SlideShare uma empresa Scribd logo
Centro Espírita Caridade e Luz
Motivos de Resignação
Evangelho Segundo o Espiritismo
Capítulo V itens 12 e 13
Palmeiras de Goiás, 05 de maio de 2017
Guido Carlos I H Masson
Motivos de Resignação
Introdução
Vida  tempo especial que estamos vivendo na terra,
onde temos o ensejo de desfrutar os mais diferentes e
insultados momentos que podemos passar
Vivemos momentos de alegria, e contentamento mas,
também, vivemos horas de amargura, de dor e frustração...
Vivemos num mundo de provas e expiações
Provas necessidade que temos de apresentar o que
aprendemos em prol de nosso progresso;
Expiações  pagamento de débitos, conserto dos equívocos
e rearranjo do que foi desarranjado
Raul Teixeira
Motivos de Resignação
Pessoas de diferentes classes e de todas as idades, na
maior parte do tempo lamentam e se revoltam contra
os desígnios divinos e muitas vezes nos rebelamos por
completo....
 Por que tantas dificuldades aos meus pés?
 Por que as coisas ao meu redor não acontecem como
eu as desejo?
 Por que o meu vizinho está sempre sorridente e eu
triste?
 Quais os motivos para termos resignação?
Resignação – Etimologia e Significado
 Do Latim:
 RESIGNARE , “cancelar, desistir” , de RE -, “oposto”, mais
SIGNARE, “fazer uma marca”, aqui significando “fazer um sinal
num registro contábil”, de signum, “marca” Isto vem da linguagem de
atividades de contadoria. Refenria-se originalmente a fazer um
registro no lado do crédito, opondo-se assim a um registro anterior
de dívida.
 Dicionário Houaiss:
 Resignação – Ato ou efeito de resignar-se; Submissão à vontade de
alguém ou destino; Renúncia a uma graça, a um lugar, a uma função;
Aceitação sem revolta dos sofrimento da existência
 Resignação é aceitar determinada situação ou emoção, sem
revolta, sem reclamação e com paciência !
 Nossos infortúnios são atrelados ao campo das causas e
efeitos, cuja origem pode ser desta ou outras vidas.
Devemos aceitá-los e não ficar de braços cruzados e
trabalhar para diminuir os efeitos buscando erradicar as
causas.
 O sofrimento é opcional  lamentações, desespero,
falta de esperança, ou seja, é nossa própria culpa.
Motivos de Resignação
A falta de resignação prolonga o sofrimento e
prorroga nossas obrigações de rever e quitar
nossos erros
Resignação X Acomodação
 Acomodação  Ficar parado e deixar que aconteça
 Resignação  aceitação dinâmica cujo limite é não parar
de trabalhar, já que a proposta da vida é ação, é atividade
Deus quer assim, eu nasci assim, vou
sempre ser assim, nada pode mudar ...
Tenho estas dificuldades mas Deus me concedeu
energia e oportunidades para que realize uma
transformação e saia desta existência muito
melhor do que quando aqui cheguei ...
Resignação X Obediência
 Obediência  Ato ou efeito de obedecer ; Submissão à
vontade de alguém; docilidade; Sujeição, dependência.
OBEDIÊNCIA RESIGNAÇÃO
SUBMISSÃO
à vontade de
alguém
aos infortúnios
da vida
Resignação X Obediência
OBEDIÊNCIA RESIGNAÇÃO
Consentimento da
razão
Consentimento do
coração
SÃO
Deixa cair o fardo
NÃO SÃO
Obediência e Resignação
Carrega o fardo
VIRTUDES PASSIVAS :
- Negação do sentimento
- Negação da vontade
VIRTUDES ATIVAS :
-Consentimento da razão
- Consentimento do coração
O REVOLTADO O RESIGNADO OU OBEDIENTEA PROVA
Motivos de Resignação
 Situações em que podemos ser resignados em nosso dia a
dia e encarar a vida terrestre
 Alguém nos fala mais alto? .... ficamos nervosos ?
 Alguém não dos dá a atenção que queremos? .... ficamos
nervosos ?
 Alguém não faz as coisas como queremos ou esperamos?
.... ficamos nervosos ?
 Outras pequenas coisas .... ficamos nervosos ?
Nossas atitudes diárias inadequadas, a rebeldia acumulam-se em
nosso interior e podem desenvolver uma série de doenças decorrente
da não aceitação da vontade e princípios de Deus que são muito
simples.... Façamos aos nossos semelhantes aquilo que desejamos
que façam por nós!
Tudo o que acontece tem um motivo
Em vista da encarnação atual – neste caso devemos refletir e
fazermos algumas indagações
 Em caso de doença – Será que não descuidei da
