SlideShare uma empresa Scribd logo
Aula de
Biologia
Tema:
Evolução
Evolução
1) Introdução
Evolução é o processo de transformações hereditárias e adaptações que
vem ocorrendo nos seres vivos desde que surgiram no planeta Terra.
o Evolução = Fato
o Ciência que estuda a evolução = Biologia Evolutiva
Evolução
“nada em Biologia faz sentido exceto à luz da evolução”.
Theodozius Dobzhansky
2) Fixismo (Criacionismo)
 Até o século XVIII
o Todos os seres vivos foram criados por um ser supremo “Deus”.
o Uma vez criadas as espécies eram imutáveis (fixas).
O criacionismo não é científico,
pois baseia-se em um conjunto de
dogmas “verdades” consideradas
inquestionáveis, que não admitem
alternativas de interpretação.
Evolução
3) Lamarckismo
 1809
o Início das idéias evolucionistas.
o Lamarck formulou uma teoria para explicar como que as
espécies se modificavam ao longo do tempo.
Evolução
Jean-Baptiste Antoine de Monet
1744-1829
Sua teoria evolucionista baseava-se em duas leis
I. Lei do uso e desuso
II. Lei da herança dos caracteres adquiridos
3) Lamarckismo
 Lei do uso e desuso
o Uma necessidade de adaptação ao meio pode fazer com que um órgão
seja mais utilizado (uso) e este tende a se desenvolver ao longo do
tempo.
o Ao contrário, se um órgão for pouco exigido (desuso), tende a se atrofiar.
Evolução
Se analisarmos o tecido
muscular, de fato, isso corre.
O uso intenso do tecido causa
hipertrofia e o desuso
prolongado leva a atrofia.
3) Lamarckismo
 Lei da heranças dos caracteres adquiridos
o As características adquiridas pelo uso ou perdidas pelo desuso seriam
transmitidas à descendência ao longo das gerações.
Evolução
Alteração
no
ambiente
Necessidade
de adaptação
Estrutura
mais exigida
Estrutura
menos
exigida
Estrutura se
desenvolve
Estrutura se
atrofia
Característica
transmitida aos
descendentes
Característica
transmitida aos
descendentes
USO
DESUSO
3) Lamarckismo
 Exemplificando a teoria de Lamarck
Evolução
I. As girafas ancestrais possuíam o pescoço curto.
II. Com o passar do tempo o ambiente mudou e as folhas passaram a se localizar em galhos
mais altos.
III. Para alcançar as folhas as girafas esticavam constantemente o pescoço.
IV. Devido ao uso o pescoço passou a ficar cada vez mais comprido.
V. E essa característica foi passada para os descendentes que nasciam com pescoço comprido.
VI. Com o passar das gerações, surgiram as girafas atuais.
3) Lamarckismo
 Erros de Lamarck
I. Hoje sabemos que somente modificações a nível de gametas são
transmitidas aos descendentes.
II. As modificações citadas por Lamarck em sua teoria ocorrem em
células somáticas.
III. Dessa maneira, características adquiridas ou perdidas durante a vida
de um organismo não são transmitidas à descendência.
Evolução
Mãe Pai
Filho
Se a teoria
fosse
verdadeira...
4) Darwinismo
 1859
o Charles Darwin
o Nasceu em 1809 na Inglaterra
o Publicou em 1959 o livro “A origem das espécies” que contém sua
teoria sobre a evolução, denominada seleção natural.
Evolução
Charles Darwin Livro: A origem das
espécies
A teoria de Darwin causou enorme
polêmica na época e foi muito
combatida, principalmente por
membros da igreja.
4) Darwinismo
 Viagem de Darwin pelo mundo
Evolução
Darwin partiu da Inglaterra a
bordo do navio inglês Beagle
e viajou durante 5 anos.
Darwin, durante a viagem,
realizou escavações, coletas,
anotações e analisou a
diversidade da flora e da
fauna de cada local.
As observações que levaram
Darwin a elaborar a teoria
evolucionista ocorreram
durante sua viagem ao redor
do mundo.
4) Darwinismo
 Teoria da seleção natural proposta por Charles Darwin
I. Entre os indivíduos de uma mesma espécie existem diferenças.
II. O meio ambiente está em contínua mudança.
III. Os recursos do meio são escassos e os indivíduos competem entre si.
IV. O meio ambiente exerce pressão que exclui aqueles indivíduos menos
adaptados e mantém (SELECIONA) os mais aptos.
Evolução
4) Darwinismo
 Seleção Natural
Evolução
Variabilidade
Populacional
Funil = Meio ambiente
Seleção dos mais aptos
(Adaptação)
Trabalhos que influenciaram a teoria de
Darwin
Thomas Malthus: “As populações crescem
em progressão geomética, enquanto que os
recursos do meio em progressão aritmética”.
Dedução de Darwin: Como não há recursos
disponíveis para todos (água, alimentos,
abrigos, etc.) os indivíduos competem entre si
e sobrevivem aqueles melhores adaptados.
Essa “luta pela vida” Darwin chamou de
seleção natural.
Charles Lyell: “A terra foi moldada
praticamente inteiramente por forças lentas
agindo por um longo período de tempo”.
Dedução de Darwin: O planeta é muito
