SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
PSICOLOGIA DO
TRABALHO
O Ser Humano nas Organizações e o
Assédio Moral
Prof. Alexsandra Maia
Assédio Moral
• O assédio moral nas organizações não é algo novo, os
maus tratos e humilhações existem desde o início das
relações trabalhistas, porém, nas ultimas décadas vêm
ganhando novas formas e características, em função do
novo modelo organizacional das empresas que acaba por
induzir a pressão sobre os colaboradores diante das
metas e objetivos estratégicos traçados pela empresa.
Definição
• O assédio moral organizacional, também conhecido como
mobbing ou terror psicológico, é caracterizado por
condutas abusivas de qualquer natureza exercidas de
maneira sistemática em uma relação de trabalho que
resultem em humilhação, exposição negativa, ofensa,
constrangimento de uma ou mais vítimas sem qualquer
motivo concreto.
O que se verifica no assédio é a repetição do
ato que viola intencionalmente os direitos do
outro, atingindo sua integridade biológica e
causando transtornos a saúde psíquica e
física
• Compreende um conjunto de sinais em
que se estabelece um cerco ao outro sem
lhe dar tréguas.
• Sua intencionalidade é exercer o domínio,
quebrar a vontade do outro, impondo
término ao conflito quer pela via da
demissão ou sujeição.
• É um processo, mediado por palavras,
símbolos e sinais, que estabelecidos, impõem
ao outro a obediência cega sem
questionamentos ou explicações.
• Deve “aceitar” provocações, gozações,
desqualificações e ridicularizações de formas
constantes e repetitivas sem reclamar ou
questionar. (BARRETO, 2005, p. 49-50)
• Na maioria das vezes são pequenas
agressões e ofensas que isoladamente são
de pouca gravidade, mas quando adotadas
de maneira sistemática tornam-se
situações destrutivas que ofendem a
dignidade e integridade psíquica dos
trabalhadores.
• Geralmente são atitudes que são
propagadas através de condutas sem
conotação sexual, relacionadas ao abuso
de poder com o objetivo de humilhar e
intimidar o assediado.
• O assédio moral pode acontecer de
diversas formas:
• vertical ascendente;
• vertical descendente ou horizontal;
• líderes contra subordinados;
• colegas contra colega em mesmo nível
hierárquico;
• subordinados contra lideres;
• colaborador com mais tempo de casa
contra os novatos e vice-versa, entre
outros.
• As atitudes são variadas, todas com o
objetivo de agredir a vitima sem um motivo
concreto e plausível.
• O motivo se faz na mente do agressor e
insiste na sua agressão com base nesse
motivo, e a vitima se vê muitas vezes sem
saída por medo, por não saber como agir e
por falta de apoio.
• Quanto às ações, elas são as mais
variadas possíveis:
• gritos, gestos grosseiros e obscenos,
comportamento hostil, intolerância,
perseguição sistemática e até violência
física.
• Objetivo é desestabilizar emocionalmente
a vítima, destratá-la, ridicularizá-la
publicamente.
• As ameaças de desemprego, por sua vez,
levam muitos a tolerarem o assédio, as
acusações e a atribuição de apelidos
depreciativos ou constrangedores, prática
muitas vezes justificada pela imagem que o
brasileiro tem de ser brincalhão. A
insinuação de roubo é a facada final que se
pode dar num assediado. Uma acusação
injustificada é capaz de desestruturar
qualquer pessoa. (BARRETO, 2008)
• As condutas do agressor contra o assediado
podem ser as mais variadas, dentre as mais
praticadas estão:
a) Dificultar o trabalho;
b) Atribuir erros imaginários;
c) Exigir sem necessidade trabalhos urgentes;
d) Sobrecarregar de tarefas;
e) Estabelecer metas abusivas;
f) Restringir as pausas para refeição e/ou
necessidades fisiológicas;
g) Fazer críticas ou brincadeiras de mau gosto
em público;
h) Ameaçar e/ou insultar;
• Geralmente o assédio moral começa em
casos de discriminação por gênero, raça,
sexualidade, ou outros motivos. Onde
qualquer pessoa pode ser vitima, já que o
assedio ocorre independente do sexo, nível
hierárquico, idade, etc
Papel da vitima
Geralmente os profissionais mais questionadores e
os mais solitários são os alvos preferidos para o
assedio moral nas organizações, outro alvo
potencial é também o profissional portador de
doença causada pelo próprio trabalho.
• As vitimas muitas vezes não são pessoas
que podem se denominar frágeis, muitas
das vezes elas acabam sendo as que
reagem as ordens e que se recusam a se
submeter a elas, causando assim no
agressor uma certa ira sobre ela.
• Os profissionais ligados a área da saúde,
educação, comunicação e serviços são os
mais expostos ao abuso de poder por parte
do empregador.
• São vários fatores que influenciam para um
individuo se tornar vitima ou ate mesmo
assediador. Há envolvido neste contexto
questões comportamentais, culturais e de
ambiente, tanto da empresa quanto do
profissional.
Perfil do assediador
• “As pesquisas mostram que cerca de 90%
dos assediadores são superiores
hierarquicamente aos assediados, mas há
casos em que o assedio é praticado pelo
conjunto de colegas, e até mesmo, por um
subordinado.” (BARRETO, 2008)
• O agressor apresenta um perfil agressivo,
com gestos e condutas abusivas. Tem por
objetivo ridicularizar, amedrontar e
humilhar a vitima.
• O assediador normalmente se vê melhor
que os outros indivíduos e não suporta se
sentir menos importante, muitas vezes por
inveja ele acaba colocando o assediado
em situações humilhantes e
constrangedoras para que ele possa se
sentir superior.
• Apresentam total falta de interesse e de
empatia para com os outros, mas desejam
que os outros se interessem por eles. Tudo
lhes é devido.
• Criticam todo mundo, mas não admitem o
menor questionamento ou a menor
censura.
Causas e Consequências
• Os motivos pelos quais são concretizados
o assedio moral são numerosos e variados.
Uma das razões mais comum pela qual o
agressor persegue sua vitima é o desejo
de que o mesmo se demita por não mais
sustentar a pressão da situação em que se
encontra.
• Outra razão bastante recorrente no cenário
atual é a busca das empresas por
resultados em tempo cada vez menor, isso
acaba por incitar os lideres a pressionar de
maneira exagerada seus subordinados.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Psicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptx

Semelhante a Psicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptx (20)

Assédio moral no trabalho
Assédio moral no trabalhoAssédio moral no trabalho
Assédio moral no trabalho
 
OFICINA Assédio.pptx
OFICINA Assédio.pptxOFICINA Assédio.pptx
OFICINA Assédio.pptx
 
Bullyng
BullyngBullyng
Bullyng
 
Assedio moral troca
Assedio moral trocaAssedio moral troca
Assedio moral troca
 
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptxASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
 
mobbying
mobbyingmobbying
mobbying
 
Trabalho mobbing
Trabalho   mobbingTrabalho   mobbing
Trabalho mobbing
 
Assédio Moral no Trablho
Assédio Moral no TrablhoAssédio Moral no Trablho
Assédio Moral no Trablho
 
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdfApresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
 
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
 
CIPA ASSÉDIO.pptx
CIPA ASSÉDIO.pptxCIPA ASSÉDIO.pptx
CIPA ASSÉDIO.pptx
 
122360761 bullying
122360761 bullying122360761 bullying
122360761 bullying
 
Dominação e assédio moral nas organizações
Dominação e assédio moral nas organizaçõesDominação e assédio moral nas organizações
Dominação e assédio moral nas organizações
 
2007003
20070032007003
2007003
 
2007003
20070032007003
2007003
 
Assedio moral nas organizações
Assedio moral nas organizaçõesAssedio moral nas organizações
Assedio moral nas organizações
 
O assédio moral nas relações do trabalho
O assédio moral nas relações do trabalhoO assédio moral nas relações do trabalho
O assédio moral nas relações do trabalho
 
Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023
Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023
Apresentação DE ASSEDIO SEXUAL CIPA 2023
 
assedio no trabalhoo
assedio no trabalhooassedio no trabalhoo
assedio no trabalhoo
 
Cartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cartilha-assédio-moral-TST.pdfCartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cartilha-assédio-moral-TST.pdf
 

Último

Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGuilhermeLucio9
 
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024excellenceeducaciona
 
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxAssimoIovahale
 
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...DL assessoria 31
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxConsultoria Acadêmica
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfAroldoMenezes1
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024Consultoria Acadêmica
 
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna decipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna deGleuciane Rocha
 

Último (8)

Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
 
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
 
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
 
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
 
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna decipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
 

