SlideShare uma empresa Scribd logo

Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2

Dosagem/Determinação do teor de ácido acetilsalicílico em comprimidos analgésicos e do teor de hidróxido de magnésio no leite de magnésia

1 de 11
Baixar para ler offline
Relatório nº 03

Análise volumétrica - Volumetria de neutralização.




                   Jenifer Rigo Almeida




              Vitória, 20 de fevereiro de 2013

                    2° Semestre/2012
2

1. INTRODUÇÃO

      O ácido acetilsalicílico de fórmula C8O2H7COOH ou C9H8O4 e estrutura
representada na figura abaixo:




                Figura 1 – Estrutura do Ácido acetilsalicílico [1]

      É uma substância orgânica muito comum utilizada na indústria
farmacêutica para a produção de medicamentos que possuem ação
antitérmica, no abaixamento de febres; analgésica, no alívio de dores; e
                                                     [2]
antiinflamatória, no tratamento de inflamações.

      Encontrado       na   forma   de   comprimidos,      os   mais   comuns   são
denominados de Aspirina ou AAS, pode ter seu teor determinado por
volumetria de neutralização, ou seja, através da titulação com uma solução
hidróxido de sódio previamente padronizada. A reação de neutralização que
ocorre é a seguinte:




      A figura em seguida ilustra o hidrogênio ionizável do ácido que é liberado
na reação:




 Figura 2 − Fórmula estrutural do ácido acetilsalicílico mostrando o hidrogênio
                                    ionizável. [3]
3

      Na reação é usada uma mistura hidroalcoólica, representada por (alc/aq)
devido à solubilidade deste ácido que é pouco solúvel em água e muito solúvel
em etanol, como também solúvel em éter etílico. [1]

      Outra    substância       química   também   muito   aplicada    em    fins
medicamentosos é o hidróxido de magnésio presente na composição do leite
de magnésia; indicado por possuir funções laxativas, no tratamento de prisão
de ventre crônica ou outros tipos de constipações intestinais, além disso, é
                                                                            [4]
eficaz como antiácido e também usado no caso de azia e gastrites.                 O
hidróxido de magnésio em contato com o estômago reage com o ácido
clorídrico do suco gástrico formando cloreto de magnésio (MgCl 2) que é uma
                          [1]
substância higroscópica     , sendo assim, ele fará com que a umidade da água
presente no organismo seja absorvida lubrificando o intestino.

      Para esta substância também é aplicada análise volumétrica de
neutralização, entretanto emprega-se o método da titulação de retorno, isto é,
uma titulação indireta que consiste em adicionar um excesso conhecido da
solução padrão ao analito para depois determinar a parte desse excesso que
não reagiu com outra solução padrão, devido ao fato de o leite de magnésia ser
                                                                 [5]
uma suspensão caracterizada por ser pouco solúvel em água.




2. PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS

2.1. Dosagem de ácido acetilsalicílico em comprimidos analgésicos
      Pesou-se a massa do comprimido e colocou-se em um erlenmeyer de
250 mL, em seguida foram adicionados 20,00 mL de água destilada e então
agitou-se até completa dissolução do comprimido. Por fim acrescentou-se
20,00 mL de etanol e 3 gotas de fenolftaleína para realização da titulação com
solução de NaOH padronizada. Fez-se triplicata.

2.2. Dosagem de hidróxido de magnésio no leite de magnésia

      Pesou-se aproximadamente 1,0 g de leite de magnésia em um
erlenmeyer de 250 mL, em seguida adicionou-se 50,00 mL de solução de HCl
4

padrão, 3 gotas de fenolftaleína e executou-se a titulação com a solução de
NaOH que foi padronizada em triplicata.




3. RESULTADOS E DISCUSSÕES

3.1. Dosagem de ácido acetilsalicílico em comprimidos de analgésico

        Os dados obtidos durante o experimento estão representados na Tabela
1 em seguida. Foram mensurados 3 comprimidos de 100 mg de ácido em
cada.

Tabela 1     Dados obtidos no experimento


                                                        Volume de NaOH gasto na
        Titulação         Massa pesada de aspirina
                                                               titulação

     1ª dosagem                    0,5047 g                    10,90 mL

     2ª dosagem                    0,5039 g                    11,15 mL

     3ª dosagem                    0,5125 g                    11,10 mL



- Concentração de NaOH (padronizado) = 0,1548 mol.L-1

- Massa molar de ácido acetilsalicílico = 180 g.mol-1




a) Cálculos para dosagem de ácido acetilsalicílico:

        A adição de etanol foi necessária, pois o comprimido de ácido
acetilsalicílico não é totalmente solúvel em água.

