SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
***********************************************************************************************
SALTOS DE DESENVOLVIMENTO
e PICOS DE CRESCIMENTO
Na comédia romântica “Como se Fosse a Primeira Vez”
(2004) Henry Roth (Adam Sandler) vive um paquerador
incorrigível cuja maior especialidade é conquistar
turistas que visitam o Havaí e sumir da vida delas
quando as férias chegam ao fim. Sua vida muda quando
ele conhece a bela Lucy (Drew Barrymore) num
restaurante local e se vê diante de uma missão bem
maior que simplesmente seduzir e abandonar: primeiro,
porque ela não é turista; e segundo, porque Henry viu
algo mais nela.
O primeiro xaveco é um sucesso, mas no dia seguinte ela
age como se os dois nunca tivessem se encontrado. Não
demora muito para Henry descobrir que Lucy sofreu um
grave acidente que tirou sua memória de curta duração.
Todos os acontecimentos do dia são apagados quando
Lucy vai dormir, e na manhã seguinte ela acorda
achando que está no dia da tragédia. Apaixonado, Henry
sabe que terá de conquistá-la todo dia Como Se Fosse a
Primeira Vez.
A analogia do filme é útil para compreender os Saltos de
Desenvolvimento e Picos de Crescimento do bebê. No
dia-a-dia de Henry (Sandler) as coisas acontecem com
certa previsibilidade: ele fecha os olhos à noite e na
manhã seguinte o mundo é exatamente o mesmo. As
mesmas cores e sons; o toque do vento; a sensação
identificada como ‘fome’; a rotina do trabalho e diversão.
Para Lucy (Barrymore), porém, as coisas não são bem
assim. Sua rotina 'tranquila’ se deve aos esforços
cuidados de seu pai (Blake Clark) e irmão (Sean Astin)
para tornar a vida dela seja a mais 'normal' possível.
Quando Henry tenta quebrar o esquema arquitetado
pelo pai e irmão de Lucy ela simplesmente entra em
pânico!
Os bebês passam aproximadamente 40 semanas
vivendo num ambiente aquático, escuro, apertado e
com poucos estímulos sonoros. Subitamente este
mundo deixa de existir e o bebê precisa se adaptar a um
ambiente seco, espaçoso, repleto de sons e estímulos
táteis. Seu mundo que era todo-noite agora alterna
períodos de luminosidade e escuridão. Ao nascimento
os bebês já podem ver, ouvir, cheirar, saborear e sentir
uma variedade de coisas, e eles são capazes de se
lembrar dessas sensações. No entanto, a percepção de
um bebê recém-nascido dessas sensações é muito
diferente da forma como ele vai experimentá-las
quando ficar mais velho.
Ao nascimento, por exemplo, ele vê o mundo com pouca
nitidez e contraste. Aos 8 meses ele abre os olhos pela
manhã e enxerga tudo com perfeição. Isto é maravilhoso
e ao mesmo tempo amedrontador! Vai levar algum
tempo até ele aprender a 'utilizar' esta nova habilidade.
Saltos de desenvolvimento, portanto, são aquisições de
habilidades funcionais específicas que ocorrem em
determinados períodos. O ritmo de desenvolvimento
não é constante e linear: há períodos de
desenvolvimento acelerado e outros onde ocorre uma
desaceleração.
No período que imediatamente antecede o chamado
Salto de Desenvolvimento, o bebê parece meio
perdido no mundo, pois seus sistemas perceptivo e
cognitivo mudaram, houve uma maturidade
neurológica, mas não tempo hábil para adaptação às
mudanças. O mundo lhe parece estranho, e o resultado
da ansiedade gerada é geralmente desejar voltar para
sua base, ao que lhe é conhecido, ou seja, a mamãe! Em
vista disso, é comum ficarem mais carentes, precisando
de mais colo, e com frequência há também alterações
em seu apetite e sono.
A duração de cada salto é variável, mas geralmente
depois de algumas semanas a fase difícil passa e tudo
volta à normalidade. Essas aquisições ocorrem em
vários aspectos: desenvolvimento motor (aprender a
usar grupos de músculos para sentar, andar, correr, ter
equilíbrio corporal, mudar de posições e outros),
desenvolvimento do controle motor fino (usar as
mãos para comer, desenhar, se vestir, tocar um
instrumento, escrever, e tantas outras coisas),
linguagem (desenvolvimento da fala, uso de linguagem
corporal e gestos, comunicação e entendimento do que
outros dizem), desenvolvimento cognitivo [nos dois
primeiros anos de acordo com Piaget ocorre o
desenvolvimento sensório-motor, que inclui
habilidades de pensamento como aprendizado,
entendimentos, resolução de problemas, raciocínio e
memória] e desenvolvimento social (interagir e se
***********************************************************************************************
relacionar com familiares, amigos e professores,
