SlideShare uma empresa Scribd logo
REINO
PROTISTA:
Protozoários
e suas
doenças
Professor Guilherme Goulart
http://biologiagui.com.br
Protozoários e protozooses
Os protozoários, pela classifica-
ção de Whittaker, 1969 (a de
cinco Reinos), fazem parte do
Reino PROTOCTISTA, que além
deles abrigam as algas e os
mixomicetos.
São considerados o
grupo base para a
origem dos animais
(Reino Metazoa).
São EUCARIONTES
de vida livre,
parasita ou séssil.
A classificação dos proto-
zoários ainda é bastante
controversa devido a proximi-
dade com algas e até fungos.
Neste material adoto a
classificação com SEIS Filos.
Características Gerais
• Unicelulares livres, parasitas ou até
sésseis;
• Célula eucarionte pouco especializada;
• Locomoção por cílios, flagelos ou
pseudópodes;
FISIOLOGIA:
Digestão: intracelular; por fagocitose;
com citóstoma e citoprocto (alguns).
Respiração: aeróbios (livres) e
anaeróbios obrigatórios ou facultativos
(parasitas).
Excreção: amônia.
A osmorregulação é realizada em
protozoários de água doce por um
VACÚOLOS CONTRÁTEIS, que eliminam
água que entra do meio hipotônico
externo por osmose.
Citoprocto
Citóstomo
Classificação
A classificação mais didática atualmente divide protozoários quanto a forma de
locomoção e a estrutura celular.
São aceitos, nessa classificação, SEIS FILOS. Alguns autores apontam até vinte filos.
FILO RHIZOPODA ou SARCODINA (amebas)
- Células assimétricas;
- Locomoção por pseudópodos;
- Nutrição por fagocitose;
- Livres ou parasitas;
- Vacúolos desenvolvidos;
- Com (Arcella) ou sem carapaça
(Entamoeba – o rizópodo mais
conhecido, causador da ambíase).
Etapas do processo de fagocitose
Arcella
FILO ACTINOPODA (radiolários e heliozoários)
Cápsula interna de um radiolário Fotomicrografia de um heliozoário
Apresentam pseudópodes afilados (raios) chamdos axópodes. Nos radiolários
ocorre uma cápsula central esférica perfurada formada por quitina.
Radiolários são exclusivamente marinhos, heliozoários, no entanto, são
praticamente todos dulcículas. São formadores do zooplâncton.
FILO FORAMINIFERA (foraminíferos)
A “areia estrelada", encontrada nas praias
japoneses de Okinawa, é composta de
minúsculos fósseis de foraminíferos. A
semelhança com certas conchas de
moluscos é impressionante.
ᔥ Flickr photo sharing
Os foraminíferos possuem
carapaças, de carbonato de cálcio
ou quitina, com perfurações por
onde saem os pseudópodes.
As pirâmides do Egito foram cons-
truídas com vasa, uma rocha
calcárea formada por cara-
paças de foraminíferos.
FILO APICOMPLEXA (esporozoários)
Plasmodium em processo de infecção
às hemácias. Vê-se o complexo apical.
Apicomplexos não apresentam apêndices
locomotores. Contudo são dotados, em
algum estágio de vida, do complexo apical,
que possui função de penetração nas células
hospedeiras.
Todos esporozoários são parasitas. As
doenças mais conhecidas causadas por eles
são a malária (causada pelo Plasmodium sp.)
e a toxoplasmose (causada pelo Toxoplasma
gondii).
Toxoplasma em uma
célula hospedeira.
FILO ZOOMASTIGOPHORA (flagelados)
Protozoários normalmente dotados de flagelos de vida livre, parasita ou séssil. Há
exemplos também de mutualistas.
Tripanosoma cruzi, o causador
da doença de Chagas
Leishmania brasiliensis, o
causador da leishmaniose.
Codosiga sp., um
protozoário colonial séssil.
Certos flagelados, como os do gênero Thrichonympha
vivem no intestino de cupins e, em uma associação
mutualista, ajudam esse artrópodo a realizar a
digestão de celulose.
FILO CILIOPHORA (ciliados)
Paramecium, o mais
desenvolvido protozoário.
Vorticella, um exemplo de
ciliado séssil. Balantidium, parasita de
intestino de porco que,
muito ocasionalmente,
pode parasitar o homem.
Os ciliados caracterizam-se por melhor desenvolvimento das funções celulares,
cílios para a locomoção e a presença de um macronúcleo (que contém o DNA usado
nos processo vitais) e um micronúcleo (que participa dos processos sexuais)
Reprodução
“Sexuada”: Conjugação
Assexuada:
- Divisão binária (1 → 2)
