SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
Ciências Naturais e Suas Tecnologias
Revisão #03
Evolução
Desenvolvimento de superbactérias ameaça
futuro da medicina
Cada vez mais microorganismos mostram resistência aos antibióticos.
Incapacidade de matar bactérias pode fazer a medicina retroceder.
David Livermore está numa corrida contra a evolução. Em seu laboratório no Norte de
Londres, segura uma placa de culturas com um cheiro ruim, lambuzada de bactérias.
Esta colônia, de tom amarelo e aspecto cremoso, é o inimigo: um novo tipo de germes,
resistente aos mais poderosos antibióticos já feitos pela humanidade.
Nas ruas, Steve Owen corre a mesma corrida – batendo pernas para atrair atenção
para o problema das infecções resistentes às drogas.
Donald, pai de Owen, morreu há quatro anos de falência múltipla dos órgãos num
hospital britânico. Ele tinha dado entrada para operar o joelho. Mas pegou
Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA, na sigla em inglês), uma
“superbactéria” que nenhuma das drogas receitadas pelos médicos conseguiu vencer.
Depois de quase 18 meses de muita dor, a infecção chegou ao sangue dele, dominou
os órgãos vitais e o matou.
O uso irresponsável de antibióticos é o
principal motivo pelo qual surgem as
chamadas superbactérias.
Os remédios acabam por aniquilar
linhagens mais fracas dos microrganismos
e ficam vivos apenas os mais resistentes.
Tal fato é plenamente explicável pela
teoria da Seleção Natural proposta por
Darwin e Wallace.
ᔥ G1
Darwinismo: Lamarckismo:
• Lei do uso e desuso;
• Transmissão dos caracteres
adquiridos.
“Um ser tende a se modificar
ao longo da vida para melhor
estabelecer-se. Essas
características adquiridas
passam à sua prole.”
• Seleção natural;
• Livro “A Origem das Espécies”.
Os mais aptos sobrevivem e
deixam mais descendentes,
igualmente aptos a
sobreviverem.
Darwin, em sua época, não soube
explicar a origem da variabilidade
dentro de uma população, dando
para isso explicações lamarckistas.
Evolução
Homo naledi pode ajudar a
reescrever a história humana
Fósseis foram encontrados em uma área arqueológica conhecida
como "Berço da Humanidade"
Uma antiga espécie humana desconhecida até agora foi
encontrada em uma caverna da África do Sul, onde foram
exumados os ossos de 15 hominídeos. A descoberta
"extraordinária" ressalta a complexidade da evolução humana,
anunciou nesta quinta-feira uma equipe internacional de cientistas.
Se for muito antiga, com mais de 3 milhões de anos, a espécie teria
convivido com os australopitecos, anteriores ao gênero homo. Se
for mais recente, com menos de 1 milhão de anos, é possível que
tenha coexistido com os neandertais -- primos mais próximos do
Homo sapiens -- ou até mesmo com humanos modernos.
O processo de especiação depende de
etapas relativamente fixas:
• Isolamento geográfico: uma população
é dividida em duas incomunicáveis;
• Raciação: as duas populações começam
a formar raças diferentes;
• Isolamento reprodutivo: as duas
populações, mesmo novamente
reunidas, não conseguem gerar
descendentes férteis;
• Especiação: formação de nova espécie.
ᔥ RBS Zero Hora
Neodarwinismo:
VARIABILIDADE
GENÉTICA
Mutações
Emigrações
Imigrações
Natalidade
Mortalidade
Crossing-over
Resolva
(Enem 2014) Embora seja um conceito
fundamental para a biologia, o termo
“evolução” pode adquirir significados
diferentes no senso comum. A ideia de que a
espécie humana é o ápice do processo
evolutivo é amplamente difundida, mas não é
compartilhada por muitos cientistas.
Para esses cientistas, a compreensão do
processo citado baseia-se na ideia de que os
seres vivos, ao longo do tempo, passam por
a) modificação de características.
b) incremento no tamanho corporal.
c) complexificação de seus sistemas.
d) melhoria de processos e estruturas.
e) especialização para uma determinada
finalidade.
(Enem 2013) As fêmeas de algumas espécies de aranhas, escorpiões e
de outros invertebrados predam os machos após a cópula e inseminação.
Como exemplo, fêmeas canibais do inseto conhecido como louva-a-deus,
Tenodera aridofolia, possuem até 63% da sua dieta composta por machos
parceiros. Para as fêmeas, o canibalismo sexual pode assegurar a
obtenção de nutrientes importantes na reprodução. Com esse
