SlideShare uma empresa Scribd logo
Módulo 1
Literatura em Língua Portuguesa:
Os anos de Formação
Professora Esp. Paula Meyer
TROVADORISMO HUMANISMO CLASSICISMO QUINHENTISMO
Tópicos Abordados
Século V
Cronologia
TROVADORISMO
HUMANISMO
CLASSICISMO
QUINHENTISMO
Século XII
Século XV
Século XVI
IDADE MÉDIA IDADE MODERNA
1789
Rev. Francesa
Trovadorismo
Idade Média (XII e XV)
Teocentrismo
Monarquia
Feudalismo (Vassalo - Senhoria)
Conflito Espanha - Portugal
Contexto Histórico
Filme: “O Físico”
C
a
r
a
c
t
e
r
í
s
t
i
c
a
s
Primeira Escola Literária da Língua Portuguesa;
Textos escritos em Galego-Português;
Cantigas eram acompanhadas de Instrumentos
Musicais;
Primeiro Texto Trovadoresco: “Cantiga da
Ribeirinha” - Paio Soares de Taveirós
Dona Maria Paes Ribeiro (amante)
Rei D. Sancho I de Portugal
Poesia (Cantigas)
Lírica Satírica
amigo
Eu lírico feminino
Amor saudosista
Rima / Repetição
amor
Eu lírico masculino
Mulher inalcançável (amor impossível)
Assemelha-se a Virgem Maria
Sem identificação
escárnio
Tira sarro
Não cita nomes
(indireta)
maldizer
Direta
Cita nomes
Palavrões
Cantiga “Ai eu de min, e que será?” de Nuno Fernández
“Senhora minha, desde que vos vi,
lutei para ocultar esta paixão
que me tomou inteiro o coração;
mas não o posso mais e decidi
que saibam todos o meu grande amor,
a tristeza que tenho, a imensa dor
que sofro desde o dia em que vos vi.”
Cantiga “Ai, dona fea, foste-vos queixar” de
João Garcia de Guilhade
“Ai, dona feia, foste-vos queixar
que nunca vos louvo em meu cantar;
mas agora quero fazer um cantar
em que vos louvarei de qualquer jeito;
e vedes como quero vos louvar:
dona feia, velha e maluca!”
Cantiga “Ai flores, ai flores do verde pino” de D. Dinis
“Ondas do mar de Vigo
Se vires meu namorado!
Por Deus, (digam) se virá cedo!
Ondas do mar revolto,
Se vires o meu namorado!
Por Deus, (digam) se virá cedo!
Se vires meu namorado,
Aquele por quem eu suspiro!
Por Deus, (digam) se virá cedo!
Se vires meu namorado
Por quem tenho grande temor!
Por Deus, (digam) se virá cedo!”
Cantiga “Bem me Cuidei Eu” de Afonso Cotan
“Eu me cuidei bem, Maria Garcia,
outro dia, quando eu te f****,
deixe-me me separar de você assim
como eu já saí, de mãos vazias,
Veja o grande serviço que lhe prestei,
qual é o seu nome, louca, demente”
Cantiga “Ai eu de min, e que será?” de Nuno Fernández
“Senhora minha, desde que vos vi,
lutei para ocultar esta paixão
que me tomou inteiro o coração;
mas não o posso mais e decidi
que saibam todos o meu grande amor,
a tristeza que tenho, a imensa dor
que sofro desde o dia em que vos vi.”
Cantiga “Ai, dona fea, foste-vos queixar” de
João Garcia de Guilhade
Ai, dona feia, foste-vos queixar
que nunca vos louvo em meu cantar;
mas agora quero fazer um cantar
em que vos louvarei de qualquer jeito;
e vedes como quero vos louvar:
dona feia, velha e maluca!
Cantiga “Ai flores, ai flores do verde pino” de D. Dinis
Ondas do mar de Vigo
Se vires meu namorado!
Por Deus, (digam) se virá cedo!
Ondas do mar revolto,
Se vires o meu namorado!
Por Deus, (digam) se virá cedo!
Se vires meu namorado,
Aquele por quem eu suspiro!
Por Deus, (digam) se virá cedo!
Se vires meu namorado
Por quem tenho grande temor!
Por Deus, (digam) se virá cedo!
Cantiga “Bem me Cuidei Eu” de Afonso Cotan
Eu me cuidei bem, Maria Garcia,
outro dia, quando eu te f****,
deixe-me me separar de você assim
como eu já saí, de mãos vazias,
Veja o grande serviço que lhe prestei,
qual é o seu nome, louca, demente
amigo
amor
escárnio
maldizer
amigo amor escárnio
“Seu narcisista, seu covarde
Tô terminando com todas suas partes
A que me trai, a que é solteira
A que cê não foi homem de verdade, de
verdade
Seu narcisista, seu covarde, seu louco”
maldizer
“Num golpe de olhar
Ganhou meu coração
Mas eu não imaginava a decepção
Por ela fui fiel
Tão cego eu fiquei
Ir no night-futebol amigos eu deixei
Foi irracional o que ela fez
Mas vou deletar
Sua insentatez
Renata ingrata, trocou meu amor por uma ilusão
Renata ingrata, quem planta sacanagem, colhe solidão”
