SlideShare uma empresa Scribd logo
*
O homem de bem
O homem de bem
1. Deposita fé em Deus, na Sua bondade, na Sua
justiça e na Sua sabedoria.
Confiança!
CONSELHO AMIGO"
"Meu irmão, que na terra se alimenta
Do pão amargo de cruéis labutas
Sem ver o fim das provas em que lutas,
Sem acalento e fé na alma sedenta;
Abeira-te como eu em dores mudas
Da Bondade de Deus que dessedenta
Toda ânsia de paz que brota lenta
Ao rastejarmos em estradas brutas.
E através da paciência que ilumina
E da alegria em meio às próprias chagas
Na fé renovadora de Jesus,
Encontrarás, ao fim da dura sina
Como achei eu, após as minhas mágoas,
O Lar Celeste te esperando em LUZ !"
( Jesus Gonçalves - Imortais da Poesia / Dora Incontri )
Entre os atletas anônimos
Jésus Gonçalves era um dos
integrantes do Aimorés
Futebol Clube, equipe
formada por ele para
proporcionar momentos de
esportes e lazer entre os
internos na colônia de
isolamento em 1933. Foto:
Arquivo da SB
2. Tem fé no futuro, colocando os bens
espirituais acima dos bens temporais.
Esperança!
Profissão de Fé
Espíritas! Vencei o medo atroz
De confessar o Cristo! Meus irmãos,
Se o cristianismo está vivendo em vós,
Que todos saibam, que vós sois cristãos!
Não cultivemos preconceitos vãos!
Que todos vejam bom exemplo em nós,
Vede que o Cristo nos estende as mãos
E nos convida a ouvir-lhe a santa voz
Avante, pois! Dizei a todo mundo
Que o Espiritismo é esplêndida verdade!
E que votais ao Cristo amor profundo
Que observais do Mestre os seus ensinos
E que também amais a humanidade,
Amando o Pai de todos os destinos
Jésus Gonçalves (Flores de Outono)
4. Mistura doses abundantes de caridade e de
amor ao próximo, retribuindo o mal com o bem.
Beneficência!
Embora seu estado de saúde fosse precário, trabalhava cada vez mais
em prol da doutrina espírita, atendendo e orientando necessitados,
realizando sessões mediúnicas, desobsessões, presidindo a entidade,
realizando eventos beneficentes, escrevendo...
A Doutrina Espírita sacia em Jésus a sede de explicações, e o faz
beber a água límpida da Verdade nas fontes da lógica e do
bom senso.
Ele se dedica, a partir de então, a esclarecer a noção de justiça
divina e submissão à dor entre os companheiros e irmãos no
sofrimento.
Como é de seu feitio, tudo faz junto aos internos para melhorar a
vida comunitária no hospital. Nessa época, rejeita que o chamem de
"mestre", apelido que, por sua reconhecida superioridade intelectual
e pelo temperamento de líder, o acompanhava desde Aymorés.
5. Pensa nos outros, antes de pensar em si,
encontrando satisfação nos serviços que presta.
Solidariedade!
Solidariedade
Em baixo destes céus, por estes ares,
onde eu sou triste em lúgubre morada...
faz moradia alegre a passarada
que sabe ser feliz e sem pesares,
Nas moitas, nos jardins, pela ramada,
andam pardais aos mil, pombos aos pares,
cantando as mil canções da madrugada,
no confuso rumor dos mil cantares!
E em primavera eterna e venturosa,
Não abandonam eles a paragem,
Sem ter medo da doença contagiosa...
Por isso aos passarinhos amo tanto!
E se entendesse deles a linguagem,
Com eles cantaria o mesmo canto.
(Jésus Gonçalves –
“Flores de Outono”, Ed. Lake)
6. É bom, humano e benevolente para com
todos, sem distinção de raças ou crenças.
Fraternidade!
Apesar das dificuldades, sua alma jovial, buscava sempre
dedicar-se à música e às artes teatrais, com a qual contribuiu
escrevendo e dirigindo algumas peças. Por apresentar boa
vocação para a escrita conseguiu engajar-se como articulista
de órgãos jornalísticos da cidade. Participava como liderança
em atividades culturais de sua cidade, dedicando-se à música
e ao teatro.
A doença minava-lhe lentamente as forças, mas nem por isso
deixou de trabalhar. Os periódicos, nos quais colaborava com
prosas e poesias, continuaram a receber o seu concurso. Além
disso, montou uma banda com os internos, além de sempre
organizar peças teatrais.
8. Mais uma vez, não se esquece de em todas as
circunstâncias tomar por guia a caridade.
Caridade!
Sem desanimar diante das dificuldades, cultivou
virtudes, entre as quais a perseverança que o
ajudou a aproveitar as poucas oportunidades de
estudo.
. Apesar do caráter íntegro, disciplinado,
mantinha a altivez de um guerreiro vencedor
que camuflava a doçura e a sensibilidade.
Dedicou-se então, com o mesmo empenho que
lhe era característico da alma, a construção e
edificação de um Centro Espírita em
Pirapitinguí. Buscou ajuda junto às comunidades
espíritas para a construção do centro e
estabeleceu um elo de ligação sem precedentes
entre os leprosos e a sociedade.
O homem de bem
“Não ficam assim
enumeradas todas as
qualidades que distinguem o
homem de bem; mas, aquele
que se esforce por possuir as
que acabamos de mencionar,
no caminho se acha que a
todas as demais conduz.”
Confiança
Esperança
Resignação
Beneficência
Solidariedade Fraternidade Alteridade Caridade Perdão
Indulgência
Compreensão
Bondade
Humildade
Humanidade
Dedicação
AMOR
SEGUNDO CORAÇÃO
Devera, para o amor, haver na gente,
um outro coração intercalado,
que para o amor pulsasse unicamente,
sem ódio, sem rancor e sem pecado.
Que fosse um coração imunizado
contra qualquer sentido diferente;
feito do amor, por ele escravizado,
pulsando sem cessar, constantemente!
Que o amor impuro que há purificasse,
banindo a ingratidão, a falsidade,
e sem amar, a mais ninguém deixasse.
Que a vida desse o dom da meiga flor,
tornando-a, sem luxúria, sem maldade,
amor!. Somente amor! … Somente amor! …
Espíritos que aqui na
Terra completaram
essa receita que
conduz ao homem de
bem.
Todo aquele que se esforça em possuí-las, está no
caminho que
conduz a todas as outras

