SlideShare uma empresa Scribd logo
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO das BIBLIOTECAS ESCOLARES METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (WORKSHOP) FÓRUM 2 1 – O enunciado 3 formulado, assim, é demasiado vago, impreciso e geral, pois não nos permite saber quando, onde, como e com quem se pode reforçar o trabalho articulado. Então, poderia reformular-se, deste modo, para ficar mais específico: Reforçar, ao longo do ano lectivo, o trabalho articulado entre o contributo da BE e os vários departamentos curriculares e demais estruturas pedagógico-educativas, alargando-se ao exterior, através de parcerias, para que sejam concretizados os objectivos que subjazem à aquisição de competências nas várias literacias. É através da partilha, discussão, colaboração e participação das diversas partes envolvidas que o trabalho desenvolvido em prol do sucesso nas aprendizagens dos alunos se torna mais proveitoso. Da mesma forma, o enunciado 4 é demasiado abrangente e lato, uma vez que não são especificados os instrumentos de apoio a ser usados por professores e alunos. Também não se especifica que professores e que alunos serão os actores nem que competências se visa desenvolver com tais instrumentos de apoio e nem para que finalidade.  Então poder-se-ia reformular assim o enunciado: Reforçar, ao longo de todo o ano, a produção de guiões de pesquisa da informação, em vários formatos (papel, digital…), que permitam apoiar, ajudar e orientar os alunos nas suas pesquisas e facilitar o trabalho dos professores. A disponibilização destes instrumentos de trabalho na BE permitirá dar resposta às necessidades constantes dos utilizadores, fazendo com que os alunos adquiram uma maior autonomia e desenvolvam as suas competências na selecção e tratamento da informação. Por outro lado, os professores verão o seu trabalho facilitado e tirarão o máximo proveito daqueles guiões de apoio para as suas aulas. Helena Caroça

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 BeAuto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
biblioavrt2
 
Tarefa3
Tarefa3Tarefa3
Tarefa3
dora
 
1º Workshop das Bibliotecas de Ensino Superior: abertura e apresentação
1º Workshop das Bibliotecas de Ensino Superior: abertura e apresentação 1º Workshop das Bibliotecas de Ensino Superior: abertura e apresentação
1º Workshop das Bibliotecas de Ensino Superior: abertura e apresentação
Pedro Príncipe
 
Nalfa.. um dedo de prosa delia ladeia
Nalfa.. um dedo de prosa   delia ladeiaNalfa.. um dedo de prosa   delia ladeia
Nalfa.. um dedo de prosa delia ladeia
Delia Ladeia
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
beloule
 
Doc14 avaliação be domínio de avaliação a síntese
Doc14 avaliação be domínio de avaliação a sínteseDoc14 avaliação be domínio de avaliação a síntese
Doc14 avaliação be domínio de avaliação a síntese
mfcpestana
 
Sessão7 reflexao
Sessão7 reflexaoSessão7 reflexao
Sessão7 reflexao
esperancasantos
 
Powerpoint Workshop Formativo
Powerpoint Workshop FormativoPowerpoint Workshop Formativo
Powerpoint Workshop Formativo
Lucas Fernando
 
Tarefa 6 Actividade 2
Tarefa 6   Actividade 2Tarefa 6   Actividade 2
Tarefa 6 Actividade 2
luinog
 
Sessão nº2
Sessão nº2Sessão nº2
Sessão nº2
cristinamlcoelho
 
Modelo Autoavaliação das Bibliotecas Escolares - Síntese
Modelo Autoavaliação das  Bibliotecas Escolares - SínteseModelo Autoavaliação das  Bibliotecas Escolares - Síntese
Modelo Autoavaliação das Bibliotecas Escolares - Síntese
florafialho
 
DomíNio B
DomíNio BDomíNio B
DomíNio B
becrepombais
 
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
Teresa Gonçalves
 
O Processo De Auto Avaliacao No Contexto Escola
O Processo De Auto Avaliacao No Contexto EscolaO Processo De Auto Avaliacao No Contexto Escola
O Processo De Auto Avaliacao No Contexto Escola
catiarodriguessousa
 
