SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 48
Baixar para ler offline
UNIDADE 8 – 19º Encontro

AVALIAÇÃO E PROGRESSÃO ESCOLAR

UNIDADE 8 – 19º Encontro

Orientadora de Estudos – Anos 1 e 3

Elaine Regina Cruz Ortega
Leitura
deleite...

“O tempo”
Luís
Fernando
Veríssimo
Discussão inicial...

"A reprovação escolar no ciclo de alfabetização";
listar argumentos contra e a favor da retenção escolar.
Texto 1 – Ano 1 – Pág. 06

“Ciclo de alfabetização
e progressão escolar”
Telma Ferraz Leal
Implantação do regime de ciclos
em sistemas brasileiros

MARIO SÉRGIO CORTELLA (2002)
-Professor da pós-graduação em Educação da PUC-SP.
-Ex-secretário de educação do município de SP.
Implantação do regime de ciclos
em sistemas brasileiros

Mário Sérgio Cortella fala sobre o Sistema de Progressão
Continuada na Educação em entrevista à TV Legislativa – SP:
http://www.youtube.com/watch?v=ZFpoZZQCpxs

(2010)
MEC-PNAIC
Propõe um trabalho de alfabetização e letramento
que integre o trabalho da linguagem aos diferentes
componentes curriculares, contribuindo para:

 A compreensão da sociedade;
 O fortalecimento das identidades;

 A reflexão sobre o mundo e atuação nele.
Para concretizar isso , precisamos repensar
os modos de organização escolar.
REGIME de CICLOS
CICLO de ALFABETIZAÇÃO

Bloco de 3 anos:
Estabelecido pelo reconhecimento da complexidade
relativa à aprendizagem e consolidação da escrita,
tendo-se como norte o domínio autônomo pela
criança da leitura e produção de textos.
A progressão não pode ser vista simplesmente
como passagem de uma etapa de escolaridade
para outra.
PROGRESSÃO CONTINUADA

PROGRESSÃO ESCOLAR:
Avanço formal no processo de escolarização.

PROGRESSÃO DO ENSINO:
Planejamento de situações gradativamente mais complexas
quanto aos conhecimentos e capacidades exigidos.
PROGRESSÃO DE APRENDIZAGENS:
Ato de agregar conhecimentos e
desenvolver capacidades durante a escolarização.
PROGRESSÃO CONTINUADA
Questão preocupante, que precisa ser superada:

O fato de haver
progressão
escolar sem
progressão de
aprendizagens.
É papel do professor:
Por meio da avaliação, ter consciência e distinguir entre
quais direitos de aprendizagem foram garantidos, quais ainda
estão em processo e quais ainda não foram contemplados.
PROGRESSÃO CONTINUADA
“E se, ao término do primeiro ano, alguma criança não
tiver consolidado tais aprendizagens?”
Cabe à escola:
No processo de
continuidade, registrar
as informações sobre
como a criança concluiu
o ano letivo e prever,
para o ano seguinte, os
modos para seu
acompanhamento.
CURRÍCULO INCLUSIVO
Preza pela autoimagem, pela autoestima, pelo
desenvolvimento pleno e pelo respeito ao percurso de vida
de cada criança. Considera que a construção da identidade
é uma das consequências do processo de escolarização.

Desse modo, a reprovação não vai ajudar essa criança.
É importante que ela continue sua escolarização e que tais
aprendizagens sejam garantidas no ano seguinte.
Concluindo o estudo do texto...
Deixar os registros de uma ano letivo para o outro é uma
forma de ajudar o planejamento do professor e da escola.

Tal tipo de pratica assegura a continuidade da
ação didática e favorece o trabalho de acompanhamento
necessário a um currículo inclusivo.
Texto 1 – Ano 1 – Pág. 06

“Progressão escolar
no ciclo de alfabetização:
avaliação e continuidade das
aprendizagens na escolarização”
Magna do Carmo Silva Cruz
Eliana Borges Correia de Albuquerque
Ciclo de alfabetização

Proposta de encaminhamento do processo de ensino
e aprendizagem das crianças de 6 a 8 anos, em uma
perspectiva de continuidade e aprofundamento,
visando a construção de um sistema educacional
democrático, não eletivo e não excludente.
Pesquisas sobre a história da
organização escolar no Brasil

REGIME SERIADO
Segundo FARIA FILHO e VIDAL (2000):

- Anos finais da déc. de 1980: instalação do
sistema seriado.
- A partir de 1970: o acesso à escola pública foi
ampliado às camadas populares, apenas 1 ano
era destinado à alfabetização.
Pesquisas sobre a história da
organização escolar no Brasil

REGIME CICLADO
Segundo MAINARDES (2007):
- Entre 1921/1928 e 1984: período marcado pela crítica à
reprovação e discussões em torno da
promoção
automática.
- Entre 1984 e 1990: eliminação na reprovação no 1º ano
com a formação dos Ciclos Básicos de Alfabetização.
- A partir de 1990: ampliação do sistema de ciclos para
todo o Ensino Fundamental, rompendo com a lógica da
exclusão.
Segundo Ferreira (1986)

Ciclo: Vem do grego kyklos e do latim cyclu podendo
significar série de fenômenos que se sucedem numa
ordem determinada (ideia de circularidade).