amigo amor escárnio
“Não se admire se um dia
Um beija-flor invadir
A porta da tua casa
E der um beijo e partir
Fui eu que mandei o beijo
Que é pra matar meu desejo
Faz tempo que não lhe vejo
Ai, que saudade d'ocê
Ai, que saudade d'ocê”
maldizer
“Eu não tenho culpa de estar te amando
De ficar pensando em você toda hora
Não entendo O porquÊ deixei acontecer
Isso tudo me apavora
Você não tem culpa se eu estou sofrendo
Se fantasiei de verde esta história
Você tem namorado, posso até estar errado
Mas tenho que ganhar você”
prosa
crônicas haGiografia
linhagem novelas de cavalaria
história de portugal santos
famílias populares
dicaS....
Trovadorismo
Em qual período histórico ocorreu o Trovadorismo?
1.
O que é Teocentrismo?
2.
Como a Poesia Trovadoresca era dividida?
3.
Qual cantiga possui:
Coita / Rimas e Repetições / Críticas indiretas / Críticas
diretas
4.
Qual o objetivo da hagiografia?
5.
humanismo
Século XV (Baixa Idade Média)
Crise Feudal
Expedições Marítimas
Burgos
Contexto Histórico
Filme: “O Nome da Rosa”
C
a
r
a
c
t
e
r
í
s
t
i
c
a
s
Não é uma Escola Literária e sim um período de
transição.
Existem três Gêneros Literários:
Narrativo;
Lírico;
Dramático.
Trovadorismo Classicismo
H
u
m
a
n
i
s
m
o
Idade Média Idade Moderna
gêneros literários
narrativo lírico dramático
crônicas de fernão lopes
rei d.pedro i (inês de castro)
rei d.fernando (leonor)
rei d. joão i
poesias palacianas
música dissocia-se
da palavra
“cANCIONEIRO GERAL”
RESENDE (1516)
TEATRO (gil vicente)
CUNHO POPULAR
BIFRONTISMO
sagrado x profano
encenações
moralidade ”altos” (barcas)
farsa (inês pereira)
dicaS....
O Humanismo é considerado uma Escola Literária? Explique.
1.
O que é Antropocentrismo?
2.
Qual a importância das crônicas de Fernão Lopes (Gênero Narrativo)?
3.
Sobre o que falavam as Poesias Palacianas (Gênero Lírico)?
4.
O teatro de Gil Vicente é dividido entre moralidade ”altos” (barcas) e as
farsas, cite uma obra de cada.
5.
HUMANISMO
classicismo
Século XVI
Expedições Marítimas
Reforma Protestante
Contrarreforma
Estado Laico
Antropocentrismo
Filme: “Katharina Luther”
Contexto Histórico
Retorno à Cultura Clássica (Greco-Romana)
Valorização do ser humano
Cientificismo / Racionalismo = RAZÃO
Hedonismo (Belo - Prazer) / Carpe Diem
Literatura é dividida em Gênero Épico e Gênero
Satírico
C
a
r
a
c
t
e
r
í
s
t
i
c
a
s
literatura na inglaterra
Shakespeare
inclui 38 peças e 154 sonetos;
+ 80 línguas
gêneros literários
épico
literatura em portugal
marco inicial: francisco sá de
miranda (itália - portugal)
Poemas: antiguidade + verso
decassílabo (medida nova)
“os lusíadas” - camões
até vasco da gama à índia
satírico
dicaS....
Qual a relação entre o Classicismo e o Antropocentrismo?
1.
O que são epopeias?
2.
Explique o sentido do Hedonismo.
3.
A qual período histórico o Classicismo se inspira?
4.
Qual obra especifica as conquistas lusitanas até a chegada de Vasco da Gama à
Índia demonstrando o amor e veneração ao rei de Portugal, D. Sebastião, e ao
povo lusitano?
5.
Qual a diferença entre o Gênero Épico e o Gênero Satírico?
6.
classicismo
quinhentismo
Primeiro Movimento Literário que ocorreu no
Brasil
Eurocentrismo
Diários de viajantes, crônicas, cartas (Valor
Histórico)
Certidão de Nascimento do Brasil
Literatura de Informação e Literatura de
Formação
C
a
r
a
c
t
e
r
í
s
t
i
c
a
s
descritiva
cartas, diários crônicas,
relatórios
natureza / nativos (impressões)
pero vaz de caminha
cardim / staden / gândavo
jesuítica
trabalho catequético
dificuldades (nativos, língua)
padre manuel da nóbrega
padre anchieta
gêneros literários
informação formação
dicaS....
QUINHENTISMO
O Quinhentismo é considerado como o Primeiro Movimento Literário do Brasil?
Explique.
1.
O Quinhentismo possui valor artístico? Explique.
2.
Como a Literatura Quinhentista é dividida? Explique.
3.
Quem escreveu a Carta considerada como a certidão de nascimento do Brasil?
4.
Explique a visão que os primeiros viajantes tiveram do Brasil.
5.
muito obrigada!
professora paula meyer