        Ocorreu a seguinte reação [3]:
5

(i) Calculando-se a quantidade de matéria do NaOH (Tabela 2):

Tabela 2   Cálculo da quantidade de matéria de NaOH usada na titulação

                 Volume de NaOH
                                      Concentração
  Titulação          gasto na                                   Número de mol de NaOH
                                         de NaOH
                     titulação
 1ª dosagem          10,90 mL         0,1548 mol.L-1             nNaOH 1 = 1,69 x 10-3 mol
 2ª dosagem          11,15 mL         0,1548 mol.L-1             nNaOH 2 = 1,73 x 10-3 mol
 3ª dosagem          11,10 mL         0,1548 mol.L-1             nNaOH 3 = 1,72 x 10-3 mol



      Da proporção estequiométrica de 1:1 entre aspirina e NaOH, temos que,
o número de mol de aspirina é igual ao de hidróxido de sódio (Tabela 3):

Tabela 3   Cálculo da quantidade de matéria de aspirina


    Titulação           Número de mol de NaOH                   Número de mol de aspirina

   1ª dosagem             nNaOH 1 = 1,69 x 10-3 mol               naspirina = 1,69 x 10-3 mol
   2ª dosagem             nNaOH 2 = 1,73 x 10-3 mol               naspirina = 1,73 x 10-3 mol
   3ª dosagem             nNaOH 3 = 1,72 x 10-3 mol               naspirina = 1,72 x 10-3 mol



      (ii) A partir da massa molar do ácido acetilsalicílico (180 g.mol-1),
encontra-se a massa de AAS:




      Tabela 4   Cálculo das massas de ácido acetilsalicílico envolvidas.

                                            Massa de ácido
                    Titulação
                                             acetilsalicílico
                   1ª dosagem                   0,3042 g
                   2ª dosagem                   0,3114 g
                   3ª dosagem                   0,3096 g
6

(iii) Dos valores explicitados na Tabela 6, calcula-se o teor de ácido
acetilsalicílico nos comprimidos em relação à massa inicial:




Tabela 5 – Teor de ácido acetilsalicílico

                  Massa de AAS              Massa de AAS
 Titulação                                                       Teor de AAS
                      teórica                  pesada
1ª dosagem           0,3042 g                 0,5047 g         60,27343 % (m/m)
2ª dosagem           0,3114 g                 0,5039 g         61,79798 % (m/m)
3ª dosagem           0,3096 g                 0,5125 g         60,40976 % (m/m)



Logo, o teor médio será:




      O fabricante declara que em cada comprimido do medicamento do total
de 150 mg, considerando corantes e outros componentes, há 100 mg de ácido
acetilsalicílico; desse modo, 60,83% equivalem a aproximadamente 91,25 mg
de C9H8O4.

      Do valor declarado, 100 mg, encontramos 91,25 mg de ácido
acetilsalicílico, correspondendo a 91,25% dessa quantidade que foi informada.
Segundo a Farmacopeia Brasileira (2010, p. 569) comprimidos de ácido
acetilsalicílico devem conter, no mínimo, 95,0% e, no máximo, 105,0% da
quantidade declarada de C9H8O4.

Recomendados

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃOEzequias Guimaraes
 
Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4
Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4
Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4Ivys Antônio
 
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo II
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo IIRelatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo II
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo IIErica Souza
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de químicaADSONTORREZANE
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICARELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICAEzequias Guimaraes
 
Relatório - Volumetria de Precipitação
Relatório - Volumetria de PrecipitaçãoRelatório - Volumetria de Precipitação
Relatório - Volumetria de PrecipitaçãoDhion Meyg Fernandes
 
Relatorio 3 leite de magnésia
Relatorio 3  leite de magnésiaRelatorio 3  leite de magnésia
Relatorio 3 leite de magnésiaDianna Grandal
 
Relatório prática 1 volumetria de neutralização
Relatório prática 1 volumetria de neutralizaçãoRelatório prática 1 volumetria de neutralização
Relatório prática 1 volumetria de neutralizaçãoAna Morais Nascimento
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Padronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOHPadronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOHRodrigo Henrique
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDOEzequias Guimaraes
 
Relatório de Cromatografia
Relatório de CromatografiaRelatório de Cromatografia
Relatório de CromatografiaMario Monteiro
 
Relatório de Refratometria
Relatório de RefratometriaRelatório de Refratometria
Relatório de RefratometriaRailane Freitas
 
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.Dhion Meyg Fernandes
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕESJessica Amaral
 
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do VinagreRelatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do VinagreDhion Meyg Fernandes
 
Apostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirreduçãoApostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirreduçãoGraziela Leal
 
Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8Karen Pirovano
 
Determinação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTADeterminação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTAAdrianne Mendonça
 
