SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 48
Baixar para ler offline
FABIANO LADISLAU
                                           Técnico em Radiologia
                                  Grad. Tecnólogo em Radiologia
                             Esp. RD, TC, RM e Neurorradiologia
     Comissão de Educação e Qualificação Profissional do CRTR/RJ
                                   Diretor Administrativo do CTI
Centro Internacional SARAH de Neurorreabilitação e Neurociências
 Pacientes e seus acompanhantes;
 Trabalhadores;
 Do próprio equipamento de RM.
COMPONENTES DO SISTEMA DE RM
MAGNETO                Produz campo magnético.
BOBINAS DE GRADIENTE   Altera o campo magnético.
RADIOFREQÜÊNCIA        Excita o tecido.
                       Recebem o sinal emitido pelo
COILS/BOBINAS          tecido   e   transmitem   ao
                       computador.
                       Recebem o sinal elétrico da bobina
COMPUTADORES
                       e convertem em sinal digital.
                       Permite a programação do exame e
CONSOLE
                       a visualização das imagens
CAMPO MAGNÉTICO PRINCIPAL
 Responsável pelo alinhamento dos núcleos de H.
 Este é um campo estático ou inalterável;
 Limite para potência do campo magnético estático
  já está a cima de 3T para aquisição de imagens
  clínicas;
 Campos mais elevados são permitidos para fins de
  pesquisa.
CAMPO MAGNÉTICO
Campo Magnético   Campo Magnético
    da Terra          da RM
                        3,0 Tesla




      0,6 Gaus        30.000 Gaus
FORÇA DE ATRAÇÃO!!!
O que é “SEGURANÇA”?

 Significado de Segurança:
 s.f. Ação ou efeito de segurar. / Situação do
 que está seguro; afastamento de todo
 perigo. / Certeza, confiança, firmeza.
O ato inseguro normalmente
 decorre de situações tais como:
 Excesso de confiança;
 Agir sem ter conhecimento específico do que está
  fazendo;
 Não valorizar medidas ou dispositivos de
  prevenção de acidentes;
 Exceder limites: máquinas ou do corpo humano;
 Impudência ou negligência;
 Improvisações.
ORIGEM DOS ACIDENTES
Massas ferromagnéticas;


Radiofreqüência;


Eletro-Indução.
MASSAS FERROMAGNÉTICAS
ATENÇÃO: OBJETOS PEQUENOS COMO GRAMPOS DE
PAPEL, MOEDAS E PRENDEDORES DE CABELOS PODEM
ATINGIR UMA VELOCIDADE TERMINAL DE 65 Km/h
QUANDO PUXADOS POR UM MAGNETO DE 1,5 T.




IMPORTANTE:    O   MAGNETO     “NUNCA”   DESLIGA,
PORTANTO, MESMO QUE O EQUIPAMENTO NÃO ESTEJA
SENDO USADO, ELE SEMPRE ESTARÁ “LIGADO”.
MASSAS FERROMAGNÉTICAS
 Implantes metálicos;
 Clip de aneurisma;
 Catéter;
 Clip cirúrgico;
 Implante coclear;
 Marca-passo;
 Prótese de material ferroso;
CONTRA INDICAÇÕES
 Stents intravasculares;
 Grampos vasculares extra cranianos;
 Válvulas cardíacas;
 Implantes penianos;
 Implante ocular;
 Corpos estranhos ferrosos intra-ocular;
 Projéteis de armas de fogo e estilhaços;
 Implantes e aparelhos ortopédicos;
 Neuroestimulador.
NEUROESTIMULADOR
CUIDADOS COM PACIENTES,
ACOMPANHANTES E PROFISSIONAIS.
RELATO DE ACIDENTE
   Atração de objeto
RELATO DE ACIDENTE
   Atração de objeto
RADIOFREQÜÊNCIA
 Estão relacionados ao excesso de RF depositada no
  paciente.
Agrava-se com:
 . Campos maiores: 3.0T;
 . TR curto;
 . Cobertores em excesso.
ELETRO-INDUÇÃO
 Almofadas    não condutoras: Servem para evitar
 queimaduras no paciente, causados por laços fechados
 formados por:

 Mãos entrelaçadas, mãos tocando no corpo, contato entre
 coxas, mamas do paciente tocando a parede do tórax etc.

Insira as almofadas não co.ndutoras entre as partes
 em contato
Aquecimento do ponto de contato
Aquecimento do ponto de contato
Risco de estimulação e
         queimaduras
Posicionar as extremidades com pelo menos
         5cm de distância entre elas
Relato de acidente na RM
     Queimadura de pele
GESTANTES!!!
        NÃO É RECOMENDÁVEL EXAME DE
          RM EM PACIETES GESTANTES
              COM ATÉ 12 SEMANAS
                 DE GESTAÇÃO.