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernista
Luciene Gomes
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
Ana Batista
 
Tipos de linguagem
Tipos de linguagemTipos de linguagem
Tipos de linguagem
Glaucivaldo Coelho
 
Poema 6º ano
Poema 6º anoPoema 6º ano
Poema 6º ano
Andrea Dutra
 
Prosa conto e romance.
Prosa conto e romance.Prosa conto e romance.
Prosa conto e romance.
Mara Magaña
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
Cláudia Heloísa
 
Exercicios –-coesao-referencial
Exercicios –-coesao-referencialExercicios –-coesao-referencial
Exercicios –-coesao-referencial
Miriam599424
 
Elaboração de biografia
Elaboração de biografia Elaboração de biografia
Elaboração de biografia
Edson Alves
 
Realismo no brasil
Realismo no brasilRealismo no brasil
Realismo no brasil
Karoline Tavares
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Francis Paula
 
Português Enem
Português EnemPortuguês Enem
Português Enem
Prof Palmito Rocha
 
Elementos estruturais da poesia
Elementos estruturais da poesiaElementos estruturais da poesia
Elementos estruturais da poesia
Aline Castro
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
Cláudia Heloísa
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
Abrahão Costa de Freitas
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
Natália Moura
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
Valeria Nunes
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Naldinho Amorim
 
Os Gêneros Literários
Os Gêneros LiteráriosOs Gêneros Literários
Os Gêneros Literários
7 de Setembro
 
Gil Vicente
Gil VicenteGil Vicente
Gil Vicente
Cláudia Heloísa
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
Josue Jorge Cruz
 

Mais procurados (20)

Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernista
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
Tipos de linguagem
Tipos de linguagemTipos de linguagem
Tipos de linguagem
 
Poema 6º ano
Poema 6º anoPoema 6º ano
Poema 6º ano
 
Prosa conto e romance.
Prosa conto e romance.Prosa conto e romance.
Prosa conto e romance.
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
 
