SlideShare uma empresa Scribd logo
 Como existem MUITOS seres vivos no mundo inteiro, foi
necessário organizá-los para que facilitasse estudá-los!
 Quando arrumamos um armário dividimos as roupas por
categorias. Ex: camisetas, calças, blusas... Cada um em seu
lugar.
 Com os seres vivos não foi diferente. Eles foram reunidos
por suas semelhanças. Partindo das mais gerais, até as
mais específicas.
 Classificação: formação de grupos mediante certos critérios
 Aristóteles criou o primeiro modelo de classificação.
Classificou os seres vivos em:
1) Aquícolas
2) Terrícolas
3) Aerícolas
 Critério: o ambiente em que vivem os seres vivos
 Teofrasto, pai da botânica, classificou os vegetais em três
grupos: ervas, arbustos e árvores.
 Critério: o caule dos vegetais
 Utilidade da classificação: permite agrupar os seres vivos de
acordo com suas semelhanças facilitando sua identificação,
utilização, proteção e estudo.
 Dificuldade: há muitos seres vivos no mundo e com muitas
características.
 Atualmente o sistema de classificação é baseado no trabalho
do cientista Linnaeus  sistema binomial
 O sistema binomial determina como os nomes científicos
das espécies devem ser escritos.
1) Dois nomes: primeiro genérico e o segundo específico
2) Primeira letra do primeiro nome tem que ser maiúscula
3) Devem ser escritos em itálico
4) O nome deve ser em latim!!
Ex: Lumbricus terrestris, Micurus frontalis
 Importância em se escrever o nome em latim:
1) Língua “morta”  não vai mudar a ortografia nem a
pronúncia
2) A mesma no mundo inteiro
3) Cada região tem sua língua e seus nomes populares
(vulgares), o que dificultaria classificar de acordo com a
língua local. Ex: mexerica e bergamota. Abóbora e jerimum.
4) Um cientista no Brasil pode falar sobre uma espécie com
um cientista do Japão sem problemas
 Os nomes científicos parecem estranhos, mas em latim
significam algo haver com o animal.
 Ex: Crotalus terrificus  cascavel  “chocalho terrível”
 Pulex irritans  pulga  “pulador irritante”
 Porém, no nome específico, muitos cientistas colocam seus
nomes para eternizar suas descobertas
 Taxonomista: cientista que identifica e
classifica os seres vivos
 Os nomes científicos parecem estranhos, mas em latim
significam algo haver com o animal.
 Ex: Crotalus terrificus  cascavel  “chocalho terrível”
 Pulex irritans  pulga  “pulador irritante”
 Porém, no nome específico, muitos cientistas colocam seus
nomes para eternizar suas descobertas
 Antigamente, os cientistas reuniam os seres vivos em dois
grupos: Reino animal e Reino vegetal
 Critério: modo de nutrição  autótrofos (vegetais) e
heterótrofos (animais)
 Com a invenção do microscópio, foram descobertos milhões
de organismos que não podiam ser incluídos nesses reinos.
 Fungos já foram considerados vegetais, porém, não realizam
fotossíntese, são heterótrofos. Porém também não são
animais.
 Solução: criar novos Reinos (grupos). Há 6 reinos hoje em
dia:
1) Animalia: Pluricelulares, eucariontes e heterótrofos.
2) Plantae: Pluricelulares, eucariontes e autótrofos.
3) Fungi: Uni e pluricelulares, eucariontes e heterótrofos
4) Protista: unicelulares e eucariontes
5) Monera: unicelulares e procariontes
6) Chromista: algas (maioria unicelular e não apresentam raiz,
caule e folhas)
 Reino Animalia (ou animal):
 Reino Plantae (ou vegetal):
 Reino fungi (ou fungos):
 Reino Protista:
 Reino Monera:
 Reino Chromista:
 Como há muitos seres diferentes em cada reino, há alguns
grupos menores de classificação. Os grupos vão indo de
uma classificação mais geral, até a mais específica:
1) Reino
2) Filo
3) Classe
4) Ordem
5) Família
6) Gênero
7) Espécie
 Filo: reúne seres mais “aparentados” entre si. Exemplo
dentro do Reino Animal:
Filos:
1) Poríferos: Esponjas
2) Cnidários: água viva, corais...
3) Platerlminto: Planária
4) Nematelminto: lombriga
5) Anelídeos: sanguessugas, minhoca
6) Moluscos: polvos, lulas..
7) Artópodes: insetos, aranhas...
8) Equinodermos: estrela-do-mar, ouriço-do-mar..
9) Cordados: peixes, répteis, mamíferos...
 Filos animais:
 Após o filo, encontramos as CLASSES.
 Exemplo:
Filo Artrópodes
Classes: inseto, aracnídeos, crustáceos
 Após o filo, encontramos as CLASSES.
 Exemplo:
Filo Chordata
Classe: mamíferos
 Após as classes, temos as ORDENS
 Exemplo:
Filo: Chordata
Classe: Mamíferos
Ordens:
 Apesar de estarem na mesma ordem, ursos, cães e gatos
são bem diferentes uns dos outros.
 Por isso as ordens se dividem em classes:
 Exemplo:
Filo: Chordata
Classe: Mamífero
Ordem: carnívoros
Família: Ursidae, Canidae,
Felidae
 Animais de uma mesma família podem ser bem diferentes
também! Ex: cachorro, lobo, coiote, raposa...
 Por isso as famílias se dividem em Gêneros:
 Exemplo:
Filo: Chordata
Classe: Mamífero
Ordem: carnívoros
Família: Canidae
Gênero: Canis, Vulpes
 Por fim, os gêneros são dividimos em espécies!
 A onça e o leão estão incluídos no gênero Panthera!
 Exemplo:
Filo: Chordata
Classe: Mamífero
Ordem: carnívoros
Família: Felidae
Gênero: Panthera
Espécie: Panthera onca, Panthera leo
 Espécie: indivíduos que se reproduzem e produzem
descendentes férteis.
 Resumindo:
 Os seres vivos são classificados em grupos de acordo com
suas semelhanças
 A classificação vai da maior para a menor
 Reinos  filos  classes  ordens  famílias  gênero
 espécie (dois nomes)
Cap 10 quer ser vivo é esse