Sessao7tarefa2
Sessao7tarefa2Sessao7tarefa2
Sessao7tarefa2
Rui Jorge
 
Rede de Capacitação
Rede de CapacitaçãoRede de Capacitação
Rede de Capacitação
pricaevaristo
 
Metodologias de operacionalização i rosa maria
Metodologias de operacionalização i   rosa mariaMetodologias de operacionalização i   rosa maria
Metodologias de operacionalização i rosa maria
rosamfsilvabiblio
 
Fortalecimento da Rede BVS Brasil – Plano Ação 2021 - II reunião
Fortalecimento da Rede BVS Brasil – Plano Ação 2021 - II reuniãoFortalecimento da Rede BVS Brasil – Plano Ação 2021 - II reunião
Fortalecimento da Rede BVS Brasil – Plano Ação 2021 - II reunião
http://bvsalud.org/
 

Mais procurados (18)

Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 BeAuto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
 
Tarefa3
Tarefa3Tarefa3
Tarefa3
 
1º Workshop das Bibliotecas de Ensino Superior: abertura e apresentação
1º Workshop das Bibliotecas de Ensino Superior: abertura e apresentação 1º Workshop das Bibliotecas de Ensino Superior: abertura e apresentação
1º Workshop das Bibliotecas de Ensino Superior: abertura e apresentação
 
Nalfa.. um dedo de prosa delia ladeia
Nalfa.. um dedo de prosa   delia ladeiaNalfa.. um dedo de prosa   delia ladeia
Nalfa.. um dedo de prosa delia ladeia
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
 
Doc14 avaliação be domínio de avaliação a síntese
Doc14 avaliação be domínio de avaliação a sínteseDoc14 avaliação be domínio de avaliação a síntese
Doc14 avaliação be domínio de avaliação a síntese
 
Sessão7 reflexao
Sessão7 reflexaoSessão7 reflexao
Sessão7 reflexao
 
Powerpoint Workshop Formativo
Powerpoint Workshop FormativoPowerpoint Workshop Formativo
Powerpoint Workshop Formativo
 
Tarefa 6 Actividade 2
Tarefa 6   Actividade 2Tarefa 6   Actividade 2
Tarefa 6 Actividade 2
 
Sessão nº2
Sessão nº2Sessão nº2
Sessão nº2
 
Modelo Autoavaliação das Bibliotecas Escolares - Síntese
Modelo Autoavaliação das  Bibliotecas Escolares - SínteseModelo Autoavaliação das  Bibliotecas Escolares - Síntese
Modelo Autoavaliação das Bibliotecas Escolares - Síntese
 
DomíNio B
DomíNio BDomíNio B
DomíNio B
 
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
 
O Processo De Auto Avaliacao No Contexto Escola
O Processo De Auto Avaliacao No Contexto EscolaO Processo De Auto Avaliacao No Contexto Escola
O Processo De Auto Avaliacao No Contexto Escola
 
Sessao7tarefa2
Sessao7tarefa2Sessao7tarefa2
Sessao7tarefa2
 
Rede de Capacitação
Rede de CapacitaçãoRede de Capacitação
Rede de Capacitação
 
Metodologias de operacionalização i rosa maria
Metodologias de operacionalização i   rosa mariaMetodologias de operacionalização i   rosa maria
Metodologias de operacionalização i rosa maria
 
Fortalecimento da Rede BVS Brasil – Plano Ação 2021 - II reunião
Fortalecimento da Rede BVS Brasil – Plano Ação 2021 - II reuniãoFortalecimento da Rede BVS Brasil – Plano Ação 2021 - II reunião
Fortalecimento da Rede BVS Brasil – Plano Ação 2021 - II reunião
 

