SlideShare uma empresa Scribd logo
Centro de Ensino Urbano Rocha 
Imperatriz, ____ de maio de 2014. 
Aluno: ____________________________________________ nº _______ 
Professora: Mary Alvarenga Série: 1º ano Turma: A 
Verificação de Filosofia 
1. A palavra Filosofia significa: 
a) Amor pelo saber. 
b) Amor pela mitologia grega. 
c) Amor pela história geral. 
d) Adoração aos seres de inteligência superior. 
Leia o fragmento para responder às questões 1 e 2. 
"Lembremos a figura de Sócrates. Dizem que era um homem feio, mas que, quando falava, exercia estranho fascínio. Procurado pelos jovens, passava horas discutindo na praça pública. Interpelava os transeuntes, dizendo-se ignorante, e fazia perguntas aos que julgavam entender determinado assunto: "O que é a coragem e a covardia?", "O que é a beleza?", "O que é a justiça?", "O que é a virtude?". Desse modo, Sócrates não fazia preleções, mas dialogava. Ao final, o interlocutor concluía não haver saída senão reconhecer a própria ignorância. A discussão tomava outro rumo, na tentativa de explicitar melhor o conceito". 
(ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: Introdução à Filosofia, 2009, p.21). 
2. A partir do fragmento acima exposto, é correto afirmar sobre o pensamento socrático: 
I. que se define enquanto saber inacabado, porque é dinâmico e está em construção; 
II. que é por natureza dogmático, já que o próprio Sócrates é detentor de um saber; 
III. que não faz de Sócrates "um ser que ilumina", já que o caminho por ele proposto é o da discussão intersubjetiva e dialogal. 
 É correto o que se afirma em: 
a) I e III, apenas. 
b) I, II, e III. 
c) II e III, apenas. 
d) I e II, apenas. 
3. Por meio do diálogo, Sócrates construía com seus interlocutores uma relação pautada em perguntas, respostas e novas perguntas. Tal método também ficou conhecido como maiêutica, e sobre ele é correto afirmar que: 
a) tem como finalidade uma conclusão efetiva, ainda que seu interlocutor não abandone a doxa. 
b) a verdade descoberta por seu interlocutor consiste em uma novidade ontológica. 
c) enquanto dizia saber apenas que não sabia, Sócrates propunha o "não saber" como termo à sua filosofia. 
d) possibilitava Sócrates ajudar seus interlocutores a dar à luz ideias que já estavam neles.
Leia o texto para responder às questões de números 4 e 5. 
"A caverna (...) é o mundo sensível onde vivemos. O fogo que projeta as sombras na parede é um reflexo da luz verdadeira (do Bem e das ideias) sobre o mundo sensível. Somos os prisioneiros. As sombras são as coisas sensíveis, que tomamos pelas verdadeiras, e as imagens ou sombras dessas sombras, criadas por artefatos fabricadores de ilusões. Os grilhões são nossos preconceitos, nossa confiança em nossos sentidos, nossas paixões e opiniões. O instrumento que quebra os grilhões e permite a escalada do muro é a dialética. O prisioneiro curioso que escapa é o filósofo. A luz que ele vê é a luz plena do ser, isto é, o Bem, que ilumina o mundo inteligível como o Sol ilumina o mundo sensível. O retorno à caverna para convidar os outros a sair dela é o diálogo filosófico, e as maneiras desajeitadas e insólitas do filósofo são compreensíveis, pois quem contemplou a unidade da verdade já não sabe lidar habilmente com a multiplicidade das opiniões nem mover-se com engenho no interior das aparências e ilusões. Os anos despendidos na criação do instrumento para sair da caverna são o esforço da alma para libertar-se. Conhecer é, pois, um ato de libertação e de iluminação. A Paideia filosófica é uma conversão da alma voltando-se do sensível para o inteligível. Essa educação não ensina coisas nem nos dá a visão, mas ensina a ver, orienta o olhar, pois a alma, por sua natureza, possui em si mesma a capacidade para ver." [Marilena Chauí] 
4. De acordo com o texto, pode-se afirmar que: 
a) O conhecimento filosófico é o único que pressupõe o acesso ao mundo sensível. 
b) Filosofar é um instrumento de alienação para quem sai da caverna. 
c) O filósofo, por sua busca, tem uma visão mais abrangente do conhecimento. 
d) A unidade da verdade não permite divagações metafísicas. 
5. Ainda sobre o texto, pode-se afirmar que: 
a) O processo de esclarecimento por meio da filosofia pressupõe a iluminação das coisas sensíveis pelos fabricadores de ilusões. 
b) A Paideia filosófica é um processo de dissolução de preconceitos e de ideias ligadas ao senso comum. 
c) A alegoria da caverna não se adequa às realidades contemporâneas. 
d) Convidar as pessoas para saírem da caverna é uma incoerência, pois somente o filósofo pode sair da caverna. 
Muito já se disse acerca das relações entre mito e filosofia. Há aqueles, como o inglês Francis Macdonald Cornford, que, ainda que tenham suas diferenças, há vínculos do mito na filosofia. Porém, ao contrário desta teoria da continuidade, estudiosos do assunto, como Jean-Pierre Vernant, defendem a ruptura entre mito e filosofia. 
6. Considerada esta última hipótese, pode-se afirmar que a ruptura entre mito e filosofia se dá porque: 
a) o mito tem caráter cosmológico, enquanto a filosofia explica o universo a partir de bases racionais 
b) a inteligibilidade do mito é dada, enquanto a filosofia busca a definição rigorosa de conceitos. 
c) o mito possui uma relação crítica com seu conteúdo, enquanto a filosofia jamais é crítica de si mesma. 
d) o mito é narrativo, enquanto que a filosofia é descritiva.
7. O mito é a forma mais remota de crença, narrativas sobre a origem do mundo, dos homens e das coisas da natureza. Sobre o mito, assinale a alternativa INCORRETA. 
a) Procura explicar de forma abstrata, uma realidade "misteriosa" para o homem. 
b) O mito está impregnado do desejo humano de afugentar a insegurança, os temores e a angustia diante do desconhecido. 
c) O mito formava para os gregos um sistema fácil, onde os fenômenos naturais ocorrem de forma objetiva. 
d) Explica a realidade, como também acomoda e tranquiliza o ser humano em seu mundo assustador. 
8. De acordo com o senso comum, radical significa brusco, violento ou inflexível, extremado. Por que não é esse o sentido que se atribui à filosofia quando a consideramos uma reflexão radical. 
a) Porque a filosofia busca explicitar os conceitos fundamentais usados em todos os campos do pensar e do agir 
b) Para a não é necessário compreender nossa capacidade de conhecer. 
c) Porque é uma expressão histórica e social, que segundo Marx, decorre do modo de produção vigente, sendo um conjunto de representações, imagens e ideias sobre os aspectos da vida humana. 
d) Porque é construída na trama das relações sociais, que permeiam sua existência cotidiana. 