Exercicios –-coesao-referencial
Exercicios –-coesao-referencialExercicios –-coesao-referencial
Exercicios –-coesao-referencial
 
Elaboração de biografia
Elaboração de biografia Elaboração de biografia
Elaboração de biografia
 
Realismo no brasil
Realismo no brasilRealismo no brasil
Realismo no brasil
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Português Enem
Português EnemPortuguês Enem
Português Enem
 
Elementos estruturais da poesia
Elementos estruturais da poesiaElementos estruturais da poesia
Elementos estruturais da poesia
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Os Gêneros Literários
Os Gêneros LiteráriosOs Gêneros Literários
Os Gêneros Literários
 
Gil Vicente
Gil VicenteGil Vicente
Gil Vicente
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
 

Semelhante a Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo

Trovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismoTrovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismo
rosangelajoao
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Seduc/AM
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Hildalene Pinheiro
 
Trovadorismo - professora Vivian Trombini
Trovadorismo - professora Vivian TrombiniTrovadorismo - professora Vivian Trombini
Trovadorismo - professora Vivian Trombini
VIVIAN TROMBINI
 
Literatura Medieval
Literatura MedievalLiteratura Medieval
Literatura Medieval
Zofia Santos
 
Literatura Medieval
Literatura MedievalLiteratura Medieval
Literatura Medieval
Zofia Santos
 
Movimento Literário Trovadorismo 1º ano A 2013
Movimento Literário Trovadorismo 1º ano A 2013Movimento Literário Trovadorismo 1º ano A 2013
Movimento Literário Trovadorismo 1º ano A 2013
Doutora em Linguística Aplicada pela PUC-SP
 
[Trovadorismo E Humanismo
[Trovadorismo E Humanismo[Trovadorismo E Humanismo
[Trovadorismo E Humanismo
José Ricardo Lima
 
Movimento Literário Trovadorismo
Movimento Literário TrovadorismoMovimento Literário Trovadorismo
Movimento Literário Trovadorismo
Thalita Dias
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
SluaTemisTyMonteiroF
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Aparecida Mallagoli
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Aparecida Mallagoli
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Aparecida Mallagoli
 
Trovadorismo classicismo
Trovadorismo classicismoTrovadorismo classicismo
Trovadorismo classicismo
Lidiane Rodrigues
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Guilherme Jésus
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Tio Pablo Virtual
 
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portuguesesHerança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
CiceroMarcosSantos1
 
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhjModernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
LisandraSouza21
 
Toda a Literatura
Toda a LiteraturaToda a Literatura
Toda a Literatura
Hildalene Pinheiro
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Carolina Matuck
 

Semelhante a Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo (20)

Trovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismoTrovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Trovadorismo - professora Vivian Trombini
Trovadorismo - professora Vivian TrombiniTrovadorismo - professora Vivian Trombini
Trovadorismo - professora Vivian Trombini
 
Literatura Medieval
Literatura MedievalLiteratura Medieval
Literatura Medieval
 
Literatura Medieval
Literatura MedievalLiteratura Medieval
Literatura Medieval
 
Movimento Literário Trovadorismo 1º ano A 2013
Movimento Literário Trovadorismo 1º ano A 2013Movimento Literário Trovadorismo 1º ano A 2013
Movimento Literário Trovadorismo 1º ano A 2013
 
[Trovadorismo E Humanismo
[Trovadorismo E Humanismo[Trovadorismo E Humanismo
[Trovadorismo E Humanismo
 
Movimento Literário Trovadorismo
Movimento Literário TrovadorismoMovimento Literário Trovadorismo
Movimento Literário Trovadorismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Trovadorismo classicismo
Trovadorismo classicismoTrovadorismo classicismo
Trovadorismo classicismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portuguesesHerança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
 
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhjModernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
 
Toda a Literatura
Toda a LiteraturaToda a Literatura
Toda a Literatura
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 

Mais de Paula Meyer Piagentini

Slides sobre o Romantismo (Primeira, Segunda e Terceira Fase)
Slides sobre o Romantismo (Primeira, Segunda e Terceira Fase)Slides sobre o Romantismo (Primeira, Segunda e Terceira Fase)
Slides sobre o Romantismo (Primeira, Segunda e Terceira Fase)
Paula Meyer Piagentini
 