Destaque

Ficha
FichaFicha
Ficha
Sandra
 
Boletim Informativo de Sorocaba - Setembro de 2009
Boletim Informativo de Sorocaba - Setembro de 2009Boletim Informativo de Sorocaba - Setembro de 2009
Boletim Informativo de Sorocaba - Setembro de 2009
Governo do Estado de São Paulo
 
Envolve Os Intervenientes Num Processo De IntrospecçãO Do Conhecimento E De
Envolve Os Intervenientes Num Processo De IntrospecçãO Do Conhecimento E DeEnvolve Os Intervenientes Num Processo De IntrospecçãO Do Conhecimento E De
Envolve Os Intervenientes Num Processo De IntrospecçãO Do Conhecimento E De
guestba87e4c
 
Godiva Poster
Godiva PosterGodiva Poster
Godiva PosterMelchan
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
Carla Ribeiro
 
ClassificaçãO Clave B
ClassificaçãO Clave BClassificaçãO Clave B
ClassificaçãO Clave B
guestc005212
 
Sessão 5 Parte 2
Sessão 5  Parte 2Sessão 5  Parte 2
Sessão 5 Parte 2
guest1d174ffe
 
Formulario Mega 1ª Parte
Formulario Mega 1ª ParteFormulario Mega 1ª Parte
Formulario Mega 1ª Parte
julimodel
 
Accoes Futuras[1]
Accoes Futuras[1]Accoes Futuras[1]
Accoes Futuras[1]
FilipaNeves
 
Natureza Em Destruição
Natureza Em DestruiçãoNatureza Em Destruição
Natureza Em Destruição
Gonçalo Ferraz
 
Ativ14 Andreia
Ativ14 AndreiaAtiv14 Andreia
Ativ14 Andreia
Escola Nelso Alquieri
 
InquéRito Mercury
InquéRito MercuryInquéRito Mercury
InquéRito Mercury
veravanessa
 
Cristiano E Mais Nada
Cristiano E Mais NadaCristiano E Mais Nada
Cristiano E Mais Nada
cristiano9951
 
Boletim informativo de São Carlos - Novembro de 2009
Boletim informativo de São Carlos - Novembro de 2009Boletim informativo de São Carlos - Novembro de 2009
Boletim informativo de São Carlos - Novembro de 2009
Governo do Estado de São Paulo
 
PROGRAMAÇÃO FESTIVAL RECIFE DO TEATRO NACIONAL
PROGRAMAÇÃO FESTIVAL RECIFE DO TEATRO NACIONALPROGRAMAÇÃO FESTIVAL RECIFE DO TEATRO NACIONAL
PROGRAMAÇÃO FESTIVAL RECIFE DO TEATRO NACIONAL
Jupiter Comunicação
 
Guiao Filme Marco CP CFE Marco
Guiao Filme Marco CP CFE MarcoGuiao Filme Marco CP CFE Marco
Guiao Filme Marco CP CFE Marco
mega
 
Daniel zamora on line 2
Daniel zamora on line 2Daniel zamora on line 2
Daniel zamora on line 2
danielzamorauft
 
Daniel zamora asignacion 2
Daniel zamora asignacion 2Daniel zamora asignacion 2
Daniel zamora asignacion 2
danielzamorauft
 
Examen daniel zamora
Examen daniel zamoraExamen daniel zamora
Examen daniel zamora
danielzamorauft
 
SessãO 2 2ª Parte
SessãO 2   2ª ParteSessãO 2   2ª Parte
SessãO 2 2ª Parte
Elisabete Guedes
 

Destaque (20)

Ficha
FichaFicha
Ficha
 
Boletim Informativo de Sorocaba - Setembro de 2009
Boletim Informativo de Sorocaba - Setembro de 2009Boletim Informativo de Sorocaba - Setembro de 2009
Boletim Informativo de Sorocaba - Setembro de 2009
 
Envolve Os Intervenientes Num Processo De IntrospecçãO Do Conhecimento E De
Envolve Os Intervenientes Num Processo De IntrospecçãO Do Conhecimento E DeEnvolve Os Intervenientes Num Processo De IntrospecçãO Do Conhecimento E De
Envolve Os Intervenientes Num Processo De IntrospecçãO Do Conhecimento E De
 
