SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Shalom !<br /> Estamos caminhando juntos no Senhor no processo da nossa edificação como obreiros aptos para servirmos a casa do Pai. Neste encontro falaremos de oratória, mas antes de começarmos o mais importante é ouvirmos algumas coisas que o nosso Deus afirma  sobre nós em sua Palavra :<br /> “Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais”. Jeremias 29:1<br />“Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;”I Pedro 2:9<br />Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. I João 3:1<br />Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Romanos 8:14<br />Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. HYPERLINK quot;
http://www.bibliaonline.com.br/acf/2tm/2/15+quot;
 2 Timóteo 2:15<br />ORATÓRIA<br />________________________________________________________________________<br />Ao contrário do que muitos pensam, a comunicação de uma forma eficaz é uma habilidade que pode ser desenvolvida. Falar é uma expressão natural dos que podem emitir sons para se comunicar. É um ato consciente e inconsciente ao mesmo tempo. A voz e o conteúdo são os elementos mais básicos da nossa comunicação consciente,  agregando-se ainda os gestos, a postura, as pausas ou silêncio, que também comunicam de forma espontânea e inconsciente a quem ouve-nos ou dirige-nos a atenção. Todo este conjunto envolve a habilidade de comunicar-se oralmente.<br />O que é Oratória ?<br />________________________________________________________________________<br />“A oratória trata-se de método de  HYPERLINK quot;
http://pt.wikipedia.org/wiki/Discursoquot;
  quot;
Discursoquot;
 discurso, da arte de como falar em público ou o conjunto de regras e técnicas que permitem apurar as qualidades pessoais de quem se destina a falar em público.”<br />Curiosidade: “Na Grécia Antiga, e mesmo em  HYPERLINK quot;
http://pt.wikipedia.org/wiki/Romaquot;
  quot;
Romaquot;
 Roma, a oratória era estudada como componente da  HYPERLINK quot;
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ret%C3%B3ricaquot;
  quot;
Retóricaquot;
 retórica (ou seja, composição e apresentação de discursos), e era considerada uma importante habilidade na vida pública e privada.  HYPERLINK quot;
http://pt.wikipedia.org/wiki/Arist%C3%B3telesquot;
  quot;
Aristótelesquot;
 Aristóteles e  HYPERLINK quot;
http://pt.wikipedia.org/wiki/Quintilianoquot;
  quot;
Quintilianoquot;
 Quintiliano estão entre os mais conhecidos autores sobre o tema na antiguidade.”<br />Segundo Rogéria Guida :<br />“A Oratória desenvolve o potencial de comunicação, a inteligência emocional e a capacidade de pensar e organizar as relações humanas .“ <br />Acrescenta ainda alguns elementos importantes para comunicar-se bem :<br />Postura: Toda postura interna molda o corpo e a voz. Através da postura o orador aprende a ser alinhado, elegante e impecável.A postura de equilíbrio está relacionada com a saúde, a segurança e o prazer.Respiração : Respirar renova a vida no corpo, sentimentos e pensamentos.Aquele que mal consegue respirar mal consegue sentir-se confortável dentro do próprio corpo, mal consegue ver, ouvir, raciocinar, lembrar, ficar inspirado e soltar a voz. A respiração alimenta a saúde física, emocional, intelectual, vocal e espiritual. A consciência fono-respiratória produz o poder de colocar-se junto da própria voz no ambiente, possibilitando boa qualidade vocal.<br />Impostação da voz : Voz é energia sonora e tem freqüência de vibração.Somos instrumentos sonoros. É preciso saber afinar a própria voz para colocá-la sem esforço, de forma harmoniosa no ambiente, aproximar as pessoas e alcançar objetivos. A voz aproxima ou distancia, acalma ou fere e tem o poder de cura.Dicção: é a arte de dizer através da voz e da fala. Articular bem as palavras valoriza o discurso.  Ter o poder de usar a palavra é produzir o efeito desejado para não sofrer os efeitos de uma fala distorcida e mal articulada daquele que não se escuta e não sabe o que fala.Ritmo: O ritmo ensina a falar com significado, atua na organização do pensamento e na capacidade de argumentação. Pensamento cadenciado é pensamento organizado. Desenvolve a objetividade e a fluência. Para caminhar numa direção é preciso falar com definição, é preciso falar com decisão.Inflexão: É a modulação da voz e transmite a emoção de quem fala. Fluência: Discurso inteligente com início meio e fim. Fluir e sustentar a intenção, através de um pensamento organizado e de um sentimento adequado. Ter fluência significa ter domínio do seu discurso.<br />Porque é tão difícil falar em público?<br />________________________________________________________________________<br />A comunicação é inerente ao ser humano. Precisamos falar, expressar nossas idéias e sentimentos e nem sempre nos sentimos preparados para isso. Nas mais variadas situações que vivenciamos, desde uma reunião informal, um encontro com amigos, ou nos desafios profissionais, somos solicitados de forma direta ou indireta a colocar nossas idéias, objetivos, a compartilhar nossa forma de pensar e perceber o mundo, nossos significados e significantes. <br />O falar em público, pode tornar-se um grande sofrimento tanto emocional como físico, pois está relacionado ao medo humano de não ser aceito e não ser respeitado. Para seres sociais como nós, a aceitação e o respeito do outro interferem diretamente no desenvolvimento do nosso senso de existência, daí ser um assunto tão amplo e complexo.            