mostrar cooperação e empatia).
Nos primeiros 20 meses é possível identificar
didaticamente 10 Saltos de Desenvolvimento. Esses
períodos de adaptação são geralmente precedidos pelo
CAI: Choro, Apego e Irritabilidade.
Os Picos de Crescimento são fenômenos que se
referem ao crescimento físico do bebê, e não ao seu
desenvolvimento neurológico. Nestes períodos os bebês
aumentam a frequência de mamadas pois precisam de
mais alimento para crescer nesse ritmo agora mais
acelerado. O bebê que dormia longos períodos à noite
pode começar a acordar mais e solicitar mais mamadas.
Nesses períodos a mãe pode interpretar incorretamente
a maior demanda de mamadas do bebê - ela pode achar
que seu leite não está sendo suficiente, ou que está
‘fraco’ e pensar que a solução para a situação é oferecer
complemento de leite artificial.
Saltos de desenvolvimento e Picos de Crescimento
são eventos diferentes e sua cronologia não se sobrepõe
perfeitamente, embora possam ocorrer
concomitantemente.
Picos de crescimento causam reflexos na alimentação
(o bebê quer comer mais, inclusive a noite!) enquanto os
Saltos se relacionam com desenvolvimento (o bebê pode
querer comer e dormir menos).
A seguir você verá um gráfico com as 84 primeiras
semanas do bebê e as marcações de quando esperar
(tanto os Saltos de Desenvolvimento quanto os Picos de
Crescimento). Uma descrição detalhada segue o gráfico.
As 10 Fases mais Difíceis do seu Bebê
***********************************************************************************************
- 5 semanas (1 mês): a visão do bebê melhora, ele
consegue ver padrões em branco e preto, passa a se
interessar mais pelo ambiente que o rodeia e consegue
seguir objetos brevemente com os olhos. Passa ficar
acordado por períodos um pouco maiores (cerca de 1
hora ou pouco mais entre as sonecas). É também nessa
época que bebê começa a chorar com lágrimas e sorrir
pela primeira vez ou com mais frequência do que antes.
- 8 semanas (quase 2 meses): diferenças nos sons,
cheiros e sabores ficam mais perceptíveis. Ele percebe
que as mãos e os pés pertencem ao corpo e começa a
tentar controlar estes membros. O bebê começa
também a experimentar com sua voz. É também nessa
fase que o bebê começa a mostrar um pouco de sua
personalidade: é agora que os pais começam a reparar
quais coisas, cores e sons o bebê gosta mais. Depois
desse salto o bebê vai poder virar a cabeça na direção
de algo interessante e emitir sons conscientemente.
Todas essas novas experiências trazem insegurança ao
bebê que provavelmente procura mais o conforto do
peito da mãe. Isso pode deixar a mãe preocupada se
produz leite materno suficiente, o que não procede, já
que a produção se ajusta à demanda (ver abaixo
também sobre picos de crescimento).
- 12 semanas (quase 3 meses): o bebê descobre mais
nuances da vida: nessa idade o bebê já pode enxergar
todo um cômodo da casa, vira-se quando ouve sons
altos, e consegue juntar suas mãos. Vai observar e
mexer no rosto e cabelo dos pais e vai perceber que
pode gritar. Depois do salto o bebê praticamente não vai
mais precisar de apoio para manter a cabeça erguida.
Como nos outros saltos, os pais são o porto seguro do
mundo do bebê e ele se apoia nisso. Ele pode começar
a reagir de maneira diferente fora de casa ou no colo de
um estranho. Ao mesmo tempo que o bebê tem uma
grande curiosidade em reparar no mundo que o rodeia,
ele também é muito sensível às novidades e por isso se
sente mais confortável e seguro nos braços dos pais.
***********************************************************************************************
- 19 semanas (4 meses e meio): por volta da 14ª. até a
17ª. semanas o bebê pode parecer mais ‘impaciente’.
Esse é um dos saltos mais longos: dura cerca de 4
semanas, podendo porém se estender por até 6
semanas. O bebê chora mais, apresenta mudanças
extremas de temperamento e quer mais atenção e colo.
Consegue alcançar e pegar um brinquedo, sacudi-lo e
colocá-lo na boca, passá-lo de uma mão para outra.
Pode ganhar o primeiro dente. Os sons que o bebê
emite se tornam mais nítidos e complexos, consegue
fazer alguns sons como ‘baba’, ‘dada’. Tudo cheira, soa e
tem gosto diferente agora. Dorme menos. Estranha as
pessoas e busca maior contato corporal quando está
sendo amamentado. Depois desse salto o bebê vai
poder virar de costas e de barriga para baixo, e vice-
versa, se arrastar pra frente ou pra trás, olhar
