SlideShare uma empresa Scribd logo
Gotejo subterrâneo em café
Prof. Dr. André Luís T. Fernandes
Pró Reitor de Pesquisa Pós Graduação e Extensão
Gotejo subterrâneo em café
• Por que enterrar tubogotejadores?
• Aspectos teóricos
• No passado...
• O que está sendo feito agora?
• Opinião dos produtores...
• Recomendações.
Por que enterrar tubogotejadores?
6
GOTEJAMENTO
R$ 5.500,00 a
7.500,00 / ha
Sistema de irrigação por gotejamento
AVALIAÇÃO DA UNIFORMIDADE
12
Risco potencial de obstruções conforme a
qualidade da água de irrigação
Tipo de problema Risco
Baixo Médio Alto
Físico
Sólidos em suspensão (ppm) < 50 50 a 100 >100
Químico
pH < 7,0 7,0 a 8,0 > 8,0
Sólidos dissolvidos (ppm) < 500 500 a 2.000 > 2.000
Mn (ppm) < 0,1 0,1 a 1,5 > 1,5
Fe (ppm) < 0,1 0,1 a 1,5 > 1,5
SH2 (ppm) < 0,5 0,5 a 2,0 > 2,0
Biológico
Bactérias (nº/cm3) < 10.000 10.000 a 50.000 > 50.000
Tipos de obstruções
Areia Silte
Físicas:
Químicas:
Carbonato de cálcio
Tipos de obstruções
• Biológicas: ocasionadas
por algas transportadas pela
água, raízes de plantas
(emissores enterrados) ou
bactérias
Ferro-bactérias
O que deu errado no passado?
Problemas gotejamento enterrado
Concentração de raízes
Gotejador enterrado
20
Solo Franco
Solo Argiloso
TEMPO DE IRRIGAÇÃO E ÁREA E BULBO MOLHADO
Solo Arenoso
CUIDADO COM O TIPO DE SOLO
21
Estudo de bulbo (no local)
Fonte: Sá e Fernandes (2006)
22
Estudo de bulbo (no local)
Dimensões do Bulbo Formado (2,40 l/h)
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
-0,5 -0,4 -0,3 -0,2 -0,1 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5
Raio (m)
Profundidade(m)
2h 6h 12h 24h
RECOMENDAÇÕES:
2,3 l/h a cada 0,75 m
3,5 l/h a cada 1,00 mFonte: Sá e Fernandes (2006)
Intrusão de raízes
• Plantas crescem em direção à regiões do solo
com teor de água maior
• Risco é maior com irrigações menos
freqüentes e com emissores enterrados
• Tratamento químico
– Trifuralina (Treflan)– herbicida que atua sobre as
raízes, permanecendo na zona próxima ao
gotejador sem ser lixiviado pela água.
Intrusão de raízes – como evitar:
Emissores com barreiras mecânicas
Adição de trifluralina na água de
irrigação
Incorporação de trifluralina no plástico
do emissor ou nos filtros de discos.
TRIFLURALINA:
• não apresenta deslocamento (tolerância das culturas até 0,05 ppm)
• Impede crescimento de raízes secundárias, não afetando as
principais;
• nitrogenado, sendo degradado com a temperatura e umidade
Cuidados tratamento químico
• Verificar vazamentos no sistema;
• Contabilizar número de laterais e quantidade exata de
gotejadores;
• Suspender a irrigação durante 2 dias (zona seca);
• Realizar a injeção de Treflan (Trifularina 445 g/L)
• Após a aplicação, interromper a irrigação imediatamente por 1
dia (absorção)
Intrusão de raízes
DINITROANILINAS, Classe II
Variação de vazão de gotejadores enterrados na
irrigação de café e citros (FARIA, 2002)
Tratamentos:
• 2 profundidades (15 e 30 cm)
• 2 níveis de água no solo (seco e
úmido)
• 2 culturas (café e citros)
• 14 modelos de gotejadores:
Efeitos de raízes (café) em emissores
Aspectos teóricos
Perfil de distribuição de tensão de umidade (cmca), 48 h após a
segunda irrigação
A. Emissor superficial, B. Emissor subsuperficial
Nogueira et al. (2000)
desenvolveram trabalho de campo
objetivando estabelecer
comparações entre os bulbos
molhados por gotejadores
localizados na superfície do solo, e
enterrados no final do ciclo da
irrigação.
CONCLUSÃO:
Ao final de dois ciclos de irrigação
observou-se, no volume molhado
sob gotejamento enterrado, um
teor de água disponível variando
entre 29 a 44% maior que no caso
do emissor superficial.
Aspectos teóricos
EXEMPLOS DE SISTEMAS
ENTERRADOS
 Dados da área experimental:
Gotejamento subterrâneo
Cultura: Café Arábica
Variedade: IAPAR 59
Espaçamento: 3,30 x 0,50m
Local: Fazenda Santa Bárbara
Município: Monte Carmelo - MG
Proprietário: Afonso Simonis
Captação: córrego (Fe total: 3,0ppm)
Fonte: Carlos Sanches (Netafim)
 Data: 04/08/06 – (8meses)
RESULTADOS
 Avaliação Visual
3. Sistema Radicular
RESULTADOS
Gotejo enterrado - safras
Ano 1 (2008): 90 sc/ha
Ano 2 (2009): 35 sc/ha
Média 2 safras: 62,5 sc/ha
Perspectiva Ano 3 (2010): 100 sc/ha
Média 3 safras: 75 sc/ha
94%
SET/2012
91%
Fazenda Santa Bárbara
Fazenda Santa Bárbara
FAZENDA CAMBUHY
Matão - SPMunicípio
Café ArábicaCultura
Mundo NovoVariedade
3,70 x 0,70 mEspaçamento
Setembro de 2007Plantio
Uniram RC 16009Gotejador
0,75 m
Distância entre
gotejadores
1,6 L/hVazão
Gotejamento
Subterrâneo
Tipo de irrigação
5 anos
Sistema em
funcionamento
 Dados da área
Fonte: Netafim
 Estudo comparativo do desempenho do gotejamento
subterrâneo vs gotejamento superficial
FAZENDA CAMBUHY
 Gotejamento subterrâneo  Gotejamento superficial
Fonte: Netafim
FAZENDA CAMBUHY
Fonte: Netafim
FAZENDA CAMBUHY
 Avaliação do gotejamento
subterrâneo
− Avaliação 01 – 19 de junho de 2009
− Avaliação 02 – 01 de junho de 2010
− Avaliação 03 – 12 de maio de 2011
− Avaliação 04 – 14 de setembro de 2012
Fonte: Netafim
 Avaliação realizada em junho de 2009
− Sistema radicular
 Gotejamento superficial  Gotejamento subterrâneo
FAZENDA CAMBUHY
Fonte: Netafim
 Avaliação realizada em setembro de 2012
− Sistema radicular
 Gotejamento superficial  Gotejamento subterrâneo
FAZENDA CAMBUHY
Fonte: Netafim
 Avaliação realizada em setembro de 2012
− Uniformidade de aplicação de água
 Gotejamento superficial  Gotejamento subterrâneo
FAZENDA CAMBUHY
94%94%
Fonte: Netafim
FAZENDA CAMBUHY