Modernismo em Portugal e os Heterônimos de Fernando Pessoa
Modernismo em Portugal e os Heterônimos de Fernando PessoaModernismo em Portugal e os Heterônimos de Fernando Pessoa
Modernismo em Portugal e os Heterônimos de Fernando Pessoa
Paula Meyer Piagentini
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Paula Meyer Piagentini
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Paula Meyer Piagentini
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Paula Meyer Piagentini
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Paula Meyer Piagentini
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Paula Meyer Piagentini
 
Jogo Literário: Do Trovadorismo ao Romantismo
Jogo Literário: Do Trovadorismo ao RomantismoJogo Literário: Do Trovadorismo ao Romantismo
Jogo Literário: Do Trovadorismo ao Romantismo
Paula Meyer Piagentini
 
Arcadismo (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
Arcadismo (Contexto Histórico, Arte, Literatura)Arcadismo (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
Arcadismo (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
Paula Meyer Piagentini
 
Barroco (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
Barroco (Contexto Histórico, Arte, Literatura)Barroco (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
Barroco (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
Paula Meyer Piagentini
 
Escritores pertencentes ao Pré-Modernismo no Brasil
Escritores pertencentes ao Pré-Modernismo no BrasilEscritores pertencentes ao Pré-Modernismo no Brasil
Escritores pertencentes ao Pré-Modernismo no Brasil
Paula Meyer Piagentini
 
Tabela Escolas Literárias Segunda Metade do século XIX
Tabela Escolas Literárias Segunda Metade do século XIXTabela Escolas Literárias Segunda Metade do século XIX
Tabela Escolas Literárias Segunda Metade do século XIX
Paula Meyer Piagentini
 
Escolas Literárias (Segunda Metade do século XIX)
Escolas Literárias (Segunda Metade do século XIX)Escolas Literárias (Segunda Metade do século XIX)
Escolas Literárias (Segunda Metade do século XIX)
Paula Meyer Piagentini
 
Mapa Mental (Humanismo e Classicismo) / Ensino Médio
Mapa Mental (Humanismo e Classicismo) / Ensino MédioMapa Mental (Humanismo e Classicismo) / Ensino Médio
Mapa Mental (Humanismo e Classicismo) / Ensino Médio
Paula Meyer Piagentini
 
Mapa Conceitual Trovadorismo / Literatura Ensino Médio
Mapa Conceitual Trovadorismo / Literatura Ensino MédioMapa Conceitual Trovadorismo / Literatura Ensino Médio
Mapa Conceitual Trovadorismo / Literatura Ensino Médio
Paula Meyer Piagentini
 
Interpretação Textual (Sétimo Ano)
Interpretação Textual (Sétimo Ano)Interpretação Textual (Sétimo Ano)
Interpretação Textual (Sétimo Ano)
Paula Meyer Piagentini
 
Síndromes
Síndromes Síndromes
Dia Internacional das Mulheres
Dia Internacional das MulheresDia Internacional das Mulheres
Dia Internacional das Mulheres
Paula Meyer Piagentini
 
Atividade de Interpretação (Projeto Poesia)
Atividade de Interpretação (Projeto Poesia)Atividade de Interpretação (Projeto Poesia)
Atividade de Interpretação (Projeto Poesia)
Paula Meyer Piagentini
 
Projeto Poesia
Projeto PoesiaProjeto Poesia
Projeto Poesia
Paula Meyer Piagentini
 

Mais de Paula Meyer Piagentini (20)

Slides sobre o Romantismo (Primeira, Segunda e Terceira Fase)
Slides sobre o Romantismo (Primeira, Segunda e Terceira Fase)Slides sobre o Romantismo (Primeira, Segunda e Terceira Fase)
Slides sobre o Romantismo (Primeira, Segunda e Terceira Fase)
 
