SlideShare uma empresa Scribd logo
Relatório 2o Semestre de 2014 
Projeto Salas Ambiente e o estudo sobre a organização dos espaços na educação 
infantil 
Integrantes: Adriana R. Minamioka; Ana Carolina P. M. dos Santos; Carina Banwart; Egmar 
Almeida Santos da Silva; Graziela Aparecida Bataier; Rosemary Arendit; Valéria Helena 
Postal. 
Carga horária 2o semestre: aproximadamente, 170h 
Atividades 
O presente relatório tem por objetivo apresentar as principais ações 
desenvolvidas pelo grupo no período de julho a dezembro de 2014, já que o referente ao 
1o semestre já foi entregue e discutido com a equipe gestora em meados de agosto. 
Próprio dos momentos de grandes mudanças, erros e acertos aconteceram e estão 
acontecendo; muitas reflexões, indagações e revisões de condutas foram adotadas com o 
intuito de que o processo se desse da forma mais tranquila possível, sem abrir mão do 
propósito reformador implementado: a organização das salas ambiente. 
Cabe aqui, ressaltar e engrandecer a importância do trabalho e dos estudos que 
estão sendo realizados pelo grupo até então, que tem como princípios norteadores os 
seguintes itens: 
● Foco das ações no atendimento das crianças; 
● Prática de escuta e do diálogo com educadores, funcionários, crianças, 
famílias e comunidade; 
● Fundamentação do trabalho pedagógico nos documentos oficiais do MEC, e 
outras contribuições teóricas, tais como, Reggio Emília, 
● Estudo constante sobre os seguintes temas: Espaços para Educação infantil; 
Infância; Documentação Pedagógica; dentre outros. 
A construção dos princípios norteadores do grupo de estudos sobre a 
organização dos espaços na educação infantil e salas ambiente se deu ao longo do 
período e estão sendo consolidados e apresentados à equipe gestora. 
Contamos com as contribuições da Profa Dra Roberta Borges, que nos colocou 
em diálogo com o trabalho desenvolvido em Reggio Emília ­Itália 
­, 
bem como nos 
trouxe à reflexão sobre a documentação pedagógica, nos fazendo pensar sobre se este 
projeto está de fato agradando às crianças. O que elas nos dizem sobre as Salas 
Ambiente?! Essas contribuições enriqueceram as discussões do grupo.
Tendo em vista nossos princípios, foram implementadas as ações a seguir 
mencionadas que, longe de esgotar as necessidades, procuraram (nem todas as 
solicitações foram implementadas) atender as questões mais urgentes do CEI. 
Projetos e ações concretizados: 
● Reorganização das prateleiras da sala de jogos e brincadeiras, atualmente 
estão na altura das crianças, favorecendo a autonomia e novas formas de 
organização por parte daqueles que ali interagem, proporcionando e 
despertando a curiosidade, fantasia e imaginação; 
● Compra das caixas organizadoras, outro item que favorece a autonomia e 
facilita a organização; 
● 4 Notebooks ao acesso das crianças; 
● Reorganização da sala de contos e fantasias; 
● Caixas e prateleiras identificadas com fotos; 
● Visitas às unidades educacionais da cidade de Campinas (CEMEI Alpheo 
Miguel, CEMEI Rafael Andrade Duarte e CIS Tancredo Neves) e Jundiaí 
(Fundação Antônio Antonietntonieta Cintra Gordinho; que têm trabalho 
diferenciado sobre a organização dos espaços na educação infantil; 
● Leitura da bibliografia proposta e acordada pelo grupo (Crianças, espaços e 
relações, Espaços em Educação Infantil) proporcionou trocas de ideias e 
incentivo para novas propostas; 
Projetos e ações em andamento 
A partir da leitura do livro Crianças, espaços e relações estão sendo elaborados 
slides com propostas de reorganização dos espaços, inclusive com sugestões para novos 
espaços, dentre eles citamos: o espaço ciências e experimentações e a complementação 
da sala multimídia. 
Todo material será disponibilizado no blog do grupo de estudos que tem como 
um dos objetivos principais as trocas entre os educadores do CEI, bem como com outras 
unidades educacionais. 
Reflexões do Grupo de HP 
Tendo por base tudo o que foi exposto até aqui, ressaltamos alguns pontos 