Godiva Poster
Godiva PosterGodiva Poster
Godiva Poster
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
 
ClassificaçãO Clave B
ClassificaçãO Clave BClassificaçãO Clave B
ClassificaçãO Clave B
 
Sessão 5 Parte 2
Sessão 5  Parte 2Sessão 5  Parte 2
Sessão 5 Parte 2
 
Formulario Mega 1ª Parte
Formulario Mega 1ª ParteFormulario Mega 1ª Parte
Formulario Mega 1ª Parte
 
Accoes Futuras[1]
Accoes Futuras[1]Accoes Futuras[1]
Accoes Futuras[1]
 
Natureza Em Destruição
Natureza Em DestruiçãoNatureza Em Destruição
Natureza Em Destruição
 
Ativ14 Andreia
Ativ14 AndreiaAtiv14 Andreia
Ativ14 Andreia
 
InquéRito Mercury
InquéRito MercuryInquéRito Mercury
InquéRito Mercury
 
Cristiano E Mais Nada
Cristiano E Mais NadaCristiano E Mais Nada
Cristiano E Mais Nada
 
Boletim informativo de São Carlos - Novembro de 2009
Boletim informativo de São Carlos - Novembro de 2009Boletim informativo de São Carlos - Novembro de 2009
Boletim informativo de São Carlos - Novembro de 2009
 
PROGRAMAÇÃO FESTIVAL RECIFE DO TEATRO NACIONAL
PROGRAMAÇÃO FESTIVAL RECIFE DO TEATRO NACIONALPROGRAMAÇÃO FESTIVAL RECIFE DO TEATRO NACIONAL
PROGRAMAÇÃO FESTIVAL RECIFE DO TEATRO NACIONAL
 
Guiao Filme Marco CP CFE Marco
Guiao Filme Marco CP CFE MarcoGuiao Filme Marco CP CFE Marco
Guiao Filme Marco CP CFE Marco
 
Daniel zamora on line 2
Daniel zamora on line 2Daniel zamora on line 2
Daniel zamora on line 2
 
Daniel zamora asignacion 2
Daniel zamora asignacion 2Daniel zamora asignacion 2
Daniel zamora asignacion 2
 
Examen daniel zamora
Examen daniel zamoraExamen daniel zamora
Examen daniel zamora
 
SessãO 2 2ª Parte
SessãO 2   2ª ParteSessãO 2   2ª Parte
SessãO 2 2ª Parte
 

Semelhante a Sessao8parte2

Apresentacao UNIFESP Alexandre Assis_Matricula 108464.pptx
Apresentacao UNIFESP Alexandre Assis_Matricula 108464.pptxApresentacao UNIFESP Alexandre Assis_Matricula 108464.pptx
Apresentacao UNIFESP Alexandre Assis_Matricula 108464.pptx
laraamaral26
 
Tarefa SessãO 4 1ª Parte
Tarefa SessãO 4 1ª ParteTarefa SessãO 4 1ª Parte
Tarefa SessãO 4 1ª Parte
Antonio Tavares
 
Autoavaliaacao sessao 6
Autoavaliaacao sessao 6Autoavaliaacao sessao 6
Autoavaliaacao sessao 6
alexandranuneslopes
 
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
bedjoaoii
 
Sessão 3 reflexao
Sessão 3 reflexaoSessão 3 reflexao
Sessão 3 reflexao
esperancasantos
 
Plano da Biblioteca Escolar FormaçãO 07 08
Plano da Biblioteca Escolar FormaçãO 07 08Plano da Biblioteca Escolar FormaçãO 07 08
Plano da Biblioteca Escolar FormaçãO 07 08
guestdb6d52
 
3º MóDulo 1 Parte
3º MóDulo 1 Parte3º MóDulo 1 Parte
3º MóDulo 1 Parte
candidaribeiro
 
