SlideShare uma empresa Scribd logo
Arlete Länzlinger - jan/2014 – CEEAK Winterthur
Ciência Indagar, conhecer.
Filosofia Compreensão e apreensão da
realidade.Razão, sabedoria.
Religião Ética, moral, Evangelho
BASE DE SUSTENTAÇÃO DO ESPIRITISMO
O Espiritismo é apoiado em uma base
de conhecimento, sustentação
teórica e experimentação
constituída de três “pilares” :
A separação dos “pilares” da Doutrina
Espírita em três segmentos é mais didática
do que prática, pois seus fundamentos se
interpenetram e interagem entre si.
Sócrates e platão, precursores
CAP.X-A GRÉCIA E A MISSÃO DE SÓCRATES
•NAS VÉSPERAS DA MAIORIDADE TERRESTRE
Examinando a maioridade
espiritual das criaturas
humanas, enviou-lhes o
Cristo, antes de sua vinda
ao mundo, numerosa coorte
de Espíritos sábios e
benevolentes, aptos a
consolidadar, de modo
definitivo, essa maturação
do pensamento terrestre.
 Ao influxo do coração misericordioso do Cristo, toda a
Grécia se povoa de artistas e pensadores eminentes,
no quadro das filosofias e das ciências..
O Salvador contempla,das Alturas, essa época de
elevadas conquistas morais, cheio de amor e de
esperança
 O planeta terrestre aproximava-se da sua maioridade
espiritual quando, então, poderia Ele nutrir o coração
humano com a sementeira bendita da sua palavra.
• Envia, então, às sociedades do globo o esforço de
auxiliares valorosos, nas figuras de Ésquilo, Eurípides,
Heródoto e Tucídides, e por fim a extraordinária
personalidade de Sócrates, no intuito de realizar o
coroamento do esforço decidido de tantos
mensageiros.
Ésquilo
(525 aC a 456 aC)
Dramaturgo (Pai da Tragédia)
Eurípides
(480 aC a 406 aC)
(Poeta trágico grego)
Heródoto
(484 aC a 425 aC)
(Pai da Historiografia)
Tucídides
(460 aC a 396 aC)
(Pai da Historiografia
científica e Pai do
Realismo Político)
Sócrates
(470 aC a 399 aC)
(Filósofo Clássico
Ateniense )
• As grandes ideias jamais irrompem de súbito. As que
assentam sobre a verdade sempre têm precursores
que lhes preparam parcialmente os caminhos. Depois,
em chegando o tempo, envia Deus um homem com a
missão de resumir, coordenar e completar os
elementos esparsos, de reuni-los em corpo de doutrina.
• Desse modo, não surgindo bruscamente, a idéia, ao
aparecer, encontra espíritos dispostos a aceitá-la. Tal
o que se deu com a idéia cristã, que foi pressentida
muitos séculos antes de Jesus e dos essênios, tendo
por principais precursores SÓCRATES E PLATÃO.
- Evang. Seg. Espiritismo
Sócrates e platão, precursores
 Filiação: Sofronisco (escultor) e Fenarete
(parteira).
 Vida familiar: desposou Xantipa – três
filhos (?)
 Vida política: tomou parte em três
campanhas militares.
 Caráter: paciência, simplicidade e domínio
de si próprio a toda a prova.
 Ensinamento: Ágora (praça pública) –
missão divina de educar – daimon
 Base de sua filosofia: “Conhece-te a ti
próprio”, apoiado pela maiêutica.
 Filiação: Ariston (pai) e Perictione (mãe)
 Nome: Aristocles  recebeu o apelido de
Platão, que em grego significa de ombros
largos.
 Trajeto: discípulo de Sócrates. Depois da
morte de seu mestre, empreendeu várias
viagens. Retornou a Atenas, em 387 a.C., e
fundou a academia.
 Base de sua filosofia: teoria das idéias, ou
como se desenvolve o conhecimento.
 Obras escritas: A República, As Leis, O
Político.
 Sócrates conhecia o pensamento
anterior e contemporâneo dos filósofos
gregos e interessava-se pela conversa
em locais públicos. Fazia muitas
andanças conversando nas praças e
mercados. Participou do movimento de
renovação da cultura e foi um educador
popular.
 Sócrates usava nas suas conversas com os cidadãos um
método chamado maiêutica, que consiste em forçar o
interlocutor a desenvolver seu pensamento sobre uma
questão que ele pensa conhecer, e pô-lo em contradição.
Sócrates e platão, precursores
• Para Sócrates a sabedoria dependia do
conhecimento e do controle dos seus próprios
limites, o reconhecimento de sua própria
ignorância...
• Defendia que existem valores e virtudes