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
gmo1973
 
Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21
Leonardo Pereira
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
Convidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESE
Convidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESEConvidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESE
Convidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESE
Fernanda Florian
 
Os sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntariosOs sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntarios
Marcos Antônio Alves
 
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
gmo1973
 
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Graça Maciel
 
Parábola da figueira seca
Parábola da figueira secaParábola da figueira seca
Parábola da figueira seca
alice martins
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
Izabel Cristina Fonseca
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
igmateus
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
Sergio Menezes
 
Honrai a vosso pai e a vossa
Honrai a vosso pai e a vossaHonrai a vosso pai e a vossa
Honrai a vosso pai e a vossa
Crisley Carolina Souza e Silva
 
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os EscolhidosMuitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Almir Silva
 
Espiritismo - Uma Nova Era para a Humanidade
Espiritismo - Uma Nova Era para a HumanidadeEspiritismo - Uma Nova Era para a Humanidade
Espiritismo - Uma Nova Era para a Humanidade
igmateus
 
Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
Izabel Cristina Fonseca
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
gmo1973
 
A fé transporta montanhas cap 19 ese
A fé transporta montanhas cap 19 eseA fé transporta montanhas cap 19 ese
A fé transporta montanhas cap 19 ese
ctollin
 
A verdadeira propriedade
A verdadeira propriedadeA verdadeira propriedade
A verdadeira propriedade
Flavio A. Zanetti
 

Mais procurados (20)

Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
 
Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
Convidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESE
Convidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESEConvidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESE
Convidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESE
 
Os sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntariosOs sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntarios
 
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
 
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
 
Parábola da figueira seca
Parábola da figueira secaParábola da figueira seca
Parábola da figueira seca
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
 
Honrai a vosso pai e a vossa
Honrai a vosso pai e a vossaHonrai a vosso pai e a vossa
Honrai a vosso pai e a vossa
 
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os EscolhidosMuitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
 
