SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
O Processo de Comunicação
A linguagem é um
conceito mais amplo
e mais complexo, que
se refere às formas
de expressão que
utilizamos para nos
comunicar. Está
presente no processo
de comunicação que
nos acompanha
desde que
aprendemos a falar, a
nos comunicarmos
em ambiente familiar
Desde então, usamos
elementos para transmitir
e receber mensagens de
forma eficaz. Neste
módulo serão abordados
os elementos linguísticos
básicos, as variações da
linguagem e os tipos de
níveis de linguagem para
que possa usá-la de
maneira eficaz em sua
comunicação, seja ela de
forma social, familiar ou
profissional
Dominar esses
conceitos auxiliará no
seu desempenho
profissional e, quanto
mais você souber a
respeito da linguagem e
do modo como ela
funciona, mais seguro
você estará em
qualquer situação em
que argumentar ou
ouvir argumentos for
fundamental
O Sistema de Comunicação
Numa situação de comunicação sempre temos
o objetivo de transmitir uma mensagem e,
mesmo parecendo simples, esse processo é
composto por diversos elementos
Comunicar envolve uma dinâmica
que não pode dispensar as
unidades que englobam o
processo e que, dissociadas,
constituem os elementos mais
importantes na comunicação
Analise a figura ao lado, a
qual apresenta os
elementos que compõem o
Processo de Comunicação
Observe que, ao centro da figura, temos a mensagem que é o
ponto principal desse sistema, pois é o objetivo de toda forma
de comunicação
Quando lemos uma notícia em um site, por
exemplo, estamos nos apropriando de uma
mensagem (a notícia) que o emissor (repórter)
deseja transmitir a um receptor (nós), usando a
internet como canal de comunicação
Agora vamos analisar cada um dos
elementos que compõem o Sistema de
Comunicação:
Mensagem: é a informação
transmitida pelo emissor ao
receptor. É o objeto da
comunicação, o seu conteúdo. É
um conjunto organizado de sinais
(ou signos) que pertencem ou
não a um código linguístico.
Exemplo: a música, a dança, o
texto etc.
Emissor: é quem transmite a
mensagem ao receptor
Receptor: é quem recebe, decodifica e interpreta a
mensagem enviada pelo emissor. Numa conversa, o
interlocutor é o receptor, aquele que interage com o
locutor (emissor). Ambos podem ser representados
por uma pessoa, um grupo de pessoas, uma
instituição etc.
Código: é o conjunto de sinais ou signos,
linguísticos ou não, comuns ao emissor e ao
receptor. A Língua Portuguesa é o código que
será usado para que pessoas possam se
comunicar no território brasileiro
Canal de comunicação:
é a via, o meio (oral,
escrito, visual ou
corporal) pelo qual a
mensagem é transmitida,
servindo de suporte físico
à transmissão. É o que
permite a comunicação
entre emissor e receptor
Contexto: é o ambiente que envolve toda a situação
comunicacional, incluindo as circunstâncias de espaço e
de tempo
Observe que o contexto moldará o comportamento
comunicacional dos envolvidos nesse processo. Imaginemos uma
situação de apresentação de um espetáculo, onde você e um
amigo tentam conversar. Porém, o som é tão alto que um não
consegue entender o que o outro fala
O processo de comunicação é assim. Se um dos fatores que envolvem o
sistema de comunicação falha, a comunicação irá falhar
O Sistema de Comunicação é baseado em diferentes modelos:
1) Modelo Mecanicista: entende o processo como
não humano, pois de um lado há uma fonte e, do
outro, um destino. A fonte transmite um sinal que
deve ser captado pelo receptor, ou seja, deve ser
compreendido pelo receptor da mensagem
Observe o exemplo de um outdoor
veiculado por uma empresa fantasia e, para
que essa mensagem seja compreendida
pelo receptor, ele deverá considerar:
A) A propaganda
foi veiculada por
uma empresa de
marketing
B) Essa empresa
ganhou um prêmio em
um festival e que esse
prêmio leva o nome de
Galo de Prata
