SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ–UVA
CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA-CCET
Engenharia Civil - Química aplicada à Engenharia
Sobral-Ceará

ALYSON BRUNO ARRUDA VIEIRA
JOÃO VICTOR VERAS BARROS
MARCOS ANTONIO DE SOUSA NASCIMENTO
MANOEL FLORINDO JUNIOR
WEBER ALVES BRAGA

Precisão e exatidão de vidrarias

INTRODUÇÃO
Numa aula prática de Química aplicada à engenharia, foram apresentados alguns tipos
de equipamentos para medidas(Béquer, proveta, balão volumétrico, erlenmeyer, etc.). Logo,
percebemos que a execução de diversas tarefas num laboratório envolve uma variedade de
equipamentos que, devem ser empregados de modo adequado. A escolha de um determinado
aparelho, vidraria ou material depende dos objetivos e das condições em que o exemplo será
executado.
Nesse projeto, alguns experimentos com vidrarias irão ser descritos e analisados e,em
seguida, haverá uma comparação entre elas para definir quais determinam valores mais exatos
e mais precisos com maior ou menor margem de acerto.
Saber diferenciar os equipamentos necessários é fundamental para uma boa prática
laboratorial, portanto através deste projeto pretende-se discutir maneiras e formas de
minimizar os erros.
As vidrarias utilizadas nesta prática são:

Balão volumétrico: Recipiente calibrado de precisão, utilizado no preparo de soluções
de concentrações definidas.Ao se preparar uma solução aquosa, o sólido, previamente pesado,
é dissolvido em um béquer, e essa solução inicial é transferida ao balão volumétrico. Depois
disso, adiciona-se água até completar o volume do balão, que é feito observando-se a posição
do menisco da água na linha de aferição do balão.

Proveta: É usada para fazer medidas aproximadas de volumes. Não é adequada para
preparar soluções quando o valor definido da concentração for um fator importante.

Béquer: Recipiente com ou sem graduação. Usado para dissolver amostras sólidas, que
nele também poderão ser pesadas, com auxilio de uma balança. Também se destina ao
aquecimento de líquidos, recristalização e realização de reações entre soluções etc.

Erlenmeyer: Frasco utilizado nas titulações (volumetrias). A titulação é uma técnica de
análise química que visa descobrir a concentração (desconhecida) de uma solução problema
(titulado), usando uma solução de concentração conhecida (o titulante), contendo uma
substância que reaja rapidamente com aquela presente na solução problema. Também pode
ser usado para coletar frações obtidas a partir da cromatografia em fase líquida ou para
aquecer líquidos.

HIPÓTESES E FUNDAMENTOS
Medir o volume de água em cada vidraria e respectivamente fazendo suas pesagens e
posteriormente utilizaremos ferramentas matemáticas como a fórmula da densidade (D = m/v)
para descobrir o valor numérico do volume de água que cada vidraria contém, observando
qual das vidrarias chega mais próximo do valor esperado. Prof. J. Humberto Dias da Silva
ressalta:
Exatidão de uma medida é a distância estimada entre a medida e um valor
“verdadeiro”,

“nominal”,

“tomado

comoreferência”,

ou

“aceito”.

Geralmente é expressa como um desvio ou desvio percentual de um valor
conhecido.

Paralelamente fazemos 3 medições do volume de água em cada vidraria e visualizamos
qual se mantém mais constante. Prof. J. Humberto Dias da Silva ressalta:
A precisão de uma série de medições é uma medida da concordância entre
determinações repetidas. A precisão é usualmente quantificada como o
desvio padrão de uma série de medidas.

Portanto, podemos indicar qual o mais preciso, a partir das séries de medições.

METODOLOGIA EXPERIMENTAL
Materiais e Equipamentos utilizados
3Béckers de 100ml
3Erlenmeyers de 100 ml
3 Provetas 100ml
3 Balões Volumétricos de 100ml
1 Termômetro manual
1 Par de luvas de Látex
Balança de Precisão.

Procedimentos
1.

Pesar separadamente todas as vidrarias, com o uso das luvas de látex para que

fluidos da pele e da mão venham interferir na pesagem. Anotar os respectivos pesos, caso não
for possível o uso do recurso TARA da balança de precisão.
Béquer

Erlenmeyer

Proveta

Balão volumétrico

Vidraria
Massa

1

(g)

2
3

2.

