SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 51
ANSIEDADE
1
• A depressão afeta 322
milhões de pessoas no
mundo, segundo dados
divulgados pela
Organização Mundial
da Saúde (OMS)
referentes a 2015.
• Em 10 anos, de 2005 a
2015, esse número
cresceu 18,4%. A
prevalência do
transtorno na
população mundial é
de 4,4%. 2
3
4
Uma pesquisa sobre o PENSAMENTO,
feita nos E.U.A., revela que:
40% Jamais acontecerá;
30% Lamenta o passado;
12% Saúde;
10% Assuntos insignificantes;
08% Embasamento real.
Ou seja: de 50 mil pensamentos diários,
apenas 8% são relevantes
(Fragmento do livro de Todashi Kadomoto, entitulado “Ninguém Tropeça em Montanha”)
5
BIBLIOGRAFIA
6
PORQUE A ANSIEDADE É TÃO COMUM
NAS PESSOAS, NA ÉPOCA ATUAL?
FATORES
 Complexidade da vida
moderna,
 Competitividade,
 Pressões,
 Desafios e rápidas
mudanças
 Perda dos valores
familiares e religiosos
DECORRENTES
 Frustrações profissionais e
afetivas
 Conflitos conjugais
 Morte de ente querido
 Perda de emprego
 Dividas financeiras
 Medo da violência
7
Impulsionando ao competitivismo da sobrevivência
e de uma sociedade eticamente egoísta,
predomina a insegurança no mundo emocional
das criaturas.
As constantes alterações da Bolsa de Valores, a
compressão dos gastos, a correria pela
aquisição de recursos e a disputa de cargos e
funções bem remunerados, geram, de um lado,
a insegurança individual e coletiva.
Por outro, as ameaças de guerras constantes, a
prepotência de governos inescrupulosos e
chefes de atividades arbitrários quão ditadores;
os anúncios e estardalhaços sobre enfermidades
devastadoras; os comunicados sobre os danos
perpetrados contra a ecologia, prenunciando
tragédias iminentes; a catalogação de crimes e
violências aterradoras respondem pela
inquietação e pelo medo que grassam em todos
os meios sociais, como constante ameaça contra
o ser e o seu grupo, levando-os a permanentes
ansiedades que deflui das incertezas da vida.
8
9
10
ANSIEDADE
• Todos, em menor ou
maior grau, estamos
sujeitos à ansiedade: uns
preferem racionalizá-la,
outros narcotizá-la e
outros ainda evitá-la.
• Diante de uma
adversidade, devemos nos
preparar para “lutar-ou-
fugir”. A fuga pode gerar
problemas futuros; a luta,
embora penosa, pode
gerar grandes benefícios.
11
BUSCANDO AMENIZAR A
ANSIEDADE MODO NEGATIVOS
roer as unhas,
comer exageradamente ou deixar de comer,
fumar freneticamente,
consumir bebidas alcoólicas com mais frequência;
outras perdem o sono, outras dormem demais;
muitas passam a utilizar medicamentos
busca de alívio em atividades como o jogo patológico,
comprar compulsivamente,
sexo compulsivo
trabalho excessivo que é a fuga mais bem aceita socialmente
12
BUSCANDO AMENIZAR A
ANSIEDADE MODO POSITIVOS
Praticar esportes,
realizar exercícios físicos regularmente,
Dedicar-se à leitura,
à música,
a algum tipo de arte
praticar a oração e a meditação.
13
ANSIEDADE NORMAL
“A presença da ansiedade significa
vitalidade”
Prestar um exame,
Fazer vestibular
Entrevista de emprego
Separação ou morte de pessoa amada
Um encontro amoroso
Quando se aguarda uma notícia, resposta.
 O “medo” de ter sua casa assaltada.
14
ANSIEDADE PATOLÓGICA
• É uma reação desproporcional ao perigo
objetivo,
• Desenvolvimento de sintomas e diversos
mecanismos neuróticos de defesa.
• Neurose = Jung – Um conflito entre o eu e
uma força contrária relacionada aos
conteúdos inconscientes.
15
DESDOBRAMENTO DOS FENOMENOS ANSIOSOS
 Ausência de serenidade para enfrentar os desafios da
existência.
 Avoluma-se na mente uma grande quantidade de
ambições, de desejos de execução ou conquistas de
coisas simultaneamente.
 A necessidade conflitiva de preencher os minutos com
atividades.
 Tornam-se exigentes e preconceituosos, agressivos e
violentos, desejosos de impor a sua vontade contra a
ordem estabelecida.
 Os seus relacionamentos são turbulentos, porque
deseja se impor, não admitindo restrições a forma de
conduta, não admitem que devam mudar de
comportamento.
16
17
18
19
ANSIEDADE PATOLÓGICA
• TRANSTORNO
OBSSESIVO-
COMPULSIVO - TOC
• TRANSTORNO DE
ANSIEDADE
GENERALIZADA – TAG
• TRANSTORNO DE
PÂNICO COM
AGORAFOBIA
• .
20
TRANSTORNO
OBSSESIVO
COMPULSIVO
TOC
Pavor na contaminação de coisas sujas ou micróbios.
Ser excessivamente exigente quanto a arrumação
dos seus objetos pessoais ou casa.
Pavor de pensamentos sobre sexo não comuns
Impulsos agressivos