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidosLéo Morais
 
Relatório precipitação das proteínas
Relatório precipitação das proteínasRelatório precipitação das proteínas
Relatório precipitação das proteínasIlana Moura
 
Relatorio - uv vis - Métodos Instrumentais
Relatorio - uv vis -  Métodos Instrumentais Relatorio - uv vis -  Métodos Instrumentais
Relatorio - uv vis - Métodos Instrumentais Juliana Teófilo
 
Precisão e Exatidão de Vidrarias
Precisão e Exatidão de VidrariasPrecisão e Exatidão de Vidrarias
Precisão e Exatidão de Vidrariasweberab
 

Mais procurados (20)

Padronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOHPadronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOH
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 
Relatório de Cromatografia
Relatório de CromatografiaRelatório de Cromatografia
Relatório de Cromatografia
 
Relatório de Refratometria
Relatório de RefratometriaRelatório de Refratometria
Relatório de Refratometria
 
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
 
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do VinagreRelatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
 
Potenciometria
PotenciometriaPotenciometria
Potenciometria
 
Teste de Chama
Teste de ChamaTeste de Chama
Teste de Chama
 
Relatório ii calor de neutralização
Relatório ii calor de neutralizaçãoRelatório ii calor de neutralização
Relatório ii calor de neutralização
 
Apostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirreduçãoApostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirredução
 
Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8
 
Ácidos e Bases
Ácidos e BasesÁcidos e Bases
Ácidos e Bases
 
Determinação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTADeterminação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTA
 
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
 
Relatório precipitação das proteínas
Relatório precipitação das proteínasRelatório precipitação das proteínas
Relatório precipitação das proteínas
 
Relatorio 5
Relatorio 5Relatorio 5
Relatorio 5
 
Relatorio - uv vis - Métodos Instrumentais
Relatorio - uv vis -  Métodos Instrumentais Relatorio - uv vis -  Métodos Instrumentais
Relatorio - uv vis - Métodos Instrumentais
 
Precisão e Exatidão de Vidrarias
Precisão e Exatidão de VidrariasPrecisão e Exatidão de Vidrarias
Precisão e Exatidão de Vidrarias
 
Aula métodos de identificação
Aula  métodos de identificaçãoAula  métodos de identificação
Aula métodos de identificação
 

Destaque

Determinação de salicilato em aspirina
Determinação de salicilato em aspirinaDeterminação de salicilato em aspirina
Determinação de salicilato em aspirinaJosii Carvalho
 
Aula controle de qualidade 1 copia (1)
Aula controle de qualidade 1   copia (1)Aula controle de qualidade 1   copia (1)
Aula controle de qualidade 1 copia (1)Nemésio Carlos Silva
 
Texto nº 3 Volumetria de Neutralização
Texto nº 3   Volumetria de NeutralizaçãoTexto nº 3   Volumetria de Neutralização
Texto nº 3 Volumetria de NeutralizaçãoMarta Pinheiro
 
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007Adriana Quevedo
 
Métodos quantitativos e_qualitativos1
Métodos quantitativos e_qualitativos1Métodos quantitativos e_qualitativos1
Métodos quantitativos e_qualitativos1queenbianca
 
www.exerciciosresolvidosde.com.br - Química - Exercícios Resolvidos Proprieda...
www.exerciciosresolvidosde.com.br - Química - Exercícios Resolvidos Proprieda...www.exerciciosresolvidosde.com.br - Química - Exercícios Resolvidos Proprieda...
www.exerciciosresolvidosde.com.br - Química - Exercícios Resolvidos Proprieda...Joana Figueredo
 
RELATÓRIO DO LABORATÓRIO
RELATÓRIO DO LABORATÓRIORELATÓRIO DO LABORATÓRIO
RELATÓRIO DO LABORATÓRIOJonasblog
 
Controle de qualidade de matérias primas e produto acabado
Controle de qualidade de matérias primas e produto acabadoControle de qualidade de matérias primas e produto acabado
Controle de qualidade de matérias primas e produto acabadoVanessa Rodrigues
 
FARMACOLOGIA APLICADA - TOMO II - REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSAÇÃO
FARMACOLOGIA APLICADA - TOMO II - REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSAÇÃOFARMACOLOGIA APLICADA - TOMO II - REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSAÇÃO
FARMACOLOGIA APLICADA - TOMO II - REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSAÇÃOcecu2016
 
AAS na prevenção de doenças
AAS na prevenção de doençasAAS na prevenção de doenças
AAS na prevenção de doençasCarol Reis
 