Espiritismo - Uma Nova Era para a Humanidade
Espiritismo - Uma Nova Era para a HumanidadeEspiritismo - Uma Nova Era para a Humanidade
Espiritismo - Uma Nova Era para a Humanidade
 
Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
 
A fé transporta montanhas cap 19 ese
A fé transporta montanhas cap 19 eseA fé transporta montanhas cap 19 ese
A fé transporta montanhas cap 19 ese
 
A verdadeira propriedade
A verdadeira propriedadeA verdadeira propriedade
A verdadeira propriedade
 

Destaque

Jesus visita os lares
Jesus visita os laresJesus visita os lares
Jesus visita os lares
Angelo Baptista
 
Parte B - O homem de bem
Parte B - O homem de bemParte B - O homem de bem
Parte B - O homem de bem
Darlene Cesar
 
O Homem De Bem Juliana Ramires
O Homem De Bem   Juliana RamiresO Homem De Bem   Juliana Ramires
O Homem De Bem Juliana Ramires
Juliana Ramires
 
Homem de bem
Homem de bemHomem de bem
Homem de bem
Angelo Baptista
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
Jose Ferreira Almeida Almeida
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
Alice Lirio
 
O homem de bem e a evolução!
O homem de bem e  a evolução! O homem de bem e  a evolução!
O homem de bem e a evolução!
Leonardo Pereira
 
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede PerfeitosESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
grupodepaisceb
 

Destaque (8)

Jesus visita os lares
Jesus visita os laresJesus visita os lares
Jesus visita os lares
 
Parte B - O homem de bem
Parte B - O homem de bemParte B - O homem de bem
Parte B - O homem de bem
 
O Homem De Bem Juliana Ramires
O Homem De Bem   Juliana RamiresO Homem De Bem   Juliana Ramires
O Homem De Bem Juliana Ramires
 
Homem de bem
Homem de bemHomem de bem
Homem de bem
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
 
O homem de bem e a evolução!
O homem de bem e  a evolução! O homem de bem e  a evolução!
O homem de bem e a evolução!
 
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede PerfeitosESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
 

Semelhante a O homem de bem

Atraves do tempo (psicografia chico xavier espiritos diversos)
Atraves do tempo (psicografia chico xavier   espiritos diversos)Atraves do tempo (psicografia chico xavier   espiritos diversos)
Atraves do tempo (psicografia chico xavier espiritos diversos)
Fernando Moraes
 
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
Vanesa Silva
 
Jésus gonçalves e as poesias
Jésus gonçalves e as poesiasJésus gonçalves e as poesias
Jésus gonçalves e as poesias
Dalila Melo
 
Boletim esperança 20
Boletim esperança 20Boletim esperança 20
Boletim esperança 20
Robervaldu
 
Fe e caridade gec 05 12-2015
Fe e caridade  gec 05 12-2015Fe e caridade  gec 05 12-2015
Fe e caridade gec 05 12-2015
Izabel Cristina Fonseca
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom JesusSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
Ricardo Azevedo
 
Os dragões cap. 12 ppt
Os dragões cap. 12 pptOs dragões cap. 12 ppt
Os dragões cap. 12 ppt
Silvânio Barcelos
 
Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)
Silvânio Barcelos
 
Evangelho animais 34
Evangelho animais 34Evangelho animais 34
Evangelho animais 34
Fatoze
 
Boletim 200413
Boletim   200413Boletim   200413
Boletim 200413
Marcio Lira
 
Fraternidade E Ecumenismo
Fraternidade E EcumenismoFraternidade E Ecumenismo
Fraternidade E Ecumenismo
Grupo Espírita Cristão
 
Curso visitação fraterna
Curso visitação fraternaCurso visitação fraterna
Curso visitação fraterna
Movimento da Fraternidade
 
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Franciscode assis
Franciscode assisFranciscode assis
Franciscode assis
ANDRY CAVALHEIRO
 
Visão de Eurípedes
Visão de EurípedesVisão de Eurípedes
Visão de Eurípedes
Helio Cruz
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 2 - Pensa um pouco
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 2 - Pensa um poucoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 2 - Pensa um pouco
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 2 - Pensa um pouco
Ricardo Azevedo
 
EM DEFESA DA VIDA (1).pptx
EM DEFESA DA VIDA (1).pptxEM DEFESA DA VIDA (1).pptx
EM DEFESA DA VIDA (1).pptx
Diego Rodrigues
 