9. Das alternativas abaixo, assinale a CORRETA. 
 O método socrático consiste em dois momentos: 
a) O reconhecimento das diversas identidades não se fundamenta no direito à igualdade e respeito às diferenças. 
b) o da ironia, em que Sócrates interroga quem diz saber; e o da maiêutica, em que o interlocutor, após reconhecer sua ignorância, inicia a investigação sobre os conceitos. 
c) que tem como suas principais funções revisar conceitos fundamentais do campo da Filosofia, tais como verdade e conhecimento. 
d) como produção simultânea do conhecimento objetivo e subjetivo, através da união de opostos. 
10. O que significa a máxima socrática “só sei que nada sei”? Ela se refere a Sócrates ou à própria filosofia? 
a) Refere-se tanto a Sócrates como à própria filosofia, pois, tanto a filosofia como Sócrates, tem a função de mostrar a nossa ignorância e nos conduzir à busca pelo conhecimento verdadeiro, ou racional. 
b) Refere-se somente a Sócrates, pois, não tem a função de mostrar a nossa ignorância e nos conduzir à busca pelo conhecimento verdadeiro. 
c) Refere-se somente a filosofia, pois, não tem a função de mostrar a nossa ignorância e nos conduzir à busca pelo conhecimento verdadeiro. 
d) Refere-se a todos nós, porque é composta por leis, normas e costumes. 
Boa Sorte!!!
Centro de Ensino Urbano Rocha 
Imperatriz, ____ de maio de 2014. 
Aluno: ____________________________________________ nº _______ 
Professora: Mary Alvarenga Série: 2º ano Turma: A 
Verificação de Filosofia 
1. Quanto ao pensamento filosófico ou simplesmente o filosofar, nasce do desejo de perguntar, de conhecer, de investigar, de encontrar soluções que o incentivem o homem a evoluir, sendo assim podemos afirmar que a filosofia: 
a) Interessa-se pela própria inteligência e pela realidade de uma forma geral 
b) Não se satisfaz apenas com os resultados apresentados pelas ciências e sempre procura ir além, mas sem discutir com seus propósitos políticos e sociais. 
c) Usa-se de argumentos por vezes inválidos para justificar seus conhecimentos 
d) Todas as alternativas estão incorretas. 
2. As indagações fundamentais da atitude filosófica e da reflexão filosófica não se realizam ao acaso. A filosofia não é feita de "achismos" nem é pesquisa de opinião à maneira dos meios de comunicação de massa. As indagações filosóficas se realizam de modo sistemático. Sabendo disso, é correto afirmar que o conhecimento filosófico é um trabalho intelectual onde: 
a) As respostas estejam relacionadas entre si e esclareçam umas às outras 
b) Contenta-se exclusivamente em obter respostas para as questões que se apresentam 
c) As respostas formem conjuntos coerentes de ideias 
d) As respostas sejam provadas e demonstradas racionalmente 
3. Ao se estudar filosofia, somos levados a buscar o que ela é e descobrimos que não há apenas uma definição de filosofia, mas várias. Considerando as concepções de filosofia existentes é correto afirmar que: 
I. Platão mostra que o espanto é a fonte da dúvida e que muitas vezes é causado de forma natural ou de forma forçada causada pelo próprio filósofo que deseja abrir uma discussão sobre o assunto a ser tratado. 
II. Aristóteles mostra que os homens vão à busca de sabedoria e que quando começam a filosofar se deparam com a dúvida deixando-os perplexos diante das dificuldades, mas que com passar do tempo, vão conseguir enfrentar problemas bem maiores do que aqueles que os deixaram perplexos no início. 
III. Descartes mostra que nós precisamos desconfiar de tudo que pode nos causar alguma dúvida e que nós devemos considerar que coisas que nos parecem verdadeiras podem ser certas e mais fáceis de desvendar. 
IV. Kant mostra que o filosofar só é possível quando exercitando a razão, fazendo-a seguir os princípios universais. 
a) As afirmativas I, II e III estão corretas. 
b) As afirmativas I e IV estão corretas 
c) As afirmativas I, III e IV estão corretas 
d) As afirmativas I, II, III e IV estão corretas.
4. "A Filosofia é uma reflexão crítica a respeito do conhecimento e da ação, a partir da análise dos pressupostos do pensar e do agir e, portanto, como fundamentação teórica e crítica dos conhecimentos e das práticas." (Fonte: MEC. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio Mais (PCN+EM)). 
 Sobre a reflexão crítica, assinale a alternativa INCORRETA. 
a) A Filosofia indaga sobre o significado e realidade das coisas. 
b) A Filosofia questiona como as coisas e a realidade se estrutura. 
c) A Filosofia pergunta o que são as coisas, suas origens, causas e efeitos. 
d) A Filosofia é um processo de reflexão, um "conhece-te a ti mesmo" 
e) Para a Filosofia não é necessário compreender nossa capacidade de conhecer. 
5. "A reflexão filosófica é o movimento pelo qual o pensamento, examinando o que é pensado por ele, volta-se para si mesmo como fonte desse pensamento" (CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo: Editora Ática, 2005, p. 20). A esse respeito assinale a alternativa INCORRETA. 
a) A reflexão filosófica é radical, isso significa que ela vai à raiz do problema. 
b) A base da reflexão filosófica encontra-se exclusivamente no mundo objetivo, na realidade exterior dos homens. 
c) Podemos dizer que a reflexão filosófica é o pensamento interrogando a si mesmo. 
d) A crítica faz parte do processo de reflexão filosófica. 
6. A questão acerca do conhecimento tem sido uma das principais temáticas da filosofia ao longo da história. As posições divergentes sobre esse assunto tem demonstrado que os pensadores, de modo geral, admitem discutir o conhecimento a partir das suas próprias perspectivas histórico-sociais. Tendo em vista a pertinência do tema para a filosofia, pode-se afirmar que: 
a) o conhecimento advém do interesse dos pensadores pré-socráticos em investigar a realidade. 
b) a filosofia moderna corresponde ao período mais favorável para a discussão dos aspectos do 
conhecimento. 
c) a perspectiva dos sofistas encerra qualquer pretensão de se conter o conhecimento verdadeiro. 
d) o conhecimento, como desvelamento da verdade, refere-se ao caráter não aberto de certas escolas filosóficas antigas. 
7. Qual dessas correntes filosóficas defende a ideia da impossibilidade do conhecimento de qualquer verdade? 
a) Realismo. 
b) Empirismo. 
c) Dogmatismo. 
d) Ceticismo. 
8. Analise as afirmativas que tratam sobre o conhecimento intuitivo e marque a alternativa correta: 
a) Para compreender o mundo, a razão supera as informações concretas e imediatas recebidas por intuição e organiza-as em conceitos ou ideias gerais que, devidamente articulados pelo encadeamento de juízos e raciocínios, levam à demonstração e a conclusões. Portanto, precisa da palavra, da linguagem. 