atentamente para imagens num livro; reagir ao ver seu
reflexo no espelho e reconhecer seu próprio nome.
Esse é um dos saltos de desenvolvimento mais
significativos e em que um maior número de mães
costuma relatar alterações no sono. Provavelmente
porque o padrão de sono parecia entrar num ritmo
desde que o bebê nasceu, e essa alteração é vista como
uma ‘regressão’, na qual o bebê tende a acordar
bastante por algumas semanas enquanto está
trabalhando no salto. E uma vez que esse salto está
completo há somente 1 ou 2 semanas antes de começar
a trabalhar no próximo (das 26 semanas), é um longo
período de sono ruim e bebê irritado nesse estágio da
vida.
- 26 semanas (6 meses): Já na 23ª semana o bebê
parece se tornar mais ‘difícil’. Ele busca maior contato
corporal durante as brincadeiras. O bebê já consegue
coordenar os movimentos dos braços e pernas com o
resto do corpo. Senta sem apoio e põe objetos na boca.
Nessa idade ele começa a entender que as coisas podem
ficar dentro, fora, em cima, embaixo, atrás, na frente, e
usa isso em suas brincadeiras. Ele passa a entender que
quando a mamãe anda, ela vai se afastar e isso o
assusta, então reclama quando a mãe sai de perto.
Depois desse salto o bebê vai ficar interessado em
explorar a casa, armários, gavetas, achar etiquetas,
levantar tapetes para olhar o que tem embaixo. Ele se
vira para prestar atenção nas vozes, consegue imitar
alguns sons, rola bem em ambas direções e começa a se
apoiar em algo para ficar de pé. Adquire maturidade
para receber alimentos sólidos. Essa fase pode durar
cerca de 4-5 semanas.
- 30 semanas (7 meses): o bebê tenta se jogar adiante
para alcançar objetos, bate um objeto em outro. Pode
começar a engatinhar, a falar algumas sílabas e entende
melhor o conceito de permanência das coisas. Pode
fazer sinal de tchau. Sente ansiedade com estranhos.
- 37 semanas (8 meses e meio): o bebê fica
‘temperamental’, tem mudanças frequentes em seu
humor, de alegre para agressivo e vice-versa, ou de
exageradamente amoroso para ataques de raiva em
questão de momentos. Chora com mais frequência.
Quer ter mais atividades e protesta se não as tem! Não
quer que troquem sua fralda, chupa seus dedos.
Protesta quando o contato corporal é interrompido.
Dorme menos, tem menos apetite, movimenta-se
menos e “fala” menos. Às vezes senta-se quieto e sonha
acordado. O bebê agora começa a explorar as coisas de
uma forma mais metódica. Passa a entender que as
coisas podem ser classificadas, por exemplo, sabe o que
é comida e o que é animal, seja ao vivo ou em um livro.
Fala "mamá" e "papá" sem distinção de quem é a mãe
ou o pai. Engatinha, aponta objetos, procura objetos
escondidos, usa o polegar e dedo indicador para segurar
objetos.
- 46 semanas (quase 11 meses): o bebê percebe que
existe uma ordem nas coisas e atitudes, por exemplo,
que se colocam sapatos nos pés e brinquedos nos
armários. Ganha então uma consciência de suas
próprias atitudes. Ao invés de separar objetos, passa a
juntá-los. Depois desse salto o bebê vai poder apontar
para algo ou pessoa a pedido seu, vai querer ‘falar’ no
telefone e enfiar chaves nos buracos de chave, procurar
algo que você escondeu, tentar tirar a própria roupa.
Fala "mamá" e "papá" para a mãe ou pai corretamente.
Levanta-se por alguns segundos, movimenta-se mais,
entende o "não" e instruções simples.
- 55 semanas (quase 13 meses): geralmente a fase em
que o bebê começa a andar - um salto no
desenvolvimento bem significativo. Fala mais palavras
do que "mama" e "papa". Rabisca com giz.
- 64 semanas (quase 15 meses): o bebê combina
palavras e gestos para expressar o que precisa, come
com as mãos, esvazia recipientes, coloca tampas nos
recipientes apropriados, imita as pessoas, explora tudo
que estiver à sua frente, inicia jogos, aponta partes do
corpo quando perguntado, responde a algumas
instruções (por exemplo, “me dá um beijo”), usa colher e
garfo, empurra e puxa brinquedos enquanto anda, joga
bola, anda de marcha a ré.
- 75 semanas (17 meses): o bebê usa cerca de 6
palavras regularmente, gosta de jogos de imitação, gosta
de esconder brinquedos, alimenta uma boneca, joga
bola, dança, separa brinquedos por cor, formato e
tamanho. Olha livros sozinho e rabisca bem.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Brincadeiras para o natal e confraternizações
Brincadeiras para o natal  e confraternizaçõesBrincadeiras para o natal  e confraternizações
Brincadeiras para o natal e confraternizações
SimoneHelenDrumond
 