O falar em público é para algumas pessoas, uma situação tão ameaçadora que o corpo lança mão de todas as alternativas possíveis para proteger-se. São comuns os relatos de sensação de tremor, taquicardia, sudorese, dores estomacais, dores de cabeça entre outros sintomas físicos. A insegurança ou a timidez de falar em público é bastante comum, e em geral decorre da ausência de experiência ou preparação para fazer apresentações, dar palestras, defender trabalhos ou conduzir reuniões. A experiência é algo que você só pode adquirir com o tempo, mas a preparação está – em maior ou menor grau – ao alcance de quase todos, consistindo no domínio do tema, do ambiente, das expectativas do público e das ferramentas à sua disposição.<br />Para auxiliar aqueles que tem alguma dificuldade de comunicação e  expressão algumas técnicas simples foram aprimoradas e poderão mudar este quadro de insegurança. O site efetividade.net nos dá algumas dicas sobre os tipos de ensaios de preparação para o momento de uma apresentação.<br />Os ensaios têm mais de uma finalidade. A maior parte das pessoas pratica suas apresentações como forma de aumentar sua familiaridade com o material e de criar mais confiança e segurança em si mesmos, mas você pode obter muitos resultados além desse, se ensaiar com efetividade.<br />Claro que nem toda apresentação merece todas as técnicas, e que quanto mais experiência você tiver, menos precisará investir em ensaios. Aplique as técnicas conforme a situação exigir.<br />     <br />Veja o que mais você pode obter com cada uma das técnicas:<br />Pratique a apresentação diante do espelho: praticar a apresentação sozinho é algo natural e óbvio, mas a prática diante do espelho pode ser (erroneamente) confundida com vaidade. Mas é uma forma importante de perceber vários fatores importantes que podem desviar a atenção do público e diminuir a qualidade da apresentação: a sua postura, se oscila o corpo enquanto fala, a forma como posiciona as mãos, sua expressão facial, etc.<br />Ensaie de frente para a parede: é o oposto do ensaio no espelho. Sem distrações, sem apoio, nada além de você perdendo a dependência dos slides, falando e se ouvindo, e corrigindo, e percebendo claramente os pontos em que o discurso “empaca”.<br />Pratique com amigos e depois com colegas: quando os colegas não são propriamente amigos, você acrescenta algum pressão à equação do ensaio. Claro que nem se compara à pressão do evento em si, mas é um ingrediente a mais no realismo do ensaio. Além de praticar mais vezes, você ganha a chance de experimentar como se sai de fato interagindo com algum público. As pessoas entendem o que você está falando? Não estranham os títulos? Não se distraem com as ilustrações? Aprenda com as perguntas que os amigos e colegas fizeram, aceite as críticas e corrija.<br />Grave um ensaio: ninguém gosta de assistir a gravações de si mesmo, mas é um recurso valioso mesmo assim. Assistindo (ou ouvindo) a uma gravação de si mesmo você pode perceber erros de temporização, pontos em que você gaguejou, murmurou, acelerou, fez gestos estranhos… Assista, corrija e grave de novo.<br />Faça um ensaio geral: em pelo menos duas ocasiões em que fiz apresentações de projetos fora do meu ambiente usual e para grandes públicos, tive oportunidade de fazer um ensaio geral, no próprio auditório onde se realizaria o evento, já com a versão final do material, na presença de colegas e com acesso a todas as ferramentas: microfone, projetor, a pessoa que controlaria os slides, etc. Foi valiosíssimo, permitiu ajustar muitas questões, inclusive uso do espaço sem ficar na frente da tela, uso do púlpito e do microfone, deslocamentos, etc.<br />Praticando <br />__________________________________________________________________________<br />1 - Faça o descrito abaixo, é um começo. Apresente para si mesmo e depois a alguém:<br />Saúde a audiência – igreja,colegas, irmãos, funcionários, equipe ;<br />Apresente-se (nome,o que faz, etc);<br />Se estiver tímido ou a audiência dispersa, faça um quebra gelo. Fale algo do cotidiano ou compartilhe algo engraçado até se acostumar com o ambiente e trazer atenção a si;<br />Inicie o discurso.<br />2 - Para o nosso próximo encontro (20/Out), prepare :<br />* Aviso da programação da igreja – Fique atento a programação dos indoors. Mantenha o  interesse pelos próximos eventos a fim de saber o que está  acontecendo e esteja preparado para falar caso seja escolhido neste tema ;<br />* Proposta de reflexão : Conduzir a audiência na leitura de um pequeno trecho da palavra e propor reflexão (como é feito com a palavra de oferta ou antes de uma convocação a oração) ;<br />* Um breve testemunho de algo que Deus tem feito em sua vida. <br />
Oratória i
Oratória i
Oratória i