b) É um conhecimento imediato, alcançado sem intermediários, um tipo de pensamento direto, uma visão súbita, impossível de ser provada ou demonstrada.
Sabedoria 
c) É o conhecimento obtido ao acaso, após inúmeras tentativas, ou seja, o conhecimento adquirido através de ações não planejadas. 
d) Conhecimento revelado pela fé divina ou crença religiosa. Não pode, por sua origem, ser confirmado ou negado. Depende da formação moral e das crenças de cada indivíduo. 
9. A Filosofia utiliza por muitas vezes o diálogo como forma de obter conhecimento. Pensando nisso, explique como o diálogo pode favorecer o seu autoconhecimento e o seu conhecimento de mundo. 
_______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 
10. A Filosofia tem como objetivo de sua reflexão a própria sabedoria, o saber como exercício do pensamento, o saber que é buscado por ele mesmo simplesmente. Com base na imagem acima e no texto, do que você lembra quando vê esta palavra. Justifique sua importância 
_______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 
Boa Sorte!!!
Centro de Ensino Urbano Rocha 
Imperatriz, ____ de maio de 2014. 
Aluno: ____________________________________________ nº _______ 
Professora: Mary Alvarenga Série: 3º ano Turma: A 
Verificação de Filosofia 
1. Sobre estética falamos sobre o feio. Marque a opção que nos conceitua o feio. 
a) Não existe o feio na arte, pois o feio é a obra mal feita, ou seja, que não correspondeu plenamente a sua proposta e sendo assim não é arte. 
b) O feio existe sim na arte, pois ao olhar para algumas eu não gosto do que vejo. 
c) Existem muitas obras de arte feia. 
d) Todas as alternativas correspondem ao conceito de feio na estética. 
e) Nenhuma. 
2. Conceito e história do termo estética. Marque a opção que condiz sobre o conteúdo aprendido. 
a) O termo estético foi introduzido no vocabulário filosófico em 1750 pelo filosofo alemão Alexander Baumgarten. 
b) Etimologicamente a palavra estética e de origem grega AISTHESIS, significa faculdade de sentir, compreensão pelo sentido, percepção totalizante. 
c) Hegel introduz o conceito de história ao estudo do belo para ele o belo mudo de face e de aspecto através dos tempos depende mais da cultura e da visão do mundo vigentes do que de uma exigência interna do belo. 
d) Subjetivo é individual, valido para cada sujeito; baseado em valores, preferencial, limites e possibilidades individuais. Objetivo o que tem validade para todos. 
e) Todas as opções acima condizem com o aprendido sobre estética. 
3. Complete as lacunas: 
___________________ é individual, válido para cada sujeito; baseado em valores, preferências, limites e possibilidades individuais. ____________________o que tem validade para todos os indivíduos, não somente para este ou aquele; diz-se do conhecimento que é fundado sobre a observação do objeto. 
a) belo, feio 
b) estética, arte 
c) subjetivo, objetivo 
d) beleza, atitude 
e) atitude, beleza 
4. Experiência estética, ou a experiência do belo, é gratuita, é desinteressada, ou seja, não visa a um interesse prático imediato. Identifique as opções que ressalta a experiência estética. 
a) Não pode ser julgada em termos de utilidade para determinado fim. 
b) Não visa ao conhecimento lógico, medido em termos de verdade. 
c) Não tem como alvo a ação imediata; 
d) As opções A,B, C correspondem a experiência estética. 
e) Nenhum
5. Estética é a parte da Filosofia que procura investigar os fundamentos da arte e do belo; os diferentes tipos de arte; as relações da arte com a sociedade. Considerando a arte como a prática de criar formas perceptíveis expressivas do sentimento humano, seu valor essencial é: 
a) A ênfase no fator utilidade, aplicação; 
b) O produto de condicionamentos históricos ou ideológicos; 
c) A ênfase no fator beleza; 
d) A percepção social pelo público; 
e) A capacidade de transmitir os sentimentos mais autênticos da natureza humana. 
6. Kant, na "Analítica do belo", na Crítica da faculdade de julgar, compreende o juízo de gosto como faculdade do julgamento do belo. 
Sobre os conceitos "juízo de gosto" e "belo", pode-se afirmar, respectivamente, que: 
a) é determinado independentemente de todo interesse – apraz (agrada) universalmente sem conceito. 
b) é determinado independentemente de todo interesse - apraz particularmente através de conceitos. 
c) é constituído pelo interesse no que é agradável - apraz particularmente sem conceito. 
d) é constituído pelo interesse no que é bom - apraz universalmente através de conceitos. 
e) 
7. Dos filósofos citados abaixo, qual deles vai associar o belo ao útil? a) David Hume b) Platão c) Susanne Langer d) Aristóteles e) Sócrates 
8. “Mais que um saber, a filosofia é uma atitude diante da vida, tanto no dia a dia como nas situações- limite, que exigem decisões cruciais. Por isso, no seu encontro com a tradição filosófica, é preferível não recebê-la passivamente como um produto, como algo acabado, mas compreendê-la como processo, reflexão crítica e autônoma a respeito da realidade.” 
(ARANHA, M. L. A.; MARTINS, M. H. P. Filosofando: introdução à filosofia. 4ª. ed. São Paulo: Moderna, 2009, p.20) 
 Com base no texto, assinale o que for correto. 
I. A filosofia é uma forma de conhecimento que questiona a realidade. 
II. A filosofia é um saber teórico, não pragmático, que desconsidera a aplicação prática. 
III. A filosofia é uma experiência de vida que responde às questões fundamentais da existência. 
IV. A filosofia não pode ser reaberta ou discutida, pois os filósofos já morreram. 
V. A filosofia é uma ideologia, pois não se ocupa com o debate político.
a) As afirmativas I e II estão corretas 
b) As afirmativas I e III estão corretas 
c) As afirmativas II e IV estão corretas 
d) As alternativas I, II e V estão corretas 
e) Nenhuma está correta. 
9. A Filosofia utiliza por muitas vezes o diálogo como forma de obter conhecimento. Pensando nisso, explique como o diálogo pode favorecer o seu autoconhecimento e o seu conhecimento de mundo. 
_______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 
10. A Filosofia tem como objetivo de sua reflexão a própria sabedoria, o saber como exercício do pensamento, o saber que é buscado por ele mesmo simplesmente. Com base na imagem acima e no texto, do que você lembra quando vê esta palavra. Justifique sua importância. 
_______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 
Boa Sorte!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Atividades de filosofia
Atividades de filosofiaAtividades de filosofia
Atividades de filosofia
Renata Vieira de Melo
 