importantes: 
a) Este projeto se faz necessário para a manutenção da proposta de salas 
ambiente na Unidade Escolar, dado que a constante reflexão, intercâmbio de 
experiências e formação são essenciais para a compreensão e melhor desenvolvimento 
do trabalho; 
b) Seria interessante que a escola tomasse partido sobre os rumos deste trabalho, 
na medida em que, se for consenso, deverá entrar no PPP da UE (apesar de já constar, 
deveria entrar como algo prioritário da escola, uma linha mestra) para a busca de 
formações continuadas para todos da escola, busca de parcerias com universidades para
aprimoramento reflexivo e prático dos profissionais e, até mesmo, a explicitação do 
projeto na Secretaria de Educação em busca de recursos e valorização de nossa 
proposta; 
c) Disponibilizar um exemplar de todos os livros utilizados para o estudo deste 
HP para consulta dos outros funcionários; 
d) Uma sugestão para o ano que vem é que este HP seja transformado em Grupo 
de Estudo, de modo a pensar em temas mensais (talvez) relacionados à temática de 
Espaços na Educação Infantil, que sejam discutidos no grupo, para que, ao fim de cada 
mês seja apresentado em TDC para o grupo da escola, trazendo questões para discussão, 
reflexões, imagens, textos para a formação de todos. Dessa forma, também pode­se 
buscar mais parcerias em outras Unidades para o intercâmbio de ideias e formação. 
e) Pensamos que a organização dos espaços não deve ficar restrita às Salas 
Ambiente ou ao Parque ­que 
é o que tem sido discutido na escola ­, 
precisamos 
(re)pensar todos os espaços da escola como, por exemplo, o refeitório: é um espaço 
adequado para todas as crianças atendidas? É um espaço agradável para as refeições? O 
que as crianças pensam sobre este espaço? Ele é um espaço educador? Permite os 
relacionamentos entre as crianças e entre as crianças e os adultos? Favorece a 
autonomia das crianças no autosservimento? Os materiais utilizados pelas crianças são 
estéticos visualmente?; 
f) Algumas ações demandaram parceria com a equipe gestora e tiveram alguns 
entraves: manutenção das salas ambiente: mobiliário, pequenas reformas, contato com 
profissionais, aquisição de materiais, brinquedos e o retorno destas solicitações. 
Considerações finais 
Acreditamos e temos a certeza de que como diz Paulo Freire: "A teoria sem a 
prática vira ‘verbalismo’, assim como a prática sem a teoria vira ativismo. No entanto, 
quando se une a prática com a teoria tem­se 
a práxis, a ação criadora e modificadora 
da realidade." 
Parabéns a todas nós, pois não foi fácil o envolvimento, seja organizando 
materiais nas salas ambiente ou compartilhando os conhecimentos em nossos encontros. 
Impossível não se emocionar com todos estes momentos de construção e 
(re)construção, reflexão teoria e prática, a horta, o parque, as salas ambiente e os 
espaços da escola. 
Não aos enfeites em EVA!!! Não aos desenhos estereotipados! Não à produção 
do adulto cobrindo as paredes! Que toda sala possa ser, no início do ano, como 
descreveu Madalena Freire: Somente o chão, paredes caiadas e o teto. E que ela ganhe 
vida pelas mãos do grupo que a habitará durante o ano letivo. 
Escola não é lugar para decoração, é um espaço para ambientação. 
Escola não é lugar para enfeite, é espaço legítimo para produção de criança.
Escola não é lugar de lembrancinha, é laboratório de conhecimento. 
Escola não é lugar para unificação, é espaço de originalidade e inovação. 
Escola não é lugar de colonização, é um território para o pensamento criativo e 
a libertação. 
Escola não é lugar de reprodução de padrão, é espaço para descobertas e 
construção de novos saberes. 
Escola não é guarda­volumes, 
é território para o brincar. 
Escola não é cativeiro, é espaço de cultura e ampliação. 
Escola não pode ser "serviço" para ninguém: escola é local de trabalho sério, 
complexo, desacomodado, intelectualizado e vivo!" 
Patricia Lacombe

