SlideShare uma empresa Scribd logo
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
1. Atletas utilizam seus membros anteriores para a realização de lançamentos. As figuras a
seguir representam membros anteriores de diferentes espécies animais.
De acordo com as figuras e os conhecimentos sobre características evolutivas dos animais,
considere as afirmativas a seguir.
I. Por terem funções distintas, os membros anteriores de humanos e de aves apresentam
esqueletos com estrutura diferente.
II. Os membros anteriores de morcegos e de humanos são estruturas que surgiram de forma
independente, com origem embrionária diferente.
III. As estruturas ósseas das asas de morcegos e de aves são homólogas, pois são derivadas
de um ancestral comum.
IV. No processo de adaptação para o voo, asas de aves e de morcegos evoluíram
independentemente, fenômeno conhecido como evolução convergente.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.
2. Fósseis são restos ou vestígios de animais ou plantas que viveram em tempos passados e
que, por condições ambientais adequadas, ficaram preservados.
Em relação ao processo de fossilização, considere as etapas a seguir:
I. As partes moles do corpo são totalmente decompostas.
II. O corpo do animal morto é atacado por organismos decompositores e detritívoros.
III. Um animal morto à margem de uma lagoa afunda rapidamente e fica totalmente coberto
pela água.
IV. Ocorre a mineralização das partes duras do corpo do animal.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta das etapas de fossilização em uma
lagoa.
a) I, II, III, IV
b) I, IV, II, III
c) II, III, IV, I
d) III, IV, I, II
e) III, II, I, IV
3. Entre as adaptações da presa contra o predação, está o mimetismo. No mimetismo
batesiano, uma espécie comestível mimetiza uma espécie não comestível, ou nociva.
Considere as seguintes afirmações, referentes à estabilidade desse tipo de mimetismo.
I. O predador que captura um indivíduo de uma espécie não comestível ou nociva evita
qualquer presa de aparência semelhante.
II. O mímico evolui em direção à aparência de uma espécie não comestível mais depressa do
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
que a espécie não comestível acumula diferenças em relação ao mímico.
III. O mímico deve ser de uma espécie menos comum que a espécie não comestível.
Quais estão corretas?
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas I e III.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.
4. A passagem do modo de vida caçador-coletor para um modo de vida mais sedentário
aconteceu há cerca de 12 mil anos e foi causada pela domesticação de animais e de plantas.
Com base nessa informação, é correto afirmar que
a) no início da domesticação, a espécie humana descobriu como induzir mutações nas plantas
para obter sementes com características desejáveis.
b) a produção de excedentes agrícolas permitiu a paulatina regressão do trabalho, ou seja, a
diminuição das intervenções humanas no meio natural com fins produtivos.
c) a grande concentração de plantas cultivadas em um único lugar aumentou a quantidade de
alimentos, o que prejudicou o processo de sedentarização das populações.
d) no processo de domesticação, sementes com características desejáveis pelos seres
humanos foram escolhidas para serem plantadas, num processo de seleção artificial.
e) a chamada Revolução Neolítica permitiu o desenvolvimento da agricultura e do pastoreio,
garantindo a eliminação progressiva de relações sociais escravistas.
5. As técnicas moleculares modernas permitem que as rotas migratórias humanas possam ser
identificadas da África aos demais continentes conquistados. Isso é possível, pois o isolamento
entre as populações que escolheram rotas migratórias diferentes impede que as variações
acumuladas por um grupo sejam compartilhadas com os demais. Dessa forma, as diferentes
populações apresentam diferentes marcas genéticas.
De acordo com o texto e com base na literatura sobre o assunto, é correto afirmar que os
fatores evolutivos envolvidos nesse fenômeno são:
a) Mutação e deriva
b) Mutação e casamento aleatório.
c) Seleção natural e casamento aleatório.
d) Migração e grande tamanho populacional.
e) Efeito fundador e grande tamanho populacional.
6. Leia o texto para responder à questão a seguir.
“(...) os indivíduos que, por causas particulares, são transportados a uma situação
muito diferente daquela em que se encontram, e que experimentam constantemente outras
influências nessa situação, tomam novas formas devido aos novos hábitos, e como
consequência disso constituem uma nova espécie, formada pelo conjunto de indivíduos que
estão na mesma circunstância”.
O trecho retirado do livro Recherches sur l’organisation des corps vivants, de Jean Baptiste
Lamarck, demonstra:
a) A teoria fixista indicando que as situações às quais os indivíduos são expostos influenciam a
formação de novas características que serão transmitidas aos descendentes.
b) O rompimento, em termos filosóficos, do fixismo com o modelo apresentado por Lamarck,
propondo uma visão evolucionista sobre a formação de novas espécies.
c) A constituição de uma nova espécie baseada na seleção natural dos indivíduos mais aptos a
sobreviver quando submetidos a diferentes condições de pressão.
d) A influência do conjunto de circunstâncias às quais os indivíduos são submetidos como fator
determinante na constituição de novas espécies, baseadas nos conceitos de genética e
seleção natural.
e) A importância das situações de pressão para a ocorrência de mutações e formação de
variações dentro de uma espécie e até mesmo de novas espécies geradas pelo conjunto de
indivíduos que sofreram as mesmas alterações genéticas.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
7. A fauna de vertebrados do fundo de cavernas é representada por peixes, salamandras e
morcegos, são animais geralmente despigmentados e, no caso dos peixes, cegos.
Sobre a condição de cegueira dos peixes da caverna, atribua verdadeiro (V) ou falso (F) para
as afirmativas a seguir, que explicam a razão pela qual encontramos maior incidência de
peixes cegos dentro das cavernas do que fora delas, quando comparada com a população de
peixes não cegos.
( ) Dentro das cavernas, os peixes não cegos são presas fáceis dos peixes cegos.
( ) Fora das cavernas, os peixes cegos são presas fáceis de predadores.
( ) Fora das cavernas, os peixes não cegos levam vantagem sobre os peixes cegos.
( ) Dentro das cavernas, os peixes cegos levam vantagem sobre os peixes não cegos.
Assinale a alternativa que apresenta, de cima para baixo, a sequência correta.
a) F, V, V e V.
b) F, V, V e F.
c) V, F, V e F.
d) V, F, F e V.
e) V, V, F e F.
8. Quando questionado sobre o significado biológico da evolução, um aluno respondeu:
Para mim, a evolução significa uma melhoria da nossa espécie e das outras. Significa um
progresso para a perfeição, tal como é a natureza.
A partir da análise da resposta do aluno, pode-se afirmar que ela é
a) correta, pois a seleção natural visa, de fato, à perfeição das espécies e sua melhoria no
tempo evolutivo.
b) equivocada, pois a evolução não implica em perfeição, nem visa a um fim programado de
melhorias, definido de modo antecipatório.
c) correta, pois as espécies buscam uma harmonia garantida pela evolução e já indexada em
seu programa genético.
d) correta, podendo ser comprovada pela evidencia fóssil, pela anatomia comparada e pela
convergência adaptativa.
e) equivocada, pois a natureza não é marcada por sucessos na sobrevivência das espécies
que ocupam nichos ecológicos similares.
9. “Algumas mudanças evolutivas importantes ocorrem com rapidez suficiente para que
possam ser documentadas no decorrer de uma ou de algumas vidas científicas. Isto é
particularmente provável quando, devido a atividades humanas ou outras causas, o ambiente
de uma população muda ou quando uma espécie é introduzida em um novo ambiente. Por
exemplo, as mudanças no suprimento alimentar devido à seca nas Ilhas Galápagos causaram,
no período de poucos anos, uma mudança evolutiva substancial, embora temporária, no
tamanho do bico de um tentilhão; um vírus introduzido na Austrália para controlar os coelhos
evoluiu para uma menor virulência em menos de uma década (e a população de coelhos
tornou-se mais resistente a ele); os ratos evoluíram para a resistência ao veneno warfarin;
desde a II Guerra Mundial, centenas de espécies de insetos que infestam safras e transmitem
doenças desenvolveram resistência ao DDT e a outros inseticidas e a rápida evolução da
resistência a antibióticos nos micro-organismos patogênicos gera um dos mais sérios
problemas de saúde pública.”
Fonte: Futuyma, 2002. Evolução, Ciência e Sociedade (SBG).
Esses exemplos decorrem da atuação de
a) deriva genética.
b) especiação.
c) migração.
d) mutação cromossômica.
e) seleção direcional.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
10. A heran‫ח‬a de caracter‫ם‬sticas adquiridas durante a vida de um indiv‫ם‬duo— a transmiss‫ד‬o de tra‫ח‬os
n‫ד‬o incorporados ‫א‬ sequ‫ך‬ncia de DNA — foi algo arduamente debatido desde que o naturalista franc‫ך‬s
Jean-Baptiste Lamarck (1744-1829) concebeu a ideia que levou seu nome.
Agora, para desenterrar o conceito lamarckista, precisou-se de uma ‫ת‬nica palavra m‫ב‬gica: “epigen‫י‬tica”.
Esse ‫י‬ o termo usado para se referir ao estudo dos padr‫ץ‬es de “express‫ד‬o”
(ativa‫דח‬o de genes e fen‫ף‬tipo). A ideia por tr‫ב‬s de tudo ‫י‬ que dois organismos que t‫ך‬m um mesmo genoma
podem manifestar caracter‫ם‬sticas totalmente diferentes, se alguns genes n‫ד‬o forem expressos em um
deles. Nas duas ‫ת‬ltimas d‫י‬cadas, come‫ח‬ou a crescer o n‫ת‬mero de estudos relatando que padr‫ץ‬es de
express‫ד‬o g‫ך‬nica podem ser induzidos por mudan‫ח‬as ambientais e depois passados de pais para filhos.
de caracter‫ם‬sticas...filhos. Dispon‫ם‬vel em: <http://
www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=52173>. Acesso em: 10 dez.
2010.
A heran‫ח‬a epigen‫י‬tica refere-se ‫א‬s varia‫ח‬ ad se‫חץ‬aretla ed medneped o‫ד‬n euq seneg sod o‫ד‬sserpxe an se‫ץ‬
sequ‫ך‬ncia de bases no DNA.
Considerando-se as informa‫ץח‬es contidas no texto e a import‫ג‬ncia desse tema, ‫י‬ poss‫ם‬vel afirmar:
a) A lei do uso e desuso foi reconhecida, pelas pesquisas atuais, como um importante fator na
geração de novas características herdáveis.
b) Lamarck estava certo ao propor que a evolução apresenta uma padrão ramificado
característico de uma ancestralidade comum.
c) Os conceitos de hereditariedade trabalhados por Mendel mostraram-se, ao longo do tempo,
totalmente incapazes de explicar de forma satisfatória a herança genética.
d) A epigenética se baseia nas mutações gênicas induzidas por variações do ambiente e que
passam a ser herdadas pelos descendentes.
e) Indivíduos com o mesmo genótipo podem ser fenotipicamente diferentes se sofreram
influências ambientais distintas.
11. Pesquisas recentes consideram que as asas dos insetos evoluíram a partir de apêndices
branquiais, estruturas utilizadas como remos por espécies ancestrais aquáticas.
Com base no enunciado e de acordo com a perspectiva neodarwinista, considere as
afirmativas a seguir.
I. Os animais com apêndices branquiais mais desenvolvidos originaram uma descendência
mais numerosa.
II. As diferenças genéticas acumuladas conduziram ao isolamento reprodutivo da população
com apêndices branquiais mais desenvolvidos.
III. Em alguns indivíduos da população, ocorreram alterações nos genes responsáveis pelo
desenvolvimento dos apêndices branquiais.
IV. Ao longo das gerações, foi aumentando a frequência dos alelos responsáveis pelo maior
desenvolvimento dos apêndices branquiais.
V. A diversidade da população aumentou em relação ao desenvolvimento dos apêndices
branquiais.
Assinale a alternativa que contém a ordem correta da sequência cronológica dos
acontecimentos que explicam a origem das asas dos insetos atuais.
a) II, I, V, III e IV.
b) III, IV, V, II e I.
c) III, V, I, IV e II.
d) V, III, IV, II e I.
e) V, IV, II, I e III.
12. Os resultados de uma pesquisa realizada na USP revelam que a araucária, o pinheiro
brasileiro, produz substâncias antioxidantes e fotoprotetoras. Uma das autoras do estudo
considera que, possivelmente, essa característica esteja relacionada ao ambiente com intensa
radiação UV em que a espécie surgiu há cerca de 200 milhões de anos. Com base na Teoria
Sintética da Evolução, é correto afirmar que
a) essas substâncias surgiram para evitar que as plantas sofressem a ação danosa da