Trata-se de uma medida preventiva, pois se sabe
que nesse período o feto ainda esta em
desenvolvimento.
EFEITOS BIOLÓGICOS DE CAMPOS
    MAGNÉTICOS ESTÁTICOS
 Efeitos biológicos gerais;
 Efeitos da temperatura;
 Indução elétrica e efeitos cardíacos;
 Efeitos neurológicos;
 Considerações sobre os Criogênios;
 Considerações Elétricas – sobre o Quench;
CRIOGÊNIOS
 Sistemas supercondutores de RM na prática utilizam
  Hélio líquido;
 He atinge estado gasoso (ebulição) aproximadamente
  -268,93°C;
 O He gasoso é mais leve que o ar;
 O vapor de He parece fumaça e é inteiramente inodoro
  e insípido, pode ser extremamente frio;
 Asfixia e queimaduras pelo frio são possíveis quando
  exposto por um período prolongado.
QUENCH
Quantidade considerável de hélio
gasoso pode ser liberada dentro da sala
de exames;
Difícil abertura da porta devido à
diferença de pressão.
ASFIXIA
INDUÇÃO ELÉTRICA E
           EFEITOS CARDÍACOS
 Biopotenciais o paciente não
  Uma vez que           induzidos
  podem
  esteja mais ser      observados
               exposto ao campo
  durante a exposição a campos
  magnético      estático,   estas
  magnéticos estáticos e são
  anormalidades de voltagem no
  causados pelo sangue – um
  ECG retornam ao normal.
  líquido condutor – ao fluir
  sob a ação de um campo
  magnético;
 Aumento da amplitude da
  onda T.
EFEITOS NEUROLÓGICOS
 Informação contraditória na literatura;
 A exposição aos campos magnéticos
  estáticos de até 2,0T não parecem
  influenciar      significantemente       as
  propriedades bioelétricas dos neurônios nos
  seres humanos.
REFORÇO: SEGURNÇA EM RM
 Manter a porta da sala de exame sempre fechada.
 Utilizar o intercomunicador e a pêra de chamada.
 Os pacientes e acompanhantes deverão trocar toda a
  roupa e tirar todos os objetos condutores de corrente,
  tais como: colares, brincos, piercings, etc (jóias,
  mesmo sendo de ouro 14k, podem aquecer);
 Nas mulheres, a maquiagem contém flocos de metal
  que podem causar irritação pele;
 Cremes hidrantes prejudicam a supressão de gordura;
 Maquiagem permanente e tatuagens podem causar
  inchaço ou queimaduras.
Pacientes que possuem complicações
          devem ser monitorados
     cuidadosamente durante o exame.
Risco para pacientes com capacidade termorreguladora
  reduzida:
 - Insuficiência cardíaca, hipertensão, diabetes, idade avançada,
  obesidade, febre, etc

Pacientes sem condições de alertar sobre o aquecimento de
  RF:
 - Sedados;
 - Que não possuem sensibilidade em qualquer parte do corpo
  (ex: lesados medulares, neuropatias periféricas, etc)
 -Pacientes     inconscientes/Redução        do      nível de
  consciência/demência (seqüela de TCE, demência vascular,
  etc).
CONCLUSÃO
     Os procedimentos adequados em RM,
são fundamentais para a segurança de
usuários e profissionais nesse procedimento.
Devemos ter toda a atenção, habilidades e
conhecimentos para se evitar acidentes, e
incidentes.
FABIANO LADISLAU
     @fladislau
     fladislau@gmail.com
     fladislau@gmail.com

      fabianorxtc@hotmail.com
      www.aproterj.com.br

“Não há saber ou saber menos: Há saberes diferentes”
                                              Paulo Freire

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de tomografia - Wendesor Oliveira
Aula de tomografia  - Wendesor Oliveira Aula de tomografia  - Wendesor Oliveira
Aula de tomografia - Wendesor Oliveira Wendesor Oliveira
 
Radioterapia - braquiterapia - teleterapia - introdução a radioterapia, colim...
Radioterapia - braquiterapia - teleterapia - introdução a radioterapia, colim...Radioterapia - braquiterapia - teleterapia - introdução a radioterapia, colim...
Radioterapia - braquiterapia - teleterapia - introdução a radioterapia, colim...Wendesor Oliveira
 
Aula de Imagenologia sobre Tomografia Computadorizada
Aula de Imagenologia sobre Tomografia ComputadorizadaAula de Imagenologia sobre Tomografia Computadorizada
Aula de Imagenologia sobre Tomografia ComputadorizadaJaqueline Almeida
 