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pedagogia de Projetos na Ed. Infantil
Pedagogia de Projetos na Ed. InfantilPedagogia de Projetos na Ed. Infantil
Pedagogia de Projetos na Ed. Infantil
Vania Duarte
 
50 ideias para começar o ano
50 ideias para começar o ano50 ideias para começar o ano
50 ideias para começar o ano
eliasdemoch
 
Livro 3:A Pedagogia de Projetos
Livro 3:A Pedagogia de ProjetosLivro 3:A Pedagogia de Projetos
Livro 3:A Pedagogia de Projetos
Natália Belchior
 
Geometria textos de apoio ao educador
Geometria   textos de apoio ao educadorGeometria   textos de apoio ao educador
Geometria textos de apoio ao educador
Bruna Lopes
 
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de Divisão
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de  DivisãoCaminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de  Divisão
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de Divisão
Everaldo Gomes
 
Projeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
Projeto De Ensino E Projeto De AprendizagemProjeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
Projeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
Sérgio da Silva
 
Projetos
Projetos Projetos
Pedagogia de projetos
Pedagogia de projetosPedagogia de projetos
Pedagogia de projetos
Júlia Eugênia Gonçalves
 
Trabalhando Com Projeto
Trabalhando Com ProjetoTrabalhando Com Projeto
Trabalhando Com Projeto
guest62ad7b
 
Kraft Olimpíadas de Reciclagem
Kraft Olimpíadas de ReciclagemKraft Olimpíadas de Reciclagem
Kraft Olimpíadas de Reciclagem
leeleyser
 
Trabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aulaTrabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aula
Greisomar
 
Resumo das discussões da semana 2
Resumo das discussões da semana 2Resumo das discussões da semana 2
Resumo das discussões da semana 2
cristbarb
 
Planejamento e rotinas nas aulas de matemática
Planejamento e rotinas nas aulas de matemáticaPlanejamento e rotinas nas aulas de matemática
Planejamento e rotinas nas aulas de matemática
Joelma Santos
 
Pedagogiade Projetos Ppt
Pedagogiade Projetos PptPedagogiade Projetos Ppt
Pedagogiade Projetos Ppt
roquematoso
 

Mais procurados (14)

Pedagogia de Projetos na Ed. Infantil
Pedagogia de Projetos na Ed. InfantilPedagogia de Projetos na Ed. Infantil
Pedagogia de Projetos na Ed. Infantil
 
50 ideias para começar o ano
50 ideias para começar o ano50 ideias para começar o ano
50 ideias para começar o ano
 
Livro 3:A Pedagogia de Projetos
Livro 3:A Pedagogia de ProjetosLivro 3:A Pedagogia de Projetos
Livro 3:A Pedagogia de Projetos
 
Geometria textos de apoio ao educador
Geometria   textos de apoio ao educadorGeometria   textos de apoio ao educador
Geometria textos de apoio ao educador
 
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de Divisão
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de  DivisãoCaminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de  Divisão
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de Divisão
 
Projeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
Projeto De Ensino E Projeto De AprendizagemProjeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
Projeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
 
Projetos
Projetos Projetos
Projetos
 
Pedagogia de projetos
Pedagogia de projetosPedagogia de projetos
Pedagogia de projetos
 
Trabalhando Com Projeto
Trabalhando Com ProjetoTrabalhando Com Projeto
Trabalhando Com Projeto
 
Kraft Olimpíadas de Reciclagem
Kraft Olimpíadas de ReciclagemKraft Olimpíadas de Reciclagem
Kraft Olimpíadas de Reciclagem
 
Trabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aulaTrabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aula
 
Resumo das discussões da semana 2
Resumo das discussões da semana 2Resumo das discussões da semana 2
Resumo das discussões da semana 2
 
Planejamento e rotinas nas aulas de matemática
Planejamento e rotinas nas aulas de matemáticaPlanejamento e rotinas nas aulas de matemática
Planejamento e rotinas nas aulas de matemática
 
Pedagogiade Projetos Ppt
Pedagogiade Projetos PptPedagogiade Projetos Ppt
Pedagogiade Projetos Ppt
 

Destaque

Normas da Vigilância Sanitária para construção de escolas de Educação Infantil
Normas da Vigilância Sanitária para construção de escolas de Educação InfantilNormas da Vigilância Sanitária para construção de escolas de Educação Infantil
Normas da Vigilância Sanitária para construção de escolas de Educação Infantil
Carina
 
Sugestões de Atividades Matemáticas
Sugestões de Atividades MatemáticasSugestões de Atividades Matemáticas
Sugestões de Atividades Matemáticas
Carina
 
A percepção matemática ou por onde começar - Sérgio Lorenzato
A percepção matemática ou por onde começar - Sérgio LorenzatoA percepção matemática ou por onde começar - Sérgio Lorenzato
A percepção matemática ou por onde começar - Sérgio Lorenzato
Carina
 
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação InclusivaPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
Carina
 