radiação UV.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
b) a radiação UV provocou mutações nas folhas da araucária, que passaram a produzir tais
substâncias.
c) a radiação UV atuou como fator de seleção, de maneira que plantas sem tais substâncias
eram
mais suscetíveis à morte.
d) a exposição constante à radiação UV induziu os indivíduos de araucária a produzirem
substâncias
de defesa contra tal radiação.
e) a araucária é um exemplo típico da finalidade da evolução, que é a produção de indivíduos
mais
fortes e adaptados a qualquer ambiente.
13. O esquema representa o processo de especiação presente nos seres vivos e gerador da
diversidade biológica existente no mundo vivo atual.
A respeito desse tema e das informações contidas no esquema, é possível afirmar:
a) O tipo de especiação representado é alopátrica devido à existência de um isolamento
reprodutivo no final do processo evolutivo.
b) A especiação é responsável pela geração aleatória de características evolutivas que
caracterizam indivíduos de uma mesma espécie.
c) Na especiação simpátrica o isolamento geográfico é obtido sem a ocorrência obrigatória de
um isolamento reprodutivo.
d) Diferenciação do conjunto gênico em populações distintas pode levar a um isolamento
reprodutivo com perda total do fluxo gênico entre essas populações.
e) O restabelecimento do fluxo gênico entre duas populações ocorre com a quebra do
isolamento geográfico juntamente com o distanciamento genético necessário para a
especiação se efetivar.
14. Leia as notícias abaixo:
“Dezessete hospitais de Brasília estão contaminados com bactéria resistente a antibióticos.”
Jornal Zero Hora
“...bactérias presentes na boca de tubarões tigre e cabeça-chata, apontados como
responsáveis pelos ataques na costa de Pernambuco, são resistentes aos antibióticos...”
Jornal do Comércio
Sobre este assunto, considere as alternativas abaixo:
( ) Frederick Griffith mostrou que se duas linhagens da bactéria Streptococcus pneumoniae,
uma viva e não patogênica (1) e outra patogênica (2), esta morta pelo calor, são
misturadas e injetadas em um rato, como ilustrado abaixo, o animal morre. Assim, pode-
se concluir que os mecanismos de transferência genética entre as duas bactérias,
também poderiam explicar a obtenção de resistência a antibióticos por algumas
bactérias encontradas em hospitais.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
( ) bactérias que nunca tomaram contato com antibióticos também podem ser naturalmente
resistentes aos mesmos.
( ) a automedicação de antibióticos pode determinar a seleção de bactérias resistentes
como parte de um processo de seleção natural, em que àquelas mais aptas sobrevivem
enquanto que as susceptíveis são eliminadas.
( ) quando se reproduzem em um tubo de ensaio, bactérias de uma única espécie produzem
clones, caso não haja influência de fatores químicos ou físicos que possam induzir
mutações.
( ) vítimas sobreviventes de incidentes com tubarões são igualmente susceptíveis a
infecções por bactérias resistentes e não resistentes no ambiente hospitalar.
15. De acordo com os conceitos sobre relações evolutivas entre os seres vivos, assinale o
que for correto.
01) As primeiras células eucarióticas teriam surgido a partir das células procarióticas que
passaram a desenvolver dobramentos da membrana plasmática, tornando-se ainda
maiores e mais complexas. Esses dobramentos teriam originado as organelas
citoplasmáticas e a carioteca.
02) Os primeiros eucariontes eram anaeróbios e englobavam bactérias como alimento. Em
algum momento da evolução desses organismos, algumas dessas bactérias, que já tinham
a capacidade de realizar a respiração, foram mantidas no citoplasma dos eucariontes sem
serem degradadas. Essas bactérias teriam sido mantidas por beneficiarem os eucariontes,
uma vez que realizavam para eles a respiração. Para a bactéria essa relação simbiótica
também era vantajosa, pois recebia proteção e nutrientes dos eucariontes e desta forma
teria se perpetuado, e essas bactérias teriam originado as atuais mitocôndrias.
04) Alguns eucariontes mantinham uma relação simbiótica com cianobactérias. Estas
realizavam fotossíntese para o eucarionte e dele recebiam proteção e matéria prima. Essa
relação mostrou-se tão vantajosa que se perpetuou, e essas cianobactérias teriam
originado os atuais cloroplastos.
08) Acredita-se que os primeiros seres vivos eram unicelulares, ou seja, formados por uma
única célula e que esta era muito simples, formada por uma membrana plasmática
delimitando o citoplasma, no qual estava presente uma molécula de ácido nucleico, em
uma região denominada nucleoide. Tal organização corresponde às células procarióticas
apresentadas nas bactérias e cianobactérias atuais.
16) Poderia se imaginar que os vírus, por serem formas tão simples de vida, teriam sido os
primeiros seres a viverem na Terra. Entretanto, considerando-se que as manifestações
vitais dos vírus são totalmente dependentes de uma célula, a qual eles invadem e passam
a controlar em seu próprio benefício, conclui-se que as células hospedeiras surgiram antes
dos vírus.
16. Além do Horizonte
Numa frequência que seus olhos não captam – enxergamos o mundo por uma fresta do
espectro eletromagnético – passam pulsos curtos e manifestam-se fluxos constantes de
energia. (...) Se fosse possível enxergar no infravermelho próximo, frequência próxima da luz
visível, você teria os olhos grandes com que ufólogos descrevem supostos alienígenas
surpreendidos em incursões dissimuladas pela Terra. Mas o olho humano foi “pacientemente
esculpido” pelo Sol, embora uma ideia como esta possa parecer um pouco surpreendente.
Nossos olhos são detectores biológicos de uma parte da energia emitida por uma estrela
amarela de meia-idade. Se fosse uma estrela vermelha e envelhecida, nosso olho seria maior.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
(Ulisses Capozzoli. Scientific American Brasil, fevereiro 2011.
Adaptado.)
Neste fragmento de texto, o autor estabelece uma interessante correlação entre um fenômeno
físico e um fenômeno biológico.
Com base nas afirmações ali contidas, pode-se afirmar corretamente que
a) os fenômenos da física, como o espectro luminoso, não têm influência sobre as formas dos
organismos, uma vez que estas são determinadas pela seleção natural. Se fosse o contrário,
nosso olho seria bem maior.
b) o tamanho e a conformação do olho humano são consequências diretas da ação do sol
sobre o desenvolvimento de cada indivíduo, desde a sua concepção até a forma adulta, o
que justifica afirmar que nosso olho foi esculpido pelo Sol.
c) o tamanho e a conformação do olho humano resultaram da ação da seleção natural. A
seleção é um processo que tem, entre seus agentes, os fenômenos físicos, tais como a
radiação solar.
d) o tamanho e a conformação do olho humano são resultados da seleção natural. Contudo,
desenvolveram-se no sentido contrário ao esperado em relação à ação dos raios solares e
do espectro luminoso.
e) o tamanho e a conformação do olho humano resultaram da ação de fenômenos físicos,
como a radiação solar. Estes se sobrepõem aos fenômenos biológicos, como a seleção
natural.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
A figura ilustra as relações de endossimbiose que devem ter ocorrido ao longo da evolução dos
seres eucariontes, segundo hipótese de Lynn Margulis.
17. O estabelecimento da primeira endossimbiose representada produziu um importante
impacto na evolução do Domínio Eucaria e pode ser identificado como
a) o advento de endomembranas que favoreceu a síntese de proteínas associada a um retículo
endoplasmático.
b) o aumento da eficiência na obtenção de energia a partir de processos oxidativos de
transformação energética.
c) o estabelecimento de reações fotoautótrofas na produção de componente orgânico.
d) a intensificação nas relações parasitárias que dificultaram a sobrevivência dos eucariotos.
e) a formação de uma membrana interna delimitadora do material genético celular.
18. No filme Avatar, de James Cameron (20th Century Fox, 2009), os nativos de Pandora,
chamados Na’Vi, são indivíduos com 3 metros de altura, pele azulada, feições felinas e cauda
que lhes facilita o deslocar por entre os galhos das árvores.
Muito embora se trate de uma obra de ficção, na aula de biologia os Na’Vi foram lembrados. Se
esses indivíduos fossem uma espécie real, sem parentesco próximo com as espécies da Terra,
e considerando que teriam evoluído em um ambiente com pressões seletivas semelhantes às
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
da Terra, a cauda dos Na’Vi, em relação à cauda dos macacos, seria um exemplo
representativo de estruturas
a) homólogas, resultantes de um processo de divergência adaptativa.
b) homólogas, resultantes de um processo de convergência adaptativa.
c) análogas, resultantes de um processo de divergência adaptativa.
d) análogas, resultantes de um processo de convergência adaptativa.
e) vestigiais, resultantes de terem sido herdadas de um ancestral comum, a partir do qual a
cauda se modificou.
19. A evolução tem como fundamento o estudo comparativo dos organismos, sejam fósseis
ou atuais. A figura representa um exemplo de homologia evolutiva entre dois seres vivos.
Sobre essas estruturas encontradas em diferentes espécies, afirma- se que
I - resultam de evolução convergente .
II - provêm do mesmo esboço embrionário.
III - decorrem de uma irradiação adaptativa.
Estão corretas apenas as afirmativas
a) I e II.
b) I e III.
c) II e III.
d) I, II e III.
20. Foram introduzidas em dois frascos, que continham um mesmo meio de cultura,
quantidades idênticas de um tipo de bactéria. Após algum tempo de incubação, adicionou-se a
apenas um dos frascos um antibiótico estável, de uso frequente na clínica e cuja concentração
não se modificou durante todo o experimento. O gráfico a seguir representa a variação do
número de bactérias vivas no meio de cultura, em função do tempo de crescimento bacteriano
em cada frasco.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
A observação do gráfico permite concluir que, no frasco em que se adicionou o antibiótico,
ocorreu uma grande diminuição no número de bactérias e em seguida um aumento do seu
crescimento. Segundo a teoria de evolução neodarwiniana, o fato observado nos frascos com
antibiótico tem a seguinte explicação:
a) a dose usada de antibiótico eliminou a maioria da população selecionando uma minoria
resistente que voltou a crescer.
b) a dose usada de antibiótico eliminou a grande maioria das bactérias e a minoria
sobrevivente se adaptou às condições, voltando a crescer.
c) a dose usada de antibiótico provocou uma lentidão no crescimento das bactérias que, após
algum tempo, adaptaram- se e voltaram a crescer.
d) a dose usada de antibiótico inibiu o crescimento da maioria das bactérias, mas, após a sua
degradação, essas bactérias começaram a crescer novamente.
e) a dose usada de antibiótico estimulou a adaptação de bactérias, que demoraram mais a
crescer.
21. Um pesquisador observou que certa espécie de planta (espécie A) apresentava
uma grande variação de produtividade conforme a altitude onde a planta se desenvolvia.
Em grandes altitudes, a produtividade era muito baixa e, à medida que a altitude se
aproximava do nível do mar, a produtividade aumentava.
O mesmo pesquisador observou que outra espécie (espécie B) apresentava resultados
diametralmente opostos daqueles observados para a espécie A.
Esse pesquisador, então, realizou um experimento no qual sementes de ambas as
espécies, coletadas em diferentes altitudes, foram plantadas no nível do mar, em idênticas
condições ambientais.
Após algum tempo, a produtividade dessas plantas foi medida e observou-se que a
espécie A se mostrava mais produtiva quanto menor a altitude de origem da semente.
Em relação à espécie B, quanto menor a altitude de origem da semente, menor a
produtividade da planta.
Sabendo-se que o fenótipo (no caso, a produtividade da planta) é resultado da interação do
genótipo com o ambiente, pode-se dizer que o componente que predomina na expressão do
fenótipo dessas plantas é o componente:
a) ambiental para a planta da espécie A e genético para a planta da espécie B.
b) genético para a planta da espécie A e ambiental para a planta da espécie B.
c) ambiental tanto para a planta da espécie A quanto para aquela da espécie B.
d) genético tanto para a planta da espécie A quanto para aquela da espécie B.
e) genético e ambiental para as plantas de ambas as espécies, sem que haja predomínio de