Ressonancia Magnetica
Ressonancia MagneticaRessonancia Magnetica
Ressonancia MagneticaNilton Campos
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanogrtalves
 
Produção e equipamentos de raios x
Produção e equipamentos de raios    xProdução e equipamentos de raios    x
Produção e equipamentos de raios xHeraldo Silva
 
Aula de tomografia 2019
Aula de tomografia   2019Aula de tomografia   2019
Aula de tomografia 2019FLAVIO LOBATO
 
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕESAULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕESMagno Cavalheiro
 

Mais procurados (20)

Aula de tomografia - Wendesor Oliveira
Aula de tomografia  - Wendesor Oliveira Aula de tomografia  - Wendesor Oliveira
Aula de tomografia - Wendesor Oliveira
 
Radioterapia - braquiterapia - teleterapia - introdução a radioterapia, colim...
Radioterapia - braquiterapia - teleterapia - introdução a radioterapia, colim...Radioterapia - braquiterapia - teleterapia - introdução a radioterapia, colim...
Radioterapia - braquiterapia - teleterapia - introdução a radioterapia, colim...
 
Aula de Imagenologia sobre Tomografia Computadorizada
Aula de Imagenologia sobre Tomografia ComputadorizadaAula de Imagenologia sobre Tomografia Computadorizada
Aula de Imagenologia sobre Tomografia Computadorizada
 
Ressonancia Magnetica
Ressonancia MagneticaRessonancia Magnetica
Ressonancia Magnetica
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordano
 
Aula 05 proteção e higiene das radiações
Aula 05 proteção e higiene das radiaçõesAula 05 proteção e higiene das radiações
Aula 05 proteção e higiene das radiações
 
Aula 01 proteção radiológica
Aula 01  proteção radiológicaAula 01  proteção radiológica
Aula 01 proteção radiológica
 
LEGISLAÇÃO RADIOLÓGICA
LEGISLAÇÃO RADIOLÓGICALEGISLAÇÃO RADIOLÓGICA
LEGISLAÇÃO RADIOLÓGICA
 
HEMODINÂMICA - RADIOLOGIA
HEMODINÂMICA - RADIOLOGIAHEMODINÂMICA - RADIOLOGIA
HEMODINÂMICA - RADIOLOGIA
 
Meios de contraste
Meios de contrasteMeios de contraste
Meios de contraste
 
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: INTRODUÇÃO
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: INTRODUÇÃORESSONÂNCIA MAGNÉTICA: INTRODUÇÃO
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: INTRODUÇÃO
 
Tudo sobre Ressonância Magnética (RM)
Tudo sobre Ressonância Magnética (RM)Tudo sobre Ressonância Magnética (RM)
Tudo sobre Ressonância Magnética (RM)
 
Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizada
 
Aula 03 proteção radológica
Aula 03 proteção radológicaAula 03 proteção radológica
Aula 03 proteção radológica
 
Aula radioproteção
Aula radioproteçãoAula radioproteção
Aula radioproteção
 
SEQUÊNCIAS DE PULSO NA RM
SEQUÊNCIAS DE PULSO NA RMSEQUÊNCIAS DE PULSO NA RM
SEQUÊNCIAS DE PULSO NA RM
 
Produção e equipamentos de raios x
Produção e equipamentos de raios    xProdução e equipamentos de raios    x
Produção e equipamentos de raios x
 
Aula de tomografia 2019
Aula de tomografia   2019Aula de tomografia   2019
Aula de tomografia 2019
 
Biossegurança em RM
Biossegurança em RMBiossegurança em RM
Biossegurança em RM
 
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕESAULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
 

Destaque

Princípios básicos de física da RM
Princípios básicos de física da RMPrincípios básicos de física da RM
Princípios básicos de física da RMCatarina Borges
 
Ressonância do Abdome
Ressonância do AbdomeRessonância do Abdome
Ressonância do AbdomeUiliam Santos
 
Meios De Contraste Em Ressonância Magnética
Meios De Contraste Em Ressonância MagnéticaMeios De Contraste Em Ressonância Magnética
Meios De Contraste Em Ressonância MagnéticaAlex Eduardo Ribeiro
 
Artefatos Na Imagem Ressonância Magnética
Artefatos Na Imagem Ressonância MagnéticaArtefatos Na Imagem Ressonância Magnética
Artefatos Na Imagem Ressonância MagnéticaAlex Eduardo Ribeiro
 
Utilização do gadolínio em RM
Utilização do gadolínio em RM Utilização do gadolínio em RM
Utilização do gadolínio em RM Fabiano Ladislau
 