Série: Vem do latim serie, podendo significar ordem
ou fato das coisas ligados por uma relação, sucessão;
sequência ininterrupta; classe; categoria; subdivisões de
uma classificação (ideia de algo retilíneo).
Quatro razões para o regime ciclado
Segundo FERREIRA e LEAL (2006):
1. Favorece a interdisciplinaridade, a continuidade e a
participação, respeitando os ritmos de aprendizagem;
2. Nega a lógica excludente e competitiva das séries e
adota a lógica inclusiva e solidária;
3. Tem a perspectiva multicultural, com respeito à
diversidade de saberes, práticas e valores do grupo;
4. Rejeita
a
homogeneização
e
valoriza
a
heterogeneidade e a diversidade.
Entendendo conceitos

PROGRESSÃO
AUTOMÁTICA
Caracterizada pela ausência
de avaliação e avanço de um
ano ao outro sem
preocupação com o
monitoramento do processo
de ensino e aprendizagem e
sem ações efetivas para
recuperação para alunos com
baixo rendimento.

PROGRESSÃO
CONTINUADA
Caracterizada pela ampliação
do tempo de aprendizagem,
considerando uma nova
postura avaliativa com critérios
para cada ano, revisitando o
processo de ensinoaprendizagem e atendendo
diferentes necessidades de
aprendizagem.
REGISTROS DA APRENDIZAGEM

No contexto do sistema de ciclos, a avaliação deve ser
formativa e os registros das aprendizagens que
constituem os perfis finais dos alunos do 3º ano, devem
subsidiar a progressão escolar.
Segundo Fernandes (2005)
Concluindo o estudo do texto...

A reflexão sobre a progressão escolar e os direitos de
aprendizagem devem orientar as práticas de ensino ao
longo dos três anos do ciclo de alfabetização, de maneira
que todos os envolvidos assumam o compromisso com a
alfabetização e letramento de todas as crianças.
Hora do intervalo
Análise e discussão:
QUADROS DE MONITORAMENTO DE ATIVIDADES
Tipos de atividades
que mais se repetiram
entre os professores e
os que foram pouco
frequentes.
Trabalho em grupo
Discutir os encaminhamentos para a apresentação das
experiências didáticas no seminário de encerramento.

Fase 1: 21/11/13, 17h 30

Fase 2: 26/11/13, 18h

(EMEB Anna Novaes de Carvalho)
APRESENTAÇÃO PARA A TURMA

(Anfiteatro do Colégio Dimensão)
APRESENTAÇÃO GERAL
Tarefa para casa e para escola

1. Ler os textos da seção Compartilhando.
• Ano 1: pág. 20 a 25.
•Ano 3: pág. 31 e 40.
UNIDADE 8 – 20º Encontro

AVALIAÇÃO E PROGRESSÃO ESCOLAR

UNIDADE 8 – 19º Encontro

Orientadora de Estudos – Anos 1 e 3

Elaine Regina Cruz Ortega
Leitura
deleite

“Espelho,
espelho
meu”
Texto adaptado de

Michael Quinn
Patton
Socialização

Textos lidos da seção Compartilhando:
• Ano 1: pág. 20 a 25.

•Ano 3: pág. 31 e 40.
Texto 1 – Ano 1 – Pág. 15

“Avaliação e organização
do trabalho docente: a
importância dos registros”
Telma Ferraz Leal
AVALIAÇÃO
Tradicionalmente, está associada a
ideia de aprovação ou retenção dos estudantes.

Diz respeito apenas ao desempenho dos estudantes.
AVALIAÇÃO
No sistema de ciclos, passa a ser um instrumento
de redimensionamento da prática, vista como uma
forma de entender todo o processo pedagógico e de
atuar para melhorá-lo.

