SlideShare uma empresa Scribd logo
Assédio
ALCIDES WAGNER CRUZ TIRADENTES
Precisamos falar sobre.
O que é assédio?
2
Podemos chamar de ASSÉDIO qualquer tipo de
abordagem ou relação que intimide, humilhe, coaja
ou coloque em risco sua integridade física e psicológica,
em qualquer ambiente.
O assédio também é um tipo de violência que pode
desestabilizar emocionalmente a vítima e refletir em
diversos aspectos da sua vida pessoal, profissional e
amorosa de forma irreversível.
Os principais tipos
de assédio
Assédio moral
4
O assédio moral é uma violência contra a dignidade do outro. Esse tipo de
assédio costuma acontecer em casa, ambientes de trabalho e estudo, ou seja,
tem como culpado pessoas que estão próximas a você e te conhecem bem.
Assédio moral
5
Quando o seu chefe grita e te humilha na frente
de outros funcionários por um erro cometido,
isso é assédio moral. Quando seus “colegas” de
trabalho fazem piadas sobre você com o
objetivo de prejudicar sua imagem, isso
também é assédio moral. Quando a fofoca das
pessoas passa a te prejudicar, isso é assédio
moral.
Assédio sexual
6
O assédio sexual pode acontecer em qualquer lugar, seja no seu trabalho ou
na rua. Quando você não dá abertura para que haja uma aproximação sexual e,
mesmo assim, o outro diz palavras, faz gestos ou te toca de forma a demonstrar
o desejo.
Assédio sexual
7
Uma das formas mais tradicionais de assédio sexual
acontece nas ruas, por parte de desconhecidos que
usam palavras chulas para descrever sua aparência ou
para fazer convites relacionados ao sexo.
Assédio psicológico
8
Esse tipo de assédio é aquele no qual o assediador
“brinca” com a mente da vítima, fazendo-a
questionar conceitos e certezas que tinha sobre a
vida e sobre si mesma. Acontece muito em
relacionamentos abusivos, quando uma das partes
gosta de ressaltar o quanto é melhor que o outro e
como está fazendo um verdadeiro favor em manter o
relacionamento.
Assédio psicológico
9
 São frases típicas do assédio psicológico:
Assédio moral no
trabalho
11
É toda e qualquer conduta abusiva
(gesto, palavra, escritos, comportamento,
atitude, etc.) que, intencional e
frequentemente, fira a dignidade e a
integridade física ou psíquica de uma
pessoa, ameaçando seu emprego ou
degradando o clima de trabalho.
Requisitos para a caracterização do
Assédio Moral:
12
Um ato isolado de humilhação não é assédio moral. Para
configuração de assédio moral nas relações de trabalho, três
requisitos são necessários:
 A conduta abusiva;
 A repetição dos ataques;
 O dano.
Requisitos para a caracterização do
Assédio Moral:
13
Um ato isolado de humilhação não é assédio moral. Para
configuração de assédio moral nas relações de trabalho, três
requisitos são necessários:
 A conduta abusiva;
 A repetição dos ataques;
 O dano.
Consiste na intenção do agressor
de expor a vítima a situações
incômodas e humilhantes, a fim
de retirá-la do seu caminho ou
mesmo do emprego.
Requisitos para a caracterização do
Assédio Moral:
14
Um ato isolado de humilhação não é assédio moral. Para
configuração de assédio moral nas relações de trabalho, três
requisitos são necessários:
 A conduta abusiva;
 A repetição dos ataques;
 O dano.
Implica à repetição das condutas
de forma sistematizada, ou seja,
exige-se duração mínima (seis
meses, em média) e que os
ataques se repitam com
frequência de duas vezes na
semana.
Requisitos para a caracterização do
Assédio Moral:
15
Um ato isolado de humilhação não é assédio moral. Para
configuração de assédio moral nas relações de trabalho, três
requisitos são necessários:
 A conduta abusiva;
 A repetição dos ataques;
 O dano. É o dano à integridade psíquica
ou física da pessoa.
Entre quem se dá o Assédio Moral?
16
Embora a situação mais comum seja a do