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Capítulo 3 das células aos reinos de seres vivos
Capítulo 3   das células aos reinos de seres vivosCapítulo 3   das células aos reinos de seres vivos
Capítulo 3 das células aos reinos de seres vivos
Daniel de Oliveira
 
Conceitos de ecologia revisão
Conceitos de ecologia revisãoConceitos de ecologia revisão
Conceitos de ecologia revisão
giovannimusetti
 
Factores bioticos TC_20102011
Factores  bioticos TC_20102011Factores  bioticos TC_20102011
Factores bioticos TC_20102011
Teresa Monteiro
 
Capítulo 1- Biodiversidade
Capítulo 1- BiodiversidadeCapítulo 1- Biodiversidade
Capítulo 1- Biodiversidade
Daniel de Oliveira
 
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres VivosOs NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
lilisouza
 
Relações bióticas
Relações bióticasRelações bióticas
Relações bióticas
Sérgio Luiz
 
Capítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vidaCapítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vida
Sarah Lemes
 
RevisãO De CiêNcias Relações entre os organismos &Tipos de Materiais
RevisãO De CiêNcias   Relações entre os organismos &Tipos de MateriaisRevisãO De CiêNcias   Relações entre os organismos &Tipos de Materiais
RevisãO De CiêNcias Relações entre os organismos &Tipos de Materiais
martoca
 
Aula 7º ano revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Aula 7º ano   revisão do 6º ano-introdução ao 7º anoAula 7º ano   revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Aula 7º ano revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Leonardo Kaplan
 
2 estudos das relações entre os seres vivos - março
2 estudos das relações entre os seres vivos - março 2 estudos das relações entre os seres vivos - março
2 estudos das relações entre os seres vivos - março
Luiza Collet
 
1 classificação dos seres vivos
1 classificação dos seres vivos1 classificação dos seres vivos
1 classificação dos seres vivos
mariacferreira
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
guest2d00a0
 