Exercícios de pronome relativo e articulação
Exercícios de pronome relativo e articulaçãoExercícios de pronome relativo e articulação
Exercícios de pronome relativo e articulação
ma.no.el.ne.ves
 
Planilha simplificada de orçamento modelo
Planilha simplificada de orçamento modeloPlanilha simplificada de orçamento modelo
Planilha simplificada de orçamento modelo
maraisa pagliarini lima
 

Mais procurados (20)

Roteiro âncoras do jornal
Roteiro   âncoras do jornalRoteiro   âncoras do jornal
Roteiro âncoras do jornal
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
 
Publons: uma plataforma de visibilidade para revisão por pares no âmbito da c...
Publons: uma plataforma de visibilidade para revisão por pares no âmbito da c...Publons: uma plataforma de visibilidade para revisão por pares no âmbito da c...
Publons: uma plataforma de visibilidade para revisão por pares no âmbito da c...
 
Interpretaçao de charges
Interpretaçao de chargesInterpretaçao de charges
Interpretaçao de charges
 
2º atividade avaliativa lpfp - 2º sem -linguagem verbal e não verbal
2º atividade avaliativa   lpfp - 2º sem -linguagem verbal e não verbal2º atividade avaliativa   lpfp - 2º sem -linguagem verbal e não verbal
2º atividade avaliativa lpfp - 2º sem -linguagem verbal e não verbal
 
Musical: Nascimento de Jesus (Déia)
Musical: Nascimento de Jesus (Déia)Musical: Nascimento de Jesus (Déia)
Musical: Nascimento de Jesus (Déia)
 
Atividade com o Filme Capitães da areia
Atividade com o Filme Capitães da areiaAtividade com o Filme Capitães da areia
Atividade com o Filme Capitães da areia
 
Um apólogo avaliação 6º ano texto narrativo e verbos
Um apólogo avaliação 6º ano texto narrativo e verbosUm apólogo avaliação 6º ano texto narrativo e verbos
Um apólogo avaliação 6º ano texto narrativo e verbos
 
39 Perguntas Biblicas com referencias PDF
39 Perguntas Biblicas com referencias PDF39 Perguntas Biblicas com referencias PDF
39 Perguntas Biblicas com referencias PDF
 
Atividades substantivos
Atividades substantivosAtividades substantivos
Atividades substantivos
 
Pronomes pessoais
Pronomes pessoaisPronomes pessoais
Pronomes pessoais
 
SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 7° ANO - doc
SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 7° ANO - docSIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 7° ANO - doc
SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 7° ANO - doc
 
Exercícios concordância verbal
Exercícios concordância verbalExercícios concordância verbal
Exercícios concordância verbal
 
Peça de Natal, Texto para Teatro de Natal
Peça de Natal, Texto para Teatro de NatalPeça de Natal, Texto para Teatro de Natal
Peça de Natal, Texto para Teatro de Natal
 
Apostila 2 ano gramatica termos da oração
Apostila 2 ano gramatica termos da oraçãoApostila 2 ano gramatica termos da oração
Apostila 2 ano gramatica termos da oração
 
Ficha de leitura do livro Ladrão de Raios
Ficha de leitura do livro Ladrão de Raios Ficha de leitura do livro Ladrão de Raios
Ficha de leitura do livro Ladrão de Raios
 
Brincadeiras para o natal e confraternizações
Brincadeiras para o natal  e confraternizaçõesBrincadeiras para o natal  e confraternizações
Brincadeiras para o natal e confraternizações
 
Exercícios de pronome relativo e articulação
Exercícios de pronome relativo e articulaçãoExercícios de pronome relativo e articulação
Exercícios de pronome relativo e articulação
 
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
 
Planilha simplificada de orçamento modelo
Planilha simplificada de orçamento modeloPlanilha simplificada de orçamento modelo
Planilha simplificada de orçamento modelo
 

Semelhante a Saltos de desenvolvimento

Desenvolvimento psico motor
Desenvolvimento psico motorDesenvolvimento psico motor
Desenvolvimento psico motor
becresforte
 
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criançaAcompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
EDSON ALAN QUEIROZ
 
sono-bebe-e-artigo-veja-parto-sem-dor
sono-bebe-e-artigo-veja-parto-sem-dorsono-bebe-e-artigo-veja-parto-sem-dor
sono-bebe-e-artigo-veja-parto-sem-dor
Leh Miranda
 
A imagem do corpo
A imagem  do corpoA imagem  do corpo
A imagem do corpo
Ana Pereira
 
Desenvolvimento Sócio Afectivo
Desenvolvimento Sócio AfectivoDesenvolvimento Sócio Afectivo
Desenvolvimento Sócio Afectivo
guested03a8
 

Semelhante a Saltos de desenvolvimento (20)