assédio moral partir de um superior para um
subordinado, muitas vezes pode ocorrer
entre colegas de mesmo nível hierárquico
ou mesmo partir de subordinados para um
superior, sendo este último caso, entretanto,
mais difícil de se configurar.
Condutas mais comuns:
17
 Instruções confusas e imprecisas ao(à) trabalhador(a);
 Dificultar o trabalho;
 Atribuir erros imaginários ao(à) trabalhador(a);
 Exigir, sem necessidade, trabalhos urgentes;
 Sobrecarga de tarefas;
 Ignorar a presença do(a) trabalhador(a), ou não cumprimentá- lo(a) ou,
ainda, não lhe dirigir a palavra na frente dos outros, deliberadamente;
Continua →
Condutas mais comuns:
18
 Fazer críticas ou brincadeiras de mau gosto ao(à) trabalhador(a) em
público;
 Impor horários injustificados;
 Retirar-lhe, injustificadamente, os instrumentos de trabalho;
 Agressão física ou verbal, quando estão sós o(a) assediador(a) e a vítima.
Frases frequentemente utilizadas
pelo agressor:
19
“É muito difícil e
isso é pra quem
tem garra!! ”
“Se você não quer
trabalhar... por que não
dá o lugar pra outro?”
“Lugar de doente é no
hospital... Aqui é pra
trabalhar.”
“Lugar de doente é no
hospital... Aqui é pra
trabalhar.”
Consequências do Assédio Moral à
Saúde:
20
 Crises de choro;
 Depressão;
 Insônia ou sonolência excessiva;
 Diminuição da libido;
 Aumento da pressão arterial;
 Falta de ar;
 Falta de apetite;
 Distúrbios digestivos;
 Tentativa de suicídio;
 Tonturas;
 Entre outras.
Assédio sexual no
trabalho
22
Toda tentativa, por parte do empregador ou de quem detenha poder
hierárquico sobre o empregado, de obter dele favores sexuais.
FORMAS: Ameaça e/ou condição de
continuidade no emprego, ou quaisquer
manifestações agressivas de índole sexual.
Espécies de Assédio Sexual
23
 Por intimidação: Caracteriza-se por incitações sexuais importunas, de solicitações ou
manifestações sexuais, verbais ou físicas, com intuito de prejudicar a atuação laboral, ou
criar uma situação ofensiva, hostil, de intimidação ou abuso no trabalho.
 Por chantagem: Pressupõe, necessariamente, abuso de poder por parte do empregador
ou de preposto seu. Imprescindível a ascendência do agente sobre a vítima, utilizando
este o ilegítimo poder hierárquico. Essa modalidade é considerada ilícito penal.
Repercussões do Assédio Sexual
24
poderá o assediador ser
dispensado por justa causa.
EMPREGADO
x
COLEGA DE TRABALHO
pode postular a rescisão indireta
do contrato de trabalho.
EMPREGADOR
x
SUPERIOR HIERÁRQUICO
O que fazer diante do problema?
25
 Anotar tudo o que acontece, coletando e guardando provas do assédio.
Exemplo: bilhetes do assediador, documentos que comprovem o repasse de tarefas impossíveis de
serem realizadas, etc.;
 Procurar conversar com o agressor sempre na presença de testemunhas;
 Procurar o departamento de recursos humanos e relatar os fatos;
 Procurar orientação jurídica para denunciar a situação de assédio moral.
 Para o assédio sexuais os tribunais trabalhistas estão valorizando muito o depoimento
do empregado assediado.
O fazer em casos de
assédio?
27
Sabendo o que é ASSÉDIO e que ele não é aceitável em nenhuma situação ou
ambiente, o passo seguinte é tomar uma atitude para colocar um FIM nisso.
O ideal é que a vítima DENUNCIE quem está promovendo o assédio o mais rápido
possível. Se tiver provas e testemunhas que possam depor a seu favor é melhor ainda.
BUSQUE APOIO na família, amigos e colegas de trabalho que possam comentar sobre o
caso e ajudar a embasar o seu relato.
O que não podemos, NUNCA, é nos calar frente a um tipo de violência que coloca em
jogo nossos direitos básicos, humilha e amedronta tantas pessoas.
Obrigado!
Alguma dúvida?
Entre em contato:
● alcideswagner@hotmail.com
● 27 98125-3541
28