Ensino de Ciências e Educação Infantil
Ensino de Ciências e Educação InfantilEnsino de Ciências e Educação Infantil
Ensino de Ciências e Educação Infantil
Carina
 
Relatórios Educação Infantil
Relatórios Educação InfantilRelatórios Educação Infantil
Relatórios Educação Infantil
Melissa Oliveira
 
Fundamentosemetodologiadoensinodematemtica 150329161820-conversion-gate01 (1)
Fundamentosemetodologiadoensinodematemtica 150329161820-conversion-gate01 (1)Fundamentosemetodologiadoensinodematemtica 150329161820-conversion-gate01 (1)
Fundamentosemetodologiadoensinodematemtica 150329161820-conversion-gate01 (1)
Ciro Mesquita
 

Destaque (7)

Normas da Vigilância Sanitária para construção de escolas de Educação Infantil
Normas da Vigilância Sanitária para construção de escolas de Educação InfantilNormas da Vigilância Sanitária para construção de escolas de Educação Infantil
Normas da Vigilância Sanitária para construção de escolas de Educação Infantil
 
Sugestões de Atividades Matemáticas
Sugestões de Atividades MatemáticasSugestões de Atividades Matemáticas
Sugestões de Atividades Matemáticas
 
A percepção matemática ou por onde começar - Sérgio Lorenzato
A percepção matemática ou por onde começar - Sérgio LorenzatoA percepção matemática ou por onde começar - Sérgio Lorenzato
A percepção matemática ou por onde começar - Sérgio Lorenzato
 
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação InclusivaPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
 
Ensino de Ciências e Educação Infantil
Ensino de Ciências e Educação InfantilEnsino de Ciências e Educação Infantil
Ensino de Ciências e Educação Infantil
 
Relatórios Educação Infantil
Relatórios Educação InfantilRelatórios Educação Infantil
Relatórios Educação Infantil
 
Fundamentosemetodologiadoensinodematemtica 150329161820-conversion-gate01 (1)
Fundamentosemetodologiadoensinodematemtica 150329161820-conversion-gate01 (1)Fundamentosemetodologiadoensinodematemtica 150329161820-conversion-gate01 (1)
Fundamentosemetodologiadoensinodematemtica 150329161820-conversion-gate01 (1)
 

Semelhante a Relatório Segundo Semestre HP Salas Ambiente

Jornadas remilia
Jornadas remiliaJornadas remilia
Jornadas remilia
manuelsilva309
 
Área de Projecto
Área de ProjectoÁrea de Projecto
Área de Projecto
ariomc
 
Apresentação rosane virlene orientação
Apresentação rosane virlene orientaçãoApresentação rosane virlene orientação
Apresentação rosane virlene orientação
Virlene Amarante
 
Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]
Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]
Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]
Claudio Oliveira
 
PNAIC CADERNO 1 Organização do trabalho pedagógico
PNAIC CADERNO 1 Organização do trabalho pedagógicoPNAIC CADERNO 1 Organização do trabalho pedagógico
PNAIC CADERNO 1 Organização do trabalho pedagógico
Amanda Nolasco
 
Apresenta minicurso melp
Apresenta minicurso melpApresenta minicurso melp
Apresenta minicurso melp
Maria Helena Pereira
 
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICACADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
Aline Caixeta
 
06 andre lopes_comunidade_aprendizagem
06 andre lopes_comunidade_aprendizagem06 andre lopes_comunidade_aprendizagem
06 andre lopes_comunidade_aprendizagem
Luciana
 
Pauta Professores
Pauta ProfessoresPauta Professores
Pauta Professores
vivianelima
 
Uso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKIUso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKI
adoryeva sylva
 
Aula 08 projetos 2010
Aula 08 projetos 2010Aula 08 projetos 2010
Aula 08 projetos 2010
Fábio Nogueira Kaam
 
Oficina conteudos digitais - nte
Oficina conteudos digitais  - nteOficina conteudos digitais  - nte
Oficina conteudos digitais - nte
loizaroncete
 
WebQuest
WebQuestWebQuest
WebQuest
Rayannebatista
 
9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor
Claudio Lima
 
Modelos Ensino Híbrido
Modelos Ensino HíbridoModelos Ensino Híbrido
Modelos Ensino Híbrido
Gelson Rocha
 