Desenvolvimento psico motor
Desenvolvimento psico motorDesenvolvimento psico motor
Desenvolvimento psico motor
 
Aula 13 -_crescimento_e_desenvolvimento
Aula 13 -_crescimento_e_desenvolvimentoAula 13 -_crescimento_e_desenvolvimento
Aula 13 -_crescimento_e_desenvolvimento
 
CETADEB Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia Pastoral
CETADEB  Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia PastoralCETADEB  Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia Pastoral
CETADEB Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia Pastoral
 
Os 5 s para acalmar um bebê até 3 meses
Os 5 s para acalmar um bebê até 3 mesesOs 5 s para acalmar um bebê até 3 meses
Os 5 s para acalmar um bebê até 3 meses
 
O Sono L
O Sono   LO Sono   L
O Sono L
 
Perturbações_da_Eliminação-slides-convertido.pptx
Perturbações_da_Eliminação-slides-convertido.pptxPerturbações_da_Eliminação-slides-convertido.pptx
Perturbações_da_Eliminação-slides-convertido.pptx
 
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criançaAcompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
 
Lider de si apostila biografia
Lider de si apostila biografiaLider de si apostila biografia
Lider de si apostila biografia
 
O Período Sensório Motor, Jean Piaget
O Período Sensório Motor, Jean Piaget O Período Sensório Motor, Jean Piaget
O Período Sensório Motor, Jean Piaget
 
O Período Sensório-Motor - Jean Piaget
O Período Sensório-Motor -  Jean Piaget O Período Sensório-Motor -  Jean Piaget
O Período Sensório-Motor - Jean Piaget
 
sono-bebe-e-artigo-veja-parto-sem-dor
sono-bebe-e-artigo-veja-parto-sem-dorsono-bebe-e-artigo-veja-parto-sem-dor
sono-bebe-e-artigo-veja-parto-sem-dor
 
PSICOLOGIA PASTORAL (AULA 03 MEDIO CETADEB )
PSICOLOGIA PASTORAL  (AULA 03  MEDIO CETADEB  ) PSICOLOGIA PASTORAL  (AULA 03  MEDIO CETADEB  )
PSICOLOGIA PASTORAL (AULA 03 MEDIO CETADEB )
 
Desenvolvimento humano
Desenvolvimento humanoDesenvolvimento humano
Desenvolvimento humano
 
A imagem do corpo
A imagem  do corpoA imagem  do corpo
A imagem do corpo
 
Desenvolvimento Sócio Afectivo
Desenvolvimento Sócio AfectivoDesenvolvimento Sócio Afectivo
Desenvolvimento Sócio Afectivo
 
Período Sensório-Motor
 Período Sensório-Motor Período Sensório-Motor
Período Sensório-Motor
 
O período sensório
O período sensórioO período sensório
O período sensório
 
TDL - As 7 Heranças de Deus - PASTOR RONALDO SOUZA.pptx
TDL - As 7 Heranças de Deus - PASTOR RONALDO SOUZA.pptxTDL - As 7 Heranças de Deus - PASTOR RONALDO SOUZA.pptx
TDL - As 7 Heranças de Deus - PASTOR RONALDO SOUZA.pptx
 
Desenvolvimento humano
Desenvolvimento humanoDesenvolvimento humano
Desenvolvimento humano
 
Manual de formação psi mod ss. i
Manual de formação psi mod ss. iManual de formação psi mod ss. i
Manual de formação psi mod ss. i
 

Mais de Fabricio Batistoni

Mais de Fabricio Batistoni (20)

Lavagem Nasal
Lavagem NasalLavagem Nasal
Lavagem Nasal
 
Lavagem Nasal 2
Lavagem Nasal 2Lavagem Nasal 2
Lavagem Nasal 2
 
Febre
FebreFebre
Febre
 
Tosse
TosseTosse
Tosse
 
Lavagem Nasal
Lavagem NasalLavagem Nasal
Lavagem Nasal
 
Prevenção de Acidentes
Prevenção de AcidentesPrevenção de Acidentes
Prevenção de Acidentes
 
ASMA na infância
ASMA na infânciaASMA na infância
ASMA na infância
 
Vacinação contra Covid-19
Vacinação contra Covid-19Vacinação contra Covid-19
Vacinação contra Covid-19
 
Consumo de Mel em Crianças
Consumo de Mel em CriançasConsumo de Mel em Crianças
Consumo de Mel em Crianças
 
Dislalia 2020
Dislalia 2020Dislalia 2020
Dislalia 2020
 
Introdução alimentar
Introdução alimentarIntrodução alimentar
Introdução alimentar
 
Dor de crescimento
Dor de crescimentoDor de crescimento
Dor de crescimento
 
Fica muito doente
Fica muito doenteFica muito doente
Fica muito doente
 
TDAH, Dislexia e Discalculia
TDAH, Dislexia e DiscalculiaTDAH, Dislexia e Discalculia
TDAH, Dislexia e Discalculia
 