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentacao e-oratoria
Apresentacao e-oratoriaApresentacao e-oratoria
Apresentacao e-oratoria
Joao Balbi
 
Curso de oratoria
Curso de oratoriaCurso de oratoria
Curso de oratoria
Joao Balbi
 
1. curso de dicção
1. curso de dicção1. curso de dicção
1. curso de dicção
Julio Ramos
 

Mais procurados (20)

Apostila definitiva oratória 2014
Apostila definitiva oratória 2014Apostila definitiva oratória 2014
Apostila definitiva oratória 2014
 
5 oratória
5 oratória5 oratória
5 oratória
 
Sem Medo de Falar - Curso de Oratória
Sem Medo de Falar - Curso de OratóriaSem Medo de Falar - Curso de Oratória
Sem Medo de Falar - Curso de Oratória
 
A Importância da Oratória para a Comunicação nas Organizações
A Importância da Oratória para a Comunicação nas OrganizaçõesA Importância da Oratória para a Comunicação nas Organizações
A Importância da Oratória para a Comunicação nas Organizações
 
Técnicas de Apresentação em Público
Técnicas de Apresentação em PúblicoTécnicas de Apresentação em Público
Técnicas de Apresentação em Público
 
Apresentacao e-oratoria
Apresentacao e-oratoriaApresentacao e-oratoria
Apresentacao e-oratoria
 
Aprenda a falar em público
Aprenda a falar em público Aprenda a falar em público
Aprenda a falar em público
 
Apostila de Comunicação Verbal e Oratória
Apostila de Comunicação Verbal e OratóriaApostila de Comunicação Verbal e Oratória
Apostila de Comunicação Verbal e Oratória
 
Curso de oratoria
Curso de oratoriaCurso de oratoria
Curso de oratoria
 
Apresentacao de Alto Impacto
Apresentacao de Alto ImpactoApresentacao de Alto Impacto
Apresentacao de Alto Impacto
 
Tecnicas de Oratória.
Tecnicas de Oratória.Tecnicas de Oratória.
Tecnicas de Oratória.
 
