SlideShare uma empresa Scribd logo
RenascimentoRenascimento
HistóriaHistória
Colégio FAAGColégio FAAG
Contexto Histórico do RenascimentoContexto Histórico do Renascimento
Renascimento – Ruptura ou continuidade ?Renascimento – Ruptura ou continuidade ?
Não há um acordo sobre isso! Para alguns,Não há um acordo sobre isso! Para alguns,
foi uma ruptura, que poderia inclusive dividir afoi uma ruptura, que poderia inclusive dividir a
Idade Média da Idade Moderna.Idade Média da Idade Moderna.
Para outros autores, foi a continuação doPara outros autores, foi a continuação do
desenvolvimento de padrões culturais e modosdesenvolvimento de padrões culturais e modos
de pensar, apoiados pela Igreja Católica.de pensar, apoiados pela Igreja Católica.
Tais controvérsias permanecem e é difícilTais controvérsias permanecem e é difícil
chegar a uma conclusão, descartando uma ouchegar a uma conclusão, descartando uma ou
outra postura.outra postura.
O Renascimento como continuidadeO Renascimento como continuidade
 As cidades do norte da Itália desenvolviam-seAs cidades do norte da Itália desenvolviam-se
desde o século XI, já existia culto a autoresdesde o século XI, já existia culto a autores
clássicos e portanto, nesta perspectiva, nãoclássicos e portanto, nesta perspectiva, não
há ruptura.há ruptura.
 O Renascimento como rupturaO Renascimento como ruptura
Durante a Idade Média, a Igreja mandava noDurante a Idade Média, a Igreja mandava no
mundo e nas artes. Por isso, alguns autoresmundo e nas artes. Por isso, alguns autores
consideram o período medieval como umconsideram o período medieval como um
momento de pouco desenvolvimento emomento de pouco desenvolvimento e
definem o início da Idade Moderna como umdefinem o início da Idade Moderna como um
“renascer” da razão e de retomada dos“renascer” da razão e de retomada dos
valores da Antiguidade Clássica (Greco-valores da Antiguidade Clássica (Greco-
romana).romana).
As razões do RenascimentoAs razões do Renascimento
O poder do dinheiroO poder do dinheiro  Cidades comerciais enriquecidasCidades comerciais enriquecidas
com o comércio de especiarias, surgindo ali, uma fortecom o comércio de especiarias, surgindo ali, uma forte
burguesia.burguesia.
Questionamento do poder do Papa/Igreja Católica:Questionamento do poder do Papa/Igreja Católica:
Uma constante luta entre os vários estados italianosUma constante luta entre os vários estados italianos
colocavam em choque o poder temporal com ocolocavam em choque o poder temporal com o
espiritual, questionando a forma de pensar e agir daespiritual, questionando a forma de pensar e agir da
Idade Média.Idade Média.
Ambiente cultural italianoAmbiente cultural italiano  Naquele lugar, floresceraNaquele lugar, florescera
o antigo Império Romano, com toda sua arquitetura,o antigo Império Romano, com toda sua arquitetura,
seu acervo, retomando uma antiga forma de pensar.seu acervo, retomando uma antiga forma de pensar.
A chegada dos sábios bizantinosA chegada dos sábios bizantinos  A tomada daA tomada da
cidade de Constantinopla pelos turcos levou muitoscidade de Constantinopla pelos turcos levou muitos
intelectuais e artistas abandonarem o Oriente eintelectuais e artistas abandonarem o Oriente e
partirem para a península Itálica.partirem para a península Itálica.
O MecenatoO Mecenato  Os ricos e poderosos passaram aOs ricos e poderosos passaram a
patrocinar os artistas italianos.patrocinar os artistas italianos.
A imprensaA imprensa  Ajudou a divulgar e a promover as novasAjudou a divulgar e a promover as novas
ideias.ideias.
Características doCaracterísticas do RenascimentoRenascimento
 HumanismoHumanismo Esta revolução intelectualEsta revolução intelectual
foi operada pelos humanistas. Eles sefoi operada pelos humanistas. Eles se
dedicavam ao estudo dos autoresdedicavam ao estudo dos autores
antigos, gregos e romanos. Desenvolvemantigos, gregos e romanos. Desenvolvem
o espírito de pesquisa e valorizam oso espírito de pesquisa e valorizam os
métodos de observação, presentes namétodos de observação, presentes na
ciência moderna. Esse espírito deciência moderna. Esse espírito de
indagação fez surgir os “livresindagação fez surgir os “livres
pensadores” e também, a Reformapensadores” e também, a Reforma
Religiosa.Religiosa.
O AntropocentrismoO Antropocentrismo
 O homem, a partir do Renascimento, noO homem, a partir do Renascimento, no
início da Idade Moderna, virou o centro dasinício da Idade Moderna, virou o centro das
atenções, em oposição ao Teocentrismoatenções, em oposição ao Teocentrismo
medieval.medieval.
Menos preso a religião, a humanidadeMenos preso a religião, a humanidade
ampliou seus horizontes, estudando oampliou seus horizontes, estudando o
mundo a sua volta e dando maiormundo a sua volta e dando maior
importância ao indivíduo.importância ao indivíduo.
PeriodizaçãoPeriodização  Durou do século XIV aoDurou do século XIV ao
XVII, tendo início na península Itálica e seXVII, tendo início na península Itálica e se
estendendo por toda a Europa.estendendo por toda a Europa.
A técnica da perspectivaA técnica da perspectiva
Detalhes da obra de MassacioDetalhes da obra de Massacio
Arquitetura RenascentistaArquitetura Renascentista
Escultura RenascentistaEscultura Renascentista