 Avaliação do gotejamento subterrâneo
− Conclui-se que após 5 anos de funcionamento do gotejamento
subterrâneo no café, não foi encontrada a interferência de radicelas e/ou
raízes lenhosas no gotejamento e o mesmo encontra-se em excelente
desempenho técnico e agronômico, semelhante ao gotejamento
superficial (convencional) e atendendo todas as características
necessárias para um sistema de irrigação localizada de alta performance
Fonte: Netafim
Pedregulho/SP
720 ha
Pedregulho/SP
Novembro/2014
Pedregulho/SP
Janeiro/2015
Janeiro/2015
Pedregulho/SP
Pedregulho/SP
Pedregulho/SP
Gotejo subterrâneo: café em formação
Pedregulho/SP
Gotejo superficial: café em formação
Monte Carmelo/MG
Monte Carmelo/MG
FAZENDA FREITAS
Patrocínio - MG
Gotejador autocompensante, anti-sifão,
2,2 l/h, 0,70 m; instalação 2013
Enterrio na implantação do projeto
Medida da uniformidade: 94,1%
Fonte: NaanDanJain
FAZENDA FREITAS
Patrocínio - MG
Fonte: NaanDanJain
Fonte: NaanDanJain
Fonte: NaanDanJain
Gotejamento: cerca de 1000 ha.
Ipanema Coffees
Alfenas – MG
Sequeiro
15sc/ha
Irrigado
50sc/ha
Sequeiro Irrigado
Dados da área experimental para montagem do Sistema Subsuperficial:
- Unidade de produção: Conquista
- Gleba: A48
- Variedade: Acaiá IAC 474/19
- Área: 6 ha
- Ano de plantio: 2012
- Ano de implantação do experimento: Fev./2014
- Parte do Projeto 3
- Profundidade: 20 cm
- Distancia do tronco: 20 cm
Visualização da mangueira de
gotejamento enterrada na área
experimental
VANTAGENS:
• A flexibilidade no uso do maquinário
agrícola e atividades manuais que
poderiam danificar tubulações.
• Maior dificuldade de germinação de
plantas daninhas na linha de plantio
devido à ausência de umidade
superficial.
• Maior aproveitamento das
fertirrigações devido à proximidade
das raízes com o ponto de aplicação
de água e adubo.
• Maior eficiência de irrigação, devido
à eliminação das perdas por
evaporação superficial.
Dados da área experimental para montagem do Sistema Subsuperficial:
- Unidade de produção: Conquista
DESVANTAGENS:
• Dificuldade de realizar em lavouras mais velhas – corte de raízes;
• Não aplicável para sistemas com gotejadores já danificados –
maior ocorrência de vazamentos;
• Maior risco de entupimento dos gotejadores por intrusão
radicular;
• Necessidade de maior cuidado com a qualidade da água;
• Maior necessidade de manutenções preventivas e monitoramento
dos padrões técnicos devido à ausência de visualização de
vazamentos;
• Necessidade do monitoramento constante da condutividade
hidráulica do solo, principalmente nas fases iniciais de
implantação.
• Dúvidas quanto ao momento correto do enterro das mangueiras.
Dados da área experimental para montagem do Sistema Subsuperficial:
- Unidade de produção: Conquista
Dados da área experimental para montagem do Sistema Subsuperficial:
- Unidade de produção: Conquista
- ANÁLISE MULTICRITÉRIO
Até o momento podemos concluir, nas condições da Ipanema, que
apesar de não apresentar grandes diferenças, seria interessante para o
operacional e custo realizarmos o enterrio dos gotejadores, apesar de ainda
termos poucos dados para tal conclusão.
LIMITAÇÕES:
• Checagem de vazamentos mais difícil
• Avaliação da uniformidade mais trabalhosa
• Concentração de raízes
LIMITAÇÕES:
• Manejo da fertirrigação
– Lixiviação, salinização, acidificação.
ACIDEZ EXCESSIVA:
3,5
4,5
5,5
6,5
7,5
jan/04 ago/04 fev/05 set/05 mar/06 out/06 abr/07
Period
SoilsolutionpH
AN CN
RECOMENDAÇÕES
Gotejamento subterrâneo – por que?
 Melhoria nos manejos de água e nutrientes
e práticas culturais do café
− cortes causados pelas capinas
− ataque de roedores / furtos
− colheita
Fonte: Netafim
Gotejamento subterrâneo - recomendações
 Profundidade de enterrio dos tubos gotejadores – 10 a 20 cm
 Muito critério na hora de proceder ao enterrio
 Distância dos tubos gotejadores em relação ao colo da planta – 30 a
40 cm
 Tubo gotejador com o orifício voltado para cima
 Boa cobertura do solo após a instalação
 Momento de enterrar
 Atenção às operações de manutenção / manejo
Fonte: Netafim
Gotejamento subterrâneo - recomendações
Aferição constante dos tubos gotejadores após o
enterrio para verificar: profundidade, distância da
planta, cobertura do solo, gotejador (com o orifício
voltado para cima), assim como garantir que os tubos
gotejadores estejam em perfeito estado após a
instalação
Boa cobertura e “compactação” do solo após
o enterrio dos tubos gotejadores
 Espaçamento entre os gotejadores de 0,50 a 0,75 m
(conforme textura do solo)
 Formação de faixa úmida
 Lâmina de irrigação de 2,0 a 5,6 mm/dia (conforme
demanda da cultura, na região)
Fonte: Netafim
Gotejamento subterrâneo - recomendações
Fonte: Eduardo Mosca
 Os gotejadores devem estar
espaçados de modo a formar
uma faixa úmida
 Avaliar periodicamente o
sistema
 Observar no campo possíveis
problemas (visual das plantas)
Fonte: Netafim, NaanDanJain, Plastro
Gotejamento subterrâneo - recomendações
84
Fonte: Netafim
Imediatamente após a instalação dos tubos gotejadores subterrâneos, recomenda-se a
aplicação de fósforo e cálcio solúveis (MAP purificado e nitrato de cálcio) via fertirrigação
para estimular o desenvolvimento de novas radicelas, divisão celular, transferência de
energia e armazenamento
MUITO OBRIGADO....
andre.fernandes@uniube.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alface (Lactuca sativa)
Alface (Lactuca sativa)Alface (Lactuca sativa)
Alface (Lactuca sativa)
éltoon yagami
 