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015Fabiano Ladislau
 
Meios De Contraste Ressonancia MagnéTica
Meios De Contraste Ressonancia MagnéTicaMeios De Contraste Ressonancia MagnéTica
Meios De Contraste Ressonancia MagnéTicaAlex Eduardo Ribeiro
 

Destaque (20)

Contraindicações na RM
Contraindicações na RMContraindicações na RM
Contraindicações na RM
 
Segurança e equipamentos compatíveis
Segurança e equipamentos compatíveisSegurança e equipamentos compatíveis
Segurança e equipamentos compatíveis
 
Ressonância magnética
Ressonância magnéticaRessonância magnética
Ressonância magnética
 
Aula de rm prof. luis aguiar
Aula de rm   prof. luis aguiarAula de rm   prof. luis aguiar
Aula de rm prof. luis aguiar
 
Aula 2 sequencias de pulsos
Aula 2 sequencias de pulsosAula 2 sequencias de pulsos
Aula 2 sequencias de pulsos
 
Princípios básicos de física da RM
Princípios básicos de física da RMPrincípios básicos de física da RM
Princípios básicos de física da RM
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Protozoarios
 
PRINCÍPIO FÍSICO DA RM
PRINCÍPIO FÍSICO DA RMPRINCÍPIO FÍSICO DA RM
PRINCÍPIO FÍSICO DA RM
 
Ressonância do Abdome
Ressonância do AbdomeRessonância do Abdome
Ressonância do Abdome
 
Apresentaçao fe
Apresentaçao feApresentaçao fe
Apresentaçao fe
 
Avaliação do disco intervertebral por imagem radiográfica
Avaliação do disco intervertebral por imagem radiográficaAvaliação do disco intervertebral por imagem radiográfica
Avaliação do disco intervertebral por imagem radiográfica
 
Mabi
MabiMabi
Mabi
 
4. protozoa do TGI
4. protozoa do TGI4. protozoa do TGI
4. protozoa do TGI
 
Meios De Contraste Em Ressonância Magnética
Meios De Contraste Em Ressonância MagnéticaMeios De Contraste Em Ressonância Magnética
Meios De Contraste Em Ressonância Magnética
 
RM CRÂNIO
RM CRÂNIORM CRÂNIO
RM CRÂNIO
 
Artefatos Na Imagem Ressonância Magnética
Artefatos Na Imagem Ressonância MagnéticaArtefatos Na Imagem Ressonância Magnética
Artefatos Na Imagem Ressonância Magnética
 
Utilização do gadolínio em RM
Utilização do gadolínio em RM Utilização do gadolínio em RM
Utilização do gadolínio em RM
 
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
 
Meios De Contraste Ressonancia MagnéTica
Meios De Contraste Ressonancia MagnéTicaMeios De Contraste Ressonancia MagnéTica
Meios De Contraste Ressonancia MagnéTica
 

Semelhante a Segurança em RM: cuidados para evitar acidentes

Medicina nuclear e Radiologia Digital
Medicina nuclear e Radiologia DigitalMedicina nuclear e Radiologia Digital
Medicina nuclear e Radiologia DigitalNoara Thomaz
 
Proteção Radiologica palestra
Proteção Radiologica palestraProteção Radiologica palestra
Proteção Radiologica palestraRenata Cristina
 
Diatermia por Ondas Curtas e Microondas
Diatermia por Ondas Curtas e MicroondasDiatermia por Ondas Curtas e Microondas
Diatermia por Ondas Curtas e MicroondasFUAD HAZIME
 
HO aulas - NR – 15 - ANEXO N.º 5 RADIAÇÕES IONIZANTES.pptx
HO aulas - NR – 15 - ANEXO N.º 5 RADIAÇÕES IONIZANTES.pptxHO aulas - NR – 15 - ANEXO N.º 5 RADIAÇÕES IONIZANTES.pptx
HO aulas - NR – 15 - ANEXO N.º 5 RADIAÇÕES IONIZANTES.pptxEdnaldoVianaDosSanto1
 
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdfRessonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdfPatriciaFarias81
 
Evolução Radiologia
Evolução RadiologiaEvolução Radiologia
Evolução RadiologiaThyago Soares
 
Inteferencias em marca-passo
Inteferencias em marca-passoInteferencias em marca-passo
Inteferencias em marca-passoMário Barbosa
 
Segurança e medicina do trabalho aula3
Segurança e medicina do trabalho aula3Segurança e medicina do trabalho aula3
Segurança e medicina do trabalho aula3Augusto Junior
 
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaEquipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaHeraldo Silva
 