alimentação?
 Filho escolher o caminho do vício – Será que dei-lhe a
devida atenção, educação e cuidados necessários?
 Confrontos e desentendimentos familiares ou no trabalho –
Será que não fui injusto para com tal pessoa?
As vicissitudes podem ser vistas de dois ângulos
Tudo o que acontece tem um motivo
Em de encarnações passadas – Não encontrando resposta
satisfatória na presente encarnação devemos nos reportar as
encarnações passadas
 Os infortúnios por causas anteriores são, frequentemente,
como os das causas atuais em consequência a uma falha
cometida
 Elas são justas e as escolhas no plano escolhemos apenas o
gênero das provações. As particularidades correm por conta da
posição em que vos achais; são, muitas vezes, consequências das
vossas próprias ações. – LE questões 258 e 259.
Motivos de Resignação
Dor e Sofrimento
Essa dor refere-se à consequência de uma ação passada.
Dada a nossa ignorância, nos desregramos em relação às
Leis de Deus e criamos o que os orientais chamam de
carma, que deve ser purgado para a nossa felicidade e a
nossa harmonia interior.
• Dor-Expiação
Motivos de Resignação
Dor e Sofrimento
Na dor-expiação, sofremos porque cometemos
um deslize com relação à Lei Natural.
Na dor-evolução, não sofremos por "castigo“,
mas porque queremos evoluir.
A reencarnação não é punição.
Ela é oportunidade de evolução.
• Dor-Evolução
Motivos de Resignação
Dor e Sofrimento
Esta dor já é mais voltada para o sentido
corretivo, pois os nossos desequilíbrios são
tantos que muitas vezes precisamos ficar num
leito de dor por anos e anos meditando em
nossa situação.
• Dor-Auxílio
Motivos de Resignação
Sofrer de Modo Feliz
Para sabermos os motivos de nossa dor,
não há necessidade de fazermos uma
regressão a vidas passadas.
A nossa própria percepção nos conduz ao
que fomos, dando-nos as razões de nosso
sofrimento no presente.
• Dívidas do Passado
Motivos de Resignação
Sofrer de Modo Feliz
Nas grandes crises, colocando a vontade de Deus acima da nossa,
o sofrimento torna-se mais leve, mais suave.
Lembremo-nos de que Jesus dizia que o seu jugo é suave e o seu
fardo leve.
Jesus nos dá força para continuarmos no caminho da fé, apesar das
asperezas do caminho.
É por isso que os Espíritos superiores estão sempre nos alertando:
"Em tudo o que fizer, pensa em Deus primeiro".
• Vontade de Deus em Primeiro Lugar
Motivos de Resignação
Consolação
Por que nos preocuparmos com a vida futura?
As resposta a esta pergunta depende da visão de mundo de cada um
de nós.
Se formos apegados à matéria, poderemos querer gozar já no dia
de hoje não importando se, com isso, precisarmos passar por cima
do nosso próximo.
Ao contrário, porém, se a nossa visão de mundo for espiritualista,
olharemos as coisas de um outro ângulo.
• Vida Futura
Como esta sua vida hoje?
Você é Feliz ?
Sim Não
Mude
Sim
Não
Você quer ser
Feliz ?
Continue fazendo o que
você esta fazendo
Obediência, Resignação e Paciência
Estude e pratique o evangelho no lar
(reforma interior)
Adaptado de Marcelo M. Carvalho
Motivos de Resignação
As dores deste mundo são o pagamento das faltas passadas e atuais.
Somos devedores perante as leis divinas.
Com Aceitação
 Colhemos o fruto do
aprendizado
 Nossas dívidas são
reduzidas
 Seremos consolados
 Tornaremo-nos vencedores
Sem Aceitação
 Perdemos o fruto que
deveríamos colher
 Nossas dívidas são
aumentadas
 Continuamos como
perdedores
DÍVIDAS COM
ACEITAÇÃO DA DOR
DÍVIDAS
REDUZIDAS
DÍVIDAS SEM
ACEITAÇÃO DA DOR
DÍVIDAS
AUMENTADAS
(AFLITOS CONSOLADOS) (PERDEDORES)
Motivos de Resignação
Conclusão
Mude suas atitudes...
“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo
começo, qualquer um pode começar agora e fazer um
novo fim” (Chico Xavier)
Aceite...
Procure entender e aceitar os infortúnios, saiba sofrer para
sofrer menos. Aquilo não podemos mudar devemos aceitar
Paciência...
“Todo sofrimento tem hora certa para acabar. Então
paciência e resistência” (Haroldo Dutra)
“ Você não pode mudar o vento, mas pode ajustar as velas do barco
para chegar onde quer”
Confúcio
OBRIGADO E BOA NOITE !