Passo a Passo_Projeto_Irrigação por Aspersão em MALHA.pdf
Passo a Passo_Projeto_Irrigação por Aspersão em MALHA.pdfPasso a Passo_Projeto_Irrigação por Aspersão em MALHA.pdf
Passo a Passo_Projeto_Irrigação por Aspersão em MALHA.pdf
Ronaldo Machado
 
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJANUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
Geagra UFG
 
Palestra de fertiirrigação do cafeiro adolfo moura - fenicafé 2015
Palestra de fertiirrigação do cafeiro   adolfo moura  - fenicafé 2015Palestra de fertiirrigação do cafeiro   adolfo moura  - fenicafé 2015
Palestra de fertiirrigação do cafeiro adolfo moura - fenicafé 2015
Revista Cafeicultura
 
Irrigação
IrrigaçãoIrrigação
Irrigação
lipemodesto
 
Cultivo de alface
Cultivo de alface Cultivo de alface
Cultivo de alface
Tayza Taveira
 
Nutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milhoNutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milho
Geagra UFG
 
Adubação Orgânica de Hortaliças e Frutíferas
Adubação Orgânica de Hortaliças e FrutíferasAdubação Orgânica de Hortaliças e Frutíferas
Adubação Orgânica de Hortaliças e Frutíferas
Rural Pecuária
 
Sistemas de irrigação
Sistemas de irrigaçãoSistemas de irrigação
Sistemas de irrigação
GETA - UFG
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃOINTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO
Geagra UFG
 
Fertirrigação em hortaliças iac
Fertirrigação em hortaliças   iacFertirrigação em hortaliças   iac
Fertirrigação em hortaliças iac
Leticia Foratto
 
Tomate
TomateTomate
Tomate
kyzinha
 
Cultura de feijão biotecnologia
Cultura de feijão biotecnologia Cultura de feijão biotecnologia
Cultura de feijão biotecnologia
UNIVAG
 
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoCultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Ítalo Arrais
 
Aula 1 introdução ao curso
Aula 1   introdução ao cursoAula 1   introdução ao curso
Aula 1 introdução ao curso
Renata E Rilner
 
Cultivo de mandioca macaxeira
Cultivo de mandioca macaxeiraCultivo de mandioca macaxeira
Cultivo de mandioca macaxeira
Josimar Oliveira
 
Preparo do Solo e Plantio do Milho
Preparo do Solo e Plantio do MilhoPreparo do Solo e Plantio do Milho
Preparo do Solo e Plantio do Milho
Geagra UFG
 
Nutrição mineral na cultura do milho
Nutrição mineral na cultura do milhoNutrição mineral na cultura do milho
Nutrição mineral na cultura do milho
Geagra UFG
 
Citrus de mesa
Citrus de mesaCitrus de mesa
Citrus de mesa
Caroline Esperança
 
Sistemas de cultivo
Sistemas de cultivoSistemas de cultivo
Sistemas de cultivo
Wilian Dias
 

Mais procurados (20)

Alface (Lactuca sativa)
Alface (Lactuca sativa)Alface (Lactuca sativa)
Alface (Lactuca sativa)
 
Passo a Passo_Projeto_Irrigação por Aspersão em MALHA.pdf
Passo a Passo_Projeto_Irrigação por Aspersão em MALHA.pdfPasso a Passo_Projeto_Irrigação por Aspersão em MALHA.pdf
Passo a Passo_Projeto_Irrigação por Aspersão em MALHA.pdf
 
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJANUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
 
Palestra de fertiirrigação do cafeiro adolfo moura - fenicafé 2015
Palestra de fertiirrigação do cafeiro   adolfo moura  - fenicafé 2015Palestra de fertiirrigação do cafeiro   adolfo moura  - fenicafé 2015
Palestra de fertiirrigação do cafeiro adolfo moura - fenicafé 2015
 
Irrigação
IrrigaçãoIrrigação
Irrigação
 
Cultivo de alface
Cultivo de alface Cultivo de alface
Cultivo de alface
 
Nutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milhoNutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milho
 
Adubação Orgânica de Hortaliças e Frutíferas
Adubação Orgânica de Hortaliças e FrutíferasAdubação Orgânica de Hortaliças e Frutíferas
Adubação Orgânica de Hortaliças e Frutíferas
 
Sistemas de irrigação
Sistemas de irrigaçãoSistemas de irrigação
Sistemas de irrigação
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃOINTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO
 
Fertirrigação em hortaliças iac
Fertirrigação em hortaliças   iacFertirrigação em hortaliças   iac
Fertirrigação em hortaliças iac
 
Tomate
TomateTomate
Tomate
 
Cultura de feijão biotecnologia
Cultura de feijão biotecnologia Cultura de feijão biotecnologia
Cultura de feijão biotecnologia
 
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoCultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
 
Aula 1 introdução ao curso
Aula 1   introdução ao cursoAula 1   introdução ao curso
Aula 1 introdução ao curso
 
Cultivo de mandioca macaxeira
Cultivo de mandioca macaxeiraCultivo de mandioca macaxeira
Cultivo de mandioca macaxeira
 
Preparo do Solo e Plantio do Milho
Preparo do Solo e Plantio do MilhoPreparo do Solo e Plantio do Milho
Preparo do Solo e Plantio do Milho
 
Nutrição mineral na cultura do milho
Nutrição mineral na cultura do milhoNutrição mineral na cultura do milho
Nutrição mineral na cultura do milho
 
Citrus de mesa
Citrus de mesaCitrus de mesa
Citrus de mesa
 
Sistemas de cultivo
Sistemas de cultivoSistemas de cultivo
Sistemas de cultivo
 

Destaque

A Irrigação Do Cafeeiro, Suas CaracteríSticas, GestãO E Custos Everardo C Ma...
A Irrigação Do Cafeeiro, Suas CaracteríSticas, GestãO E Custos Everardo C  Ma...A Irrigação Do Cafeeiro, Suas CaracteríSticas, GestãO E Custos Everardo C  Ma...
A Irrigação Do Cafeeiro, Suas CaracteríSticas, GestãO E Custos Everardo C Ma...
Revista Cafeicultura
 