permanentes e que precisavam ser conhecidos
para serem seguidos em defesa do bem de todos.
 Sócrates não se preocupava com os costumes e
cultura de cada povo. Apontava a importância que há
dentro dos homens, a sua alma.
 Aos setenta anos de idade Sócrates foi condenado à morte,
embora inocente.
 Enquanto aguardava no cárcere o dia da execução, seus amigos
e discípulos moviam céus e terra para o preservar da morte.
 O filósofo, porém não moveu um dedo para esse fim; com
perfeita tranquilidade e paz de espírito aguardou o dia em que
ia beber o veneno mortífero.
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA
DEUS : Inteligência onipresente,
onisciente, invisível ao homem e a
existência do mundo é a prova de sua
existência.
Inteligência suprema, causa primária de
todas as coisas Eterno, imutável, imaterial e
outros atributos.
ALMA: Participa da natureza Divina,
é dada por Deus ao homem e a vida
não depende do corpo, mas da alma.
O homem é a união da alma e do
corpo; é a essência do Corpo; é
imortal.
É o espírito encarnado;
une-se ao corpo;
é a sede da inteligência;
é imortal
O homem é a alma encarnada, antes
da sua encarnação, ela existia.
É a doutrina da preexistência da alma, de
sua saída do mundo espiritual para se
encarnar, e de sua reentrada no mesmo
mundo depois da morte.
RESUMO DA DOUTRINA DE SÓCRATES E DE PLATÃO
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA
A alma se extravia e se perturba, porque se
liga as coisas que estão sujeitas a
mudanças; ao passo que, quando
contempla sua essência, ela se dirige para
o que é puro, eterno, imortal.
Assim se ilude o homem que considera as
coisas do ponto de vista apenas material;
para apreciá-las com justeza, é preciso vê-
las de cima, ou seja, do ponto de vista
espiritual.
Enquanto a alma se encontre mergulhada
no corpo físico, jamais possuiremos o
objeto dos nossos desejos: a verdade. O
corpo suscita em nós os cuidados diários,
ele nos enche de desejos, apetites e
temores, com ele é impossível ser sábio
um instante. Livres do corpo
conheceremos a essência das coisas.
Eis aí o princípio das faculdades da alma
obscurecidas por intermédio dos órgãos
corporais, e da expansão dessas
faculdades depois da morte.
As almas impuras que são as almas dos
maus erram ao redor dos mausoléus e dos
túmulos(...) são conduzidas de novo a um
novo corpo, no mundo visível. E então
elas retornam aos mesmos costumes que,
durante a primeira vida.
O princípio da reencarnação , claramente
exposto. O estado das almas ainda sob o
império da matéria, está descrito tal como
no espiritismo .
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA
Após a nossa morte, o gênio (daimon,
demônio), que nos fora designado durante a
vida, leva-nos a um lugar onde se reúnem
todos os que têm de ser conduzidas ao
Hades, para serem julgados. As almas,depois
de haverem estado no Hades o tempo
necessário, são reconduzidas a esta vida em
múltiplos e longos períodos
É a doutrina dos Anjos guardiães, ou
Espíritos protetores, e das reencarnações
sucessivas, em seguida a intervalos mais ou
menos longos de erraticidade.
Os demônios ocupam o espaço que separa o
céu da Terra; constituem o laço que une o
Grande Todo a si mesmo. Não entrando
nunca a divindade em comunicação direta
com o homem, é por intermédio dos
demônios que os deuses entram em
comércio e se entretêm com ele, quer
durante a vigília, quer durante o sono.
A palavra daimon, da qual fizeram o termo
demônio, não era, na antigüidade, tomada à
má parte, como nos tempos modernos. Não
designava exclusivamente seres malfazejos,
mas todos os Espíritos, dentre os quais os
Espíritos superiores, chamados deuses, e os
menos elevados, ou demônios propriamente
ditos, que comunicavam com os homens.
Também o Espiritismo diz que os Espíritos
povoam o espaço; que Deus só se comunica
com os homens por intermédio dos Espíritos
puros.
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA
A preocupação constante desses filósofos é, a do