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completaInterações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Vjezhtitza
 
Apostila resumo ecologia
Apostila resumo   ecologiaApostila resumo   ecologia
Apostila resumo ecologia
grupev
 
Ecologia de insetos
Ecologia de insetosEcologia de insetos
Ecologia de insetos
Limnos Ufsc
 
1 diversidade da vida
1 diversidade da vida1 diversidade da vida
1 diversidade da vida
Péricles Penuel
 
Interações ecológicas
Interações ecológicasInterações ecológicas
Interações ecológicas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Fatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticosFatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticos
mmbbss
 
Apostila de ecologia
Apostila de ecologiaApostila de ecologia
Apostila de ecologia
Paulo Lobo
 
Capítulo 2 a adaptação dos seres vivos
Capítulo 2   a adaptação dos seres vivosCapítulo 2   a adaptação dos seres vivos
Capítulo 2 a adaptação dos seres vivos
Daniel de Oliveira
 

Mais procurados (20)

Capítulo 3 das células aos reinos de seres vivos
Capítulo 3   das células aos reinos de seres vivosCapítulo 3   das células aos reinos de seres vivos
Capítulo 3 das células aos reinos de seres vivos
 
Conceitos de ecologia revisão
Conceitos de ecologia revisãoConceitos de ecologia revisão
Conceitos de ecologia revisão
 
Factores bioticos TC_20102011
Factores  bioticos TC_20102011Factores  bioticos TC_20102011
Factores bioticos TC_20102011
 
Capítulo 1- Biodiversidade
Capítulo 1- BiodiversidadeCapítulo 1- Biodiversidade
Capítulo 1- Biodiversidade
 
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres VivosOs NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
 
Relações bióticas
Relações bióticasRelações bióticas
Relações bióticas
 
Capítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vidaCapítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vida
 
RevisãO De CiêNcias Relações entre os organismos &Tipos de Materiais
RevisãO De CiêNcias   Relações entre os organismos &Tipos de MateriaisRevisãO De CiêNcias   Relações entre os organismos &Tipos de Materiais
RevisãO De CiêNcias Relações entre os organismos &Tipos de Materiais
 
Aula 7º ano revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Aula 7º ano   revisão do 6º ano-introdução ao 7º anoAula 7º ano   revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Aula 7º ano revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
 
2 estudos das relações entre os seres vivos - março
2 estudos das relações entre os seres vivos - março 2 estudos das relações entre os seres vivos - março
2 estudos das relações entre os seres vivos - março
 
1 classificação dos seres vivos
1 classificação dos seres vivos1 classificação dos seres vivos
1 classificação dos seres vivos
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
 
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completaInterações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
 
Apostila resumo ecologia
Apostila resumo   ecologiaApostila resumo   ecologia
Apostila resumo ecologia
 
Ecologia de insetos
Ecologia de insetosEcologia de insetos
Ecologia de insetos
 
1 diversidade da vida
1 diversidade da vida1 diversidade da vida
1 diversidade da vida
 
Interações ecológicas
Interações ecológicasInterações ecológicas
Interações ecológicas
 
Fatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticosFatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticos
 
Apostila de ecologia
Apostila de ecologiaApostila de ecologia
Apostila de ecologia
 
Capítulo 2 a adaptação dos seres vivos
Capítulo 2   a adaptação dos seres vivosCapítulo 2   a adaptação dos seres vivos
Capítulo 2 a adaptação dos seres vivos
 

Semelhante a Cap 10 quer ser vivo é esse

1° bimestre classificação dos seres vivos
1° bimestre   classificação dos seres vivos1° bimestre   classificação dos seres vivos
1° bimestre classificação dos seres vivos
santhdalcin
 
classificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicasclassificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicas
CelianeOliveira8
 
classificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicasclassificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicas
CelianeOliveira8
 
Apresentação para o 3ºano
Apresentação para o 3ºanoApresentação para o 3ºano
Apresentação para o 3ºano
Glauco Duarte
 
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidadeCáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
rafaelcef3
 