Atividades filosofia mito
Atividades filosofia mitoAtividades filosofia mito
Atividades filosofia mito
Atividades Diversas Cláudia
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
Prof. Noe Assunção
 
A lenda da filosofia
A lenda da filosofia   A lenda da filosofia
A lenda da filosofia
Mary Alvarenga
 
Atitudes filosóficas
Atitudes filosóficasAtitudes filosóficas
Atitudes filosóficas
Mary Alvarenga
 
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Prof. Noe Assunção
 
Aula 3 a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
Aula 3   a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe AssunçãoAula 3   a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
Aula 3 a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Avaliação de filosofia 1º ano 2º bimetre
Avaliação de filosofia   1º ano    2º bimetreAvaliação de filosofia   1º ano    2º bimetre
Avaliação de filosofia 1º ano 2º bimetre
ananiasdoamaral
 
Ética e Moral
Ética e Moral   Ética e Moral
Ética e Moral
Mary Alvarenga
 
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1 3 serie
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1   3 serieAtividade diagnostica filosofia e religiao 1   3 serie
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1 3 serie
Escola Estadual de São Paulo
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
Prof. Noe Assunção
 
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Darlan Campos
 
Questoes de filosofia com descritores ensino médio (1)
Questoes de filosofia  com descritores   ensino médio (1)Questoes de filosofia  com descritores   ensino médio (1)
Questoes de filosofia com descritores ensino médio (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliação de filosofia do 3º ano do ensino médio
Avaliação de filosofia do 3º ano do ensino médioAvaliação de filosofia do 3º ano do ensino médio
Avaliação de filosofia do 3º ano do ensino médio
Adriana Ruas Lacerda
 
At cidadania-pav
At cidadania-pavAt cidadania-pav
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e chargesAtividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades Diversas Cláudia
 
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano   3º e 4º bimestreApostila do 1º ano   3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Duzg
 
As três peneiras de Sócrates
As três peneiras  de SócratesAs três peneiras  de Sócrates
As três peneiras de Sócrates
Mary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
Prof. Noe Assunção
 

Mais procurados (20)

Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Atividades de filosofia
Atividades de filosofiaAtividades de filosofia
Atividades de filosofia
 
Atividades filosofia mito
Atividades filosofia mitoAtividades filosofia mito
Atividades filosofia mito
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
 
A lenda da filosofia
A lenda da filosofia   A lenda da filosofia
A lenda da filosofia
 
Atitudes filosóficas
Atitudes filosóficasAtitudes filosóficas
Atitudes filosóficas
 
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
 
Aula 3 a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
Aula 3   a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe AssunçãoAula 3   a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
Aula 3 a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
 
Avaliação de filosofia 1º ano 2º bimetre
Avaliação de filosofia   1º ano    2º bimetreAvaliação de filosofia   1º ano    2º bimetre
Avaliação de filosofia 1º ano 2º bimetre
 
Ética e Moral
Ética e Moral   Ética e Moral
Ética e Moral
 
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1 3 serie
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1   3 serieAtividade diagnostica filosofia e religiao 1   3 serie
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1 3 serie
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
 
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
 
Questoes de filosofia com descritores ensino médio (1)
Questoes de filosofia  com descritores   ensino médio (1)Questoes de filosofia  com descritores   ensino médio (1)
Questoes de filosofia com descritores ensino médio (1)
 
Avaliação de filosofia do 3º ano do ensino médio
Avaliação de filosofia do 3º ano do ensino médioAvaliação de filosofia do 3º ano do ensino médio
Avaliação de filosofia do 3º ano do ensino médio
 
At cidadania-pav
At cidadania-pavAt cidadania-pav
At cidadania-pav
 
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e chargesAtividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
 
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano   3º e 4º bimestreApostila do 1º ano   3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
 
As três peneiras de Sócrates
As três peneiras  de SócratesAs três peneiras  de Sócrates
As três peneiras de Sócrates
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
 

Destaque

Prova final
Prova finalProva final
Prova final
gabrielmattos
 
Prova filosofia-1b-
Prova filosofia-1b-Prova filosofia-1b-
Prova filosofia-1b-
juceli fatima ramos de goés
 
Prova filosofia 3º ano
Prova filosofia 3º anoProva filosofia 3º ano
Prova filosofia 3º ano
ananiasdoamaral
 
Conteúdo 3 ano 2 bim filosofia
Conteúdo 3 ano 2 bim filosofiaConteúdo 3 ano 2 bim filosofia
Conteúdo 3 ano 2 bim filosofia
Miro Santos
 
Filósofia antiga Aristóteles
Filósofia antiga Aristóteles Filósofia antiga Aristóteles
Filósofia antiga Aristóteles
Lana Delly Nascimento
 
Trabalho de filosofia !
Trabalho de filosofia !Trabalho de filosofia !
Trabalho de filosofia !
Ricardo Franco
 
Introdução à ética (2° ano)
Introdução à ética (2° ano)Introdução à ética (2° ano)
Introdução à ética (2° ano)
Ricardo Franco
 
Prova de recuperação 1º ano b filosofia
Prova de recuperação   1º ano b filosofiaProva de recuperação   1º ano b filosofia
Prova de recuperação 1º ano b filosofia
Jorge Marcos Oliveira
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Aula de bioética
Aula de bioéticaAula de bioética
Aula de bioética
Alessandra Floriano Amaro
 
Revolução francesa 2013
Revolução francesa 2013Revolução francesa 2013
Revolução francesa 2013
Isabel Aguiar
 
A origem da filosofia
A origem da filosofia A origem da filosofia
A origem da filosofia
Colégio Nova Geração COC
 
10 sociologia - 1º ano
10   sociologia - 1º ano10   sociologia - 1º ano
10 sociologia - 1º ano
Stéfano Couto Monteiro
 
Revolução francesa e Era Napoleônica
Revolução francesa e Era NapoleônicaRevolução francesa e Era Napoleônica
Revolução francesa e Era Napoleônica
alunoitv
 
A Origem Da Filosofia
A Origem Da FilosofiaA Origem Da Filosofia
A Origem Da Filosofia
Jorge Miklos
 
Introdução ao pensamento de Aristóteles : ética
Introdução ao pensamento de Aristóteles : éticaIntrodução ao pensamento de Aristóteles : ética
Introdução ao pensamento de Aristóteles : ética
Eugenio Hansen, OFS
 
Simulado de Filosofia - 1º ano / 2015
Simulado de Filosofia - 1º ano  / 2015 Simulado de Filosofia - 1º ano  / 2015
Simulado de Filosofia - 1º ano / 2015
Mary Alvarenga
 
Maria lucia-aranha-filosofando-introdução-à-filosofia-(doc-livro)
Maria lucia-aranha-filosofando-introdução-à-filosofia-(doc-livro)Maria lucia-aranha-filosofando-introdução-à-filosofia-(doc-livro)
Maria lucia-aranha-filosofando-introdução-à-filosofia-(doc-livro)
joao paulo
 
Apostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_ejaApostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_eja
Claudio Santos
 
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreformaLuteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Guilherme Cardozo
 

Destaque (20)

Prova final
Prova finalProva final
Prova final
 
Prova filosofia-1b-
Prova filosofia-1b-Prova filosofia-1b-
Prova filosofia-1b-
 
Prova filosofia 3º ano
Prova filosofia 3º anoProva filosofia 3º ano
Prova filosofia 3º ano
 
Conteúdo 3 ano 2 bim filosofia
Conteúdo 3 ano 2 bim filosofiaConteúdo 3 ano 2 bim filosofia
Conteúdo 3 ano 2 bim filosofia
 
Filósofia antiga Aristóteles
Filósofia antiga Aristóteles Filósofia antiga Aristóteles
Filósofia antiga Aristóteles
 
Trabalho de filosofia !
Trabalho de filosofia !Trabalho de filosofia !
Trabalho de filosofia !
 