Tecnicas de apresentação
Tecnicas de apresentaçãoTecnicas de apresentação
Tecnicas de apresentação
 
Oratória – slides assessor pe. rafael duque 06.10.2014
Oratória – slides assessor pe. rafael duque   06.10.2014Oratória – slides assessor pe. rafael duque   06.10.2014
Oratória – slides assessor pe. rafael duque 06.10.2014
 
Curso de Oratória
Curso de OratóriaCurso de Oratória
Curso de Oratória
 
1. curso de dicção
1. curso de dicção1. curso de dicção
1. curso de dicção
 
Comunicação de alto impacto 02.14
Comunicação de alto impacto   02.14Comunicação de alto impacto   02.14
Comunicação de alto impacto 02.14
 
Curso de Oratória - Oratória NÃO é dom, é TREINO!
Curso de Oratória - Oratória NÃO é dom, é TREINO!Curso de Oratória - Oratória NÃO é dom, é TREINO!
Curso de Oratória - Oratória NÃO é dom, é TREINO!
 
Apostila de oratória
Apostila de oratóriaApostila de oratória
Apostila de oratória
 
O poder da comunicação & oratória Por Julio Pascoal
O poder da comunicação & oratória   Por Julio PascoalO poder da comunicação & oratória   Por Julio Pascoal
O poder da comunicação & oratória Por Julio Pascoal
 
Arte de falar em público
Arte de falar em públicoArte de falar em público
Arte de falar em público
 

Destaque

Encarte divulga purificador de água brastemp na imprensa
Encarte divulga purificador de água brastemp na imprensaEncarte divulga purificador de água brastemp na imprensa
Encarte divulga purificador de água brastemp na imprensa
DM9DDB
 
Cap 03. estrutura contábil
Cap 03. estrutura contábilCap 03. estrutura contábil
Cap 03. estrutura contábil
capitulocontabil
 
Modos de aprendizaje
Modos de aprendizajeModos de aprendizaje
Modos de aprendizaje
jeronimo udea
 
Solidaridad con nuestros jvenes
Solidaridad con nuestros jvenesSolidaridad con nuestros jvenes
Solidaridad con nuestros jvenes
jonh1209
 
Desarrollo y mantenimiento de sistemas
Desarrollo y mantenimiento de sistemasDesarrollo y mantenimiento de sistemas
Desarrollo y mantenimiento de sistemas
xavisinho
 

Destaque (20)

Amatciems - Europa
Amatciems  -  EuropaAmatciems  -  Europa
Amatciems - Europa
 
Diapositiva
DiapositivaDiapositiva
Diapositiva
 
99Novas na Imprensa
99Novas na Imprensa99Novas na Imprensa
99Novas na Imprensa
 
Encarte divulga purificador de água brastemp na imprensa
Encarte divulga purificador de água brastemp na imprensaEncarte divulga purificador de água brastemp na imprensa
Encarte divulga purificador de água brastemp na imprensa
 
La iglesia bizantina se separa de roma
La iglesia bizantina se separa de romaLa iglesia bizantina se separa de roma
La iglesia bizantina se separa de roma
 
Practica 2[1]
Practica 2[1]Practica 2[1]
Practica 2[1]
 
Cap 03. estrutura contábil
Cap 03. estrutura contábilCap 03. estrutura contábil
Cap 03. estrutura contábil
 
Los 50 Pueblos Mas Bellos De EspañA
Los 50 Pueblos Mas Bellos De  EspañALos 50 Pueblos Mas Bellos De  EspañA
Los 50 Pueblos Mas Bellos De EspañA
 
Modos de aprendizaje
Modos de aprendizajeModos de aprendizaje
Modos de aprendizaje
 
Historia Gráfica del III curso de Pintura al Oleo
Historia Gráfica del III curso de Pintura al Oleo Historia Gráfica del III curso de Pintura al Oleo
Historia Gráfica del III curso de Pintura al Oleo
 
Expo desarrollo
Expo desarrolloExpo desarrollo
Expo desarrollo
 
Solidaridad con nuestros jvenes
Solidaridad con nuestros jvenesSolidaridad con nuestros jvenes
Solidaridad con nuestros jvenes
 