Beume julho15
Beume julho15Beume julho15
Beume julho15
Ume Maria
 
Evangelho animais 50
Evangelho animais 50Evangelho animais 50
Evangelho animais 50
Fatoze
 
2 Jesus e Assistência.
2 Jesus e Assistência.2 Jesus e Assistência.
2 Jesus e Assistência.
ThiagoPereiraSantos2
 

Semelhante a O homem de bem (20)

Atraves do tempo (psicografia chico xavier espiritos diversos)
Atraves do tempo (psicografia chico xavier   espiritos diversos)Atraves do tempo (psicografia chico xavier   espiritos diversos)
Atraves do tempo (psicografia chico xavier espiritos diversos)
 
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
 
Jésus gonçalves e as poesias
Jésus gonçalves e as poesiasJésus gonçalves e as poesias
Jésus gonçalves e as poesias
 
Boletim esperança 20
Boletim esperança 20Boletim esperança 20
Boletim esperança 20
 
Fe e caridade gec 05 12-2015
Fe e caridade  gec 05 12-2015Fe e caridade  gec 05 12-2015
Fe e caridade gec 05 12-2015
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom JesusSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
 
Os dragões cap. 12 ppt
Os dragões cap. 12 pptOs dragões cap. 12 ppt
Os dragões cap. 12 ppt
 
Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)
 
Evangelho animais 34
Evangelho animais 34Evangelho animais 34
Evangelho animais 34
 
Boletim 200413
Boletim   200413Boletim   200413
Boletim 200413
 
Fraternidade E Ecumenismo
Fraternidade E EcumenismoFraternidade E Ecumenismo
Fraternidade E Ecumenismo
 
Curso visitação fraterna
Curso visitação fraternaCurso visitação fraterna
Curso visitação fraterna
 
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
 
Franciscode assis
Franciscode assisFranciscode assis
Franciscode assis
 
Visão de Eurípedes
Visão de EurípedesVisão de Eurípedes
Visão de Eurípedes
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 2 - Pensa um pouco
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 2 - Pensa um poucoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 2 - Pensa um pouco
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 2 - Pensa um pouco
 
EM DEFESA DA VIDA (1).pptx
EM DEFESA DA VIDA (1).pptxEM DEFESA DA VIDA (1).pptx
EM DEFESA DA VIDA (1).pptx
 
Beume julho15
Beume julho15Beume julho15
Beume julho15
 
Evangelho animais 50
Evangelho animais 50Evangelho animais 50
Evangelho animais 50
 
2 Jesus e Assistência.
2 Jesus e Assistência.2 Jesus e Assistência.
2 Jesus e Assistência.
 

Mais de Dalila Melo

é Difícil julgar os homens
é Difícil julgar os homensé Difícil julgar os homens
é Difícil julgar os homens
Dalila Melo
 
As criaturas existem e não existem
As criaturas existem e não existemAs criaturas existem e não existem
As criaturas existem e não existem
Dalila Melo
 
Confissões livro vi item iv
Confissões livro vi item ivConfissões livro vi item iv
Confissões livro vi item iv
Dalila Melo
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
Dalila Melo
 
Instruções a timóteo
Instruções a timóteoInstruções a timóteo
Instruções a timóteo
Dalila Melo
 
Psicologia da gratidão
Psicologia da gratidãoPsicologia da gratidão
Psicologia da gratidão
Dalila Melo
 
Literatura infantil espírita
Literatura infantil espíritaLiteratura infantil espírita
Literatura infantil espírita
Dalila Melo
 
1 coríntios 4
1 coríntios 41 coríntios 4
1 coríntios 4
Dalila Melo
 
A Casa espírita
A Casa espíritaA Casa espírita
A Casa espírita
Dalila Melo
 
Falatórios Vinha de Luz
Falatórios Vinha de LuzFalatórios Vinha de Luz
Falatórios Vinha de Luz
Dalila Melo
 
Caminhos da educação do espirito
Caminhos da educação do espiritoCaminhos da educação do espirito
Caminhos da educação do espirito
Dalila Melo
 
Educação do afeto
Educação do afetoEducação do afeto
Educação do afeto
Dalila Melo
 
