SlideShare uma empresa Scribd logo
“OS SÃOS NÃO PRECISAM 
DE MÉDICO” 
Em dia com o Evangelho
QUEM A DISSE? 
Quando e em que 
circunstâncias Jesus a proferiu?
A VOCAÇÃO DE 
MATEUS 
Mateus 9 : 09 a 13 
Marcos 5: 13 a 17 
Lucas 5 : 27 a 32
4 
9. Jesus saiu dali e, no caminho, viu um cobrador de impostos, chamado 
Mateus, sentado no lugar onde os impostos eram pagos. Jesus lhe disse: 
- Venha comigo. Mateus se levantou e foi com ele. 
10. Mais tarde, enquanto Jesus estava jantando na casa de Mateus, muitos 
cobradores de impostos e outras pessoas de má fama chegaram e 
sentaram-se à mesa com Jesus e os seus discípulos. 
11. Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: 
- Por que é que o mestre de vocês come com os cobradores de impostos e 
com outras pessoas de má fama? 
12. Jesus ouviu a pergunta e respondeu: - Os que têm saúde não precisam 
de médico, mas sim os doentes. 
13. Vão e procurem entender o que quer dizer este trecho das Escrituras 
Sagradas: "Eu quero que as pessoas sejam bondosas e não que me 
ofereçam sacrifícios de animais." Porque eu vim para chamar os pecadores 
e não os bons.
Apóstolo 
• palavra derivada do grego 
que significa enviado. 
Jesus escolheu doze 
apóstolos e os enviou 
para diversos lugares 
para pregarem a chegada 
da "Boa Nova". 
Discípulo 
palavra derivada do latim 
que significa aluno. Jesus 
tinha na época 70 
discípulos, além dos doze 
apóstolos para ajudá-lo.
Fariseus 
6 
Classe religiosa dominante na época. Eram cumpridores das práticas exteriores do 
culto e das cerimônias, mas não seguiam os ensinamentos das leis de Moisés. Sob 
as aparências ocultavam costumes dissolutos e muito orgulho. 
Publicanos 
Era assim chamados os cavalheiros arrendatários das taxas públicas, classe muito 
odiada na época de Jesus, eram homens incumbidos de cobrarem impostos dos 
judeus para serem entregues às autoridade romanas. 
Portageiros 
Eram os arrecadadores de baixa categoria, incumbidos da cobrança dos direitos de 
entrada nas cidades. Compartilhavam da repulsa que pesava sobre os publicanos. 
Termo de desprezo, sinônimo de gente de má vida indignos de conviver com pessoas 
distintas.
Entendendo o evangelho 
9 - Jesus saiu dali, 
e no caminho, viu um 
cobrador de impostos, 
chamado Mateus, sentado no 
lugar onde os impostos eram 
pagos. 
Jesus lhe disse: - Venha 
comigo. 
Mateus se levantou e foi com 
Ele.
10. Mais tarde, 
enquanto Jesus 
estava jantando na 
casa de Mateus, 
muitos cobradores 
de impostos e 
outras pessoas de 
má fama 
chegaram e 
sentaram-se à 
mesa com Jesus e 
os seus discípulos 
8
11 
Alguns fariseus 
viram isso e 
perguntaram aos 
discípulos: 
- Por que é que o 
mestre de vocês 
come com os 
cobradores de 
impostos e com 
outras pessoas de 
má fama? 
9
Os sãos não precisam de médico
Jesus era constantemente 
criticado, por ser amigo de 
pecadores e de prostitutas 
Veio o Filho do homem, 
comendo e bebendo, e 
dizem: Eis aí um homem 
comilão e beberrão, 
amigo dos publicanos e 
pecadores. 
(Mateus 11:19) 
Ao ver isso, o fariseu 
que o havia convidado 
disse a si mesmo: "Se 
este homem fosse 
profeta, saberia quem 
nele está tocando e que 
tipo de mulher ela é: 
uma pecadora". 
( Lucas 7:39)
803. Perante Deus, são iguais todos os homens? 
“Sim, todos tendem para o mesmo fim e Deus fez Suas leis para 
todos. Dizeis frequentemente: 
“O Sol luz para todos” e enunciais assim uma verdade maior e 
mais geral do que pensais.” 
Todos os homens estão submetidos às mesmas leis da 
Natureza. 
Todos nascem igualmente fracos, acham-se sujeitos às 
mesmas dores e o corpo do rico se destrói como o do pobre. 
Deus a nenhum homem concedeu superioridade natural, nem 
pelo nascimento, nem pela morte: todos, aos Seus olhos, são 
iguais.
12 
Jesus ouviu a 
pergunta e 
respondeu: 
- Os que têm 
saúde não 
precisam de 
médico, mas 
sim os 
doentes.
Jesus se acercava principalmente dos pobres e dos deserdados, porque 
são os que mais necessitam de consolações: 
Item 12 cap. XXIV E. S .E
Cap. 19 
Jesus e 
Simão
Aqueles que intoxicaram no próprio excesso 
os extremistas da corrigenda, tão apaixonados pelos processos punitivos 
que se perturbam na dureza de coração pela ausência de misericórdia; 
os extremistas da gentileza, tão interessados em agradar que 
descambam, um dia, para as deficiências da invigilância; 
os extremistas da superioridade, tão agarrados à idéia de altura pessoal 
que adquirem a cegueira do orgulho; . 
os extremistas da independência, tão ciosos da própria emancipação 
que fogem ao dever, caindo nos desequilíbrios da licenciosidade; 
os extremistas da poupança, tão receosos de perder alguns centavos que 
acabam transformando o dinheiro, instrumento do bem e do progresso, 
na paralisia da avareza em que se lhes arrasa a alegria de viver 
Livro Bençãos de Paz 
Emmanuel 
16
13 
Vão e procurem 
entender o que 
quer dizer este 
trecho das 
Escrituras 
Sagradas: "Eu 
quero que as 
pessoas sejam 
bondosas e não 
que me ofereçam 
sacrifícios de 
animais." Porque 
eu vim para 
chamar os 
pecadores e não 
os bons.
Os sãos não precisam de médico
Os sãos não precisam de médico