Atos: medir-conferir- lavar-guardar-contar-evitar 21
TRANSTORNO OBSESSIVO
COMPULSIVO - TOC
• O ato “COMPULSIVO” é uma operação
defensiva destinada a reduzir a ansiedade e o
medo que a ideia ou sentimento obsessivo
provocam. Mas, ao mesmo tempo o paciente
reconhece que tudo é ABSURDO e tem o
desejo de resistir, mas não tem força de
vontade suficiente para isso.
22
MULHER, 50 ANOS – SENSAÇÃO DE ESTAR
SUJA, CONTAMINADA POR MICRÓBIOS.
- Lavava as mãos inúmeras
vezes, com sabonetes
diversos e depois lavava
com álcool.
- Achava que a casa estava
contaminada e lavava as
paredes, o chão com água,
sabão e álcool.
- Depois começou a borrifar
álcool puro diretamente nas
paredes.
- Depois começou a usar
luvas e nunca mais quis tirá-
las.
23
TRANSTORNO DE PÂNICO
Os sintomas mentais :
Medo extremo
Sensação de morte
Sensação de destruição eminente, mas o
paciente não é capaz de indicar a fonte de
seu medo.
24
25
26
• Não raro, o paciente,
desestruturado
emocionalmente e vitimado
pela sucessão das crises,
pode desenvolver um estado
profundo de agorafobia ou
derrapar em alcoolismo,
toxicomania, como evasões
do problema, que mais o
agravam, sem dúvida.
27
AGORAFOBIA
O paciente com transtorno de pânico pode
desenvolver AGORAFOBIA, medo de lugares
públicos, o que o leva a recusar-se a sair à
rua, fechando-se dentro de casa.
Evita sair do seu lar, com medo de um ataque.
Alguns conseguem sair de casa desde que em
companhia de outra pessoa.
28
Na infância:
• São comuns, as ameaças e as chantagens
afetivas: Se você não se alimentar, ou não
dormir, ou não proceder bem, papai e mamãe
não gostarão mais de você... ou O bicho
papão lhe pega, etc. A criança, incapaz de
digerir a informação, passa a ter medo de
perder o amor, de ser devorada, perturbando
a afetividade, que entorpece a naturalidade
no seu processo de amadurecimento,
tomando o adolescente inseguro, e um adulto
que não se sente credor de carinho, de
respeito, e de consideração. 29
FATORES E CAUSAS POSSIVEIS
•
As raízes do transtorno do pânico
encontram-se na criatura que
desconsiderou as Soberanas Leis e se
reencarna com predisposição
fisiológica, imprimindo nos genes a
necessidade da reparação dos delitos
passados que ficaram sem a retificação,
porque ficaram desconhecidos da
justiça humana, porém, não da justiça
divina e da própria consciência.
30
Síndrome do pânico
• Há, entretanto,
síndromes de distúrbio
de pânico que fogem ao
esquema convencional.
Aquelas que têm um
componente
paranormal, como
decorrência de ações
espirituais em
processos lamentáveis
de obsessão.
31
32
33
34
35
36
37
38
A BASE DE TUDO
39
TERAPIA – VISÃO ESPIRITA
40
CENTRO ESPIRITA - AUXILIO
• O Centro Espírita é a Universidade da alma. Nele,
podemos encontrar auxílio para qualquer tipo de
dor. Suponha que a ansiedade seja acompanhada
por influência de Espíritos imperfeitos. Nesse
caso, o diálogo com essa entidade pode afastá-la
do nosso convívio e nos dar calma para o nosso
dia a dia. As palestras evangélicas, os passes, os
cursos de Espiritismo são outros tantos alimentos
para modificar os nossos reflexos condicionados
infelizes.
41
Terapêutica
• A percepção deve ser fruto de uma
observação amorosa de nós mesmos.
Para que possamos fazer isso, é
necessário nos vermos como Seres
Essenciais, espíritos simples e
ignorantes em processo de evolução,
que tem o direito de errar para
evoluir.
• (Psicoterapia à Luz do Evangelho de Jesus – Alírio de Cerqueira Filho)
42
43
44
45
46
47
48
ANDRE LUIZ - CHICO
• “Não se aflija por
antecipação, porquanto é
possível que a vida resolva o
seu problema, ainda hoje,
sem qualquer esforço de sua
parte.
(…)
Antes das suas dificuldades de
agora, você já faceou
inúmeras outras e já se livrou
de todas elas, com o auxílio
invisível de Deus.” 49
Joanna
D´Angelis
50
Pão nosso –
Emmanuel/Francisco
C. Xavier.
• Mesmo que a vida nos acene com
acontecimentos desagradáveis, na
área da saúde, da afetividade, das
relações familiares e profissionais,
mantenhamos acesa a chama da
esperança, entregando a Deus as
nossas aflições, recordando a
advertência do Mestre inesquecível:
“tenho-vos dito isto para que
tenhais paz; no mundo tereis
aflições, mas tende bom ânimo, eu
venci o mundo”.
• Somente Deus, que tem o
poder de mudar o tempo,
permitindo a tempestade, também
tem o poder de agir no tempo certo,
permitindo que o sol surja com todo
o esplendor.
51