Só assim o receptor poderá
compreender a frase “Ganhamos
um Galo”
2) O Modelo Circular considera um processo de 2 vias, em
que emissor e receptor trocam de posição o tempo todo
Isso é o que podemos observar na apresentação de
um Espetáculo, onde você e um amigo tentam
conversar. Porém, o som é tão alto que um não
consegue entender o que o outro fala
Nessa situação a
interferência que
compromete a
compreensão é o som alto.
Dessa forma, quando uma
mensagem não chega a seu
receptor de maneira clara,
tem-se o que chamamos de
ruído, que nada mais é do
que uma interferência no
processo de transmissão
dessa mensagem
3) O Modelo Psicológico considera os fatores que
interagem no processo junto às pessoas, de modo que a
decodificação das mensagens dependerá, também, da
interpretação de fatores íntimos
Numa situação em que uma pessoa fala “fogo”, se há tranquilidade
em sua voz, podemos entender que ela está sinalizando que deseja
acender algo (lareira ou um fogão)
No entanto, se sua voz apresentar indícios de
nervosismo ou pânico, nossa compreensão será de que
algo está pegando fogo (uma casa, por exemplo)
4) Modelo Sociológico: o grupo social do qual o
indivíduo faz parte desempenha um papel
fundamental no processo, pois define os códigos e
símbolos necessários para a interpretação. Exemplo:
em comunidades indígenas (ou ribeirinhas), as quais
possuem uma linguagem própria de comunicação
5) Modelo
Antropológico:
Entende a
comunicação
como o fator que
estrutura todos
os componentes
da cultura de
uma sociedade
específica
Neste caso, podemos pensar em formas de
comunicação em tempos passados, como durante a
2ª Guerra, em que as pessoas tinham conhecimento
dos acontecimentos por meio do rádio
6) Modelo Sistêmico: Analisa a condição
contextual que envolve uma mensagem,
interessando-se pelos objetivos e pelos resultados
obtidos no processo comunicacional. Exemplo: o
relato sobre uma viagem, por exemplo
Linguagem Verbal: Utiliza como meios a escrita
e a oralidade para se comunicar. São 2 situações
que carregam diferenças entre si, pois enquanto a
fala é mais autônoma, a escrita exige um grau
maior de elaboração
O grau de instrução
de uma pessoa, seu
posicionamento
social, sua condição
profissional e o lugar
onde determinarão o
nível de linguagem
utilizado,
considerando-se
também os diferentes
contextos de
exigência
Numa reunião familiar, por exemplo, um juiz não
utilizará a mesma linguagem usada em um tribunal,
quando está julgando casos jurídicos
Linguagem Não Verbal: Imagine que você está
dirigindo no trânsito e, ao se deparar com um
semáforo com luz amarela, o que você fará?
Logicamente diminuirá a velocidade e em seguida,
parar o veículo. Isso porque a luz amarela é
indicativa de “atenção” para o que virá em seguida:
a luz vermelha indicativa de “pare”
Funções da Linguagem
O ser humano é comunicativo por natureza e só ele é
capaz de se comunicar com outro ser humano, embora
várias pesquisas apontem que alguns animais teriam
essa capacidade
Enquanto não houver provas disso, a comunicação
será responsável pelas relações que são construídas
entre os homens
Função Referencial (ou Denotativa
ou Cognitiva): Com foco no
referente; ou seja, no assunto
abordado na mensagem. Essa
função apresenta uma linguagem
direta e objetiva sobre a realidade,
sendo usada em textos científicos
(teses, dissertações, TCCs,
artigos), jornalísticos (notícias,
reportagens, entrevistas) ou
outros que exponham conceitos
Função Emotiva (ou Expressiva): Caracteriza-
se pelo uso de interjeições e pontuações,
como reticências e exclamações. É a
linguagem das declarações pessoais, das
memórias, das expressões de quem está
emitindo a mensagem. Exemplos: a) Ah, que
coisa boa! b) Tenho um pouco de medo...
Função Conativa (Apelativa): O objetivo principal de quem utiliza
essa função na comunicação é o de convencer ao receptor da