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
gmo1973
 
Caridade para com os criminosos
Caridade para com os criminososCaridade para com os criminosos
Caridade para com os criminosos
Izabel Cristina Fonseca
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
Sergio Menezes
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
Jorge Luiz dos Santos
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
Fatoze
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
Dalila Melo
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Divulgador do Espiritismo
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
alice martins
 
O Ódio - O amor que enlouqueceu
O Ódio - O amor que enlouqueceuO Ódio - O amor que enlouqueceu
O Ódio - O amor que enlouqueceu
Izabel Cristina Fonseca
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
Lorena Dias
 
Estudos do evangelho "O maior mandamento"
Estudos do evangelho "O maior mandamento"Estudos do evangelho "O maior mandamento"
Estudos do evangelho "O maior mandamento"
Leonardo Pereira
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
Divulgador do Espiritismo
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Fernando Pinto
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Divulgador do Espiritismo
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
Marilice Passos
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
Leonardo Pereira
 
Livre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espíritaLivre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Retribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o BemRetribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o Bem
igmateus
 

Mais procurados (20)

Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
 
Caridade para com os criminosos
Caridade para com os criminososCaridade para com os criminosos
Caridade para com os criminosos
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
 
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
 
O Ódio - O amor que enlouqueceu
O Ódio - O amor que enlouqueceuO Ódio - O amor que enlouqueceu
O Ódio - O amor que enlouqueceu
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
 
Estudos do evangelho "O maior mandamento"
Estudos do evangelho "O maior mandamento"Estudos do evangelho "O maior mandamento"
Estudos do evangelho "O maior mandamento"
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 
Livre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espíritaLivre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espírita
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
 
Retribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o BemRetribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o Bem
 

Semelhante a Os sãos não precisam de médico

Aula 42. O Tribunal Judaico
Aula 42. O  Tribunal JudaicoAula 42. O  Tribunal Judaico
Aula 42. O Tribunal Judaico
liliancostadias
 
A realeza de jesus
A realeza de jesusA realeza de jesus
A realeza de jesus
Henrique Vieira
 
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
Gerson G. Ramos
 
Eae 28 Pregações e curas
Eae 28 Pregações e curasEae 28 Pregações e curas
Eae 28 Pregações e curas
PatiSousa1
 
Jesus sozinho na multidão
Jesus   sozinho na multidãoJesus   sozinho na multidão
Jesus sozinho na multidão
Tarcísio Picaglia
 
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira). Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
Cristo e a tradição religiosa_Lição_original com textos_322014
Cristo e a tradição religiosa_Lição_original com textos_322014Cristo e a tradição religiosa_Lição_original com textos_322014
Cristo e a tradição religiosa_Lição_original com textos_322014
Gerson G. Ramos
 
16827615 Espiritismo Infantil Historia 20
16827615 Espiritismo Infantil Historia 2016827615 Espiritismo Infantil Historia 20
16827615 Espiritismo Infantil Historia 20
Ana Cristina Freitas
 