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O cristo consolador
O cristo consoladorO cristo consolador
O cristo consolador
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Divulgador do Espiritismo
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
Izabel Cristina Fonseca
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
Jorge Luiz dos Santos
 
Palestra beneficência
Palestra beneficênciaPalestra beneficência
Palestra beneficência
Denise Tamaê
 
O Poder da Prece
O Poder da PreceO Poder da Prece
O Poder da Prece
Izabel Cristina Fonseca
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
ÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão EspíritaÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão Espírita
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VIIBem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
NatyMadeira
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
gmo1973
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Fernando Pinto
 
A felicidade na visão espírita
A felicidade na visão espírita A felicidade na visão espírita
A felicidade na visão espírita
grupodepaisceb
 
Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terra
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
Izabel Cristina Fonseca
 
Palestra a reencarnacao
Palestra   a reencarnacaoPalestra   a reencarnacao
Palestra a reencarnacao
Victor Passos
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
Graça Maciel
 
NECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptx
NECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptxNECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptx
NECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptx
francisco celio
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
Dalila Melo
 

Mais procurados (20)

O cristo consolador
O cristo consoladorO cristo consolador
O cristo consolador
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
 
Palestra beneficência
Palestra beneficênciaPalestra beneficência
Palestra beneficência
 
O Poder da Prece
O Poder da PreceO Poder da Prece
O Poder da Prece
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
 
ÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão EspíritaÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão Espírita
 
Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Indulgencia
 
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VIIBem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
 
A felicidade na visão espírita
A felicidade na visão espírita A felicidade na visão espírita
A felicidade na visão espírita
 
Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terra
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
 
Palestra a reencarnacao
Palestra   a reencarnacaoPalestra   a reencarnacao
Palestra a reencarnacao
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
 
NECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptx
NECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptxNECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptx
NECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptx
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
 

Semelhante a Motivos de resignação 05 05-17

Palestra técnicas de proteção-2.pptx
Palestra técnicas de proteção-2.pptxPalestra técnicas de proteção-2.pptx
Palestra técnicas de proteção-2.pptx
ssusere4feb1
 
Aceitação
AceitaçãoAceitação
Aceitação
retalhosmaisamor
 
Exito ou fracasso
Exito ou fracassoExito ou fracasso
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
Ponte de Luz ASEC
 
Pps reflexão 2
Pps reflexão 2Pps reflexão 2
Pps reflexão 2
ACEAlcobaca
 
ACEITAÇÃO
ACEITAÇÃOACEITAÇÃO
ACEITAÇÃO
Andre Semensato
 
Construindo uma vida: Virtudes para crianças
Construindo uma vida: Virtudes para criançasConstruindo uma vida: Virtudes para crianças
Construindo uma vida: Virtudes para crianças
Freekidstories
 
Perdão
PerdãoPerdão
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
Adina Silva
 
2ª oficina dos sentimentos
2ª oficina dos sentimentos 2ª oficina dos sentimentos
2ª oficina dos sentimentos
Leonardo Pereira
 