antigo e os animais que vivem hoje, surgiram
por modificações de animais que viveram no
passado.
Evolução
4) Darwinismo
 Ideia da ancestralidade comum
Todos os seres vivos do planeta Terra descendem do mesmo ancestral
comum.
Evolução
4) Darwinismo
 O que Darwin não sabia...
Evolução
Darwin
Wallace
Lyell
Darwin...
Oi...
Como surge a
variabilidade nas
populações?
Boa
pergunta!
Não sei lhe
responder..
5) Neodarwinismo (Teoria Sintética da Evolução)
 1930
o Conta com a contribuição de vários cientistas de todo o mundo.
o Agrega à seleção natural conhecimentos complementares de genética,
bioquímica e ecologia.
Mecanismos causadores da variabilidade genética (Mutação + Recombinação gênica)
Evolução
5) Neodarwinismo (Teoria Sintética da Evolução)
 Pontos básicos
o As variações nas espécies dependem de mutações nos genes.
o As mutações ocorrem ao acaso.
o São mecanismos de recombinação gênica:
 Crossing-Over (meiose).
 Segregação independente dos cromossomos homólogos (meiose).
 Fusão de gametas de sexos diferentes (Reprodução Sexuada).
o Novas espécies são formadas quando ocorre isolamento geográfico
separando populações por longo período de tempo.
Evolução
5) Neodarwinismo (Teoria Sintética da Evolução)
 Seleção artificial (Antibióticos)
Evolução
Por quê a automedicação com os antibióticos não é recomendado?
I. O uso indiscriminado de antibióticos promove a seleção de bactérias que já
apresentavam a ele resistência prévia.
II. Essas bactérias sobrevivem e passam a se preproduzir.
III. Os descendentes herdam a característica genética que confere a resistência.
IV. As bactérias resistentes causam danos ao organismo.
5) Neodarwinismo (Teoria Sintética da Evolução)
 Pergunta
Evolução
O uso intensivo do inseticida organoclorado DDT no século XX, acabou por
selecionar variedades de insetos mutantes resistentes. Muitas vezes, foi necessário
aumentar a dose do organoclorado para que houvesse sucesso no combate aos
insetos, o que aumentava, inclusive, o risco de contaminação ambiental, uma vez
que o DDT é muito estável, se bioacumula e é pouco biodegradável.
(FUVEST) Enquanto os antibióticos induzem mutações em bactérias, o DDT as
provoca em insetos. Você concorda com essa afirmativa? Justifique.
Não. Nem os antibióticos e nem o DDT induzem mutações. Tal conceito expressa as idéias
Lamarckistas de que as necessidades de adaptação ao meio induzem o organismo a sofrer
transformações.
Na verdade, dentre as bactérias já havia um grupo mutante. Os antibióticos selecionam essas
bactérias. O mesmo raciocínio se aplica ao DDT, que age como agente seletivo de insetos
mutantes resistentes.
6) Evidências da Evolução
a) Fósseis
São restos ou vestígios de seres que viveram no passado.
o Ossos, dentes, pegadas, fezes, etc.
Evolução
Fóssil – Tigre dente de sabre Fóssil de dinossauro
Fóssil de fezes (coprólito)
Evidência de que nosso planeta já foi habitado por seres diferentes dos que
existem atualmente.
6) Evidências da Evolução
b) Anatomia comparada
I. Órgãos vestigiais
o Apêndice cecal em humanos.
o Indício de que nosso ancestral distante possuia dieta predominantemente
herbívora.
Evolução
Apêndice
cecal
6) Evidências da Evolução
b) Anatomia comparada
II. Órgãos homólogos
o Mesma origem embrionária.
o Podem ou não exercer as mesmas funções.
o Evidência de ancestral comum.
Evolução
Asa de morcego
Nadadeira de golfinho
Realizam funções diferentes
Divergência Evolutiva
6) Evidências da Evolução
b) Anatomia comparada
II. Órgãos análogos
o Origem embrionária diferente.
o Possuem a mesma função
Evolução
Asa de mosca
Asa de ave
Realizam mesma função
Convergência Evolutiva
7) Especiação
É o fenômeno pelo qual novas espécies são formadas a partir de uma espécie
ancestral comum. Para que isso aconteça, são necessários, respectivamente, o
isolamento geográfico e o isolamento reprodutivo.
Evolução
7) Especiação
 Mecanismos de especiação
A especiação resulta em grupos de diferentes espécies, pois os diferentes
grupos não mais conseguem se cruzar livremente, existindo mecanismos
biológicos que impedem a reprodução. Tais mecanismos são classificados em:
Evolução
 Incompatibilidade órgãos reprodutivos.
 Incompatibilidade bioquímica entre
gametas.
 Diferença comportamental.
 Mortalidade do embrião após fecundação.
 Inviabilidade do híbrido.
 Esterilidade do híbrido.
Pré-zigóticos
(Impedem fecundação)
Pós-zigóticos
(Impedem formação de indivíduo
reprodutivamente viável)
7) Especiação
 Irradiação evolutiva dos mamíferos
Evolução
Vídeo sobre a seleção natural e especiação
Evolução
8) Para descontrair...
Evolução