um desses componentes.
22. Os animais desenvolveram, ao longo da evolução, uma série de adaptações ecológicas
para resistir às variações de temperatura nas diferentes regiões do planeta. Sobre este tema,
analise o que se considera a seguir.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
( ) Animais pecilotérmicos, como alguns lagartos, desenvolveram um mecanismo de
adaptação à temperatura, que consiste em expor a cabeça ao sol a fim de esquentar o
sangue e aquecer o corpo o suficiente para entrar em atividade.
( ) Animais homeotérmicos respondem metabolicamente às baixas temperaturas,
consumindo uma quantidade maior de alimentos ricos em carboidratos e lipídios.
( ) Para tolerar temperaturas elevadas, cobras que vivem em regiões desérticas se
movimentam encostando somente parte do corpo na areia quente, enquanto ratos
silvestres se escondem em tocas.
( ) A fim de tolerar baixas temperaturas, os ursos polares acumulam carboidratos como
reserva energética para depois hibernar por até um ano, enquanto que algumas aves
migram para regiões mais quentes.
( ) Para diminuir a temperatura corporal, alguns animais se adaptaram evolutivamente
reduzindo a pelagem e, assim, retendo menos calor; outros, aumentaram as taxas de
evaporação de água.
23. As plantas do semiárido nordestino realizam uma série de adaptações morfofisiológicas
para sobreviverem ao ambiente seco e árido. Sobre estas adaptações, é correto fazer as
seguintes afirmações.
( ) Apesar do clima seco, a regularidade da precipitação pluviométrica no semiárido,
mostrada no gráfico a seguir, é a principal responsável pela sobrevivência das plantas.
( ) A caatinga representa um bioma típico do semiárido e rico em biodiversidade,
caracterizado por uma vegetação xerófita, que perde a folhagem durante a estação seca.
( ) As adaptações morfofisiológicas observadas a seguir no Mandacaru são folhas
modificadas para diminuir a perda de água por evaporação.
( ) A presença de cutícula espessa e de tricomas na epiderme foliar são adaptações que
conservam a umidade nos períodos sem chuva.
( ) Plantas xerófitas possuem um número maior de estômatos, em comparação com plantas
não xerófitas, o que constitui uma vantagem em ambientes secos.
24.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
A tirinha mostra que o ser humano, na busca de atender suas necessidades e de se apropriar
dos espaços,
a) adotou a acomodação evolucionária como forma de sobrevivência ao se dar conta de suas
deficiências impostas pelo meio ambiente.
b) utilizou o conhecimento e a técnica para criar equipamentos que lhe permitiram compensar
as suas limitações físicas.
c) levou vantagens em relação aos seres de menor estatura, por possuir um físico bastante
desenvolvido, que lhe permitia muita agilidade.
d) dispensou o uso da tecnologia por ter um organismo adaptável aos diferentes tipos de meio
ambiente.
e) sofreu desvantagens em relação a outras espécies, por utilizar os recursos naturais como
forma de se apropriar dos diferentes espaços.
25. A perda de pelos foi uma adaptação às mudanças ambientais, que forçaram nossos
ancestrais a deixar a vida sedentária e viajar enormes distâncias à procura de água e comida.
Junto com o surgimento de membros mais alongados e com a substituição de glândulas
apócrinas (produtoras de suor oleoso e de lenta evaporação) por glândulas écrinas (suor
aquoso e de rápida evaporação), a menor quantidade de pelos teria favorecido a manutenção
de uma temperatura corporal saudável nos trópicos castigados por calor sufocante, em que
viveram nossos ancestrais.
Scientific American. Brasil, mar. 2010 (adaptado).
De que maneira o tamanho dos membros humanos poderia estar associado à regulação da
temperatura corporal?
a) Membros mais longos apresentam maior relação superfície/volume, facilitando a perda de
maior quantidade de calor.
b) Membros mais curtos têm ossos mais espessos, que protegem vasos sanguíneos contra a
perda de calor.
c) Membros mais curtos desenvolvem mais o panículo adiposo, sendo capazes de reter maior
quantidade de calor.
d) Membros mais longos possuem pele mais fina e com menos pelos, facilitando a perda de
maior quantidade de calor.
e) Membros mais longos têm maior massa muscular, capazes de produzir e dissipar maior
quantidade de calor.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
Gabarito:
Resposta da questão 1:
[C]
A afirmativa I é incorreta, uma vez que, mesmo tendo funções distintas, os membros anteriores
de humanos e de aves apresentam esqueletos com as mesmas estruturas, o que evidencia a
ancestralidade comum e a divergência evolutiva dos dois grupos. A afirmativa II também é
incorreta, pois os membros dianteiros de morcegos e de humanos possuem a mesma origem
embrionária e derivam de estruturas já existentes em um mesmo ancestral comum. As
afirmativas III e IV são corretas.
Resposta da questão 2:
[E]
O processo de fossilização de um animal em uma lagoa envolve, essencialmente, a
decomposição das partes moles e a sucessiva mineralização das partes duras (ossos,
conchas, exoesqueletos) que ficam preservados.
Resposta da questão 3:
[E]
Todas as afirmações referentes ao mimetismo batesiano estão corretas.
Resposta da questão 4:
[D]
Com o início do processo de domesticação de animais e do cultivo de vegetais, iniciou-se
também o processo de seleção artificial, no qual vegetais ou animais com características
desejáveis foram escolhidos para a reprodução. Isso permitiu que ocorresse de forma
gradativa, um aumento na produção dos alimentos.
Resposta da questão 5:
[A]
As variações acumuladas ao longo do tempo evolutivo são resultantes de mutação. A deriva
genética é a seleção de variações devida exclusivamente ao acaso.
Resposta da questão 6:
[B]
O texto exprime a visão transformista do autor. Para Lamarck, o ambiente pode provocar
mudanças em órgãos, levando à adaptação dos organismos vivos ao meio.
Resposta da questão 7:
[B]
Não é possível afirmar que os peixes não cegos são presas fáceis de peixes cegos no interior
de cavernas, onde vivem esses animais. Em ambientes escuros, a presença ou não de olhos
funcionais é indiferente.
Resposta da questão 8:
[B]
O processo evolutivo implica em adaptação contínua às mudanças ambientais. O
aperfeiçoamento ou busca de melhorias constituem uma visão criacionista do processo de
adaptação dos seres vivos ao meio.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
Resposta da questão 9:
[E]
Resposta da questão 10:
[E]
A herança epigenética é consequência da influência ambiental sobre a expressão diferencial
dos genes. Sabe-se que podem ocorrer mudanças na atividade gênica por ativação e
inativação de certas regiões do DNA. Até o momento não foi provado que essas mudanças
adquiridas são transmissíveis à descendência.
Resposta da questão 11:
[C]
Segundo os princípios neodarwinistas, o aparecimento de asas ocorreu devido ao acúmulo de
mutações durante o tempo evolutivo. Essa variação favoreceu o aumento populacional dos
indivíduos que, mais aptos, exploram melhor os recursos ambientais. As diferenças genéticas
determinaram o isolamento reprodutivo em relação à espécie ancestral aquática.
Resposta da questão 12:
[C]
Segundo a Teoria Sintética da Evolução, plantas que não possuíam genes para a produção de
substâncias fotoprotetoras ficavam suscetíveis à radiação UV e morriam. As que possuíam
esses genes conseguiam sobreviver e se reproduzir. Assim, a radiação UV atua como fator que
seleciona indivíduos que possuem os genes para a produção dessas substâncias, uma vez que
são eles que conseguem sobreviver e gerar descendentes.
Resposta da questão 13:
[D]
A diferenciação do conjunto gênico em populações separados geograficamente ocorre devido à
seleção natural de variações resultantes de mutações e recombinações gênicas. As mudanças
evolutivas podem interromper o fluxo gênico entre essas populações levando à formação de
espécies distintas.
Resposta da questão 14:
V – V – V – V – F.
No ambiente hospitalar, os pacientes e profissionais são mais suscetíveis a infecções
causadas por bactérias resistentes aos quimioterápicos disponíveis para tratamento.
Resposta da questão 15:
01 + 02 + 04 + 08 + 16 = 31.
Todas as afirmativas sobre as relações evolutivas entre os seres vivos são corretas.
Resposta da questão 16:
[C]
O tamanho e a contornação do olho humano resultam de um longo processo de seleção
natural, promovido por fenômenos físicos e biológicos.
Resposta da questão 17:
[B]
A associação entre micro-organismos procarióticos aeróbicos com unicelulares eucarióticos
aumentou a eficiência na produção energética a partir da oxidação de compostos orgânicos.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
Resposta da questão 18:
[D]
As caudas dos Na’Vi e as caudas dos macacos possuiriam a mesma função e diferentes
origens, portanto seriam estruturas análogas, resultantes de um processo de convergência
adaptativa.
Resposta da questão 19:
[C]
As estruturas homólogas derivam de estruturas já existentes em um ancestral comum
exclusivo, podendo ser modificada para exercer uma função. Provêm de um mesmo esboço
embrionário e decorrem de uma irradiação adaptativa.
Resposta da questão 20:
[A]
A teoria da evolução Neodarwiniana ou Neodarwinista tem como base o princípio da seleção
natural dos indivíduos melhores adaptados às condições do ambiente, como, nesse caso, a
presença de antibióticos. No gráfico apresentado nota-se, num dos frascos, uma diminuição no
número de bactérias logo após a adição dos antibióticos. Isso porque o antibiótico eliminou a
maioria da população bacteriana, selecionando as resistentes ao antibiótico, que não morreram
e, ao se reproduzir, fizeram a população voltar a crescer.
Resposta da questão 21:
[D]
Os resultados do experimento demonstram que mesmo plantadas em condições iguais de
altitude, plantas da espécie A e da espécie B mantêm seus fenótipos (produtividade) originais,
mostrando que o componente genético determina seus fenótipos.
Resposta da questão 22:
VVVFV
Verdadeiro: o aquecimento do sangue com a exposição de partes do corpo ao sol aumenta a
atividade metabólica do organismo, fazendo com que tais animais se tornem mais ativos.
Verdadeiro: o consumo de alimentos ricos em calorias, como carboidratos e lipídios, auxilia na
manutenção dos estoques energéticos (glicogênio, triglicerídeos etc.) necessários para manter
a homeostase térmica em baixas temperaturas.
Verdadeiro: a exposição alternada de pequenas partes do corpo a superfícies quentes, como a
areia do deserto, é uma estratégia eficiente que algumas cobras desenvolveram. Já os
roedores, animais de pequeno porte, se protegem do sol e da desidratação escondendo-se em
suas tocas durante o dia, sendo mais ativos à noite.
Falso: ursos hibernam no período do inverno, tempo em que geralmente duram suas reservas
energéticas de gordura acumuladas. Aves migratórias geralmente voam para regiões tropicais.
Verdadeiro: a diminuição da pelagem ajuda na não retenção do calor, facilitando a evaporação.
A evaporação produzida com o suor, por exemplo, auxilia no resfriamento do corpo em
atividade.
Resposta da questão 23:
FVVVV
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel
Falso: o gráfico mostra a irregularidade de chuvas ao longo dos anos, prevalecendo a baixa
precipitação pluviométrica, típica do semiárido nordestino. Assim, as plantas tiveram de se
adaptar morfofisiologicamente ao longo da evolução para conseguir sobreviver em tais
condições climáticas.
Verdadeiro: a caatinga é um dos ecossistemas brasileiros mais ricos em biodiversidade com
prevalência de plantas (xerófitas) adaptadas à reduzida umidade.
Verdadeiro: os espinhos são modificações foliares que reduzem a perda de água e servem de
proteção contra predadores.
Verdadeiro: plantas do semiárido apresentam várias camadas de células da epiderme foliar e
secretam cutina, formando uma cutícula semi-impermeável. Os tricomas são pelos epidérmicos
que conservam o microambiente úmido.
Verdadeiro: a abertura de um número maior de estômatos permite uma troca gasosa mais
eficiente nos curtos períodos de chuva.
Resposta da questão 24:
[B]
O homem desenvolveu tecnologia sofisticada para modificar o ambiente onde vive.
Resposta da questão 25:
[A]
Os membros longos e afinados nas extremidades conferem aos mamíferos que os possuem
uma maior relação superfície em relação ao seu volume. Dessa forma, esses animais
conseguem perder calor em ambientes quentes e sobreviver nas regiões tropicais da Terra.
Treinamento de evolução – Prof. Emanuel