Adubação cafeeiro - MANEJO DA FERTILIDADE DOS SOLOS E ADUBAÇÃO EQUILIBRADA P...
Adubação cafeeiro  - MANEJO DA FERTILIDADE DOS SOLOS E ADUBAÇÃO EQUILIBRADA P...Adubação cafeeiro  - MANEJO DA FERTILIDADE DOS SOLOS E ADUBAÇÃO EQUILIBRADA P...
Adubação cafeeiro - MANEJO DA FERTILIDADE DOS SOLOS E ADUBAÇÃO EQUILIBRADA P...
Revista Cafeicultura
 
Fenicafé 2014 avanços na mecanização do café rouverson
Fenicafé 2014 avanços na mecanização do café rouversonFenicafé 2014 avanços na mecanização do café rouverson
Fenicafé 2014 avanços na mecanização do café rouverson
Revista Cafeicultura
 
Pessegueiro
PessegueiroPessegueiro
Adubação racional econômica do cafeeiro josé braz matiello – fundação procafé
Adubação racional  econômica do cafeeiro josé braz matiello – fundação procaféAdubação racional  econômica do cafeeiro josé braz matiello – fundação procafé
Adubação racional econômica do cafeeiro josé braz matiello – fundação procafé
Manejo Da Lavoura Cafeeira
 
Apresentação Roberto Santinato Adubação Orgânica para o Cafeeiro
Apresentação Roberto Santinato Adubação Orgânica para o CafeeiroApresentação Roberto Santinato Adubação Orgânica para o Cafeeiro
Apresentação Roberto Santinato Adubação Orgânica para o Cafeeiro
Revista Cafeicultura
 
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
Revista Cafeicultura
 
Grupo De Fertirrigação 3º A
Grupo De Fertirrigação 3º AGrupo De Fertirrigação 3º A
Grupo De Fertirrigação 3º A
IF Baiano - Campus Catu
 
agrocafé 2014 fabio moreira Mecanização da Médios Pequena Fazenda de Café
agrocafé  2014 fabio  moreira  Mecanização da Médios Pequena Fazenda de Caféagrocafé  2014 fabio  moreira  Mecanização da Médios Pequena Fazenda de Café
agrocafé 2014 fabio moreira Mecanização da Médios Pequena Fazenda de Café
Revista Cafeicultura
 
Fenicafé 2014 william damas beneficios da fertirrigação e gotejamento subte...
Fenicafé 2014   william damas beneficios da fertirrigação e gotejamento subte...Fenicafé 2014   william damas beneficios da fertirrigação e gotejamento subte...
Fenicafé 2014 william damas beneficios da fertirrigação e gotejamento subte...
Revista Cafeicultura
 
cultura do café
cultura do cafécultura do café
cultura do café
Leticia Sviech
 
Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale palestra fencafé - 05 de m...
Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale   palestra fencafé  - 05 de  m...Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale   palestra fencafé  - 05 de  m...
Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale palestra fencafé - 05 de m...
Revista Cafeicultura
 
Mecanização da Lavoura Cafeeira - FABIO MOREIRA DA SILVA Palestra ficafe jaca...
Mecanização da Lavoura Cafeeira - FABIO MOREIRA DA SILVA Palestra ficafe jaca...Mecanização da Lavoura Cafeeira - FABIO MOREIRA DA SILVA Palestra ficafe jaca...
Mecanização da Lavoura Cafeeira - FABIO MOREIRA DA SILVA Palestra ficafe jaca...
Revista Cafeicultura
 
André Guarçoni - minicurso AVANÇOS NA NUTRIÇÃO PARA O CAFÉ CONILON
André Guarçoni - minicurso AVANÇOS NA NUTRIÇÃO PARA O CAFÉ CONILONAndré Guarçoni - minicurso AVANÇOS NA NUTRIÇÃO PARA O CAFÉ CONILON
André Guarçoni - minicurso AVANÇOS NA NUTRIÇÃO PARA O CAFÉ CONILON
Revista Cafeicultura
 
Apostila pós colheita do Café
Apostila pós colheita do CaféApostila pós colheita do Café
Apostila pós colheita do Café
Bruno Ribeiro
 
Fertirrigação
FertirrigaçãoFertirrigação
Fertirrigação
Gustavoif
 
Café e Cultura 2009 - A Cafeicultura Familiar no Mundo - Paulo Henrique Leme
Café e Cultura 2009 - A Cafeicultura Familiar no Mundo - Paulo Henrique LemeCafé e Cultura 2009 - A Cafeicultura Familiar no Mundo - Paulo Henrique Leme
Café e Cultura 2009 - A Cafeicultura Familiar no Mundo - Paulo Henrique Leme
Paulo Henrique Leme
 
Adubação cafeeiro )
Adubação cafeeiro     )Adubação cafeeiro     )
Adubação cafeeiro )
Luis Deleprane
 
PROCESSO MECANIZADO NO PREPARO DO CAFÉ PÓS COLHEITA Carlos Tomás 12º agrocafé
PROCESSO MECANIZADO NO PREPARO DO CAFÉ PÓS COLHEITA Carlos Tomás 12º agrocaféPROCESSO MECANIZADO NO PREPARO DO CAFÉ PÓS COLHEITA Carlos Tomás 12º agrocafé
PROCESSO MECANIZADO NO PREPARO DO CAFÉ PÓS COLHEITA Carlos Tomás 12º agrocafé
Revista Cafeicultura
 
Custo de produção do café - Levantamento da Educampo Fenicafé
Custo de produção do café - Levantamento da Educampo FenicaféCusto de produção do café - Levantamento da Educampo Fenicafé
Custo de produção do café - Levantamento da Educampo Fenicafé
Revista Cafeicultura
 

Destaque (20)

A Irrigação Do Cafeeiro, Suas CaracteríSticas, GestãO E Custos Everardo C Ma...
A Irrigação Do Cafeeiro, Suas CaracteríSticas, GestãO E Custos Everardo C  Ma...A Irrigação Do Cafeeiro, Suas CaracteríSticas, GestãO E Custos Everardo C  Ma...
A Irrigação Do Cafeeiro, Suas CaracteríSticas, GestãO E Custos Everardo C Ma...
 