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.ppt

Evolucao ceped
Evolucao cepedEvolucao ceped
Neodarvinismo
NeodarvinismoNeodarvinismo
Neodarvinismo
Caroline Chaves
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
Geverson Teixeira
 
Evolução e mecanismos de especiação
Evolução e mecanismos de especiaçãoEvolução e mecanismos de especiação
Evolução e mecanismos de especiação
Kim Matheus
 
Evolucao-Biologica.pptx
Evolucao-Biologica.pptxEvolucao-Biologica.pptx
Evolucao-Biologica.pptx
LARISSIFIALDESILVA
 
3 teorias evolucionistas
3 teorias evolucionistas3 teorias evolucionistas
3 teorias evolucionistas
Maria da Gloria Santos
 
biologia teoria da evolução.pptx
biologia teoria da         evolução.pptxbiologia teoria da         evolução.pptx
biologia teoria da evolução.pptx
Nome Sobrenome
 
Teorias evolutiva serem
Teorias evolutiva seremTeorias evolutiva serem
Teorias evolutiva serem
franciscoerivaldo
 
Teorias evolutiva serem
Teorias evolutiva seremTeorias evolutiva serem
Teorias evolutiva serem
franciscoerivaldo
 
Evide evolucao[1]
Evide evolucao[1]Evide evolucao[1]
Evide evolucao[1]
Gaspar Neto
 
Telecurso 2000 aula 50 a evolução das espécies
Telecurso 2000 aula 50   a evolução das espéciesTelecurso 2000 aula 50   a evolução das espécies
Telecurso 2000 aula 50 a evolução das espécies
netoalvirubro
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução 3o.
Evolução 3o.Evolução 3o.
Evolução 3o.
Marcos Albuquerque
 
Evolução - Especiação
Evolução - EspeciaçãoEvolução - Especiação
Evolução - Especiação
3a-manha
 
9°anoResumo sobre evolução.docx
9°anoResumo sobre evolução.docx9°anoResumo sobre evolução.docx
9°anoResumo sobre evolução.docx
celenubialiradeolive
 
EVOLUÇÃO - I
EVOLUÇÃO - IEVOLUÇÃO - I
Lamarckismo e Darwinismo
Lamarckismo e DarwinismoLamarckismo e Darwinismo
A complexidade dialética do processo evolutivo
A complexidade dialética do processo evolutivoA complexidade dialética do processo evolutivo
A complexidade dialética do processo evolutivo
Thiago Ávila Medeiros
 