incremento na dieta, elas geralmente produzem maior quantidade de
ovos.
BORGES, J. C. “Jogo mortal”. Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br. Acesso em: 1 mar.
2012 (adaptado).
Apesar de ser um comportamento aparentemente desvantajoso para os
machos, o canibalismo sexual evoluiu nesses táxons animais porque
a) promove a maior ocupação de diferentes nichos ecológicos pela
espécie.
b) favorece o sucesso reprodutivo individual de ambos os parentais.
c) impossibilita a transmissão de genes do macho para a prole.
d) impede a sobrevivência e reprodução futura do macho.
e) reduz a variabilidade genética da população.
Classificação biológica
Nova espécie de mamífero é descoberta
na Indonésia
O animal foi encontrado em uma zona montanhosa remota da ilha de
Sulawesi, na Indonésia central
Cientistas que trabalham na Indonésia descobriram uma nova espécie de
mamífero, chamado "rato musaranho", com características inéditas e
que foi batizado de rato com nariz de porco.
O animal foi encontrado em uma zona montanhosa remota da ilha de
Sulawesi, na Indonésia central, segundo os especialistas do museu
Victoria da Austrália.
O rato, cujo nome científico é Hyorhinomys stuempkei, tem
características "nunca antes observadas pela ciência", segundo um
comunicado do museu, divulgado nesta terça-feira.
As regras de nomenclatura
científica foram propostas por
Carlos Lineu, em 1735:
Todo nome científico é composto
de dois nomes latinizados
(gênero + epíteto). O primeiro
nome deve ser escrito com inicial
maiúscula e o segundo,
obrigatoriamente minúscula.
ᔥ ZH Click RBS
Família
Gênero
Hierarquia de classificação:
Eucarya
Animalia ou Metazoa
Chordata ou Cordados
Mamalia ou Mamíferos
Carnívora
Canidae
Canis
Canis familiaris
Resolva
(Enem 2011)
Os Bichinhos e O Homem
Arca de Noé
Toquinho & Vinicius de Moraes
Nossa irmã, a mosca
É feia e tosca
Enquanto que o mosquito
É mais bonito
Nosso irmão besouro
Que é feito de couro
Mal sabe voar
Nossa irmã, a barata
Bichinha mais chata
É prima da borboleta
Que é uma careta
Nosso irmão, o grilo
Que vive dando estrilo
Só pra chatear
MORAES, V. A arca de Noé: poemas infantis. São Paulo:
Companhia das Letrinhas, 1991.
O poema acima sugere a existência de relações de afinidade
entre os animais citados e nós, seres humanos. Respeitando
a liberdade poética dos autores, a unidade taxonômica que
expressa a afinidade existente entre nós e estes animais é
a) o filo.
b) o reino.
c) a classe.
d) a família.
e) a espécie.
Plantas ameaçadas pela ação
humana
Estudo desenvolvido na Inglaterra mostra que uma em cada cinco
espécies vegetais corre risco de extinção no mundo e aponta o
homem como a principal causa dessa situação. O bioma mais
afetado é a mata atlântica.
Das 380 mil espécies de plantas conhecidas no mundo, uma
em cada cinco corre risco de extinção e o principal motivo para
esse cenário é a ação humana. O hábitat natural mais
ameaçado é a mata atlântica, com 90% de seu bioma original
dizimados pela agricultura e pela urbanização. As conclusões
são de uma pesquisa realizada pelo Royal Botanic Gardens
Kew e pelo Museu de História Natural, ambos em Londres
(Inglaterra), com a colaboração do Jardim Botânico do Rio de
Janeiro.
A Cattleya schilleriana é
uma das espécies de
orquídeas brasileiras
ameaçadas de extinção.
Orquídeas são
monocotiledôneas assim
como gramíneas,
bromélias e palmeiras.
ᔥ Ciência Hoje on-line
Filogenia das plantas:
Botânica
Botânica
Partes e Tipos de
raízes:
Botânica
Adaptações do caule:
Resolva
(Enem 2012) A imagem representa o processo de evolução das plantas e algumas de suas estruturas. Para o sucesso desse
processo, a partir de um ancestral simples, os diferentes grupos vegetais desenvolveram estruturas adaptativas que lhes
permitiram sobreviver em diferentes ambientes.
Qual das estruturas adaptativas apresentadas contribuiu
para uma maior diversidade genética?
a) As sementes aladas, que favorecem a dispersão aérea.
b) Os arquegônios, que protegem o embrião multicelular.
c) Os grãos de pólen, que garantem a polinização
cruzada.
d) Os frutos, que promovem uma maior eficiência
reprodutiva.
e) Os vasos condutores, que possibilitam o transporte da
seiva bruta.
https://www.facebook.com/biologiaprofgui
Curta a página do professor Guilherme
no Facebook