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
Dalila Melo
 

Mais procurados (20)

Cuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do EspíritoCuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do Espírito
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
A lei de igualdade
A lei de igualdadeA lei de igualdade
A lei de igualdade
 
Injúrias E Violências
Injúrias E ViolênciasInjúrias E Violências
Injúrias E Violências
 
Depressão na visão Espírita
Depressão na visão EspíritaDepressão na visão Espírita
Depressão na visão Espírita
 
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRiosReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
 
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão EspíritaAS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
 
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
 
Aborto
Aborto Aborto
Aborto
 
Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibração
 
CRIANÇA: VISÃO ESPIRITA
CRIANÇA: VISÃO ESPIRITACRIANÇA: VISÃO ESPIRITA
CRIANÇA: VISÃO ESPIRITA
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
 
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIAUM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
 
Jesus o medico das almas
Jesus  o medico das almasJesus  o medico das almas
Jesus o medico das almas
 
O Dever e a virtude
O Dever e a virtudeO Dever e a virtude
O Dever e a virtude
 
A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10
A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10
A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10
 
Temor da morte – Livro dos Espíritos
Temor  da  morte – Livro dos EspíritosTemor  da  morte – Livro dos Espíritos
Temor da morte – Livro dos Espíritos
 

Semelhante a Ansiedade na visão espirita

JaneiroBranco.pptx cuidados com a saude mental
JaneiroBranco.pptx cuidados com a saude mentalJaneiroBranco.pptx cuidados com a saude mental
JaneiroBranco.pptx cuidados com a saude mental
LedianeDias
 
cuidando_da_saude_mental_em_tempos_de_pandemia.pdf
cuidando_da_saude_mental_em_tempos_de_pandemia.pdfcuidando_da_saude_mental_em_tempos_de_pandemia.pdf
cuidando_da_saude_mental_em_tempos_de_pandemia.pdf
Andrea
 