3º MóDulo 1ªParte
3º MóDulo 1ªParte3º MóDulo 1ªParte
3º MóDulo 1ªParte
candidaribeiro
 
Diretrizes curriculares para imprensão
Diretrizes curriculares para imprensãoDiretrizes curriculares para imprensão
Diretrizes curriculares para imprensão
Rosemeri Fazoli Cezarette Lima
 
4a Sessao 2 [1]
4a Sessao 2 [1]4a Sessao 2 [1]
4a Sessao 2 [1]
celesteoliveira
 
2 workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
2   workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be2   workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
2 workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
Be Moinho Das Leituras
 
Auto AvaliaçãO Power Point
Auto AvaliaçãO  Power PointAuto AvaliaçãO  Power Point
Auto AvaliaçãO Power Point
speeds
 
Auto AvaliaçãO Power Point
Auto AvaliaçãO  Power PointAuto AvaliaçãO  Power Point
Auto AvaliaçãO Power Point
speeds
 
Sessao4parte1
Sessao4parte1Sessao4parte1
Sessao4parte1
lenacaroca
 
Tarefa 2
Tarefa 2Tarefa 2
Tarefa 2
Sílvia Bastos
 
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escolaSessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
Virginia Sousa
 
97
9797
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
MatheusSimoesMasuoka1
 
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
pibidgeo
 
WEB 2.0
WEB 2.0WEB 2.0
WEB 2.0
peres marlene
 

Semelhante a Sessao8parte2 (20)

Apresentacao UNIFESP Alexandre Assis_Matricula 108464.pptx
Apresentacao UNIFESP Alexandre Assis_Matricula 108464.pptxApresentacao UNIFESP Alexandre Assis_Matricula 108464.pptx
Apresentacao UNIFESP Alexandre Assis_Matricula 108464.pptx
 
Tarefa SessãO 4 1ª Parte
Tarefa SessãO 4 1ª ParteTarefa SessãO 4 1ª Parte
Tarefa SessãO 4 1ª Parte
 
Autoavaliaacao sessao 6
Autoavaliaacao sessao 6Autoavaliaacao sessao 6
Autoavaliaacao sessao 6
 
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
 
Sessão 3 reflexao
Sessão 3 reflexaoSessão 3 reflexao
Sessão 3 reflexao
 
Plano da Biblioteca Escolar FormaçãO 07 08
Plano da Biblioteca Escolar FormaçãO 07 08Plano da Biblioteca Escolar FormaçãO 07 08
Plano da Biblioteca Escolar FormaçãO 07 08
 
3º MóDulo 1 Parte
3º MóDulo 1 Parte3º MóDulo 1 Parte
3º MóDulo 1 Parte
 
3º MóDulo 1ªParte
3º MóDulo 1ªParte3º MóDulo 1ªParte
3º MóDulo 1ªParte
 
Diretrizes curriculares para imprensão
Diretrizes curriculares para imprensãoDiretrizes curriculares para imprensão
Diretrizes curriculares para imprensão
 
4a Sessao 2 [1]
4a Sessao 2 [1]4a Sessao 2 [1]
4a Sessao 2 [1]
 
2 workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
2   workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be2   workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
2 workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
 
Auto AvaliaçãO Power Point
Auto AvaliaçãO  Power PointAuto AvaliaçãO  Power Point
Auto AvaliaçãO Power Point
 
Auto AvaliaçãO Power Point
Auto AvaliaçãO  Power PointAuto AvaliaçãO  Power Point
Auto AvaliaçãO Power Point
 
Sessao4parte1
Sessao4parte1Sessao4parte1
Sessao4parte1
 
Tarefa 2
Tarefa 2Tarefa 2
Tarefa 2
 
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escolaSessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
 
