃO SOCIOECONÔMICA • ESTADO CIVIL Nível socioeconômico precário • Risco gravídico • Mortalidade subta infantil Nível econômico favorável Alta prevalência • Neuroses • Problemas psíquicos •Ocupação •Renda •Escolaridade MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa Condição sócioeconômica
  • 15. • IDADE • SEXO • GRUPO ÉTNICO • RELIGIÃO • OCUPAÇÃO • CONDIÇÃO SOCIOECONÔMICA • ESTADO CIVIL •Ocupação •Renda •Escolaridade TRABALHADORES • qualificados • semi-qualificados • não qualificados EXECUTIVOS CARDIOPATIAS SITUAÇÃO ECONÔMICA RISCOS • físicos • químicos • biológicos DOENÇAS PROFISSIONAIS MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa Condição socioeconômica
  • 16. • IDADE • SEXO • GRUPO ÉTNICO • RELIGIÃO • OCUPAÇÃO • CONDIÇÃO SOCIOECONÔMICA • ESTADO CIVIL AGRAVOS QUE PODEM TER RELAÇÃO Suicídio Acidente de trânsito Cirrose hepática GRUPOS • Solteiro • Casado • Viúvo • Separado MÉTODO EPIDEMIOLÓGICO / Epidemiologia descritiva A pessoa Estado civil RISCOS ?
  • 17. Mais fatores relacionados às pessoas: Características Familiares (Estado conjugal, Idade dos pais, dimensão da família, posição na ordem de nascimento, privação de pais, morbidade familiar) Ocorrências durante a vida – desde vida intra- uterina e ao nascer, doenças próprias da infância, etc.
  • 18. Mais fatores relacionados às pessoas: Características Endógenas – constituição física, resistência individual, estado fisiológico, nutrição, doenças intercorrentes, comportamento Ocorrências Acidentais – ocorrências estressantes, doenças sofridas, medicamentos consumidos, acidentes sofridos Hábitos e Atividades – ocupação, medicamentos habituais, uso/abuso de inseticidas domésticos e e agrícolas, abuso de drogas lícitas (fumo, álcool, medicamentos), ilícitas, comportamento

Notas do Editor

  1. 6
  2. 7
  3. 8
  4. 9
  5. 10
  6. 11
  7. 12
  8. 13
  9. 14
  10. 15
  11. 16