- Divisão múltipla (1 → vários)
Parasitoses
As principais doenças causadas por
PROTOZOÁRIOS são:
 Malária
 Doença de Chagas
 Leishmaniose
 Amebíase
 Giardíase
 Tricomoníase
 Toxoplasmose
 Doença-do-sono
 Balantidose
A malária é uma doença tropical negligenciada, segundo a OMS.
Malária
“Estima-se que, descontadas as guerras e as mortes acidentais, essa doença foi responsável
por metade dos óbitos da história da humanidade desde a Idade da Pedra, 600 mil anos
atrás.” (ᔥ Mundo Estranho)
AGENTES ETIOLÓGICOS:
 Plasmodium falciparum
 Plasmodium malarie
 Plasmodium vivax
(Filo Apicomplexa)
A mais comum forma de malária é
provocada pelo P. vivax e é esta
que mais ocorre no Brasil.
P. falciparum atacando eritrócito
Esta doença tem como AGENTE
TRANSMISSOR o mosquito Anopheles,
denominado vulgarmente de
“mosquito-prego”. A transmissão da
malária ocorre pela saliva do mosquito.
CICLO DE VIDA DO Plasmodium
Hemólise liberando gametócitos.
O parasita ataca o fígado e dentro
de TRÊS DIAS provoca destruição
dos eritrócitos, provocando febre
alta e cíclica (terçã).
HOMEM:
Hospediero intermediário
MOSQUITO:
Hospedeiro definitivo
Fonte: OMS (WHO - World Health Organization)
Doença de Chagas
A Doença de Chagas
é típica da América
do Sul, com focos
principalmente em
Minas Gerais, sul do
Brasil e norte da
Argentina.
“A tripanossomíase americana foi
descoberta em 1909 sob
circunstâncias peculiares: o autor
da descoberta, Carlos Chagas,
havia sido enviado a um povoado
em Minas Gerais para dirigir uma
campanha antimalárica quando
tomou conhecimento de um
inseto hematófago – o vetor da
infecção parasitária. Ele havia sido
alertado sobre a coincidência de
sintomas peculiares e a presença
deste inseto nas casas de barro e
de madeira da região.”
(ᔥ M. Coutinho & J. C. P. Dias)
Protozoários e protozooses
AGENTE ETIOLÓGICO:
 Trypanosoma cruzi
(Filo Zoomastigophora)
Também existe outra forma de
tripanossomíase, a africana, conhecida
popularmente como “doença-do-sono”.
Esta é causada pelo T. brucei.
AGENTE TRANSMISSOR:
 Triatoma infestans (barbeiro)
O barbeiro é um percevejo (Família
Hemiptera) hematófago que provoca a
infestação por meio de suas fezes,
normalmente depositadas próximas ao
poro da picada.
CICLO DE VIDA DO Trypanosoma
2
1
4
5
3
O sinal de Romaña é um sintoma
recorrente em aproximadamente 20%
dos casos, na fase aguda. A cardiome-
galia se manifesta ao decorrer da fase
crônica, que pode durar anos.
Coração normal
Coração chagástico
Leishmaniose
AGENTE ETIOLÓGICO:
 Leishmania brasiliensis (LEISHMANIOSE CUTÂNEA)
 Leishmania donovani (LEISHMANIOSE VISCERAL)
(Filo Zoomastigophora)
AGENTE TRANSMISSOR:
 Phlebotomus (o mosquito-palha)
10 µm
Protozoários e protozooses
CICLO DE
VIDA DO
Leishmania
O principal banco de reser-
va para a leishmaniose são
cães. Entre as medidas pro-
filáticas para a doença está
erradicar animais contami-
nados.
Criança com
leishmaniose
visceral:
notável
inchaço da
cavidade
abdominal
Leishmaniose
mucocutânea:
lesão cartila-
ginosa
Leishmaniose
cutânea:
úlcera-de-bauru
Doença Causador Infecção Sintomas
Amebíase Entamoeba histolytica
Água ou alimentos
contaminados
Diarreias e, em casos mais
graves, comprometimento
de órgãos e tecidos
Giardíase Giardia lamblia
Água ou alimentos
contaminados
Diarreia crônica com cheiro
forte, fraqueza e cólicas
abdominais
Tricomoníase Trichomonas vaginalis Relação sexual
Secreção espumosa de cor
verde-amarelada e odor
desagradável, proveniente
da vagina
Toxoplasmose Toxoplasma gondii
Água ou alimentos
contaminados; gatos
Abortos, neuropatias e
oftalmopatias
Doença-do-
sono
Trypanosoma brucei
Picada da mosca tsé-
tsé (Glosina)
Febre, tremores, dores
musculares e articulares,
linfadenopatia, mal estar,
perda de peso
Balantidíase Balandidium sp.
Água ou alimentos
contaminados
Febre, anorexia, náuseas,
vômitos e diarréia
Outras protozooses
Professor Guilherme Goulart
http://biologiagui.com.br
http://www.facebook.com/biologiaprofgui
http://www.slideshare.net/biologiagui