Principios para superar desafios
Principios para superar desafiosPrincipios para superar desafios
Principios para superar desafios
Christian Lepelletier
 
Luiz antonio gasparetto realização - curso completo
Luiz antonio gasparetto   realização -  curso completoLuiz antonio gasparetto   realização -  curso completo
Luiz antonio gasparetto realização - curso completo
saioborba
 
O perdão
O perdãoO perdão
A procura da felicidade
A procura da felicidadeA procura da felicidade
A procura da felicidade
Olga Lopes Gonçalo
 
IntervençãO De Deus Nas Penas E Recompensas
IntervençãO De Deus Nas Penas E RecompensasIntervençãO De Deus Nas Penas E Recompensas
IntervençãO De Deus Nas Penas E Recompensas
Sergio Menezes
 
Transf. atitudes negativas
Transf. atitudes negativasTransf. atitudes negativas
Transf. atitudes negativas
WM Treinamentos Cursos e Palestras Ltda
 
Niver Paulo
Niver PauloNiver Paulo
Niver Paulo
estrelinha3369
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
Clair Bianchini
 
Atitude e fé
Atitude e féAtitude e fé
Atitude e fé
Ailton Guimaraes
 
Exito ou fracasso
Exito ou fracassoExito ou fracasso

Semelhante a Motivos de resignação 05 05-17 (20)

Palestra técnicas de proteção-2.pptx
Palestra técnicas de proteção-2.pptxPalestra técnicas de proteção-2.pptx
Palestra técnicas de proteção-2.pptx
 
Aceitação
AceitaçãoAceitação
Aceitação
 
Exito ou fracasso
Exito ou fracassoExito ou fracasso
Exito ou fracasso
 
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
 
Pps reflexão 2
Pps reflexão 2Pps reflexão 2
Pps reflexão 2
 
ACEITAÇÃO
ACEITAÇÃOACEITAÇÃO
ACEITAÇÃO
 
Construindo uma vida: Virtudes para crianças
Construindo uma vida: Virtudes para criançasConstruindo uma vida: Virtudes para crianças
Construindo uma vida: Virtudes para crianças
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
 
2ª oficina dos sentimentos
2ª oficina dos sentimentos 2ª oficina dos sentimentos
2ª oficina dos sentimentos
 
Principios para superar desafios
Principios para superar desafiosPrincipios para superar desafios
Principios para superar desafios
 
Luiz antonio gasparetto realização - curso completo
Luiz antonio gasparetto   realização -  curso completoLuiz antonio gasparetto   realização -  curso completo
Luiz antonio gasparetto realização - curso completo
 
O perdão
O perdãoO perdão
O perdão
 
A procura da felicidade
A procura da felicidadeA procura da felicidade
A procura da felicidade
 
IntervençãO De Deus Nas Penas E Recompensas
IntervençãO De Deus Nas Penas E RecompensasIntervençãO De Deus Nas Penas E Recompensas
IntervençãO De Deus Nas Penas E Recompensas
 
Transf. atitudes negativas
Transf. atitudes negativasTransf. atitudes negativas
Transf. atitudes negativas
 
Niver Paulo
Niver PauloNiver Paulo
Niver Paulo
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
Atitude e fé
Atitude e féAtitude e fé
Atitude e fé
 
Exito ou fracasso
Exito ou fracassoExito ou fracasso
Exito ou fracasso
 

Último

Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
ElijainaVelozoGonalv
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 

Último (18)

Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 

Motivos de resignação 05 05-17

  • 1. Centro Espírita Caridade e Luz Motivos de Resignação Evangelho Segundo o Espiritismo Capítulo V itens 12 e 13 Palmeiras de Goiás, 05 de maio de 2017 Guido Carlos I H Masson
  • 2. Motivos de Resignação Introdução Vida  tempo especial que estamos vivendo na terra, onde temos o ensejo de desfrutar os mais diferentes e insultados momentos que podemos passar Vivemos momentos de alegria, e contentamento mas, também, vivemos horas de amargura, de dor e frustração... Vivemos num mundo de provas e expiações Provas necessidade que temos de apresentar o que aprendemos em prol de nosso progresso; Expiações  pagamento de débitos, conserto dos equívocos e rearranjo do que foi desarranjado Raul Teixeira
  • 3. Motivos de Resignação Pessoas de diferentes classes e de todas as idades, na maior parte do tempo lamentam e se revoltam contra os desígnios divinos e muitas vezes nos rebelamos por completo....  Por que tantas dificuldades aos meus pés?  Por que as coisas ao meu redor não acontecem como eu as desejo?  Por que o meu vizinho está sempre sorridente e eu triste?  Quais os motivos para termos resignação?
  • 4. Resignação – Etimologia e Significado  Do Latim:  RESIGNARE , “cancelar, desistir” , de RE -, “oposto”, mais SIGNARE, “fazer uma marca”, aqui significando “fazer um sinal num registro contábil”, de signum, “marca” Isto vem da linguagem de atividades de contadoria. Refenria-se originalmente a fazer um registro no lado do crédito, opondo-se assim a um registro anterior de dívida.  Dicionário Houaiss:  Resignação – Ato ou efeito de resignar-se; Submissão à vontade de alguém ou destino; Renúncia a uma graça, a um lugar, a uma função; Aceitação sem revolta dos sofrimento da existência  Resignação é aceitar determinada situação ou emoção, sem revolta, sem reclamação e com paciência !
  • 5.  Nossos infortúnios são atrelados ao campo das causas e efeitos, cuja origem pode ser desta ou outras vidas. Devemos aceitá-los e não ficar de braços cruzados e trabalhar para diminuir os efeitos buscando erradicar as causas.  O sofrimento é opcional  lamentações, desespero, falta de esperança, ou seja, é nossa própria culpa. Motivos de Resignação A falta de resignação prolonga o sofrimento e prorroga nossas obrigações de rever e quitar nossos erros
  • 6. Resignação X Acomodação  Acomodação  Ficar parado e deixar que aconteça  Resignação  aceitação dinâmica cujo limite é não parar de trabalhar, já que a proposta da vida é ação, é atividade Deus quer assim, eu nasci assim, vou sempre ser assim, nada pode mudar ... Tenho estas dificuldades mas Deus me concedeu energia e oportunidades para que realize uma transformação e saia desta existência muito melhor do que quando aqui cheguei ...
  • 7. Resignação X Obediência  Obediência  Ato ou efeito de obedecer ; Submissão à vontade de alguém; docilidade; Sujeição, dependência. OBEDIÊNCIA RESIGNAÇÃO SUBMISSÃO à vontade de alguém aos infortúnios da vida
  • 8. Resignação X Obediência OBEDIÊNCIA RESIGNAÇÃO Consentimento da razão Consentimento do coração
  • 9. SÃO Deixa cair o fardo NÃO SÃO Obediência e Resignação Carrega o fardo VIRTUDES PASSIVAS : - Negação do sentimento - Negação da vontade VIRTUDES ATIVAS : -Consentimento da razão - Consentimento do coração O REVOLTADO O RESIGNADO OU OBEDIENTEA PROVA
  • 10. Motivos de Resignação  Situações em que podemos ser resignados em nosso dia a dia e encarar a vida terrestre  Alguém nos fala mais alto? .... ficamos nervosos ?  Alguém não dos dá a atenção que queremos? .... ficamos nervosos ?  Alguém não faz as coisas como queremos ou esperamos? .... ficamos nervosos ?  Outras pequenas coisas .... ficamos nervosos ? Nossas atitudes diárias inadequadas, a rebeldia acumulam-se em nosso interior e podem desenvolver uma série de doenças decorrente da não aceitação da vontade e princípios de Deus que são muito simples.... Façamos aos nossos semelhantes aquilo que desejamos que façam por nós!