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
ProjectoFenix
 
Semieduc - PORTFÓLIOS DE IDÉIAS INSPIRADORAS PARA INOVAR AS AULAS DO AMBIENTE...
Semieduc - PORTFÓLIOS DE IDÉIAS INSPIRADORAS PARA INOVAR AS AULAS DO AMBIENTE...Semieduc - PORTFÓLIOS DE IDÉIAS INSPIRADORAS PARA INOVAR AS AULAS DO AMBIENTE...
Semieduc - PORTFÓLIOS DE IDÉIAS INSPIRADORAS PARA INOVAR AS AULAS DO AMBIENTE...
SimoneHelenDrumond
 
WebQuest
WebQuestWebQuest
WebQuest
Rayannebatista
 
Apresentação p as salvador do sul
Apresentação p as salvador do sulApresentação p as salvador do sul
Apresentação p as salvador do sul
Nadie Christina Machado-Spence
 
Projeto lixo
Projeto lixoProjeto lixo
Projeto lixo
Valeria Ferreira
 

Semelhante a Relatório Segundo Semestre HP Salas Ambiente (20)

Jornadas remilia
Jornadas remiliaJornadas remilia
Jornadas remilia
 
Área de Projecto
Área de ProjectoÁrea de Projecto
Área de Projecto
 
Apresentação rosane virlene orientação
Apresentação rosane virlene orientaçãoApresentação rosane virlene orientação
Apresentação rosane virlene orientação
 
Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]
Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]
Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]
 
PNAIC CADERNO 1 Organização do trabalho pedagógico
PNAIC CADERNO 1 Organização do trabalho pedagógicoPNAIC CADERNO 1 Organização do trabalho pedagógico
PNAIC CADERNO 1 Organização do trabalho pedagógico
 
Apresenta minicurso melp
Apresenta minicurso melpApresenta minicurso melp
Apresenta minicurso melp
 
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICACADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
 
06 andre lopes_comunidade_aprendizagem
06 andre lopes_comunidade_aprendizagem06 andre lopes_comunidade_aprendizagem
06 andre lopes_comunidade_aprendizagem
 
Pauta Professores
Pauta ProfessoresPauta Professores
Pauta Professores
 
Uso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKIUso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKI
 
Aula 08 projetos 2010
Aula 08 projetos 2010Aula 08 projetos 2010
Aula 08 projetos 2010
 
Oficina conteudos digitais - nte
Oficina conteudos digitais  - nteOficina conteudos digitais  - nte
Oficina conteudos digitais - nte
 
WebQuest
WebQuestWebQuest
WebQuest
 
9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor
 
Modelos Ensino Híbrido
Modelos Ensino HíbridoModelos Ensino Híbrido
Modelos Ensino Híbrido
 
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
 
Semieduc - PORTFÓLIOS DE IDÉIAS INSPIRADORAS PARA INOVAR AS AULAS DO AMBIENTE...
Semieduc - PORTFÓLIOS DE IDÉIAS INSPIRADORAS PARA INOVAR AS AULAS DO AMBIENTE...Semieduc - PORTFÓLIOS DE IDÉIAS INSPIRADORAS PARA INOVAR AS AULAS DO AMBIENTE...
Semieduc - PORTFÓLIOS DE IDÉIAS INSPIRADORAS PARA INOVAR AS AULAS DO AMBIENTE...
 
WebQuest
WebQuestWebQuest
WebQuest
 
Apresentação p as salvador do sul
Apresentação p as salvador do sulApresentação p as salvador do sul
Apresentação p as salvador do sul
 
Projeto lixo
Projeto lixoProjeto lixo
Projeto lixo
 

Mais de Carina

Propostas para sala contos e fantasias
Propostas para sala contos e fantasiasPropostas para sala contos e fantasias
Propostas para sala contos e fantasias
Carina
 
Tecnologia Assistiva nas escolas
Tecnologia Assistiva nas escolasTecnologia Assistiva nas escolas
Tecnologia Assistiva nas escolas
Carina
 
Educação Inclusiva
Educação InclusivaEducação Inclusiva
Educação Inclusiva
Carina
 
Letramento e Alfabetização: Implicações para a Educação Infantil
Letramento e Alfabetização: Implicações para a Educação InfantilLetramento e Alfabetização: Implicações para a Educação Infantil
Letramento e Alfabetização: Implicações para a Educação Infantil
Carina
 
O currículo na educacão infantil
O currículo na educacão infantilO currículo na educacão infantil
O currículo na educacão infantil
Carina
 
Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil
Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação InfantilDiretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil
Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil
Carina
 
Projeto "Formação no ambiente escolar" 2012
Projeto "Formação no ambiente escolar" 2012Projeto "Formação no ambiente escolar" 2012
Projeto "Formação no ambiente escolar" 2012
Carina
 