Valor ação correta
Valor ação corretaValor ação correta
Valor ação correta
Dalila Melo
 
Rosas
RosasRosas
3 história da terra
3   história da terra3   história da terra
3 história da terra
Dalila Melo
 
Criação de deus
Criação de deusCriação de deus
Criação de deus
Dalila Melo
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
Dalila Melo
 
A fé religiosa
A fé religiosaA fé religiosa
A fé religiosa
Dalila Melo
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
Dalila Melo
 
Ano novo
Ano novoAno novo
Ano novo
Dalila Melo
 

Mais de Dalila Melo (20)

é Difícil julgar os homens
é Difícil julgar os homensé Difícil julgar os homens
é Difícil julgar os homens
 
As criaturas existem e não existem
As criaturas existem e não existemAs criaturas existem e não existem
As criaturas existem e não existem
 
Confissões livro vi item iv
Confissões livro vi item ivConfissões livro vi item iv
Confissões livro vi item iv
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
 
Instruções a timóteo
Instruções a timóteoInstruções a timóteo
Instruções a timóteo
 
Psicologia da gratidão
Psicologia da gratidãoPsicologia da gratidão
Psicologia da gratidão
 
Literatura infantil espírita
Literatura infantil espíritaLiteratura infantil espírita
Literatura infantil espírita
 
1 coríntios 4
1 coríntios 41 coríntios 4
1 coríntios 4
 
A Casa espírita
A Casa espíritaA Casa espírita
A Casa espírita
 
Falatórios Vinha de Luz
Falatórios Vinha de LuzFalatórios Vinha de Luz
Falatórios Vinha de Luz
 
Caminhos da educação do espirito
Caminhos da educação do espiritoCaminhos da educação do espirito
Caminhos da educação do espirito
 
Educação do afeto
Educação do afetoEducação do afeto
Educação do afeto
 
Valor ação correta
Valor ação corretaValor ação correta
Valor ação correta
 
Rosas
RosasRosas
Rosas
 
3 história da terra
3   história da terra3   história da terra
3 história da terra
 
Criação de deus
Criação de deusCriação de deus
Criação de deus
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
 
A fé religiosa
A fé religiosaA fé religiosa
A fé religiosa
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
 