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Renascimento cultural-convertido
Renascimento cultural-convertidoRenascimento cultural-convertido
Renascimento cultural-convertido
Anne Fabriele
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
Alexandre Misturini
 
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Bruno Marques
 
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosIluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Valéria Shoujofan
 
Idade moderna modernismo
Idade moderna   modernismoIdade moderna   modernismo
Idade moderna modernismo
Alexandre Misturini
 
Guião 2 8º
Guião 2 8ºGuião 2 8º
Guião 2 8º
Marquês de Pombal
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
dicadoprofessoralpha
 
Filosofia Renascentista
Filosofia  RenascentistaFilosofia  Renascentista
Filosofia Renascentista
Juliana Corvino de Araújo
 
Cultura do Palácio (parte 1)
Cultura do Palácio (parte 1)Cultura do Palácio (parte 1)
Cultura do Palácio (parte 1)
Beatriz Mariano
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Roberto Silva
 
Idade moderna sara importante nao mexer sociologia (1)
Idade moderna sara importante nao mexer sociologia (1)Idade moderna sara importante nao mexer sociologia (1)
Idade moderna sara importante nao mexer sociologia (1)
Alexandre Misturini
 
Idade moderna 4 25
Idade moderna 4 25Idade moderna 4 25
Idade moderna 4 25
Alexandre Misturini
 
O renascimento e a filosofia pdf
O renascimento e a filosofia pdfO renascimento e a filosofia pdf
O renascimento e a filosofia pdf
Robertino Lopes
 
Idade moderna 2 25
Idade moderna 2 25Idade moderna 2 25
Idade moderna 2 25
Alexandre Misturini
 
O Surgimento Do Capitalismo Comercial
O Surgimento Do Capitalismo ComercialO Surgimento Do Capitalismo Comercial
O Surgimento Do Capitalismo Comercial
Giselly Afonso
 
6 Renascimento e Reforma
6  Renascimento e  Reforma6  Renascimento e  Reforma
6 Renascimento e Reforma
Robson Santos
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
Veronica Sousa
 
02 contexto
02 contexto02 contexto
02 contexto
Angelo Leandro
 
Vanessa e Andresa 1m9 - Classicismo
Vanessa e Andresa 1m9 - ClassicismoVanessa e Andresa 1m9 - Classicismo
Vanessa e Andresa 1m9 - Classicismo
Ntevaiaescola
 
História da educação ii renascimento
História da educação ii renascimentoHistória da educação ii renascimento
História da educação ii renascimento
renanmedonho
 