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3marioaraujorosas1
 
UFCD STC7 - Ressonancia Magnética [Guardado automaticamente] (1).pptx
UFCD STC7 - Ressonancia Magnética [Guardado automaticamente] (1).pptxUFCD STC7 - Ressonancia Magnética [Guardado automaticamente] (1).pptx
UFCD STC7 - Ressonancia Magnética [Guardado automaticamente] (1).pptxNome Sobrenome
 
Metastase Cerebral do SNC aplicado a NCR.pptx
Metastase Cerebral do SNC aplicado a NCR.pptxMetastase Cerebral do SNC aplicado a NCR.pptx
Metastase Cerebral do SNC aplicado a NCR.pptxCapela3
 
Bioeletricidade como alvo terapêutico - Danusa Menegaz, Ph.D
Bioeletricidade como alvo terapêutico - Danusa Menegaz, Ph.DBioeletricidade como alvo terapêutico - Danusa Menegaz, Ph.D
Bioeletricidade como alvo terapêutico - Danusa Menegaz, Ph.DDanusa Menegaz
 
Utilizacao do-gadolinio-em-rm-atual
Utilizacao do-gadolinio-em-rm-atualUtilizacao do-gadolinio-em-rm-atual
Utilizacao do-gadolinio-em-rm-atualrafael severin
 
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia  Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia Urovideo.org
 
2 identificação e interpretação dos riscos ocupacionais 2
2    identificação e interpretação dos riscos ocupacionais   22    identificação e interpretação dos riscos ocupacionais   2
2 identificação e interpretação dos riscos ocupacionais 2Zacarias Junior
 
2 identificação e interpretação dos riscos ocupacionais - 2
2    identificação e interpretação dos riscos ocupacionais - 22    identificação e interpretação dos riscos ocupacionais - 2
2 identificação e interpretação dos riscos ocupacionais - 2Zacarias Junior
 

Semelhante a Segurança em RM: cuidados para evitar acidentes (20)

Aula Sipatma 2015.pptx
Aula Sipatma 2015.pptxAula Sipatma 2015.pptx
Aula Sipatma 2015.pptx
 
Medicina nuclear e Radiologia Digital
Medicina nuclear e Radiologia DigitalMedicina nuclear e Radiologia Digital
Medicina nuclear e Radiologia Digital
 
Proteção Radiologica palestra
Proteção Radiologica palestraProteção Radiologica palestra
Proteção Radiologica palestra
 
Diatermia por Ondas Curtas e Microondas
Diatermia por Ondas Curtas e MicroondasDiatermia por Ondas Curtas e Microondas
Diatermia por Ondas Curtas e Microondas
 
Radiacao astete
Radiacao asteteRadiacao astete
Radiacao astete
 
HO aulas - NR – 15 - ANEXO N.º 5 RADIAÇÕES IONIZANTES.pptx
HO aulas - NR – 15 - ANEXO N.º 5 RADIAÇÕES IONIZANTES.pptxHO aulas - NR – 15 - ANEXO N.º 5 RADIAÇÕES IONIZANTES.pptx
HO aulas - NR – 15 - ANEXO N.º 5 RADIAÇÕES IONIZANTES.pptx
 
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdfRessonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdf
 
Evolução Radiologia
Evolução RadiologiaEvolução Radiologia
Evolução Radiologia
 
Inteferencias em marca-passo
Inteferencias em marca-passoInteferencias em marca-passo
Inteferencias em marca-passo
 
Segurança e medicina do trabalho aula3
Segurança e medicina do trabalho aula3Segurança e medicina do trabalho aula3
Segurança e medicina do trabalho aula3
 
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaEquipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
 
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3
 
UFCD STC7 - Ressonancia Magnética [Guardado automaticamente] (1).pptx
UFCD STC7 - Ressonancia Magnética [Guardado automaticamente] (1).pptxUFCD STC7 - Ressonancia Magnética [Guardado automaticamente] (1).pptx
UFCD STC7 - Ressonancia Magnética [Guardado automaticamente] (1).pptx
 
Metastase Cerebral do SNC aplicado a NCR.pptx
Metastase Cerebral do SNC aplicado a NCR.pptxMetastase Cerebral do SNC aplicado a NCR.pptx
Metastase Cerebral do SNC aplicado a NCR.pptx
 
palestra cem.ppt
palestra cem.pptpalestra cem.ppt
palestra cem.ppt
 
Bioeletricidade como alvo terapêutico - Danusa Menegaz, Ph.D
Bioeletricidade como alvo terapêutico - Danusa Menegaz, Ph.DBioeletricidade como alvo terapêutico - Danusa Menegaz, Ph.D
Bioeletricidade como alvo terapêutico - Danusa Menegaz, Ph.D
 
Utilizacao do-gadolinio-em-rm-atual
Utilizacao do-gadolinio-em-rm-atualUtilizacao do-gadolinio-em-rm-atual
Utilizacao do-gadolinio-em-rm-atual
 