Ano novo
Ano novoAno novo
Ano novo
 

O homem de bem

  • 1. *
  • 4. 1. Deposita fé em Deus, na Sua bondade, na Sua justiça e na Sua sabedoria. Confiança! CONSELHO AMIGO" "Meu irmão, que na terra se alimenta Do pão amargo de cruéis labutas Sem ver o fim das provas em que lutas, Sem acalento e fé na alma sedenta; Abeira-te como eu em dores mudas Da Bondade de Deus que dessedenta Toda ânsia de paz que brota lenta Ao rastejarmos em estradas brutas. E através da paciência que ilumina E da alegria em meio às próprias chagas Na fé renovadora de Jesus, Encontrarás, ao fim da dura sina Como achei eu, após as minhas mágoas, O Lar Celeste te esperando em LUZ !" ( Jesus Gonçalves - Imortais da Poesia / Dora Incontri )
  • 5. Entre os atletas anônimos Jésus Gonçalves era um dos integrantes do Aimorés Futebol Clube, equipe formada por ele para proporcionar momentos de esportes e lazer entre os internos na colônia de isolamento em 1933. Foto: Arquivo da SB
  • 6. 2. Tem fé no futuro, colocando os bens espirituais acima dos bens temporais. Esperança! Profissão de Fé Espíritas! Vencei o medo atroz De confessar o Cristo! Meus irmãos, Se o cristianismo está vivendo em vós, Que todos saibam, que vós sois cristãos! Não cultivemos preconceitos vãos! Que todos vejam bom exemplo em nós, Vede que o Cristo nos estende as mãos E nos convida a ouvir-lhe a santa voz Avante, pois! Dizei a todo mundo Que o Espiritismo é esplêndida verdade! E que votais ao Cristo amor profundo Que observais do Mestre os seus ensinos E que também amais a humanidade, Amando o Pai de todos os destinos Jésus Gonçalves (Flores de Outono)
  • 7. 4. Mistura doses abundantes de caridade e de amor ao próximo, retribuindo o mal com o bem. Beneficência! Embora seu estado de saúde fosse precário, trabalhava cada vez mais em prol da doutrina espírita, atendendo e orientando necessitados, realizando sessões mediúnicas, desobsessões, presidindo a entidade, realizando eventos beneficentes, escrevendo... A Doutrina Espírita sacia em Jésus a sede de explicações, e o faz beber a água límpida da Verdade nas fontes da lógica e do bom senso. Ele se dedica, a partir de então, a esclarecer a noção de justiça divina e submissão à dor entre os companheiros e irmãos no sofrimento. Como é de seu feitio, tudo faz junto aos internos para melhorar a vida comunitária no hospital. Nessa época, rejeita que o chamem de "mestre", apelido que, por sua reconhecida superioridade intelectual e pelo temperamento de líder, o acompanhava desde Aymorés.
  • 8. 5. Pensa nos outros, antes de pensar em si, encontrando satisfação nos serviços que presta. Solidariedade! Solidariedade Em baixo destes céus, por estes ares, onde eu sou triste em lúgubre morada... faz moradia alegre a passarada que sabe ser feliz e sem pesares, Nas moitas, nos jardins, pela ramada, andam pardais aos mil, pombos aos pares, cantando as mil canções da madrugada, no confuso rumor dos mil cantares! E em primavera eterna e venturosa, Não abandonam eles a paragem, Sem ter medo da doença contagiosa... Por isso aos passarinhos amo tanto! E se entendesse deles a linguagem, Com eles cantaria o mesmo canto. (Jésus Gonçalves – “Flores de Outono”, Ed. Lake)
  • 9. 6. É bom, humano e benevolente para com todos, sem distinção de raças ou crenças. Fraternidade! Apesar das dificuldades, sua alma jovial, buscava sempre dedicar-se à música e às artes teatrais, com a qual contribuiu escrevendo e dirigindo algumas peças. Por apresentar boa vocação para a escrita conseguiu engajar-se como articulista de órgãos jornalísticos da cidade. Participava como liderança em atividades culturais de sua cidade, dedicando-se à música e ao teatro. A doença minava-lhe lentamente as forças, mas nem por isso deixou de trabalhar. Os periódicos, nos quais colaborava com prosas e poesias, continuaram a receber o seu concurso. Além disso, montou uma banda com os internos, além de sempre organizar peças teatrais.
  • 10. 8. Mais uma vez, não se esquece de em todas as circunstâncias tomar por guia a caridade. Caridade! Sem desanimar diante das dificuldades, cultivou virtudes, entre as quais a perseverança que o ajudou a aproveitar as poucas oportunidades de estudo. . Apesar do caráter íntegro, disciplinado, mantinha a altivez de um guerreiro vencedor que camuflava a doçura e a sensibilidade. Dedicou-se então, com o mesmo empenho que lhe era característico da alma, a construção e edificação de um Centro Espírita em Pirapitinguí. Buscou ajuda junto às comunidades espíritas para a construção do centro e estabeleceu um elo de ligação sem precedentes entre os leprosos e a sociedade.
  • 12. “Não ficam assim enumeradas todas as qualidades que distinguem o homem de bem; mas, aquele que se esforce por possuir as que acabamos de mencionar, no caminho se acha que a todas as demais conduz.” Confiança Esperança Resignação Beneficência Solidariedade Fraternidade Alteridade Caridade Perdão Indulgência Compreensão Bondade Humildade Humanidade Dedicação AMOR
  • 13. SEGUNDO CORAÇÃO Devera, para o amor, haver na gente, um outro coração intercalado, que para o amor pulsasse unicamente, sem ódio, sem rancor e sem pecado. Que fosse um coração imunizado contra qualquer sentido diferente; feito do amor, por ele escravizado, pulsando sem cessar, constantemente! Que o amor impuro que há purificasse, banindo a ingratidão, a falsidade, e sem amar, a mais ninguém deixasse. Que a vida desse o dom da meiga flor, tornando-a, sem luxúria, sem maldade, amor!. Somente amor! … Somente amor! …
  • 14. Espíritos que aqui na Terra completaram essa receita que conduz ao homem de bem.
  • 15. Todo aquele que se esforça em possuí-las, está no caminho que conduz a todas as outras