Adubação cafeeiro - MANEJO DA FERTILIDADE DOS SOLOS E ADUBAÇÃO EQUILIBRADA P...
Adubação cafeeiro  - MANEJO DA FERTILIDADE DOS SOLOS E ADUBAÇÃO EQUILIBRADA P...Adubação cafeeiro  - MANEJO DA FERTILIDADE DOS SOLOS E ADUBAÇÃO EQUILIBRADA P...
Adubação cafeeiro - MANEJO DA FERTILIDADE DOS SOLOS E ADUBAÇÃO EQUILIBRADA P...
 
Fenicafé 2014 avanços na mecanização do café rouverson
Fenicafé 2014 avanços na mecanização do café rouversonFenicafé 2014 avanços na mecanização do café rouverson
Fenicafé 2014 avanços na mecanização do café rouverson
 
Pessegueiro
PessegueiroPessegueiro
Pessegueiro
 
Adubação racional econômica do cafeeiro josé braz matiello – fundação procafé
Adubação racional  econômica do cafeeiro josé braz matiello – fundação procaféAdubação racional  econômica do cafeeiro josé braz matiello – fundação procafé
Adubação racional econômica do cafeeiro josé braz matiello – fundação procafé
 
Apresentação Roberto Santinato Adubação Orgânica para o Cafeeiro
Apresentação Roberto Santinato Adubação Orgânica para o CafeeiroApresentação Roberto Santinato Adubação Orgânica para o Cafeeiro
Apresentação Roberto Santinato Adubação Orgânica para o Cafeeiro
 
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
 
Grupo De Fertirrigação 3º A
Grupo De Fertirrigação 3º AGrupo De Fertirrigação 3º A
Grupo De Fertirrigação 3º A
 
agrocafé 2014 fabio moreira Mecanização da Médios Pequena Fazenda de Café
agrocafé  2014 fabio  moreira  Mecanização da Médios Pequena Fazenda de Caféagrocafé  2014 fabio  moreira  Mecanização da Médios Pequena Fazenda de Café
agrocafé 2014 fabio moreira Mecanização da Médios Pequena Fazenda de Café
 
Fenicafé 2014 william damas beneficios da fertirrigação e gotejamento subte...
Fenicafé 2014   william damas beneficios da fertirrigação e gotejamento subte...Fenicafé 2014   william damas beneficios da fertirrigação e gotejamento subte...
Fenicafé 2014 william damas beneficios da fertirrigação e gotejamento subte...
 
cultura do café
cultura do cafécultura do café
cultura do café
 
Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale palestra fencafé - 05 de m...
Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale   palestra fencafé  - 05 de  m...Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale   palestra fencafé  - 05 de  m...
Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale palestra fencafé - 05 de m...
 
Mecanização da Lavoura Cafeeira - FABIO MOREIRA DA SILVA Palestra ficafe jaca...
Mecanização da Lavoura Cafeeira - FABIO MOREIRA DA SILVA Palestra ficafe jaca...Mecanização da Lavoura Cafeeira - FABIO MOREIRA DA SILVA Palestra ficafe jaca...
Mecanização da Lavoura Cafeeira - FABIO MOREIRA DA SILVA Palestra ficafe jaca...
 
André Guarçoni - minicurso AVANÇOS NA NUTRIÇÃO PARA O CAFÉ CONILON
André Guarçoni - minicurso AVANÇOS NA NUTRIÇÃO PARA O CAFÉ CONILONAndré Guarçoni - minicurso AVANÇOS NA NUTRIÇÃO PARA O CAFÉ CONILON
André Guarçoni - minicurso AVANÇOS NA NUTRIÇÃO PARA O CAFÉ CONILON
 
Apostila pós colheita do Café
Apostila pós colheita do CaféApostila pós colheita do Café
Apostila pós colheita do Café
 
Fertirrigação
FertirrigaçãoFertirrigação
Fertirrigação
 
Café e Cultura 2009 - A Cafeicultura Familiar no Mundo - Paulo Henrique Leme
Café e Cultura 2009 - A Cafeicultura Familiar no Mundo - Paulo Henrique LemeCafé e Cultura 2009 - A Cafeicultura Familiar no Mundo - Paulo Henrique Leme
Café e Cultura 2009 - A Cafeicultura Familiar no Mundo - Paulo Henrique Leme
 
Adubação cafeeiro )
Adubação cafeeiro     )Adubação cafeeiro     )
Adubação cafeeiro )
 
PROCESSO MECANIZADO NO PREPARO DO CAFÉ PÓS COLHEITA Carlos Tomás 12º agrocafé
PROCESSO MECANIZADO NO PREPARO DO CAFÉ PÓS COLHEITA Carlos Tomás 12º agrocaféPROCESSO MECANIZADO NO PREPARO DO CAFÉ PÓS COLHEITA Carlos Tomás 12º agrocafé
PROCESSO MECANIZADO NO PREPARO DO CAFÉ PÓS COLHEITA Carlos Tomás 12º agrocafé
 
Custo de produção do café - Levantamento da Educampo Fenicafé
Custo de produção do café - Levantamento da Educampo FenicaféCusto de produção do café - Levantamento da Educampo Fenicafé
Custo de produção do café - Levantamento da Educampo Fenicafé
 

Semelhante a Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015

Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
Revista Cafeicultura
 
Tendências da irrigação por gotejamento no mundo para os próximos 25 anos Mét...
Tendências da irrigação por gotejamento no mundo para os próximos 25 anos Mét...Tendências da irrigação por gotejamento no mundo para os próximos 25 anos Mét...
Tendências da irrigação por gotejamento no mundo para os próximos 25 anos Mét...
Revista Cafeicultura
 
Gladyston carvalho Tecnologias Aplicadas à Sustentabilidade da Cafeicultura
Gladyston  carvalho Tecnologias Aplicadas à Sustentabilidade da Cafeicultura Gladyston  carvalho Tecnologias Aplicadas à Sustentabilidade da Cafeicultura
Gladyston carvalho Tecnologias Aplicadas à Sustentabilidade da Cafeicultura
Revista Cafeicultura
 
APRESENTAÇÃO FINAL DO 1º Curso Morangueiro on line da EEITU 28-04-20 pdf.pdf
APRESENTAÇÃO FINAL DO 1º Curso Morangueiro on line da EEITU 28-04-20 pdf.pdfAPRESENTAÇÃO FINAL DO 1º Curso Morangueiro on line da EEITU 28-04-20 pdf.pdf
APRESENTAÇÃO FINAL DO 1º Curso Morangueiro on line da EEITU 28-04-20 pdf.pdf
GilsonRibeiroNachtig
 