Classificação dos seres vivo1
Classificação dos seres vivo1Classificação dos seres vivo1
Classificação dos seres vivo1
Maria Jose Cavalcanti
 
Zoologia 01
Zoologia 01Zoologia 01
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
MARCELOCOSTA261637
 
Taxinomia
TaxinomiaTaxinomia
Taxinomia
Marta Alves
 
Aula1 classificacaodosseresvivos
Aula1 classificacaodosseresvivosAula1 classificacaodosseresvivos
Aula1 classificacaodosseresvivos
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Aula 04 - os animais
Aula 04 - os animaisAula 04 - os animais
Aula 04 - os animais
Jonatas Carlos
 
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
Vinícia Becalli
 
Questoes ciencias e
Questoes ciencias eQuestoes ciencias e
Questoes ciencias e
Atividades Diversas Cláudia
 
Classificação dos seres vivos - Sistemática.pptx
Classificação dos seres vivos - Sistemática.pptxClassificação dos seres vivos - Sistemática.pptx
Classificação dos seres vivos - Sistemática.pptx
EDUARDOMAX6
 
Atividades de ciências avaliação com os descritores
Atividades de ciências avaliação com os descritoresAtividades de ciências avaliação com os descritores
Atividades de ciências avaliação com os descritores
NTE
 
Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...
Roberto Bagatini
 
Classificação dos seres vivos_CEEP
Classificação dos seres vivos_CEEPClassificação dos seres vivos_CEEP
Aula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres VivosAula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres Vivos
Plínio Gonçalves
 
A classificação dos seres vivos
A classificação dos seres vivosA classificação dos seres vivos
A classificação dos seres vivos
Franck Lobo
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
Juliana Mendes
 

Semelhante a Cap 10 quer ser vivo é esse (20)

1° bimestre classificação dos seres vivos
1° bimestre   classificação dos seres vivos1° bimestre   classificação dos seres vivos
1° bimestre classificação dos seres vivos
 
classificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicasclassificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicas
 
classificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicasclassificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicas
 
Apresentação para o 3ºano
Apresentação para o 3ºanoApresentação para o 3ºano
Apresentação para o 3ºano
 
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidadeCáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
 
Classificação dos seres vivo1
Classificação dos seres vivo1Classificação dos seres vivo1
Classificação dos seres vivo1
 
Zoologia 01
Zoologia 01Zoologia 01
Zoologia 01
 
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
 
Taxinomia
TaxinomiaTaxinomia
Taxinomia
 
Aula1 classificacaodosseresvivos
Aula1 classificacaodosseresvivosAula1 classificacaodosseresvivos
Aula1 classificacaodosseresvivos
 
Aula 04 - os animais
Aula 04 - os animaisAula 04 - os animais
Aula 04 - os animais
 
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
 
Questoes ciencias e
Questoes ciencias eQuestoes ciencias e
Questoes ciencias e
 
Classificação dos seres vivos - Sistemática.pptx
Classificação dos seres vivos - Sistemática.pptxClassificação dos seres vivos - Sistemática.pptx
Classificação dos seres vivos - Sistemática.pptx
 
Atividades de ciências avaliação com os descritores
Atividades de ciências avaliação com os descritoresAtividades de ciências avaliação com os descritores
Atividades de ciências avaliação com os descritores
 
Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...
 
Classificação dos seres vivos_CEEP
Classificação dos seres vivos_CEEPClassificação dos seres vivos_CEEP
Classificação dos seres vivos_CEEP
 
Aula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres VivosAula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres Vivos
 
A classificação dos seres vivos
A classificação dos seres vivosA classificação dos seres vivos
A classificação dos seres vivos
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
 

Mais de Sarah Lemes

8 ano Desenvolvimento e maturidade humana
8 ano Desenvolvimento e maturidade humana8 ano Desenvolvimento e maturidade humana
8 ano Desenvolvimento e maturidade humana
Sarah Lemes
 
8 ano cap 12 audição
8 ano cap 12   audição8 ano cap 12   audição
8 ano cap 12 audição
Sarah Lemes
 