Introdução à ética (2° ano)
Introdução à ética (2° ano)Introdução à ética (2° ano)
Introdução à ética (2° ano)
 
Prova de recuperação 1º ano b filosofia
Prova de recuperação   1º ano b filosofiaProva de recuperação   1º ano b filosofia
Prova de recuperação 1º ano b filosofia
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
 
Aula de bioética
Aula de bioéticaAula de bioética
Aula de bioética
 
Revolução francesa 2013
Revolução francesa 2013Revolução francesa 2013
Revolução francesa 2013
 
A origem da filosofia
A origem da filosofia A origem da filosofia
A origem da filosofia
 
10 sociologia - 1º ano
10   sociologia - 1º ano10   sociologia - 1º ano
10 sociologia - 1º ano
 
Revolução francesa e Era Napoleônica
Revolução francesa e Era NapoleônicaRevolução francesa e Era Napoleônica
Revolução francesa e Era Napoleônica
 
A Origem Da Filosofia
A Origem Da FilosofiaA Origem Da Filosofia
A Origem Da Filosofia
 
Introdução ao pensamento de Aristóteles : ética
Introdução ao pensamento de Aristóteles : éticaIntrodução ao pensamento de Aristóteles : ética
Introdução ao pensamento de Aristóteles : ética
 
Simulado de Filosofia - 1º ano / 2015
Simulado de Filosofia - 1º ano  / 2015 Simulado de Filosofia - 1º ano  / 2015
Simulado de Filosofia - 1º ano / 2015
 
Maria lucia-aranha-filosofando-introdução-à-filosofia-(doc-livro)
Maria lucia-aranha-filosofando-introdução-à-filosofia-(doc-livro)Maria lucia-aranha-filosofando-introdução-à-filosofia-(doc-livro)
Maria lucia-aranha-filosofando-introdução-à-filosofia-(doc-livro)
 
Apostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_ejaApostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_eja
 
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreformaLuteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
 

Semelhante a Prova filosofia 1º ano / I bimestre

Prova de Filosofia IV bimestre 2015
Prova de Filosofia  IV bimestre 2015Prova de Filosofia  IV bimestre 2015
Prova de Filosofia IV bimestre 2015
Mary Alvarenga
 
Jogos de Filosofia.pptx
Jogos de Filosofia.pptxJogos de Filosofia.pptx
Jogos de Filosofia.pptx
HerosFalco1
 
Aula 3 Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
Aula 3  Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe AssunçãoAula 3  Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
Aula 3 Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Aula 1 filosofia
Aula 1 filosofiaAula 1 filosofia
Aula 1 filosofia
Regiany Viscaino
 
A metafísica na modernidade 1° integral.docx
A metafísica na modernidade 1° integral.docxA metafísica na modernidade 1° integral.docx
A metafísica na modernidade 1° integral.docx
JulianaDomingosdaSil2
 
FILOSOFIA_3EM_AGO_CLENILSON.docx
FILOSOFIA_3EM_AGO_CLENILSON.docxFILOSOFIA_3EM_AGO_CLENILSON.docx
FILOSOFIA_3EM_AGO_CLENILSON.docx
ClenilsonCruzLima1
 
Recuperacao filosofia helenica_e_medieval
Recuperacao filosofia helenica_e_medievalRecuperacao filosofia helenica_e_medieval
Recuperacao filosofia helenica_e_medieval
Projovem Urbano
 
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Ficha trab. 10º ano
Ficha trab. 10º anoFicha trab. 10º ano
Ficha trab. 10º ano
mluisavalente
 
Aula 3 a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
Aula 3   a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe AssunçãoAula 3   a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
Aula 3 a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
3ano 2bi filosofia_ex
3ano 2bi filosofia_ex3ano 2bi filosofia_ex
3ano 2bi filosofia_ex
takahico
 
revisãoenemfilo.ppt
revisãoenemfilo.pptrevisãoenemfilo.ppt
revisãoenemfilo.ppt
Welliton Joslin
 
Sócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e AristótelesSócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e Aristóteles
Bruno Carrasco
 
Conhecimento platônico
Conhecimento platônico Conhecimento platônico
Conhecimento platônico
Camila Brito
 
Apostila 1 filosofia cpia
Apostila 1 filosofia   cpiaApostila 1 filosofia   cpia
Apostila 1 filosofia cpia
joaovitorinopolacimatos
 
ATIVIDADE DE FILOSOFIA 2.docx
ATIVIDADE DE FILOSOFIA  2.docxATIVIDADE DE FILOSOFIA  2.docx
ATIVIDADE DE FILOSOFIA 2.docx
Elieidw
 
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosóficoPassagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
Rafael Oliveira
 
Prova de filosofia 1 ano e. i.
Prova de filosofia 1 ano e. i.Prova de filosofia 1 ano e. i.
Prova de filosofia 1 ano e. i.
Tiago Melgaço
 
Filosofia Socrática
Filosofia SocráticaFilosofia Socrática
Filosofia Socrática
Juliana Corvino de Araújo
 
Apostila de Filosofia
Apostila de FilosofiaApostila de Filosofia
Apostila de Filosofia
Luci Bonini
 

Semelhante a Prova filosofia 1º ano / I bimestre (20)

Prova de Filosofia IV bimestre 2015
Prova de Filosofia  IV bimestre 2015Prova de Filosofia  IV bimestre 2015
Prova de Filosofia IV bimestre 2015
 
Jogos de Filosofia.pptx
Jogos de Filosofia.pptxJogos de Filosofia.pptx
Jogos de Filosofia.pptx
 
Aula 3 Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
Aula 3  Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe AssunçãoAula 3  Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
Aula 3 Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
 
Aula 1 filosofia
Aula 1 filosofiaAula 1 filosofia
Aula 1 filosofia
 
A metafísica na modernidade 1° integral.docx
A metafísica na modernidade 1° integral.docxA metafísica na modernidade 1° integral.docx
A metafísica na modernidade 1° integral.docx
 
FILOSOFIA_3EM_AGO_CLENILSON.docx
FILOSOFIA_3EM_AGO_CLENILSON.docxFILOSOFIA_3EM_AGO_CLENILSON.docx
FILOSOFIA_3EM_AGO_CLENILSON.docx
 
Recuperacao filosofia helenica_e_medieval
Recuperacao filosofia helenica_e_medievalRecuperacao filosofia helenica_e_medieval
Recuperacao filosofia helenica_e_medieval
 
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
 
Ficha trab. 10º ano
Ficha trab. 10º anoFicha trab. 10º ano
Ficha trab. 10º ano
 
Aula 3 a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
Aula 3   a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe AssunçãoAula 3   a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
Aula 3 a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
 
3ano 2bi filosofia_ex
3ano 2bi filosofia_ex3ano 2bi filosofia_ex
3ano 2bi filosofia_ex
 
revisãoenemfilo.ppt
revisãoenemfilo.pptrevisãoenemfilo.ppt
revisãoenemfilo.ppt
 
Sócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e AristótelesSócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e Aristóteles
 
Conhecimento platônico
Conhecimento platônico Conhecimento platônico
Conhecimento platônico
 
Apostila 1 filosofia cpia
Apostila 1 filosofia   cpiaApostila 1 filosofia   cpia
Apostila 1 filosofia cpia
 
ATIVIDADE DE FILOSOFIA 2.docx
ATIVIDADE DE FILOSOFIA  2.docxATIVIDADE DE FILOSOFIA  2.docx
ATIVIDADE DE FILOSOFIA 2.docx
 
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosóficoPassagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
 
Prova de filosofia 1 ano e. i.
Prova de filosofia 1 ano e. i.Prova de filosofia 1 ano e. i.
Prova de filosofia 1 ano e. i.
 