mensagem. Caracteriza-se pelo uso dos verbos no imperativo, do
vocativo e dos pronomes “tu” e “você”
Propagandas, discursos e sermões usam essa função para
tentar convencer o receptor sobre algo. Exemplo: “Você
não pode ficar fora dessa! Venha para o XV Festival de
Música Eletrônica da Praia do Mar Encantado”
Função Fática (ou
Interativa): Observe
a letra da música
“Sinal Fechado, de
Paulinho da Viola: “–
Olá! Como vai? –Eu
vou indo. E você, tudo
bem? –Tudo bem! Eu
vou indo, correndo
pegar meu lugar no
futuro… E você?”
Ela traz uma
linguagem que utiliza
a função fática,
centrada no canal de
comunicação em si;
ou seja, busca
estabelecer o
contato psicológico
entre os
interlocutores
Seu objetivo não é transmitir
informação e sim manter a
sociabilidade. Note que no
diálogo da letra da canção não
há assunto objetivo, somente
a cortesia entre duas pessoas
que em algum momento foram
muito próximas e que
acabaram de se encontrar
Função Metalinguística: É a
linguagem explicada pela
própria linguagem. Quando o
poeta usa seu poema para
explicar o ato de escrever um
poema, ele está utilizando a
função metalinguística. Outro
exemplo são os dicionários, que
usam as palavras para explicar
o sentido delas mesmas
Função Poética: Essa
função da linguagem está
centrada na própria
mensagem, colocando em
evidência os próprios
signos. Aparece em textos
cuja mensagem possui
algo de especial, algo que
vai além da transmissão
de uma informação
Exemplo: “Por muito
tempo achei que a
ausência é falta. E
lastimava, ignorante,
a falta. Hoje não a
lastimo. Não há falta
na ausência. A
ausência é um estar
em mim”
O poema de Drummond (A
Ausência) trata apenas de
alguém divagando sobre a
falta que certa pessoa lhe faz,
porém, a escolha das palavras,
a sonoridade e a disposição do
texto dão um sentido especial
à linguagem quando
empregada desse modo
OBSERVAÇÃO:
Na Função
Poética, é comum
os jogos de
linguagem, por
isso mesmo essa
função pode ser
encontrada
também em
linguagens
publicitárias
Variação Linguística: Língua é a linguagem
oral, escrita e sinalizada, utilizada por um grupo
de indivíduos que constituem uma comunidade.
Ela é construída pelo homem, em um contexto
histórico, geográfico, social e de acordo com a
situação em que ele vive
Atente para o texto do anúncio ao lado, o qual está
escrito em Língua Portuguesa e foi veiculado no
Brasil
No entanto, usa palavras escritas
de forma diferente. Isso ocorre
porque ele foi veiculado numa
época em que essas palavras
eram grafadas dessa forma. A
essa variação denominamos de
Variação Histórica, ou seja,
aquela em que há diferença de
linguagem em função da época
de uso
Variação Geográfica: Diz respeito à região de uso da
língua. No Brasil são usadas linguagens que, por vezes,
causam estranheza aos usuários, como por exemplo,
mandioca, macaxeira e aipim que são designações da
mesma planta, denominadas de maneira diferente de
acordo com a região
Outro exemplo são as formas de
cumprimentar, ou de se despedir de alguém
Variação Social: A língua poderá sofrer variação
de classe ou de grupo social, também. Observe:
“Encaminhe o acusado ao ergástulo público”. A
linguagem jurídica é um exemplo de variação
social da linguagem. Outro exemplo são as gírias
usadas por determinados grupos, como os
surfistas, por exemplo
Variação Situacional: A comunicação
poderá ocorrer em situações diversas,
resultando em adequações de
vocabulário e de forma de uso da língua.
Numa festa com os amigos usaremos um
tipo de linguagem que não poderá ser
reproduzida em uma palestra ou
apresentação de trabalho em ambiente
acadêmico
A linguagem usada em
solenidades não será a mesma
usada durante um almoço em
família. É importante a atenção
a ser dada à variação
linguística, pois ela
determinará o uso adequado do
vocabulário para que a
comunicação se faça de modo
claro e compreensível