Adicionar água destilada em cada vidraria até atingir o menisco de um valor

determinado (100 ml).

3.

Pesar separadamente cada vidraria contendo água. Calcular a massa de cada

amostra subtraindo a massa da vidraria, caso não for possível o uso do recurso TARA da
balança de precisão.

4.

Anotar a massa de água destilada em cada amostra, e fazer aproximação

milesimal.

Béquer
Massa

Proveta

Balão volumétrico

1

(g)

Erlenmeyer

2
3

5.

Medir a temperatura de cada solução e anotar.De acordo com a temperatura da

água destilada em cada amostra, calcular o volume aproximado, de acordo com o gráfico:
6.
Massa volúmica da água a diferentes temperaturas
ºC

Massa volúmica

ºC

(g/cm3)

Massa volúmica

ºC

(g/cm3)

Massa volúmica
(g/cm3)

0

0,99987

10

0,99973

20

0,99825

1

0,99993

11

0,99964

21

0,99804

2

0,99997

12

0,99954

22

0,99782

3

0,99999

13

0,99941

23

0,99759

4

1,00000

14

0,99929

24

0,99735

5

0,99999

15

0,99914

25

0,99710

6

0,99997

16

0,99899

26

0,99683

7

0,99993

17

0,99882

27

0,99657

8

0,99988

18

0,99864

28

0,99629

9

0,99981

19

0,99845

29

0,99600

Béquer
Volume

Proveta

Balão volumétrico

1

(ml)

Erlenmeyer

2
3

Fórmulas físicas:
D=m/V
g/cm3 = g/ml

7.

Calcular o erro absoluto e o desvio padrão de cada amostrade cada uma das

vidrarias. Observando os resultados, podemos concluir que a vidraria com menor média de
erros é será a vidraria mais exata, e a vidraria que apresentar menor desvio padrão dos erros
será o mais preciso.
Béquer
Erro

Erlenmeyer

Proveta

Balão volumétrico

1

Absoluto( ) 2
3
Média( )
Desvio(s)

Fórmulas matemáticas:
Erro absoluto:

Média:

Desvio Padrão:

RESULTADOS ESPERADOS

A partir do método utilizado possamos comprovar a ordem de crescimento dos
instrumentos laboratoriais. Logo, acredita-se que o balão volumétrico é a vidraria que mais se
destaca quanto à precisão e exatidão no processo experimental. Assim, percebe-se que a
ordem decrescente de precisão exatidão das vidrarias seria: balão volumétrico, proveta,
erlenmeyer e bécker.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

MAZALI, I. O..Determinação da Densidade de Sólidos pelo Método de Arquimedes.
Laboratório de Química do Estado Sólido. Unicamp. São Paulo.Disponível em:
<http://lqes.iqm.unicamp.br/canal_cientifico/vivencia_lqes/vivencia_lqes_meprotec.html>
Acesso: 24/03/2013.
KOTZ, J.C.; TREICHEL, P.M. Jr. Química Geral e Reações Químicas. Tradução da 5ª
edição americana. Ed. Thomson, São Paulo, 2005. Vol. 1
ANTÓNIO J..Medição de Volumes. Material volumétrico: balões volumétricos, pipetas e
seringas. Coimbra, Aula 03 dez. 2010. Faculdade de Farmácia. Universidade de Coimbra.
Disponível em:<https://woc.uc.pt/ffuc/class/getmaterial.do?idclass=245&idyear=7>Acesso:
24/03/2013.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DO ALUMÍNIO METÁLICO E DO CLORETO DE ALUMÍNIO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DO ALUMÍNIO METÁLICO E DO CLORETO DE ALUMÍNIORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DO ALUMÍNIO METÁLICO E DO CLORETO DE ALUMÍNIO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DO ALUMÍNIO METÁLICO E DO CLORETO DE ALUMÍNIOEzequias Guimaraes
 
Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8Karen Pirovano
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICARELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICAEzequias Guimaraes
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de químicaADSONTORREZANE
 
Relatório - Volumetria de Precipitação
Relatório - Volumetria de PrecipitaçãoRelatório - Volumetria de Precipitação
Relatório - Volumetria de PrecipitaçãoDhion Meyg Fernandes
 
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do VinagreRelatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do VinagreDhion Meyg Fernandes
 