Filosofia Socrática
Filosofia SocráticaFilosofia Socrática
Filosofia Socrática
 
Apostila de Filosofia
Apostila de FilosofiaApostila de Filosofia
Apostila de Filosofia
 

Mais de Mary Alvarenga

Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Atividade - Letra da música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade  - Letra da  música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade  - Letra da  música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade - Letra da música Xote da Alegria - Falamansa
Mary Alvarenga
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
Mary Alvarenga
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
Mary Alvarenga
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
Mary Alvarenga
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
Mary Alvarenga
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Mary Alvarenga
 
Atividade - Letra da música Esperando na Janela.
Atividade -  Letra da música Esperando na Janela.Atividade -  Letra da música Esperando na Janela.
Atividade - Letra da música Esperando na Janela.
Mary Alvarenga
 
CRUZADINHA - Leitura e escrita dos números
CRUZADINHA   -   Leitura e escrita dos números CRUZADINHA   -   Leitura e escrita dos números
CRUZADINHA - Leitura e escrita dos números
Mary Alvarenga
 
Música Meu Abrigo - Texto e atividade
Música   Meu   Abrigo  -   Texto e atividadeMúsica   Meu   Abrigo  -   Texto e atividade
Música Meu Abrigo - Texto e atividade
Mary Alvarenga
 
Bullying, sai pra lá
Bullying,  sai pra láBullying,  sai pra lá
Bullying, sai pra lá
Mary Alvarenga
 
Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavras
Mary Alvarenga
 

Mais de Mary Alvarenga (20)

Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Atividade - Letra da música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade  - Letra da  música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade  - Letra da  música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade - Letra da música Xote da Alegria - Falamansa
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Atividade - Letra da música Esperando na Janela.
Atividade -  Letra da música Esperando na Janela.Atividade -  Letra da música Esperando na Janela.
Atividade - Letra da música Esperando na Janela.
 
CRUZADINHA - Leitura e escrita dos números
CRUZADINHA   -   Leitura e escrita dos números CRUZADINHA   -   Leitura e escrita dos números
CRUZADINHA - Leitura e escrita dos números
 
Música Meu Abrigo - Texto e atividade
Música   Meu   Abrigo  -   Texto e atividadeMúsica   Meu   Abrigo  -   Texto e atividade
Música Meu Abrigo - Texto e atividade
 
Bullying, sai pra lá
Bullying,  sai pra láBullying,  sai pra lá
Bullying, sai pra lá
 
Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavras
 

Último

Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
erico paulo rocha guedes
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
JohnnyLima16
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 

Último (20)

Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 

Prova filosofia 1º ano / I bimestre

  • 1. Centro de Ensino Urbano Rocha Imperatriz, ____ de maio de 2014. Aluno: ____________________________________________ nº _______ Professora: Mary Alvarenga Série: 1º ano Turma: A Verificação de Filosofia 1. A palavra Filosofia significa: a) Amor pelo saber. b) Amor pela mitologia grega. c) Amor pela história geral. d) Adoração aos seres de inteligência superior. Leia o fragmento para responder às questões 1 e 2. "Lembremos a figura de Sócrates. Dizem que era um homem feio, mas que, quando falava, exercia estranho fascínio. Procurado pelos jovens, passava horas discutindo na praça pública. Interpelava os transeuntes, dizendo-se ignorante, e fazia perguntas aos que julgavam entender determinado assunto: "O que é a coragem e a covardia?", "O que é a beleza?", "O que é a justiça?", "O que é a virtude?". Desse modo, Sócrates não fazia preleções, mas dialogava. Ao final, o interlocutor concluía não haver saída senão reconhecer a própria ignorância. A discussão tomava outro rumo, na tentativa de explicitar melhor o conceito". (ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: Introdução à Filosofia, 2009, p.21). 2. A partir do fragmento acima exposto, é correto afirmar sobre o pensamento socrático: I. que se define enquanto saber inacabado, porque é dinâmico e está em construção; II. que é por natureza dogmático, já que o próprio Sócrates é detentor de um saber; III. que não faz de Sócrates "um ser que ilumina", já que o caminho por ele proposto é o da discussão intersubjetiva e dialogal.  É correto o que se afirma em: a) I e III, apenas. b) I, II, e III. c) II e III, apenas. d) I e II, apenas. 3. Por meio do diálogo, Sócrates construía com seus interlocutores uma relação pautada em perguntas, respostas e novas perguntas. Tal método também ficou conhecido como maiêutica, e sobre ele é correto afirmar que: a) tem como finalidade uma conclusão efetiva, ainda que seu interlocutor não abandone a doxa. b) a verdade descoberta por seu interlocutor consiste em uma novidade ontológica. c) enquanto dizia saber apenas que não sabia, Sócrates propunha o "não saber" como termo à sua filosofia. d) possibilitava Sócrates ajudar seus interlocutores a dar à luz ideias que já estavam neles.
  • 2. Leia o texto para responder às questões de números 4 e 5. "A caverna (...) é o mundo sensível onde vivemos. O fogo que projeta as sombras na parede é um reflexo da luz verdadeira (do Bem e das ideias) sobre o mundo sensível. Somos os prisioneiros. As sombras são as coisas sensíveis, que tomamos pelas verdadeiras, e as imagens ou sombras dessas sombras, criadas por artefatos fabricadores de ilusões. Os grilhões são nossos preconceitos, nossa confiança em nossos sentidos, nossas paixões e opiniões. O instrumento que quebra os grilhões e permite a escalada do muro é a dialética. O prisioneiro curioso que escapa é o filósofo. A luz que ele vê é a luz plena do ser, isto é, o Bem, que ilumina o mundo inteligível como o Sol ilumina o mundo sensível. O retorno à caverna para convidar os outros a sair dela é o diálogo filosófico, e as maneiras desajeitadas e insólitas do filósofo são compreensíveis, pois quem contemplou a unidade da verdade já não sabe lidar habilmente com a multiplicidade das opiniões nem mover-se com engenho no interior das aparências e ilusões. Os anos despendidos na criação do instrumento para sair da caverna são o esforço da alma para libertar-se. Conhecer é, pois, um ato de libertação e de iluminação. A Paideia filosófica é uma conversão da alma voltando-se do sensível para o inteligível. Essa educação não ensina coisas nem nos dá a visão, mas ensina a ver, orienta o olhar, pois a alma, por sua natureza, possui em si mesma a capacidade para ver." [Marilena Chauí] 4. De acordo com o texto, pode-se afirmar que: a) O conhecimento filosófico é o único que pressupõe o acesso ao mundo sensível. b) Filosofar é um instrumento de alienação para quem sai da caverna. c) O filósofo, por sua busca, tem uma visão mais abrangente do conhecimento. d) A unidade da verdade não permite divagações metafísicas. 5. Ainda sobre o texto, pode-se afirmar que: a) O processo de esclarecimento por meio da filosofia pressupõe a iluminação das coisas sensíveis pelos fabricadores de ilusões. b) A Paideia filosófica é um processo de dissolução de preconceitos e de ideias ligadas ao senso comum. c) A alegoria da caverna não se adequa às realidades contemporâneas. d) Convidar as pessoas para saírem da caverna é uma incoerência, pois somente o filósofo pode sair da caverna. Muito já se disse acerca das relações entre mito e filosofia. Há aqueles, como o inglês Francis Macdonald Cornford, que, ainda que tenham suas diferenças, há vínculos do mito na filosofia. Porém, ao contrário desta teoria da continuidade, estudiosos do assunto, como Jean-Pierre Vernant, defendem a ruptura entre mito e filosofia. 6. Considerada esta última hipótese, pode-se afirmar que a ruptura entre mito e filosofia se dá porque: a) o mito tem caráter cosmológico, enquanto a filosofia explica o universo a partir de bases racionais b) a inteligibilidade do mito é dada, enquanto a filosofia busca a definição rigorosa de conceitos. c) o mito possui uma relação crítica com seu conteúdo, enquanto a filosofia jamais é crítica de si mesma. d) o mito é narrativo, enquanto que a filosofia é descritiva.
  • 3. 7. O mito é a forma mais remota de crença, narrativas sobre a origem do mundo, dos homens e das coisas da natureza. Sobre o mito, assinale a alternativa INCORRETA. a) Procura explicar de forma abstrata, uma realidade "misteriosa" para o homem. b) O mito está impregnado do desejo humano de afugentar a insegurança, os temores e a angustia diante do desconhecido. c) O mito formava para os gregos um sistema fácil, onde os fenômenos naturais ocorrem de forma objetiva. d) Explica a realidade, como também acomoda e tranquiliza o ser humano em seu mundo assustador. 8. De acordo com o senso comum, radical significa brusco, violento ou inflexível, extremado. Por que não é esse o sentido que se atribui à filosofia quando a consideramos uma reflexão radical. a) Porque a filosofia busca explicitar os conceitos fundamentais usados em todos os campos do pensar e do agir b) Para a não é necessário compreender nossa capacidade de conhecer. c) Porque é uma expressão histórica e social, que segundo Marx, decorre do modo de produção vigente, sendo um conjunto de representações, imagens e ideias sobre os aspectos da vida humana. d) Porque é construída na trama das relações sociais, que permeiam sua existência cotidiana. 9. Das alternativas abaixo, assinale a CORRETA.  O método socrático consiste em dois momentos: a) O reconhecimento das diversas identidades não se fundamenta no direito à igualdade e respeito às diferenças. b) o da ironia, em que Sócrates interroga quem diz saber; e o da maiêutica, em que o interlocutor, após reconhecer sua ignorância, inicia a investigação sobre os conceitos. c) que tem como suas principais funções revisar conceitos fundamentais do campo da Filosofia, tais como verdade e conhecimento. d) como produção simultânea do conhecimento objetivo e subjetivo, através da união de opostos. 10. O que significa a máxima socrática “só sei que nada sei”? Ela se refere a Sócrates ou à própria filosofia? a) Refere-se tanto a Sócrates como à própria filosofia, pois, tanto a filosofia como Sócrates, tem a função de mostrar a nossa ignorância e nos conduzir à busca pelo conhecimento verdadeiro, ou racional. b) Refere-se somente a Sócrates, pois, não tem a função de mostrar a nossa ignorância e nos conduzir à busca pelo conhecimento verdadeiro. c) Refere-se somente a filosofia, pois, não tem a função de mostrar a nossa ignorância e nos conduzir à busca pelo conhecimento verdadeiro. d) Refere-se a todos nós, porque é composta por leis, normas e costumes. Boa Sorte!!!
  • 4. Centro de Ensino Urbano Rocha Imperatriz, ____ de maio de 2014. Aluno: ____________________________________________ nº _______ Professora: Mary Alvarenga Série: 2º ano Turma: A Verificação de Filosofia 1. Quanto ao pensamento filosófico ou simplesmente o filosofar, nasce do desejo de perguntar, de conhecer, de investigar, de encontrar soluções que o incentivem o homem a evoluir, sendo assim podemos afirmar que a filosofia: a) Interessa-se pela própria inteligência e pela realidade de uma forma geral b) Não se satisfaz apenas com os resultados apresentados pelas ciências e sempre procura ir além, mas sem discutir com seus propósitos políticos e sociais. c) Usa-se de argumentos por vezes inválidos para justificar seus conhecimentos d) Todas as alternativas estão incorretas. 2. As indagações fundamentais da atitude filosófica e da reflexão filosófica não se realizam ao acaso. A filosofia não é feita de "achismos" nem é pesquisa de opinião à maneira dos meios de comunicação de massa. As indagações filosóficas se realizam de modo sistemático. Sabendo disso, é correto afirmar que o conhecimento filosófico é um trabalho intelectual onde: a) As respostas estejam relacionadas entre si e esclareçam umas às outras b) Contenta-se exclusivamente em obter respostas para as questões que se apresentam c) As respostas formem conjuntos coerentes de ideias d) As respostas sejam provadas e demonstradas racionalmente 3. Ao se estudar filosofia, somos levados a buscar o que ela é e descobrimos que não há apenas uma definição de filosofia, mas várias. Considerando as concepções de filosofia existentes é correto afirmar que: I. Platão mostra que o espanto é a fonte da dúvida e que muitas vezes é causado de forma natural ou de forma forçada causada pelo próprio filósofo que deseja abrir uma discussão sobre o assunto a ser tratado. II. Aristóteles mostra que os homens vão à busca de sabedoria e que quando começam a filosofar se deparam com a dúvida deixando-os perplexos diante das dificuldades, mas que com passar do tempo, vão conseguir enfrentar problemas bem maiores do que aqueles que os deixaram perplexos no início. III. Descartes mostra que nós precisamos desconfiar de tudo que pode nos causar alguma dúvida e que nós devemos considerar que coisas que nos parecem verdadeiras podem ser certas e mais fáceis de desvendar. IV. Kant mostra que o filosofar só é possível quando exercitando a razão, fazendo-a seguir os princípios universais. a) As afirmativas I, II e III estão corretas. b) As afirmativas I e IV estão corretas c) As afirmativas I, III e IV estão corretas d) As afirmativas I, II, III e IV estão corretas.