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
emanuel
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
profatatiana
 
Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)
Bio
 
Algas aula
Algas aulaAlgas aula
Algas aula
Marcos Santos
 
Cnidários
CnidáriosCnidários
Cnidários
Jocimar Araujo
 
Slides fungos
Slides  fungosSlides  fungos
Slides fungos
Jean Carlos Wittaczik
 
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e NematelmintosIII.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
Rebeca Vale
 
Biologia - Platelmintos
Biologia - PlatelmintosBiologia - Platelmintos
Biologia - Platelmintos
Carson Souza
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
profatatiana
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
Bio
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
Slides de Tudo
 
Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)
Bio
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
Killer Max
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
Marcia Bantim
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
Gildo Crispim
 
Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)
Bio
 
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Giardia
GiardiaGiardia
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
Gabriela de Lima
 

Mais procurados (20)

Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
 
Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)
 
Algas aula
Algas aulaAlgas aula
Algas aula
 
Cnidários
CnidáriosCnidários
Cnidários
 
Slides fungos
Slides  fungosSlides  fungos
Slides fungos
 
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e NematelmintosIII.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
 
Biologia - Platelmintos
Biologia - PlatelmintosBiologia - Platelmintos
Biologia - Platelmintos
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
 
Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
 
Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)
 
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
 
Giardia
GiardiaGiardia
Giardia
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
 

Semelhante a Protozoários e protozooses

Protozooses.Reino Protista: Protozooses Curso Técnico: Agente Comunitário de ...
Protozooses.Reino Protista: ProtozoosesCurso Técnico: Agente Comunitário de ...Protozooses.Reino Protista: ProtozoosesCurso Técnico: Agente Comunitário de ...
Protozooses.Reino Protista: Protozooses Curso Técnico: Agente Comunitário de ...
BethniaOliveira
 
Reino Protoctista
Reino ProtoctistaReino Protoctista
Reino Protoctista
infoeducp2
 
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.GravA.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
Albano Novaes
 
Protozooses
Protozooses Protozooses
Protozooses
CristinaBrandao
 
Aula 1 reino protista
Aula 1  reino protistaAula 1  reino protista
Aula 1 reino protista
Neila
 