 Diz respeito à escola como um todo e ao sistema
de ensino geral;
 Não apenas os estudantes são avaliados, mas
também a escola e o sistema.
AVALIAÇÃO CONTÍNUA
Os alunos são avaliados em diferentes momentos,
com diferentes finalidades:
Em cada uma das situações de
avaliação é necessário:
Favorecer boas condições de avaliação para que as
crianças tenham mais condições de mostrar o que
sabem;
Utilizar instrumentos adequados e coerentes com o
que foi trabalhado;
Que a análise não seja feita por meio da comparação
da crianças com seus colegas e sim entre o que a
criança é capaz de fazer naquele momento e o que ela
era capaz de fazer no início do processo.
Criar boas situações de avaliação e boas estratégias
de registro.
A importância do registro
Por meio do registro, garantimos que as crianças
sejam avaliadas continuamente e podemos ver seus
avanços com mais clareza.

Os registros de final de ano devem ser retomados
pelos professores no início do ano seguinte, para que
sejam planejadas ações
Concluindo o estudo do texto...

O planejamento da ação pedagógica e a organização
das informações sobre as crianças são pilares básicos
para que as intenções docentes sejam concretizadas e
todas as crianças aprendam o que lhes é de direito.
Texto 1 – Ano 1 – Pág. 20

“O registro das situações
de ensino e aprendizagem:
Significados construídos com a análise
da prática no ciclo de alfabetização”

Eliana Borges Correia de Albuquerque
Magna do Carmo Silva Cruz
Prática docente
Prática reflexiva: capacidade do professor de
refletir sobre sua própria ação/pensamento.

1.
2.

3.
4.

Zeichner (1993)
enfatiza pré-requisitos para uma prática reflexiva:
Percepção de novas alternativas à sua prática, sem ficar preso
a conceitos que promovem a redução de sua ação;
Aceitação da possibilidade do erro como um dos caminhos
para aprender;
Responsabilidade, concebida mais como um traço moral do
que um recurso intelectual e ponderação quanto às
consequências do ato de ensinar;
Sinceridade, em dedicação, porém para que não se confunda
prática reflexiva com subserviência.
Registro das práticas docentes
Atividade de extrema
importância para o
desenvolvimento de boas
práticas de alfabetização.
Estratégia de organização do
processo de ensino e aprendizagem;
Auxílio no monitoramento do
processo de ensino e aprendizagem;
Auxílio no processo de auto avaliação
da prática docente;
Registros e reflexões...
Concluindo o estudo do texto...

A pluralidade de indivíduos gera a necessidade da
diversidade nos processos de aprendizagem e quanto
maior o número de métodos e quanto mais atento estiver
o professor, maior será a chance de estimular os alunos e
favorecer o aprendizado.
Hora do intervalo
Análise e discussão:
QUADROS DE APRENDIZAGEM DA TURMA

Possíveis encaminhamentos para os casos em que os
direitos de aprendizagem não tenham sido atingidos .
Trabalho no grande grupo

Preparação para
apresentação cultural
Na fase 2 do
Seminário de Encerramento:

Brincando com a
crônica “O tempo”
Luís Fernando Veríssimo
Tarefa para casa e para escola
1. Fazer um relatório descritivo/avaliativo dos
encontros da unidade 8.
2. Preparar
em
grupo
o
Seminário
de
Encerramento.
3. Preencher a avaliação no SIMEC em 15/11/13,
referente à 8ª parcela.

IMPORTANTE:
- Seminário de Encerramento - Fase 1: 21/11/13,19h.
EMEB Profª Anna Novaes de Carvalho.
- Seminário de Encerramento - Fase 2: 26/11/13, 18h.
Anfiteatro do Colégio Dimensão.
FELICIDADE

Vídeo para reflexão: http://www.youtube.com/watch?v=kbmJrzlwrHQ

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptxRECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptxEsterLeite4
 
O processo de alfabetização
O processo de alfabetizaçãoO processo de alfabetização
O processo de alfabetizaçãoRosemary Batista
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Adriana Pereira
 
ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSO PÚBLICO
ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSO PÚBLICOENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSO PÚBLICO
ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSO PÚBLICOValdeci Correia
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoMagda Marques
 
Curriculo no Contexto de Gestão
Curriculo no Contexto de GestãoCurriculo no Contexto de Gestão
Curriculo no Contexto de Gestãominizao
 
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leituraProjeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leituraAmanda Freitas
 
Pesquisa sobre Avaliações Externas - Resultados
Pesquisa sobre Avaliações Externas - Resultados Pesquisa sobre Avaliações Externas - Resultados
Pesquisa sobre Avaliações Externas - Resultados Fundação Victor Civita
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classelucavao2010
 
Apresentação projeto viajando pela leitura.
Apresentação  projeto viajando pela leitura.Apresentação  projeto viajando pela leitura.
Apresentação projeto viajando pela leitura.blogjl
 
A importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilA importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilKeilita Igor Fabrine
 
LEITURA DELEITE SEJA GIRASSOL
LEITURA DELEITE SEJA GIRASSOLLEITURA DELEITE SEJA GIRASSOL
LEITURA DELEITE SEJA GIRASSOLMarisa Seara
 