Marcos 2.13 17
Marcos 2.13 17Marcos 2.13 17
Marcos 2.13 17
Maurício Neto
 
História da igreja i
História da igreja iHistória da igreja i
História da igreja i
Sérgio Miguel
 
Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014
Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014
Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014
Gerson G. Ramos
 
Irmãos do rei
Irmãos do reiIrmãos do rei
Irmãos do rei
Bruno Da Montanha
 
Discipulando poderosos_Lição_original com textos_912014
Discipulando poderosos_Lição_original com textos_912014Discipulando poderosos_Lição_original com textos_912014
Discipulando poderosos_Lição_original com textos_912014
Gerson G. Ramos
 
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
PIB Penha - SP
 
Da criação à Páscoa - Livro para colorir.pdf
Da criação à Páscoa - Livro para colorir.pdfDa criação à Páscoa - Livro para colorir.pdf
Da criação à Páscoa - Livro para colorir.pdf
Freekidstories
 
Farisaismo
FarisaismoFarisaismo
Farisaismo
Marquinhos Souza
 
II – Autoridade da Doutrina Espírita
II – Autoridade da Doutrina Espírita II – Autoridade da Doutrina Espírita
II – Autoridade da Doutrina Espírita
Patricia Farias
 
Da criação à Páscoa
Da criação à PáscoaDa criação à Páscoa
Da criação à Páscoa
Freekidstories
 
Um dos doze
Um dos dozeUm dos doze
Um dos doze
gospel10
 
Apresentação1 anjos
Apresentação1 anjosApresentação1 anjos
Apresentação1 anjos
Renato Barros
 

Semelhante a Os sãos não precisam de médico (20)

Aula 42. O Tribunal Judaico
Aula 42. O  Tribunal JudaicoAula 42. O  Tribunal Judaico
Aula 42. O Tribunal Judaico
 
A realeza de jesus
A realeza de jesusA realeza de jesus
A realeza de jesus
 
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
 
Eae 28 Pregações e curas
Eae 28 Pregações e curasEae 28 Pregações e curas
Eae 28 Pregações e curas
 
Jesus sozinho na multidão
Jesus   sozinho na multidãoJesus   sozinho na multidão
Jesus sozinho na multidão
 
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira). Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
 
Cristo e a tradição religiosa_Lição_original com textos_322014
Cristo e a tradição religiosa_Lição_original com textos_322014Cristo e a tradição religiosa_Lição_original com textos_322014
Cristo e a tradição religiosa_Lição_original com textos_322014
 
16827615 Espiritismo Infantil Historia 20
16827615 Espiritismo Infantil Historia 2016827615 Espiritismo Infantil Historia 20
16827615 Espiritismo Infantil Historia 20
 
Marcos 2.13 17
Marcos 2.13 17Marcos 2.13 17
Marcos 2.13 17
 
História da igreja i
História da igreja iHistória da igreja i
História da igreja i
 
Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014
Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014
Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014
 
Irmãos do rei
Irmãos do reiIrmãos do rei
Irmãos do rei
 
Discipulando poderosos_Lição_original com textos_912014
Discipulando poderosos_Lição_original com textos_912014Discipulando poderosos_Lição_original com textos_912014
Discipulando poderosos_Lição_original com textos_912014
 
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
 
Da criação à Páscoa - Livro para colorir.pdf
Da criação à Páscoa - Livro para colorir.pdfDa criação à Páscoa - Livro para colorir.pdf
Da criação à Páscoa - Livro para colorir.pdf
 
Farisaismo
FarisaismoFarisaismo
Farisaismo
 
II – Autoridade da Doutrina Espírita
II – Autoridade da Doutrina Espírita II – Autoridade da Doutrina Espírita
II – Autoridade da Doutrina Espírita
 
Da criação à Páscoa
Da criação à PáscoaDa criação à Páscoa
Da criação à Páscoa
 
Um dos doze
Um dos dozeUm dos doze
Um dos doze
 
Apresentação1 anjos
Apresentação1 anjosApresentação1 anjos
Apresentação1 anjos
 

Mais de nelmarvoc

Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
 Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada" Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
nelmarvoc
 
Palestra Pública - A verdadeira cura
Palestra Pública - A verdadeira curaPalestra Pública - A verdadeira cura
Palestra Pública - A verdadeira cura
nelmarvoc
 
Palestra Pública - Estudo do Evangelho - Sobre as águas
 Palestra Pública - Estudo do Evangelho - Sobre as águas Palestra Pública - Estudo do Evangelho - Sobre as águas
Palestra Pública - Estudo do Evangelho - Sobre as águas
nelmarvoc
 