Mais procurados (20)

Renascimento cultural-convertido
Renascimento cultural-convertidoRenascimento cultural-convertido
Renascimento cultural-convertido
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
 
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
 
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosIluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
 
Idade moderna modernismo
Idade moderna   modernismoIdade moderna   modernismo
Idade moderna modernismo
 
Guião 2 8º
Guião 2 8ºGuião 2 8º
Guião 2 8º
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
 
Filosofia Renascentista
Filosofia  RenascentistaFilosofia  Renascentista
Filosofia Renascentista
 
Cultura do Palácio (parte 1)
Cultura do Palácio (parte 1)Cultura do Palácio (parte 1)
Cultura do Palácio (parte 1)
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Idade moderna sara importante nao mexer sociologia (1)
Idade moderna sara importante nao mexer sociologia (1)Idade moderna sara importante nao mexer sociologia (1)
Idade moderna sara importante nao mexer sociologia (1)
 
Idade moderna 4 25
Idade moderna 4 25Idade moderna 4 25
Idade moderna 4 25
 
O renascimento e a filosofia pdf
O renascimento e a filosofia pdfO renascimento e a filosofia pdf
O renascimento e a filosofia pdf
 
Idade moderna 2 25
Idade moderna 2 25Idade moderna 2 25
Idade moderna 2 25
 
O Surgimento Do Capitalismo Comercial
O Surgimento Do Capitalismo ComercialO Surgimento Do Capitalismo Comercial
O Surgimento Do Capitalismo Comercial
 
6 Renascimento e Reforma
6  Renascimento e  Reforma6  Renascimento e  Reforma
6 Renascimento e Reforma
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
02 contexto
02 contexto02 contexto
02 contexto
 
Vanessa e Andresa 1m9 - Classicismo
Vanessa e Andresa 1m9 - ClassicismoVanessa e Andresa 1m9 - Classicismo
Vanessa e Andresa 1m9 - Classicismo
 
História da educação ii renascimento
História da educação ii renascimentoHistória da educação ii renascimento
História da educação ii renascimento
 

Semelhante a Renascimento (capítulo 18)

Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Rodrigo Luiz
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Henrique Scalzer
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
vr1a2011
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Lua Soriano
 
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade modernaO renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
JosPedroSilva11
 
Aula 05 renascimento cultural
Aula 05   renascimento culturalAula 05   renascimento cultural
Aula 05 renascimento cultural
Jonatas Carlos
 
Os Tempos Modernos
Os Tempos Modernos Os Tempos Modernos
Os Tempos Modernos
Bruno Marques
 
3.1.renascimento – sécs xv xvi
3.1.renascimento – sécs xv xvi3.1.renascimento – sécs xv xvi
3.1.renascimento – sécs xv xvi
valdeck1
 
o-nascimento-do-pensamento-moderno.ppt
o-nascimento-do-pensamento-moderno.ppto-nascimento-do-pensamento-moderno.ppt
o-nascimento-do-pensamento-moderno.ppt
falecomivo4561
 
A volta ao Mundo
A volta ao MundoA volta ao Mundo
A volta ao Mundo
vaniasilvaaa
 
Renascimento joão pedro - 20130802
Renascimento   joão pedro - 20130802Renascimento   joão pedro - 20130802
Renascimento joão pedro - 20130802
José Welington (Ton) Nogueira Filho
 
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURALO RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
Jose Ribamar Santos
 
Renasc.14
Renasc.14Renasc.14
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURALO RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
Jose Ribamar Santos
 
A mentalidade renascentista.pptx
A mentalidade renascentista.pptxA mentalidade renascentista.pptx
A mentalidade renascentista.pptx
carlateixeira61373
 
INTRODUÇÃO A IDADE MODERNA - RENASCIMENTO CULTURAL
INTRODUÇÃO A IDADE MODERNA - RENASCIMENTO CULTURALINTRODUÇÃO A IDADE MODERNA - RENASCIMENTO CULTURAL
INTRODUÇÃO A IDADE MODERNA - RENASCIMENTO CULTURAL
Diego Bian Filo Moreira
 