PROJETO LEITURA NA EDUCACÃO INFANTIL
PROJETO LEITURA NA EDUCACÃO INFANTILPROJETO LEITURA NA EDUCACÃO INFANTIL
PROJETO LEITURA NA EDUCACÃO INFANTILClaudia Val
 
Conselho de classe - slides
Conselho de classe - slidesConselho de classe - slides
Conselho de classe - slidesLuziete Leite
 

Mais procurados (20)

RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptxRECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
 
O processo de alfabetização
O processo de alfabetizaçãoO processo de alfabetização
O processo de alfabetização
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSO PÚBLICO
ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSO PÚBLICOENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSO PÚBLICO
ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSO PÚBLICO
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Curriculo no Contexto de Gestão
Curriculo no Contexto de GestãoCurriculo no Contexto de Gestão
Curriculo no Contexto de Gestão
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Diário de classe
Diário de classe Diário de classe
Diário de classe
 
Currículo
CurrículoCurrículo
Currículo
 
Observacao sala aula
Observacao sala aulaObservacao sala aula
Observacao sala aula
 
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leituraProjeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
 
Pesquisa sobre Avaliações Externas - Resultados
Pesquisa sobre Avaliações Externas - Resultados Pesquisa sobre Avaliações Externas - Resultados
Pesquisa sobre Avaliações Externas - Resultados
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
 
Apresentação projeto viajando pela leitura.
Apresentação  projeto viajando pela leitura.Apresentação  projeto viajando pela leitura.
Apresentação projeto viajando pela leitura.
 
A importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilA importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantil
 
LEITURA DELEITE SEJA GIRASSOL
LEITURA DELEITE SEJA GIRASSOLLEITURA DELEITE SEJA GIRASSOL
LEITURA DELEITE SEJA GIRASSOL
 
PROJETO LEITURA NA EDUCACÃO INFANTIL
PROJETO LEITURA NA EDUCACÃO INFANTILPROJETO LEITURA NA EDUCACÃO INFANTIL
PROJETO LEITURA NA EDUCACÃO INFANTIL
 
Pauta
PautaPauta
Pauta
 
Conselho de classe - slides
Conselho de classe - slidesConselho de classe - slides
Conselho de classe - slides
 

Destaque

Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita AlfabéticaUnidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita AlfabéticaElaine Cruz
 
Unidade 7 - PNAIC - Heterogeneidade
Unidade 7 - PNAIC - HeterogeneidadeUnidade 7 - PNAIC - Heterogeneidade
Unidade 7 - PNAIC - HeterogeneidadeElaine Cruz
 
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasUnidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasElaine Cruz
 
Unidade 4 - PNAIC - Ludicidade
Unidade 4 - PNAIC - LudicidadeUnidade 4 - PNAIC - Ludicidade
Unidade 4 - PNAIC - LudicidadeElaine Cruz
 
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisUnidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisElaine Cruz
 
Unidade1 - PNAIC - Currículo
Unidade1 - PNAIC - CurrículoUnidade1 - PNAIC - Currículo
Unidade1 - PNAIC - CurrículoElaine Cruz
 
PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8 PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8 ElieneDias
 
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)ElieneDias
 
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro augustafranca7
 
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetizaçãoDireitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetizaçãoValéria Maciel
 
Unidade 2 - PNAIC - Planejamento
Unidade 2 - PNAIC - PlanejamentoUnidade 2 - PNAIC - Planejamento
Unidade 2 - PNAIC - PlanejamentoElaine Cruz
 
Avaliação no Ciclo de Alfabetização
Avaliação no Ciclo de AlfabetizaçãoAvaliação no Ciclo de Alfabetização
Avaliação no Ciclo de AlfabetizaçãoNaysa Taboada
 
PNAIC - Avaliação
PNAIC - AvaliaçãoPNAIC - Avaliação
PNAIC - AvaliaçãoElieneDias
 
Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1Isa ...
 