cuidado com a alma, menos pelo que respeita a
esta vida, que não dura mais que um instante,
do que tendo em vista a eternidade. Desde que a
alma é, imortal, não será prudente viver visando
a eternidade?
O Cristianismo e o Espiritismo ensinam a
mesma coisa.
O corpo conserva bem os vestígios dos
cuidados de que foi objeto e dos acidentes que
sofreu. Dá-se o mesmo com a alma. Quando
despida do corpo, ela guarda, evidentes, os
traços do seu caráter, de suas afeições e as
marcas que lhe deixaram todos os atos de sua
visa. Assim, a maior desgraça que pode
acontecer ao homem é ir para o outro mundo
com a alma carregado de crimes.
A alma não depurada conserva as idéias, as
tendências, o caráter e as paixões que teve na
Terra.
A morte é apenas uma mudança de morada, a
passagem para o lugar onde os mortos se têm de
reunir, que felicidade a de encontrarmos lá
aqueles a quem conhecemos!
Mostra o Espiritismo que continuam as relações
que entre eles se estabeleceram, de tal maneira
que a morte não é nem uma interrupção, nem a
cessação da vida, mas uma transformação, sem
solução de continuidade.
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA
Nunca se deve retribuir com outra uma
injustiça, nem fazer mal a ninguém, seja
qual for o dano que nos hajam causado.
Está aí o princípio de caridade, que
prescreve não se retribuir o mal com o
mal e sim o perdão aos inimigos.
É pelos frutos que se conhece a árvore.
Toda ação deve ser qualificada pelo que
produz: qualificá-la de má, quando dela
provenha mal; de boa, quando dê origem
ao bem.
Esta máxima: "Pelos frutos é que se
conhece a árvore", se encontra muitas
vezes repetida textualmente no
Evangelho.
A riqueza é um grande perigo. Todo
homem que ama a riqueza não ama a si
mesmo, nem ao que é seu; ama a uma
coisa que lhe é ainda mais estranha do
que o que lhe pertence.
Cap. XVI – ESSE ( Não se pode servir a
Deus e a Mamon
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA
É disposição natural em todos nós a de
nos apercebermos muito menos dos
nossos defeitos, do que dos de outrem.
Diz o Evangelho: "Vedes a palha que está
no olho do vosso próximo e não vedes a
trave que está no vosso." (Cap. X, nº 9 e
nº 10.)
Se os médicos são malsucedidos,
tratando da maior parte das moléstias,
é que tratam do corpo, sem tratarem da
alma. Ora, não se achando o todo em
bom estado, impossível é que uma
parte dele passe bem.
O Espiritismo fornece a chave das
relações existentes entre a alma e o corpo
e prova que um reage incessantemente
sobre o outro. Abre, assim, nova senda
para a Ciência.
 Recorda-te de que a vida é curta; esforça-te,
pois, por conquistar, enquanto o podes, aquilo que
vieste aqui realizar: o verdadeiro aperfeiçoamento.
Possa teu espírito partir desta Terra mais puro do
que quando nela entrou! Pensa que a Terra é um
campo de batalha, onde a matéria e os sentidos
assediam continuamente a alma; corrige teus
defeitos, modifica teu caráter, reforça a tua
vontade; eleva-te pelo pensamento, acima das
vulgaridades da Terra e contempla o espetáculo
luminoso do céu..”
 Léon Denis - livro Depois da Morte
 ESE – Evangelho Segundo o Espiritismo, Introdução, Item IV – Sócrates e Platão,
precursores da idéia cristã e do Espiritismo
 Palestra de Vera Lúcia de Souza Apolinário – Sócrates e Platão, precursores da idéia cristã
e do Espiritismo
 Palestra de Sérgio Biagi Gregório, Centro Espírita Ismael– Sócrates e Platão, precursores
da idéia cristã e do Espiritism0
 BRUN, J. Sócrates. Lisboa, Dom Quixote, 1960. (Coleção Mestres do Passado, n.º 9).
 KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 39. ed., São Paulo, IDE, 1984.
 KARDEC, A. O Livro dos Espíritos. 8. ed., São Paulo, FEESP, 1995.
 SANTOS, M. F. dos. Dicionário de Filosofia e Ciências Culturais. 3. ed., São Paulo,
Matese, 1965.
 XAVIER, FRANCISCO CÂNDIDO, Espírito EMMANUEL- A Caminho da Luz
 DENIS, LÉON, livro Depois da Morte
 Wikipedia
 Imagens: Internet
 Palestra, Pesquisa e Formatação: Arlete Länzlinger


Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
Jorge Luiz dos Santos
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
A páscoa na visão espírita
A páscoa na visão espíritaA páscoa na visão espírita
A páscoa na visão espírita
Graça Maciel
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
Jorge Luiz dos Santos
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIODESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
Jorge Luiz dos Santos
 
Atributos da divindade
Atributos da divindadeAtributos da divindade
Atributos da divindade
Denise Aguiar
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
Sergio Menezes
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
home
 
Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terra
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
Clair Bianchini
 
Escândalos
EscândalosEscândalos
Escândalos
igmateus
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Denise Aguiar
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
Levi Antonio Amancio
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Divulgador do Espiritismo
 
Suicidio na visão espirita
Suicidio  na visão espiritaSuicidio  na visão espirita
Suicidio na visão espirita
Lisete B.
 
23 09 2016 "Há muitas moradas na casa de meu Pai"
23 09 2016  "Há muitas moradas na casa de meu Pai"23 09 2016  "Há muitas moradas na casa de meu Pai"
23 09 2016 "Há muitas moradas na casa de meu Pai"
Lar Irmã Zarabatana
 
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina EspíritaResumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Graça Maciel
 
Disciplina mental
Disciplina mental  Disciplina mental
Disciplina mental
grupodepaisceb
 

Mais procurados (20)

VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
 
A páscoa na visão espírita
A páscoa na visão espíritaA páscoa na visão espírita
A páscoa na visão espírita
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIODESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
 
Atributos da divindade
Atributos da divindadeAtributos da divindade
Atributos da divindade
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
 
Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terra
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
Escândalos
EscândalosEscândalos
Escândalos
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
 
Suicidio na visão espirita
Suicidio  na visão espiritaSuicidio  na visão espirita
Suicidio na visão espirita
 
23 09 2016 "Há muitas moradas na casa de meu Pai"
23 09 2016  "Há muitas moradas na casa de meu Pai"23 09 2016  "Há muitas moradas na casa de meu Pai"
23 09 2016 "Há muitas moradas na casa de meu Pai"
 
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina EspíritaResumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
 
Disciplina mental
Disciplina mental  Disciplina mental
Disciplina mental
 

Semelhante a Sócrates e platão, precursores

Mofra cartilha
Mofra cartilhaMofra cartilha
Um pouco sobre o espiritismo
Um pouco sobre o espiritismoUm pouco sobre o espiritismo
Um pouco sobre o espiritismo
Helio Cruz
 
Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01
Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01
Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01
Marcos Paterra
 
SUA FILOSOFIA E SISTEMA DE PRÁTICAS
SUA FILOSOFIA E SISTEMA DE PRÁTICASSUA FILOSOFIA E SISTEMA DE PRÁTICAS
SUA FILOSOFIA E SISTEMA DE PRÁTICAS
RODRIGO ORION
 
Doutrina Espírita
Doutrina EspíritaDoutrina Espírita
Doutrina Espírita
divinaluztk
 
029c - O homem na frente das virtudes e, particularmente
029c - O homem na frente das virtudes e, particularmente029c - O homem na frente das virtudes e, particularmente
029c - O homem na frente das virtudes e, particularmente
OrdineGesu
 
Roteiro 1 existência de deus
Roteiro 1   existência de deusRoteiro 1   existência de deus
Roteiro 1 existência de deus
Bruno Cechinel Filho
 
O livro dos médiuns - Sistemas
O livro dos médiuns -  SistemasO livro dos médiuns -  Sistemas
O livro dos médiuns - Sistemas
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Perfil do espiritismo
Perfil do espiritismoPerfil do espiritismo
Perfil do espiritismo
lucrislopes
 
Dia nacional do espiritismo
Dia nacional do espiritismoDia nacional do espiritismo
Dia nacional do espiritismo
Helio Cruz
 
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentoIntroducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
jeconiaseandreia
 
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentoIntroducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
jeconiaseandreia
 
E a vida continua
E a vida continuaE a vida continua
E a vida continua
Wanderson Luz
 
Annie Besant - O Enigma da Vida
Annie Besant - O Enigma da VidaAnnie Besant - O Enigma da Vida
Annie Besant - O Enigma da Vida
universalismo-7
 
Da alma humana antónio j. freire - feb
Da alma humana   antónio j. freire - febDa alma humana   antónio j. freire - feb
Da alma humana antónio j. freire - feb
Helio Cruz
 
Da alma humana
Da alma humanaDa alma humana
Da alma humana
robsonbar
 
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
Alessandru2
 
Livro dos Espiritos Q.240 ESE - cap 17 item 11
Livro dos Espiritos Q.240 ESE - cap 17 item 11Livro dos Espiritos Q.240 ESE - cap 17 item 11
Livro dos Espiritos Q.240 ESE - cap 17 item 11
Patricia Farias
 
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
OrdineGesu
 
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindoGenese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
Fernando A. O. Pinto
 

Semelhante a Sócrates e platão, precursores (20)

Mofra cartilha
Mofra cartilhaMofra cartilha
Mofra cartilha
 
Um pouco sobre o espiritismo
Um pouco sobre o espiritismoUm pouco sobre o espiritismo
Um pouco sobre o espiritismo
 
Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01
Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01
Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01
 
SUA FILOSOFIA E SISTEMA DE PRÁTICAS
SUA FILOSOFIA E SISTEMA DE PRÁTICASSUA FILOSOFIA E SISTEMA DE PRÁTICAS
SUA FILOSOFIA E SISTEMA DE PRÁTICAS
 
Doutrina Espírita
Doutrina EspíritaDoutrina Espírita
Doutrina Espírita
 
029c - O homem na frente das virtudes e, particularmente
029c - O homem na frente das virtudes e, particularmente029c - O homem na frente das virtudes e, particularmente
029c - O homem na frente das virtudes e, particularmente
 