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia  Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
 
2 identificação e interpretação dos riscos ocupacionais 2
2    identificação e interpretação dos riscos ocupacionais   22    identificação e interpretação dos riscos ocupacionais   2
2 identificação e interpretação dos riscos ocupacionais 2
 
2 identificação e interpretação dos riscos ocupacionais - 2
2    identificação e interpretação dos riscos ocupacionais - 22    identificação e interpretação dos riscos ocupacionais - 2
2 identificação e interpretação dos riscos ocupacionais - 2
 

Mais de Fabiano Ladislau

Estudo Multiparamétrico da Hiperplasia e Câncer de Próstata - CONGRESSO NACIO...
Estudo Multiparamétrico da Hiperplasia e Câncer de Próstata - CONGRESSO NACIO...Estudo Multiparamétrico da Hiperplasia e Câncer de Próstata - CONGRESSO NACIO...
Estudo Multiparamétrico da Hiperplasia e Câncer de Próstata - CONGRESSO NACIO...Fabiano Ladislau
 
GADOLÍNIO EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: Definição, Aplicabilidade e Reações.
GADOLÍNIO EM  RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:  Definição, Aplicabilidade e Reações.GADOLÍNIO EM  RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:  Definição, Aplicabilidade e Reações.
GADOLÍNIO EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: Definição, Aplicabilidade e Reações.Fabiano Ladislau
 
Fatores Técnicos no Estudo da Endometriose por RM
Fatores Técnicos no Estudo da Endometriose por RMFatores Técnicos no Estudo da Endometriose por RM
Fatores Técnicos no Estudo da Endometriose por RMFabiano Ladislau
 
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015Fabiano Ladislau
 
Direitos e Deveres do Estagiário
Direitos e Deveres do Estagiário Direitos e Deveres do Estagiário
Direitos e Deveres do Estagiário Fabiano Ladislau
 
Palestra de Efeitos Biológicos das Radiações Ionizantes
Palestra de Efeitos Biológicos das Radiações Ionizantes Palestra de Efeitos Biológicos das Radiações Ionizantes
Palestra de Efeitos Biológicos das Radiações Ionizantes Fabiano Ladislau
 
Renderização de volume aplicado a angiotomografia (atual)
Renderização de volume aplicado a angiotomografia (atual)Renderização de volume aplicado a angiotomografia (atual)
Renderização de volume aplicado a angiotomografia (atual)Fabiano Ladislau
 
Revista do CRTR/RJ de agosto de 2013.
Revista do CRTR/RJ de agosto de 2013.Revista do CRTR/RJ de agosto de 2013.
Revista do CRTR/RJ de agosto de 2013.Fabiano Ladislau
 
Estudo radiológico do trauma no SNC
Estudo radiológico do trauma no SNCEstudo radiológico do trauma no SNC
Estudo radiológico do trauma no SNCFabiano Ladislau
 
Palestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no AtendimentoPalestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no AtendimentoFabiano Ladislau
 
Técnicas Avançadas em Neuro RM
Técnicas Avançadas em Neuro RMTécnicas Avançadas em Neuro RM
Técnicas Avançadas em Neuro RMFabiano Ladislau
 

Mais de Fabiano Ladislau (14)

Estudo Multiparamétrico da Hiperplasia e Câncer de Próstata - CONGRESSO NACIO...
Estudo Multiparamétrico da Hiperplasia e Câncer de Próstata - CONGRESSO NACIO...Estudo Multiparamétrico da Hiperplasia e Câncer de Próstata - CONGRESSO NACIO...
Estudo Multiparamétrico da Hiperplasia e Câncer de Próstata - CONGRESSO NACIO...
 
GADOLÍNIO EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: Definição, Aplicabilidade e Reações.
GADOLÍNIO EM  RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:  Definição, Aplicabilidade e Reações.GADOLÍNIO EM  RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:  Definição, Aplicabilidade e Reações.
GADOLÍNIO EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: Definição, Aplicabilidade e Reações.
 