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CIPA ASSÉDIO.pptx
CIPA ASSÉDIO.pptxCIPA ASSÉDIO.pptx
CIPA ASSÉDIO.pptx
RafaelPereira518015
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no TrabalhoSlide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
Crícia Silva
 
Frases para SIPAT
Frases para SIPATFrases para SIPAT
Frases para SIPAT
Conceito Zen
 
O assédio moral no trabalho
O assédio moral no trabalhoO assédio moral no trabalho
O assédio moral no trabalho
jonatascastro16
 
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalhoRelacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Bruno Morais Lopes
 
Assédio[1]
Assédio[1]Assédio[1]
Assédio[1]
Heloísa Ximenes
 
Palestra em SIPAT: O Fator Humano na prevenção de acidentes e do estresse
Palestra em SIPAT: O Fator Humano na prevenção de acidentes e do estressePalestra em SIPAT: O Fator Humano na prevenção de acidentes e do estresse
Palestra em SIPAT: O Fator Humano na prevenção de acidentes e do estresse
Julio Machado
 
Assedio moral nas organizações
Assedio moral nas organizaçõesAssedio moral nas organizações
Assedio moral nas organizações
Joyce Kelly Campos
 
Assédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power pointAssédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power point
nilsonbelvio
 
Riscos psicossociais
Riscos psicossociaisRiscos psicossociais
Riscos psicossociais
Jhonas de Queiroz
 
RELACIONAMENTO NO TRABALHO
RELACIONAMENTO NO TRABALHORELACIONAMENTO NO TRABALHO
RELACIONAMENTO NO TRABALHO
Ericlesia
 
Trabalho em equipe
Trabalho em equipeTrabalho em equipe
Trabalho em equipe
Fabrício Ottoni
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
Aroldo Gavioli
 
Palestra de ergonomia Nr -17
Palestra de ergonomia Nr -17Palestra de ergonomia Nr -17
Palestra de ergonomia Nr -17
Josiel Leite
 
Relacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20hRelacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20h
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
 
A saúde do trabalhador, seus riscos ocupacionais, aspectos psicossociais, cul...
A saúde do trabalhador, seus riscos ocupacionais, aspectos psicossociais, cul...A saúde do trabalhador, seus riscos ocupacionais, aspectos psicossociais, cul...
A saúde do trabalhador, seus riscos ocupacionais, aspectos psicossociais, cul...
Fernanda Marinho
 
AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx
AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptxAGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx
AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx
DamsioCear
 
Das Imagens Feias
Das Imagens FeiasDas Imagens Feias
Das Imagens Feias
Ainoan
 
Cartilha Assédio Moral e Sexual
Cartilha Assédio Moral e SexualCartilha Assédio Moral e Sexual
Cartilha Assédio Moral e Sexual
Robson Peixoto
 

Mais procurados (20)

CIPA ASSÉDIO.pptx
CIPA ASSÉDIO.pptxCIPA ASSÉDIO.pptx
CIPA ASSÉDIO.pptx
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
 
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no TrabalhoSlide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
 
Frases para SIPAT
Frases para SIPATFrases para SIPAT
Frases para SIPAT
 
O assédio moral no trabalho
O assédio moral no trabalhoO assédio moral no trabalho
O assédio moral no trabalho
 
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalhoRelacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
 
Assédio[1]
Assédio[1]Assédio[1]
Assédio[1]
 
Palestra em SIPAT: O Fator Humano na prevenção de acidentes e do estresse
Palestra em SIPAT: O Fator Humano na prevenção de acidentes e do estressePalestra em SIPAT: O Fator Humano na prevenção de acidentes e do estresse
Palestra em SIPAT: O Fator Humano na prevenção de acidentes e do estresse
 
Assedio moral nas organizações
Assedio moral nas organizaçõesAssedio moral nas organizações
Assedio moral nas organizações
 
Assédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power pointAssédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power point
 
Riscos psicossociais
Riscos psicossociaisRiscos psicossociais
Riscos psicossociais
 
RELACIONAMENTO NO TRABALHO
RELACIONAMENTO NO TRABALHORELACIONAMENTO NO TRABALHO
RELACIONAMENTO NO TRABALHO
 
Trabalho em equipe
Trabalho em equipeTrabalho em equipe
Trabalho em equipe
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
 
Palestra de ergonomia Nr -17
Palestra de ergonomia Nr -17Palestra de ergonomia Nr -17
Palestra de ergonomia Nr -17
 
Relacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20hRelacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20h
 
A saúde do trabalhador, seus riscos ocupacionais, aspectos psicossociais, cul...
A saúde do trabalhador, seus riscos ocupacionais, aspectos psicossociais, cul...A saúde do trabalhador, seus riscos ocupacionais, aspectos psicossociais, cul...
A saúde do trabalhador, seus riscos ocupacionais, aspectos psicossociais, cul...
 
AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx
AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptxAGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx
AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx
 
Das Imagens Feias
Das Imagens FeiasDas Imagens Feias
Das Imagens Feias
 
Cartilha Assédio Moral e Sexual
Cartilha Assédio Moral e SexualCartilha Assédio Moral e Sexual
Cartilha Assédio Moral e Sexual
 

Semelhante a OFICINA Assédio.pptx

manual-contra-o-assedio-cartilha-boxnet.pdf
manual-contra-o-assedio-cartilha-boxnet.pdfmanual-contra-o-assedio-cartilha-boxnet.pdf
manual-contra-o-assedio-cartilha-boxnet.pdf
FLAMARIONDEPAULA2
 
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptx
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptxmanual-contra-o-assedio-cartilha.pptx
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptx
HailtonJose1
 
Assédio[1]
Assédio[1]Assédio[1]
Assédio[1]
Heloísa Ximenes
 
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptxASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
jadib73800
 
Assédio Moral no Trablho
Assédio Moral no TrablhoAssédio Moral no Trablho
Assédio Moral no Trablho
juliostrike9
 
assedio no trabalhoo
assedio no trabalhooassedio no trabalhoo
assedio no trabalhoo
cdeferrocdeferro
 
Psicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptx
Psicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptxPsicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptx
Psicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptx
ssuser4f703e
 
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdfApresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Eva Cordeiro
 
ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO-CIPA
ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO-CIPAASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO-CIPA
ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO-CIPA
marcos leiria leiria
 
Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023
Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023
Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023
WalterKleidson1
 
Trabalho mobbing
Trabalho   mobbingTrabalho   mobbing
Trabalho mobbing
Ricardo Caseiro
 
mobbying
mobbyingmobbying
mobbying
Ricardo Caseiro
 
Fundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdf
Fundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdfFundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdf
Fundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdf
Pris57
 
Cartilha assedio moral
Cartilha assedio moralCartilha assedio moral
Cartilha assedio moral
Cosmo Palasio
 
122360761 bullying
122360761 bullying122360761 bullying
122360761 bullying
Pelo Siro
 
Assedio moral revisado
Assedio moral revisadoAssedio moral revisado
Assedio moral revisado
Evandro Calisto
 
Cartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cartilha-assédio-moral-TST.pdfCartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cid Oliveira
 
Cartilha final
Cartilha finalCartilha final
Cartilha final
SINSMUJG
 
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptx
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptxAssédio Moral CIPA 2023(1).pptx
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptx
AlexsanderRodrigues18
 
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptx
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptxAssédio Moral CIPA 2023(1).pptx
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptx
marlone5
 

Semelhante a OFICINA Assédio.pptx (20)

manual-contra-o-assedio-cartilha-boxnet.pdf
manual-contra-o-assedio-cartilha-boxnet.pdfmanual-contra-o-assedio-cartilha-boxnet.pdf
manual-contra-o-assedio-cartilha-boxnet.pdf
 
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptx
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptxmanual-contra-o-assedio-cartilha.pptx
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptx
 
Assédio[1]
Assédio[1]Assédio[1]
Assédio[1]
 
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptxASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
 
Assédio Moral no Trablho
Assédio Moral no TrablhoAssédio Moral no Trablho
Assédio Moral no Trablho
 
assedio no trabalhoo
assedio no trabalhooassedio no trabalhoo
assedio no trabalhoo
 
Psicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptx
Psicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptxPsicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptx
Psicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptx
 
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdfApresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
 
ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO-CIPA
ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO-CIPAASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO-CIPA
ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO-CIPA
 
Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023
Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023
Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023
 
Trabalho mobbing
Trabalho   mobbingTrabalho   mobbing
Trabalho mobbing
 
mobbying
mobbyingmobbying
mobbying
 
Fundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdf
Fundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdfFundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdf
Fundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdf
 
Cartilha assedio moral
Cartilha assedio moralCartilha assedio moral
Cartilha assedio moral
 
122360761 bullying
122360761 bullying122360761 bullying
122360761 bullying
 
Assedio moral revisado
Assedio moral revisadoAssedio moral revisado
Assedio moral revisado
 
Cartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cartilha-assédio-moral-TST.pdfCartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cartilha-assédio-moral-TST.pdf
 
Cartilha final
Cartilha finalCartilha final
Cartilha final
 
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptx
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptxAssédio Moral CIPA 2023(1).pptx
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptx
 
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptx
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptxAssédio Moral CIPA 2023(1).pptx
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptx
 

Último

planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 

OFICINA Assédio.pptx

  • 1. Assédio ALCIDES WAGNER CRUZ TIRADENTES Precisamos falar sobre.
  • 2. O que é assédio? 2 Podemos chamar de ASSÉDIO qualquer tipo de abordagem ou relação que intimide, humilhe, coaja ou coloque em risco sua integridade física e psicológica, em qualquer ambiente. O assédio também é um tipo de violência que pode desestabilizar emocionalmente a vítima e refletir em diversos aspectos da sua vida pessoal, profissional e amorosa de forma irreversível.
  • 4. Assédio moral 4 O assédio moral é uma violência contra a dignidade do outro. Esse tipo de assédio costuma acontecer em casa, ambientes de trabalho e estudo, ou seja, tem como culpado pessoas que estão próximas a você e te conhecem bem.
  • 5. Assédio moral 5 Quando o seu chefe grita e te humilha na frente de outros funcionários por um erro cometido, isso é assédio moral. Quando seus “colegas” de trabalho fazem piadas sobre você com o objetivo de prejudicar sua imagem, isso também é assédio moral. Quando a fofoca das pessoas passa a te prejudicar, isso é assédio moral.
  • 6. Assédio sexual 6 O assédio sexual pode acontecer em qualquer lugar, seja no seu trabalho ou na rua. Quando você não dá abertura para que haja uma aproximação sexual e, mesmo assim, o outro diz palavras, faz gestos ou te toca de forma a demonstrar o desejo.
  • 7. Assédio sexual 7 Uma das formas mais tradicionais de assédio sexual acontece nas ruas, por parte de desconhecidos que usam palavras chulas para descrever sua aparência ou para fazer convites relacionados ao sexo.
  • 8. Assédio psicológico 8 Esse tipo de assédio é aquele no qual o assediador “brinca” com a mente da vítima, fazendo-a questionar conceitos e certezas que tinha sobre a vida e sobre si mesma. Acontece muito em relacionamentos abusivos, quando uma das partes gosta de ressaltar o quanto é melhor que o outro e como está fazendo um verdadeiro favor em manter o relacionamento.
  • 9. Assédio psicológico 9  São frases típicas do assédio psicológico:
  • 11. 11 É toda e qualquer conduta abusiva (gesto, palavra, escritos, comportamento, atitude, etc.) que, intencional e frequentemente, fira a dignidade e a integridade física ou psíquica de uma pessoa, ameaçando seu emprego ou degradando o clima de trabalho.
  • 12. Requisitos para a caracterização do Assédio Moral: 12 Um ato isolado de humilhação não é assédio moral. Para configuração de assédio moral nas relações de trabalho, três requisitos são necessários:  A conduta abusiva;  A repetição dos ataques;  O dano.
  • 13. Requisitos para a caracterização do Assédio Moral: 13 Um ato isolado de humilhação não é assédio moral. Para configuração de assédio moral nas relações de trabalho, três requisitos são necessários:  A conduta abusiva;  A repetição dos ataques;  O dano. Consiste na intenção do agressor de expor a vítima a situações incômodas e humilhantes, a fim de retirá-la do seu caminho ou mesmo do emprego.
  • 14. Requisitos para a caracterização do Assédio Moral: 14 Um ato isolado de humilhação não é assédio moral. Para configuração de assédio moral nas relações de trabalho, três requisitos são necessários:  A conduta abusiva;  A repetição dos ataques;  O dano. Implica à repetição das condutas de forma sistematizada, ou seja, exige-se duração mínima (seis meses, em média) e que os ataques se repitam com frequência de duas vezes na semana.