Relatorio quimica geral_2 - cinetica
Relatorio quimica geral_2 - cineticaRelatorio quimica geral_2 - cinetica
Relatorio quimica geral_2 - cineticaÍngrede Silva
 
Relatorio 3 leite de magnésia
Relatorio 3  leite de magnésiaRelatorio 3  leite de magnésia
Relatorio 3 leite de magnésiaDianna Grandal
 
A violeta que desaparece experimento
A violeta que desaparece   experimentoA violeta que desaparece   experimento
A violeta que desaparece experimentoDaniele Prado
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃOEzequias Guimaraes
 
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e DerivadosReações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e DerivadosJosé Nunes da Silva Jr.
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimicaLiana Maia
 
Determinação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTADeterminação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTAAdrianne Mendonça
 
Relatório de Cromatografia
Relatório de CromatografiaRelatório de Cromatografia
Relatório de CromatografiaMario Monteiro
 
Reações de esterificação e saponificação
Reações de esterificação e saponificaçãoReações de esterificação e saponificação
Reações de esterificação e saponificaçãoRafael Nishikawa
 
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2Jenifer Rigo Almeida
 

Mais procurados (20)

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DO ALUMÍNIO METÁLICO E DO CLORETO DE ALUMÍNIO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DO ALUMÍNIO METÁLICO E DO CLORETO DE ALUMÍNIORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DO ALUMÍNIO METÁLICO E DO CLORETO DE ALUMÍNIO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DO ALUMÍNIO METÁLICO E DO CLORETO DE ALUMÍNIO
 
Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICARELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de química
 
Relatório - Volumetria de Precipitação
Relatório - Volumetria de PrecipitaçãoRelatório - Volumetria de Precipitação
Relatório - Volumetria de Precipitação
 
Relatorio 5
Relatorio 5Relatorio 5
Relatorio 5
 
Relatorio analitica ii_04
Relatorio analitica ii_04Relatorio analitica ii_04
Relatorio analitica ii_04
 
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do VinagreRelatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
 
Relatorio quimica geral_2 - cinetica
Relatorio quimica geral_2 - cineticaRelatorio quimica geral_2 - cinetica
Relatorio quimica geral_2 - cinetica
 
Relatorio 3 leite de magnésia
Relatorio 3  leite de magnésiaRelatorio 3  leite de magnésia
Relatorio 3 leite de magnésia
 
A violeta que desaparece experimento
A violeta que desaparece   experimentoA violeta que desaparece   experimento
A violeta que desaparece experimento
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
 
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e DerivadosReações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Potenciometria
PotenciometriaPotenciometria
Potenciometria
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
 
Determinação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTADeterminação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTA
 
Relatório de Cromatografia
Relatório de CromatografiaRelatório de Cromatografia
Relatório de Cromatografia
 
Reações de esterificação e saponificação
Reações de esterificação e saponificaçãoReações de esterificação e saponificação
Reações de esterificação e saponificação
 
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2
 

Destaque

AULA DE QUIMICA GERAL EXPERIMENTAL 1 parte 1
AULA DE QUIMICA GERAL EXPERIMENTAL 1 parte 1AULA DE QUIMICA GERAL EXPERIMENTAL 1 parte 1
AULA DE QUIMICA GERAL EXPERIMENTAL 1 parte 1ProfessorHelioQueiroz
 
Vidraria e equipamentos básicos laboratório de química
Vidraria e equipamentos básicos   laboratório de químicaVidraria e equipamentos básicos   laboratório de química
Vidraria e equipamentos básicos laboratório de químicaMariana Pinheiro
 
Quimica experimental -_aula02
Quimica experimental -_aula02Quimica experimental -_aula02
Quimica experimental -_aula02Tayara Crystina
 
Principais vidrarias de laboratório
Principais vidrarias de laboratórioPrincipais vidrarias de laboratório
Principais vidrarias de laboratóriocmdantasba
 
Relatorio medição em quimica
Relatorio   medição em quimicaRelatorio   medição em quimica
Relatorio medição em quimicaCristiana Amorim
 
Químicas geral experimental__2013 (1)
Químicas geral experimental__2013 (1)Químicas geral experimental__2013 (1)
Químicas geral experimental__2013 (1)marcusramos007
 
Lista de materiais de química
Lista de materiais de químicaLista de materiais de química
Lista de materiais de químicaNai Mariano
 