Origem dos seres vivos e evolução biologica - Profª shirley - 7º ano
Origem dos seres vivos e evolução biologica - Profª shirley - 7º anoOrigem dos seres vivos e evolução biologica - Profª shirley - 7º ano
Origem dos seres vivos e evolução biologica - Profª shirley - 7º ano
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Evolução - 7º ANO
Evolução - 7º ANOEvolução - 7º ANO
Evolução - 7º ANO
Alpha Colégio e Vestibulares
 

Semelhante a AULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.ppt (20)

Evolucao ceped
Evolucao cepedEvolucao ceped
Evolucao ceped
 
Neodarvinismo
NeodarvinismoNeodarvinismo
Neodarvinismo
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
 
Evolução e mecanismos de especiação
Evolução e mecanismos de especiaçãoEvolução e mecanismos de especiação
Evolução e mecanismos de especiação
 
Evolucao-Biologica.pptx
Evolucao-Biologica.pptxEvolucao-Biologica.pptx
Evolucao-Biologica.pptx
 
3 teorias evolucionistas
3 teorias evolucionistas3 teorias evolucionistas
3 teorias evolucionistas
 
biologia teoria da evolução.pptx
biologia teoria da         evolução.pptxbiologia teoria da         evolução.pptx
biologia teoria da evolução.pptx
 
Teorias evolutiva serem
Teorias evolutiva seremTeorias evolutiva serem
Teorias evolutiva serem
 
Teorias evolutiva serem
Teorias evolutiva seremTeorias evolutiva serem
Teorias evolutiva serem
 
Evide evolucao[1]
Evide evolucao[1]Evide evolucao[1]
Evide evolucao[1]
 
Telecurso 2000 aula 50 a evolução das espécies
Telecurso 2000 aula 50   a evolução das espéciesTelecurso 2000 aula 50   a evolução das espécies
Telecurso 2000 aula 50 a evolução das espécies
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Evolução 3o.
Evolução 3o.Evolução 3o.
Evolução 3o.
 
Evolução - Especiação
Evolução - EspeciaçãoEvolução - Especiação
Evolução - Especiação
 
9°anoResumo sobre evolução.docx
9°anoResumo sobre evolução.docx9°anoResumo sobre evolução.docx
9°anoResumo sobre evolução.docx
 
EVOLUÇÃO - I
EVOLUÇÃO - IEVOLUÇÃO - I
EVOLUÇÃO - I
 
Lamarckismo e Darwinismo
Lamarckismo e DarwinismoLamarckismo e Darwinismo
Lamarckismo e Darwinismo
 
A complexidade dialética do processo evolutivo
A complexidade dialética do processo evolutivoA complexidade dialética do processo evolutivo
A complexidade dialética do processo evolutivo
 
Origem dos seres vivos e evolução biologica - Profª shirley - 7º ano
Origem dos seres vivos e evolução biologica - Profª shirley - 7º anoOrigem dos seres vivos e evolução biologica - Profª shirley - 7º ano
Origem dos seres vivos e evolução biologica - Profª shirley - 7º ano
 
Evolução - 7º ANO
Evolução - 7º ANOEvolução - 7º ANO
Evolução - 7º ANO
 

Mais de Matheus Sousa

AULA 1 - 3º bimestre – TOMADAS DE DECISÃO.pptx
AULA 1 - 3º bimestre – TOMADAS DE DECISÃO.pptxAULA 1 - 3º bimestre – TOMADAS DE DECISÃO.pptx
AULA 1 - 3º bimestre – TOMADAS DE DECISÃO.pptx
Matheus Sousa
 
2º BIMESTRE - Processos de Eletrização.ppt
2º BIMESTRE - Processos de  Eletrização.ppt2º BIMESTRE - Processos de  Eletrização.ppt
2º BIMESTRE - Processos de Eletrização.ppt
Matheus Sousa
 
AULA 2 - FUNDAMENTOS DE EVOLUÇÃO - ENSINO MEDIO
AULA 2 - FUNDAMENTOS DE EVOLUÇÃO - ENSINO MEDIOAULA 2 - FUNDAMENTOS DE EVOLUÇÃO - ENSINO MEDIO
AULA 2 - FUNDAMENTOS DE EVOLUÇÃO - ENSINO MEDIO
Matheus Sousa
 