8 ano: Tecidos do corpo humano
8 ano: Tecidos do corpo humano8 ano: Tecidos do corpo humano
8 ano: Tecidos do corpo humano
Sarah Lemes
 
8 ano Níveis de organização dos seres vivos (cap 1)
8 ano Níveis de organização dos seres vivos (cap 1)8 ano Níveis de organização dos seres vivos (cap 1)
8 ano Níveis de organização dos seres vivos (cap 1)
Sarah Lemes
 
8 ano GENÉTICA BÁSICA
8 ano GENÉTICA BÁSICA8 ano GENÉTICA BÁSICA
8 ano GENÉTICA BÁSICA
Sarah Lemes
 
Caes e gatos
Caes e gatosCaes e gatos
Caes e gatos
Sarah Lemes
 
7 ano Planeta Terra e movimentos dos astros
7 ano Planeta Terra e movimentos dos astros7 ano Planeta Terra e movimentos dos astros
7 ano Planeta Terra e movimentos dos astros
Sarah Lemes
 
8 ano Níveis de organização dos seres vivos
8 ano Níveis de organização dos seres vivos8 ano Níveis de organização dos seres vivos
8 ano Níveis de organização dos seres vivos
Sarah Lemes
 
6 ano Biônica
6 ano Biônica6 ano Biônica
6 ano Biônica
Sarah Lemes
 
7 ano Classificação das plantas
7 ano Classificação das plantas7 ano Classificação das plantas
7 ano Classificação das plantas
Sarah Lemes
 
8 ano Tato, olfato e paladar
8 ano Tato, olfato e paladar8 ano Tato, olfato e paladar
8 ano Tato, olfato e paladar
Sarah Lemes
 
6 ano Ecologia
6 ano Ecologia6 ano Ecologia
6 ano Ecologia
Sarah Lemes
 
7 anoProtistas
7 anoProtistas7 anoProtistas
7 anoProtistas
Sarah Lemes
 
8 ano Visão
8 ano Visão8 ano Visão
8 ano Visão
Sarah Lemes
 
7 ano Moluscos e artrópodes
7 ano Moluscos e artrópodes7 ano Moluscos e artrópodes
7 ano Moluscos e artrópodes
Sarah Lemes
 
6 ano Solo e seres vivos
6 ano Solo e seres vivos6 ano Solo e seres vivos
6 ano Solo e seres vivos
Sarah Lemes
 
8 ano: Desenvolvimento e maturidade
8 ano: Desenvolvimento e maturidade8 ano: Desenvolvimento e maturidade
8 ano: Desenvolvimento e maturidade
Sarah Lemes
 
7 ano Reino Monera e vírus
7 ano Reino Monera e vírus7 ano Reino Monera e vírus
7 ano Reino Monera e vírus
Sarah Lemes
 
7 ano Fungos
7 ano Fungos7 ano Fungos
7 ano Fungos
Sarah Lemes
 
6 ano Solo e ciência.
6 ano Solo e ciência.6 ano Solo e ciência.
6 ano Solo e ciência.
Sarah Lemes
 

Mais de Sarah Lemes (20)

8 ano Desenvolvimento e maturidade humana
8 ano Desenvolvimento e maturidade humana8 ano Desenvolvimento e maturidade humana
8 ano Desenvolvimento e maturidade humana
 
8 ano cap 12 audição
8 ano cap 12   audição8 ano cap 12   audição
8 ano cap 12 audição
 
8 ano: Tecidos do corpo humano
8 ano: Tecidos do corpo humano8 ano: Tecidos do corpo humano
8 ano: Tecidos do corpo humano
 
8 ano Níveis de organização dos seres vivos (cap 1)
8 ano Níveis de organização dos seres vivos (cap 1)8 ano Níveis de organização dos seres vivos (cap 1)
8 ano Níveis de organização dos seres vivos (cap 1)
 
8 ano GENÉTICA BÁSICA
8 ano GENÉTICA BÁSICA8 ano GENÉTICA BÁSICA
8 ano GENÉTICA BÁSICA
 
Caes e gatos
Caes e gatosCaes e gatos
Caes e gatos
 
7 ano Planeta Terra e movimentos dos astros
7 ano Planeta Terra e movimentos dos astros7 ano Planeta Terra e movimentos dos astros
7 ano Planeta Terra e movimentos dos astros
 