Historia Gráfica del III curso de Pintura al Oleo
Historia Gráfica del III curso de Pintura al Oleo Historia Gráfica del III curso de Pintura al Oleo
Historia Gráfica del III curso de Pintura al Oleo
 
Marly becerra
Marly becerraMarly becerra
Marly becerra
 
Proyecto
ProyectoProyecto
Proyecto
 
Tlc desarrollo
Tlc desarrolloTlc desarrollo
Tlc desarrollo
 
Desarrollo y mantenimiento de sistemas
Desarrollo y mantenimiento de sistemasDesarrollo y mantenimiento de sistemas
Desarrollo y mantenimiento de sistemas
 
Presentación1
Presentación1Presentación1
Presentación1
 
Mensajes motivadores
Mensajes motivadores Mensajes motivadores
Mensajes motivadores
 
Tlc desarrollo
Tlc desarrolloTlc desarrollo
Tlc desarrollo
 

Semelhante a Oratória i

Curso Teatral para Nao Atores
Curso Teatral para Nao AtoresCurso Teatral para Nao Atores
Curso Teatral para Nao Atores
Grupo Treinar
 
Referencial apresentação oral 2
Referencial   apresentação oral 2Referencial   apresentação oral 2
Referencial apresentação oral 2
LUIS ABREU
 
Como falar em público otimo
Como falar em público  otimoComo falar em público  otimo
Como falar em público otimo
Taiane Cabral
 

Semelhante a Oratória i (20)

Expressão oral
Expressão oralExpressão oral
Expressão oral
 
Técnicas para falar em grupo
Técnicas para falar em grupoTécnicas para falar em grupo
Técnicas para falar em grupo
 
Curso Teatral para Nao Atores
Curso Teatral para Nao AtoresCurso Teatral para Nao Atores
Curso Teatral para Nao Atores
 
Oratória: A execlência para falar em público
Oratória: A execlência para falar em públicoOratória: A execlência para falar em público
Oratória: A execlência para falar em público
 
ESTAMOS AO VIVO | Construindo a Oratória
ESTAMOS AO VIVO | Construindo a OratóriaESTAMOS AO VIVO | Construindo a Oratória
ESTAMOS AO VIVO | Construindo a Oratória
 
Referencial apresentação oral 2
Referencial   apresentação oral 2Referencial   apresentação oral 2
Referencial apresentação oral 2
 
10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO
10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO
10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO
 
Quebre Barreiras: Como Superar o Medo de Falar em Público em 5 Passos Simples
Quebre Barreiras: Como Superar o Medo de Falar em Público em 5 Passos SimplesQuebre Barreiras: Como Superar o Medo de Falar em Público em 5 Passos Simples
Quebre Barreiras: Como Superar o Medo de Falar em Público em 5 Passos Simples
 
29º GDG Uberaba - Como falar muito bem em público - Patrícia Cicci
29º GDG Uberaba - Como falar muito bem em público - Patrícia Cicci29º GDG Uberaba - Como falar muito bem em público - Patrícia Cicci
29º GDG Uberaba - Como falar muito bem em público - Patrícia Cicci
 
Oratória
Oratória Oratória
Oratória
 
Curso de oratória
Curso de oratória  Curso de oratória
Curso de oratória
 
1º oratória
1º oratória1º oratória
1º oratória
 
Comunicacao em-publico
Comunicacao em-publicoComunicacao em-publico
Comunicacao em-publico
 
Como falar em público
Como falar em públicoComo falar em público
Como falar em público
 
Como falar em público otimo
Como falar em público  otimoComo falar em público  otimo
Como falar em público otimo
 
SEMINÁRIO
SEMINÁRIOSEMINÁRIO
SEMINÁRIO
 
SEMINÁRIO
SEMINÁRIOSEMINÁRIO
SEMINÁRIO
 
Fazendo a diferença
Fazendo a diferençaFazendo a diferença
Fazendo a diferença
 
o segredo da primeira impressão, marcam para sempre
o segredo da primeira impressão, marcam para sempreo segredo da primeira impressão, marcam para sempre
o segredo da primeira impressão, marcam para sempre
 