Relatório - Medição em Quimica
Relatório - Medição em QuimicaRelatório - Medição em Quimica
Relatório - Medição em QuimicaCarlos Vieira
 
Aula 2 vidrarias de laboratório
Aula 2   vidrarias de laboratórioAula 2   vidrarias de laboratório
Aula 2 vidrarias de laboratórioJosé Vitor Alves
 
Manual de TQE 2014 v1
Manual de TQE 2014 v1Manual de TQE 2014 v1
Manual de TQE 2014 v1Daniel Rossi
 
Modelo de relatório experimental.pdf fim
Modelo de relatório experimental.pdf fimModelo de relatório experimental.pdf fim
Modelo de relatório experimental.pdf fimrenataiatsunik
 
Quimica geral pratica
Quimica geral praticaQuimica geral pratica
Quimica geral praticaErcio Novaes
 
01 calibracao de-pipetas
01   calibracao de-pipetas01   calibracao de-pipetas
01 calibracao de-pipetasMessias Castro
 
RELATÓRIO DO LABORATÓRIO
RELATÓRIO DO LABORATÓRIORELATÓRIO DO LABORATÓRIO
RELATÓRIO DO LABORATÓRIOJonasblog
 
Apostila de aula prática de 25.03
Apostila de aula prática de 25.03Apostila de aula prática de 25.03
Apostila de aula prática de 25.03Juliana Barbosa
 
Desvios médios, variância e desvios padrões
Desvios médios, variância e desvios padrõesDesvios médios, variância e desvios padrões
Desvios médios, variância e desvios padrõesGabriel Passeri
 

Destaque (20)

AULA DE QUIMICA GERAL EXPERIMENTAL 1 parte 1
AULA DE QUIMICA GERAL EXPERIMENTAL 1 parte 1AULA DE QUIMICA GERAL EXPERIMENTAL 1 parte 1
AULA DE QUIMICA GERAL EXPERIMENTAL 1 parte 1
 
Vidraria e equipamentos básicos laboratório de química
Vidraria e equipamentos básicos   laboratório de químicaVidraria e equipamentos básicos   laboratório de química
Vidraria e equipamentos básicos laboratório de química
 
Quimica experimental -_aula02
Quimica experimental -_aula02Quimica experimental -_aula02
Quimica experimental -_aula02
 
Principais vidrarias de laboratório
Principais vidrarias de laboratórioPrincipais vidrarias de laboratório
Principais vidrarias de laboratório
 
Relatorio medição em quimica
Relatorio   medição em quimicaRelatorio   medição em quimica
Relatorio medição em quimica
 
Químicas geral experimental__2013 (1)
Químicas geral experimental__2013 (1)Químicas geral experimental__2013 (1)
Químicas geral experimental__2013 (1)
 
Lista de materiais de química
Lista de materiais de químicaLista de materiais de química
Lista de materiais de química
 
Aula de materiais de Laboratório
Aula de materiais de LaboratórioAula de materiais de Laboratório
Aula de materiais de Laboratório
 
Relatório - Medição em Quimica
Relatório - Medição em QuimicaRelatório - Medição em Quimica
Relatório - Medição em Quimica
 
Aula 2 vidrarias de laboratório
Aula 2   vidrarias de laboratórioAula 2   vidrarias de laboratório
Aula 2 vidrarias de laboratório
 
Manual de TQE 2014 v1
Manual de TQE 2014 v1Manual de TQE 2014 v1
Manual de TQE 2014 v1
 
Modelo de relatório experimental.pdf fim
Modelo de relatório experimental.pdf fimModelo de relatório experimental.pdf fim
Modelo de relatório experimental.pdf fim
 
Quimica geral pratica
Quimica geral praticaQuimica geral pratica
Quimica geral pratica
 
01 calibracao de-pipetas
01   calibracao de-pipetas01   calibracao de-pipetas
01 calibracao de-pipetas
 
RELATÓRIO DO LABORATÓRIO
RELATÓRIO DO LABORATÓRIORELATÓRIO DO LABORATÓRIO
RELATÓRIO DO LABORATÓRIO
 
Apostila de aula prática de 25.03
Apostila de aula prática de 25.03Apostila de aula prática de 25.03
Apostila de aula prática de 25.03
 
Vidrarias
VidrariasVidrarias
Vidrarias
 
Modelo de relatório experimental em química
Modelo de relatório experimental em químicaModelo de relatório experimental em química
Modelo de relatório experimental em química
 
Relatorio de fisica.
Relatorio de fisica.Relatorio de fisica.
Relatorio de fisica.
 