AULA 5 - ESPECIAÇÃO - aula de biologia EM
AULA 5 - ESPECIAÇÃO - aula de biologia EMAULA 5 - ESPECIAÇÃO - aula de biologia EM
AULA 5 - ESPECIAÇÃO - aula de biologia EM
Matheus Sousa
 
AULA 1 – ANCESTRALIDADE.pptx
AULA 1 – ANCESTRALIDADE.pptxAULA 1 – ANCESTRALIDADE.pptx
AULA 1 – ANCESTRALIDADE.pptx
Matheus Sousa
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pptx
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pptxSISTEMA RESPIRATÓRIO.pptx
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pptx
Matheus Sousa
 
Aula respiratorio 09
Aula respiratorio 09Aula respiratorio 09
Aula respiratorio 09
Matheus Sousa
 

Mais de Matheus Sousa (7)

AULA 1 - 3º bimestre – TOMADAS DE DECISÃO.pptx
AULA 1 - 3º bimestre – TOMADAS DE DECISÃO.pptxAULA 1 - 3º bimestre – TOMADAS DE DECISÃO.pptx
AULA 1 - 3º bimestre – TOMADAS DE DECISÃO.pptx
 
2º BIMESTRE - Processos de Eletrização.ppt
2º BIMESTRE - Processos de  Eletrização.ppt2º BIMESTRE - Processos de  Eletrização.ppt
2º BIMESTRE - Processos de Eletrização.ppt
 
AULA 2 - FUNDAMENTOS DE EVOLUÇÃO - ENSINO MEDIO
AULA 2 - FUNDAMENTOS DE EVOLUÇÃO - ENSINO MEDIOAULA 2 - FUNDAMENTOS DE EVOLUÇÃO - ENSINO MEDIO
AULA 2 - FUNDAMENTOS DE EVOLUÇÃO - ENSINO MEDIO
 
AULA 5 - ESPECIAÇÃO - aula de biologia EM
AULA 5 - ESPECIAÇÃO - aula de biologia EMAULA 5 - ESPECIAÇÃO - aula de biologia EM
AULA 5 - ESPECIAÇÃO - aula de biologia EM
 
AULA 1 – ANCESTRALIDADE.pptx
AULA 1 – ANCESTRALIDADE.pptxAULA 1 – ANCESTRALIDADE.pptx
AULA 1 – ANCESTRALIDADE.pptx
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pptx
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pptxSISTEMA RESPIRATÓRIO.pptx
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pptx
 
Aula respiratorio 09
Aula respiratorio 09Aula respiratorio 09
Aula respiratorio 09
 

Último

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
maria-oliveira
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 

Último (20)