  • 5. 4. "A Filosofia é uma reflexão crítica a respeito do conhecimento e da ação, a partir da análise dos pressupostos do pensar e do agir e, portanto, como fundamentação teórica e crítica dos conhecimentos e das práticas." (Fonte: MEC. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio Mais (PCN+EM)).  Sobre a reflexão crítica, assinale a alternativa INCORRETA. a) A Filosofia indaga sobre o significado e realidade das coisas. b) A Filosofia questiona como as coisas e a realidade se estrutura. c) A Filosofia pergunta o que são as coisas, suas origens, causas e efeitos. d) A Filosofia é um processo de reflexão, um "conhece-te a ti mesmo" e) Para a Filosofia não é necessário compreender nossa capacidade de conhecer. 5. "A reflexão filosófica é o movimento pelo qual o pensamento, examinando o que é pensado por ele, volta-se para si mesmo como fonte desse pensamento" (CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo: Editora Ática, 2005, p. 20). A esse respeito assinale a alternativa INCORRETA. a) A reflexão filosófica é radical, isso significa que ela vai à raiz do problema. b) A base da reflexão filosófica encontra-se exclusivamente no mundo objetivo, na realidade exterior dos homens. c) Podemos dizer que a reflexão filosófica é o pensamento interrogando a si mesmo. d) A crítica faz parte do processo de reflexão filosófica. 6. A questão acerca do conhecimento tem sido uma das principais temáticas da filosofia ao longo da história. As posições divergentes sobre esse assunto tem demonstrado que os pensadores, de modo geral, admitem discutir o conhecimento a partir das suas próprias perspectivas histórico-sociais. Tendo em vista a pertinência do tema para a filosofia, pode-se afirmar que: a) o conhecimento advém do interesse dos pensadores pré-socráticos em investigar a realidade. b) a filosofia moderna corresponde ao período mais favorável para a discussão dos aspectos do conhecimento. c) a perspectiva dos sofistas encerra qualquer pretensão de se conter o conhecimento verdadeiro. d) o conhecimento, como desvelamento da verdade, refere-se ao caráter não aberto de certas escolas filosóficas antigas. 7. Qual dessas correntes filosóficas defende a ideia da impossibilidade do conhecimento de qualquer verdade? a) Realismo. b) Empirismo. c) Dogmatismo. d) Ceticismo. 8. Analise as afirmativas que tratam sobre o conhecimento intuitivo e marque a alternativa correta: a) Para compreender o mundo, a razão supera as informações concretas e imediatas recebidas por intuição e organiza-as em conceitos ou ideias gerais que, devidamente articulados pelo encadeamento de juízos e raciocínios, levam à demonstração e a conclusões. Portanto, precisa da palavra, da linguagem. b) É um conhecimento imediato, alcançado sem intermediários, um tipo de pensamento direto, uma visão súbita, impossível de ser provada ou demonstrada.
  • 6. Sabedoria c) É o conhecimento obtido ao acaso, após inúmeras tentativas, ou seja, o conhecimento adquirido através de ações não planejadas. d) Conhecimento revelado pela fé divina ou crença religiosa. Não pode, por sua origem, ser confirmado ou negado. Depende da formação moral e das crenças de cada indivíduo. 9. A Filosofia utiliza por muitas vezes o diálogo como forma de obter conhecimento. Pensando nisso, explique como o diálogo pode favorecer o seu autoconhecimento e o seu conhecimento de mundo. _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 10. A Filosofia tem como objetivo de sua reflexão a própria sabedoria, o saber como exercício do pensamento, o saber que é buscado por ele mesmo simplesmente. Com base na imagem acima e no texto, do que você lembra quando vê esta palavra. Justifique sua importância _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ Boa Sorte!!!
  • 7. Centro de Ensino Urbano Rocha Imperatriz, ____ de maio de 2014. Aluno: ____________________________________________ nº _______ Professora: Mary Alvarenga Série: 3º ano Turma: A Verificação de Filosofia 1. Sobre estética falamos sobre o feio. Marque a opção que nos conceitua o feio. a) Não existe o feio na arte, pois o feio é a obra mal feita, ou seja, que não correspondeu plenamente a sua proposta e sendo assim não é arte. b) O feio existe sim na arte, pois ao olhar para algumas eu não gosto do que vejo. c) Existem muitas obras de arte feia. d) Todas as alternativas correspondem ao conceito de feio na estética. e) Nenhuma. 2. Conceito e história do termo estética. Marque a opção que condiz sobre o conteúdo aprendido. a) O termo estético foi introduzido no vocabulário filosófico em 1750 pelo filosofo alemão Alexander Baumgarten. b) Etimologicamente a palavra estética e de origem grega AISTHESIS, significa faculdade de sentir, compreensão pelo sentido, percepção totalizante. c) Hegel introduz o conceito de história ao estudo do belo para ele o belo mudo de face e de aspecto através dos tempos depende mais da cultura e da visão do mundo vigentes do que de uma exigência interna do belo. d) Subjetivo é individual, valido para cada sujeito; baseado em valores, preferencial, limites e possibilidades individuais. Objetivo o que tem validade para todos. e) Todas as opções acima condizem com o aprendido sobre estética. 3. Complete as lacunas: ___________________ é individual, válido para cada sujeito; baseado em valores, preferências, limites e possibilidades individuais. ____________________o que tem validade para todos os indivíduos, não somente para este ou aquele; diz-se do conhecimento que é fundado sobre a observação do objeto. a) belo, feio b) estética, arte c) subjetivo, objetivo d) beleza, atitude e) atitude, beleza 4. Experiência estética, ou a experiência do belo, é gratuita, é desinteressada, ou seja, não visa a um interesse prático imediato. Identifique as opções que ressalta a experiência estética. a) Não pode ser julgada em termos de utilidade para determinado fim. b) Não visa ao conhecimento lógico, medido em termos de verdade. c) Não tem como alvo a ação imediata; d) As opções A,B, C correspondem a experiência estética. e) Nenhum
  • 8. 5. Estética é a parte da Filosofia que procura investigar os fundamentos da arte e do belo; os diferentes tipos de arte; as relações da arte com a sociedade. Considerando a arte como a prática de criar formas perceptíveis expressivas do sentimento humano, seu valor essencial é: a) A ênfase no fator utilidade, aplicação; b) O produto de condicionamentos históricos ou ideológicos; c) A ênfase no fator beleza; d) A percepção social pelo público; e) A capacidade de transmitir os sentimentos mais autênticos da natureza humana. 6. Kant, na "Analítica do belo", na Crítica da faculdade de julgar, compreende o juízo de gosto como faculdade do julgamento do belo. Sobre os conceitos "juízo de gosto" e "belo", pode-se afirmar, respectivamente, que: a) é determinado independentemente de todo interesse – apraz (agrada) universalmente sem conceito. b) é determinado independentemente de todo interesse - apraz particularmente através de conceitos. c) é constituído pelo interesse no que é agradável - apraz particularmente sem conceito. d) é constituído pelo interesse no que é bom - apraz universalmente através de conceitos. e) 7. Dos filósofos citados abaixo, qual deles vai associar o belo ao útil? a) David Hume b) Platão c) Susanne Langer d) Aristóteles e) Sócrates 8. “Mais que um saber, a filosofia é uma atitude diante da vida, tanto no dia a dia como nas situações- limite, que exigem decisões cruciais. Por isso, no seu encontro com a tradição filosófica, é preferível não recebê-la passivamente como um produto, como algo acabado, mas compreendê-la como processo, reflexão crítica e autônoma a respeito da realidade.” (ARANHA, M. L. A.; MARTINS, M. H. P. Filosofando: introdução à filosofia. 4ª. ed. São Paulo: Moderna, 2009, p.20)  Com base no texto, assinale o que for correto. I. A filosofia é uma forma de conhecimento que questiona a realidade. II. A filosofia é um saber teórico, não pragmático, que desconsidera a aplicação prática. III. A filosofia é uma experiência de vida que responde às questões fundamentais da existência. IV. A filosofia não pode ser reaberta ou discutida, pois os filósofos já morreram. V. A filosofia é uma ideologia, pois não se ocupa com o debate político.
  • 9. a) As afirmativas I e II estão corretas b) As afirmativas I e III estão corretas c) As afirmativas II e IV estão corretas d) As alternativas I, II e V estão corretas e) Nenhuma está correta. 9. A Filosofia utiliza por muitas vezes o diálogo como forma de obter conhecimento. Pensando nisso, explique como o diálogo pode favorecer o seu autoconhecimento e o seu conhecimento de mundo. _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 10. A Filosofia tem como objetivo de sua reflexão a própria sabedoria, o saber como exercício do pensamento, o saber que é buscado por ele mesmo simplesmente. Com base na imagem acima e no texto, do que você lembra quando vê esta palavra. Justifique sua importância. _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ Boa Sorte!!!