Psicologia do Trabalho- Assédio Moral-Aula 03.pptx

  • 1. PSICOLOGIA DO TRABALHO O Ser Humano nas Organizações e o Assédio Moral Prof. Alexsandra Maia
  • 2. Assédio Moral • O assédio moral nas organizações não é algo novo, os maus tratos e humilhações existem desde o início das relações trabalhistas, porém, nas ultimas décadas vêm ganhando novas formas e características, em função do novo modelo organizacional das empresas que acaba por induzir a pressão sobre os colaboradores diante das metas e objetivos estratégicos traçados pela empresa.
  • 3. Definição • O assédio moral organizacional, também conhecido como mobbing ou terror psicológico, é caracterizado por condutas abusivas de qualquer natureza exercidas de maneira sistemática em uma relação de trabalho que resultem em humilhação, exposição negativa, ofensa, constrangimento de uma ou mais vítimas sem qualquer motivo concreto.
  • 4. O que se verifica no assédio é a repetição do ato que viola intencionalmente os direitos do outro, atingindo sua integridade biológica e causando transtornos a saúde psíquica e física
  • 5. • Compreende um conjunto de sinais em que se estabelece um cerco ao outro sem lhe dar tréguas. • Sua intencionalidade é exercer o domínio, quebrar a vontade do outro, impondo término ao conflito quer pela via da demissão ou sujeição.
  • 6. • É um processo, mediado por palavras, símbolos e sinais, que estabelecidos, impõem ao outro a obediência cega sem questionamentos ou explicações. • Deve “aceitar” provocações, gozações, desqualificações e ridicularizações de formas constantes e repetitivas sem reclamar ou questionar. (BARRETO, 2005, p. 49-50)
  • 7. • Na maioria das vezes são pequenas agressões e ofensas que isoladamente são de pouca gravidade, mas quando adotadas de maneira sistemática tornam-se situações destrutivas que ofendem a dignidade e integridade psíquica dos trabalhadores. • Geralmente são atitudes que são propagadas através de condutas sem conotação sexual, relacionadas ao abuso de poder com o objetivo de humilhar e intimidar o assediado.
  • 8. • O assédio moral pode acontecer de diversas formas: • vertical ascendente; • vertical descendente ou horizontal; • líderes contra subordinados; • colegas contra colega em mesmo nível hierárquico; • subordinados contra lideres; • colaborador com mais tempo de casa contra os novatos e vice-versa, entre outros.
  • 9. • As atitudes são variadas, todas com o objetivo de agredir a vitima sem um motivo concreto e plausível. • O motivo se faz na mente do agressor e insiste na sua agressão com base nesse motivo, e a vitima se vê muitas vezes sem saída por medo, por não saber como agir e por falta de apoio.
  • 10. • Quanto às ações, elas são as mais variadas possíveis: • gritos, gestos grosseiros e obscenos, comportamento hostil, intolerância, perseguição sistemática e até violência física. • Objetivo é desestabilizar emocionalmente a vítima, destratá-la, ridicularizá-la publicamente.
  • 11. • As ameaças de desemprego, por sua vez, levam muitos a tolerarem o assédio, as acusações e a atribuição de apelidos depreciativos ou constrangedores, prática muitas vezes justificada pela imagem que o brasileiro tem de ser brincalhão. A insinuação de roubo é a facada final que se pode dar num assediado. Uma acusação injustificada é capaz de desestruturar qualquer pessoa. (BARRETO, 2008)
  • 12. • As condutas do agressor contra o assediado podem ser as mais variadas, dentre as mais praticadas estão: a) Dificultar o trabalho; b) Atribuir erros imaginários; c) Exigir sem necessidade trabalhos urgentes; d) Sobrecarregar de tarefas; e) Estabelecer metas abusivas; f) Restringir as pausas para refeição e/ou necessidades fisiológicas; g) Fazer críticas ou brincadeiras de mau gosto em público; h) Ameaçar e/ou insultar;
  • 13. • Geralmente o assédio moral começa em casos de discriminação por gênero, raça, sexualidade, ou outros motivos. Onde qualquer pessoa pode ser vitima, já que o assedio ocorre independente do sexo, nível hierárquico, idade, etc
  • 14. Papel da vitima Geralmente os profissionais mais questionadores e os mais solitários são os alvos preferidos para o assedio moral nas organizações, outro alvo potencial é também o profissional portador de doença causada pelo próprio trabalho.
  • 15. • As vitimas muitas vezes não são pessoas que podem se denominar frágeis, muitas das vezes elas acabam sendo as que reagem as ordens e que se recusam a se submeter a elas, causando assim no agressor uma certa ira sobre ela.
  • 16. • Os profissionais ligados a área da saúde, educação, comunicação e serviços são os mais expostos ao abuso de poder por parte do empregador.
  • 17. • São vários fatores que influenciam para um individuo se tornar vitima ou ate mesmo assediador. Há envolvido neste contexto questões comportamentais, culturais e de ambiente, tanto da empresa quanto do profissional.
  • 18. Perfil do assediador • “As pesquisas mostram que cerca de 90% dos assediadores são superiores hierarquicamente aos assediados, mas há casos em que o assedio é praticado pelo conjunto de colegas, e até mesmo, por um subordinado.” (BARRETO, 2008)
  • 19. • O agressor apresenta um perfil agressivo, com gestos e condutas abusivas. Tem por objetivo ridicularizar, amedrontar e humilhar a vitima.
  • 20. • O assediador normalmente se vê melhor que os outros indivíduos e não suporta se sentir menos importante, muitas vezes por inveja ele acaba colocando o assediado em situações humilhantes e constrangedoras para que ele possa se sentir superior.
  • 21. • Apresentam total falta de interesse e de empatia para com os outros, mas desejam que os outros se interessem por eles. Tudo lhes é devido. • Criticam todo mundo, mas não admitem o menor questionamento ou a menor censura.
  • 22. Causas e Consequências • Os motivos pelos quais são concretizados o assedio moral são numerosos e variados. Uma das razões mais comum pela qual o agressor persegue sua vitima é o desejo de que o mesmo se demita por não mais sustentar a pressão da situação em que se encontra.
  • 23. • Outra razão bastante recorrente no cenário atual é a busca das empresas por resultados em tempo cada vez menor, isso acaba por incitar os lideres a pressionar de maneira exagerada seus subordinados.