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercícios extras 9ano densidade
Exercícios extras 9ano densidadeExercícios extras 9ano densidade
Exercícios extras 9ano densidade
Professora Raquel
 
Aula 01.1 exercicios velocidade média
Aula 01.1 exercicios velocidade médiaAula 01.1 exercicios velocidade média
Aula 01.1 exercicios velocidade média
Pedro Mateus
 
exercicios-de-tabela-periodica-profº-agamenon-roberto
exercicios-de-tabela-periodica-profº-agamenon-robertoexercicios-de-tabela-periodica-profº-agamenon-roberto
exercicios-de-tabela-periodica-profº-agamenon-roberto
Kassen Azanki
 
avaliação 9 ano química
avaliação 9 ano químicaavaliação 9 ano química
avaliação 9 ano química
daianafrs
 
Tabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º anoTabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º ano
Carlos Magno Braga
 
Exercícios de Hereditariedade e Genética
Exercícios de Hereditariedade e GenéticaExercícios de Hereditariedade e Genética
Exercícios de Hereditariedade e Genética
Luis Silva
 
Lista de exercícios polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Lista de exercícios   polaridade, geometria molecular e forças intermolecularesLista de exercícios   polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Lista de exercícios polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Profª Alda Ernestina
 
Biologia hereditariedade 3º ano 2º bimestre
Biologia   hereditariedade 3º ano 2º bimestreBiologia   hereditariedade 3º ano 2º bimestre
Biologia hereditariedade 3º ano 2º bimestre
escola Argentina Pereira Feitosa
 
Avaliação bimestral de biologia 1º ano
Avaliação bimestral de biologia 1º anoAvaliação bimestral de biologia 1º ano
Avaliação bimestral de biologia 1º ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliação diagnóstica ciencias 9 ano
Avaliação diagnóstica ciencias 9 anoAvaliação diagnóstica ciencias 9 ano
Avaliação diagnóstica ciencias 9 ano
Atividades Diversas Cláudia
 
EXERCÍCIOS DA APOSTILA "MODELOS ATÔMICOS" - 2º ANOS
EXERCÍCIOS DA APOSTILA "MODELOS ATÔMICOS" - 2º ANOSEXERCÍCIOS DA APOSTILA "MODELOS ATÔMICOS" - 2º ANOS
EXERCÍCIOS DA APOSTILA "MODELOS ATÔMICOS" - 2º ANOS
Helena Aragão De Sá Martins
 
Exercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendelExercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendel
Hindria Guimarães
 
210570600-7º-Ano-Atividades-Metodo-Cientifico.pdf
210570600-7º-Ano-Atividades-Metodo-Cientifico.pdf210570600-7º-Ano-Atividades-Metodo-Cientifico.pdf
210570600-7º-Ano-Atividades-Metodo-Cientifico.pdf
CristianaLealSabel
 
Gabarito calor e temperatura
Gabarito   calor e temperaturaGabarito   calor e temperatura
Gabarito calor e temperatura
professoraludmila
 
Reforço de Ciências (Respostas)
Reforço de Ciências (Respostas)Reforço de Ciências (Respostas)
Reforço de Ciências (Respostas)
joana71
 
Plano de aula 7 reprodução
Plano de aula 7 reproduçãoPlano de aula 7 reprodução
Plano de aula 7 reprodução
familiaestagio
 
Aula I - Introdução á genética de populações
Aula I - Introdução á genética de populaçõesAula I - Introdução á genética de populações
Aula I - Introdução á genética de populações
João Monteiro
 
Alavancas arquimedes
Alavancas arquimedesAlavancas arquimedes
Alavancas arquimedes
Fernanda Reis Dias
 
Aula 1 propriedades da matéria
Aula 1   propriedades da matéria Aula 1   propriedades da matéria
Aula 1 propriedades da matéria
profNICODEMOS
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
Andrea Barreto
 

Mais procurados (20)

Exercícios extras 9ano densidade
Exercícios extras 9ano densidadeExercícios extras 9ano densidade
Exercícios extras 9ano densidade
 
Aula 01.1 exercicios velocidade média
Aula 01.1 exercicios velocidade médiaAula 01.1 exercicios velocidade média
Aula 01.1 exercicios velocidade média
 
exercicios-de-tabela-periodica-profº-agamenon-roberto
exercicios-de-tabela-periodica-profº-agamenon-robertoexercicios-de-tabela-periodica-profº-agamenon-roberto
exercicios-de-tabela-periodica-profº-agamenon-roberto
 
avaliação 9 ano química
avaliação 9 ano químicaavaliação 9 ano química
avaliação 9 ano química
 
Tabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º anoTabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º ano
 
Exercícios de Hereditariedade e Genética
Exercícios de Hereditariedade e GenéticaExercícios de Hereditariedade e Genética
Exercícios de Hereditariedade e Genética
 
Lista de exercícios polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Lista de exercícios   polaridade, geometria molecular e forças intermolecularesLista de exercícios   polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Lista de exercícios polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
 
Biologia hereditariedade 3º ano 2º bimestre
Biologia   hereditariedade 3º ano 2º bimestreBiologia   hereditariedade 3º ano 2º bimestre
Biologia hereditariedade 3º ano 2º bimestre
 
Avaliação bimestral de biologia 1º ano
Avaliação bimestral de biologia 1º anoAvaliação bimestral de biologia 1º ano
Avaliação bimestral de biologia 1º ano
 
Avaliação diagnóstica ciencias 9 ano
Avaliação diagnóstica ciencias 9 anoAvaliação diagnóstica ciencias 9 ano
Avaliação diagnóstica ciencias 9 ano
 
EXERCÍCIOS DA APOSTILA "MODELOS ATÔMICOS" - 2º ANOS
EXERCÍCIOS DA APOSTILA "MODELOS ATÔMICOS" - 2º ANOSEXERCÍCIOS DA APOSTILA "MODELOS ATÔMICOS" - 2º ANOS
EXERCÍCIOS DA APOSTILA "MODELOS ATÔMICOS" - 2º ANOS
 
Exercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendelExercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendel
 
210570600-7º-Ano-Atividades-Metodo-Cientifico.pdf
210570600-7º-Ano-Atividades-Metodo-Cientifico.pdf210570600-7º-Ano-Atividades-Metodo-Cientifico.pdf
210570600-7º-Ano-Atividades-Metodo-Cientifico.pdf
 
Gabarito calor e temperatura
Gabarito   calor e temperaturaGabarito   calor e temperatura
Gabarito calor e temperatura
 
Reforço de Ciências (Respostas)
Reforço de Ciências (Respostas)Reforço de Ciências (Respostas)
Reforço de Ciências (Respostas)
 
Plano de aula 7 reprodução
Plano de aula 7 reproduçãoPlano de aula 7 reprodução
Plano de aula 7 reprodução
 
Aula I - Introdução á genética de populações
Aula I - Introdução á genética de populaçõesAula I - Introdução á genética de populações
Aula I - Introdução á genética de populações
 
Alavancas arquimedes
Alavancas arquimedesAlavancas arquimedes
Alavancas arquimedes
 
Aula 1 propriedades da matéria
Aula 1   propriedades da matéria Aula 1   propriedades da matéria
Aula 1 propriedades da matéria
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 

Destaque

Atividades Origem e Evolução do homem
Atividades Origem e Evolução do homemAtividades Origem e Evolução do homem
Atividades Origem e Evolução do homem
Doug Caesar
 
Treinamento origem da vida
Treinamento origem da vidaTreinamento origem da vida
Treinamento origem da vida
emanuel
 
Biologia Tércio
Biologia TércioBiologia Tércio
Biologia Tércio
Pré-Enem Seduc
 
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COCAV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
emanuel
 
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
emanuel
 
Darwin - Evolução
Darwin - EvoluçãoDarwin - Evolução
Darwin - Evolução
Andrea Barreto
 
Questoes 7 ano darwin e lamarck
Questoes 7 ano darwin e lamarckQuestoes 7 ano darwin e lamarck
Questoes 7 ano darwin e lamarck
Ana Lucia Pazera
 
Treinamento sistema excretor
Treinamento sistema excretorTreinamento sistema excretor
Treinamento sistema excretor
emanuel
 
Treinamento Sangue
Treinamento SangueTreinamento Sangue
Treinamento Sangue
emanuel
 
Treinamento proteína e vitaminas
Treinamento proteína e vitaminasTreinamento proteína e vitaminas
Treinamento proteína e vitaminas
emanuel
 
Treinamento cariologia
Treinamento cariologiaTreinamento cariologia
Treinamento cariologia
emanuel
 
Treinamento citoplasma
Treinamento citoplasmaTreinamento citoplasma
Treinamento citoplasma
emanuel
 
Treinamento digestório e respiratório
Treinamento digestório e respiratórioTreinamento digestório e respiratório
Treinamento digestório e respiratório
emanuel
 
Treinamento - Monera e vírus super super med
Treinamento - Monera e vírus super super medTreinamento - Monera e vírus super super med
Treinamento - Monera e vírus super super med
emanuel
 
Treinamento gametogênese
Treinamento gametogêneseTreinamento gametogênese
Treinamento gametogênese
emanuel
 
Treinamento de membrana plasmática
Treinamento de membrana plasmáticaTreinamento de membrana plasmática
Treinamento de membrana plasmática
emanuel
 
Treinamento sistema circulatório humano
Treinamento sistema circulatório humanoTreinamento sistema circulatório humano
Treinamento sistema circulatório humano
emanuel
 