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicação
Carina Duarte
 
Importância da comunicação
Importância da comunicaçãoImportância da comunicação
Importância da comunicação
Omar Demetrio
 
gestão de comunicação
gestão de comunicaçãogestão de comunicação
gestão de comunicação
Sergio Padua
 
Comunicação Verbal e Não Verbal
Comunicação Verbal e Não VerbalComunicação Verbal e Não Verbal
Comunicação Verbal e Não Verbal
Andreza Oliveira
 

Mais procurados (20)

Barreiras à comunicacao
Barreiras à comunicacaoBarreiras à comunicacao
Barreiras à comunicacao
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicação
 
Comunicação interpessoal e comunicação assertiva
Comunicação interpessoal e comunicação assertivaComunicação interpessoal e comunicação assertiva
Comunicação interpessoal e comunicação assertiva
 
COMUNICACÃO VERBAL E NÃO VERBAL
COMUNICACÃO VERBAL E NÃO VERBALCOMUNICACÃO VERBAL E NÃO VERBAL
COMUNICACÃO VERBAL E NÃO VERBAL
 
Importância da comunicação
Importância da comunicaçãoImportância da comunicação
Importância da comunicação
 
gestão de comunicação
gestão de comunicaçãogestão de comunicação
gestão de comunicação
 
Comunicacao nas organizacoes
Comunicacao nas organizacoesComunicacao nas organizacoes
Comunicacao nas organizacoes
 
Processos de Comunicação
Processos de ComunicaçãoProcessos de Comunicação
Processos de Comunicação
 
Barreiras a comunicação
Barreiras a comunicaçãoBarreiras a comunicação
Barreiras a comunicação
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no Trabalho
 
português instrumental
  português instrumental  português instrumental
português instrumental
 
Processos de Comunicação
Processos de ComunicaçãoProcessos de Comunicação
Processos de Comunicação
 
Comunicação Verbal e Não Verbal
Comunicação Verbal e Não VerbalComunicação Verbal e Não Verbal
Comunicação Verbal e Não Verbal
 
Comunicação interpessoal
Comunicação interpessoalComunicação interpessoal
Comunicação interpessoal
 
Treinamento Comunicação e mentoring grupo i
Treinamento Comunicação e mentoring   grupo iTreinamento Comunicação e mentoring   grupo i
Treinamento Comunicação e mentoring grupo i
 
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalhoMelhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
 
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - Comunicação
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - ComunicaçãoCOMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - Comunicação
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - Comunicação
 

Semelhante a O Processo de Comunicação

Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
José Ferreira
 
Trabalho LPL
Trabalho LPLTrabalho LPL
Trabalho LPL
Taissccp
 
Elementos da comunicacao
Elementos da comunicacaoElementos da comunicacao
Elementos da comunicacao
Sandra Paula
 
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptxMódulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
ssuseredb017
 
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaPet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
MariaLusadeJesusRodo1
 
Pdf portugues
Pdf portuguesPdf portugues
Pdf portugues
EMSNEWS
 

Semelhante a O Processo de Comunicação (20)

Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
 
Trabalho LPL
Trabalho LPLTrabalho LPL
Trabalho LPL
 
Elementos da comunicacao
Elementos da comunicacaoElementos da comunicacao
Elementos da comunicacao
 
TP5- Unidades 17 e 18
TP5- Unidades 17  e  18TP5- Unidades 17  e  18
TP5- Unidades 17 e 18
 
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptxMódulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
ADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptx
ADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptxADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptx
ADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptx
 
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaPet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
 
Leitura e produção
Leitura e produçãoLeitura e produção
Leitura e produção
 
LINGUAGEM e COMUNICAÇÃO.pdf
LINGUAGEM e COMUNICAÇÃO.pdfLINGUAGEM e COMUNICAÇÃO.pdf
LINGUAGEM e COMUNICAÇÃO.pdf
 
Tp5
Tp5Tp5
Tp5
 
Apostila Português – UFBA 2017 – Nível médio - Amostra
Apostila Português – UFBA 2017 – Nível médio  -   AmostraApostila Português – UFBA 2017 – Nível médio  -   Amostra
Apostila Português – UFBA 2017 – Nível médio - Amostra
 
Apostila Português
Apostila PortuguêsApostila Português
Apostila Português
 
Pdf portugues
Pdf portuguesPdf portugues
Pdf portugues
 
Portugues lucas
Portugues lucasPortugues lucas
Portugues lucas
 
Disciplina comunicação aplicada 2a aula- 28/02/2011
Disciplina comunicação aplicada   2a aula- 28/02/2011Disciplina comunicação aplicada   2a aula- 28/02/2011
Disciplina comunicação aplicada 2a aula- 28/02/2011
 
TEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.ppt
TEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.pptTEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.ppt
TEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.ppt
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 