Protista
ProtistaProtista
Protista
Marta Alves
 
Marcelo Brilhante Reino Protista
Marcelo Brilhante   Reino ProtistaMarcelo Brilhante   Reino Protista
Marcelo Brilhante Reino Protista
espacoaberto
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino ProtistaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Turma Olímpica
 
Aula protista
Aula protistaAula protista
Aula protista
Raquel Padilha
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
Jefferson LIMA
 
Aula 3 trypanossoma leishmania
Aula 3 trypanossoma leishmaniaAula 3 trypanossoma leishmania
Aula 3 trypanossoma leishmania
Adila Trubat
 
Reino protista: protozoarios
Reino protista: protozoariosReino protista: protozoarios
Reino protista: protozoarios
Ernesto Silva
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
Helder Pires
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Protozoarios
Marta810319
 
Reino animal
Reino animalReino animal
Reino animal
aulasdotubao
 
Monitoria de Fito - Parte 1. com fungos pdf
Monitoria de Fito - Parte 1. com fungos pdfMonitoria de Fito - Parte 1. com fungos pdf
Monitoria de Fito - Parte 1. com fungos pdf
Gamestudio4
 
008 helmintos
008   helmintos008   helmintos
008 helmintos
Jonatas Barros
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
tiago.ufc
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
Fernanda Hellen
 
Aula 7º ano reino protista
Aula 7º ano reino protistaAula 7º ano reino protista
Aula 7º ano reino protista
Jefferson Izaías Oliveira Laurindo
 

Semelhante a Protozoários e protozooses (20)

Protozooses.Reino Protista: Protozooses Curso Técnico: Agente Comunitário de ...
Protozooses.Reino Protista: ProtozoosesCurso Técnico: Agente Comunitário de ...Protozooses.Reino Protista: ProtozoosesCurso Técnico: Agente Comunitário de ...
Protozooses.Reino Protista: Protozooses Curso Técnico: Agente Comunitário de ...
 
Reino Protoctista
Reino ProtoctistaReino Protoctista
Reino Protoctista
 
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.GravA.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
 
Protozooses
Protozooses Protozooses
Protozooses
 
Aula 1 reino protista
Aula 1  reino protistaAula 1  reino protista
Aula 1 reino protista
 
Protista
ProtistaProtista
Protista
 
Marcelo Brilhante Reino Protista
Marcelo Brilhante   Reino ProtistaMarcelo Brilhante   Reino Protista
Marcelo Brilhante Reino Protista
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino ProtistaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
 
Aula protista
Aula protistaAula protista
Aula protista
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
 
Aula 3 trypanossoma leishmania
Aula 3 trypanossoma leishmaniaAula 3 trypanossoma leishmania
Aula 3 trypanossoma leishmania
 
Reino protista: protozoarios
Reino protista: protozoariosReino protista: protozoarios
Reino protista: protozoarios
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Protozoarios
 
Reino animal
Reino animalReino animal
Reino animal
 
Monitoria de Fito - Parte 1. com fungos pdf
Monitoria de Fito - Parte 1. com fungos pdfMonitoria de Fito - Parte 1. com fungos pdf
Monitoria de Fito - Parte 1. com fungos pdf
 
008 helmintos
008   helmintos008   helmintos
008 helmintos
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
 
Aula 7º ano reino protista
Aula 7º ano reino protistaAula 7º ano reino protista
Aula 7º ano reino protista
 

Mais de Guilherme Orlandi Goulart

Revisão de Biologia #03 - Enem 2015
 Revisão de Biologia #03 - Enem 2015 Revisão de Biologia #03 - Enem 2015
Revisão de Biologia #03 - Enem 2015
Guilherme Orlandi Goulart
 
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Guilherme Orlandi Goulart
 
Revisão de Biologia #01 - Enem 2015
Revisão de Biologia #01 - Enem 2015Revisão de Biologia #01 - Enem 2015
Revisão de Biologia #01 - Enem 2015
Guilherme Orlandi Goulart
 