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 

AULA 3 - LAMARCKISMO E DARWINISMO.ppt

  • 2. 1) Introdução Evolução é o processo de transformações hereditárias e adaptações que vem ocorrendo nos seres vivos desde que surgiram no planeta Terra. o Evolução = Fato o Ciência que estuda a evolução = Biologia Evolutiva Evolução “nada em Biologia faz sentido exceto à luz da evolução”. Theodozius Dobzhansky
  • 3. 2) Fixismo (Criacionismo)  Até o século XVIII o Todos os seres vivos foram criados por um ser supremo “Deus”. o Uma vez criadas as espécies eram imutáveis (fixas). O criacionismo não é científico, pois baseia-se em um conjunto de dogmas “verdades” consideradas inquestionáveis, que não admitem alternativas de interpretação. Evolução
  • 4. 3) Lamarckismo  1809 o Início das idéias evolucionistas. o Lamarck formulou uma teoria para explicar como que as espécies se modificavam ao longo do tempo. Evolução Jean-Baptiste Antoine de Monet 1744-1829 Sua teoria evolucionista baseava-se em duas leis I. Lei do uso e desuso II. Lei da herança dos caracteres adquiridos
  • 5. 3) Lamarckismo  Lei do uso e desuso o Uma necessidade de adaptação ao meio pode fazer com que um órgão seja mais utilizado (uso) e este tende a se desenvolver ao longo do tempo. o Ao contrário, se um órgão for pouco exigido (desuso), tende a se atrofiar. Evolução Se analisarmos o tecido muscular, de fato, isso corre. O uso intenso do tecido causa hipertrofia e o desuso prolongado leva a atrofia.
  • 6. 3) Lamarckismo  Lei da heranças dos caracteres adquiridos o As características adquiridas pelo uso ou perdidas pelo desuso seriam transmitidas à descendência ao longo das gerações. Evolução Alteração no ambiente Necessidade de adaptação Estrutura mais exigida Estrutura menos exigida Estrutura se desenvolve Estrutura se atrofia Característica transmitida aos descendentes Característica transmitida aos descendentes USO DESUSO
  • 7. 3) Lamarckismo  Exemplificando a teoria de Lamarck Evolução I. As girafas ancestrais possuíam o pescoço curto. II. Com o passar do tempo o ambiente mudou e as folhas passaram a se localizar em galhos mais altos. III. Para alcançar as folhas as girafas esticavam constantemente o pescoço. IV. Devido ao uso o pescoço passou a ficar cada vez mais comprido. V. E essa característica foi passada para os descendentes que nasciam com pescoço comprido. VI. Com o passar das gerações, surgiram as girafas atuais.
  • 8. 3) Lamarckismo  Erros de Lamarck I. Hoje sabemos que somente modificações a nível de gametas são transmitidas aos descendentes. II. As modificações citadas por Lamarck em sua teoria ocorrem em células somáticas. III. Dessa maneira, características adquiridas ou perdidas durante a vida de um organismo não são transmitidas à descendência. Evolução Mãe Pai Filho Se a teoria fosse verdadeira...
  • 9. 4) Darwinismo  1859 o Charles Darwin o Nasceu em 1809 na Inglaterra o Publicou em 1959 o livro “A origem das espécies” que contém sua teoria sobre a evolução, denominada seleção natural. Evolução Charles Darwin Livro: A origem das espécies A teoria de Darwin causou enorme polêmica na época e foi muito combatida, principalmente por membros da igreja.
  • 10. 4) Darwinismo  Viagem de Darwin pelo mundo Evolução Darwin partiu da Inglaterra a bordo do navio inglês Beagle e viajou durante 5 anos. Darwin, durante a viagem, realizou escavações, coletas, anotações e analisou a diversidade da flora e da fauna de cada local. As observações que levaram Darwin a elaborar a teoria evolucionista ocorreram durante sua viagem ao redor do mundo.
  • 11. 4) Darwinismo  Teoria da seleção natural proposta por Charles Darwin I. Entre os indivíduos de uma mesma espécie existem diferenças. II. O meio ambiente está em contínua mudança. III. Os recursos do meio são escassos e os indivíduos competem entre si. IV. O meio ambiente exerce pressão que exclui aqueles indivíduos menos adaptados e mantém (SELECIONA) os mais aptos. Evolução
  • 12. 4) Darwinismo  Seleção Natural Evolução Variabilidade Populacional Funil = Meio ambiente Seleção dos mais aptos (Adaptação) Trabalhos que influenciaram a teoria de Darwin Thomas Malthus: “As populações crescem em progressão geomética, enquanto que os recursos do meio em progressão aritmética”. Dedução de Darwin: Como não há recursos disponíveis para todos (água, alimentos, abrigos, etc.) os indivíduos competem entre si e sobrevivem aqueles melhores adaptados. Essa “luta pela vida” Darwin chamou de seleção natural. Charles Lyell: “A terra foi moldada praticamente inteiramente por forças lentas agindo por um longo período de tempo”. Dedução de Darwin: O planeta é muito antigo e os animais que vivem hoje, surgiram por modificações de animais que viveram no passado.