Mais de PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas

Mais de PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas (20)

Comportamento em Ambientes de Trabalho
Comportamento em Ambientes de TrabalhoComportamento em Ambientes de Trabalho
Comportamento em Ambientes de Trabalho
 
Como Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
Como Utilizar o Marketing nas Redes SociaisComo Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
Como Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
 
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
 
Postura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
Postura e Imagem Profissional em Ambientes CorporativosPostura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
Postura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
 
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
 
O Processo de Transporte de Cargas.pptx
O Processo de Transporte de Cargas.pptxO Processo de Transporte de Cargas.pptx
O Processo de Transporte de Cargas.pptx
 
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptxConceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
 
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas OrganizacõesA Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
 
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
 
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptxTécnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
 
A Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptx
A Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptxA Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptx
A Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptx
 
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptxGestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
 
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptxA Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
 
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptxProgramação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
 
DINÂMICA de GRUPO.pptx
DINÂMICA de GRUPO.pptxDINÂMICA de GRUPO.pptx
DINÂMICA de GRUPO.pptx
 
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptxAUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
 
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptxDESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
 
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptxINTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
 
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptxA Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
 
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
GisellySobral
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 

Último (20)

662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 

O Processo de Comunicação

  • 1. O Processo de Comunicação A linguagem é um conceito mais amplo e mais complexo, que se refere às formas de expressão que utilizamos para nos comunicar. Está presente no processo de comunicação que nos acompanha desde que aprendemos a falar, a nos comunicarmos em ambiente familiar Desde então, usamos elementos para transmitir e receber mensagens de forma eficaz. Neste módulo serão abordados os elementos linguísticos básicos, as variações da linguagem e os tipos de níveis de linguagem para que possa usá-la de maneira eficaz em sua comunicação, seja ela de forma social, familiar ou profissional Dominar esses conceitos auxiliará no seu desempenho profissional e, quanto mais você souber a respeito da linguagem e do modo como ela funciona, mais seguro você estará em qualquer situação em que argumentar ou ouvir argumentos for fundamental
  • 2. O Sistema de Comunicação Numa situação de comunicação sempre temos o objetivo de transmitir uma mensagem e, mesmo parecendo simples, esse processo é composto por diversos elementos Comunicar envolve uma dinâmica que não pode dispensar as unidades que englobam o processo e que, dissociadas, constituem os elementos mais importantes na comunicação Analise a figura ao lado, a qual apresenta os elementos que compõem o Processo de Comunicação Observe que, ao centro da figura, temos a mensagem que é o ponto principal desse sistema, pois é o objetivo de toda forma de comunicação
  • 3. Quando lemos uma notícia em um site, por exemplo, estamos nos apropriando de uma mensagem (a notícia) que o emissor (repórter) deseja transmitir a um receptor (nós), usando a internet como canal de comunicação Agora vamos analisar cada um dos elementos que compõem o Sistema de Comunicação: Mensagem: é a informação transmitida pelo emissor ao receptor. É o objeto da comunicação, o seu conteúdo. É um conjunto organizado de sinais (ou signos) que pertencem ou não a um código linguístico. Exemplo: a música, a dança, o texto etc. Emissor: é quem transmite a mensagem ao receptor Receptor: é quem recebe, decodifica e interpreta a mensagem enviada pelo emissor. Numa conversa, o interlocutor é o receptor, aquele que interage com o locutor (emissor). Ambos podem ser representados por uma pessoa, um grupo de pessoas, uma instituição etc.