TDAH para Educadores
TDAH para EducadoresTDAH para Educadores
TDAH para Educadores
 
TDAN mitos e verdades
TDAN mitos e verdadesTDAN mitos e verdades
TDAN mitos e verdades
 
Desenvolvimento da linguagem
Desenvolvimento da linguagemDesenvolvimento da linguagem
Desenvolvimento da linguagem
 
Imunoterapia
ImunoterapiaImunoterapia
Imunoterapia
 
Melatonina e sono
Melatonina e sonoMelatonina e sono
Melatonina e sono
 
Novo normal
Novo normalNovo normal
Novo normal
 

Último

relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
paulo222341
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 

Último (8)

relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 

Saltos de desenvolvimento

  • 1. *********************************************************************************************** SALTOS DE DESENVOLVIMENTO e PICOS DE CRESCIMENTO Na comédia romântica “Como se Fosse a Primeira Vez” (2004) Henry Roth (Adam Sandler) vive um paquerador incorrigível cuja maior especialidade é conquistar turistas que visitam o Havaí e sumir da vida delas quando as férias chegam ao fim. Sua vida muda quando ele conhece a bela Lucy (Drew Barrymore) num restaurante local e se vê diante de uma missão bem maior que simplesmente seduzir e abandonar: primeiro, porque ela não é turista; e segundo, porque Henry viu algo mais nela. O primeiro xaveco é um sucesso, mas no dia seguinte ela age como se os dois nunca tivessem se encontrado. Não demora muito para Henry descobrir que Lucy sofreu um grave acidente que tirou sua memória de curta duração. Todos os acontecimentos do dia são apagados quando Lucy vai dormir, e na manhã seguinte ela acorda achando que está no dia da tragédia. Apaixonado, Henry sabe que terá de conquistá-la todo dia Como Se Fosse a Primeira Vez. A analogia do filme é útil para compreender os Saltos de Desenvolvimento e Picos de Crescimento do bebê. No dia-a-dia de Henry (Sandler) as coisas acontecem com certa previsibilidade: ele fecha os olhos à noite e na manhã seguinte o mundo é exatamente o mesmo. As mesmas cores e sons; o toque do vento; a sensação identificada como ‘fome’; a rotina do trabalho e diversão. Para Lucy (Barrymore), porém, as coisas não são bem assim. Sua rotina 'tranquila’ se deve aos esforços cuidados de seu pai (Blake Clark) e irmão (Sean Astin) para tornar a vida dela seja a mais 'normal' possível. Quando Henry tenta quebrar o esquema arquitetado pelo pai e irmão de Lucy ela simplesmente entra em pânico! Os bebês passam aproximadamente 40 semanas vivendo num ambiente aquático, escuro, apertado e com poucos estímulos sonoros. Subitamente este mundo deixa de existir e o bebê precisa se adaptar a um ambiente seco, espaçoso, repleto de sons e estímulos táteis. Seu mundo que era todo-noite agora alterna períodos de luminosidade e escuridão. Ao nascimento os bebês já podem ver, ouvir, cheirar, saborear e sentir uma variedade de coisas, e eles são capazes de se lembrar dessas sensações. No entanto, a percepção de um bebê recém-nascido dessas sensações é muito diferente da forma como ele vai experimentá-las quando ficar mais velho. Ao nascimento, por exemplo, ele vê o mundo com pouca nitidez e contraste. Aos 8 meses ele abre os olhos pela manhã e enxerga tudo com perfeição. Isto é maravilhoso e ao mesmo tempo amedrontador! Vai levar algum tempo até ele aprender a 'utilizar' esta nova habilidade. Saltos de desenvolvimento, portanto, são aquisições de habilidades funcionais específicas que ocorrem em determinados períodos. O ritmo de desenvolvimento não é constante e linear: há períodos de desenvolvimento acelerado e outros onde ocorre uma desaceleração. No período que imediatamente antecede o chamado Salto de Desenvolvimento, o bebê parece meio perdido no mundo, pois seus sistemas perceptivo e cognitivo mudaram, houve uma maturidade neurológica, mas não tempo hábil para adaptação às mudanças. O mundo lhe parece estranho, e o resultado da ansiedade gerada é geralmente desejar voltar para sua base, ao que lhe é conhecido, ou seja, a mamãe! Em vista disso, é comum ficarem mais carentes, precisando de mais colo, e com frequência há também alterações em seu apetite e sono. A duração de cada salto é variável, mas geralmente depois de algumas semanas a fase difícil passa e tudo volta à normalidade. Essas aquisições ocorrem em vários aspectos: desenvolvimento motor (aprender a usar grupos de músculos para sentar, andar, correr, ter equilíbrio corporal, mudar de posições e outros), desenvolvimento do controle motor fino (usar as mãos para comer, desenhar, se vestir, tocar um instrumento, escrever, e tantas outras coisas), linguagem (desenvolvimento da fala, uso de linguagem corporal e gestos, comunicação e entendimento do que outros dizem), desenvolvimento cognitivo [nos dois primeiros anos de acordo com Piaget ocorre o desenvolvimento sensório-motor, que inclui habilidades de pensamento como aprendizado, entendimentos, resolução de problemas, raciocínio e memória] e desenvolvimento social (interagir e se