Experimento 5 Relações estequiométricas
Experimento 5  Relações estequiométricasExperimento 5  Relações estequiométricas
Experimento 5 Relações estequiométricasSilvanildo Macário
 
Titulação potenciométrica
Titulação potenciométricaTitulação potenciométrica
Titulação potenciométricaInstituto Monitor
 
Análise gravimétrica
Análise gravimétricaAnálise gravimétrica
Análise gravimétricaMaria Teixiera
 
Cap 01 química medicinal-barreiro
Cap 01 química medicinal-barreiroCap 01 química medicinal-barreiro
Cap 01 química medicinal-barreirorfjacob
 
Farmacopéia brasileira 5 edição volume1
Farmacopéia brasileira 5 edição volume1Farmacopéia brasileira 5 edição volume1
Farmacopéia brasileira 5 edição volume1Fernanda Cabral
 
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscinaRelatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscinaarceariane87
 

Destaque (20)

Coeficiente partição (4)
Coeficiente partição (4)Coeficiente partição (4)
Coeficiente partição (4)
 
Determinação de salicilato em aspirina
Determinação de salicilato em aspirinaDeterminação de salicilato em aspirina
Determinação de salicilato em aspirina
 
Aula controle de qualidade 1 copia (1)
Aula controle de qualidade 1   copia (1)Aula controle de qualidade 1   copia (1)
Aula controle de qualidade 1 copia (1)
 
Texto nº 3 Volumetria de Neutralização
Texto nº 3   Volumetria de NeutralizaçãoTexto nº 3   Volumetria de Neutralização
Texto nº 3 Volumetria de Neutralização
 
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
 
Métodos quantitativos e_qualitativos1
Métodos quantitativos e_qualitativos1Métodos quantitativos e_qualitativos1
Métodos quantitativos e_qualitativos1
 
www.exerciciosresolvidosde.com.br - Química - Exercícios Resolvidos Proprieda...
www.exerciciosresolvidosde.com.br - Química - Exercícios Resolvidos Proprieda...www.exerciciosresolvidosde.com.br - Química - Exercícios Resolvidos Proprieda...
www.exerciciosresolvidosde.com.br - Química - Exercícios Resolvidos Proprieda...
 
RELATÓRIO DO LABORATÓRIO
RELATÓRIO DO LABORATÓRIORELATÓRIO DO LABORATÓRIO
RELATÓRIO DO LABORATÓRIO
 
Controle de qualidade de matérias primas e produto acabado
Controle de qualidade de matérias primas e produto acabadoControle de qualidade de matérias primas e produto acabado
Controle de qualidade de matérias primas e produto acabado
 
FARMACOLOGIA APLICADA - TOMO II - REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSAÇÃO
FARMACOLOGIA APLICADA - TOMO II - REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSAÇÃOFARMACOLOGIA APLICADA - TOMO II - REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSAÇÃO
FARMACOLOGIA APLICADA - TOMO II - REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSAÇÃO
 
Fases e componentes
Fases e componentesFases e componentes
Fases e componentes
 
AAS na prevenção de doenças
AAS na prevenção de doençasAAS na prevenção de doenças
AAS na prevenção de doenças
 
Experimento 5 Relações estequiométricas
Experimento 5  Relações estequiométricasExperimento 5  Relações estequiométricas
Experimento 5 Relações estequiométricas
 
Titulação potenciométrica
Titulação potenciométricaTitulação potenciométrica
Titulação potenciométrica
 
Hidrólise Ácida do Amido
Hidrólise Ácida do AmidoHidrólise Ácida do Amido
Hidrólise Ácida do Amido
 
Análise gravimétrica
Análise gravimétricaAnálise gravimétrica
Análise gravimétrica
 
Cap 01 química medicinal-barreiro
Cap 01 química medicinal-barreiroCap 01 química medicinal-barreiro
Cap 01 química medicinal-barreiro
 
Farmacopéia brasileira 5 edição volume1
Farmacopéia brasileira 5 edição volume1Farmacopéia brasileira 5 edição volume1
Farmacopéia brasileira 5 edição volume1
 
QUÍMICA ANALÍTICA QUANTITATIVA
QUÍMICA ANALÍTICA QUANTITATIVAQUÍMICA ANALÍTICA QUANTITATIVA
QUÍMICA ANALÍTICA QUANTITATIVA
 
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscinaRelatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
 

Semelhante a Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2

Aula 2_ QAN_Solucoes_diluicao_20162.ppt
Aula 2_ QAN_Solucoes_diluicao_20162.pptAula 2_ QAN_Solucoes_diluicao_20162.ppt
Aula 2_ QAN_Solucoes_diluicao_20162.pptMarcoReisBrugnerotto
 
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdfRELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdfIarllaSoares
 
Titulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaTitulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaPriscila Siqueira
 
Titulometria ou volumetria de neutralização
Titulometria ou volumetria de neutralizaçãoTitulometria ou volumetria de neutralização
Titulometria ou volumetria de neutralizaçãoClaudiney C. Rodrigues
 
Lista 4 titulacao_tq
Lista 4 titulacao_tqLista 4 titulacao_tq
Lista 4 titulacao_tqDebora Alvim
 
Resolução comentada de exercícios de química analítica.docx
Resolução comentada de exercícios de química analítica.docxResolução comentada de exercícios de química analítica.docx
Resolução comentada de exercícios de química analítica.docxRômulo Alexandrino Silva
 
434426216-VOLUMETRIA-DE-NEUTRALIZACAO.docx
434426216-VOLUMETRIA-DE-NEUTRALIZACAO.docx434426216-VOLUMETRIA-DE-NEUTRALIZACAO.docx
434426216-VOLUMETRIA-DE-NEUTRALIZACAO.docxGrazianePortela2
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de químicathayrinnem
 
Carac. físico-quimica de óleos vegetais
Carac. físico-quimica de óleos vegetaisCarac. físico-quimica de óleos vegetais
Carac. físico-quimica de óleos vegetaisÁdina Santana
 
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018Clebson Ramos
 
Relatório sintese de salicilato de metila
Relatório sintese de salicilato de metilaRelatório sintese de salicilato de metila
Relatório sintese de salicilato de metilaDouglas Pul
 
Padronização naoh e h cl
Padronização naoh e h clPadronização naoh e h cl
Padronização naoh e h clLeandra Alencar
 

Semelhante a Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2 (20)

Resultados titulação
Resultados titulaçãoResultados titulação
Resultados titulação
 
Laura quimica 1
Laura   quimica 1Laura   quimica 1
Laura quimica 1
 
Relatório exp. 01
Relatório exp. 01Relatório exp. 01
Relatório exp. 01
 
Aula 2_ QAN_Solucoes_diluicao_20162.ppt
Aula 2_ QAN_Solucoes_diluicao_20162.pptAula 2_ QAN_Solucoes_diluicao_20162.ppt
Aula 2_ QAN_Solucoes_diluicao_20162.ppt
 
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdfRELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
 
Titulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaTitulação Potenciométrica
Titulação Potenciométrica
 
Titulometria ou volumetria de neutralização
Titulometria ou volumetria de neutralizaçãoTitulometria ou volumetria de neutralização
Titulometria ou volumetria de neutralização
 
RESULTADO FINAL.docx
RESULTADO FINAL.docxRESULTADO FINAL.docx
RESULTADO FINAL.docx
 
Lista 4 titulacao_tq
Lista 4 titulacao_tqLista 4 titulacao_tq
Lista 4 titulacao_tq
 
Titulação 2014
Titulação 2014Titulação 2014
Titulação 2014
 
Química analítica
Química analíticaQuímica analítica
Química analítica
 
Gama módulo 26
Gama   módulo 26Gama   módulo 26
Gama módulo 26
 
Resolução comentada de exercícios de química analítica.docx
Resolução comentada de exercícios de química analítica.docxResolução comentada de exercícios de química analítica.docx
Resolução comentada de exercícios de química analítica.docx
 
Prática 01
Prática 01Prática 01
Prática 01
 
434426216-VOLUMETRIA-DE-NEUTRALIZACAO.docx
434426216-VOLUMETRIA-DE-NEUTRALIZACAO.docx434426216-VOLUMETRIA-DE-NEUTRALIZACAO.docx
434426216-VOLUMETRIA-DE-NEUTRALIZACAO.docx
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de química
 
Carac. físico-quimica de óleos vegetais
Carac. físico-quimica de óleos vegetaisCarac. físico-quimica de óleos vegetais
Carac. físico-quimica de óleos vegetais
 
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
 
Relatório sintese de salicilato de metila
Relatório sintese de salicilato de metilaRelatório sintese de salicilato de metila
Relatório sintese de salicilato de metila
 
Padronização naoh e h cl
Padronização naoh e h clPadronização naoh e h cl
Padronização naoh e h cl
 

Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2

  • 1. Relatório nº 03 Análise volumétrica - Volumetria de neutralização. Jenifer Rigo Almeida Vitória, 20 de fevereiro de 2013 2° Semestre/2012
  • 2. 2 1. INTRODUÇÃO O ácido acetilsalicílico de fórmula C8O2H7COOH ou C9H8O4 e estrutura representada na figura abaixo: Figura 1 – Estrutura do Ácido acetilsalicílico [1] É uma substância orgânica muito comum utilizada na indústria farmacêutica para a produção de medicamentos que possuem ação antitérmica, no abaixamento de febres; analgésica, no alívio de dores; e [2] antiinflamatória, no tratamento de inflamações. Encontrado na forma de comprimidos, os mais comuns são denominados de Aspirina ou AAS, pode ter seu teor determinado por volumetria de neutralização, ou seja, através da titulação com uma solução hidróxido de sódio previamente padronizada. A reação de neutralização que ocorre é a seguinte: A figura em seguida ilustra o hidrogênio ionizável do ácido que é liberado na reação: Figura 2 − Fórmula estrutural do ácido acetilsalicílico mostrando o hidrogênio ionizável. [3]
  • 3. 3 Na reação é usada uma mistura hidroalcoólica, representada por (alc/aq) devido à solubilidade deste ácido que é pouco solúvel em água e muito solúvel em etanol, como também solúvel em éter etílico. [1] Outra substância química também muito aplicada em fins medicamentosos é o hidróxido de magnésio presente na composição do leite de magnésia; indicado por possuir funções laxativas, no tratamento de prisão de ventre crônica ou outros tipos de constipações intestinais, além disso, é [4] eficaz como antiácido e também usado no caso de azia e gastrites. O hidróxido de magnésio em contato com o estômago reage com o ácido clorídrico do suco gástrico formando cloreto de magnésio (MgCl 2) que é uma [1] substância higroscópica , sendo assim, ele fará com que a umidade da água presente no organismo seja absorvida lubrificando o intestino. Para esta substância também é aplicada análise volumétrica de neutralização, entretanto emprega-se o método da titulação de retorno, isto é, uma titulação indireta que consiste em adicionar um excesso conhecido da solução padrão ao analito para depois determinar a parte desse excesso que não reagiu com outra solução padrão, devido ao fato de o leite de magnésia ser [5] uma suspensão caracterizada por ser pouco solúvel em água. 2. PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS 2.1. Dosagem de ácido acetilsalicílico em comprimidos analgésicos Pesou-se a massa do comprimido e colocou-se em um erlenmeyer de 250 mL, em seguida foram adicionados 20,00 mL de água destilada e então agitou-se até completa dissolução do comprimido. Por fim acrescentou-se 20,00 mL de etanol e 3 gotas de fenolftaleína para realização da titulação com solução de NaOH padronizada. Fez-se triplicata. 2.2. Dosagem de hidróxido de magnésio no leite de magnésia Pesou-se aproximadamente 1,0 g de leite de magnésia em um erlenmeyer de 250 mL, em seguida adicionou-se 50,00 mL de solução de HCl
  • 4. 4 padrão, 3 gotas de fenolftaleína e executou-se a titulação com a solução de NaOH que foi padronizada em triplicata. 3. RESULTADOS E DISCUSSÕES 3.1. Dosagem de ácido acetilsalicílico em comprimidos de analgésico Os dados obtidos durante o experimento estão representados na Tabela 1 em seguida. Foram mensurados 3 comprimidos de 100 mg de ácido em cada. Tabela 1 Dados obtidos no experimento Volume de NaOH gasto na Titulação Massa pesada de aspirina titulação 1ª dosagem 0,5047 g 10,90 mL 2ª dosagem 0,5039 g 11,15 mL 3ª dosagem 0,5125 g 11,10 mL - Concentração de NaOH (padronizado) = 0,1548 mol.L-1 - Massa molar de ácido acetilsalicílico = 180 g.mol-1 a) Cálculos para dosagem de ácido acetilsalicílico: A adição de etanol foi necessária, pois o comprimido de ácido acetilsalicílico não é totalmente solúvel em água. Ocorreu a seguinte reação [3]:
  • 5. 5 (i) Calculando-se a quantidade de matéria do NaOH (Tabela 2): Tabela 2 Cálculo da quantidade de matéria de NaOH usada na titulação Volume de NaOH Concentração Titulação gasto na Número de mol de NaOH de NaOH titulação 1ª dosagem 10,90 mL 0,1548 mol.L-1 nNaOH 1 = 1,69 x 10-3 mol 2ª dosagem 11,15 mL 0,1548 mol.L-1 nNaOH 2 = 1,73 x 10-3 mol 3ª dosagem 11,10 mL 0,1548 mol.L-1 nNaOH 3 = 1,72 x 10-3 mol Da proporção estequiométrica de 1:1 entre aspirina e NaOH, temos que, o número de mol de aspirina é igual ao de hidróxido de sódio (Tabela 3): Tabela 3 Cálculo da quantidade de matéria de aspirina Titulação Número de mol de NaOH Número de mol de aspirina 1ª dosagem nNaOH 1 = 1,69 x 10-3 mol naspirina = 1,69 x 10-3 mol 2ª dosagem nNaOH 2 = 1,73 x 10-3 mol naspirina = 1,73 x 10-3 mol 3ª dosagem nNaOH 3 = 1,72 x 10-3 mol naspirina = 1,72 x 10-3 mol (ii) A partir da massa molar do ácido acetilsalicílico (180 g.mol-1), encontra-se a massa de AAS: Tabela 4 Cálculo das massas de ácido acetilsalicílico envolvidas. Massa de ácido Titulação acetilsalicílico 1ª dosagem 0,3042 g 2ª dosagem 0,3114 g 3ª dosagem 0,3096 g
  • 6. 6 (iii) Dos valores explicitados na Tabela 6, calcula-se o teor de ácido acetilsalicílico nos comprimidos em relação à massa inicial: Tabela 5 – Teor de ácido acetilsalicílico Massa de AAS Massa de AAS Titulação Teor de AAS teórica pesada 1ª dosagem 0,3042 g 0,5047 g 60,27343 % (m/m) 2ª dosagem 0,3114 g 0,5039 g 61,79798 % (m/m) 3ª dosagem 0,3096 g 0,5125 g 60,40976 % (m/m) Logo, o teor médio será: O fabricante declara que em cada comprimido do medicamento do total de 150 mg, considerando corantes e outros componentes, há 100 mg de ácido acetilsalicílico; desse modo, 60,83% equivalem a aproximadamente 91,25 mg de C9H8O4. Do valor declarado, 100 mg, encontramos 91,25 mg de ácido acetilsalicílico, correspondendo a 91,25% dessa quantidade que foi informada. Segundo a Farmacopeia Brasileira (2010, p. 569) comprimidos de ácido acetilsalicílico devem conter, no mínimo, 95,0% e, no máximo, 105,0% da quantidade declarada de C9H8O4.
  • 7. 7 3.2. Dosagem de hidróxido de magnésio no leite de magnésia Os dados obtidos durante o experimento estão representados na Tabela 1 em seguida. Tabela 6 Dados obtidos no experimento Massa pesada de leite de Volume de NaOH gasto na Titulação magnésia titulação 1ª dosagem 1,0559 g 5,80 mL 2ª dosagem 1,0748 g 5,60 mL 3ª dosagem 1,0310 g 6,00 mL - Concentração de NaOH (padronizado) = 0,1548 mol.L-1 - Concentração de HCl (padronizado) = 0,0937mol.L-1 - Massa molar de Mg(OH)2 = 58 g.mol-1 Inicialmente, ao adicionar 50 mL de HCl ao leite de magnésia (Mg(OH)2) podemos encontrar então o número de mols inicial total de ácido: n=cxv nHCl inicial = (0,0937mol.L-1) x (50 x 10-3 L) nHCl inicial = 4,68 x 10-3 mol Este valor simboliza a quantidade de matéria total de ácido clorídrico. Entretanto, devemos considerar que o ácido foi adicionado está em excesso e encontrar a quantidade de HCl que reagiu com o hidróxido de magnésio. Da proporção estequiométrica da reação ocorrida de acordo com a equação abaixo, encontramos a quantidade de matéria de NaOH utilizada na titulação do HCl:
  • 8. 8 Seja 1 mol NaOH : 1 mol HCl, portanto: nNaOH = cNaOH x vNaOH nNaOH = nHCl Na Tabela 2 estão os valores calculados: Tabela 7 Cálculo da quantidade de matéria de HCl usado na titulação Volume de NaOH Concentração Número de mol de HCl Titulação gasto na de NaOH usado na titulação titulação 1ª dosagem 5,80 mL 0,1548 mol.L-1 nHCl 1 = 8,99 x 10-4 mol 2ª dosagem 5,60 mL 0,1548 mol.L-1 nHCl 2 = 8,67 x 10-4 mol 3ª dosagem 6,00 mL 0,1548 mol.L-1 nHCl 3 = 9,29 x 10-4 mol Uma vez que se trata de uma titulação de retorno, sabe-se que o número de mols de HCl que efetivamente reagiu é a diferença entre o número de mols inicial total de HCl e o número de mols de HCl que foi titulado com NaOH após a reação com o hidróxido