RM no Estudo do AVC
RM no Estudo do AVC  RM no Estudo do AVC
RM no Estudo do AVC
 
RM da Coluna Vertebral
RM da Coluna VertebralRM da Coluna Vertebral
RM da Coluna Vertebral
 
Fatores Técnicos no Estudo da Endometriose por RM
Fatores Técnicos no Estudo da Endometriose por RMFatores Técnicos no Estudo da Endometriose por RM
Fatores Técnicos no Estudo da Endometriose por RM
 
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
 
Direitos e Deveres do Estagiário
Direitos e Deveres do Estagiário Direitos e Deveres do Estagiário
Direitos e Deveres do Estagiário
 
RM no Estudo do AVC
RM no Estudo do AVCRM no Estudo do AVC
RM no Estudo do AVC
 
Palestra de Efeitos Biológicos das Radiações Ionizantes
Palestra de Efeitos Biológicos das Radiações Ionizantes Palestra de Efeitos Biológicos das Radiações Ionizantes
Palestra de Efeitos Biológicos das Radiações Ionizantes
 
Renderização de volume aplicado a angiotomografia (atual)
Renderização de volume aplicado a angiotomografia (atual)Renderização de volume aplicado a angiotomografia (atual)
Renderização de volume aplicado a angiotomografia (atual)
 
Revista do CRTR/RJ de agosto de 2013.
Revista do CRTR/RJ de agosto de 2013.Revista do CRTR/RJ de agosto de 2013.
Revista do CRTR/RJ de agosto de 2013.
 
Estudo radiológico do trauma no SNC
Estudo radiológico do trauma no SNCEstudo radiológico do trauma no SNC
Estudo radiológico do trauma no SNC
 
Palestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no AtendimentoPalestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no Atendimento
 
Técnicas Avançadas em Neuro RM
Técnicas Avançadas em Neuro RMTécnicas Avançadas em Neuro RM
Técnicas Avançadas em Neuro RM
 