Desvios médios, variância e desvios padrões
Desvios médios, variância e desvios padrõesDesvios médios, variância e desvios padrões
Desvios médios, variância e desvios padrões
 

Semelhante a Precisão e Exatidão de Vidrarias

Calibração de aparelhagem volumétrica
Calibração de aparelhagem volumétricaCalibração de aparelhagem volumétrica
Calibração de aparelhagem volumétricaRodrigo Henrique
 
Transformacoes volumetrico
Transformacoes volumetricoTransformacoes volumetrico
Transformacoes volumetricoRogerioAlves66
 
Relatorio de quimica
Relatorio de quimicaRelatorio de quimica
Relatorio de quimicaJoyce Luiza
 
Glossário Equipamentos.pdf
Glossário Equipamentos.pdfGlossário Equipamentos.pdf
Glossário Equipamentos.pdfrogeriopacheco6
 
Determinação da densidade por picnometro experiencia 5 20091
Determinação da densidade por picnometro experiencia 5 20091Determinação da densidade por picnometro experiencia 5 20091
Determinação da densidade por picnometro experiencia 5 20091sergioviroli
 
Relatório Densidade de amostras desconhecidas
Relatório Densidade de amostras desconhecidas Relatório Densidade de amostras desconhecidas
Relatório Densidade de amostras desconhecidas Lowrrayny Franchesca
 
Relatório Densidade de amostras desconhecidas
Relatório Densidade de amostras desconhecidas Relatório Densidade de amostras desconhecidas
Relatório Densidade de amostras desconhecidas Lowrrayny Franchesca
 
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...Claudiney C. Rodrigues
 
Ficha Atividade Prática Laboratorial
Ficha Atividade Prática LaboratorialFicha Atividade Prática Laboratorial
Ficha Atividade Prática LaboratorialCatDaniels
 
Apostila (química analítica quantitativa) 2009
Apostila      (química analítica quantitativa) 2009Apostila      (química analítica quantitativa) 2009
Apostila (química analítica quantitativa) 2009Fernanda Bortoloto
 
Volume e massa de uma gota de água - FQA 10°ano
Volume e massa de uma gota de água - FQA 10°anoVolume e massa de uma gota de água - FQA 10°ano
Volume e massa de uma gota de água - FQA 10°anoDSDLSPanadinhodl
 
Destilação simples e fracionada
Destilação simples e fracionadaDestilação simples e fracionada
Destilação simples e fracionadaAngela Guerra
 

Semelhante a Precisão e Exatidão de Vidrarias (20)

Calibração de aparelhagem volumétrica
Calibração de aparelhagem volumétricaCalibração de aparelhagem volumétrica
Calibração de aparelhagem volumétrica
 
Transformacoes volumetrico
Transformacoes volumetricoTransformacoes volumetrico
Transformacoes volumetrico
 
Relatorio de quimica
Relatorio de quimicaRelatorio de quimica
Relatorio de quimica
 
Relatório viscosidade
Relatório viscosidade Relatório viscosidade
Relatório viscosidade
 
Glossário Equipamentos.pdf
Glossário Equipamentos.pdfGlossário Equipamentos.pdf
Glossário Equipamentos.pdf
 
Relatorio 2 de quimica
Relatorio 2 de quimicaRelatorio 2 de quimica
Relatorio 2 de quimica
 
Determinação da densidade por picnometro experiencia 5 20091
Determinação da densidade por picnometro experiencia 5 20091Determinação da densidade por picnometro experiencia 5 20091
Determinação da densidade por picnometro experiencia 5 20091
 
acidos padronizaçao.pdf
acidos padronizaçao.pdfacidos padronizaçao.pdf
acidos padronizaçao.pdf
 
Manual reagentespreview
Manual reagentespreviewManual reagentespreview
Manual reagentespreview
 
Medição de nível
Medição de nívelMedição de nível
Medição de nível
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Relatório Densidade de amostras desconhecidas
Relatório Densidade de amostras desconhecidas Relatório Densidade de amostras desconhecidas
Relatório Densidade de amostras desconhecidas
 
Relatório Densidade de amostras desconhecidas
Relatório Densidade de amostras desconhecidas Relatório Densidade de amostras desconhecidas
Relatório Densidade de amostras desconhecidas
 
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...
 