Compreendendo a Fonte do Medo sem medo de fala
Compreendendo a Fonte do Medo sem medo de falaCompreendendo a Fonte do Medo sem medo de fala
Compreendendo a Fonte do Medo sem medo de fala
 

Mais de Ricardo Gondim

Mais de Ricardo Gondim (20)

Princípios de Orígenes
Princípios de OrígenesPrincípios de Orígenes
Princípios de Orígenes
 
Salvação I
Salvação ISalvação I
Salvação I
 
Ministros e despenseiros
Ministros e despenseirosMinistros e despenseiros
Ministros e despenseiros
 
Carnalidade, imaturidade e divisões
Carnalidade, imaturidade e divisõesCarnalidade, imaturidade e divisões
Carnalidade, imaturidade e divisões
 
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de NinguénNinguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
 
Seitas e Heresias
Seitas e HeresiasSeitas e Heresias
Seitas e Heresias
 
Poéticos II
Poéticos IIPoéticos II
Poéticos II
 
Históricos III
Históricos IIIHistóricos III
Históricos III
 
Poéticos I
Poéticos IPoéticos I
Poéticos I
 
Históricos II
Históricos IIHistóricos II
Históricos II
 
Históricos I
Históricos IHistóricos I
Históricos I
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
 
Aula 1 apresentação site
Aula 1   apresentação siteAula 1   apresentação site
Aula 1 apresentação site
 
Aula 1 genesis
Aula 1   genesisAula 1   genesis
Aula 1 genesis
 
Aula 1 introdução
Aula 1   introduçãoAula 1   introdução
Aula 1 introdução
 
Meu teólogo favorito
Meu teólogo favoritoMeu teólogo favorito
Meu teólogo favorito
 
Aula 7 O homem diante da salvação
Aula 7   O homem diante da salvaçãoAula 7   O homem diante da salvação
Aula 7 O homem diante da salvação
 
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteAula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
 
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de HebreusAula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
 
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Aula 4  - Jesus, o grande SalvadorAula 4  - Jesus, o grande Salvador
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
 