  • 2. *********************************************************************************************** relacionar com familiares, amigos e professores, mostrar cooperação e empatia). Nos primeiros 20 meses é possível identificar didaticamente 10 Saltos de Desenvolvimento. Esses períodos de adaptação são geralmente precedidos pelo CAI: Choro, Apego e Irritabilidade. Os Picos de Crescimento são fenômenos que se referem ao crescimento físico do bebê, e não ao seu desenvolvimento neurológico. Nestes períodos os bebês aumentam a frequência de mamadas pois precisam de mais alimento para crescer nesse ritmo agora mais acelerado. O bebê que dormia longos períodos à noite pode começar a acordar mais e solicitar mais mamadas. Nesses períodos a mãe pode interpretar incorretamente a maior demanda de mamadas do bebê - ela pode achar que seu leite não está sendo suficiente, ou que está ‘fraco’ e pensar que a solução para a situação é oferecer complemento de leite artificial. Saltos de desenvolvimento e Picos de Crescimento são eventos diferentes e sua cronologia não se sobrepõe perfeitamente, embora possam ocorrer concomitantemente. Picos de crescimento causam reflexos na alimentação (o bebê quer comer mais, inclusive a noite!) enquanto os Saltos se relacionam com desenvolvimento (o bebê pode querer comer e dormir menos). A seguir você verá um gráfico com as 84 primeiras semanas do bebê e as marcações de quando esperar (tanto os Saltos de Desenvolvimento quanto os Picos de Crescimento). Uma descrição detalhada segue o gráfico. As 10 Fases mais Difíceis do seu Bebê
  • 3. *********************************************************************************************** - 5 semanas (1 mês): a visão do bebê melhora, ele consegue ver padrões em branco e preto, passa a se interessar mais pelo ambiente que o rodeia e consegue seguir objetos brevemente com os olhos. Passa ficar acordado por períodos um pouco maiores (cerca de 1 hora ou pouco mais entre as sonecas). É também nessa época que bebê começa a chorar com lágrimas e sorrir pela primeira vez ou com mais frequência do que antes. - 8 semanas (quase 2 meses): diferenças nos sons, cheiros e sabores ficam mais perceptíveis. Ele percebe que as mãos e os pés pertencem ao corpo e começa a tentar controlar estes membros. O bebê começa também a experimentar com sua voz. É também nessa fase que o bebê começa a mostrar um pouco de sua personalidade: é agora que os pais começam a reparar quais coisas, cores e sons o bebê gosta mais. Depois desse salto o bebê vai poder virar a cabeça na direção de algo interessante e emitir sons conscientemente. Todas essas novas experiências trazem insegurança ao bebê que provavelmente procura mais o conforto do peito da mãe. Isso pode deixar a mãe preocupada se produz leite materno suficiente, o que não procede, já que a produção se ajusta à demanda (ver abaixo também sobre picos de crescimento). - 12 semanas (quase 3 meses): o bebê descobre mais nuances da vida: nessa idade o bebê já pode enxergar todo um cômodo da casa, vira-se quando ouve sons altos, e consegue juntar suas mãos. Vai observar e mexer no rosto e cabelo dos pais e vai perceber que pode gritar. Depois do salto o bebê praticamente não vai mais precisar de apoio para manter a cabeça erguida. Como nos outros saltos, os pais são o porto seguro do mundo do bebê e ele se apoia nisso. Ele pode começar a reagir de maneira diferente fora de casa ou no colo de um estranho. Ao mesmo tempo que o bebê tem uma grande curiosidade em reparar no mundo que o rodeia, ele também é muito sensível às novidades e por isso se sente mais confortável e seguro nos braços dos pais.