8 ano Níveis de organização dos seres vivos
8 ano Níveis de organização dos seres vivos8 ano Níveis de organização dos seres vivos
8 ano Níveis de organização dos seres vivos
 
6 ano Biônica
6 ano Biônica6 ano Biônica
6 ano Biônica
 
7 ano Classificação das plantas
7 ano Classificação das plantas7 ano Classificação das plantas
7 ano Classificação das plantas
 
8 ano Tato, olfato e paladar
8 ano Tato, olfato e paladar8 ano Tato, olfato e paladar
8 ano Tato, olfato e paladar
 
6 ano Ecologia
6 ano Ecologia6 ano Ecologia
6 ano Ecologia
 
7 anoProtistas
7 anoProtistas7 anoProtistas
7 anoProtistas
 
8 ano Visão
8 ano Visão8 ano Visão
8 ano Visão
 
7 ano Moluscos e artrópodes
7 ano Moluscos e artrópodes7 ano Moluscos e artrópodes
7 ano Moluscos e artrópodes
 
6 ano Solo e seres vivos
6 ano Solo e seres vivos6 ano Solo e seres vivos
6 ano Solo e seres vivos
 
8 ano: Desenvolvimento e maturidade
8 ano: Desenvolvimento e maturidade8 ano: Desenvolvimento e maturidade
8 ano: Desenvolvimento e maturidade
 
7 ano Reino Monera e vírus
7 ano Reino Monera e vírus7 ano Reino Monera e vírus
7 ano Reino Monera e vírus
 
7 ano Fungos
7 ano Fungos7 ano Fungos
7 ano Fungos
 
6 ano Solo e ciência.
6 ano Solo e ciência.6 ano Solo e ciência.
6 ano Solo e ciência.
 

Último

DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 

Último (20)

DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 

Cap 10 quer ser vivo é esse

  • 1.
  • 2.  Como existem MUITOS seres vivos no mundo inteiro, foi necessário organizá-los para que facilitasse estudá-los!  Quando arrumamos um armário dividimos as roupas por categorias. Ex: camisetas, calças, blusas... Cada um em seu lugar.  Com os seres vivos não foi diferente. Eles foram reunidos por suas semelhanças. Partindo das mais gerais, até as mais específicas.  Classificação: formação de grupos mediante certos critérios
  • 3.  Aristóteles criou o primeiro modelo de classificação. Classificou os seres vivos em: 1) Aquícolas 2) Terrícolas 3) Aerícolas  Critério: o ambiente em que vivem os seres vivos  Teofrasto, pai da botânica, classificou os vegetais em três grupos: ervas, arbustos e árvores.  Critério: o caule dos vegetais
  • 4.  Utilidade da classificação: permite agrupar os seres vivos de acordo com suas semelhanças facilitando sua identificação, utilização, proteção e estudo.  Dificuldade: há muitos seres vivos no mundo e com muitas características.
  • 5.  Atualmente o sistema de classificação é baseado no trabalho do cientista Linnaeus  sistema binomial  O sistema binomial determina como os nomes científicos das espécies devem ser escritos. 1) Dois nomes: primeiro genérico e o segundo específico 2) Primeira letra do primeiro nome tem que ser maiúscula 3) Devem ser escritos em itálico 4) O nome deve ser em latim!! Ex: Lumbricus terrestris, Micurus frontalis
  • 6.  Importância em se escrever o nome em latim: 1) Língua “morta”  não vai mudar a ortografia nem a pronúncia 2) A mesma no mundo inteiro 3) Cada região tem sua língua e seus nomes populares (vulgares), o que dificultaria classificar de acordo com a língua local. Ex: mexerica e bergamota. Abóbora e jerimum. 4) Um cientista no Brasil pode falar sobre uma espécie com um cientista do Japão sem problemas
  • 7.  Os nomes científicos parecem estranhos, mas em latim significam algo haver com o animal.  Ex: Crotalus terrificus  cascavel  “chocalho terrível”  Pulex irritans  pulga  “pulador irritante”  Porém, no nome específico, muitos cientistas colocam seus nomes para eternizar suas descobertas  Taxonomista: cientista que identifica e classifica os seres vivos
  • 8.  Os nomes científicos parecem estranhos, mas em latim significam algo haver com o animal.  Ex: Crotalus terrificus  cascavel  “chocalho terrível”  Pulex irritans  pulga  “pulador irritante”  Porém, no nome específico, muitos cientistas colocam seus nomes para eternizar suas descobertas
  • 9.  Antigamente, os cientistas reuniam os seres vivos em dois grupos: Reino animal e Reino vegetal  Critério: modo de nutrição  autótrofos (vegetais) e heterótrofos (animais)  Com a invenção do microscópio, foram descobertos milhões de organismos que não podiam ser incluídos nesses reinos.
  • 10.  Fungos já foram considerados vegetais, porém, não realizam fotossíntese, são heterótrofos. Porém também não são animais.  Solução: criar novos Reinos (grupos). Há 6 reinos hoje em dia: 1) Animalia: Pluricelulares, eucariontes e heterótrofos. 2) Plantae: Pluricelulares, eucariontes e autótrofos. 3) Fungi: Uni e pluricelulares, eucariontes e heterótrofos 4) Protista: unicelulares e eucariontes 5) Monera: unicelulares e procariontes 6) Chromista: algas (maioria unicelular e não apresentam raiz, caule e folhas)
  • 11.  Reino Animalia (ou animal):
  • 12.  Reino Plantae (ou vegetal):
  • 13.  Reino fungi (ou fungos):
  • 17.
  • 18.  Como há muitos seres diferentes em cada reino, há alguns grupos menores de classificação. Os grupos vão indo de uma classificação mais geral, até a mais específica: 1) Reino 2) Filo 3) Classe 4) Ordem 5) Família 6) Gênero 7) Espécie
  • 19.  Filo: reúne seres mais “aparentados” entre si. Exemplo dentro do Reino Animal: Filos: 1) Poríferos: Esponjas 2) Cnidários: água viva, corais... 3) Platerlminto: Planária 4) Nematelminto: lombriga 5) Anelídeos: sanguessugas, minhoca 6) Moluscos: polvos, lulas.. 7) Artópodes: insetos, aranhas... 8) Equinodermos: estrela-do-mar, ouriço-do-mar.. 9) Cordados: peixes, répteis, mamíferos...
  • 21.  Após o filo, encontramos as CLASSES.  Exemplo: Filo Artrópodes Classes: inseto, aracnídeos, crustáceos
  • 22.  Após o filo, encontramos as CLASSES.  Exemplo: Filo Chordata Classe: mamíferos
  • 23.  Após as classes, temos as ORDENS  Exemplo: Filo: Chordata Classe: Mamíferos Ordens:
  • 24.  Apesar de estarem na mesma ordem, ursos, cães e gatos são bem diferentes uns dos outros.  Por isso as ordens se dividem em classes:  Exemplo: Filo: Chordata Classe: Mamífero Ordem: carnívoros Família: Ursidae, Canidae, Felidae
  • 25.  Animais de uma mesma família podem ser bem diferentes também! Ex: cachorro, lobo, coiote, raposa...  Por isso as famílias se dividem em Gêneros:  Exemplo: Filo: Chordata Classe: Mamífero Ordem: carnívoros Família: Canidae Gênero: Canis, Vulpes
  • 26.  Por fim, os gêneros são dividimos em espécies!  A onça e o leão estão incluídos no gênero Panthera!  Exemplo: Filo: Chordata Classe: Mamífero Ordem: carnívoros Família: Felidae Gênero: Panthera Espécie: Panthera onca, Panthera leo
  • 27.  Espécie: indivíduos que se reproduzem e produzem descendentes férteis.
  • 28.  Resumindo:  Os seres vivos são classificados em grupos de acordo com suas semelhanças  A classificação vai da maior para a menor  Reinos  filos  classes  ordens  famílias  gênero  espécie (dois nomes)