AVALIAÇÃO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
AVALIAÇÃO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃOAVALIAÇÃO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
AVALIAÇÃO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃOEdlauva Santos
 

Destaque (20)

Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita AlfabéticaUnidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
 
Unidade 7 - PNAIC - Heterogeneidade
Unidade 7 - PNAIC - HeterogeneidadeUnidade 7 - PNAIC - Heterogeneidade
Unidade 7 - PNAIC - Heterogeneidade
 
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasUnidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
 
Unidade 4 - PNAIC - Ludicidade
Unidade 4 - PNAIC - LudicidadeUnidade 4 - PNAIC - Ludicidade
Unidade 4 - PNAIC - Ludicidade
 
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisUnidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
 
Unidade1 - PNAIC - Currículo
Unidade1 - PNAIC - CurrículoUnidade1 - PNAIC - Currículo
Unidade1 - PNAIC - Currículo
 
PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8 PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8
 
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
 
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
 
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetizaçãoDireitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
 
Caderno avaliacao PNAIC
Caderno avaliacao PNAICCaderno avaliacao PNAIC
Caderno avaliacao PNAIC
 
Unidade 2 - PNAIC - Planejamento
Unidade 2 - PNAIC - PlanejamentoUnidade 2 - PNAIC - Planejamento
Unidade 2 - PNAIC - Planejamento
 
Avaliação no Ciclo de Alfabetização
Avaliação no Ciclo de AlfabetizaçãoAvaliação no Ciclo de Alfabetização
Avaliação no Ciclo de Alfabetização
 
PNAIC - Avaliação
PNAIC - AvaliaçãoPNAIC - Avaliação
PNAIC - Avaliação
 
Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1
 
Planejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fundPlanejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fund
 
AVALIAÇÃO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
AVALIAÇÃO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃOAVALIAÇÃO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
AVALIAÇÃO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
 
Ciclo de alfabetização
Ciclo de alfabetizaçãoCiclo de alfabetização
Ciclo de alfabetização
 
Pnaic gestao
Pnaic gestaoPnaic gestao
Pnaic gestao
 

Semelhante a U8 - PNAIC - Avaliação e Progressão Escolar

PNAIC - Ano 1 unidade 8
PNAIC - Ano 1 unidade 8PNAIC - Ano 1 unidade 8
PNAIC - Ano 1 unidade 8ElieneDias
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSGraça Sousa
 
Pauta 1ª aula parte 2- 9 de maio
Pauta  1ª aula parte 2- 9 de maioPauta  1ª aula parte 2- 9 de maio
Pauta 1ª aula parte 2- 9 de maioadridaleffi121212
 
2º encontro pnaic vânia 2015
2º encontro pnaic  vânia 20152º encontro pnaic  vânia 2015
2º encontro pnaic vânia 2015Wanya Castro
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisRosinara Azeredo
 
Pnaic caderno 1 pedag_pg001-104 (1/12)
Pnaic caderno 1 pedag_pg001-104 (1/12)Pnaic caderno 1 pedag_pg001-104 (1/12)
Pnaic caderno 1 pedag_pg001-104 (1/12)Nelson Nunes
 
Curriculo Lattes
Curriculo LattesCurriculo Lattes
Curriculo LattesDonariaL
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisrenatalguterres
 
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01Agnes Freitas
 
A Prática Pedagógica do Professor
A Prática Pedagógica do ProfessorA Prática Pedagógica do Professor
A Prática Pedagógica do Professorcefaprodematupa
 
3º encontro pnaic vânia 2015
3º encontro pnaic  vânia 20153º encontro pnaic  vânia 2015
3º encontro pnaic vânia 2015Wanya Castro
 
Alfabetização nas escolas públicas o grande desafio
Alfabetização nas escolas públicas   o grande desafioAlfabetização nas escolas públicas   o grande desafio
Alfabetização nas escolas públicas o grande desafioAna Cristina Farias
 
Apresentação 18 turma mista
Apresentação 18 turma mistaApresentação 18 turma mista
Apresentação 18 turma mistaTatiana Schiavon
 
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental - Ivete Mantovani
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental - Ivete MantovaniDiretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental - Ivete Mantovani
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental - Ivete MantovaniIveteMantovani
 
PNAIC - Ano 2 unidade 8
PNAIC - Ano 2  unidade 8PNAIC - Ano 2  unidade 8
PNAIC - Ano 2 unidade 8ElieneDias
 

Semelhante a U8 - PNAIC - Avaliação e Progressão Escolar (20)

PNAIC - Ano 1 unidade 8
PNAIC - Ano 1 unidade 8PNAIC - Ano 1 unidade 8
PNAIC - Ano 1 unidade 8
 
Ano 2 unidade_8_miolo
Ano 2 unidade_8_mioloAno 2 unidade_8_miolo
Ano 2 unidade_8_miolo
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
 
Unidade 7
Unidade 7Unidade 7
Unidade 7
 
Os ciclos da escola plural
Os ciclos da escola pluralOs ciclos da escola plural
Os ciclos da escola plural
 
Pauta 1ª aula parte 2- 9 de maio
Pauta  1ª aula parte 2- 9 de maioPauta  1ª aula parte 2- 9 de maio
Pauta 1ª aula parte 2- 9 de maio
 
Pauta 10º encontro pnaic
Pauta 10º encontro   pnaicPauta 10º encontro   pnaic
Pauta 10º encontro pnaic
 