Como escrever um procedimento v2
Como escrever um procedimento v2Como escrever um procedimento v2
Como escrever um procedimento v2
 
Article i (1)
Article i (1)Article i (1)
Article i (1)
 
Ficha Atividade Prática Laboratorial
Ficha Atividade Prática LaboratorialFicha Atividade Prática Laboratorial
Ficha Atividade Prática Laboratorial
 
Apostila (química analítica quantitativa) 2009
Apostila      (química analítica quantitativa) 2009Apostila      (química analítica quantitativa) 2009
Apostila (química analítica quantitativa) 2009
 
Volume e massa de uma gota de água - FQA 10°ano
Volume e massa de uma gota de água - FQA 10°anoVolume e massa de uma gota de água - FQA 10°ano
Volume e massa de uma gota de água - FQA 10°ano
 
Destilação simples e fracionada
Destilação simples e fracionadaDestilação simples e fracionada
Destilação simples e fracionada
 

Mais de weberab

Procedimentos de ensaios das normas ABNT NBR 15270 Partes 1 e 3
Procedimentos de ensaios das normas ABNT NBR 15270 Partes 1 e 3Procedimentos de ensaios das normas ABNT NBR 15270 Partes 1 e 3
Procedimentos de ensaios das normas ABNT NBR 15270 Partes 1 e 3weberab
 
Projeto de Pesquisa: Análise do processo produtivo da indústria de cerâmica v...
Projeto de Pesquisa: Análise do processo produtivo da indústria de cerâmica v...Projeto de Pesquisa: Análise do processo produtivo da indústria de cerâmica v...
Projeto de Pesquisa: Análise do processo produtivo da indústria de cerâmica v...weberab
 
A extrusão na indústria de cerâmica vermelha no Ceará
A extrusão na indústria de cerâmica vermelha no CearáA extrusão na indústria de cerâmica vermelha no Ceará
A extrusão na indústria de cerâmica vermelha no Cearáweberab
 
A informalidade na indústria da cerâmica vermelha - Estudo de caso
A informalidade na indústria da cerâmica vermelha - Estudo de casoA informalidade na indústria da cerâmica vermelha - Estudo de caso
A informalidade na indústria da cerâmica vermelha - Estudo de casoweberab
 
Análise do Processo Produtivo dos Tijolos Cerâmicos no Estado do Ceará - Estu...
Análise do Processo Produtivo dos Tijolos Cerâmicos no Estado do Ceará - Estu...Análise do Processo Produtivo dos Tijolos Cerâmicos no Estado do Ceará - Estu...
Análise do Processo Produtivo dos Tijolos Cerâmicos no Estado do Ceará - Estu...weberab
 
Notáveis acidentes de engenharia civil com vítimas fatais no Brasil
Notáveis acidentes de engenharia civil com vítimas fatais no Brasil Notáveis acidentes de engenharia civil com vítimas fatais no Brasil
Notáveis acidentes de engenharia civil com vítimas fatais no Brasil weberab
 
Lâmpada Moser em moradias populares do Ceará
Lâmpada Moser em moradias populares do CearáLâmpada Moser em moradias populares do Ceará
Lâmpada Moser em moradias populares do Cearáweberab
 

Mais de weberab (7)

Procedimentos de ensaios das normas ABNT NBR 15270 Partes 1 e 3
Procedimentos de ensaios das normas ABNT NBR 15270 Partes 1 e 3Procedimentos de ensaios das normas ABNT NBR 15270 Partes 1 e 3
Procedimentos de ensaios das normas ABNT NBR 15270 Partes 1 e 3
 
Projeto de Pesquisa: Análise do processo produtivo da indústria de cerâmica v...
Projeto de Pesquisa: Análise do processo produtivo da indústria de cerâmica v...Projeto de Pesquisa: Análise do processo produtivo da indústria de cerâmica v...
Projeto de Pesquisa: Análise do processo produtivo da indústria de cerâmica v...
 