Aulão ACAFE 2013 - Biologia
Aulão ACAFE 2013 - BiologiaAulão ACAFE 2013 - Biologia
Aulão ACAFE 2013 - Biologia
Guilherme Orlandi Goulart
 
Composição química dos seres II
Composição química dos seres IIComposição química dos seres II
Composição química dos seres II
Guilherme Orlandi Goulart
 
Zoologia: Anelídeos
Zoologia: AnelídeosZoologia: Anelídeos
Zoologia: Anelídeos
Guilherme Orlandi Goulart
 
Zoologia: Nematelmintos
Zoologia: NematelmintosZoologia: Nematelmintos
Zoologia: Nematelmintos
Guilherme Orlandi Goulart
 
Zoologia: Platelmintos
Zoologia: PlatelmintosZoologia: Platelmintos
Zoologia: Platelmintos
Guilherme Orlandi Goulart
 
Zoologia: Cnidários
Zoologia: CnidáriosZoologia: Cnidários
Zoologia: Cnidários
Guilherme Orlandi Goulart
 
Zoologia: Poríferos
Zoologia: PoríferosZoologia: Poríferos
Zoologia: Poríferos
Guilherme Orlandi Goulart
 
Composição química dos seres - Parte I
Composição química dos seres - Parte IComposição química dos seres - Parte I
Composição química dos seres - Parte I
Guilherme Orlandi Goulart
 
Sistema Digestório
Sistema DigestórioSistema Digestório
Sistema Digestório
Guilherme Orlandi Goulart
 

Mais de Guilherme Orlandi Goulart (12)

Revisão de Biologia #03 - Enem 2015
 Revisão de Biologia #03 - Enem 2015 Revisão de Biologia #03 - Enem 2015
Revisão de Biologia #03 - Enem 2015
 
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
 
Revisão de Biologia #01 - Enem 2015
Revisão de Biologia #01 - Enem 2015Revisão de Biologia #01 - Enem 2015
Revisão de Biologia #01 - Enem 2015
 
Aulão ACAFE 2013 - Biologia
Aulão ACAFE 2013 - BiologiaAulão ACAFE 2013 - Biologia
Aulão ACAFE 2013 - Biologia
 
Composição química dos seres II
Composição química dos seres IIComposição química dos seres II
Composição química dos seres II
 
Zoologia: Anelídeos
Zoologia: AnelídeosZoologia: Anelídeos
Zoologia: Anelídeos
 
Zoologia: Nematelmintos
Zoologia: NematelmintosZoologia: Nematelmintos
Zoologia: Nematelmintos
 
Zoologia: Platelmintos
Zoologia: PlatelmintosZoologia: Platelmintos
Zoologia: Platelmintos
 
Zoologia: Cnidários
Zoologia: CnidáriosZoologia: Cnidários
Zoologia: Cnidários
 
Zoologia: Poríferos
Zoologia: PoríferosZoologia: Poríferos
Zoologia: Poríferos
 
Composição química dos seres - Parte I
Composição química dos seres - Parte IComposição química dos seres - Parte I
Composição química dos seres - Parte I
 