2º encontro pnaic vânia 2015
2º encontro pnaic  vânia 20152º encontro pnaic  vânia 2015
2º encontro pnaic vânia 2015
 
Slides Unidade 8
Slides Unidade 8Slides Unidade 8
Slides Unidade 8
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
 
Pnaic caderno 1 pedag_pg001-104 (1/12)
Pnaic caderno 1 pedag_pg001-104 (1/12)Pnaic caderno 1 pedag_pg001-104 (1/12)
Pnaic caderno 1 pedag_pg001-104 (1/12)
 
Curriculo Lattes
Curriculo LattesCurriculo Lattes
Curriculo Lattes
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
 
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01
 
A Prática Pedagógica do Professor
A Prática Pedagógica do ProfessorA Prática Pedagógica do Professor
A Prática Pedagógica do Professor
 
3º encontro pnaic vânia 2015
3º encontro pnaic  vânia 20153º encontro pnaic  vânia 2015
3º encontro pnaic vânia 2015
 
Alfabetização nas escolas públicas o grande desafio
Alfabetização nas escolas públicas   o grande desafioAlfabetização nas escolas públicas   o grande desafio
Alfabetização nas escolas públicas o grande desafio
 
Apresentação 18 turma mista
Apresentação 18 turma mistaApresentação 18 turma mista
Apresentação 18 turma mista
 
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental - Ivete Mantovani
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental - Ivete MantovaniDiretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental - Ivete Mantovani
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental - Ivete Mantovani
 
PNAIC - Ano 2 unidade 8
PNAIC - Ano 2  unidade 8PNAIC - Ano 2  unidade 8
PNAIC - Ano 2 unidade 8
 