Dicionário dos remédios florais do dr 2003
Dicionário dos remédios florais do dr 2003Dicionário dos remédios florais do dr 2003
Dicionário dos remédios florais do dr 2003
Yaoloorisa Osunseyi Lili
 
1ª infância 0 aos 3 anos
1ª infância 0 aos 3 anos1ª infância 0 aos 3 anos
1ª infância 0 aos 3 anos
ritafeijao
 
CONVIVA SP - Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar
CONVIVA SP - Programa de Melhoria da Convivência e Proteção EscolarCONVIVA SP - Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar
CONVIVA SP - Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar
Gustavo Vallim
 

Semelhante a Ansiedade na visão espirita (20)

Ansiedade e depressao
Ansiedade e depressaoAnsiedade e depressao
Ansiedade e depressao
 
Atendimento Fraterno - Entrevista com divaldo franco
 Atendimento Fraterno - Entrevista com divaldo franco Atendimento Fraterno - Entrevista com divaldo franco
Atendimento Fraterno - Entrevista com divaldo franco
 
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptxsaude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
 
Mal de Alzheimer: Doença Física ou Espiritual (ATUALIZADA FEV/16)
Mal de Alzheimer: Doença Física ou Espiritual (ATUALIZADA FEV/16)Mal de Alzheimer: Doença Física ou Espiritual (ATUALIZADA FEV/16)
Mal de Alzheimer: Doença Física ou Espiritual (ATUALIZADA FEV/16)
 
JaneiroBranco.pptx cuidados com a saude mental
JaneiroBranco.pptx cuidados com a saude mentalJaneiroBranco.pptx cuidados com a saude mental
JaneiroBranco.pptx cuidados com a saude mental
 
Doença mental
Doença mentalDoença mental
Doença mental
 
cuidando_da_saude_mental_em_tempos_de_pandemia.pdf
cuidando_da_saude_mental_em_tempos_de_pandemia.pdfcuidando_da_saude_mental_em_tempos_de_pandemia.pdf
cuidando_da_saude_mental_em_tempos_de_pandemia.pdf
 
Cuidando da saude_mental_em_tempos_de_pandemia
Cuidando da saude_mental_em_tempos_de_pandemiaCuidando da saude_mental_em_tempos_de_pandemia
Cuidando da saude_mental_em_tempos_de_pandemia
 
Dicionário dos remédios florais do dr 2003
Dicionário dos remédios florais do dr 2003Dicionário dos remédios florais do dr 2003
Dicionário dos remédios florais do dr 2003
 
Dicionário dos remédios florais do dr
Dicionário dos remédios florais do drDicionário dos remédios florais do dr
Dicionário dos remédios florais do dr
 
Palestra: Cuidadores - Nahara Ribeiro
Palestra: Cuidadores  - Nahara RibeiroPalestra: Cuidadores  - Nahara Ribeiro
Palestra: Cuidadores - Nahara Ribeiro
 
1ª infância 0 aos 3 anos
1ª infância 0 aos 3 anos1ª infância 0 aos 3 anos
1ª infância 0 aos 3 anos
 
Humanizar o Cuidado
Humanizar o CuidadoHumanizar o Cuidado
Humanizar o Cuidado
 
Apoio Emocional
Apoio EmocionalApoio Emocional
Apoio Emocional
 
8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem
8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem
8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem
 
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
 
Cristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdf
Cristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdfCristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdf
Cristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdf
 
CONVIVA SP - Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar
CONVIVA SP - Programa de Melhoria da Convivência e Proteção EscolarCONVIVA SP - Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar
CONVIVA SP - Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar
 
Guia rápido de perturbações psicológicas
Guia rápido de perturbações psicológicasGuia rápido de perturbações psicológicas
Guia rápido de perturbações psicológicas
 
Toxico
ToxicoToxico
Toxico
 

Mais de Lisete B.