Roteiro 1 existência de deus
Roteiro 1   existência de deusRoteiro 1   existência de deus
Roteiro 1 existência de deus
 
O livro dos médiuns - Sistemas
O livro dos médiuns -  SistemasO livro dos médiuns -  Sistemas
O livro dos médiuns - Sistemas
 
Perfil do espiritismo
Perfil do espiritismoPerfil do espiritismo
Perfil do espiritismo
 
Dia nacional do espiritismo
Dia nacional do espiritismoDia nacional do espiritismo
Dia nacional do espiritismo
 
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentoIntroducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
 
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentoIntroducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
 
E a vida continua
E a vida continuaE a vida continua
E a vida continua
 
Annie Besant - O Enigma da Vida
Annie Besant - O Enigma da VidaAnnie Besant - O Enigma da Vida
Annie Besant - O Enigma da Vida
 
Da alma humana antónio j. freire - feb
Da alma humana   antónio j. freire - febDa alma humana   antónio j. freire - feb
Da alma humana antónio j. freire - feb
 
Da alma humana
Da alma humanaDa alma humana
Da alma humana
 
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
 
Livro dos Espiritos Q.240 ESE - cap 17 item 11
Livro dos Espiritos Q.240 ESE - cap 17 item 11Livro dos Espiritos Q.240 ESE - cap 17 item 11
Livro dos Espiritos Q.240 ESE - cap 17 item 11
 
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
 
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindoGenese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
 

Mais de Daniane Bornea Friedl

Donner sans attendre en retour
Donner sans attendre en retourDonner sans attendre en retour
Donner sans attendre en retour
Daniane Bornea Friedl
 
Collaborer
CollaborerCollaborer
L'altruisme
L'altruismeL'altruisme
L'honnêteté
L'honnêtetéL'honnêteté
L'honnêteté
Daniane Bornea Friedl
 
L' empathie
L' empathieL' empathie
Autoconnaissance
AutoconnaissanceAutoconnaissance
Autoconnaissance
Daniane Bornea Friedl
 
Pedagogia da virtude
Pedagogia da virtudePedagogia da virtude
Pedagogia da virtude
Daniane Bornea Friedl
 
Projet semences pour l avenir
Projet semences pour l avenirProjet semences pour l avenir
Projet semences pour l avenir
Daniane Bornea Friedl
 
L' Amour
L' AmourL' Amour
Le Pardon
Le PardonLe Pardon
Créer et raconter des histoires
Créer et raconter des histoiresCréer et raconter des histoires
Créer et raconter des histoires
Daniane Bornea Friedl
 
Het Evangelie Thuis voor kinderen
Het Evangelie Thuis voor kinderenHet Evangelie Thuis voor kinderen
Het Evangelie Thuis voor kinderen
Daniane Bornea Friedl
 
Jeu de auto estime
Jeu de auto estimeJeu de auto estime
Jeu de auto estime
Daniane Bornea Friedl
 
Evangile au foyer
Evangile au foyerEvangile au foyer
Evangile au foyer
Daniane Bornea Friedl
 
Gospel in the home
Gospel in the home Gospel in the home
Gospel in the home
Daniane Bornea Friedl
 
Educando a Nova Geração
Educando a Nova GeraçãoEducando a Nova Geração
Educando a Nova Geração
Daniane Bornea Friedl
 
Pedrito y el elefante
Pedrito y el elefantePedrito y el elefante
Pedrito y el elefante
Daniane Bornea Friedl
 
Évangile au foyer pour les enfants
Évangile au foyer pour les enfantsÉvangile au foyer pour les enfants
Évangile au foyer pour les enfants
Daniane Bornea Friedl
 
Evangelio en el hogar para niños
Evangelio en el hogar para niñosEvangelio en el hogar para niños
Evangelio en el hogar para niños
Daniane Bornea Friedl
 
Evangelho no lar para crianças portugues
Evangelho no lar para crianças   portuguesEvangelho no lar para crianças   portugues
Evangelho no lar para crianças portugues
Daniane Bornea Friedl
 

Mais de Daniane Bornea Friedl (20)

Donner sans attendre en retour
Donner sans attendre en retourDonner sans attendre en retour
Donner sans attendre en retour
 
Collaborer
CollaborerCollaborer
Collaborer
 
L'altruisme
L'altruismeL'altruisme
L'altruisme
 
L'honnêteté
L'honnêtetéL'honnêteté
L'honnêteté
 
L' empathie
L' empathieL' empathie
L' empathie
 
Autoconnaissance
AutoconnaissanceAutoconnaissance
Autoconnaissance
 
Pedagogia da virtude
Pedagogia da virtudePedagogia da virtude
Pedagogia da virtude
 