Noções de Histologia
Noções de HistologiaNoções de Histologia
Noções de Histologia
emanuel
 
Treinamento carboidrato e lipídio
Treinamento carboidrato e lipídioTreinamento carboidrato e lipídio
Treinamento carboidrato e lipídio
emanuel
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animal
emanuel
 

Destaque (20)

Atividades Origem e Evolução do homem
Atividades Origem e Evolução do homemAtividades Origem e Evolução do homem
Atividades Origem e Evolução do homem
 
Treinamento origem da vida
Treinamento origem da vidaTreinamento origem da vida
Treinamento origem da vida
 
Biologia Tércio
Biologia TércioBiologia Tércio
Biologia Tércio
 
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COCAV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
 
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
 
Darwin - Evolução
Darwin - EvoluçãoDarwin - Evolução
Darwin - Evolução
 
Questoes 7 ano darwin e lamarck
Questoes 7 ano darwin e lamarckQuestoes 7 ano darwin e lamarck
Questoes 7 ano darwin e lamarck
 
Treinamento sistema excretor
Treinamento sistema excretorTreinamento sistema excretor
Treinamento sistema excretor
 
Treinamento Sangue
Treinamento SangueTreinamento Sangue
Treinamento Sangue
 
Treinamento proteína e vitaminas
Treinamento proteína e vitaminasTreinamento proteína e vitaminas
Treinamento proteína e vitaminas
 
Treinamento cariologia
Treinamento cariologiaTreinamento cariologia
Treinamento cariologia
 
Treinamento citoplasma
Treinamento citoplasmaTreinamento citoplasma
Treinamento citoplasma
 
Treinamento digestório e respiratório
Treinamento digestório e respiratórioTreinamento digestório e respiratório
Treinamento digestório e respiratório
 
Treinamento - Monera e vírus super super med
Treinamento - Monera e vírus super super medTreinamento - Monera e vírus super super med
Treinamento - Monera e vírus super super med
 
Treinamento gametogênese
Treinamento gametogêneseTreinamento gametogênese
Treinamento gametogênese
 
Treinamento de membrana plasmática
Treinamento de membrana plasmáticaTreinamento de membrana plasmática
Treinamento de membrana plasmática
 
Treinamento sistema circulatório humano
Treinamento sistema circulatório humanoTreinamento sistema circulatório humano
Treinamento sistema circulatório humano
 
Noções de Histologia
Noções de HistologiaNoções de Histologia
Noções de Histologia
 
Treinamento carboidrato e lipídio
Treinamento carboidrato e lipídioTreinamento carboidrato e lipídio
Treinamento carboidrato e lipídio
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animal
 

Semelhante a Treinamento de evolução

Aprimoramento 10 - Evolução
Aprimoramento 10 - EvoluçãoAprimoramento 10 - Evolução
Aprimoramento 10 - Evolução
Giovanibiologo
 
Aprimoramento 10
Aprimoramento 10Aprimoramento 10
Aprimoramento 10
Giovani Miranda
 
Caderno de exercícios
Caderno de exercíciosCaderno de exercícios
Caderno de exercícios
SusanavRosa
 
1
11
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICAFT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
sandranascimento
 
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_b
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_bPrv respondida 3mec nov_2011_turma_b
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_b
Ionara Urrutia Moura
 
Prv respondida 3mec out_2012_turma_a
Prv respondida 3mec out_2012_turma_aPrv respondida 3mec out_2012_turma_a
Prv respondida 3mec out_2012_turma_a
Ionara Urrutia Moura
 
Origem da vida-exercícios
Origem da vida-exercíciosOrigem da vida-exercícios
Origem da vida-exercícios
Adriano Sarges
 
Evolucao-2.ppt
Evolucao-2.pptEvolucao-2.ppt
Evolucao-2.ppt
LARISSIFIALDESILVA
 
Exercicios embriologia
Exercicios embriologiaExercicios embriologia
Exercicios embriologia
Acássio Lacerda
 
Exercicios embriologia
Exercicios embriologiaExercicios embriologia
Exercicios embriologia
Acássio Lacerda
 
09336915 -lista_de_exercicio_evolucao
09336915  -lista_de_exercicio_evolucao09336915  -lista_de_exercicio_evolucao
09336915 -lista_de_exercicio_evolucao
antoniojosdaschagas
 
Prv respondida 3_ta ok_out_2012_turma_b
Prv respondida 3_ta ok_out_2012_turma_bPrv respondida 3_ta ok_out_2012_turma_b
Prv respondida 3_ta ok_out_2012_turma_b
Ionara Urrutia Moura
 
Prv respondida 3_ele_nov_2011_turma_a
Prv respondida 3_ele_nov_2011_turma_aPrv respondida 3_ele_nov_2011_turma_a
Prv respondida 3_ele_nov_2011_turma_a
Ionara Urrutia Moura
 
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoTeorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
EduardoBarreto262551
 
1_BG11_T3a_21_CC.pdf
1_BG11_T3a_21_CC.pdf1_BG11_T3a_21_CC.pdf
1_BG11_T3a_21_CC.pdf
José Luís Alves
 
Treinamento para a AV1 - II bimestre
Treinamento para a AV1 - II  bimestreTreinamento para a AV1 - II  bimestre
Treinamento para a AV1 - II bimestre
emanuel
 
Ciclos de vida
Ciclos de vidaCiclos de vida
Ciclos de vida
Sandra Fernandes
 
Teorias da evolução
Teorias da evoluçãoTeorias da evolução
Aula 25 teorias da evolução
Aula 25   teorias da evoluçãoAula 25   teorias da evolução
Aula 25 teorias da evolução
Jonatas Carlos
 

Semelhante a Treinamento de evolução (20)

Aprimoramento 10 - Evolução
Aprimoramento 10 - EvoluçãoAprimoramento 10 - Evolução
Aprimoramento 10 - Evolução
 
Aprimoramento 10
Aprimoramento 10Aprimoramento 10
Aprimoramento 10
 
Caderno de exercícios
Caderno de exercíciosCaderno de exercícios
Caderno de exercícios
 
1
11
1
 
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICAFT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
 
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_b
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_bPrv respondida 3mec nov_2011_turma_b
Prv respondida 3mec nov_2011_turma_b
 
Prv respondida 3mec out_2012_turma_a
Prv respondida 3mec out_2012_turma_aPrv respondida 3mec out_2012_turma_a
Prv respondida 3mec out_2012_turma_a
 
Origem da vida-exercícios
Origem da vida-exercíciosOrigem da vida-exercícios
Origem da vida-exercícios
 
Evolucao-2.ppt
Evolucao-2.pptEvolucao-2.ppt
Evolucao-2.ppt
 
Exercicios embriologia
Exercicios embriologiaExercicios embriologia
Exercicios embriologia
 
Exercicios embriologia
Exercicios embriologiaExercicios embriologia
Exercicios embriologia
 
09336915 -lista_de_exercicio_evolucao
09336915  -lista_de_exercicio_evolucao09336915  -lista_de_exercicio_evolucao
09336915 -lista_de_exercicio_evolucao
 
Prv respondida 3_ta ok_out_2012_turma_b
Prv respondida 3_ta ok_out_2012_turma_bPrv respondida 3_ta ok_out_2012_turma_b
Prv respondida 3_ta ok_out_2012_turma_b
 
Prv respondida 3_ele_nov_2011_turma_a
Prv respondida 3_ele_nov_2011_turma_aPrv respondida 3_ele_nov_2011_turma_a
Prv respondida 3_ele_nov_2011_turma_a
 
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoTeorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
 
1_BG11_T3a_21_CC.pdf
1_BG11_T3a_21_CC.pdf1_BG11_T3a_21_CC.pdf
1_BG11_T3a_21_CC.pdf
 
Treinamento para a AV1 - II bimestre
Treinamento para a AV1 - II  bimestreTreinamento para a AV1 - II  bimestre
Treinamento para a AV1 - II bimestre
 
Ciclos de vida
Ciclos de vidaCiclos de vida
Ciclos de vida
 
Teorias da evolução
Teorias da evoluçãoTeorias da evolução
Teorias da evolução
 
Aula 25 teorias da evolução
Aula 25   teorias da evoluçãoAula 25   teorias da evolução
Aula 25 teorias da evolução
 

Mais de emanuel

Revisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapaRevisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapa
emanuel
 
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
emanuel
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
emanuel
 
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
3° simulado ENEM -  matematica e linguagens3° simulado ENEM -  matematica e linguagens
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
emanuel
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
emanuel
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladistica
emanuel
 
Sistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatórioSistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatório
emanuel
 
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
emanuel
 
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
emanuel
 
1º simulado Enem Compacto
1º simulado   Enem Compacto 1º simulado   Enem Compacto
1º simulado Enem Compacto
emanuel
 
Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1
emanuel
 
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
emanuel
 
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
emanuel
 
Ecologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoEcologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organização
emanuel
 
Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)
emanuel
 
Reino Monera 2015
Reino Monera 2015Reino Monera 2015
Reino Monera 2015
emanuel
 
Aula dica 2014
Aula dica 2014Aula dica 2014
Aula dica 2014
emanuel
 
Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas
emanuel
 
Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014emanuel
 
Av1 matemática e linguagens - 17-05
Av1   matemática e linguagens - 17-05Av1   matemática e linguagens - 17-05
Av1 matemática e linguagens - 17-05
emanuel
 

Mais de emanuel (20)

Revisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapaRevisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapa
 
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
 
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
3° simulado ENEM -  matematica e linguagens3° simulado ENEM -  matematica e linguagens
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladistica
 
Sistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatórioSistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatório
 
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
 
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
 
1º simulado Enem Compacto
1º simulado   Enem Compacto 1º simulado   Enem Compacto
1º simulado Enem Compacto
 
Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1
 
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
 
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
 
Ecologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoEcologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organização
 
Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)
 
Reino Monera 2015
Reino Monera 2015Reino Monera 2015
Reino Monera 2015
 
Aula dica 2014
Aula dica 2014Aula dica 2014
Aula dica 2014
 
Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas
 
Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014
 
Av1 matemática e linguagens - 17-05
Av1   matemática e linguagens - 17-05Av1   matemática e linguagens - 17-05
Av1 matemática e linguagens - 17-05
 