Unidade 2 renascimento e reforma alunos
Unidade 2 renascimento e reforma alunosUnidade 2 renascimento e reforma alunos
Unidade 2 renascimento e reforma alunos
Vítor Santos
 
Cap
CapCap
Atividade de História - O Humanismo e o Renascimento
Atividade  de História - O Humanismo e  o Renascimento Atividade  de História - O Humanismo e  o Renascimento
Atividade de História - O Humanismo e o Renascimento
Mary Alvarenga
 
Renascimento.pdf
Renascimento.pdfRenascimento.pdf
Renascimento.pdf
ssusera065a2
 

Semelhante a Renascimento (capítulo 18) (20)

Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade modernaO renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
 
Aula 05 renascimento cultural
Aula 05   renascimento culturalAula 05   renascimento cultural
Aula 05 renascimento cultural
 
Os Tempos Modernos
Os Tempos Modernos Os Tempos Modernos
Os Tempos Modernos
 
3.1.renascimento – sécs xv xvi
3.1.renascimento – sécs xv xvi3.1.renascimento – sécs xv xvi
3.1.renascimento – sécs xv xvi
 
o-nascimento-do-pensamento-moderno.ppt
o-nascimento-do-pensamento-moderno.ppto-nascimento-do-pensamento-moderno.ppt
o-nascimento-do-pensamento-moderno.ppt
 
A volta ao Mundo
A volta ao MundoA volta ao Mundo
A volta ao Mundo
 
Renascimento joão pedro - 20130802
Renascimento   joão pedro - 20130802Renascimento   joão pedro - 20130802
Renascimento joão pedro - 20130802
 
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURALO RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
 
Renasc.14
Renasc.14Renasc.14
Renasc.14
 
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURALO RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
O RENASCIMENTO CIENTIFICO E CULTURAL
 
A mentalidade renascentista.pptx
A mentalidade renascentista.pptxA mentalidade renascentista.pptx
A mentalidade renascentista.pptx
 
INTRODUÇÃO A IDADE MODERNA - RENASCIMENTO CULTURAL
INTRODUÇÃO A IDADE MODERNA - RENASCIMENTO CULTURALINTRODUÇÃO A IDADE MODERNA - RENASCIMENTO CULTURAL
INTRODUÇÃO A IDADE MODERNA - RENASCIMENTO CULTURAL
 
Unidade 2 renascimento e reforma alunos
Unidade 2 renascimento e reforma alunosUnidade 2 renascimento e reforma alunos
Unidade 2 renascimento e reforma alunos
 
Cap
CapCap
Cap
 
Atividade de História - O Humanismo e o Renascimento
Atividade  de História - O Humanismo e  o Renascimento Atividade  de História - O Humanismo e  o Renascimento
Atividade de História - O Humanismo e o Renascimento
 
Renascimento.pdf
Renascimento.pdfRenascimento.pdf
Renascimento.pdf
 

Mais de Wilton Moretto

A i g.m.
A i g.m.A i g.m.
A i g.m.
Wilton Moretto
 
Introdução ao pensamento político
Introdução ao pensamento políticoIntrodução ao pensamento político
Introdução ao pensamento político
Wilton Moretto
 
Liberdade, propriedade, fraternidade
Liberdade, propriedade, fraternidadeLiberdade, propriedade, fraternidade
Liberdade, propriedade, fraternidade
Wilton Moretto
 
Democracias, ditaduras e cidadania
Democracias, ditaduras e cidadaniaDemocracias, ditaduras e cidadania
Democracias, ditaduras e cidadania
Wilton Moretto
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
Wilton Moretto
 
Relações sociais e identidade
Relações sociais e identidadeRelações sociais e identidade
Relações sociais e identidade
Wilton Moretto
 
Introducao à filosofia (aula 1)
Introducao à filosofia (aula 1)Introducao à filosofia (aula 1)
Introducao à filosofia (aula 1)
Wilton Moretto
 
Liberdade e linguagem habermas
Liberdade e linguagem habermasLiberdade e linguagem habermas
Liberdade e linguagem habermas
Wilton Moretto
 