  • 4. *********************************************************************************************** - 19 semanas (4 meses e meio): por volta da 14ª. até a 17ª. semanas o bebê pode parecer mais ‘impaciente’. Esse é um dos saltos mais longos: dura cerca de 4 semanas, podendo porém se estender por até 6 semanas. O bebê chora mais, apresenta mudanças extremas de temperamento e quer mais atenção e colo. Consegue alcançar e pegar um brinquedo, sacudi-lo e colocá-lo na boca, passá-lo de uma mão para outra. Pode ganhar o primeiro dente. Os sons que o bebê emite se tornam mais nítidos e complexos, consegue fazer alguns sons como ‘baba’, ‘dada’. Tudo cheira, soa e tem gosto diferente agora. Dorme menos. Estranha as pessoas e busca maior contato corporal quando está sendo amamentado. Depois desse salto o bebê vai poder virar de costas e de barriga para baixo, e vice- versa, se arrastar pra frente ou pra trás, olhar atentamente para imagens num livro; reagir ao ver seu reflexo no espelho e reconhecer seu próprio nome. Esse é um dos saltos de desenvolvimento mais significativos e em que um maior número de mães costuma relatar alterações no sono. Provavelmente porque o padrão de sono parecia entrar num ritmo desde que o bebê nasceu, e essa alteração é vista como uma ‘regressão’, na qual o bebê tende a acordar bastante por algumas semanas enquanto está trabalhando no salto. E uma vez que esse salto está completo há somente 1 ou 2 semanas antes de começar a trabalhar no próximo (das 26 semanas), é um longo período de sono ruim e bebê irritado nesse estágio da vida. - 26 semanas (6 meses): Já na 23ª semana o bebê parece se tornar mais ‘difícil’. Ele busca maior contato corporal durante as brincadeiras. O bebê já consegue coordenar os movimentos dos braços e pernas com o resto do corpo. Senta sem apoio e põe objetos na boca. Nessa idade ele começa a entender que as coisas podem ficar dentro, fora, em cima, embaixo, atrás, na frente, e usa isso em suas brincadeiras. Ele passa a entender que quando a mamãe anda, ela vai se afastar e isso o assusta, então reclama quando a mãe sai de perto. Depois desse salto o bebê vai ficar interessado em explorar a casa, armários, gavetas, achar etiquetas, levantar tapetes para olhar o que tem embaixo. Ele se vira para prestar atenção nas vozes, consegue imitar alguns sons, rola bem em ambas direções e começa a se apoiar em algo para ficar de pé. Adquire maturidade para receber alimentos sólidos. Essa fase pode durar cerca de 4-5 semanas. - 30 semanas (7 meses): o bebê tenta se jogar adiante para alcançar objetos, bate um objeto em outro. Pode começar a engatinhar, a falar algumas sílabas e entende melhor o conceito de permanência das coisas. Pode fazer sinal de tchau. Sente ansiedade com estranhos. - 37 semanas (8 meses e meio): o bebê fica ‘temperamental’, tem mudanças frequentes em seu humor, de alegre para agressivo e vice-versa, ou de exageradamente amoroso para ataques de raiva em questão de momentos. Chora com mais frequência. Quer ter mais atividades e protesta se não as tem! Não quer que troquem sua fralda, chupa seus dedos. Protesta quando o contato corporal é interrompido. Dorme menos, tem menos apetite, movimenta-se menos e “fala” menos. Às vezes senta-se quieto e sonha acordado. O bebê agora começa a explorar as coisas de uma forma mais metódica. Passa a entender que as coisas podem ser classificadas, por exemplo, sabe o que é comida e o que é animal, seja ao vivo ou em um livro. Fala "mamá" e "papá" sem distinção de quem é a mãe ou o pai. Engatinha, aponta objetos, procura objetos escondidos, usa o polegar e dedo indicador para segurar objetos. - 46 semanas (quase 11 meses): o bebê percebe que existe uma ordem nas coisas e atitudes, por exemplo, que se colocam sapatos nos pés e brinquedos nos armários. Ganha então uma consciência de suas próprias atitudes. Ao invés de separar objetos, passa a juntá-los. Depois desse salto o bebê vai poder apontar para algo ou pessoa a pedido seu, vai querer ‘falar’ no telefone e enfiar chaves nos buracos de chave, procurar algo que você escondeu, tentar tirar a própria roupa. Fala "mamá" e "papá" para a mãe ou pai corretamente. Levanta-se por alguns segundos, movimenta-se mais, entende o "não" e instruções simples. - 55 semanas (quase 13 meses): geralmente a fase em que o bebê começa a andar - um salto no desenvolvimento bem significativo. Fala mais palavras do que "mama" e "papa". Rabisca com giz. - 64 semanas (quase 15 meses): o bebê combina palavras e gestos para expressar o que precisa, come com as mãos, esvazia recipientes, coloca tampas nos recipientes apropriados, imita as pessoas, explora tudo que estiver à sua frente, inicia jogos, aponta partes do corpo quando perguntado, responde a algumas instruções (por exemplo, “me dá um beijo”), usa colher e garfo, empurra e puxa brinquedos enquanto anda, joga bola, anda de marcha a ré. - 75 semanas (17 meses): o bebê usa cerca de 6 palavras regularmente, gosta de jogos de imitação, gosta de esconder brinquedos, alimenta uma boneca, joga bola, dança, separa brinquedos por cor, formato e tamanho. Olha livros sozinho e rabisca bem.