Treinamento de evolução

  • 1. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel 1. Atletas utilizam seus membros anteriores para a realização de lançamentos. As figuras a seguir representam membros anteriores de diferentes espécies animais. De acordo com as figuras e os conhecimentos sobre características evolutivas dos animais, considere as afirmativas a seguir. I. Por terem funções distintas, os membros anteriores de humanos e de aves apresentam esqueletos com estrutura diferente. II. Os membros anteriores de morcegos e de humanos são estruturas que surgiram de forma independente, com origem embrionária diferente. III. As estruturas ósseas das asas de morcegos e de aves são homólogas, pois são derivadas de um ancestral comum. IV. No processo de adaptação para o voo, asas de aves e de morcegos evoluíram independentemente, fenômeno conhecido como evolução convergente. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. b) Somente as afirmativas II e IV são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. e) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas. 2. Fósseis são restos ou vestígios de animais ou plantas que viveram em tempos passados e que, por condições ambientais adequadas, ficaram preservados. Em relação ao processo de fossilização, considere as etapas a seguir: I. As partes moles do corpo são totalmente decompostas. II. O corpo do animal morto é atacado por organismos decompositores e detritívoros. III. Um animal morto à margem de uma lagoa afunda rapidamente e fica totalmente coberto pela água. IV. Ocorre a mineralização das partes duras do corpo do animal. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta das etapas de fossilização em uma lagoa. a) I, II, III, IV b) I, IV, II, III c) II, III, IV, I d) III, IV, I, II e) III, II, I, IV 3. Entre as adaptações da presa contra o predação, está o mimetismo. No mimetismo batesiano, uma espécie comestível mimetiza uma espécie não comestível, ou nociva. Considere as seguintes afirmações, referentes à estabilidade desse tipo de mimetismo. I. O predador que captura um indivíduo de uma espécie não comestível ou nociva evita qualquer presa de aparência semelhante. II. O mímico evolui em direção à aparência de uma espécie não comestível mais depressa do
  • 2. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel que a espécie não comestível acumula diferenças em relação ao mímico. III. O mímico deve ser de uma espécie menos comum que a espécie não comestível. Quais estão corretas? a) Apenas I. b) Apenas II. c) Apenas I e III. d) Apenas II e III. e) I, II e III. 4. A passagem do modo de vida caçador-coletor para um modo de vida mais sedentário aconteceu há cerca de 12 mil anos e foi causada pela domesticação de animais e de plantas. Com base nessa informação, é correto afirmar que a) no início da domesticação, a espécie humana descobriu como induzir mutações nas plantas para obter sementes com características desejáveis. b) a produção de excedentes agrícolas permitiu a paulatina regressão do trabalho, ou seja, a diminuição das intervenções humanas no meio natural com fins produtivos. c) a grande concentração de plantas cultivadas em um único lugar aumentou a quantidade de alimentos, o que prejudicou o processo de sedentarização das populações. d) no processo de domesticação, sementes com características desejáveis pelos seres humanos foram escolhidas para serem plantadas, num processo de seleção artificial. e) a chamada Revolução Neolítica permitiu o desenvolvimento da agricultura e do pastoreio, garantindo a eliminação progressiva de relações sociais escravistas. 5. As técnicas moleculares modernas permitem que as rotas migratórias humanas possam ser identificadas da África aos demais continentes conquistados. Isso é possível, pois o isolamento entre as populações que escolheram rotas migratórias diferentes impede que as variações acumuladas por um grupo sejam compartilhadas com os demais. Dessa forma, as diferentes populações apresentam diferentes marcas genéticas. De acordo com o texto e com base na literatura sobre o assunto, é correto afirmar que os fatores evolutivos envolvidos nesse fenômeno são: a) Mutação e deriva b) Mutação e casamento aleatório. c) Seleção natural e casamento aleatório. d) Migração e grande tamanho populacional. e) Efeito fundador e grande tamanho populacional. 6. Leia o texto para responder à questão a seguir. “(...) os indivíduos que, por causas particulares, são transportados a uma situação muito diferente daquela em que se encontram, e que experimentam constantemente outras influências nessa situação, tomam novas formas devido aos novos hábitos, e como consequência disso constituem uma nova espécie, formada pelo conjunto de indivíduos que estão na mesma circunstância”. O trecho retirado do livro Recherches sur l’organisation des corps vivants, de Jean Baptiste Lamarck, demonstra: a) A teoria fixista indicando que as situações às quais os indivíduos são expostos influenciam a formação de novas características que serão transmitidas aos descendentes. b) O rompimento, em termos filosóficos, do fixismo com o modelo apresentado por Lamarck, propondo uma visão evolucionista sobre a formação de novas espécies. c) A constituição de uma nova espécie baseada na seleção natural dos indivíduos mais aptos a sobreviver quando submetidos a diferentes condições de pressão. d) A influência do conjunto de circunstâncias às quais os indivíduos são submetidos como fator determinante na constituição de novas espécies, baseadas nos conceitos de genética e seleção natural. e) A importância das situações de pressão para a ocorrência de mutações e formação de variações dentro de uma espécie e até mesmo de novas espécies geradas pelo conjunto de indivíduos que sofreram as mesmas alterações genéticas.
  • 3. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel 7. A fauna de vertebrados do fundo de cavernas é representada por peixes, salamandras e morcegos, são animais geralmente despigmentados e, no caso dos peixes, cegos. Sobre a condição de cegueira dos peixes da caverna, atribua verdadeiro (V) ou falso (F) para as afirmativas a seguir, que explicam a razão pela qual encontramos maior incidência de peixes cegos dentro das cavernas do que fora delas, quando comparada com a população de peixes não cegos. ( ) Dentro das cavernas, os peixes não cegos são presas fáceis dos peixes cegos. ( ) Fora das cavernas, os peixes cegos são presas fáceis de predadores. ( ) Fora das cavernas, os peixes não cegos levam vantagem sobre os peixes cegos. ( ) Dentro das cavernas, os peixes cegos levam vantagem sobre os peixes não cegos. Assinale a alternativa que apresenta, de cima para baixo, a sequência correta. a) F, V, V e V. b) F, V, V e F. c) V, F, V e F. d) V, F, F e V. e) V, V, F e F. 8. Quando questionado sobre o significado biológico da evolução, um aluno respondeu: Para mim, a evolução significa uma melhoria da nossa espécie e das outras. Significa um progresso para a perfeição, tal como é a natureza. A partir da análise da resposta do aluno, pode-se afirmar que ela é a) correta, pois a seleção natural visa, de fato, à perfeição das espécies e sua melhoria no tempo evolutivo. b) equivocada, pois a evolução não implica em perfeição, nem visa a um fim programado de melhorias, definido de modo antecipatório. c) correta, pois as espécies buscam uma harmonia garantida pela evolução e já indexada em seu programa genético. d) correta, podendo ser comprovada pela evidencia fóssil, pela anatomia comparada e pela convergência adaptativa. e) equivocada, pois a natureza não é marcada por sucessos na sobrevivência das espécies que ocupam nichos ecológicos similares. 9. “Algumas mudanças evolutivas importantes ocorrem com rapidez suficiente para que possam ser documentadas no decorrer de uma ou de algumas vidas científicas. Isto é particularmente provável quando, devido a atividades humanas ou outras causas, o ambiente de uma população muda ou quando uma espécie é introduzida em um novo ambiente. Por exemplo, as mudanças no suprimento alimentar devido à seca nas Ilhas Galápagos causaram, no período de poucos anos, uma mudança evolutiva substancial, embora temporária, no tamanho do bico de um tentilhão; um vírus introduzido na Austrália para controlar os coelhos evoluiu para uma menor virulência em menos de uma década (e a população de coelhos tornou-se mais resistente a ele); os ratos evoluíram para a resistência ao veneno warfarin; desde a II Guerra Mundial, centenas de espécies de insetos que infestam safras e transmitem doenças desenvolveram resistência ao DDT e a outros inseticidas e a rápida evolução da resistência a antibióticos nos micro-organismos patogênicos gera um dos mais sérios problemas de saúde pública.” Fonte: Futuyma, 2002. Evolução, Ciência e Sociedade (SBG). Esses exemplos decorrem da atuação de a) deriva genética. b) especiação. c) migração. d) mutação cromossômica. e) seleção direcional.
  • 4. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel 10. A heran‫ח‬a de caracter‫ם‬sticas adquiridas durante a vida de um indiv‫ם‬duo— a transmiss‫ד‬o de tra‫ח‬os n‫ד‬o incorporados ‫א‬ sequ‫ך‬ncia de DNA — foi algo arduamente debatido desde que o naturalista franc‫ך‬s Jean-Baptiste Lamarck (1744-1829) concebeu a ideia que levou seu nome. Agora, para desenterrar o conceito lamarckista, precisou-se de uma ‫ת‬nica palavra m‫ב‬gica: “epigen‫י‬tica”. Esse ‫י‬ o termo usado para se referir ao estudo dos padr‫ץ‬es de “express‫ד‬o” (ativa‫דח‬o de genes e fen‫ף‬tipo). A ideia por tr‫ב‬s de tudo ‫י‬ que dois organismos que t‫ך‬m um mesmo genoma podem manifestar caracter‫ם‬sticas totalmente diferentes, se alguns genes n‫ד‬o forem expressos em um deles. Nas duas ‫ת‬ltimas d‫י‬cadas, come‫ח‬ou a crescer o n‫ת‬mero de estudos relatando que padr‫ץ‬es de express‫ד‬o g‫ך‬nica podem ser induzidos por mudan‫ח‬as ambientais e depois passados de pais para filhos. de caracter‫ם‬sticas...filhos. Dispon‫ם‬vel em: <http:// www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=52173>. Acesso em: 10 dez. 2010. A heran‫ח‬a epigen‫י‬tica refere-se ‫א‬s varia‫ח‬ ad se‫חץ‬aretla ed medneped o‫ד‬n euq seneg sod o‫ד‬sserpxe an se‫ץ‬ sequ‫ך‬ncia de bases no DNA. Considerando-se as informa‫ץח‬es contidas no texto e a import‫ג‬ncia desse tema, ‫י‬ poss‫ם‬vel afirmar: a) A lei do uso e desuso foi reconhecida, pelas pesquisas atuais, como um importante fator na geração de novas características herdáveis. b) Lamarck estava certo ao propor que a evolução apresenta uma padrão ramificado característico de uma ancestralidade comum. c) Os conceitos de hereditariedade trabalhados por Mendel mostraram-se, ao longo do tempo, totalmente incapazes de explicar de forma satisfatória a herança genética. d) A epigenética se baseia nas mutações gênicas induzidas por variações do ambiente e que passam a ser herdadas pelos descendentes. e) Indivíduos com o mesmo genótipo podem ser fenotipicamente diferentes se sofreram influências ambientais distintas. 11. Pesquisas recentes consideram que as asas dos insetos evoluíram a partir de apêndices branquiais, estruturas utilizadas como remos por espécies ancestrais aquáticas. Com base no enunciado e de acordo com a perspectiva neodarwinista, considere as afirmativas a seguir. I. Os animais com apêndices branquiais mais desenvolvidos originaram uma descendência mais numerosa. II. As diferenças genéticas acumuladas conduziram ao isolamento reprodutivo da população com apêndices branquiais mais desenvolvidos. III. Em alguns indivíduos da população, ocorreram alterações nos genes responsáveis pelo desenvolvimento dos apêndices branquiais. IV. Ao longo das gerações, foi aumentando a frequência dos alelos responsáveis pelo maior desenvolvimento dos apêndices branquiais. V. A diversidade da população aumentou em relação ao desenvolvimento dos apêndices branquiais. Assinale a alternativa que contém a ordem correta da sequência cronológica dos acontecimentos que explicam a origem das asas dos insetos atuais. a) II, I, V, III e IV. b) III, IV, V, II e I. c) III, V, I, IV e II. d) V, III, IV, II e I. e) V, IV, II, I e III. 12. Os resultados de uma pesquisa realizada na USP revelam que a araucária, o pinheiro brasileiro, produz substâncias antioxidantes e fotoprotetoras. Uma das autoras do estudo considera que, possivelmente, essa característica esteja relacionada ao ambiente com intensa radiação UV em que a espécie surgiu há cerca de 200 milhões de anos. Com base na Teoria Sintética da Evolução, é correto afirmar que a) essas substâncias surgiram para evitar que as plantas sofressem a ação danosa da radiação UV.