de magnésio. Calculando-se esta diferença e representando na Tabela 3 abaixo, temos: Tabela 8 – Cálculo da quantidade de matéria de HCl que reagiu Número de mol inicial Número de mol de HCl Número de mol de Titulação total de HCl usado na titulação HCl que reagiu 1ª dosagem nHCl inicial = 4,68 x 10-3 mol nHCl 1 = 8,99 x 10-4 mol nHCl = 3,78 x 10-3 mol 2ª dosagem nHCl inicial = 4,68 x 10-3 mol nHCl 2 = 8,67 x 10-4 mol nHCl = 3,81 x 10-3 mol 3ª dosagem nHCl inicial = 4,68 x 10-3 mol nHCl 3 = 9,29 x 10-4 mol nHCl = 3,75 x 10-3 mol Relacionando o HCl ao Mg(OH)2, sabendo que ocorreu a reação abaixo:
  • 9. 9 Temos que, pela proporção estequiométrica de 1:2, o número de mols de hidróxido de magnésio será a metade do número de mols de HCl (Tabela 4): Tabela 9 - Cálculo do número de mol de Mg(OH)2 Número de mol de HCl Número de mol de Titulação que reagiu Mg(OH)2 1ª dosagem nHCl = 3,78 x 10-3 mol n1 = 1,89 x 10-3 mol 2ª dosagem nHCl = 3,81 x 10-3 mol n2 = 1,90 x 10-3 mol 3ª dosagem nHCl = 3,75 x 10-3 mol n3 = 1,87 x 10-3 mol Em seguida, calculando-se a massa de Mg(OH)2 através da sua massa molar (58 g.mol-1), teremos os valores representados na Tabela 5: Tabela 5 Calculo das massas de Mg(OH)2 envolvidas Titulação Massa de Mg(OH)2 1ª dosagem m1 = 0,1096 g 2ª dosagem m2 = 0,1102 g 3ª dosagem m3 = 0,1085 g Por fim, calculando o seu teor pela seguinte equação: A Tabela 6 representa os teores encontrados: Tabela 10 – Teor de hidróxido de magnésio Massa de Mg(OH)2 Massa de Mg(OH)2 Titulação Teor de Mg(OH)2 teórica pesada 1ª dosagem m1 = 0,1096 g 1,0559 g 10,38 % 2ª dosagem m2 = 0,1102 g 1,0748 g 10,25 % 3ª dosagem m3 = 0,1085 g 1,0310 g 10,52 %
  • 10. 10 Logo, o teor médio será: O rótulo indicava a dosagem de 8,6 ± 0,2 % (m/m). De acordo com a Farmacopeia Brasileira, uma amostra de leite de magnésia deve conter 8% (m/m) de hidróxido de magnésio. [6] 4. CONCLUSÃO Por via de análises de volumetria de neutralização, substâncias químicas podem ser dosadas e seu teor determinado. A partir dos cálculos realizados tem-se que o teor médio de ácido acetilsalicílico encontrado no comprimido de aspirina em questão está um pouco abaixo dos limites admitidos pela Farmacopeia Brasileira, podendo afetar a sua função como medicamento. Em contrapartida, a porcentagem de hidróxido de magnésio no leite de magnésia mostrou-se um pouco elevada. A esta observação o se atribui o fato de a quantidade de matéria de ácido que reagiu na titulação foi pequena, da ordem de 10-4, se comparada com o número de mols totais do início, da ordem de 10-3. Também se associa erros sistemáticos e aleatórios eventuais que podem ocorrer em qualquer experimento, bem como a qualidade do reagente.
  • 11. 11 5. REFERÊNCIAS [1] − FARMACOPEIA Brasileira. Brasília: Agência Nacional de Vigilância Sanitária, 2010. 5 ed. 1 vol. p. 446. 2 vol. p. 19, 569. [2] – CENTRALX Bulas. Bulário de medicamentos. AAS. Disponível em: < http://www.bulas.med.br/bula/5603/aas.htm>. Acesso em: 08 fev. 2013. [3] − Teor de ácido acetilsalicílico em comprimidos. Centro de Divulgação Científica e Cultural. Universidade de São Paulo. Disponível em: < http://www.cdcc.sc.usp.br/quimica/experimentos/aas.html >. Acesso em 11 de fev. 2012. [4] − CENTRALX Bulas. Bulário de medicamentos. Leite de magnésia de Phillips. Disponível em: < http://www.bulas.med.br/bula/2968/ leite+de+magnesia+de+phillips.htm>. Acesso em: 08 fev. 2013. [5] – SILVA, Lilian Lúcia Rocha e. Introdução à volumetria. Universidade Federal de Juiz de Fora. Minas Gerais. Disponível em: < http://www.ufjf.br/baccan/files/2011/05/Aula-2_-Introdu%C3%A7%C3%A3o-a- volumetria_2012.pdf >. Acesso em 10 fev. 2013. [6] – Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública nº 8, de 31 de janeiro de 2006. p. 13. Disponível em: <http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/CP/CP%5B16127-1-0%5D.PDF>. Acesso em: 08 fev. 2013.