Último

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 

Oratória i

  • 1. Shalom !<br /> Estamos caminhando juntos no Senhor no processo da nossa edificação como obreiros aptos para servirmos a casa do Pai. Neste encontro falaremos de oratória, mas antes de começarmos o mais importante é ouvirmos algumas coisas que o nosso Deus afirma sobre nós em sua Palavra :<br /> “Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais”. Jeremias 29:1<br />“Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;”I Pedro 2:9<br />Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. I João 3:1<br />Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Romanos 8:14<br />Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. HYPERLINK quot; http://www.bibliaonline.com.br/acf/2tm/2/15+quot; 2 Timóteo 2:15<br />ORATÓRIA<br />________________________________________________________________________<br />Ao contrário do que muitos pensam, a comunicação de uma forma eficaz é uma habilidade que pode ser desenvolvida. Falar é uma expressão natural dos que podem emitir sons para se comunicar. É um ato consciente e inconsciente ao mesmo tempo. A voz e o conteúdo são os elementos mais básicos da nossa comunicação consciente, agregando-se ainda os gestos, a postura, as pausas ou silêncio, que também comunicam de forma espontânea e inconsciente a quem ouve-nos ou dirige-nos a atenção. Todo este conjunto envolve a habilidade de comunicar-se oralmente.<br />O que é Oratória ?<br />________________________________________________________________________<br />“A oratória trata-se de método de HYPERLINK quot; http://pt.wikipedia.org/wiki/Discursoquot; quot; Discursoquot; discurso, da arte de como falar em público ou o conjunto de regras e técnicas que permitem apurar as qualidades pessoais de quem se destina a falar em público.”<br />Curiosidade: “Na Grécia Antiga, e mesmo em HYPERLINK quot; http://pt.wikipedia.org/wiki/Romaquot; quot; Romaquot; Roma, a oratória era estudada como componente da HYPERLINK quot; http://pt.wikipedia.org/wiki/Ret%C3%B3ricaquot; quot; Retóricaquot; retórica (ou seja, composição e apresentação de discursos), e era considerada uma importante habilidade na vida pública e privada. HYPERLINK quot; http://pt.wikipedia.org/wiki/Arist%C3%B3telesquot; quot; Aristótelesquot; Aristóteles e HYPERLINK quot; http://pt.wikipedia.org/wiki/Quintilianoquot; quot; Quintilianoquot; Quintiliano estão entre os mais conhecidos autores sobre o tema na antiguidade.”<br />Segundo Rogéria Guida :<br />“A Oratória desenvolve o potencial de comunicação, a inteligência emocional e a capacidade de pensar e organizar as relações humanas .“ <br />Acrescenta ainda alguns elementos importantes para comunicar-se bem :<br />Postura: Toda postura interna molda o corpo e a voz. Através da postura o orador aprende a ser alinhado, elegante e impecável.A postura de equilíbrio está relacionada com a saúde, a segurança e o prazer.Respiração : Respirar renova a vida no corpo, sentimentos e pensamentos.Aquele que mal consegue respirar mal consegue sentir-se confortável dentro do próprio corpo, mal consegue ver, ouvir, raciocinar, lembrar, ficar inspirado e soltar a voz. A respiração alimenta a saúde física, emocional, intelectual, vocal e espiritual. A consciência fono-respiratória produz o poder de colocar-se junto da própria voz no ambiente, possibilitando boa qualidade vocal.<br />Impostação da voz : Voz é energia sonora e tem freqüência de vibração.Somos instrumentos sonoros. É preciso saber afinar a própria voz para colocá-la sem esforço, de forma harmoniosa no ambiente, aproximar as pessoas e alcançar objetivos. A voz aproxima ou distancia, acalma ou fere e tem o poder de cura.Dicção: é a arte de dizer através da voz e da fala. Articular bem as palavras valoriza o discurso. Ter o poder de usar a palavra é produzir o efeito desejado para não sofrer os efeitos de uma fala distorcida e mal articulada daquele que não se escuta e não sabe o que fala.Ritmo: O ritmo ensina a falar com significado, atua na organização do pensamento e na capacidade de argumentação. Pensamento cadenciado é pensamento organizado. Desenvolve a objetividade e a fluência. Para caminhar numa direção é preciso falar com definição, é preciso falar com decisão.Inflexão: É a modulação da voz e transmite a emoção de quem fala. Fluência: Discurso inteligente com início meio e fim. Fluir e sustentar a intenção, através de um pensamento organizado e de um sentimento adequado. Ter fluência significa ter domínio do seu discurso.<br />Porque é tão difícil falar em público?