Projet semences pour l avenir
Projet semences pour l avenirProjet semences pour l avenir
Projet semences pour l avenir
 
L' Amour
L' AmourL' Amour
L' Amour
 
Le Pardon
Le PardonLe Pardon
Le Pardon
 
Créer et raconter des histoires
Créer et raconter des histoiresCréer et raconter des histoires
Créer et raconter des histoires
 
Het Evangelie Thuis voor kinderen
Het Evangelie Thuis voor kinderenHet Evangelie Thuis voor kinderen
Het Evangelie Thuis voor kinderen
 
Jeu de auto estime
Jeu de auto estimeJeu de auto estime
Jeu de auto estime
 
Evangile au foyer
Evangile au foyerEvangile au foyer
Evangile au foyer
 
Gospel in the home
Gospel in the home Gospel in the home
Gospel in the home
 
Educando a Nova Geração
Educando a Nova GeraçãoEducando a Nova Geração
Educando a Nova Geração
 
Pedrito y el elefante
Pedrito y el elefantePedrito y el elefante
Pedrito y el elefante
 
Évangile au foyer pour les enfants
Évangile au foyer pour les enfantsÉvangile au foyer pour les enfants
Évangile au foyer pour les enfants
 
Evangelio en el hogar para niños
Evangelio en el hogar para niñosEvangelio en el hogar para niños
Evangelio en el hogar para niños
 
Evangelho no lar para crianças portugues
Evangelho no lar para crianças   portuguesEvangelho no lar para crianças   portugues
Evangelho no lar para crianças portugues
 

Último

Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 

Último (12)

Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 

Sócrates e platão, precursores

  • 1. Arlete Länzlinger - jan/2014 – CEEAK Winterthur
  • 2. Ciência Indagar, conhecer. Filosofia Compreensão e apreensão da realidade.Razão, sabedoria. Religião Ética, moral, Evangelho BASE DE SUSTENTAÇÃO DO ESPIRITISMO O Espiritismo é apoiado em uma base de conhecimento, sustentação teórica e experimentação constituída de três “pilares” :
  • 3. A separação dos “pilares” da Doutrina Espírita em três segmentos é mais didática do que prática, pois seus fundamentos se interpenetram e interagem entre si.
  • 5. CAP.X-A GRÉCIA E A MISSÃO DE SÓCRATES •NAS VÉSPERAS DA MAIORIDADE TERRESTRE Examinando a maioridade espiritual das criaturas humanas, enviou-lhes o Cristo, antes de sua vinda ao mundo, numerosa coorte de Espíritos sábios e benevolentes, aptos a consolidadar, de modo definitivo, essa maturação do pensamento terrestre.
  • 6.  Ao influxo do coração misericordioso do Cristo, toda a Grécia se povoa de artistas e pensadores eminentes, no quadro das filosofias e das ciências.. O Salvador contempla,das Alturas, essa época de elevadas conquistas morais, cheio de amor e de esperança
  • 7.  O planeta terrestre aproximava-se da sua maioridade espiritual quando, então, poderia Ele nutrir o coração humano com a sementeira bendita da sua palavra.
  • 8. • Envia, então, às sociedades do globo o esforço de auxiliares valorosos, nas figuras de Ésquilo, Eurípides, Heródoto e Tucídides, e por fim a extraordinária personalidade de Sócrates, no intuito de realizar o coroamento do esforço decidido de tantos mensageiros. Ésquilo (525 aC a 456 aC) Dramaturgo (Pai da Tragédia) Eurípides (480 aC a 406 aC) (Poeta trágico grego) Heródoto (484 aC a 425 aC) (Pai da Historiografia) Tucídides (460 aC a 396 aC) (Pai da Historiografia científica e Pai do Realismo Político) Sócrates (470 aC a 399 aC) (Filósofo Clássico Ateniense )
  • 9. • As grandes ideias jamais irrompem de súbito. As que assentam sobre a verdade sempre têm precursores que lhes preparam parcialmente os caminhos. Depois, em chegando o tempo, envia Deus um homem com a missão de resumir, coordenar e completar os elementos esparsos, de reuni-los em corpo de doutrina. • Desse modo, não surgindo bruscamente, a idéia, ao aparecer, encontra espíritos dispostos a aceitá-la. Tal o que se deu com a idéia cristã, que foi pressentida muitos séculos antes de Jesus e dos essênios, tendo por principais precursores SÓCRATES E PLATÃO. - Evang. Seg. Espiritismo
  • 11.  Filiação: Sofronisco (escultor) e Fenarete (parteira).  Vida familiar: desposou Xantipa – três filhos (?)  Vida política: tomou parte em três campanhas militares.  Caráter: paciência, simplicidade e domínio de si próprio a toda a prova.  Ensinamento: Ágora (praça pública) – missão divina de educar – daimon  Base de sua filosofia: “Conhece-te a ti próprio”, apoiado pela maiêutica.
  • 12.  Filiação: Ariston (pai) e Perictione (mãe)  Nome: Aristocles  recebeu o apelido de Platão, que em grego significa de ombros largos.  Trajeto: discípulo de Sócrates. Depois da morte de seu mestre, empreendeu várias viagens. Retornou a Atenas, em 387 a.C., e fundou a academia.  Base de sua filosofia: teoria das idéias, ou como se desenvolve o conhecimento.  Obras escritas: A República, As Leis, O Político.
  • 13.  Sócrates conhecia o pensamento anterior e contemporâneo dos filósofos gregos e interessava-se pela conversa em locais públicos. Fazia muitas andanças conversando nas praças e mercados. Participou do movimento de renovação da cultura e foi um educador popular.
  • 14.  Sócrates usava nas suas conversas com os cidadãos um método chamado maiêutica, que consiste em forçar o interlocutor a desenvolver seu pensamento sobre uma questão que ele pensa conhecer, e pô-lo em contradição.
  • 16. • Para Sócrates a sabedoria dependia do conhecimento e do controle dos seus próprios limites, o reconhecimento de sua própria ignorância... • Defendia que existem valores e virtudes permanentes e que precisavam ser conhecidos para serem seguidos em defesa do bem de todos.
  • 17.  Sócrates não se preocupava com os costumes e cultura de cada povo. Apontava a importância que há dentro dos homens, a sua alma.
  • 18.  Aos setenta anos de idade Sócrates foi condenado à morte, embora inocente.  Enquanto aguardava no cárcere o dia da execução, seus amigos e discípulos moviam céus e terra para o preservar da morte.  O filósofo, porém não moveu um dedo para esse fim; com perfeita tranquilidade e paz de espírito aguardou o dia em que ia beber o veneno mortífero.
  • 19. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA DEUS : Inteligência onipresente, onisciente, invisível ao homem e a existência do mundo é a prova de sua existência. Inteligência suprema, causa primária de todas as coisas Eterno, imutável, imaterial e outros atributos. ALMA: Participa da natureza Divina, é dada por Deus ao homem e a vida não depende do corpo, mas da alma. O homem é a união da alma e do corpo; é a essência do Corpo; é imortal. É o espírito encarnado; une-se ao corpo; é a sede da inteligência; é imortal O homem é a alma encarnada, antes da sua encarnação, ela existia. É a doutrina da preexistência da alma, de sua saída do mundo espiritual para se encarnar, e de sua reentrada no mesmo mundo depois da morte. RESUMO DA DOUTRINA DE SÓCRATES E DE PLATÃO
  • 20. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA A alma se extravia e se perturba, porque se liga as coisas que estão sujeitas a mudanças; ao passo que, quando contempla sua essência, ela se dirige para o que é puro, eterno, imortal. Assim se ilude o homem que considera as coisas do ponto de vista apenas material; para apreciá-las com justeza, é preciso vê- las de cima, ou seja, do ponto de vista espiritual. Enquanto a alma se encontre mergulhada no corpo físico, jamais possuiremos o objeto dos nossos desejos: a verdade. O corpo suscita em nós os cuidados diários, ele nos enche de desejos, apetites e temores, com ele é impossível ser sábio um instante. Livres do corpo conheceremos a essência das coisas. Eis aí o princípio das faculdades da alma obscurecidas por intermédio dos órgãos corporais, e da expansão dessas faculdades depois da morte. As almas impuras que são as almas dos maus erram ao redor dos mausoléus e dos túmulos(...) são conduzidas de novo a um novo corpo, no mundo visível. E então elas retornam aos mesmos costumes que, durante a primeira vida. O princípio da reencarnação , claramente exposto. O estado das almas ainda sob o império da matéria, está descrito tal como no espiritismo .