97
9797
97
 
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
 
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
 
WEB 2.0
WEB 2.0WEB 2.0
WEB 2.0
 

Mais de lenacaroca

Sessao5parte1
Sessao5parte1Sessao5parte1
Sessao5parte1
lenacaroca
 
Sessao8parte1
Sessao8parte1Sessao8parte1
Sessao8parte1
lenacaroca
 
Sessao7parte1
Sessao7parte1Sessao7parte1
Sessao7parte1
lenacaroca
 
Sessao7parte2
Sessao7parte2Sessao7parte2
Sessao7parte2
lenacaroca
 
Sessao6parte2
Sessao6parte2Sessao6parte2
Sessao6parte2
lenacaroca
 
Sessao6parte1
Sessao6parte1Sessao6parte1
Sessao6parte1
lenacaroca
 
Sessao2parte1
Sessao2parte1Sessao2parte1
Sessao2parte1
lenacaroca
 
Sessao3parte1
Sessao3parte1Sessao3parte1
Sessao3parte1
lenacaroca
 

Mais de lenacaroca (8)

Sessao5parte1
Sessao5parte1Sessao5parte1
Sessao5parte1
 
Sessao8parte1
Sessao8parte1Sessao8parte1
Sessao8parte1
 
Sessao7parte1
Sessao7parte1Sessao7parte1
Sessao7parte1
 
Sessao7parte2
Sessao7parte2Sessao7parte2
Sessao7parte2
 
Sessao6parte2
Sessao6parte2Sessao6parte2
Sessao6parte2
 
Sessao6parte1
Sessao6parte1Sessao6parte1
Sessao6parte1
 
Sessao2parte1
Sessao2parte1Sessao2parte1
Sessao2parte1
 
Sessao3parte1
Sessao3parte1Sessao3parte1
Sessao3parte1
 

Último

Teoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .docTeoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .doc
anpproferick
 
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefíciosGestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Rafael Santos
 
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Annelise Gripp
 
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdfPor que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Ian Oliveira
 
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product ownerPRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
anpproferick
 
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço BrasilOrientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
EliakimArajo2
 
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptxComo fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
tnrlucas
 

Último (7)

Teoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .docTeoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .doc
 
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefíciosGestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefícios
 
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
 
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdfPor que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
 
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product ownerPRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
 
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço BrasilOrientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
 
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptxComo fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
 

Sessao8parte2

  • 1. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO das BIBLIOTECAS ESCOLARES METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (WORKSHOP) FÓRUM 2 1 – O enunciado 3 formulado, assim, é demasiado vago, impreciso e geral, pois não nos permite saber quando, onde, como e com quem se pode reforçar o trabalho articulado. Então, poderia reformular-se, deste modo, para ficar mais específico: Reforçar, ao longo do ano lectivo, o trabalho articulado entre o contributo da BE e os vários departamentos curriculares e demais estruturas pedagógico-educativas, alargando-se ao exterior, através de parcerias, para que sejam concretizados os objectivos que subjazem à aquisição de competências nas várias literacias. É através da partilha, discussão, colaboração e participação das diversas partes envolvidas que o trabalho desenvolvido em prol do sucesso nas aprendizagens dos alunos se torna mais proveitoso. Da mesma forma, o enunciado 4 é demasiado abrangente e lato, uma vez que não são especificados os instrumentos de apoio a ser usados por professores e alunos. Também não se especifica que professores e que alunos serão os actores nem que competências se visa desenvolver com tais instrumentos de apoio e nem para que finalidade. Então poder-se-ia reformular assim o enunciado: Reforçar, ao longo de todo o ano, a produção de guiões de pesquisa da informação, em vários formatos (papel, digital…), que permitam apoiar, ajudar e orientar os alunos nas suas pesquisas e facilitar o trabalho dos professores. A disponibilização destes instrumentos de trabalho na BE permitirá dar resposta às necessidades constantes dos utilizadores, fazendo com que os alunos adquiram uma maior autonomia e desenvolvam as suas competências na selecção e tratamento da informação. Por outro lado, os professores verão o seu trabalho facilitado e tirarão o máximo proveito daqueles guiões de apoio para as suas aulas. Helena Caroça