  • 14. 4) Darwinismo  Ideia da ancestralidade comum Todos os seres vivos do planeta Terra descendem do mesmo ancestral comum. Evolução
  • 15. 4) Darwinismo  O que Darwin não sabia... Evolução Darwin Wallace Lyell Darwin... Oi... Como surge a variabilidade nas populações? Boa pergunta! Não sei lhe responder..
  • 16. 5) Neodarwinismo (Teoria Sintética da Evolução)  1930 o Conta com a contribuição de vários cientistas de todo o mundo. o Agrega à seleção natural conhecimentos complementares de genética, bioquímica e ecologia. Mecanismos causadores da variabilidade genética (Mutação + Recombinação gênica) Evolução
  • 17. 5) Neodarwinismo (Teoria Sintética da Evolução)  Pontos básicos o As variações nas espécies dependem de mutações nos genes. o As mutações ocorrem ao acaso. o São mecanismos de recombinação gênica:  Crossing-Over (meiose).  Segregação independente dos cromossomos homólogos (meiose).  Fusão de gametas de sexos diferentes (Reprodução Sexuada). o Novas espécies são formadas quando ocorre isolamento geográfico separando populações por longo período de tempo. Evolução
  • 18. 5) Neodarwinismo (Teoria Sintética da Evolução)  Seleção artificial (Antibióticos) Evolução Por quê a automedicação com os antibióticos não é recomendado? I. O uso indiscriminado de antibióticos promove a seleção de bactérias que já apresentavam a ele resistência prévia. II. Essas bactérias sobrevivem e passam a se preproduzir. III. Os descendentes herdam a característica genética que confere a resistência. IV. As bactérias resistentes causam danos ao organismo.
  • 19. 5) Neodarwinismo (Teoria Sintética da Evolução)  Pergunta Evolução O uso intensivo do inseticida organoclorado DDT no século XX, acabou por selecionar variedades de insetos mutantes resistentes. Muitas vezes, foi necessário aumentar a dose do organoclorado para que houvesse sucesso no combate aos insetos, o que aumentava, inclusive, o risco de contaminação ambiental, uma vez que o DDT é muito estável, se bioacumula e é pouco biodegradável. (FUVEST) Enquanto os antibióticos induzem mutações em bactérias, o DDT as provoca em insetos. Você concorda com essa afirmativa? Justifique. Não. Nem os antibióticos e nem o DDT induzem mutações. Tal conceito expressa as idéias Lamarckistas de que as necessidades de adaptação ao meio induzem o organismo a sofrer transformações. Na verdade, dentre as bactérias já havia um grupo mutante. Os antibióticos selecionam essas bactérias. O mesmo raciocínio se aplica ao DDT, que age como agente seletivo de insetos mutantes resistentes.
  • 20. 6) Evidências da Evolução a) Fósseis São restos ou vestígios de seres que viveram no passado. o Ossos, dentes, pegadas, fezes, etc. Evolução Fóssil – Tigre dente de sabre Fóssil de dinossauro Fóssil de fezes (coprólito) Evidência de que nosso planeta já foi habitado por seres diferentes dos que existem atualmente.
  • 21. 6) Evidências da Evolução b) Anatomia comparada I. Órgãos vestigiais o Apêndice cecal em humanos. o Indício de que nosso ancestral distante possuia dieta predominantemente herbívora. Evolução Apêndice cecal
  • 22. 6) Evidências da Evolução b) Anatomia comparada II. Órgãos homólogos o Mesma origem embrionária. o Podem ou não exercer as mesmas funções. o Evidência de ancestral comum. Evolução Asa de morcego Nadadeira de golfinho Realizam funções diferentes Divergência Evolutiva
  • 23. 6) Evidências da Evolução b) Anatomia comparada II. Órgãos análogos o Origem embrionária diferente. o Possuem a mesma função Evolução Asa de mosca Asa de ave Realizam mesma função Convergência Evolutiva
  • 24. 7) Especiação É o fenômeno pelo qual novas espécies são formadas a partir de uma espécie ancestral comum. Para que isso aconteça, são necessários, respectivamente, o isolamento geográfico e o isolamento reprodutivo. Evolução
  • 25. 7) Especiação  Mecanismos de especiação A especiação resulta em grupos de diferentes espécies, pois os diferentes grupos não mais conseguem se cruzar livremente, existindo mecanismos biológicos que impedem a reprodução. Tais mecanismos são classificados em: Evolução  Incompatibilidade órgãos reprodutivos.  Incompatibilidade bioquímica entre gametas.  Diferença comportamental.  Mortalidade do embrião após fecundação.  Inviabilidade do híbrido.  Esterilidade do híbrido. Pré-zigóticos (Impedem fecundação) Pós-zigóticos (Impedem formação de indivíduo reprodutivamente viável)
  • 26. 7) Especiação  Irradiação evolutiva dos mamíferos Evolução
  • 27. Vídeo sobre a seleção natural e especiação Evolução