<br />________________________________________________________________________<br />A comunicação é inerente ao ser humano. Precisamos falar, expressar nossas idéias e sentimentos e nem sempre nos sentimos preparados para isso. Nas mais variadas situações que vivenciamos, desde uma reunião informal, um encontro com amigos, ou nos desafios profissionais, somos solicitados de forma direta ou indireta a colocar nossas idéias, objetivos, a compartilhar nossa forma de pensar e perceber o mundo, nossos significados e significantes. <br />O falar em público, pode tornar-se um grande sofrimento tanto emocional como físico, pois está relacionado ao medo humano de não ser aceito e não ser respeitado. Para seres sociais como nós, a aceitação e o respeito do outro interferem diretamente no desenvolvimento do nosso senso de existência, daí ser um assunto tão amplo e complexo. O falar em público é para algumas pessoas, uma situação tão ameaçadora que o corpo lança mão de todas as alternativas possíveis para proteger-se. São comuns os relatos de sensação de tremor, taquicardia, sudorese, dores estomacais, dores de cabeça entre outros sintomas físicos. A insegurança ou a timidez de falar em público é bastante comum, e em geral decorre da ausência de experiência ou preparação para fazer apresentações, dar palestras, defender trabalhos ou conduzir reuniões. A experiência é algo que você só pode adquirir com o tempo, mas a preparação está – em maior ou menor grau – ao alcance de quase todos, consistindo no domínio do tema, do ambiente, das expectativas do público e das ferramentas à sua disposição.<br />Para auxiliar aqueles que tem alguma dificuldade de comunicação e expressão algumas técnicas simples foram aprimoradas e poderão mudar este quadro de insegurança. O site efetividade.net nos dá algumas dicas sobre os tipos de ensaios de preparação para o momento de uma apresentação.<br />Os ensaios têm mais de uma finalidade. A maior parte das pessoas pratica suas apresentações como forma de aumentar sua familiaridade com o material e de criar mais confiança e segurança em si mesmos, mas você pode obter muitos resultados além desse, se ensaiar com efetividade.<br />Claro que nem toda apresentação merece todas as técnicas, e que quanto mais experiência você tiver, menos precisará investir em ensaios. Aplique as técnicas conforme a situação exigir.<br /> <br />Veja o que mais você pode obter com cada uma das técnicas:<br />Pratique a apresentação diante do espelho: praticar a apresentação sozinho é algo natural e óbvio, mas a prática diante do espelho pode ser (erroneamente) confundida com vaidade. Mas é uma forma importante de perceber vários fatores importantes que podem desviar a atenção do público e diminuir a qualidade da apresentação: a sua postura, se oscila o corpo enquanto fala, a forma como posiciona as mãos, sua expressão facial, etc.<br />Ensaie de frente para a parede: é o oposto do ensaio no espelho. Sem distrações, sem apoio, nada além de você perdendo a dependência dos slides, falando e se ouvindo, e corrigindo, e percebendo claramente os pontos em que o discurso “empaca”.<br />Pratique com amigos e depois com colegas: quando os colegas não são propriamente amigos, você acrescenta algum pressão à equação do ensaio. Claro que nem se compara à pressão do evento em si, mas é um ingrediente a mais no realismo do ensaio. Além de praticar mais vezes, você ganha a chance de experimentar como se sai de fato interagindo com algum público. As pessoas entendem o que você está falando? Não estranham os títulos? Não se distraem com as ilustrações? Aprenda com as perguntas que os amigos e colegas fizeram, aceite as críticas e corrija.<br />Grave um ensaio: ninguém gosta de assistir a gravações de si mesmo, mas é um recurso valioso mesmo assim. Assistindo (ou ouvindo) a uma gravação de si mesmo você pode perceber erros de temporização, pontos em que você gaguejou, murmurou, acelerou, fez gestos estranhos… Assista, corrija e grave de novo.<br />Faça um ensaio geral: em pelo menos duas ocasiões em que fiz apresentações de projetos fora do meu ambiente usual e para grandes públicos, tive oportunidade de fazer um ensaio geral, no próprio auditório onde se realizaria o evento, já com a versão final do material, na presença de colegas e com acesso a todas as ferramentas: microfone, projetor, a pessoa que controlaria os slides, etc. Foi valiosíssimo, permitiu ajustar muitas questões, inclusive uso do espaço sem ficar na frente da tela, uso do púlpito e do microfone, deslocamentos, etc.<br />Praticando <br />__________________________________________________________________________<br />1 - Faça o descrito abaixo, é um começo. Apresente para si mesmo e depois a alguém:<br />Saúde a audiência – igreja,colegas, irmãos, funcionários, equipe ;<br />Apresente-se (nome,o que faz, etc);<br />Se estiver tímido ou a audiência dispersa, faça um quebra gelo. Fale algo do cotidiano ou compartilhe algo engraçado até se acostumar com o ambiente e trazer atenção a si;<br />Inicie o discurso.<br />2 - Para o nosso próximo encontro (20/Out), prepare :<br />* Aviso da programação da igreja – Fique atento a programação dos indoors. Mantenha o interesse pelos próximos eventos a fim de saber o que está acontecendo e esteja preparado para falar caso seja escolhido neste tema ;<br />* Proposta de reflexão : Conduzir a audiência na leitura de um pequeno trecho da palavra e propor reflexão (como é feito com a palavra de oferta ou antes de uma convocação a oração) ;<br />* Um breve testemunho de algo que Deus tem feito em sua vida. <br />