Sistema Digestório
Sistema DigestórioSistema Digestório
Sistema Digestório
 

Último

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 

Protozoários e protozooses

  • 3. Os protozoários, pela classifica- ção de Whittaker, 1969 (a de cinco Reinos), fazem parte do Reino PROTOCTISTA, que além deles abrigam as algas e os mixomicetos. São considerados o grupo base para a origem dos animais (Reino Metazoa). São EUCARIONTES de vida livre, parasita ou séssil. A classificação dos proto- zoários ainda é bastante controversa devido a proximi- dade com algas e até fungos. Neste material adoto a classificação com SEIS Filos.
  • 4. Características Gerais • Unicelulares livres, parasitas ou até sésseis; • Célula eucarionte pouco especializada; • Locomoção por cílios, flagelos ou pseudópodes; FISIOLOGIA: Digestão: intracelular; por fagocitose; com citóstoma e citoprocto (alguns). Respiração: aeróbios (livres) e anaeróbios obrigatórios ou facultativos (parasitas). Excreção: amônia. A osmorregulação é realizada em protozoários de água doce por um VACÚOLOS CONTRÁTEIS, que eliminam água que entra do meio hipotônico externo por osmose. Citoprocto Citóstomo
  • 5. Classificação A classificação mais didática atualmente divide protozoários quanto a forma de locomoção e a estrutura celular. São aceitos, nessa classificação, SEIS FILOS. Alguns autores apontam até vinte filos.
  • 6. FILO RHIZOPODA ou SARCODINA (amebas) - Células assimétricas; - Locomoção por pseudópodos; - Nutrição por fagocitose; - Livres ou parasitas; - Vacúolos desenvolvidos; - Com (Arcella) ou sem carapaça (Entamoeba – o rizópodo mais conhecido, causador da ambíase). Etapas do processo de fagocitose Arcella
  • 7. FILO ACTINOPODA (radiolários e heliozoários) Cápsula interna de um radiolário Fotomicrografia de um heliozoário Apresentam pseudópodes afilados (raios) chamdos axópodes. Nos radiolários ocorre uma cápsula central esférica perfurada formada por quitina. Radiolários são exclusivamente marinhos, heliozoários, no entanto, são praticamente todos dulcículas. São formadores do zooplâncton.
  • 8. FILO FORAMINIFERA (foraminíferos) A “areia estrelada", encontrada nas praias japoneses de Okinawa, é composta de minúsculos fósseis de foraminíferos. A semelhança com certas conchas de moluscos é impressionante. ᔥ Flickr photo sharing Os foraminíferos possuem carapaças, de carbonato de cálcio ou quitina, com perfurações por onde saem os pseudópodes. As pirâmides do Egito foram cons- truídas com vasa, uma rocha calcárea formada por cara- paças de foraminíferos.
  • 9. FILO APICOMPLEXA (esporozoários) Plasmodium em processo de infecção às hemácias. Vê-se o complexo apical. Apicomplexos não apresentam apêndices locomotores. Contudo são dotados, em algum estágio de vida, do complexo apical, que possui função de penetração nas células hospedeiras. Todos esporozoários são parasitas. As doenças mais conhecidas causadas por eles são a malária (causada pelo Plasmodium sp.) e a toxoplasmose (causada pelo Toxoplasma gondii). Toxoplasma em uma célula hospedeira.
  • 10. FILO ZOOMASTIGOPHORA (flagelados) Protozoários normalmente dotados de flagelos de vida livre, parasita ou séssil. Há exemplos também de mutualistas. Tripanosoma cruzi, o causador da doença de Chagas Leishmania brasiliensis, o causador da leishmaniose. Codosiga sp., um protozoário colonial séssil. Certos flagelados, como os do gênero Thrichonympha vivem no intestino de cupins e, em uma associação mutualista, ajudam esse artrópodo a realizar a digestão de celulose.
  • 11. FILO CILIOPHORA (ciliados) Paramecium, o mais desenvolvido protozoário. Vorticella, um exemplo de ciliado séssil. Balantidium, parasita de intestino de porco que, muito ocasionalmente, pode parasitar o homem. Os ciliados caracterizam-se por melhor desenvolvimento das funções celulares, cílios para a locomoção e a presença de um macronúcleo (que contém o DNA usado nos processo vitais) e um micronúcleo (que participa dos processos sexuais)