A cura de um lunático
A cura de um lunáticoA cura de um lunático
A cura de um lunático
nelmarvoc
 
Salvos pela fé
Salvos pela féSalvos pela fé
Salvos pela fé
nelmarvoc
 
As curas efetuadas por Jesus - Tanque de Betesda
 As curas efetuadas por Jesus  - Tanque de Betesda As curas efetuadas por Jesus  - Tanque de Betesda
As curas efetuadas por Jesus - Tanque de Betesda
nelmarvoc
 
O mordomo infiel
O mordomo infielO mordomo infiel
O mordomo infiel
nelmarvoc
 
Brilhe a vossa Luz.
Brilhe a vossa Luz.Brilhe a vossa Luz.
Brilhe a vossa Luz.
nelmarvoc
 
Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
 Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
nelmarvoc
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
nelmarvoc
 
Nem Ouro Nem Prata
Nem Ouro Nem PrataNem Ouro Nem Prata
Nem Ouro Nem Prata
nelmarvoc
 
A Rediviva de Magdala
A Rediviva de MagdalaA Rediviva de Magdala
A Rediviva de Magdala
nelmarvoc
 
Direito a vida
Direito a vidaDireito a vida
Direito a vida
nelmarvoc
 
A FUGA PARA O EGITO
A FUGA PARA O EGITOA FUGA PARA O EGITO
A FUGA PARA O EGITO
nelmarvoc
 
Afonso revista espiritas 1858_1859_1
Afonso revista espiritas 1858_1859_1Afonso revista espiritas 1858_1859_1
Afonso revista espiritas 1858_1859_1
nelmarvoc
 

Mais de nelmarvoc (15)

Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
 Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada" Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
 
Palestra Pública - A verdadeira cura
Palestra Pública - A verdadeira curaPalestra Pública - A verdadeira cura
Palestra Pública - A verdadeira cura
 
Palestra Pública - Estudo do Evangelho - Sobre as águas
 Palestra Pública - Estudo do Evangelho - Sobre as águas Palestra Pública - Estudo do Evangelho - Sobre as águas
Palestra Pública - Estudo do Evangelho - Sobre as águas
 
A cura de um lunático
A cura de um lunáticoA cura de um lunático
A cura de um lunático
 
Salvos pela fé
Salvos pela féSalvos pela fé
Salvos pela fé
 
As curas efetuadas por Jesus - Tanque de Betesda
 As curas efetuadas por Jesus  - Tanque de Betesda As curas efetuadas por Jesus  - Tanque de Betesda
As curas efetuadas por Jesus - Tanque de Betesda
 
O mordomo infiel
O mordomo infielO mordomo infiel
O mordomo infiel
 
Brilhe a vossa Luz.
Brilhe a vossa Luz.Brilhe a vossa Luz.
Brilhe a vossa Luz.
 
Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
 Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
 
Nem Ouro Nem Prata
Nem Ouro Nem PrataNem Ouro Nem Prata
Nem Ouro Nem Prata
 
A Rediviva de Magdala
A Rediviva de MagdalaA Rediviva de Magdala
A Rediviva de Magdala
 
Direito a vida
Direito a vidaDireito a vida
Direito a vida
 
A FUGA PARA O EGITO
A FUGA PARA O EGITOA FUGA PARA O EGITO
A FUGA PARA O EGITO
 
Afonso revista espiritas 1858_1859_1
Afonso revista espiritas 1858_1859_1Afonso revista espiritas 1858_1859_1
Afonso revista espiritas 1858_1859_1
 

Último

11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 

Último (15)