Impressões "Interação"
Impressões "Interação"Impressões "Interação"
Impressões "Interação"
Carina
 
Impressões "Linguagem"
Impressões "Linguagem"Impressões "Linguagem"
Impressões "Linguagem"
Carina
 
Impressões "Sexualidade"
Impressões "Sexualidade"Impressões "Sexualidade"
Impressões "Sexualidade"
Carina
 
Impressões "Agrupamento"
Impressões "Agrupamento"Impressões "Agrupamento"
Impressões "Agrupamento"
Carina
 
Projeto "Formação no ambiente escolar" - 2011
Projeto "Formação no ambiente escolar" - 2011Projeto "Formação no ambiente escolar" - 2011
Projeto "Formação no ambiente escolar" - 2011
Carina
 
Educar e Cuidar
Educar e CuidarEducar e Cuidar
Educar e Cuidar
Carina
 
Em questão: o relacionamento entre pais e educadores
Em questão: o relacionamento entre pais e educadoresEm questão: o relacionamento entre pais e educadores
Em questão: o relacionamento entre pais e educadores
Carina
 
Em questão: o relacionamento entre pais e educadores
Em questão: o relacionamento entre pais e educadoresEm questão: o relacionamento entre pais e educadores
Em questão: o relacionamento entre pais e educadores
Carina
 
Resumo - Proposta Curricular Básica EI
Resumo - Proposta Curricular Básica EIResumo - Proposta Curricular Básica EI
Resumo - Proposta Curricular Básica EI
Carina
 
Design didático
Design didáticoDesign didático
Design didático
Carina
 
Projeto Formação no ambiente escolar - uma busca pela integração prática e te...
Projeto Formação no ambiente escolar - uma busca pela integração prática e te...Projeto Formação no ambiente escolar - uma busca pela integração prática e te...
Projeto Formação no ambiente escolar - uma busca pela integração prática e te...
Carina
 
Jogo dos 7 erros
Jogo dos 7 errosJogo dos 7 erros
Jogo dos 7 erros
Carina
 
Prado, Patrícia Dias - Contrariando a idade
Prado, Patrícia Dias - Contrariando a idadePrado, Patrícia Dias - Contrariando a idade
Prado, Patrícia Dias - Contrariando a idade
Carina
 

Mais de Carina (20)

Propostas para sala contos e fantasias
Propostas para sala contos e fantasiasPropostas para sala contos e fantasias
Propostas para sala contos e fantasias
 
Tecnologia Assistiva nas escolas
Tecnologia Assistiva nas escolasTecnologia Assistiva nas escolas
Tecnologia Assistiva nas escolas
 
Educação Inclusiva
Educação InclusivaEducação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Letramento e Alfabetização: Implicações para a Educação Infantil
Letramento e Alfabetização: Implicações para a Educação InfantilLetramento e Alfabetização: Implicações para a Educação Infantil
Letramento e Alfabetização: Implicações para a Educação Infantil
 
O currículo na educacão infantil
O currículo na educacão infantilO currículo na educacão infantil
O currículo na educacão infantil
 
Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil
Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação InfantilDiretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil
Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil
 
Projeto "Formação no ambiente escolar" 2012
Projeto "Formação no ambiente escolar" 2012Projeto "Formação no ambiente escolar" 2012
Projeto "Formação no ambiente escolar" 2012
 
Impressões "Interação"
Impressões "Interação"Impressões "Interação"
Impressões "Interação"
 
Impressões "Linguagem"
Impressões "Linguagem"Impressões "Linguagem"
Impressões "Linguagem"
 
Impressões "Sexualidade"
Impressões "Sexualidade"Impressões "Sexualidade"
Impressões "Sexualidade"
 
Impressões "Agrupamento"
Impressões "Agrupamento"Impressões "Agrupamento"
Impressões "Agrupamento"
 
Projeto "Formação no ambiente escolar" - 2011
Projeto "Formação no ambiente escolar" - 2011Projeto "Formação no ambiente escolar" - 2011
Projeto "Formação no ambiente escolar" - 2011
 
Educar e Cuidar
Educar e CuidarEducar e Cuidar
Educar e Cuidar
 
Em questão: o relacionamento entre pais e educadores
Em questão: o relacionamento entre pais e educadoresEm questão: o relacionamento entre pais e educadores
Em questão: o relacionamento entre pais e educadores
 