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Carlos Priante
 
AV2 - ciências humanas e naturais - I unidade
AV2 - ciências humanas e naturais - I unidadeAV2 - ciências humanas e naturais - I unidade
AV2 - ciências humanas e naturais - I unidadeemanuel
 
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_b
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_bPrv respondida 3mec nov_2011_turma_b
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_bIonara Urrutia Moura
 
Revisão Seduc Biologia 2015
Revisão Seduc Biologia 2015Revisão Seduc Biologia 2015
Revisão Seduc Biologia 2015Pré-Enem Seduc
 
Unidade 2 evolução
Unidade 2 evoluçãoUnidade 2 evolução
Unidade 2 evoluçãopabloagfs
 
Revisão ENEM IV - Ecologia
Revisão ENEM IV -  EcologiaRevisão ENEM IV -  Ecologia
Revisão ENEM IV - Ecologiaemanuel
 
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃOemanuel
 
Biologia 11 evolução - exercícios
Biologia 11   evolução - exercíciosBiologia 11   evolução - exercícios
Biologia 11 evolução - exercíciosNuno Correia
 
Revisão Bahiana - 2ª etapa
Revisão Bahiana - 2ª etapaRevisão Bahiana - 2ª etapa
Revisão Bahiana - 2ª etapaemanuel
 
Av2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e físicaAv2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e físicaemanuel
 
Prv respondida 3mec out_2012_turma_a
Prv respondida 3mec out_2012_turma_aPrv respondida 3mec out_2012_turma_a
Prv respondida 3mec out_2012_turma_aIonara Urrutia Moura
 
Lista exercícios evolução e origem da vida
Lista exercícios evolução e origem da vidaLista exercícios evolução e origem da vida
Lista exercícios evolução e origem da vidaCésar Milani
 
Av1 de biologia,química e física
Av1 de biologia,química e física Av1 de biologia,química e física
Av1 de biologia,química e física emanuel
 
Treinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - BiologiaTreinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - Biologiaemanuel
 
Origem da vida e evolução - ENEM compacto
Origem da vida e evolução - ENEM compactoOrigem da vida e evolução - ENEM compacto
Origem da vida e evolução - ENEM compactoemanuel
 
Bg 22 evolução biológica (fixismo e evolução)
Bg 22   evolução biológica (fixismo e evolução)Bg 22   evolução biológica (fixismo e evolução)
Bg 22 evolução biológica (fixismo e evolução)Nuno Correia
 
Aula complementar COM RESPOSTAS - bio reino protista - prof james
Aula complementar COM RESPOSTAS - bio reino protista - prof jamesAula complementar COM RESPOSTAS - bio reino protista - prof james
Aula complementar COM RESPOSTAS - bio reino protista - prof jamesJames Martins
 

Mais procurados (20)

Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
 
AV2 - ciências humanas e naturais - I unidade
AV2 - ciências humanas e naturais - I unidadeAV2 - ciências humanas e naturais - I unidade
AV2 - ciências humanas e naturais - I unidade
 
Biologia Tércio
Biologia TércioBiologia Tércio
Biologia Tércio
 
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_b
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_bPrv respondida 3mec nov_2011_turma_b
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_b
 