Segurança em RM: cuidados para evitar acidentes

  • 1. FABIANO LADISLAU Técnico em Radiologia Grad. Tecnólogo em Radiologia Esp. RD, TC, RM e Neurorradiologia Comissão de Educação e Qualificação Profissional do CRTR/RJ Diretor Administrativo do CTI Centro Internacional SARAH de Neurorreabilitação e Neurociências
  • 2.  Pacientes e seus acompanhantes;  Trabalhadores;  Do próprio equipamento de RM.
  • 3. COMPONENTES DO SISTEMA DE RM MAGNETO Produz campo magnético. BOBINAS DE GRADIENTE Altera o campo magnético. RADIOFREQÜÊNCIA Excita o tecido. Recebem o sinal emitido pelo COILS/BOBINAS tecido e transmitem ao computador. Recebem o sinal elétrico da bobina COMPUTADORES e convertem em sinal digital. Permite a programação do exame e CONSOLE a visualização das imagens
  • 4. CAMPO MAGNÉTICO PRINCIPAL  Responsável pelo alinhamento dos núcleos de H.  Este é um campo estático ou inalterável;  Limite para potência do campo magnético estático já está a cima de 3T para aquisição de imagens clínicas;  Campos mais elevados são permitidos para fins de pesquisa.
  • 5.
  • 6. CAMPO MAGNÉTICO Campo Magnético Campo Magnético da Terra da RM 3,0 Tesla 0,6 Gaus 30.000 Gaus
  • 7.
  • 9. O que é “SEGURANÇA”?  Significado de Segurança: s.f. Ação ou efeito de segurar. / Situação do que está seguro; afastamento de todo perigo. / Certeza, confiança, firmeza.
  • 10.
  • 11. O ato inseguro normalmente decorre de situações tais como:  Excesso de confiança;  Agir sem ter conhecimento específico do que está fazendo;  Não valorizar medidas ou dispositivos de prevenção de acidentes;  Exceder limites: máquinas ou do corpo humano;  Impudência ou negligência;  Improvisações.
  • 12. ORIGEM DOS ACIDENTES Massas ferromagnéticas; Radiofreqüência; Eletro-Indução.
  • 13. MASSAS FERROMAGNÉTICAS ATENÇÃO: OBJETOS PEQUENOS COMO GRAMPOS DE PAPEL, MOEDAS E PRENDEDORES DE CABELOS PODEM ATINGIR UMA VELOCIDADE TERMINAL DE 65 Km/h QUANDO PUXADOS POR UM MAGNETO DE 1,5 T. IMPORTANTE: O MAGNETO “NUNCA” DESLIGA, PORTANTO, MESMO QUE O EQUIPAMENTO NÃO ESTEJA SENDO USADO, ELE SEMPRE ESTARÁ “LIGADO”.
  • 14. MASSAS FERROMAGNÉTICAS  Implantes metálicos;  Clip de aneurisma;  Catéter;  Clip cirúrgico;  Implante coclear;  Marca-passo;  Prótese de material ferroso;
  • 15. CONTRA INDICAÇÕES  Stents intravasculares;  Grampos vasculares extra cranianos;  Válvulas cardíacas;  Implantes penianos;  Implante ocular;  Corpos estranhos ferrosos intra-ocular;  Projéteis de armas de fogo e estilhaços;  Implantes e aparelhos ortopédicos;  Neuroestimulador.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 24. RELATO DE ACIDENTE Atração de objeto
  • 25. RELATO DE ACIDENTE Atração de objeto
  • 26.
  • 27. RADIOFREQÜÊNCIA  Estão relacionados ao excesso de RF depositada no paciente. Agrava-se com: . Campos maiores: 3.0T; . TR curto; . Cobertores em excesso.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31. ELETRO-INDUÇÃO  Almofadas não condutoras: Servem para evitar queimaduras no paciente, causados por laços fechados formados por:  Mãos entrelaçadas, mãos tocando no corpo, contato entre coxas, mamas do paciente tocando a parede do tórax etc. Insira as almofadas não co.ndutoras entre as partes em contato
  • 32. Aquecimento do ponto de contato
  • 33. Aquecimento do ponto de contato
  • 34. Risco de estimulação e queimaduras Posicionar as extremidades com pelo menos 5cm de distância entre elas
  • 35. Relato de acidente na RM Queimadura de pele
  • 36. GESTANTES!!! NÃO É RECOMENDÁVEL EXAME DE RM EM PACIETES GESTANTES COM ATÉ 12 SEMANAS DE GESTAÇÃO. Trata-se de uma medida preventiva, pois se sabe que nesse período o feto ainda esta em desenvolvimento.
  • 37.
  • 38.
  • 39. EFEITOS BIOLÓGICOS DE CAMPOS MAGNÉTICOS ESTÁTICOS  Efeitos biológicos gerais;  Efeitos da temperatura;  Indução elétrica e efeitos cardíacos;  Efeitos neurológicos;  Considerações sobre os Criogênios;  Considerações Elétricas – sobre o Quench;
  • 40. CRIOGÊNIOS  Sistemas supercondutores de RM na prática utilizam Hélio líquido;  He atinge estado gasoso (ebulição) aproximadamente -268,93°C;  O He gasoso é mais leve que o ar;  O vapor de He parece fumaça e é inteiramente inodoro e insípido, pode ser extremamente frio;  Asfixia e queimaduras pelo frio são possíveis quando exposto por um período prolongado.
  • 41. QUENCH Quantidade considerável de hélio gasoso pode ser liberada dentro da sala de exames; Difícil abertura da porta devido à diferença de pressão. ASFIXIA
  • 42.
  • 43. INDUÇÃO ELÉTRICA E EFEITOS CARDÍACOS  Biopotenciais o paciente não Uma vez que induzidos podem esteja mais ser observados exposto ao campo durante a exposição a campos magnético estático, estas magnéticos estáticos e são anormalidades de voltagem no causados pelo sangue – um ECG retornam ao normal. líquido condutor – ao fluir sob a ação de um campo magnético;  Aumento da amplitude da onda T.
  • 44. EFEITOS NEUROLÓGICOS  Informação contraditória na literatura;  A exposição aos campos magnéticos estáticos de até 2,0T não parecem influenciar significantemente as propriedades bioelétricas dos neurônios nos seres humanos.
  • 45. REFORÇO: SEGURNÇA EM RM  Manter a porta da sala de exame sempre fechada.  Utilizar o intercomunicador e a pêra de chamada.  Os pacientes e acompanhantes deverão trocar toda a roupa e tirar todos os objetos condutores de corrente, tais como: colares, brincos, piercings, etc (jóias, mesmo sendo de ouro 14k, podem aquecer);  Nas mulheres, a maquiagem contém flocos de metal que podem causar irritação pele;  Cremes hidrantes prejudicam a supressão de gordura;  Maquiagem permanente e tatuagens podem causar inchaço ou queimaduras.
  • 46. Pacientes que possuem complicações devem ser monitorados cuidadosamente durante o exame. Risco para pacientes com capacidade termorreguladora reduzida: - Insuficiência cardíaca, hipertensão, diabetes, idade avançada, obesidade, febre, etc Pacientes sem condições de alertar sobre o aquecimento de RF: - Sedados; - Que não possuem sensibilidade em qualquer parte do corpo (ex: lesados medulares, neuropatias periféricas, etc) -Pacientes inconscientes/Redução do nível de consciência/demência (seqüela de TCE, demência vascular, etc).
  • 47. CONCLUSÃO Os procedimentos adequados em RM, são fundamentais para a segurança de usuários e profissionais nesse procedimento. Devemos ter toda a atenção, habilidades e conhecimentos para se evitar acidentes, e incidentes.
  • 48. FABIANO LADISLAU @fladislau fladislau@gmail.com fladislau@gmail.com fabianorxtc@hotmail.com www.aproterj.com.br “Não há saber ou saber menos: Há saberes diferentes” Paulo Freire