Modernismo em Portugal e os Heterônimos de Fernando Pessoa
Modernismo em Portugal e os Heterônimos de Fernando PessoaModernismo em Portugal e os Heterônimos de Fernando Pessoa
Modernismo em Portugal e os Heterônimos de Fernando Pessoa
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Jogo Literário: Do Trovadorismo ao Romantismo
Jogo Literário: Do Trovadorismo ao RomantismoJogo Literário: Do Trovadorismo ao Romantismo
Jogo Literário: Do Trovadorismo ao Romantismo
 
Arcadismo (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
Arcadismo (Contexto Histórico, Arte, Literatura)Arcadismo (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
Arcadismo (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
 
Barroco (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
Barroco (Contexto Histórico, Arte, Literatura)Barroco (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
Barroco (Contexto Histórico, Arte, Literatura)
 
Escritores pertencentes ao Pré-Modernismo no Brasil
Escritores pertencentes ao Pré-Modernismo no BrasilEscritores pertencentes ao Pré-Modernismo no Brasil
Escritores pertencentes ao Pré-Modernismo no Brasil
 
Tabela Escolas Literárias Segunda Metade do século XIX
Tabela Escolas Literárias Segunda Metade do século XIXTabela Escolas Literárias Segunda Metade do século XIX
Tabela Escolas Literárias Segunda Metade do século XIX
 
Escolas Literárias (Segunda Metade do século XIX)
Escolas Literárias (Segunda Metade do século XIX)Escolas Literárias (Segunda Metade do século XIX)
Escolas Literárias (Segunda Metade do século XIX)
 
Mapa Mental (Humanismo e Classicismo) / Ensino Médio
Mapa Mental (Humanismo e Classicismo) / Ensino MédioMapa Mental (Humanismo e Classicismo) / Ensino Médio
Mapa Mental (Humanismo e Classicismo) / Ensino Médio
 
Mapa Conceitual Trovadorismo / Literatura Ensino Médio
Mapa Conceitual Trovadorismo / Literatura Ensino MédioMapa Conceitual Trovadorismo / Literatura Ensino Médio
Mapa Conceitual Trovadorismo / Literatura Ensino Médio
 
Interpretação Textual (Sétimo Ano)
Interpretação Textual (Sétimo Ano)Interpretação Textual (Sétimo Ano)
Interpretação Textual (Sétimo Ano)
 
Síndromes
Síndromes Síndromes
Síndromes
 
Dia Internacional das Mulheres
Dia Internacional das MulheresDia Internacional das Mulheres
Dia Internacional das Mulheres
 
Atividade de Interpretação (Projeto Poesia)
Atividade de Interpretação (Projeto Poesia)Atividade de Interpretação (Projeto Poesia)
Atividade de Interpretação (Projeto Poesia)
 
Projeto Poesia
Projeto PoesiaProjeto Poesia
Projeto Poesia
 

Último

347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 

Último (20)