Em questão: o relacionamento entre pais e educadores
Em questão: o relacionamento entre pais e educadoresEm questão: o relacionamento entre pais e educadores
Em questão: o relacionamento entre pais e educadores
 
Resumo - Proposta Curricular Básica EI
Resumo - Proposta Curricular Básica EIResumo - Proposta Curricular Básica EI
Resumo - Proposta Curricular Básica EI
 
Design didático
Design didáticoDesign didático
Design didático
 
Projeto Formação no ambiente escolar - uma busca pela integração prática e te...
Projeto Formação no ambiente escolar - uma busca pela integração prática e te...Projeto Formação no ambiente escolar - uma busca pela integração prática e te...
Projeto Formação no ambiente escolar - uma busca pela integração prática e te...
 
Jogo dos 7 erros
Jogo dos 7 errosJogo dos 7 erros
Jogo dos 7 erros
 
Prado, Patrícia Dias - Contrariando a idade
Prado, Patrícia Dias - Contrariando a idadePrado, Patrícia Dias - Contrariando a idade
Prado, Patrícia Dias - Contrariando a idade
 

Último

Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 

Último (20)

Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 

Relatório Segundo Semestre HP Salas Ambiente

  • 1. Relatório 2o Semestre de 2014 Projeto Salas Ambiente e o estudo sobre a organização dos espaços na educação infantil Integrantes: Adriana R. Minamioka; Ana Carolina P. M. dos Santos; Carina Banwart; Egmar Almeida Santos da Silva; Graziela Aparecida Bataier; Rosemary Arendit; Valéria Helena Postal. Carga horária 2o semestre: aproximadamente, 170h Atividades O presente relatório tem por objetivo apresentar as principais ações desenvolvidas pelo grupo no período de julho a dezembro de 2014, já que o referente ao 1o semestre já foi entregue e discutido com a equipe gestora em meados de agosto. Próprio dos momentos de grandes mudanças, erros e acertos aconteceram e estão acontecendo; muitas reflexões, indagações e revisões de condutas foram adotadas com o intuito de que o processo se desse da forma mais tranquila possível, sem abrir mão do propósito reformador implementado: a organização das salas ambiente. Cabe aqui, ressaltar e engrandecer a importância do trabalho e dos estudos que estão sendo realizados pelo grupo até então, que tem como princípios norteadores os seguintes itens: ● Foco das ações no atendimento das crianças; ● Prática de escuta e do diálogo com educadores, funcionários, crianças, famílias e comunidade; ● Fundamentação do trabalho pedagógico nos documentos oficiais do MEC, e outras contribuições teóricas, tais como, Reggio Emília, ● Estudo constante sobre os seguintes temas: Espaços para Educação infantil; Infância; Documentação Pedagógica; dentre outros. A construção dos princípios norteadores do grupo de estudos sobre a organização dos espaços na educação infantil e salas ambiente se deu ao longo do período e estão sendo consolidados e apresentados à equipe gestora. Contamos com as contribuições da Profa Dra Roberta Borges, que nos colocou em diálogo com o trabalho desenvolvido em Reggio Emília ­Itália ­, bem como nos trouxe à reflexão sobre a documentação pedagógica, nos fazendo pensar sobre se este projeto está de fato agradando às crianças. O que elas nos dizem sobre as Salas Ambiente?! Essas contribuições enriqueceram as discussões do grupo.
  • 2. Tendo em vista nossos princípios, foram implementadas as ações a seguir mencionadas que, longe de esgotar as necessidades, procuraram (nem todas as solicitações foram implementadas) atender as questões mais urgentes do CEI. Projetos e ações concretizados: ● Reorganização das prateleiras da sala de jogos e brincadeiras, atualmente estão na altura das crianças, favorecendo a autonomia e novas formas de organização por parte daqueles que ali interagem, proporcionando e despertando a curiosidade, fantasia e imaginação; ● Compra das caixas organizadoras, outro item que favorece a autonomia e facilita a organização; ● 4 Notebooks ao acesso das crianças; ● Reorganização da sala de contos e fantasias; ● Caixas e prateleiras identificadas com fotos; ● Visitas às unidades educacionais da cidade de Campinas (CEMEI Alpheo Miguel, CEMEI Rafael Andrade Duarte e CIS Tancredo Neves) e Jundiaí (Fundação Antônio Antonietntonieta Cintra Gordinho; que têm trabalho diferenciado sobre a organização dos espaços na educação infantil; ● Leitura da bibliografia proposta e acordada pelo grupo (Crianças, espaços e relações, Espaços em Educação Infantil) proporcionou trocas de ideias e incentivo