Movimento conflitos sociais e estratificação
Movimento   conflitos sociais e estratificaçãoMovimento   conflitos sociais e estratificação
Movimento conflitos sociais e estratificação
Wilton Moretto
 
As revoluções de 1830 e 1848
As revoluções de 1830 e 1848As revoluções de 1830 e 1848
As revoluções de 1830 e 1848
Wilton Moretto
 
Rebeliões no século xix (faag)
Rebeliões no século xix (faag)Rebeliões no século xix (faag)
Rebeliões no século xix (faag)
Wilton Moretto
 
Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)
Wilton Moretto
 
Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)
Wilton Moretto
 
Renascimento cultural (cap.8)
Renascimento cultural (cap.8)Renascimento cultural (cap.8)
Renascimento cultural (cap.8)
Wilton Moretto
 
As ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latinaAs ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latina
Wilton Moretto
 
Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)
Wilton Moretto
 
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Wilton Moretto
 
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
Wilton Moretto
 
Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)
Wilton Moretto
 
Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)
Wilton Moretto
 

Mais de Wilton Moretto (20)

A i g.m.
A i g.m.A i g.m.
A i g.m.
 
Introdução ao pensamento político
Introdução ao pensamento políticoIntrodução ao pensamento político
Introdução ao pensamento político
 
Liberdade, propriedade, fraternidade
Liberdade, propriedade, fraternidadeLiberdade, propriedade, fraternidade
Liberdade, propriedade, fraternidade
 
Democracias, ditaduras e cidadania
Democracias, ditaduras e cidadaniaDemocracias, ditaduras e cidadania
Democracias, ditaduras e cidadania
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Relações sociais e identidade
Relações sociais e identidadeRelações sociais e identidade
Relações sociais e identidade
 
Introducao à filosofia (aula 1)
Introducao à filosofia (aula 1)Introducao à filosofia (aula 1)
Introducao à filosofia (aula 1)
 
Liberdade e linguagem habermas
Liberdade e linguagem habermasLiberdade e linguagem habermas
Liberdade e linguagem habermas
 
Movimento conflitos sociais e estratificação
Movimento   conflitos sociais e estratificaçãoMovimento   conflitos sociais e estratificação
Movimento conflitos sociais e estratificação
 
As revoluções de 1830 e 1848
As revoluções de 1830 e 1848As revoluções de 1830 e 1848
As revoluções de 1830 e 1848
 
Rebeliões no século xix (faag)
Rebeliões no século xix (faag)Rebeliões no século xix (faag)
Rebeliões no século xix (faag)
 
Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)
 
Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)
 
Renascimento cultural (cap.8)
Renascimento cultural (cap.8)Renascimento cultural (cap.8)
Renascimento cultural (cap.8)
 
As ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latinaAs ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latina
 
Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)
 
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
 
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
 
Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)
 
Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)
 

Último

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 

Renascimento (capítulo 18)