347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 

Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo

  • 1. Módulo 1 Literatura em Língua Portuguesa: Os anos de Formação Professora Esp. Paula Meyer
  • 2. TROVADORISMO HUMANISMO CLASSICISMO QUINHENTISMO Tópicos Abordados
  • 3. Século V Cronologia TROVADORISMO HUMANISMO CLASSICISMO QUINHENTISMO Século XII Século XV Século XVI IDADE MÉDIA IDADE MODERNA 1789 Rev. Francesa
  • 5. Idade Média (XII e XV) Teocentrismo Monarquia Feudalismo (Vassalo - Senhoria) Conflito Espanha - Portugal Contexto Histórico Filme: “O Físico”
  • 6. C a r a c t e r í s t i c a s Primeira Escola Literária da Língua Portuguesa; Textos escritos em Galego-Português; Cantigas eram acompanhadas de Instrumentos Musicais; Primeiro Texto Trovadoresco: “Cantiga da Ribeirinha” - Paio Soares de Taveirós Dona Maria Paes Ribeiro (amante) Rei D. Sancho I de Portugal
  • 7. Poesia (Cantigas) Lírica Satírica amigo Eu lírico feminino Amor saudosista Rima / Repetição amor Eu lírico masculino Mulher inalcançável (amor impossível) Assemelha-se a Virgem Maria Sem identificação escárnio Tira sarro Não cita nomes (indireta) maldizer Direta Cita nomes Palavrões
  • 8. Cantiga “Ai eu de min, e que será?” de Nuno Fernández “Senhora minha, desde que vos vi, lutei para ocultar esta paixão que me tomou inteiro o coração; mas não o posso mais e decidi que saibam todos o meu grande amor, a tristeza que tenho, a imensa dor que sofro desde o dia em que vos vi.” Cantiga “Ai, dona fea, foste-vos queixar” de João Garcia de Guilhade “Ai, dona feia, foste-vos queixar que nunca vos louvo em meu cantar; mas agora quero fazer um cantar em que vos louvarei de qualquer jeito; e vedes como quero vos louvar: dona feia, velha e maluca!” Cantiga “Ai flores, ai flores do verde pino” de D. Dinis “Ondas do mar de Vigo Se vires meu namorado! Por Deus, (digam) se virá cedo! Ondas do mar revolto, Se vires o meu namorado! Por Deus, (digam) se virá cedo! Se vires meu namorado, Aquele por quem eu suspiro! Por Deus, (digam) se virá cedo! Se vires meu namorado Por quem tenho grande temor! Por Deus, (digam) se virá cedo!” Cantiga “Bem me Cuidei Eu” de Afonso Cotan “Eu me cuidei bem, Maria Garcia, outro dia, quando eu te f****, deixe-me me separar de você assim como eu já saí, de mãos vazias, Veja o grande serviço que lhe prestei, qual é o seu nome, louca, demente”
  • 9. Cantiga “Ai eu de min, e que será?” de Nuno Fernández “Senhora minha, desde que vos vi, lutei para ocultar esta paixão que me tomou inteiro o coração; mas não o posso mais e decidi que saibam todos o meu grande amor, a tristeza que tenho, a imensa dor que sofro desde o dia em que vos vi.” Cantiga “Ai, dona fea, foste-vos queixar” de João Garcia de Guilhade Ai, dona feia, foste-vos queixar que nunca vos louvo em meu cantar; mas agora quero fazer um cantar em que vos louvarei de qualquer jeito; e vedes como quero vos louvar: dona feia, velha e maluca! Cantiga “Ai flores, ai flores do verde pino” de D. Dinis Ondas do mar de Vigo Se vires meu namorado! Por Deus, (digam) se virá cedo! Ondas do mar revolto, Se vires o meu namorado! Por Deus, (digam) se virá cedo! Se vires meu namorado, Aquele por quem eu suspiro! Por Deus, (digam) se virá cedo! Se vires meu namorado Por quem tenho grande temor! Por Deus, (digam) se virá cedo! Cantiga “Bem me Cuidei Eu” de Afonso Cotan Eu me cuidei bem, Maria Garcia, outro dia, quando eu te f****, deixe-me me separar de você assim como eu já saí, de mãos vazias, Veja o grande serviço que lhe prestei, qual é o seu nome, louca, demente amigo amor escárnio maldizer
  • 10. amigo amor escárnio “Seu narcisista, seu covarde Tô terminando com todas suas partes A que me trai, a que é solteira A que cê não foi homem de verdade, de verdade Seu narcisista, seu covarde, seu louco” maldizer “Num golpe de olhar Ganhou meu coração Mas eu não imaginava a decepção Por ela fui fiel Tão cego eu fiquei Ir no night-futebol amigos eu deixei Foi irracional o que ela fez Mas vou deletar Sua insentatez Renata ingrata, trocou meu amor por uma ilusão Renata ingrata, quem planta sacanagem, colhe solidão”