  • 5. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel b) a radiação UV provocou mutações nas folhas da araucária, que passaram a produzir tais substâncias. c) a radiação UV atuou como fator de seleção, de maneira que plantas sem tais substâncias eram mais suscetíveis à morte. d) a exposição constante à radiação UV induziu os indivíduos de araucária a produzirem substâncias de defesa contra tal radiação. e) a araucária é um exemplo típico da finalidade da evolução, que é a produção de indivíduos mais fortes e adaptados a qualquer ambiente. 13. O esquema representa o processo de especiação presente nos seres vivos e gerador da diversidade biológica existente no mundo vivo atual. A respeito desse tema e das informações contidas no esquema, é possível afirmar: a) O tipo de especiação representado é alopátrica devido à existência de um isolamento reprodutivo no final do processo evolutivo. b) A especiação é responsável pela geração aleatória de características evolutivas que caracterizam indivíduos de uma mesma espécie. c) Na especiação simpátrica o isolamento geográfico é obtido sem a ocorrência obrigatória de um isolamento reprodutivo. d) Diferenciação do conjunto gênico em populações distintas pode levar a um isolamento reprodutivo com perda total do fluxo gênico entre essas populações. e) O restabelecimento do fluxo gênico entre duas populações ocorre com a quebra do isolamento geográfico juntamente com o distanciamento genético necessário para a especiação se efetivar. 14. Leia as notícias abaixo: “Dezessete hospitais de Brasília estão contaminados com bactéria resistente a antibióticos.” Jornal Zero Hora “...bactérias presentes na boca de tubarões tigre e cabeça-chata, apontados como responsáveis pelos ataques na costa de Pernambuco, são resistentes aos antibióticos...” Jornal do Comércio Sobre este assunto, considere as alternativas abaixo: ( ) Frederick Griffith mostrou que se duas linhagens da bactéria Streptococcus pneumoniae, uma viva e não patogênica (1) e outra patogênica (2), esta morta pelo calor, são misturadas e injetadas em um rato, como ilustrado abaixo, o animal morre. Assim, pode- se concluir que os mecanismos de transferência genética entre as duas bactérias, também poderiam explicar a obtenção de resistência a antibióticos por algumas bactérias encontradas em hospitais.
  • 6. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel ( ) bactérias que nunca tomaram contato com antibióticos também podem ser naturalmente resistentes aos mesmos. ( ) a automedicação de antibióticos pode determinar a seleção de bactérias resistentes como parte de um processo de seleção natural, em que àquelas mais aptas sobrevivem enquanto que as susceptíveis são eliminadas. ( ) quando se reproduzem em um tubo de ensaio, bactérias de uma única espécie produzem clones, caso não haja influência de fatores químicos ou físicos que possam induzir mutações. ( ) vítimas sobreviventes de incidentes com tubarões são igualmente susceptíveis a infecções por bactérias resistentes e não resistentes no ambiente hospitalar. 15. De acordo com os conceitos sobre relações evolutivas entre os seres vivos, assinale o que for correto. 01) As primeiras células eucarióticas teriam surgido a partir das células procarióticas que passaram a desenvolver dobramentos da membrana plasmática, tornando-se ainda maiores e mais complexas. Esses dobramentos teriam originado as organelas citoplasmáticas e a carioteca. 02) Os primeiros eucariontes eram anaeróbios e englobavam bactérias como alimento. Em algum momento da evolução desses organismos, algumas dessas bactérias, que já tinham a capacidade de realizar a respiração, foram mantidas no citoplasma dos eucariontes sem serem degradadas. Essas bactérias teriam sido mantidas por beneficiarem os eucariontes, uma vez que realizavam para eles a respiração. Para a bactéria essa relação simbiótica também era vantajosa, pois recebia proteção e nutrientes dos eucariontes e desta forma teria se perpetuado, e essas bactérias teriam originado as atuais mitocôndrias. 04) Alguns eucariontes mantinham uma relação simbiótica com cianobactérias. Estas realizavam fotossíntese para o eucarionte e dele recebiam proteção e matéria prima. Essa relação mostrou-se tão vantajosa que se perpetuou, e essas cianobactérias teriam originado os atuais cloroplastos. 08) Acredita-se que os primeiros seres vivos eram unicelulares, ou seja, formados por uma única célula e que esta era muito simples, formada por uma membrana plasmática delimitando o citoplasma, no qual estava presente uma molécula de ácido nucleico, em uma região denominada nucleoide. Tal organização corresponde às células procarióticas apresentadas nas bactérias e cianobactérias atuais. 16) Poderia se imaginar que os vírus, por serem formas tão simples de vida, teriam sido os primeiros seres a viverem na Terra. Entretanto, considerando-se que as manifestações vitais dos vírus são totalmente dependentes de uma célula, a qual eles invadem e passam a controlar em seu próprio benefício, conclui-se que as células hospedeiras surgiram antes dos vírus. 16. Além do Horizonte Numa frequência que seus olhos não captam – enxergamos o mundo por uma fresta do espectro eletromagnético – passam pulsos curtos e manifestam-se fluxos constantes de energia. (...) Se fosse possível enxergar no infravermelho próximo, frequência próxima da luz visível, você teria os olhos grandes com que ufólogos descrevem supostos alienígenas surpreendidos em incursões dissimuladas pela Terra. Mas o olho humano foi “pacientemente esculpido” pelo Sol, embora uma ideia como esta possa parecer um pouco surpreendente. Nossos olhos são detectores biológicos de uma parte da energia emitida por uma estrela amarela de meia-idade. Se fosse uma estrela vermelha e envelhecida, nosso olho seria maior.
  • 7. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel (Ulisses Capozzoli. Scientific American Brasil, fevereiro 2011. Adaptado.) Neste fragmento de texto, o autor estabelece uma interessante correlação entre um fenômeno físico e um fenômeno biológico. Com base nas afirmações ali contidas, pode-se afirmar corretamente que a) os fenômenos da física, como o espectro luminoso, não têm influência sobre as formas dos organismos, uma vez que estas são determinadas pela seleção natural. Se fosse o contrário, nosso olho seria bem maior. b) o tamanho e a conformação do olho humano são consequências diretas da ação do sol sobre o desenvolvimento de cada indivíduo, desde a sua concepção até a forma adulta, o que justifica afirmar que nosso olho foi esculpido pelo Sol. c) o tamanho e a conformação do olho humano resultaram da ação da seleção natural. A seleção é um processo que tem, entre seus agentes, os fenômenos físicos, tais como a radiação solar. d) o tamanho e a conformação do olho humano são resultados da seleção natural. Contudo, desenvolveram-se no sentido contrário ao esperado em relação à ação dos raios solares e do espectro luminoso. e) o tamanho e a conformação do olho humano resultaram da ação de fenômenos físicos, como a radiação solar. Estes se sobrepõem aos fenômenos biológicos, como a seleção natural. TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: A figura ilustra as relações de endossimbiose que devem ter ocorrido ao longo da evolução dos seres eucariontes, segundo hipótese de Lynn Margulis. 17. O estabelecimento da primeira endossimbiose representada produziu um importante impacto na evolução do Domínio Eucaria e pode ser identificado como a) o advento de endomembranas que favoreceu a síntese de proteínas associada a um retículo endoplasmático. b) o aumento da eficiência na obtenção de energia a partir de processos oxidativos de transformação energética. c) o estabelecimento de reações fotoautótrofas na produção de componente orgânico. d) a intensificação nas relações parasitárias que dificultaram a sobrevivência dos eucariotos. e) a formação de uma membrana interna delimitadora do material genético celular. 18. No filme Avatar, de James Cameron (20th Century Fox, 2009), os nativos de Pandora, chamados Na’Vi, são indivíduos com 3 metros de altura, pele azulada, feições felinas e cauda que lhes facilita o deslocar por entre os galhos das árvores. Muito embora se trate de uma obra de ficção, na aula de biologia os Na’Vi foram lembrados. Se esses indivíduos fossem uma espécie real, sem parentesco próximo com as espécies da Terra, e considerando que teriam evoluído em um ambiente com pressões seletivas semelhantes às
  • 8. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel da Terra, a cauda dos Na’Vi, em relação à cauda dos macacos, seria um exemplo representativo de estruturas a) homólogas, resultantes de um processo de divergência adaptativa. b) homólogas, resultantes de um processo de convergência adaptativa. c) análogas, resultantes de um processo de divergência adaptativa. d) análogas, resultantes de um processo de convergência adaptativa. e) vestigiais, resultantes de terem sido herdadas de um ancestral comum, a partir do qual a cauda se modificou. 19. A evolução tem como fundamento o estudo comparativo dos organismos, sejam fósseis ou atuais. A figura representa um exemplo de homologia evolutiva entre dois seres vivos. Sobre essas estruturas encontradas em diferentes espécies, afirma- se que I - resultam de evolução convergente . II - provêm do mesmo esboço embrionário. III - decorrem de uma irradiação adaptativa. Estão corretas apenas as afirmativas a) I e II. b) I e III. c) II e III. d) I, II e III. 20. Foram introduzidas em dois frascos, que continham um mesmo meio de cultura, quantidades idênticas de um tipo de bactéria. Após algum tempo de incubação, adicionou-se a apenas um dos frascos um antibiótico estável, de uso frequente na clínica e cuja concentração não se modificou durante todo o experimento. O gráfico a seguir representa a variação do número de bactérias vivas no meio de cultura, em função do tempo de crescimento bacteriano em cada frasco.
  • 9. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel A observação do gráfico permite concluir que, no frasco em que se adicionou o antibiótico, ocorreu uma grande diminuição no número de bactérias e em seguida um aumento do seu crescimento. Segundo a teoria de evolução neodarwiniana, o fato observado nos frascos com antibiótico tem a seguinte explicação: a) a dose usada de antibiótico eliminou a maioria da população selecionando uma minoria resistente que voltou a crescer. b) a dose usada de antibiótico eliminou a grande maioria das bactérias e a minoria sobrevivente se adaptou às condições, voltando a crescer. c) a dose usada de antibiótico provocou uma lentidão no crescimento das bactérias que, após algum tempo, adaptaram- se e voltaram a crescer. d) a dose usada de antibiótico inibiu o crescimento da maioria das bactérias, mas, após a sua degradação, essas bactérias começaram a crescer novamente. e) a dose usada de antibiótico estimulou a adaptação de bactérias, que demoraram mais a crescer. 21. Um pesquisador observou que certa espécie de planta (espécie A) apresentava uma grande variação de produtividade conforme a altitude onde a planta se desenvolvia. Em grandes altitudes, a produtividade era muito baixa e, à medida que a altitude se aproximava do nível do mar, a produtividade aumentava. O mesmo pesquisador observou que outra espécie (espécie B) apresentava resultados diametralmente opostos daqueles observados para a espécie A. Esse pesquisador, então, realizou um experimento no qual sementes de ambas as espécies, coletadas em diferentes altitudes, foram plantadas no nível do mar, em idênticas condições ambientais. Após algum tempo, a produtividade dessas plantas foi medida e observou-se que a espécie A se mostrava mais produtiva quanto menor a altitude de origem da semente. Em relação à espécie B, quanto menor a altitude de origem da semente, menor a produtividade da planta. Sabendo-se que o fenótipo (no caso, a produtividade da planta) é resultado da interação do genótipo com o ambiente, pode-se dizer que o componente que predomina na expressão do fenótipo dessas plantas é o componente: a) ambiental para a planta da espécie A e genético para a planta da espécie B. b) genético para a planta da espécie A e ambiental para a planta da espécie B. c) ambiental tanto para a planta da espécie A quanto para aquela da espécie B. d) genético tanto para a planta da espécie A quanto para aquela da espécie B. e) genético e ambiental para as plantas de ambas as espécies, sem que haja predomínio de um desses componentes. 22. Os animais desenvolveram, ao longo da evolução, uma série de adaptações ecológicas para resistir às variações de temperatura nas diferentes regiões do planeta. Sobre este tema, analise o que se considera a seguir.