  • 2. Contexto Histórico do RenascimentoContexto Histórico do Renascimento Renascimento – Ruptura ou continuidade ?Renascimento – Ruptura ou continuidade ? Não há um acordo sobre isso! Para alguns,Não há um acordo sobre isso! Para alguns, foi uma ruptura, que poderia inclusive dividir afoi uma ruptura, que poderia inclusive dividir a Idade Média da Idade Moderna.Idade Média da Idade Moderna. Para outros autores, foi a continuação doPara outros autores, foi a continuação do desenvolvimento de padrões culturais e modosdesenvolvimento de padrões culturais e modos de pensar, apoiados pela Igreja Católica.de pensar, apoiados pela Igreja Católica. Tais controvérsias permanecem e é difícilTais controvérsias permanecem e é difícil chegar a uma conclusão, descartando uma ouchegar a uma conclusão, descartando uma ou outra postura.outra postura.
  • 3. O Renascimento como continuidadeO Renascimento como continuidade  As cidades do norte da Itália desenvolviam-seAs cidades do norte da Itália desenvolviam-se desde o século XI, já existia culto a autoresdesde o século XI, já existia culto a autores clássicos e portanto, nesta perspectiva, nãoclássicos e portanto, nesta perspectiva, não há ruptura.há ruptura.  O Renascimento como rupturaO Renascimento como ruptura Durante a Idade Média, a Igreja mandava noDurante a Idade Média, a Igreja mandava no mundo e nas artes. Por isso, alguns autoresmundo e nas artes. Por isso, alguns autores consideram o período medieval como umconsideram o período medieval como um momento de pouco desenvolvimento emomento de pouco desenvolvimento e definem o início da Idade Moderna como umdefinem o início da Idade Moderna como um “renascer” da razão e de retomada dos“renascer” da razão e de retomada dos valores da Antiguidade Clássica (Greco-valores da Antiguidade Clássica (Greco- romana).romana).
  • 4. As razões do RenascimentoAs razões do Renascimento O poder do dinheiroO poder do dinheiro  Cidades comerciais enriquecidasCidades comerciais enriquecidas com o comércio de especiarias, surgindo ali, uma fortecom o comércio de especiarias, surgindo ali, uma forte burguesia.burguesia. Questionamento do poder do Papa/Igreja Católica:Questionamento do poder do Papa/Igreja Católica: Uma constante luta entre os vários estados italianosUma constante luta entre os vários estados italianos colocavam em choque o poder temporal com ocolocavam em choque o poder temporal com o espiritual, questionando a forma de pensar e agir daespiritual, questionando a forma de pensar e agir da Idade Média.Idade Média. Ambiente cultural italianoAmbiente cultural italiano  Naquele lugar, floresceraNaquele lugar, florescera o antigo Império Romano, com toda sua arquitetura,o antigo Império Romano, com toda sua arquitetura, seu acervo, retomando uma antiga forma de pensar.seu acervo, retomando uma antiga forma de pensar. A chegada dos sábios bizantinosA chegada dos sábios bizantinos  A tomada daA tomada da cidade de Constantinopla pelos turcos levou muitoscidade de Constantinopla pelos turcos levou muitos intelectuais e artistas abandonarem o Oriente eintelectuais e artistas abandonarem o Oriente e partirem para a península Itálica.partirem para a península Itálica. O MecenatoO Mecenato  Os ricos e poderosos passaram aOs ricos e poderosos passaram a patrocinar os artistas italianos.patrocinar os artistas italianos. A imprensaA imprensa  Ajudou a divulgar e a promover as novasAjudou a divulgar e a promover as novas ideias.ideias.
  • 5. Características doCaracterísticas do RenascimentoRenascimento  HumanismoHumanismo Esta revolução intelectualEsta revolução intelectual foi operada pelos humanistas. Eles sefoi operada pelos humanistas. Eles se dedicavam ao estudo dos autoresdedicavam ao estudo dos autores antigos, gregos e romanos. Desenvolvemantigos, gregos e romanos. Desenvolvem o espírito de pesquisa e valorizam oso espírito de pesquisa e valorizam os métodos de observação, presentes namétodos de observação, presentes na ciência moderna. Esse espírito deciência moderna. Esse espírito de indagação fez surgir os “livresindagação fez surgir os “livres pensadores” e também, a Reformapensadores” e também, a Reforma Religiosa.Religiosa.
  • 6. O AntropocentrismoO Antropocentrismo  O homem, a partir do Renascimento, noO homem, a partir do Renascimento, no início da Idade Moderna, virou o centro dasinício da Idade Moderna, virou o centro das atenções, em oposição ao Teocentrismoatenções, em oposição ao Teocentrismo medieval.medieval. Menos preso a religião, a humanidadeMenos preso a religião, a humanidade ampliou seus horizontes, estudando oampliou seus horizontes, estudando o mundo a sua volta e dando maiormundo a sua volta e dando maior importância ao indivíduo.importância ao indivíduo. PeriodizaçãoPeriodização  Durou do século XIV aoDurou do século XIV ao XVII, tendo início na península Itálica e seXVII, tendo início na península Itálica e se estendendo por toda a Europa.estendendo por toda a Europa.
  • 7. A técnica da perspectivaA técnica da perspectiva
  • 8. Detalhes da obra de MassacioDetalhes da obra de Massacio