U8 - PNAIC - Avaliação e Progressão Escolar

  • 1. UNIDADE 8 – 19º Encontro AVALIAÇÃO E PROGRESSÃO ESCOLAR UNIDADE 8 – 19º Encontro Orientadora de Estudos – Anos 1 e 3 Elaine Regina Cruz Ortega
  • 3. Discussão inicial... "A reprovação escolar no ciclo de alfabetização"; listar argumentos contra e a favor da retenção escolar.
  • 4. Texto 1 – Ano 1 – Pág. 06 “Ciclo de alfabetização e progressão escolar” Telma Ferraz Leal
  • 5. Implantação do regime de ciclos em sistemas brasileiros MARIO SÉRGIO CORTELLA (2002) -Professor da pós-graduação em Educação da PUC-SP. -Ex-secretário de educação do município de SP.
  • 6. Implantação do regime de ciclos em sistemas brasileiros Mário Sérgio Cortella fala sobre o Sistema de Progressão Continuada na Educação em entrevista à TV Legislativa – SP: http://www.youtube.com/watch?v=ZFpoZZQCpxs (2010)
  • 7. MEC-PNAIC Propõe um trabalho de alfabetização e letramento que integre o trabalho da linguagem aos diferentes componentes curriculares, contribuindo para:  A compreensão da sociedade;  O fortalecimento das identidades;  A reflexão sobre o mundo e atuação nele. Para concretizar isso , precisamos repensar os modos de organização escolar.
  • 9. CICLO de ALFABETIZAÇÃO Bloco de 3 anos: Estabelecido pelo reconhecimento da complexidade relativa à aprendizagem e consolidação da escrita, tendo-se como norte o domínio autônomo pela criança da leitura e produção de textos. A progressão não pode ser vista simplesmente como passagem de uma etapa de escolaridade para outra.
  • 10. PROGRESSÃO CONTINUADA PROGRESSÃO ESCOLAR: Avanço formal no processo de escolarização. PROGRESSÃO DO ENSINO: Planejamento de situações gradativamente mais complexas quanto aos conhecimentos e capacidades exigidos. PROGRESSÃO DE APRENDIZAGENS: Ato de agregar conhecimentos e desenvolver capacidades durante a escolarização.
  • 11. PROGRESSÃO CONTINUADA Questão preocupante, que precisa ser superada: O fato de haver progressão escolar sem progressão de aprendizagens. É papel do professor: Por meio da avaliação, ter consciência e distinguir entre quais direitos de aprendizagem foram garantidos, quais ainda estão em processo e quais ainda não foram contemplados.
  • 12. PROGRESSÃO CONTINUADA “E se, ao término do primeiro ano, alguma criança não tiver consolidado tais aprendizagens?” Cabe à escola: No processo de continuidade, registrar as informações sobre como a criança concluiu o ano letivo e prever, para o ano seguinte, os modos para seu acompanhamento.
  • 13. CURRÍCULO INCLUSIVO Preza pela autoimagem, pela autoestima, pelo desenvolvimento pleno e pelo respeito ao percurso de vida de cada criança. Considera que a construção da identidade é uma das consequências do processo de escolarização. Desse modo, a reprovação não vai ajudar essa criança. É importante que ela continue sua escolarização e que tais aprendizagens sejam garantidas no ano seguinte.
  • 14. Concluindo o estudo do texto... Deixar os registros de uma ano letivo para o outro é uma forma de ajudar o planejamento do professor e da escola. Tal tipo de pratica assegura a continuidade da ação didática e favorece o trabalho de acompanhamento necessário a um currículo inclusivo.
  • 15. Texto 1 – Ano 1 – Pág. 06 “Progressão escolar no ciclo de alfabetização: avaliação e continuidade das aprendizagens na escolarização” Magna do Carmo Silva Cruz Eliana Borges Correia de Albuquerque
  • 16. Ciclo de alfabetização Proposta de encaminhamento do processo de ensino e aprendizagem das crianças de 6 a 8 anos, em uma perspectiva de continuidade e aprofundamento, visando a construção de um sistema educacional democrático, não eletivo e não excludente.
  • 17. Pesquisas sobre a história da organização escolar no Brasil REGIME SERIADO Segundo FARIA FILHO e VIDAL (2000): - Anos finais da déc. de 1980: instalação do sistema seriado. - A partir de 1970: o acesso à escola pública foi ampliado às camadas populares, apenas 1 ano era destinado à alfabetização.
  • 18. Pesquisas sobre a história da organização escolar no Brasil REGIME CICLADO Segundo MAINARDES (2007): - Entre 1921/1928 e 1984: período marcado pela crítica à reprovação e discussões em torno da promoção automática. - Entre 1984 e 1990: eliminação na reprovação no 1º ano com a formação dos Ciclos Básicos de Alfabetização. - A partir de 1990: ampliação do sistema de ciclos para todo o Ensino Fundamental, rompendo com a lógica da exclusão.
  • 19. Segundo Ferreira (1986) Ciclo: Vem do grego kyklos e do latim cyclu podendo significar série de fenômenos que se sucedem numa ordem determinada (ideia de circularidade). Série: Vem do latim serie, podendo significar ordem ou fato das coisas ligados por uma relação, sucessão; sequência ininterrupta; classe; categoria; subdivisões de uma classificação (ideia de algo retilíneo).
  • 20. Quatro razões para o regime ciclado Segundo FERREIRA e LEAL (2006): 1. Favorece a interdisciplinaridade, a continuidade e a participação, respeitando os ritmos de aprendizagem; 2. Nega a lógica excludente e competitiva das séries e adota a lógica inclusiva e solidária; 3. Tem a perspectiva multicultural, com respeito à diversidade de saberes, práticas e valores do grupo; 4. Rejeita a homogeneização e valoriza a heterogeneidade e a diversidade.
  • 21. Entendendo conceitos PROGRESSÃO AUTOMÁTICA Caracterizada pela ausência de avaliação e avanço de um ano ao outro sem preocupação com o monitoramento do processo de ensino e aprendizagem e sem ações efetivas para recuperação para alunos com baixo rendimento. PROGRESSÃO CONTINUADA Caracterizada pela ampliação do tempo de aprendizagem, considerando uma nova postura avaliativa com critérios para cada ano, revisitando o processo de ensinoaprendizagem e atendendo diferentes necessidades de aprendizagem.