  • 4. Código: é o conjunto de sinais ou signos, linguísticos ou não, comuns ao emissor e ao receptor. A Língua Portuguesa é o código que será usado para que pessoas possam se comunicar no território brasileiro Canal de comunicação: é a via, o meio (oral, escrito, visual ou corporal) pelo qual a mensagem é transmitida, servindo de suporte físico à transmissão. É o que permite a comunicação entre emissor e receptor Contexto: é o ambiente que envolve toda a situação comunicacional, incluindo as circunstâncias de espaço e de tempo Observe que o contexto moldará o comportamento comunicacional dos envolvidos nesse processo. Imaginemos uma situação de apresentação de um espetáculo, onde você e um amigo tentam conversar. Porém, o som é tão alto que um não consegue entender o que o outro fala O processo de comunicação é assim. Se um dos fatores que envolvem o sistema de comunicação falha, a comunicação irá falhar
  • 5. O Sistema de Comunicação é baseado em diferentes modelos: 1) Modelo Mecanicista: entende o processo como não humano, pois de um lado há uma fonte e, do outro, um destino. A fonte transmite um sinal que deve ser captado pelo receptor, ou seja, deve ser compreendido pelo receptor da mensagem Observe o exemplo de um outdoor veiculado por uma empresa fantasia e, para que essa mensagem seja compreendida pelo receptor, ele deverá considerar: A) A propaganda foi veiculada por uma empresa de marketing B) Essa empresa ganhou um prêmio em um festival e que esse prêmio leva o nome de Galo de Prata Só assim o receptor poderá compreender a frase “Ganhamos um Galo”
  • 6. 2) O Modelo Circular considera um processo de 2 vias, em que emissor e receptor trocam de posição o tempo todo Isso é o que podemos observar na apresentação de um Espetáculo, onde você e um amigo tentam conversar. Porém, o som é tão alto que um não consegue entender o que o outro fala Nessa situação a interferência que compromete a compreensão é o som alto. Dessa forma, quando uma mensagem não chega a seu receptor de maneira clara, tem-se o que chamamos de ruído, que nada mais é do que uma interferência no processo de transmissão dessa mensagem 3) O Modelo Psicológico considera os fatores que interagem no processo junto às pessoas, de modo que a decodificação das mensagens dependerá, também, da interpretação de fatores íntimos Numa situação em que uma pessoa fala “fogo”, se há tranquilidade em sua voz, podemos entender que ela está sinalizando que deseja acender algo (lareira ou um fogão) No entanto, se sua voz apresentar indícios de nervosismo ou pânico, nossa compreensão será de que algo está pegando fogo (uma casa, por exemplo)
  • 7. 4) Modelo Sociológico: o grupo social do qual o indivíduo faz parte desempenha um papel fundamental no processo, pois define os códigos e símbolos necessários para a interpretação. Exemplo: em comunidades indígenas (ou ribeirinhas), as quais possuem uma linguagem própria de comunicação 5) Modelo Antropológico: Entende a comunicação como o fator que estrutura todos os componentes da cultura de uma sociedade específica Neste caso, podemos pensar em formas de comunicação em tempos passados, como durante a 2ª Guerra, em que as pessoas tinham conhecimento dos acontecimentos por meio do rádio 6) Modelo Sistêmico: Analisa a condição contextual que envolve uma mensagem, interessando-se pelos objetivos e pelos resultados obtidos no processo comunicacional. Exemplo: o relato sobre uma viagem, por exemplo
  • 8. Linguagem Verbal: Utiliza como meios a escrita e a oralidade para se comunicar. São 2 situações que carregam diferenças entre si, pois enquanto a fala é mais autônoma, a escrita exige um grau maior de elaboração O grau de instrução de uma pessoa, seu posicionamento social, sua condição profissional e o lugar onde determinarão o nível de linguagem utilizado, considerando-se também os diferentes contextos de exigência Numa reunião familiar, por exemplo, um juiz não utilizará a mesma linguagem usada em um tribunal, quando está julgando casos jurídicos Linguagem Não Verbal: Imagine que você está dirigindo no trânsito e, ao se deparar com um semáforo com luz amarela, o que você fará? Logicamente diminuirá a velocidade e em seguida, parar o veículo. Isso porque a luz amarela é indicativa de “atenção” para o que virá em seguida: a luz vermelha indicativa de “pare”