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBRCasos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
Roberto Yoshida
 
Irrigação de salvação ou suplementar
Irrigação de salvação ou suplementarIrrigação de salvação ou suplementar
Irrigação de salvação ou suplementar
Manejo Da Lavoura Cafeeira
 
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade ruralÁgua Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
marcelo otenio
 
Workshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de Processo
Workshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de ProcessoWorkshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de Processo
Workshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de Processo
Grupo EP
 
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação. Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Grupo de Estudos em Cana-de-Açúcar (GECA)
 
2 - 2016-03-23 - Agromen - Soja - Faz. Santa Fe - Talhao 07 - A4
2 - 2016-03-23 - Agromen - Soja - Faz. Santa Fe - Talhao 07 - A42 - 2016-03-23 - Agromen - Soja - Faz. Santa Fe - Talhao 07 - A4
2 - 2016-03-23 - Agromen - Soja - Faz. Santa Fe - Talhao 07 - A4
Juan Carlos Castaneda
 
Estre/Apresentação Paulinia
Estre/Apresentação PauliniaEstre/Apresentação Paulinia
Estre/Apresentação Paulinia
Anita Rocha
 
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A44 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
Juan Carlos Castaneda
 
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A44 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
Juan Carlos Castaneda
 
Tecnologias de irrigação para pastagem e cana-de-açúcar (Prof. Brasileiro)
Tecnologias de irrigação para pastagem e cana-de-açúcar (Prof. Brasileiro)Tecnologias de irrigação para pastagem e cana-de-açúcar (Prof. Brasileiro)
Tecnologias de irrigação para pastagem e cana-de-açúcar (Prof. Brasileiro)
PET. EAA
 
Sistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altair
Sistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altairSistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altair
Sistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altair
João Siqueira da Mata
 
Fenicafe 2014 andre fernandes como conseguir irrigar em condicoes de escassez...
Fenicafe 2014 andre fernandes como conseguir irrigar em condicoes de escassez...Fenicafe 2014 andre fernandes como conseguir irrigar em condicoes de escassez...
Fenicafe 2014 andre fernandes como conseguir irrigar em condicoes de escassez...
Revista Cafeicultura
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
itgfiles
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
itgfiles
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
itgfiles
 

Semelhante a Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015 (20)

Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
 
Tendências da irrigação por gotejamento no mundo para os próximos 25 anos Mét...
Tendências da irrigação por gotejamento no mundo para os próximos 25 anos Mét...Tendências da irrigação por gotejamento no mundo para os próximos 25 anos Mét...
Tendências da irrigação por gotejamento no mundo para os próximos 25 anos Mét...
 
Gladyston carvalho Tecnologias Aplicadas à Sustentabilidade da Cafeicultura
Gladyston  carvalho Tecnologias Aplicadas à Sustentabilidade da Cafeicultura Gladyston  carvalho Tecnologias Aplicadas à Sustentabilidade da Cafeicultura
Gladyston carvalho Tecnologias Aplicadas à Sustentabilidade da Cafeicultura
 
APRESENTAÇÃO FINAL DO 1º Curso Morangueiro on line da EEITU 28-04-20 pdf.pdf
APRESENTAÇÃO FINAL DO 1º Curso Morangueiro on line da EEITU 28-04-20 pdf.pdfAPRESENTAÇÃO FINAL DO 1º Curso Morangueiro on line da EEITU 28-04-20 pdf.pdf
APRESENTAÇÃO FINAL DO 1º Curso Morangueiro on line da EEITU 28-04-20 pdf.pdf
 
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBRCasos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
 
Irrigação de salvação ou suplementar
Irrigação de salvação ou suplementarIrrigação de salvação ou suplementar
Irrigação de salvação ou suplementar
 
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade ruralÁgua Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
 
Workshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de Processo
Workshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de ProcessoWorkshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de Processo
Workshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de Processo
 
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação. Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
 
2 - 2016-03-23 - Agromen - Soja - Faz. Santa Fe - Talhao 07 - A4
2 - 2016-03-23 - Agromen - Soja - Faz. Santa Fe - Talhao 07 - A42 - 2016-03-23 - Agromen - Soja - Faz. Santa Fe - Talhao 07 - A4
2 - 2016-03-23 - Agromen - Soja - Faz. Santa Fe - Talhao 07 - A4
 
Estre/Apresentação Paulinia
Estre/Apresentação PauliniaEstre/Apresentação Paulinia
Estre/Apresentação Paulinia
 
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
 
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A44 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
 
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A44 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
4 - 2016-03-23 - Agromen - Milho - Faz. Santa Fe - Pivo 1 - A4
 
Tecnologias de irrigação para pastagem e cana-de-açúcar (Prof. Brasileiro)
Tecnologias de irrigação para pastagem e cana-de-açúcar (Prof. Brasileiro)Tecnologias de irrigação para pastagem e cana-de-açúcar (Prof. Brasileiro)
Tecnologias de irrigação para pastagem e cana-de-açúcar (Prof. Brasileiro)
 
Sistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altair
Sistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altairSistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altair
Sistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altair
 
Fenicafe 2014 andre fernandes como conseguir irrigar em condicoes de escassez...
Fenicafe 2014 andre fernandes como conseguir irrigar em condicoes de escassez...Fenicafe 2014 andre fernandes como conseguir irrigar em condicoes de escassez...
Fenicafe 2014 andre fernandes como conseguir irrigar em condicoes de escassez...
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
 

Mais de Revista Cafeicultura

Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdfPanaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Revista Cafeicultura
 
Acb denuncia tc e mm 2019
Acb denuncia  tc e mm 2019Acb denuncia  tc e mm 2019
Acb denuncia tc e mm 2019
Revista Cafeicultura
 
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Revista Cafeicultura
 
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagensGotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Revista Cafeicultura
 
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
Revista Cafeicultura
 
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Revista Cafeicultura
 
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IACAdubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
Revista Cafeicultura
 
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
Revista Cafeicultura
 
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Revista Cafeicultura
 
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Revista Cafeicultura
 
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Revista Cafeicultura
 
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Revista Cafeicultura
 
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha  Palestra fale melhor e venda maisFernando cunha  Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
Revista Cafeicultura
 
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
Revista Cafeicultura
 
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Revista Cafeicultura
 
Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018
Revista Cafeicultura
 
Uso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agriculturaUso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agricultura
Revista Cafeicultura
 
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-caféCampanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Revista Cafeicultura
 
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Revista Cafeicultura
 
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Revista Cafeicultura
 

Mais de Revista Cafeicultura (20)

Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdfPanaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
 
Acb denuncia tc e mm 2019
Acb denuncia  tc e mm 2019Acb denuncia  tc e mm 2019
Acb denuncia tc e mm 2019
 
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
 
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagensGotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
 
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
 
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
 
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IACAdubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
 
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
 
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
 
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
 
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
 
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
 
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha  Palestra fale melhor e venda maisFernando cunha  Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
 
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
 
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
 
Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018
 
Uso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agriculturaUso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agricultura
 
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-caféCampanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
 
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
 
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
 

Último

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 

Último (20)

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 

Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015

  • 1. Gotejo subterrâneo em café Prof. Dr. André Luís T. Fernandes Pró Reitor de Pesquisa Pós Graduação e Extensão
  • 2. Gotejo subterrâneo em café • Por que enterrar tubogotejadores? • Aspectos teóricos • No passado... • O que está sendo feito agora? • Opinião dos produtores... • Recomendações.
  • 3.
  • 4. Por que enterrar tubogotejadores?
  • 5.
  • 7. Sistema de irrigação por gotejamento
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. 12 Risco potencial de obstruções conforme a qualidade da água de irrigação Tipo de problema Risco Baixo Médio Alto Físico Sólidos em suspensão (ppm) < 50 50 a 100 >100 Químico pH < 7,0 7,0 a 8,0 > 8,0 Sólidos dissolvidos (ppm) < 500 500 a 2.000 > 2.000 Mn (ppm) < 0,1 0,1 a 1,5 > 1,5 Fe (ppm) < 0,1 0,1 a 1,5 > 1,5 SH2 (ppm) < 0,5 0,5 a 2,0 > 2,0 Biológico Bactérias (nº/cm3) < 10.000 10.000 a 50.000 > 50.000
  • 13. Tipos de obstruções Areia Silte Físicas: Químicas: Carbonato de cálcio
  • 14. Tipos de obstruções • Biológicas: ocasionadas por algas transportadas pela água, raízes de plantas (emissores enterrados) ou bactérias Ferro-bactérias
  • 15.
  • 16. O que deu errado no passado?
  • 17. Problemas gotejamento enterrado Concentração de raízes Gotejador enterrado
  • 18.
  • 19.
  • 20. 20 Solo Franco Solo Argiloso TEMPO DE IRRIGAÇÃO E ÁREA E BULBO MOLHADO Solo Arenoso CUIDADO COM O TIPO DE SOLO
  • 21. 21 Estudo de bulbo (no local) Fonte: Sá e Fernandes (2006)
  • 22. 22 Estudo de bulbo (no local) Dimensões do Bulbo Formado (2,40 l/h) 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1 -0,5 -0,4 -0,3 -0,2 -0,1 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 Raio (m) Profundidade(m) 2h 6h 12h 24h RECOMENDAÇÕES: 2,3 l/h a cada 0,75 m 3,5 l/h a cada 1,00 mFonte: Sá e Fernandes (2006)
  • 23. Intrusão de raízes • Plantas crescem em direção à regiões do solo com teor de água maior • Risco é maior com irrigações menos freqüentes e com emissores enterrados • Tratamento químico – Trifuralina (Treflan)– herbicida que atua sobre as raízes, permanecendo na zona próxima ao gotejador sem ser lixiviado pela água.
  • 24. Intrusão de raízes – como evitar: Emissores com barreiras mecânicas Adição de trifluralina na água de irrigação Incorporação de trifluralina no plástico do emissor ou nos filtros de discos. TRIFLURALINA: • não apresenta deslocamento (tolerância das culturas até 0,05 ppm) • Impede crescimento de raízes secundárias, não afetando as principais; • nitrogenado, sendo degradado com a temperatura e umidade
  • 25. Cuidados tratamento químico • Verificar vazamentos no sistema; • Contabilizar número de laterais e quantidade exata de gotejadores; • Suspender a irrigação durante 2 dias (zona seca); • Realizar a injeção de Treflan (Trifularina 445 g/L) • Após a aplicação, interromper a irrigação imediatamente por 1 dia (absorção) Intrusão de raízes DINITROANILINAS, Classe II
  • 26. Variação de vazão de gotejadores enterrados na irrigação de café e citros (FARIA, 2002) Tratamentos: • 2 profundidades (15 e 30 cm) • 2 níveis de água no solo (seco e úmido) • 2 culturas (café e citros) • 14 modelos de gotejadores:
  • 27. Efeitos de raízes (café) em emissores
  • 28. Aspectos teóricos Perfil de distribuição de tensão de umidade (cmca), 48 h após a segunda irrigação A. Emissor superficial, B. Emissor subsuperficial Nogueira et al. (2000) desenvolveram trabalho de campo objetivando estabelecer comparações entre os bulbos molhados por gotejadores localizados na superfície do solo, e enterrados no final do ciclo da irrigação. CONCLUSÃO: Ao final de dois ciclos de irrigação observou-se, no volume molhado sob gotejamento enterrado, um teor de água disponível variando entre 29 a 44% maior que no caso do emissor superficial.
  • 31.  Dados da área experimental: Gotejamento subterrâneo Cultura: Café Arábica Variedade: IAPAR 59 Espaçamento: 3,30 x 0,50m Local: Fazenda Santa Bárbara Município: Monte Carmelo - MG Proprietário: Afonso Simonis Captação: córrego (Fe total: 3,0ppm)
  • 32.
  • 33.
  • 35.  Data: 04/08/06 – (8meses) RESULTADOS
  • 36.  Avaliação Visual 3. Sistema Radicular RESULTADOS Gotejo enterrado - safras Ano 1 (2008): 90 sc/ha Ano 2 (2009): 35 sc/ha Média 2 safras: 62,5 sc/ha Perspectiva Ano 3 (2010): 100 sc/ha Média 3 safras: 75 sc/ha
  • 37. 94%