  • 10. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel ( ) Animais pecilotérmicos, como alguns lagartos, desenvolveram um mecanismo de adaptação à temperatura, que consiste em expor a cabeça ao sol a fim de esquentar o sangue e aquecer o corpo o suficiente para entrar em atividade. ( ) Animais homeotérmicos respondem metabolicamente às baixas temperaturas, consumindo uma quantidade maior de alimentos ricos em carboidratos e lipídios. ( ) Para tolerar temperaturas elevadas, cobras que vivem em regiões desérticas se movimentam encostando somente parte do corpo na areia quente, enquanto ratos silvestres se escondem em tocas. ( ) A fim de tolerar baixas temperaturas, os ursos polares acumulam carboidratos como reserva energética para depois hibernar por até um ano, enquanto que algumas aves migram para regiões mais quentes. ( ) Para diminuir a temperatura corporal, alguns animais se adaptaram evolutivamente reduzindo a pelagem e, assim, retendo menos calor; outros, aumentaram as taxas de evaporação de água. 23. As plantas do semiárido nordestino realizam uma série de adaptações morfofisiológicas para sobreviverem ao ambiente seco e árido. Sobre estas adaptações, é correto fazer as seguintes afirmações. ( ) Apesar do clima seco, a regularidade da precipitação pluviométrica no semiárido, mostrada no gráfico a seguir, é a principal responsável pela sobrevivência das plantas. ( ) A caatinga representa um bioma típico do semiárido e rico em biodiversidade, caracterizado por uma vegetação xerófita, que perde a folhagem durante a estação seca. ( ) As adaptações morfofisiológicas observadas a seguir no Mandacaru são folhas modificadas para diminuir a perda de água por evaporação. ( ) A presença de cutícula espessa e de tricomas na epiderme foliar são adaptações que conservam a umidade nos períodos sem chuva. ( ) Plantas xerófitas possuem um número maior de estômatos, em comparação com plantas não xerófitas, o que constitui uma vantagem em ambientes secos. 24.
  • 11. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel A tirinha mostra que o ser humano, na busca de atender suas necessidades e de se apropriar dos espaços, a) adotou a acomodação evolucionária como forma de sobrevivência ao se dar conta de suas deficiências impostas pelo meio ambiente. b) utilizou o conhecimento e a técnica para criar equipamentos que lhe permitiram compensar as suas limitações físicas. c) levou vantagens em relação aos seres de menor estatura, por possuir um físico bastante desenvolvido, que lhe permitia muita agilidade. d) dispensou o uso da tecnologia por ter um organismo adaptável aos diferentes tipos de meio ambiente. e) sofreu desvantagens em relação a outras espécies, por utilizar os recursos naturais como forma de se apropriar dos diferentes espaços. 25. A perda de pelos foi uma adaptação às mudanças ambientais, que forçaram nossos ancestrais a deixar a vida sedentária e viajar enormes distâncias à procura de água e comida. Junto com o surgimento de membros mais alongados e com a substituição de glândulas apócrinas (produtoras de suor oleoso e de lenta evaporação) por glândulas écrinas (suor aquoso e de rápida evaporação), a menor quantidade de pelos teria favorecido a manutenção de uma temperatura corporal saudável nos trópicos castigados por calor sufocante, em que viveram nossos ancestrais. Scientific American. Brasil, mar. 2010 (adaptado). De que maneira o tamanho dos membros humanos poderia estar associado à regulação da temperatura corporal? a) Membros mais longos apresentam maior relação superfície/volume, facilitando a perda de maior quantidade de calor. b) Membros mais curtos têm ossos mais espessos, que protegem vasos sanguíneos contra a perda de calor. c) Membros mais curtos desenvolvem mais o panículo adiposo, sendo capazes de reter maior quantidade de calor. d) Membros mais longos possuem pele mais fina e com menos pelos, facilitando a perda de maior quantidade de calor. e) Membros mais longos têm maior massa muscular, capazes de produzir e dissipar maior quantidade de calor.
  • 12. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel Gabarito: Resposta da questão 1: [C] A afirmativa I é incorreta, uma vez que, mesmo tendo funções distintas, os membros anteriores de humanos e de aves apresentam esqueletos com as mesmas estruturas, o que evidencia a ancestralidade comum e a divergência evolutiva dos dois grupos. A afirmativa II também é incorreta, pois os membros dianteiros de morcegos e de humanos possuem a mesma origem embrionária e derivam de estruturas já existentes em um mesmo ancestral comum. As afirmativas III e IV são corretas. Resposta da questão 2: [E] O processo de fossilização de um animal em uma lagoa envolve, essencialmente, a decomposição das partes moles e a sucessiva mineralização das partes duras (ossos, conchas, exoesqueletos) que ficam preservados. Resposta da questão 3: [E] Todas as afirmações referentes ao mimetismo batesiano estão corretas. Resposta da questão 4: [D] Com o início do processo de domesticação de animais e do cultivo de vegetais, iniciou-se também o processo de seleção artificial, no qual vegetais ou animais com características desejáveis foram escolhidos para a reprodução. Isso permitiu que ocorresse de forma gradativa, um aumento na produção dos alimentos. Resposta da questão 5: [A] As variações acumuladas ao longo do tempo evolutivo são resultantes de mutação. A deriva genética é a seleção de variações devida exclusivamente ao acaso. Resposta da questão 6: [B] O texto exprime a visão transformista do autor. Para Lamarck, o ambiente pode provocar mudanças em órgãos, levando à adaptação dos organismos vivos ao meio. Resposta da questão 7: [B] Não é possível afirmar que os peixes não cegos são presas fáceis de peixes cegos no interior de cavernas, onde vivem esses animais. Em ambientes escuros, a presença ou não de olhos funcionais é indiferente. Resposta da questão 8: [B] O processo evolutivo implica em adaptação contínua às mudanças ambientais. O aperfeiçoamento ou busca de melhorias constituem uma visão criacionista do processo de adaptação dos seres vivos ao meio.
  • 13. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel Resposta da questão 9: [E] Resposta da questão 10: [E] A herança epigenética é consequência da influência ambiental sobre a expressão diferencial dos genes. Sabe-se que podem ocorrer mudanças na atividade gênica por ativação e inativação de certas regiões do DNA. Até o momento não foi provado que essas mudanças adquiridas são transmissíveis à descendência. Resposta da questão 11: [C] Segundo os princípios neodarwinistas, o aparecimento de asas ocorreu devido ao acúmulo de mutações durante o tempo evolutivo. Essa variação favoreceu o aumento populacional dos indivíduos que, mais aptos, exploram melhor os recursos ambientais. As diferenças genéticas determinaram o isolamento reprodutivo em relação à espécie ancestral aquática. Resposta da questão 12: [C] Segundo a Teoria Sintética da Evolução, plantas que não possuíam genes para a produção de substâncias fotoprotetoras ficavam suscetíveis à radiação UV e morriam. As que possuíam esses genes conseguiam sobreviver e se reproduzir. Assim, a radiação UV atua como fator que seleciona indivíduos que possuem os genes para a produção dessas substâncias, uma vez que são eles que conseguem sobreviver e gerar descendentes. Resposta da questão 13: [D] A diferenciação do conjunto gênico em populações separados geograficamente ocorre devido à seleção natural de variações resultantes de mutações e recombinações gênicas. As mudanças evolutivas podem interromper o fluxo gênico entre essas populações levando à formação de espécies distintas. Resposta da questão 14: V – V – V – V – F. No ambiente hospitalar, os pacientes e profissionais são mais suscetíveis a infecções causadas por bactérias resistentes aos quimioterápicos disponíveis para tratamento. Resposta da questão 15: 01 + 02 + 04 + 08 + 16 = 31. Todas as afirmativas sobre as relações evolutivas entre os seres vivos são corretas. Resposta da questão 16: [C] O tamanho e a contornação do olho humano resultam de um longo processo de seleção natural, promovido por fenômenos físicos e biológicos. Resposta da questão 17: [B] A associação entre micro-organismos procarióticos aeróbicos com unicelulares eucarióticos aumentou a eficiência na produção energética a partir da oxidação de compostos orgânicos.
  • 14. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel Resposta da questão 18: [D] As caudas dos Na’Vi e as caudas dos macacos possuiriam a mesma função e diferentes origens, portanto seriam estruturas análogas, resultantes de um processo de convergência adaptativa. Resposta da questão 19: [C] As estruturas homólogas derivam de estruturas já existentes em um ancestral comum exclusivo, podendo ser modificada para exercer uma função. Provêm de um mesmo esboço embrionário e decorrem de uma irradiação adaptativa. Resposta da questão 20: [A] A teoria da evolução Neodarwiniana ou Neodarwinista tem como base o princípio da seleção natural dos indivíduos melhores adaptados às condições do ambiente, como, nesse caso, a presença de antibióticos. No gráfico apresentado nota-se, num dos frascos, uma diminuição no número de bactérias logo após a adição dos antibióticos. Isso porque o antibiótico eliminou a maioria da população bacteriana, selecionando as resistentes ao antibiótico, que não morreram e, ao se reproduzir, fizeram a população voltar a crescer. Resposta da questão 21: [D] Os resultados do experimento demonstram que mesmo plantadas em condições iguais de altitude, plantas da espécie A e da espécie B mantêm seus fenótipos (produtividade) originais, mostrando que o componente genético determina seus fenótipos. Resposta da questão 22: VVVFV Verdadeiro: o aquecimento do sangue com a exposição de partes do corpo ao sol aumenta a atividade metabólica do organismo, fazendo com que tais animais se tornem mais ativos. Verdadeiro: o consumo de alimentos ricos em calorias, como carboidratos e lipídios, auxilia na manutenção dos estoques energéticos (glicogênio, triglicerídeos etc.) necessários para manter a homeostase térmica em baixas temperaturas. Verdadeiro: a exposição alternada de pequenas partes do corpo a superfícies quentes, como a areia do deserto, é uma estratégia eficiente que algumas cobras desenvolveram. Já os roedores, animais de pequeno porte, se protegem do sol e da desidratação escondendo-se em suas tocas durante o dia, sendo mais ativos à noite. Falso: ursos hibernam no período do inverno, tempo em que geralmente duram suas reservas energéticas de gordura acumuladas. Aves migratórias geralmente voam para regiões tropicais. Verdadeiro: a diminuição da pelagem ajuda na não retenção do calor, facilitando a evaporação. A evaporação produzida com o suor, por exemplo, auxilia no resfriamento do corpo em atividade. Resposta da questão 23: FVVVV
  • 15. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel Falso: o gráfico mostra a irregularidade de chuvas ao longo dos anos, prevalecendo a baixa precipitação pluviométrica, típica do semiárido nordestino. Assim, as plantas tiveram de se adaptar morfofisiologicamente ao longo da evolução para conseguir sobreviver em tais condições climáticas. Verdadeiro: a caatinga é um dos ecossistemas brasileiros mais ricos em biodiversidade com prevalência de plantas (xerófitas) adaptadas à reduzida umidade. Verdadeiro: os espinhos são modificações foliares que reduzem a perda de água e servem de proteção contra predadores. Verdadeiro: plantas do semiárido apresentam várias camadas de células da epiderme foliar e secretam cutina, formando uma cutícula semi-impermeável. Os tricomas são pelos epidérmicos que conservam o microambiente úmido. Verdadeiro: a abertura de um número maior de estômatos permite uma troca gasosa mais eficiente nos curtos períodos de chuva. Resposta da questão 24: [B] O homem desenvolveu tecnologia sofisticada para modificar o ambiente onde vive. Resposta da questão 25: [A] Os membros longos e afinados nas extremidades conferem aos mamíferos que os possuem uma maior relação superfície em relação ao seu volume. Dessa forma, esses animais conseguem perder calor em ambientes quentes e sobreviver nas regiões tropicais da Terra.
  • 16. Treinamento de evolução – Prof. Emanuel