  • 21. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA Após a nossa morte, o gênio (daimon, demônio), que nos fora designado durante a vida, leva-nos a um lugar onde se reúnem todos os que têm de ser conduzidas ao Hades, para serem julgados. As almas,depois de haverem estado no Hades o tempo necessário, são reconduzidas a esta vida em múltiplos e longos períodos É a doutrina dos Anjos guardiães, ou Espíritos protetores, e das reencarnações sucessivas, em seguida a intervalos mais ou menos longos de erraticidade. Os demônios ocupam o espaço que separa o céu da Terra; constituem o laço que une o Grande Todo a si mesmo. Não entrando nunca a divindade em comunicação direta com o homem, é por intermédio dos demônios que os deuses entram em comércio e se entretêm com ele, quer durante a vigília, quer durante o sono. A palavra daimon, da qual fizeram o termo demônio, não era, na antigüidade, tomada à má parte, como nos tempos modernos. Não designava exclusivamente seres malfazejos, mas todos os Espíritos, dentre os quais os Espíritos superiores, chamados deuses, e os menos elevados, ou demônios propriamente ditos, que comunicavam com os homens. Também o Espiritismo diz que os Espíritos povoam o espaço; que Deus só se comunica com os homens por intermédio dos Espíritos puros.
  • 22. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA A preocupação constante desses filósofos é, a do cuidado com a alma, menos pelo que respeita a esta vida, que não dura mais que um instante, do que tendo em vista a eternidade. Desde que a alma é, imortal, não será prudente viver visando a eternidade? O Cristianismo e o Espiritismo ensinam a mesma coisa. O corpo conserva bem os vestígios dos cuidados de que foi objeto e dos acidentes que sofreu. Dá-se o mesmo com a alma. Quando despida do corpo, ela guarda, evidentes, os traços do seu caráter, de suas afeições e as marcas que lhe deixaram todos os atos de sua visa. Assim, a maior desgraça que pode acontecer ao homem é ir para o outro mundo com a alma carregado de crimes. A alma não depurada conserva as idéias, as tendências, o caráter e as paixões que teve na Terra. A morte é apenas uma mudança de morada, a passagem para o lugar onde os mortos se têm de reunir, que felicidade a de encontrarmos lá aqueles a quem conhecemos! Mostra o Espiritismo que continuam as relações que entre eles se estabeleceram, de tal maneira que a morte não é nem uma interrupção, nem a cessação da vida, mas uma transformação, sem solução de continuidade.
  • 23. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA Nunca se deve retribuir com outra uma injustiça, nem fazer mal a ninguém, seja qual for o dano que nos hajam causado. Está aí o princípio de caridade, que prescreve não se retribuir o mal com o mal e sim o perdão aos inimigos. É pelos frutos que se conhece a árvore. Toda ação deve ser qualificada pelo que produz: qualificá-la de má, quando dela provenha mal; de boa, quando dê origem ao bem. Esta máxima: "Pelos frutos é que se conhece a árvore", se encontra muitas vezes repetida textualmente no Evangelho. A riqueza é um grande perigo. Todo homem que ama a riqueza não ama a si mesmo, nem ao que é seu; ama a uma coisa que lhe é ainda mais estranha do que o que lhe pertence. Cap. XVI – ESSE ( Não se pode servir a Deus e a Mamon
  • 24. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA É disposição natural em todos nós a de nos apercebermos muito menos dos nossos defeitos, do que dos de outrem. Diz o Evangelho: "Vedes a palha que está no olho do vosso próximo e não vedes a trave que está no vosso." (Cap. X, nº 9 e nº 10.) Se os médicos são malsucedidos, tratando da maior parte das moléstias, é que tratam do corpo, sem tratarem da alma. Ora, não se achando o todo em bom estado, impossível é que uma parte dele passe bem. O Espiritismo fornece a chave das relações existentes entre a alma e o corpo e prova que um reage incessantemente sobre o outro. Abre, assim, nova senda para a Ciência.
  • 25.  Recorda-te de que a vida é curta; esforça-te, pois, por conquistar, enquanto o podes, aquilo que vieste aqui realizar: o verdadeiro aperfeiçoamento. Possa teu espírito partir desta Terra mais puro do que quando nela entrou! Pensa que a Terra é um campo de batalha, onde a matéria e os sentidos assediam continuamente a alma; corrige teus defeitos, modifica teu caráter, reforça a tua vontade; eleva-te pelo pensamento, acima das vulgaridades da Terra e contempla o espetáculo luminoso do céu..”  Léon Denis - livro Depois da Morte
  • 26.  ESE – Evangelho Segundo o Espiritismo, Introdução, Item IV – Sócrates e Platão, precursores da idéia cristã e do Espiritismo  Palestra de Vera Lúcia de Souza Apolinário – Sócrates e Platão, precursores da idéia cristã e do Espiritismo  Palestra de Sérgio Biagi Gregório, Centro Espírita Ismael– Sócrates e Platão, precursores da idéia cristã e do Espiritism0  BRUN, J. Sócrates. Lisboa, Dom Quixote, 1960. (Coleção Mestres do Passado, n.º 9).  KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 39. ed., São Paulo, IDE, 1984.  KARDEC, A. O Livro dos Espíritos. 8. ed., São Paulo, FEESP, 1995.  SANTOS, M. F. dos. Dicionário de Filosofia e Ciências Culturais. 3. ed., São Paulo, Matese, 1965.  XAVIER, FRANCISCO CÂNDIDO, Espírito EMMANUEL- A Caminho da Luz  DENIS, LÉON, livro Depois da Morte  Wikipedia  Imagens: Internet  Palestra, Pesquisa e Formatação: Arlete Länzlinger 