11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 

Os sãos não precisam de médico

  • 1. “OS SÃOS NÃO PRECISAM DE MÉDICO” Em dia com o Evangelho
  • 2. QUEM A DISSE? Quando e em que circunstâncias Jesus a proferiu?
  • 3. A VOCAÇÃO DE MATEUS Mateus 9 : 09 a 13 Marcos 5: 13 a 17 Lucas 5 : 27 a 32
  • 4. 4 9. Jesus saiu dali e, no caminho, viu um cobrador de impostos, chamado Mateus, sentado no lugar onde os impostos eram pagos. Jesus lhe disse: - Venha comigo. Mateus se levantou e foi com ele. 10. Mais tarde, enquanto Jesus estava jantando na casa de Mateus, muitos cobradores de impostos e outras pessoas de má fama chegaram e sentaram-se à mesa com Jesus e os seus discípulos. 11. Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: - Por que é que o mestre de vocês come com os cobradores de impostos e com outras pessoas de má fama? 12. Jesus ouviu a pergunta e respondeu: - Os que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. 13. Vão e procurem entender o que quer dizer este trecho das Escrituras Sagradas: "Eu quero que as pessoas sejam bondosas e não que me ofereçam sacrifícios de animais." Porque eu vim para chamar os pecadores e não os bons.
  • 5. Apóstolo • palavra derivada do grego que significa enviado. Jesus escolheu doze apóstolos e os enviou para diversos lugares para pregarem a chegada da "Boa Nova". Discípulo palavra derivada do latim que significa aluno. Jesus tinha na época 70 discípulos, além dos doze apóstolos para ajudá-lo.
  • 6. Fariseus 6 Classe religiosa dominante na época. Eram cumpridores das práticas exteriores do culto e das cerimônias, mas não seguiam os ensinamentos das leis de Moisés. Sob as aparências ocultavam costumes dissolutos e muito orgulho. Publicanos Era assim chamados os cavalheiros arrendatários das taxas públicas, classe muito odiada na época de Jesus, eram homens incumbidos de cobrarem impostos dos judeus para serem entregues às autoridade romanas. Portageiros Eram os arrecadadores de baixa categoria, incumbidos da cobrança dos direitos de entrada nas cidades. Compartilhavam da repulsa que pesava sobre os publicanos. Termo de desprezo, sinônimo de gente de má vida indignos de conviver com pessoas distintas.
  • 7. Entendendo o evangelho 9 - Jesus saiu dali, e no caminho, viu um cobrador de impostos, chamado Mateus, sentado no lugar onde os impostos eram pagos. Jesus lhe disse: - Venha comigo. Mateus se levantou e foi com Ele.
  • 8. 10. Mais tarde, enquanto Jesus estava jantando na casa de Mateus, muitos cobradores de impostos e outras pessoas de má fama chegaram e sentaram-se à mesa com Jesus e os seus discípulos 8
  • 9. 11 Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: - Por que é que o mestre de vocês come com os cobradores de impostos e com outras pessoas de má fama? 9
  • 11. Jesus era constantemente criticado, por ser amigo de pecadores e de prostitutas Veio o Filho do homem, comendo e bebendo, e dizem: Eis aí um homem comilão e beberrão, amigo dos publicanos e pecadores. (Mateus 11:19) Ao ver isso, o fariseu que o havia convidado disse a si mesmo: "Se este homem fosse profeta, saberia quem nele está tocando e que tipo de mulher ela é: uma pecadora". ( Lucas 7:39)
  • 12. 803. Perante Deus, são iguais todos os homens? “Sim, todos tendem para o mesmo fim e Deus fez Suas leis para todos. Dizeis frequentemente: “O Sol luz para todos” e enunciais assim uma verdade maior e mais geral do que pensais.” Todos os homens estão submetidos às mesmas leis da Natureza. Todos nascem igualmente fracos, acham-se sujeitos às mesmas dores e o corpo do rico se destrói como o do pobre. Deus a nenhum homem concedeu superioridade natural, nem pelo nascimento, nem pela morte: todos, aos Seus olhos, são iguais.
  • 13. 12 Jesus ouviu a pergunta e respondeu: - Os que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes.
  • 14. Jesus se acercava principalmente dos pobres e dos deserdados, porque são os que mais necessitam de consolações: Item 12 cap. XXIV E. S .E
  • 15. Cap. 19 Jesus e Simão
  • 16. Aqueles que intoxicaram no próprio excesso os extremistas da corrigenda, tão apaixonados pelos processos punitivos que se perturbam na dureza de coração pela ausência de misericórdia; os extremistas da gentileza, tão interessados em agradar que descambam, um dia, para as deficiências da invigilância; os extremistas da superioridade, tão agarrados à idéia de altura pessoal que adquirem a cegueira do orgulho; . os extremistas da independência, tão ciosos da própria emancipação que fogem ao dever, caindo nos desequilíbrios da licenciosidade; os extremistas da poupança, tão receosos de perder alguns centavos que acabam transformando o dinheiro, instrumento do bem e do progresso, na paralisia da avareza em que se lhes arrasa a alegria de viver Livro Bençãos de Paz Emmanuel 16
  • 17. 13 Vão e procurem entender o que quer dizer este trecho das Escrituras Sagradas: "Eu quero que as pessoas sejam bondosas e não que me ofereçam sacrifícios de animais." Porque eu vim para chamar os pecadores e não os bons.