Revisão Seduc Biologia 2015
Revisão Seduc Biologia 2015Revisão Seduc Biologia 2015
Revisão Seduc Biologia 2015
 
Unidade 2 evolução
Unidade 2 evoluçãoUnidade 2 evolução
Unidade 2 evolução
 
Revisão ENEM IV - Ecologia
Revisão ENEM IV -  EcologiaRevisão ENEM IV -  Ecologia
Revisão ENEM IV - Ecologia
 
Amgs lamarck
Amgs  lamarckAmgs  lamarck
Amgs lamarck
 
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
 
Biologia 11 evolução - exercícios
Biologia 11   evolução - exercíciosBiologia 11   evolução - exercícios
Biologia 11 evolução - exercícios
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Revisão Bahiana - 2ª etapa
Revisão Bahiana - 2ª etapaRevisão Bahiana - 2ª etapa
Revisão Bahiana - 2ª etapa
 
Av2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e físicaAv2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e física
 
Prv respondida 3mec out_2012_turma_a
Prv respondida 3mec out_2012_turma_aPrv respondida 3mec out_2012_turma_a
Prv respondida 3mec out_2012_turma_a
 
Lista exercícios evolução e origem da vida
Lista exercícios evolução e origem da vidaLista exercícios evolução e origem da vida
Lista exercícios evolução e origem da vida
 
Av1 de biologia,química e física
Av1 de biologia,química e física Av1 de biologia,química e física
Av1 de biologia,química e física
 
Treinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - BiologiaTreinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - Biologia
 
Origem da vida e evolução - ENEM compacto
Origem da vida e evolução - ENEM compactoOrigem da vida e evolução - ENEM compacto
Origem da vida e evolução - ENEM compacto
 
Bg 22 evolução biológica (fixismo e evolução)
Bg 22   evolução biológica (fixismo e evolução)Bg 22   evolução biológica (fixismo e evolução)
Bg 22 evolução biológica (fixismo e evolução)
 
Aula complementar COM RESPOSTAS - bio reino protista - prof james
Aula complementar COM RESPOSTAS - bio reino protista - prof jamesAula complementar COM RESPOSTAS - bio reino protista - prof james
Aula complementar COM RESPOSTAS - bio reino protista - prof james
 

Semelhante a Revisão de Biologia #03 - Enem 2015

Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivosBiologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivosJézili Dias
 
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoTeorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoEduardoBarreto262551
 
AULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.ppt
AULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.pptAULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.ppt
AULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.pptMatheus Sousa
 
Telecurso 2000 aula 50 a evolução das espécies
Telecurso 2000 aula 50   a evolução das espéciesTelecurso 2000 aula 50   a evolução das espécies
Telecurso 2000 aula 50 a evolução das espéciesnetoalvirubro
 
Apresentação para o 3ºano
Apresentação para o 3ºanoApresentação para o 3ºano
Apresentação para o 3ºanoGlauco Duarte
 
Evide evolucao[1]
Evide evolucao[1]Evide evolucao[1]
Evide evolucao[1]Gaspar Neto
 
Cejain medio bio_termo1
Cejain medio bio_termo1Cejain medio bio_termo1
Cejain medio bio_termo1CEJAINSV
 
A origem das espécies charles darwin
A origem das espécies charles darwinA origem das espécies charles darwin
A origem das espécies charles darwinJorcenita Vieira
 
Cap 10 quer ser vivo é esse
Cap 10 quer ser vivo é esseCap 10 quer ser vivo é esse
Cap 10 quer ser vivo é esseSarah Lemes
 
Cap 13 seleção natural
Cap 13 seleção naturalCap 13 seleção natural
Cap 13 seleção naturalJoao Balbi
 
Aula 25 teorias da evolução
Aula 25   teorias da evoluçãoAula 25   teorias da evolução
Aula 25 teorias da evoluçãoJonatas Carlos
 

Semelhante a Revisão de Biologia #03 - Enem 2015 (20)

Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivosBiologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
 
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoTeorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
 
AULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.ppt
AULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.pptAULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.ppt
AULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.ppt
 