  • 22. REGISTROS DA APRENDIZAGEM No contexto do sistema de ciclos, a avaliação deve ser formativa e os registros das aprendizagens que constituem os perfis finais dos alunos do 3º ano, devem subsidiar a progressão escolar.
  • 24. Concluindo o estudo do texto... A reflexão sobre a progressão escolar e os direitos de aprendizagem devem orientar as práticas de ensino ao longo dos três anos do ciclo de alfabetização, de maneira que todos os envolvidos assumam o compromisso com a alfabetização e letramento de todas as crianças.
  • 26. Análise e discussão: QUADROS DE MONITORAMENTO DE ATIVIDADES Tipos de atividades que mais se repetiram entre os professores e os que foram pouco frequentes.
  • 27. Trabalho em grupo Discutir os encaminhamentos para a apresentação das experiências didáticas no seminário de encerramento. Fase 1: 21/11/13, 17h 30 Fase 2: 26/11/13, 18h (EMEB Anna Novaes de Carvalho) APRESENTAÇÃO PARA A TURMA (Anfiteatro do Colégio Dimensão) APRESENTAÇÃO GERAL
  • 28. Tarefa para casa e para escola 1. Ler os textos da seção Compartilhando. • Ano 1: pág. 20 a 25. •Ano 3: pág. 31 e 40.
  • 29. UNIDADE 8 – 20º Encontro AVALIAÇÃO E PROGRESSÃO ESCOLAR UNIDADE 8 – 19º Encontro Orientadora de Estudos – Anos 1 e 3 Elaine Regina Cruz Ortega
  • 31. Socialização Textos lidos da seção Compartilhando: • Ano 1: pág. 20 a 25. •Ano 3: pág. 31 e 40.
  • 32. Texto 1 – Ano 1 – Pág. 15 “Avaliação e organização do trabalho docente: a importância dos registros” Telma Ferraz Leal
  • 33. AVALIAÇÃO Tradicionalmente, está associada a ideia de aprovação ou retenção dos estudantes. Diz respeito apenas ao desempenho dos estudantes.
  • 34. AVALIAÇÃO No sistema de ciclos, passa a ser um instrumento de redimensionamento da prática, vista como uma forma de entender todo o processo pedagógico e de atuar para melhorá-lo.  Diz respeito à escola como um todo e ao sistema de ensino geral;  Não apenas os estudantes são avaliados, mas também a escola e o sistema.
  • 35. AVALIAÇÃO CONTÍNUA Os alunos são avaliados em diferentes momentos, com diferentes finalidades:
  • 36. Em cada uma das situações de avaliação é necessário: Favorecer boas condições de avaliação para que as crianças tenham mais condições de mostrar o que sabem; Utilizar instrumentos adequados e coerentes com o que foi trabalhado; Que a análise não seja feita por meio da comparação da crianças com seus colegas e sim entre o que a criança é capaz de fazer naquele momento e o que ela era capaz de fazer no início do processo. Criar boas situações de avaliação e boas estratégias de registro.
  • 37. A importância do registro Por meio do registro, garantimos que as crianças sejam avaliadas continuamente e podemos ver seus avanços com mais clareza. Os registros de final de ano devem ser retomados pelos professores no início do ano seguinte, para que sejam planejadas ações
  • 38. Concluindo o estudo do texto... O planejamento da ação pedagógica e a organização das informações sobre as crianças são pilares básicos para que as intenções docentes sejam concretizadas e todas as crianças aprendam o que lhes é de direito.
  • 39. Texto 1 – Ano 1 – Pág. 20 “O registro das situações de ensino e aprendizagem: Significados construídos com a análise da prática no ciclo de alfabetização” Eliana Borges Correia de Albuquerque Magna do Carmo Silva Cruz
  • 40. Prática docente Prática reflexiva: capacidade do professor de refletir sobre sua própria ação/pensamento. 1. 2. 3. 4. Zeichner (1993) enfatiza pré-requisitos para uma prática reflexiva: Percepção de novas alternativas à sua prática, sem ficar preso a conceitos que promovem a redução de sua ação; Aceitação da possibilidade do erro como um dos caminhos para aprender; Responsabilidade, concebida mais como um traço moral do que um recurso intelectual e ponderação quanto às consequências do ato de ensinar; Sinceridade, em dedicação, porém para que não se confunda prática reflexiva com subserviência.
  • 41. Registro das práticas docentes Atividade de extrema importância para o desenvolvimento de boas práticas de alfabetização. Estratégia de organização do processo de ensino e aprendizagem; Auxílio no monitoramento do processo de ensino e aprendizagem; Auxílio no processo de auto avaliação da prática docente;
  • 43. Concluindo o estudo do texto... A pluralidade de indivíduos gera a necessidade da diversidade nos processos de aprendizagem e quanto maior o número de métodos e quanto mais atento estiver o professor, maior será a chance de estimular os alunos e favorecer o aprendizado.
  • 45. Análise e discussão: QUADROS DE APRENDIZAGEM DA TURMA Possíveis encaminhamentos para os casos em que os direitos de aprendizagem não tenham sido atingidos .
  • 46. Trabalho no grande grupo Preparação para apresentação cultural Na fase 2 do Seminário de Encerramento: Brincando com a crônica “O tempo” Luís Fernando Veríssimo
  • 47. Tarefa para casa e para escola 1. Fazer um relatório descritivo/avaliativo dos encontros da unidade 8. 2. Preparar em grupo o Seminário de Encerramento. 3. Preencher a avaliação no SIMEC em 15/11/13, referente à 8ª parcela. IMPORTANTE: - Seminário de Encerramento - Fase 1: 21/11/13,19h. EMEB Profª Anna Novaes de Carvalho. - Seminário de Encerramento - Fase 2: 26/11/13, 18h. Anfiteatro do Colégio Dimensão.
  • 48. FELICIDADE Vídeo para reflexão: http://www.youtube.com/watch?v=kbmJrzlwrHQ