Mais de Lisete B. (20)

Porque melindramos
Porque melindramos Porque melindramos
Porque melindramos
 
Suicidio na visão espirita
Suicidio  na visão espiritaSuicidio  na visão espirita
Suicidio na visão espirita
 
Anjo da guarda
Anjo da guardaAnjo da guarda
Anjo da guarda
 
Educacao sentimento
Educacao sentimentoEducacao sentimento
Educacao sentimento
 
Problemas do mundo
Problemas do mundoProblemas do mundo
Problemas do mundo
 
Reencarnação Existe?
Reencarnação Existe?Reencarnação Existe?
Reencarnação Existe?
 
Gratidao
Gratidao  Gratidao
Gratidao
 
Por que comigo
Por que comigoPor que comigo
Por que comigo
 
A intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidasA intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidas
 
Conhece te a ti mesmo
Conhece te a ti mesmoConhece te a ti mesmo
Conhece te a ti mesmo
 
Para que serve a dor
Para que serve a dorPara que serve a dor
Para que serve a dor
 
Influencias espirituais
Influencias espirituaisInfluencias espirituais
Influencias espirituais
 
Vida a dois - visão espirita
Vida a dois - visão espiritaVida a dois - visão espirita
Vida a dois - visão espirita
 
As curas de jesus
As curas de jesusAs curas de jesus
As curas de jesus
 
Raiva
RaivaRaiva
Raiva
 
Egoismo
EgoismoEgoismo
Egoismo
 
Missão dos pais
Missão dos paisMissão dos pais
Missão dos pais
 
Casamento na visão espirita
Casamento na visão espiritaCasamento na visão espirita
Casamento na visão espirita
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Achamos que sabemos.ppszt
Achamos que sabemos.ppsztAchamos que sabemos.ppszt
Achamos que sabemos.ppszt
 

Último

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 

Último (10)

Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 

Ansiedade na visão espirita

  • 2. • A depressão afeta 322 milhões de pessoas no mundo, segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) referentes a 2015. • Em 10 anos, de 2005 a 2015, esse número cresceu 18,4%. A prevalência do transtorno na população mundial é de 4,4%. 2
  • 3. 3
  • 4. 4
  • 5. Uma pesquisa sobre o PENSAMENTO, feita nos E.U.A., revela que: 40% Jamais acontecerá; 30% Lamenta o passado; 12% Saúde; 10% Assuntos insignificantes; 08% Embasamento real. Ou seja: de 50 mil pensamentos diários, apenas 8% são relevantes (Fragmento do livro de Todashi Kadomoto, entitulado “Ninguém Tropeça em Montanha”) 5
  • 7. PORQUE A ANSIEDADE É TÃO COMUM NAS PESSOAS, NA ÉPOCA ATUAL? FATORES  Complexidade da vida moderna,  Competitividade,  Pressões,  Desafios e rápidas mudanças  Perda dos valores familiares e religiosos DECORRENTES  Frustrações profissionais e afetivas  Conflitos conjugais  Morte de ente querido  Perda de emprego  Dividas financeiras  Medo da violência 7
  • 8. Impulsionando ao competitivismo da sobrevivência e de uma sociedade eticamente egoísta, predomina a insegurança no mundo emocional das criaturas. As constantes alterações da Bolsa de Valores, a compressão dos gastos, a correria pela aquisição de recursos e a disputa de cargos e funções bem remunerados, geram, de um lado, a insegurança individual e coletiva. Por outro, as ameaças de guerras constantes, a prepotência de governos inescrupulosos e chefes de atividades arbitrários quão ditadores; os anúncios e estardalhaços sobre enfermidades devastadoras; os comunicados sobre os danos perpetrados contra a ecologia, prenunciando tragédias iminentes; a catalogação de crimes e violências aterradoras respondem pela inquietação e pelo medo que grassam em todos os meios sociais, como constante ameaça contra o ser e o seu grupo, levando-os a permanentes ansiedades que deflui das incertezas da vida. 8
  • 9. 9
  • 10. 10
  • 11. ANSIEDADE • Todos, em menor ou maior grau, estamos sujeitos à ansiedade: uns preferem racionalizá-la, outros narcotizá-la e outros ainda evitá-la. • Diante de uma adversidade, devemos nos preparar para “lutar-ou- fugir”. A fuga pode gerar problemas futuros; a luta, embora penosa, pode gerar grandes benefícios. 11
  • 12. BUSCANDO AMENIZAR A ANSIEDADE MODO NEGATIVOS roer as unhas, comer exageradamente ou deixar de comer, fumar freneticamente, consumir bebidas alcoólicas com mais frequência; outras perdem o sono, outras dormem demais; muitas passam a utilizar medicamentos busca de alívio em atividades como o jogo patológico, comprar compulsivamente, sexo compulsivo trabalho excessivo que é a fuga mais bem aceita socialmente 12
  • 13. BUSCANDO AMENIZAR A ANSIEDADE MODO POSITIVOS Praticar esportes, realizar exercícios físicos regularmente, Dedicar-se à leitura, à música, a algum tipo de arte praticar a oração e a meditação. 13
  • 14. ANSIEDADE NORMAL “A presença da ansiedade significa vitalidade” Prestar um exame, Fazer vestibular Entrevista de emprego Separação ou morte de pessoa amada Um encontro amoroso Quando se aguarda uma notícia, resposta.  O “medo” de ter sua casa assaltada. 14
  • 15. ANSIEDADE PATOLÓGICA • É uma reação desproporcional ao perigo objetivo, • Desenvolvimento de sintomas e diversos mecanismos neuróticos de defesa. • Neurose = Jung – Um conflito entre o eu e uma força contrária relacionada aos conteúdos inconscientes. 15
  • 16. DESDOBRAMENTO DOS FENOMENOS ANSIOSOS  Ausência de serenidade para enfrentar os desafios da existência.  Avoluma-se na mente uma grande quantidade de ambições, de desejos de execução ou conquistas de coisas simultaneamente.  A necessidade conflitiva de preencher os minutos com atividades.  Tornam-se exigentes e preconceituosos, agressivos e violentos, desejosos de impor a sua vontade contra a ordem estabelecida.  Os seus relacionamentos são turbulentos, porque deseja se impor, não admitindo restrições a forma de conduta, não admitem que devam mudar de comportamento. 16
  • 17. 17
  • 18. 18
  • 19. 19
  • 20. ANSIEDADE PATOLÓGICA • TRANSTORNO OBSSESIVO- COMPULSIVO - TOC • TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA – TAG • TRANSTORNO DE PÂNICO COM AGORAFOBIA • . 20
  • 21. TRANSTORNO OBSSESIVO COMPULSIVO TOC Pavor na contaminação de coisas sujas ou micróbios. Ser excessivamente exigente quanto a arrumação dos seus objetos pessoais ou casa. Pavor de pensamentos sobre sexo não comuns Impulsos agressivos Atos: medir-conferir- lavar-guardar-contar-evitar 21