Evolucao-2.ppt
Evolucao-2.pptEvolucao-2.ppt
Evolucao-2.ppt
 
Telecurso 2000 aula 50 a evolução das espécies
Telecurso 2000 aula 50   a evolução das espéciesTelecurso 2000 aula 50   a evolução das espécies
Telecurso 2000 aula 50 a evolução das espécies
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Apresentação para o 3ºano
Apresentação para o 3ºanoApresentação para o 3ºano
Apresentação para o 3ºano
 
Evide evolucao[1]
Evide evolucao[1]Evide evolucao[1]
Evide evolucao[1]
 
Cejain medio bio_termo1
Cejain medio bio_termo1Cejain medio bio_termo1
Cejain medio bio_termo1
 
A origem das espécies charles darwin
A origem das espécies charles darwinA origem das espécies charles darwin
A origem das espécies charles darwin
 
19- evolucao.ppt
19- evolucao.ppt19- evolucao.ppt
19- evolucao.ppt
 
Origem das espécies
Origem das espéciesOrigem das espécies
Origem das espécies
 
Evolucao ceped
Evolucao cepedEvolucao ceped
Evolucao ceped
 
Evoluçao
EvoluçaoEvoluçao
Evoluçao
 
Aula de evolução semi ronnie
Aula de evolução semi ronnieAula de evolução semi ronnie
Aula de evolução semi ronnie
 
Teorias evolutivas.pdf
Teorias evolutivas.pdfTeorias evolutivas.pdf
Teorias evolutivas.pdf
 
Cap 10 quer ser vivo é esse
Cap 10 quer ser vivo é esseCap 10 quer ser vivo é esse
Cap 10 quer ser vivo é esse
 
Evolucao
EvolucaoEvolucao
Evolucao
 
Cap 13 seleção natural
Cap 13 seleção naturalCap 13 seleção natural
Cap 13 seleção natural
 
Aula 25 teorias da evolução
Aula 25   teorias da evoluçãoAula 25   teorias da evolução
Aula 25 teorias da evolução
 

Mais de Guilherme Orlandi Goulart (11)

Revisão de Biologia #01 - Enem 2015
Revisão de Biologia #01 - Enem 2015Revisão de Biologia #01 - Enem 2015
Revisão de Biologia #01 - Enem 2015
 
Aulão ACAFE 2013 - Biologia
Aulão ACAFE 2013 - BiologiaAulão ACAFE 2013 - Biologia
Aulão ACAFE 2013 - Biologia
 
Protozoários e protozooses
Protozoários e protozoosesProtozoários e protozooses
Protozoários e protozooses
 
Composição química dos seres II
Composição química dos seres IIComposição química dos seres II
Composição química dos seres II
 
Zoologia: Anelídeos
Zoologia: AnelídeosZoologia: Anelídeos
Zoologia: Anelídeos
 
Zoologia: Nematelmintos
Zoologia: NematelmintosZoologia: Nematelmintos
Zoologia: Nematelmintos
 
Zoologia: Platelmintos
Zoologia: PlatelmintosZoologia: Platelmintos
Zoologia: Platelmintos
 
Zoologia: Cnidários
Zoologia: CnidáriosZoologia: Cnidários
Zoologia: Cnidários
 
Zoologia: Poríferos
Zoologia: PoríferosZoologia: Poríferos
Zoologia: Poríferos
 
Composição química dos seres - Parte I
Composição química dos seres - Parte IComposição química dos seres - Parte I
Composição química dos seres - Parte I
 
Sistema Digestório
Sistema DigestórioSistema Digestório
Sistema Digestório
 

Último

Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxLucasFCapistrano
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfprofesfrancleite
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivararambomarcos
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxAntonioVieira539017
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Centro Jacques Delors
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaANNAPAULAAIRESDESOUZ
 

Último (20)

Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 

Revisão de Biologia #03 - Enem 2015

  • 1. Ciências Naturais e Suas Tecnologias Revisão #03
  • 2. Evolução Desenvolvimento de superbactérias ameaça futuro da medicina Cada vez mais microorganismos mostram resistência aos antibióticos. Incapacidade de matar bactérias pode fazer a medicina retroceder. David Livermore está numa corrida contra a evolução. Em seu laboratório no Norte de Londres, segura uma placa de culturas com um cheiro ruim, lambuzada de bactérias. Esta colônia, de tom amarelo e aspecto cremoso, é o inimigo: um novo tipo de germes, resistente aos mais poderosos antibióticos já feitos pela humanidade. Nas ruas, Steve Owen corre a mesma corrida – batendo pernas para atrair atenção para o problema das infecções resistentes às drogas. Donald, pai de Owen, morreu há quatro anos de falência múltipla dos órgãos num hospital britânico. Ele tinha dado entrada para operar o joelho. Mas pegou Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA, na sigla em inglês), uma “superbactéria” que nenhuma das drogas receitadas pelos médicos conseguiu vencer. Depois de quase 18 meses de muita dor, a infecção chegou ao sangue dele, dominou os órgãos vitais e o matou. O uso irresponsável de antibióticos é o principal motivo pelo qual surgem as chamadas superbactérias. Os remédios acabam por aniquilar linhagens mais fracas dos microrganismos e ficam vivos apenas os mais resistentes. Tal fato é plenamente explicável pela teoria da Seleção Natural proposta por Darwin e Wallace. ᔥ G1 Darwinismo: Lamarckismo: • Lei do uso e desuso; • Transmissão dos caracteres adquiridos. “Um ser tende a se modificar ao longo da vida para melhor estabelecer-se. Essas características adquiridas passam à sua prole.” • Seleção natural; • Livro “A Origem das Espécies”. Os mais aptos sobrevivem e deixam mais descendentes, igualmente aptos a sobreviverem. Darwin, em sua época, não soube explicar a origem da variabilidade dentro de uma população, dando para isso explicações lamarckistas.
  • 3. Evolução Homo naledi pode ajudar a reescrever a história humana Fósseis foram encontrados em uma área arqueológica conhecida como "Berço da Humanidade" Uma antiga espécie humana desconhecida até agora foi encontrada em uma caverna da África do Sul, onde foram exumados os ossos de 15 hominídeos. A descoberta "extraordinária" ressalta a complexidade da evolução humana, anunciou nesta quinta-feira uma equipe internacional de cientistas. Se for muito antiga, com mais de 3 milhões de anos, a espécie teria convivido com os australopitecos, anteriores ao gênero homo. Se for mais recente, com menos de 1 milhão de anos, é possível que tenha coexistido com os neandertais -- primos mais próximos do Homo sapiens -- ou até mesmo com humanos modernos. O processo de especiação depende de etapas relativamente fixas: • Isolamento geográfico: uma população é dividida em duas incomunicáveis; • Raciação: as duas populações começam a formar raças diferentes; • Isolamento reprodutivo: as duas populações, mesmo novamente reunidas, não conseguem gerar descendentes férteis; • Especiação: formação de nova espécie. ᔥ RBS Zero Hora Neodarwinismo: VARIABILIDADE GENÉTICA Mutações Emigrações Imigrações Natalidade Mortalidade Crossing-over
  • 4. Resolva (Enem 2014) Embora seja um conceito fundamental para a biologia, o termo “evolução” pode adquirir significados diferentes no senso comum. A ideia de que a espécie humana é o ápice do processo evolutivo é amplamente difundida, mas não é compartilhada por muitos cientistas. Para esses cientistas, a compreensão do processo citado baseia-se na ideia de que os seres vivos, ao longo do tempo, passam por a) modificação de características. b) incremento no tamanho corporal. c) complexificação de seus sistemas. d) melhoria de processos e estruturas. e) especialização para uma determinada finalidade. (Enem 2013) As fêmeas de algumas espécies de aranhas, escorpiões e de outros invertebrados predam os machos após a cópula e inseminação. Como exemplo, fêmeas canibais do inseto conhecido como louva-a-deus, Tenodera aridofolia, possuem até 63% da sua dieta composta por machos parceiros. Para as fêmeas, o canibalismo sexual pode assegurar a obtenção de nutrientes importantes na reprodução. Com esse incremento na dieta, elas geralmente produzem maior quantidade de ovos. BORGES, J. C. “Jogo mortal”. Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br. Acesso em: 1 mar. 2012 (adaptado). Apesar de ser um comportamento aparentemente desvantajoso para os machos, o canibalismo sexual evoluiu nesses táxons animais porque a) promove a maior ocupação de diferentes nichos ecológicos pela espécie. b) favorece o sucesso reprodutivo individual de ambos os parentais. c) impossibilita a transmissão de genes do macho para a prole. d) impede a sobrevivência e reprodução futura do macho. e) reduz a variabilidade genética da população.
  • 5. Classificação biológica Nova espécie de mamífero é descoberta na Indonésia O animal foi encontrado em uma zona montanhosa remota da ilha de Sulawesi, na Indonésia central Cientistas que trabalham na Indonésia descobriram uma nova espécie de mamífero, chamado "rato musaranho", com características inéditas e que foi batizado de rato com nariz de porco. O animal foi encontrado em uma zona montanhosa remota da ilha de Sulawesi, na Indonésia central, segundo os especialistas do museu Victoria da Austrália. O rato, cujo nome científico é Hyorhinomys stuempkei, tem características "nunca antes observadas pela ciência", segundo um comunicado do museu, divulgado nesta terça-feira. As regras de nomenclatura científica foram propostas por Carlos Lineu, em 1735: Todo nome científico é composto de dois nomes latinizados (gênero + epíteto). O primeiro nome deve ser escrito com inicial maiúscula e o segundo, obrigatoriamente minúscula. ᔥ ZH Click RBS Família Gênero Hierarquia de classificação: Eucarya Animalia ou Metazoa Chordata ou Cordados Mamalia ou Mamíferos Carnívora Canidae Canis Canis familiaris
  • 6. Resolva (Enem 2011) Os Bichinhos e O Homem Arca de Noé Toquinho & Vinicius de Moraes Nossa irmã, a mosca É feia e tosca Enquanto que o mosquito É mais bonito Nosso irmão besouro Que é feito de couro Mal sabe voar Nossa irmã, a barata Bichinha mais chata É prima da borboleta Que é uma careta Nosso irmão, o grilo Que vive dando estrilo Só pra chatear MORAES, V. A arca de Noé: poemas infantis. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 1991. O poema acima sugere a existência de relações de afinidade entre os animais citados e nós, seres humanos. Respeitando a liberdade poética dos autores, a unidade taxonômica que expressa a afinidade existente entre nós e estes animais é a) o filo. b) o reino. c) a classe. d) a família. e) a espécie.
  • 7. Plantas ameaçadas pela ação humana Estudo desenvolvido na Inglaterra mostra que uma em cada cinco espécies vegetais corre risco de extinção no mundo e aponta o homem como a principal causa dessa situação. O bioma mais afetado é a mata atlântica. Das 380 mil espécies de plantas conhecidas no mundo, uma em cada cinco corre risco de extinção e o principal motivo para esse cenário é a ação humana. O hábitat natural mais ameaçado é a mata atlântica, com 90% de seu bioma original dizimados pela agricultura e pela urbanização. As conclusões são de uma pesquisa realizada pelo Royal Botanic Gardens Kew e pelo Museu de História Natural, ambos em Londres (Inglaterra), com a colaboração do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. A Cattleya schilleriana é uma das espécies de orquídeas brasileiras ameaçadas de extinção. Orquídeas são monocotiledôneas assim como gramíneas, bromélias e palmeiras. ᔥ Ciência Hoje on-line Filogenia das plantas: Botânica
  • 10. Resolva (Enem 2012) A imagem representa o processo de evolução das plantas e algumas de suas estruturas. Para o sucesso desse processo, a partir de um ancestral simples, os diferentes grupos vegetais desenvolveram estruturas adaptativas que lhes permitiram sobreviver em diferentes ambientes. Qual das estruturas adaptativas apresentadas contribuiu para uma maior diversidade genética? a) As sementes aladas, que favorecem a dispersão aérea. b) Os arquegônios, que protegem o embrião multicelular. c) Os grãos de pólen, que garantem a polinização cruzada. d) Os frutos, que promovem uma maior eficiência reprodutiva. e) Os vasos condutores, que possibilitam o transporte da seiva bruta.
  • 11. https://www.facebook.com/biologiaprofgui Curta a página do professor Guilherme no Facebook