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 44. FAZENDA CAMBUHY Matão - SPMunicípio Café ArábicaCultura Mundo NovoVariedade 3,70 x 0,70 mEspaçamento Setembro de 2007Plantio Uniram RC 16009Gotejador 0,75 m Distância entre gotejadores 1,6 L/hVazão Gotejamento Subterrâneo Tipo de irrigação 5 anos Sistema em funcionamento  Dados da área Fonte: Netafim
  • 45.  Estudo comparativo do desempenho do gotejamento subterrâneo vs gotejamento superficial FAZENDA CAMBUHY  Gotejamento subterrâneo  Gotejamento superficial Fonte: Netafim
  • 47. FAZENDA CAMBUHY  Avaliação do gotejamento subterrâneo − Avaliação 01 – 19 de junho de 2009 − Avaliação 02 – 01 de junho de 2010 − Avaliação 03 – 12 de maio de 2011 − Avaliação 04 – 14 de setembro de 2012 Fonte: Netafim
  • 48.  Avaliação realizada em junho de 2009 − Sistema radicular  Gotejamento superficial  Gotejamento subterrâneo FAZENDA CAMBUHY Fonte: Netafim
  • 49.  Avaliação realizada em setembro de 2012 − Sistema radicular  Gotejamento superficial  Gotejamento subterrâneo FAZENDA CAMBUHY Fonte: Netafim
  • 50.  Avaliação realizada em setembro de 2012 − Uniformidade de aplicação de água  Gotejamento superficial  Gotejamento subterrâneo FAZENDA CAMBUHY 94%94% Fonte: Netafim
  • 51. FAZENDA CAMBUHY  Avaliação do gotejamento subterrâneo − Conclui-se que após 5 anos de funcionamento do gotejamento subterrâneo no café, não foi encontrada a interferência de radicelas e/ou raízes lenhosas no gotejamento e o mesmo encontra-se em excelente desempenho técnico e agronômico, semelhante ao gotejamento superficial (convencional) e atendendo todas as características necessárias para um sistema de irrigação localizada de alta performance Fonte: Netafim
  • 52.
  • 53.
  • 54.
  • 63.
  • 65. FAZENDA FREITAS Patrocínio - MG Gotejador autocompensante, anti-sifão, 2,2 l/h, 0,70 m; instalação 2013 Enterrio na implantação do projeto Medida da uniformidade: 94,1% Fonte: NaanDanJain
  • 66. FAZENDA FREITAS Patrocínio - MG Fonte: NaanDanJain
  • 70. Ipanema Coffees Alfenas – MG Sequeiro 15sc/ha Irrigado 50sc/ha Sequeiro Irrigado
  • 71. Dados da área experimental para montagem do Sistema Subsuperficial: - Unidade de produção: Conquista - Gleba: A48 - Variedade: Acaiá IAC 474/19 - Área: 6 ha - Ano de plantio: 2012 - Ano de implantação do experimento: Fev./2014 - Parte do Projeto 3 - Profundidade: 20 cm - Distancia do tronco: 20 cm Visualização da mangueira de gotejamento enterrada na área experimental VANTAGENS: • A flexibilidade no uso do maquinário agrícola e atividades manuais que poderiam danificar tubulações. • Maior dificuldade de germinação de plantas daninhas na linha de plantio devido à ausência de umidade superficial. • Maior aproveitamento das fertirrigações devido à proximidade das raízes com o ponto de aplicação de água e adubo. • Maior eficiência de irrigação, devido à eliminação das perdas por evaporação superficial.
  • 72. Dados da área experimental para montagem do Sistema Subsuperficial: - Unidade de produção: Conquista DESVANTAGENS: • Dificuldade de realizar em lavouras mais velhas – corte de raízes; • Não aplicável para sistemas com gotejadores já danificados – maior ocorrência de vazamentos; • Maior risco de entupimento dos gotejadores por intrusão radicular; • Necessidade de maior cuidado com a qualidade da água; • Maior necessidade de manutenções preventivas e monitoramento dos padrões técnicos devido à ausência de visualização de vazamentos; • Necessidade do monitoramento constante da condutividade hidráulica do solo, principalmente nas fases iniciais de implantação. • Dúvidas quanto ao momento correto do enterro das mangueiras.
  • 73. Dados da área experimental para montagem do Sistema Subsuperficial: - Unidade de produção: Conquista
  • 74. Dados da área experimental para montagem do Sistema Subsuperficial: - Unidade de produção: Conquista - ANÁLISE MULTICRITÉRIO Até o momento podemos concluir, nas condições da Ipanema, que apesar de não apresentar grandes diferenças, seria interessante para o operacional e custo realizarmos o enterrio dos gotejadores, apesar de ainda termos poucos dados para tal conclusão.
  • 75. LIMITAÇÕES: • Checagem de vazamentos mais difícil • Avaliação da uniformidade mais trabalhosa • Concentração de raízes
  • 76. LIMITAÇÕES: • Manejo da fertirrigação – Lixiviação, salinização, acidificação. ACIDEZ EXCESSIVA: 3,5 4,5 5,5 6,5 7,5 jan/04 ago/04 fev/05 set/05 mar/06 out/06 abr/07 Period SoilsolutionpH AN CN
  • 78. Gotejamento subterrâneo – por que?  Melhoria nos manejos de água e nutrientes e práticas culturais do café − cortes causados pelas capinas − ataque de roedores / furtos − colheita Fonte: Netafim
  • 79. Gotejamento subterrâneo - recomendações  Profundidade de enterrio dos tubos gotejadores – 10 a 20 cm  Muito critério na hora de proceder ao enterrio  Distância dos tubos gotejadores em relação ao colo da planta – 30 a 40 cm  Tubo gotejador com o orifício voltado para cima  Boa cobertura do solo após a instalação  Momento de enterrar  Atenção às operações de manutenção / manejo
  • 80. Fonte: Netafim Gotejamento subterrâneo - recomendações Aferição constante dos tubos gotejadores após o enterrio para verificar: profundidade, distância da planta, cobertura do solo, gotejador (com o orifício voltado para cima), assim como garantir que os tubos gotejadores estejam em perfeito estado após a instalação Boa cobertura e “compactação” do solo após o enterrio dos tubos gotejadores
  • 81.  Espaçamento entre os gotejadores de 0,50 a 0,75 m (conforme textura do solo)  Formação de faixa úmida  Lâmina de irrigação de 2,0 a 5,6 mm/dia (conforme demanda da cultura, na região) Fonte: Netafim Gotejamento subterrâneo - recomendações
  • 83.  Os gotejadores devem estar espaçados de modo a formar uma faixa úmida  Avaliar periodicamente o sistema  Observar no campo possíveis problemas (visual das plantas) Fonte: Netafim, NaanDanJain, Plastro Gotejamento subterrâneo - recomendações
  • 84. 84 Fonte: Netafim Imediatamente após a instalação dos tubos gotejadores subterrâneos, recomenda-se a aplicação de fósforo e cálcio solúveis (MAP purificado e nitrato de cálcio) via fertirrigação para estimular o desenvolvimento de novas radicelas, divisão celular, transferência de energia e armazenamento
  • 85.
  • 86.