  • 22. TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO - TOC • O ato “COMPULSIVO” é uma operação defensiva destinada a reduzir a ansiedade e o medo que a ideia ou sentimento obsessivo provocam. Mas, ao mesmo tempo o paciente reconhece que tudo é ABSURDO e tem o desejo de resistir, mas não tem força de vontade suficiente para isso. 22
  • 23. MULHER, 50 ANOS – SENSAÇÃO DE ESTAR SUJA, CONTAMINADA POR MICRÓBIOS. - Lavava as mãos inúmeras vezes, com sabonetes diversos e depois lavava com álcool. - Achava que a casa estava contaminada e lavava as paredes, o chão com água, sabão e álcool. - Depois começou a borrifar álcool puro diretamente nas paredes. - Depois começou a usar luvas e nunca mais quis tirá- las. 23
  • 24. TRANSTORNO DE PÂNICO Os sintomas mentais : Medo extremo Sensação de morte Sensação de destruição eminente, mas o paciente não é capaz de indicar a fonte de seu medo. 24
  • 25. 25
  • 26. 26
  • 27. • Não raro, o paciente, desestruturado emocionalmente e vitimado pela sucessão das crises, pode desenvolver um estado profundo de agorafobia ou derrapar em alcoolismo, toxicomania, como evasões do problema, que mais o agravam, sem dúvida. 27
  • 28. AGORAFOBIA O paciente com transtorno de pânico pode desenvolver AGORAFOBIA, medo de lugares públicos, o que o leva a recusar-se a sair à rua, fechando-se dentro de casa. Evita sair do seu lar, com medo de um ataque. Alguns conseguem sair de casa desde que em companhia de outra pessoa. 28
  • 29. Na infância: • São comuns, as ameaças e as chantagens afetivas: Se você não se alimentar, ou não dormir, ou não proceder bem, papai e mamãe não gostarão mais de você... ou O bicho papão lhe pega, etc. A criança, incapaz de digerir a informação, passa a ter medo de perder o amor, de ser devorada, perturbando a afetividade, que entorpece a naturalidade no seu processo de amadurecimento, tomando o adolescente inseguro, e um adulto que não se sente credor de carinho, de respeito, e de consideração. 29
  • 30. FATORES E CAUSAS POSSIVEIS • As raízes do transtorno do pânico encontram-se na criatura que desconsiderou as Soberanas Leis e se reencarna com predisposição fisiológica, imprimindo nos genes a necessidade da reparação dos delitos passados que ficaram sem a retificação, porque ficaram desconhecidos da justiça humana, porém, não da justiça divina e da própria consciência. 30
  • 31. Síndrome do pânico • Há, entretanto, síndromes de distúrbio de pânico que fogem ao esquema convencional. Aquelas que têm um componente paranormal, como decorrência de ações espirituais em processos lamentáveis de obsessão. 31
  • 32. 32
  • 33. 33
  • 34. 34
  • 35. 35
  • 36. 36
  • 37. 37
  • 38. 38
  • 39. A BASE DE TUDO 39
  • 40. TERAPIA – VISÃO ESPIRITA 40
  • 41. CENTRO ESPIRITA - AUXILIO • O Centro Espírita é a Universidade da alma. Nele, podemos encontrar auxílio para qualquer tipo de dor. Suponha que a ansiedade seja acompanhada por influência de Espíritos imperfeitos. Nesse caso, o diálogo com essa entidade pode afastá-la do nosso convívio e nos dar calma para o nosso dia a dia. As palestras evangélicas, os passes, os cursos de Espiritismo são outros tantos alimentos para modificar os nossos reflexos condicionados infelizes. 41
  • 42. Terapêutica • A percepção deve ser fruto de uma observação amorosa de nós mesmos. Para que possamos fazer isso, é necessário nos vermos como Seres Essenciais, espíritos simples e ignorantes em processo de evolução, que tem o direito de errar para evoluir. • (Psicoterapia à Luz do Evangelho de Jesus – Alírio de Cerqueira Filho) 42
  • 43. 43
  • 44. 44
  • 45. 45
  • 46. 46
  • 47. 47
  • 48. 48
  • 49. ANDRE LUIZ - CHICO • “Não se aflija por antecipação, porquanto é possível que a vida resolva o seu problema, ainda hoje, sem qualquer esforço de sua parte. (…) Antes das suas dificuldades de agora, você já faceou inúmeras outras e já se livrou de todas elas, com o auxílio invisível de Deus.” 49
  • 51. Pão nosso – Emmanuel/Francisco C. Xavier. • Mesmo que a vida nos acene com acontecimentos desagradáveis, na área da saúde, da afetividade, das relações familiares e profissionais, mantenhamos acesa a chama da esperança, entregando a Deus as nossas aflições, recordando a advertência do Mestre inesquecível: “tenho-vos dito isto para que tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. • Somente Deus, que tem o poder de mudar o tempo, permitindo a tempestade, também tem o poder de agir no tempo certo, permitindo que o sol surja com todo o esplendor. 51