  • 11. Tudo o que acontece tem um motivo Em vista da encarnação atual – neste caso devemos refletir e fazermos algumas indagações  Em caso de doença – Será que não descuidei da alimentação?  Filho escolher o caminho do vício – Será que dei-lhe a devida atenção, educação e cuidados necessários?  Confrontos e desentendimentos familiares ou no trabalho – Será que não fui injusto para com tal pessoa? As vicissitudes podem ser vistas de dois ângulos
  • 12. Tudo o que acontece tem um motivo Em de encarnações passadas – Não encontrando resposta satisfatória na presente encarnação devemos nos reportar as encarnações passadas  Os infortúnios por causas anteriores são, frequentemente, como os das causas atuais em consequência a uma falha cometida  Elas são justas e as escolhas no plano escolhemos apenas o gênero das provações. As particularidades correm por conta da posição em que vos achais; são, muitas vezes, consequências das vossas próprias ações. – LE questões 258 e 259.
  • 13. Motivos de Resignação Dor e Sofrimento Essa dor refere-se à consequência de uma ação passada. Dada a nossa ignorância, nos desregramos em relação às Leis de Deus e criamos o que os orientais chamam de carma, que deve ser purgado para a nossa felicidade e a nossa harmonia interior. • Dor-Expiação
  • 14. Motivos de Resignação Dor e Sofrimento Na dor-expiação, sofremos porque cometemos um deslize com relação à Lei Natural. Na dor-evolução, não sofremos por "castigo“, mas porque queremos evoluir. A reencarnação não é punição. Ela é oportunidade de evolução. • Dor-Evolução
  • 15. Motivos de Resignação Dor e Sofrimento Esta dor já é mais voltada para o sentido corretivo, pois os nossos desequilíbrios são tantos que muitas vezes precisamos ficar num leito de dor por anos e anos meditando em nossa situação. • Dor-Auxílio
  • 16. Motivos de Resignação Sofrer de Modo Feliz Para sabermos os motivos de nossa dor, não há necessidade de fazermos uma regressão a vidas passadas. A nossa própria percepção nos conduz ao que fomos, dando-nos as razões de nosso sofrimento no presente. • Dívidas do Passado
  • 17. Motivos de Resignação Sofrer de Modo Feliz Nas grandes crises, colocando a vontade de Deus acima da nossa, o sofrimento torna-se mais leve, mais suave. Lembremo-nos de que Jesus dizia que o seu jugo é suave e o seu fardo leve. Jesus nos dá força para continuarmos no caminho da fé, apesar das asperezas do caminho. É por isso que os Espíritos superiores estão sempre nos alertando: "Em tudo o que fizer, pensa em Deus primeiro". • Vontade de Deus em Primeiro Lugar
  • 18. Motivos de Resignação Consolação Por que nos preocuparmos com a vida futura? As resposta a esta pergunta depende da visão de mundo de cada um de nós. Se formos apegados à matéria, poderemos querer gozar já no dia de hoje não importando se, com isso, precisarmos passar por cima do nosso próximo. Ao contrário, porém, se a nossa visão de mundo for espiritualista, olharemos as coisas de um outro ângulo. • Vida Futura
  • 19. Como esta sua vida hoje? Você é Feliz ? Sim Não Mude Sim Não Você quer ser Feliz ? Continue fazendo o que você esta fazendo Obediência, Resignação e Paciência Estude e pratique o evangelho no lar (reforma interior) Adaptado de Marcelo M. Carvalho
  • 20. Motivos de Resignação As dores deste mundo são o pagamento das faltas passadas e atuais. Somos devedores perante as leis divinas. Com Aceitação  Colhemos o fruto do aprendizado  Nossas dívidas são reduzidas  Seremos consolados  Tornaremo-nos vencedores Sem Aceitação  Perdemos o fruto que deveríamos colher  Nossas dívidas são aumentadas  Continuamos como perdedores
  • 21. DÍVIDAS COM ACEITAÇÃO DA DOR DÍVIDAS REDUZIDAS DÍVIDAS SEM ACEITAÇÃO DA DOR DÍVIDAS AUMENTADAS (AFLITOS CONSOLADOS) (PERDEDORES) Motivos de Resignação
  • 22. Conclusão Mude suas atitudes... “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim” (Chico Xavier) Aceite... Procure entender e aceitar os infortúnios, saiba sofrer para sofrer menos. Aquilo não podemos mudar devemos aceitar Paciência... “Todo sofrimento tem hora certa para acabar. Então paciência e resistência” (Haroldo Dutra)
  • 23. “ Você não pode mudar o vento, mas pode ajustar as velas do barco para chegar onde quer” Confúcio OBRIGADO E BOA NOITE !

Notas do Editor

  1. 9
  2. 23