  • 15. Requisitos para a caracterização do Assédio Moral: 15 Um ato isolado de humilhação não é assédio moral. Para configuração de assédio moral nas relações de trabalho, três requisitos são necessários:  A conduta abusiva;  A repetição dos ataques;  O dano. É o dano à integridade psíquica ou física da pessoa.
  • 16. Entre quem se dá o Assédio Moral? 16 Embora a situação mais comum seja a do assédio moral partir de um superior para um subordinado, muitas vezes pode ocorrer entre colegas de mesmo nível hierárquico ou mesmo partir de subordinados para um superior, sendo este último caso, entretanto, mais difícil de se configurar.
  • 17. Condutas mais comuns: 17  Instruções confusas e imprecisas ao(à) trabalhador(a);  Dificultar o trabalho;  Atribuir erros imaginários ao(à) trabalhador(a);  Exigir, sem necessidade, trabalhos urgentes;  Sobrecarga de tarefas;  Ignorar a presença do(a) trabalhador(a), ou não cumprimentá- lo(a) ou, ainda, não lhe dirigir a palavra na frente dos outros, deliberadamente; Continua →
  • 18. Condutas mais comuns: 18  Fazer críticas ou brincadeiras de mau gosto ao(à) trabalhador(a) em público;  Impor horários injustificados;  Retirar-lhe, injustificadamente, os instrumentos de trabalho;  Agressão física ou verbal, quando estão sós o(a) assediador(a) e a vítima.
  • 19. Frases frequentemente utilizadas pelo agressor: 19 “É muito difícil e isso é pra quem tem garra!! ” “Se você não quer trabalhar... por que não dá o lugar pra outro?” “Lugar de doente é no hospital... Aqui é pra trabalhar.” “Lugar de doente é no hospital... Aqui é pra trabalhar.”
  • 20. Consequências do Assédio Moral à Saúde: 20  Crises de choro;  Depressão;  Insônia ou sonolência excessiva;  Diminuição da libido;  Aumento da pressão arterial;  Falta de ar;  Falta de apetite;  Distúrbios digestivos;  Tentativa de suicídio;  Tonturas;  Entre outras.
  • 22. 22 Toda tentativa, por parte do empregador ou de quem detenha poder hierárquico sobre o empregado, de obter dele favores sexuais. FORMAS: Ameaça e/ou condição de continuidade no emprego, ou quaisquer manifestações agressivas de índole sexual.
  • 23. Espécies de Assédio Sexual 23  Por intimidação: Caracteriza-se por incitações sexuais importunas, de solicitações ou manifestações sexuais, verbais ou físicas, com intuito de prejudicar a atuação laboral, ou criar uma situação ofensiva, hostil, de intimidação ou abuso no trabalho.  Por chantagem: Pressupõe, necessariamente, abuso de poder por parte do empregador ou de preposto seu. Imprescindível a ascendência do agente sobre a vítima, utilizando este o ilegítimo poder hierárquico. Essa modalidade é considerada ilícito penal.
  • 24. Repercussões do Assédio Sexual 24 poderá o assediador ser dispensado por justa causa. EMPREGADO x COLEGA DE TRABALHO pode postular a rescisão indireta do contrato de trabalho. EMPREGADOR x SUPERIOR HIERÁRQUICO
  • 25. O que fazer diante do problema? 25  Anotar tudo o que acontece, coletando e guardando provas do assédio. Exemplo: bilhetes do assediador, documentos que comprovem o repasse de tarefas impossíveis de serem realizadas, etc.;  Procurar conversar com o agressor sempre na presença de testemunhas;  Procurar o departamento de recursos humanos e relatar os fatos;  Procurar orientação jurídica para denunciar a situação de assédio moral.  Para o assédio sexuais os tribunais trabalhistas estão valorizando muito o depoimento do empregado assediado.
  • 26. O fazer em casos de assédio?
  • 27. 27 Sabendo o que é ASSÉDIO e que ele não é aceitável em nenhuma situação ou ambiente, o passo seguinte é tomar uma atitude para colocar um FIM nisso. O ideal é que a vítima DENUNCIE quem está promovendo o assédio o mais rápido possível. Se tiver provas e testemunhas que possam depor a seu favor é melhor ainda. BUSQUE APOIO na família, amigos e colegas de trabalho que possam comentar sobre o caso e ajudar a embasar o seu relato. O que não podemos, NUNCA, é nos calar frente a um tipo de violência que coloca em jogo nossos direitos básicos, humilha e amedronta tantas pessoas.
  • 28. Obrigado! Alguma dúvida? Entre em contato: ● alcideswagner@hotmail.com ● 27 98125-3541 28