A extrusão na indústria de cerâmica vermelha no Ceará
A extrusão na indústria de cerâmica vermelha no CearáA extrusão na indústria de cerâmica vermelha no Ceará
A extrusão na indústria de cerâmica vermelha no Ceará
 
A informalidade na indústria da cerâmica vermelha - Estudo de caso
A informalidade na indústria da cerâmica vermelha - Estudo de casoA informalidade na indústria da cerâmica vermelha - Estudo de caso
A informalidade na indústria da cerâmica vermelha - Estudo de caso
 
Análise do Processo Produtivo dos Tijolos Cerâmicos no Estado do Ceará - Estu...
Análise do Processo Produtivo dos Tijolos Cerâmicos no Estado do Ceará - Estu...Análise do Processo Produtivo dos Tijolos Cerâmicos no Estado do Ceará - Estu...
Análise do Processo Produtivo dos Tijolos Cerâmicos no Estado do Ceará - Estu...
 
Notáveis acidentes de engenharia civil com vítimas fatais no Brasil
Notáveis acidentes de engenharia civil com vítimas fatais no Brasil Notáveis acidentes de engenharia civil com vítimas fatais no Brasil
Notáveis acidentes de engenharia civil com vítimas fatais no Brasil
 
Lâmpada Moser em moradias populares do Ceará
Lâmpada Moser em moradias populares do CearáLâmpada Moser em moradias populares do Ceará
Lâmpada Moser em moradias populares do Ceará
 

Último

Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 

Último (20)

Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 

Precisão e Exatidão de Vidrarias

  • 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ–UVA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA-CCET Engenharia Civil - Química aplicada à Engenharia Sobral-Ceará ALYSON BRUNO ARRUDA VIEIRA JOÃO VICTOR VERAS BARROS MARCOS ANTONIO DE SOUSA NASCIMENTO MANOEL FLORINDO JUNIOR WEBER ALVES BRAGA Precisão e exatidão de vidrarias INTRODUÇÃO Numa aula prática de Química aplicada à engenharia, foram apresentados alguns tipos de equipamentos para medidas(Béquer, proveta, balão volumétrico, erlenmeyer, etc.). Logo, percebemos que a execução de diversas tarefas num laboratório envolve uma variedade de equipamentos que, devem ser empregados de modo adequado. A escolha de um determinado aparelho, vidraria ou material depende dos objetivos e das condições em que o exemplo será executado. Nesse projeto, alguns experimentos com vidrarias irão ser descritos e analisados e,em seguida, haverá uma comparação entre elas para definir quais determinam valores mais exatos e mais precisos com maior ou menor margem de acerto. Saber diferenciar os equipamentos necessários é fundamental para uma boa prática laboratorial, portanto através deste projeto pretende-se discutir maneiras e formas de minimizar os erros.
  • 2. As vidrarias utilizadas nesta prática são: Balão volumétrico: Recipiente calibrado de precisão, utilizado no preparo de soluções de concentrações definidas.Ao se preparar uma solução aquosa, o sólido, previamente pesado, é dissolvido em um béquer, e essa solução inicial é transferida ao balão volumétrico. Depois disso, adiciona-se água até completar o volume do balão, que é feito observando-se a posição do menisco da água na linha de aferição do balão. Proveta: É usada para fazer medidas aproximadas de volumes. Não é adequada para preparar soluções quando o valor definido da concentração for um fator importante. Béquer: Recipiente com ou sem graduação. Usado para dissolver amostras sólidas, que nele também poderão ser pesadas, com auxilio de uma balança. Também se destina ao aquecimento de líquidos, recristalização e realização de reações entre soluções etc. Erlenmeyer: Frasco utilizado nas titulações (volumetrias). A titulação é uma técnica de análise química que visa descobrir a concentração (desconhecida) de uma solução problema (titulado), usando uma solução de concentração conhecida (o titulante), contendo uma substância que reaja rapidamente com aquela presente na solução problema. Também pode ser usado para coletar frações obtidas a partir da cromatografia em fase líquida ou para aquecer líquidos. HIPÓTESES E FUNDAMENTOS Medir o volume de água em cada vidraria e respectivamente fazendo suas pesagens e posteriormente utilizaremos ferramentas matemáticas como a fórmula da densidade (D = m/v) para descobrir o valor numérico do volume de água que cada vidraria contém, observando qual das vidrarias chega mais próximo do valor esperado. Prof. J. Humberto Dias da Silva ressalta:
  • 3. Exatidão de uma medida é a distância estimada entre a medida e um valor “verdadeiro”, “nominal”, “tomado comoreferência”, ou “aceito”. Geralmente é expressa como um desvio ou desvio percentual de um valor conhecido. Paralelamente fazemos 3 medições do volume de água em cada vidraria e visualizamos qual se mantém mais constante. Prof. J. Humberto Dias da Silva ressalta: A precisão de uma série de medições é uma medida da concordância entre determinações repetidas. A precisão é usualmente quantificada como o desvio padrão de uma série de medidas. Portanto, podemos indicar qual o mais preciso, a partir das séries de medições. METODOLOGIA EXPERIMENTAL Materiais e Equipamentos utilizados 3Béckers de 100ml 3Erlenmeyers de 100 ml 3 Provetas 100ml 3 Balões Volumétricos de 100ml 1 Termômetro manual 1 Par de luvas de Látex Balança de Precisão. Procedimentos 1. Pesar separadamente todas as vidrarias, com o uso das luvas de látex para que fluidos da pele e da mão venham interferir na pesagem. Anotar os respectivos pesos, caso não for possível o uso do recurso TARA da balança de precisão.
  • 4. Béquer Erlenmeyer Proveta Balão volumétrico Vidraria Massa 1 (g) 2 3 2. Adicionar água destilada em cada vidraria até atingir o menisco de um valor determinado (100 ml). 3. Pesar separadamente cada vidraria contendo água. Calcular a massa de cada amostra subtraindo a massa da vidraria, caso não for possível o uso do recurso TARA da balança de precisão. 4. Anotar a massa de água destilada em cada amostra, e fazer aproximação milesimal. Béquer Massa Proveta Balão volumétrico 1 (g) Erlenmeyer 2 3 5. Medir a temperatura de cada solução e anotar.De acordo com a temperatura da água destilada em cada amostra, calcular o volume aproximado, de acordo com o gráfico:
  • 5. 6. Massa volúmica da água a diferentes temperaturas ºC Massa volúmica ºC (g/cm3) Massa volúmica ºC (g/cm3) Massa volúmica (g/cm3) 0 0,99987 10 0,99973 20 0,99825 1 0,99993 11 0,99964 21 0,99804 2 0,99997 12 0,99954 22 0,99782 3 0,99999 13 0,99941 23 0,99759 4 1,00000 14 0,99929 24 0,99735 5 0,99999 15 0,99914 25 0,99710 6 0,99997 16 0,99899 26 0,99683 7 0,99993 17 0,99882 27 0,99657 8 0,99988 18 0,99864 28 0,99629 9 0,99981 19 0,99845 29 0,99600 Béquer Volume Proveta Balão volumétrico 1 (ml) Erlenmeyer 2 3 Fórmulas físicas: D=m/V g/cm3 = g/ml 7. Calcular o erro absoluto e o desvio padrão de cada amostrade cada uma das vidrarias. Observando os resultados, podemos concluir que a vidraria com menor média de erros é será a vidraria mais exata, e a vidraria que apresentar menor desvio padrão dos erros será o mais preciso.
  • 6. Béquer Erro Erlenmeyer Proveta Balão volumétrico 1 Absoluto( ) 2 3 Média( ) Desvio(s) Fórmulas matemáticas: Erro absoluto: Média: Desvio Padrão: RESULTADOS ESPERADOS A partir do método utilizado possamos comprovar a ordem de crescimento dos instrumentos laboratoriais. Logo, acredita-se que o balão volumétrico é a vidraria que mais se destaca quanto à precisão e exatidão no processo experimental. Assim, percebe-se que a ordem decrescente de precisão exatidão das vidrarias seria: balão volumétrico, proveta, erlenmeyer e bécker.
  • 7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS MAZALI, I. O..Determinação da Densidade de Sólidos pelo Método de Arquimedes. Laboratório de Química do Estado Sólido. Unicamp. São Paulo.Disponível em: <http://lqes.iqm.unicamp.br/canal_cientifico/vivencia_lqes/vivencia_lqes_meprotec.html> Acesso: 24/03/2013. KOTZ, J.C.; TREICHEL, P.M. Jr. Química Geral e Reações Químicas. Tradução da 5ª edição americana. Ed. Thomson, São Paulo, 2005. Vol. 1 ANTÓNIO J..Medição de Volumes. Material volumétrico: balões volumétricos, pipetas e seringas. Coimbra, Aula 03 dez. 2010. Faculdade de Farmácia. Universidade de Coimbra. Disponível em:<https://woc.uc.pt/ffuc/class/getmaterial.do?idclass=245&idyear=7>Acesso: 24/03/2013.