  • 11. amigo amor escárnio “Não se admire se um dia Um beija-flor invadir A porta da tua casa E der um beijo e partir Fui eu que mandei o beijo Que é pra matar meu desejo Faz tempo que não lhe vejo Ai, que saudade d'ocê Ai, que saudade d'ocê” maldizer “Eu não tenho culpa de estar te amando De ficar pensando em você toda hora Não entendo O porquÊ deixei acontecer Isso tudo me apavora Você não tem culpa se eu estou sofrendo Se fantasiei de verde esta história Você tem namorado, posso até estar errado Mas tenho que ganhar você”
  • 12. prosa crônicas haGiografia linhagem novelas de cavalaria história de portugal santos famílias populares
  • 14. Trovadorismo Em qual período histórico ocorreu o Trovadorismo? 1. O que é Teocentrismo? 2. Como a Poesia Trovadoresca era dividida? 3. Qual cantiga possui: Coita / Rimas e Repetições / Críticas indiretas / Críticas diretas 4. Qual o objetivo da hagiografia? 5.
  • 16. Século XV (Baixa Idade Média) Crise Feudal Expedições Marítimas Burgos Contexto Histórico Filme: “O Nome da Rosa”
  • 17. C a r a c t e r í s t i c a s Não é uma Escola Literária e sim um período de transição. Existem três Gêneros Literários: Narrativo; Lírico; Dramático. Trovadorismo Classicismo H u m a n i s m o Idade Média Idade Moderna
  • 18. gêneros literários narrativo lírico dramático crônicas de fernão lopes rei d.pedro i (inês de castro) rei d.fernando (leonor) rei d. joão i poesias palacianas música dissocia-se da palavra “cANCIONEIRO GERAL” RESENDE (1516) TEATRO (gil vicente) CUNHO POPULAR BIFRONTISMO sagrado x profano encenações moralidade ”altos” (barcas) farsa (inês pereira)
  • 20. O Humanismo é considerado uma Escola Literária? Explique. 1. O que é Antropocentrismo? 2. Qual a importância das crônicas de Fernão Lopes (Gênero Narrativo)? 3. Sobre o que falavam as Poesias Palacianas (Gênero Lírico)? 4. O teatro de Gil Vicente é dividido entre moralidade ”altos” (barcas) e as farsas, cite uma obra de cada. 5. HUMANISMO
  • 22. Século XVI Expedições Marítimas Reforma Protestante Contrarreforma Estado Laico Antropocentrismo Filme: “Katharina Luther” Contexto Histórico
  • 23. Retorno à Cultura Clássica (Greco-Romana) Valorização do ser humano Cientificismo / Racionalismo = RAZÃO Hedonismo (Belo - Prazer) / Carpe Diem Literatura é dividida em Gênero Épico e Gênero Satírico C a r a c t e r í s t i c a s
  • 24. literatura na inglaterra Shakespeare inclui 38 peças e 154 sonetos; + 80 línguas gêneros literários épico literatura em portugal marco inicial: francisco sá de miranda (itália - portugal) Poemas: antiguidade + verso decassílabo (medida nova) “os lusíadas” - camões até vasco da gama à índia satírico
  • 26. Qual a relação entre o Classicismo e o Antropocentrismo? 1. O que são epopeias? 2. Explique o sentido do Hedonismo. 3. A qual período histórico o Classicismo se inspira? 4. Qual obra especifica as conquistas lusitanas até a chegada de Vasco da Gama à Índia demonstrando o amor e veneração ao rei de Portugal, D. Sebastião, e ao povo lusitano? 5. Qual a diferença entre o Gênero Épico e o Gênero Satírico? 6. classicismo
  • 28. Primeiro Movimento Literário que ocorreu no Brasil Eurocentrismo Diários de viajantes, crônicas, cartas (Valor Histórico) Certidão de Nascimento do Brasil Literatura de Informação e Literatura de Formação C a r a c t e r í s t i c a s
  • 29. descritiva cartas, diários crônicas, relatórios natureza / nativos (impressões) pero vaz de caminha cardim / staden / gândavo jesuítica trabalho catequético dificuldades (nativos, língua) padre manuel da nóbrega padre anchieta gêneros literários informação formação
  • 31. QUINHENTISMO O Quinhentismo é considerado como o Primeiro Movimento Literário do Brasil? Explique. 1. O Quinhentismo possui valor artístico? Explique. 2. Como a Literatura Quinhentista é dividida? Explique. 3. Quem escreveu a Carta considerada como a certidão de nascimento do Brasil? 4. Explique a visão que os primeiros viajantes tiveram do Brasil. 5.