  • 9. Funções da Linguagem O ser humano é comunicativo por natureza e só ele é capaz de se comunicar com outro ser humano, embora várias pesquisas apontem que alguns animais teriam essa capacidade Enquanto não houver provas disso, a comunicação será responsável pelas relações que são construídas entre os homens Função Referencial (ou Denotativa ou Cognitiva): Com foco no referente; ou seja, no assunto abordado na mensagem. Essa função apresenta uma linguagem direta e objetiva sobre a realidade, sendo usada em textos científicos (teses, dissertações, TCCs, artigos), jornalísticos (notícias, reportagens, entrevistas) ou outros que exponham conceitos Função Emotiva (ou Expressiva): Caracteriza- se pelo uso de interjeições e pontuações, como reticências e exclamações. É a linguagem das declarações pessoais, das memórias, das expressões de quem está emitindo a mensagem. Exemplos: a) Ah, que coisa boa! b) Tenho um pouco de medo...
  • 10. Função Conativa (Apelativa): O objetivo principal de quem utiliza essa função na comunicação é o de convencer ao receptor da mensagem. Caracteriza-se pelo uso dos verbos no imperativo, do vocativo e dos pronomes “tu” e “você” Propagandas, discursos e sermões usam essa função para tentar convencer o receptor sobre algo. Exemplo: “Você não pode ficar fora dessa! Venha para o XV Festival de Música Eletrônica da Praia do Mar Encantado” Função Fática (ou Interativa): Observe a letra da música “Sinal Fechado, de Paulinho da Viola: “– Olá! Como vai? –Eu vou indo. E você, tudo bem? –Tudo bem! Eu vou indo, correndo pegar meu lugar no futuro… E você?” Ela traz uma linguagem que utiliza a função fática, centrada no canal de comunicação em si; ou seja, busca estabelecer o contato psicológico entre os interlocutores Seu objetivo não é transmitir informação e sim manter a sociabilidade. Note que no diálogo da letra da canção não há assunto objetivo, somente a cortesia entre duas pessoas que em algum momento foram muito próximas e que acabaram de se encontrar
  • 11. Função Metalinguística: É a linguagem explicada pela própria linguagem. Quando o poeta usa seu poema para explicar o ato de escrever um poema, ele está utilizando a função metalinguística. Outro exemplo são os dicionários, que usam as palavras para explicar o sentido delas mesmas Função Poética: Essa função da linguagem está centrada na própria mensagem, colocando em evidência os próprios signos. Aparece em textos cuja mensagem possui algo de especial, algo que vai além da transmissão de uma informação Exemplo: “Por muito tempo achei que a ausência é falta. E lastimava, ignorante, a falta. Hoje não a lastimo. Não há falta na ausência. A ausência é um estar em mim” O poema de Drummond (A Ausência) trata apenas de alguém divagando sobre a falta que certa pessoa lhe faz, porém, a escolha das palavras, a sonoridade e a disposição do texto dão um sentido especial à linguagem quando empregada desse modo OBSERVAÇÃO: Na Função Poética, é comum os jogos de linguagem, por isso mesmo essa função pode ser encontrada também em linguagens publicitárias
  • 12. Variação Linguística: Língua é a linguagem oral, escrita e sinalizada, utilizada por um grupo de indivíduos que constituem uma comunidade. Ela é construída pelo homem, em um contexto histórico, geográfico, social e de acordo com a situação em que ele vive Atente para o texto do anúncio ao lado, o qual está escrito em Língua Portuguesa e foi veiculado no Brasil No entanto, usa palavras escritas de forma diferente. Isso ocorre porque ele foi veiculado numa época em que essas palavras eram grafadas dessa forma. A essa variação denominamos de Variação Histórica, ou seja, aquela em que há diferença de linguagem em função da época de uso Variação Geográfica: Diz respeito à região de uso da língua. No Brasil são usadas linguagens que, por vezes, causam estranheza aos usuários, como por exemplo, mandioca, macaxeira e aipim que são designações da mesma planta, denominadas de maneira diferente de acordo com a região Outro exemplo são as formas de cumprimentar, ou de se despedir de alguém
  • 13. Variação Social: A língua poderá sofrer variação de classe ou de grupo social, também. Observe: “Encaminhe o acusado ao ergástulo público”. A linguagem jurídica é um exemplo de variação social da linguagem. Outro exemplo são as gírias usadas por determinados grupos, como os surfistas, por exemplo Variação Situacional: A comunicação poderá ocorrer em situações diversas, resultando em adequações de vocabulário e de forma de uso da língua. Numa festa com os amigos usaremos um tipo de linguagem que não poderá ser reproduzida em uma palestra ou apresentação de trabalho em ambiente acadêmico A linguagem usada em solenidades não será a mesma usada durante um almoço em família. É importante a atenção a ser dada à variação linguística, pois ela determinará o uso adequado do vocabulário para que a comunicação se faça de modo claro e compreensível