  • 12. Reprodução “Sexuada”: Conjugação Assexuada: - Divisão binária (1 → 2) - Divisão múltipla (1 → vários)
  • 13. Parasitoses As principais doenças causadas por PROTOZOÁRIOS são:  Malária  Doença de Chagas  Leishmaniose  Amebíase  Giardíase  Tricomoníase  Toxoplasmose  Doença-do-sono  Balantidose
  • 14. A malária é uma doença tropical negligenciada, segundo a OMS. Malária “Estima-se que, descontadas as guerras e as mortes acidentais, essa doença foi responsável por metade dos óbitos da história da humanidade desde a Idade da Pedra, 600 mil anos atrás.” (ᔥ Mundo Estranho)
  • 15. AGENTES ETIOLÓGICOS:  Plasmodium falciparum  Plasmodium malarie  Plasmodium vivax (Filo Apicomplexa) A mais comum forma de malária é provocada pelo P. vivax e é esta que mais ocorre no Brasil. P. falciparum atacando eritrócito Esta doença tem como AGENTE TRANSMISSOR o mosquito Anopheles, denominado vulgarmente de “mosquito-prego”. A transmissão da malária ocorre pela saliva do mosquito.
  • 16. CICLO DE VIDA DO Plasmodium Hemólise liberando gametócitos. O parasita ataca o fígado e dentro de TRÊS DIAS provoca destruição dos eritrócitos, provocando febre alta e cíclica (terçã). HOMEM: Hospediero intermediário MOSQUITO: Hospedeiro definitivo
  • 17. Fonte: OMS (WHO - World Health Organization)
  • 18. Doença de Chagas A Doença de Chagas é típica da América do Sul, com focos principalmente em Minas Gerais, sul do Brasil e norte da Argentina. “A tripanossomíase americana foi descoberta em 1909 sob circunstâncias peculiares: o autor da descoberta, Carlos Chagas, havia sido enviado a um povoado em Minas Gerais para dirigir uma campanha antimalárica quando tomou conhecimento de um inseto hematófago – o vetor da infecção parasitária. Ele havia sido alertado sobre a coincidência de sintomas peculiares e a presença deste inseto nas casas de barro e de madeira da região.” (ᔥ M. Coutinho & J. C. P. Dias)
  • 20. AGENTE ETIOLÓGICO:  Trypanosoma cruzi (Filo Zoomastigophora) Também existe outra forma de tripanossomíase, a africana, conhecida popularmente como “doença-do-sono”. Esta é causada pelo T. brucei. AGENTE TRANSMISSOR:  Triatoma infestans (barbeiro) O barbeiro é um percevejo (Família Hemiptera) hematófago que provoca a infestação por meio de suas fezes, normalmente depositadas próximas ao poro da picada.
  • 21. CICLO DE VIDA DO Trypanosoma 2 1 4 5 3
  • 22. O sinal de Romaña é um sintoma recorrente em aproximadamente 20% dos casos, na fase aguda. A cardiome- galia se manifesta ao decorrer da fase crônica, que pode durar anos. Coração normal Coração chagástico
  • 23. Leishmaniose AGENTE ETIOLÓGICO:  Leishmania brasiliensis (LEISHMANIOSE CUTÂNEA)  Leishmania donovani (LEISHMANIOSE VISCERAL) (Filo Zoomastigophora) AGENTE TRANSMISSOR:  Phlebotomus (o mosquito-palha) 10 µm
  • 25. CICLO DE VIDA DO Leishmania O principal banco de reser- va para a leishmaniose são cães. Entre as medidas pro- filáticas para a doença está erradicar animais contami- nados.
  • 27. Doença Causador Infecção Sintomas Amebíase Entamoeba histolytica Água ou alimentos contaminados Diarreias e, em casos mais graves, comprometimento de órgãos e tecidos Giardíase Giardia lamblia Água ou alimentos contaminados Diarreia crônica com cheiro forte, fraqueza e cólicas abdominais Tricomoníase Trichomonas vaginalis Relação sexual Secreção espumosa de cor verde-amarelada e odor desagradável, proveniente da vagina Toxoplasmose Toxoplasma gondii Água ou alimentos contaminados; gatos Abortos, neuropatias e oftalmopatias Doença-do- sono Trypanosoma brucei Picada da mosca tsé- tsé (Glosina) Febre, tremores, dores musculares e articulares, linfadenopatia, mal estar, perda de peso Balantidíase Balandidium sp. Água ou alimentos contaminados Febre, anorexia, náuseas, vômitos e diarréia Outras protozooses