para novas propostas; Projetos e ações em andamento A partir da leitura do livro Crianças, espaços e relações estão sendo elaborados slides com propostas de reorganização dos espaços, inclusive com sugestões para novos espaços, dentre eles citamos: o espaço ciências e experimentações e a complementação da sala multimídia. Todo material será disponibilizado no blog do grupo de estudos que tem como um dos objetivos principais as trocas entre os educadores do CEI, bem como com outras unidades educacionais. Reflexões do Grupo de HP Tendo por base tudo o que foi exposto até aqui, ressaltamos alguns pontos importantes: a) Este projeto se faz necessário para a manutenção da proposta de salas ambiente na Unidade Escolar, dado que a constante reflexão, intercâmbio de experiências e formação são essenciais para a compreensão e melhor desenvolvimento do trabalho; b) Seria interessante que a escola tomasse partido sobre os rumos deste trabalho, na medida em que, se for consenso, deverá entrar no PPP da UE (apesar de já constar, deveria entrar como algo prioritário da escola, uma linha mestra) para a busca de formações continuadas para todos da escola, busca de parcerias com universidades para
  • 3. aprimoramento reflexivo e prático dos profissionais e, até mesmo, a explicitação do projeto na Secretaria de Educação em busca de recursos e valorização de nossa proposta; c) Disponibilizar um exemplar de todos os livros utilizados para o estudo deste HP para consulta dos outros funcionários; d) Uma sugestão para o ano que vem é que este HP seja transformado em Grupo de Estudo, de modo a pensar em temas mensais (talvez) relacionados à temática de Espaços na Educação Infantil, que sejam discutidos no grupo, para que, ao fim de cada mês seja apresentado em TDC para o grupo da escola, trazendo questões para discussão, reflexões, imagens, textos para a formação de todos. Dessa forma, também pode­se buscar mais parcerias em outras Unidades para o intercâmbio de ideias e formação. e) Pensamos que a organização dos espaços não deve ficar restrita às Salas Ambiente ou ao Parque ­que é o que tem sido discutido na escola ­, precisamos (re)pensar todos os espaços da escola como, por exemplo, o refeitório: é um espaço adequado para todas as crianças atendidas? É um espaço agradável para as refeições? O que as crianças pensam sobre este espaço? Ele é um espaço educador? Permite os relacionamentos entre as crianças e entre as crianças e os adultos? Favorece a autonomia das crianças no autosservimento? Os materiais utilizados pelas crianças são estéticos visualmente?; f) Algumas ações demandaram parceria com a equipe gestora e tiveram alguns entraves: manutenção das salas ambiente: mobiliário, pequenas reformas, contato com profissionais, aquisição de materiais, brinquedos e o retorno destas solicitações. Considerações finais Acreditamos e temos a certeza de que como diz Paulo Freire: "A teoria sem a prática vira ‘verbalismo’, assim como a prática sem a teoria vira ativismo. No entanto, quando se une a prática com a teoria tem­se a práxis, a ação criadora e modificadora da realidade." Parabéns a todas nós, pois não foi fácil o envolvimento, seja organizando materiais nas salas ambiente ou compartilhando os conhecimentos em nossos encontros. Impossível não se emocionar com todos estes momentos de construção e (re)construção, reflexão teoria e prática, a horta, o parque, as salas ambiente e os espaços da escola. Não aos enfeites em EVA!!! Não aos desenhos estereotipados! Não à produção do adulto cobrindo as paredes! Que toda sala possa ser, no início do ano, como descreveu Madalena Freire: Somente o chão, paredes caiadas e o teto. E que ela ganhe vida pelas mãos do grupo que a habitará durante o ano letivo. Escola não é lugar para decoração, é um espaço para ambientação. Escola não é lugar para enfeite, é espaço legítimo para produção de criança.
  • 4. Escola não é lugar de lembrancinha, é laboratório de conhecimento. Escola não é lugar para unificação, é espaço de originalidade e inovação. Escola não é lugar de colonização, é um território para o pensamento criativo e a libertação. Escola não é lugar de reprodução de padrão, é espaço para descobertas e construção de novos saberes. Escola não é guarda­volumes, é território para o brincar. Escola não é cativeiro, é espaço de cultura e ampliação. Escola não pode ser "serviço" para ninguém: escola é local de trabalho sério, complexo, desacomodado, intelectualizado e vivo!" Patricia Lacombe