SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 1
Baixar para ler offline
MEDICAMENTOS
DE ATENÇÃO ESPECIAL
Medicamentos de atenção especial são aqueles que exigem maior cuidado, pois oferecem risco aos pacientes se forem
utilizados incorretamente.
No Hospital Sírio-Libanês, além dos medicamentos de alta vigilância, todos os quimioterápicos injetáveis, soluções
analgésicas e nutrição parenteral também são considerados medicamentos que necessitam de cuidados adicionais
durante todo o seu processo de utilização.
Essa escolha é baseada nas metas internacionais de segurança do paciente, da Joint Commission lnternational (JCI),
juntamente com o Comitê de Segurança Assistencial da instituição. O objetivo é aumentar a segurança do paciente
ao se implantarem cuidados adicionais nos processos de recebimento, armazenamento, identificação, dispensação, preparo,
administração e monitoramento clínico.
Os medicamentos eleitos como de alta vigilância são identificados com a cor vermelha durante todo o seu processo de utilização
(paletes, etiquetas de identificação, mobiliário, embalagem plástica de dispensação). São sinalizados na prescrição eletrônica por
meio de alerta no Sistema de Informação Hospitalar (SIH) e na prescrição manual com caneta marca-texto amarela.
As fichas técnicas dos medicamentos estão disponíveis no Guia Farmacêutico, com informações sobre posologia, preparo e
administração, interações medicamentosas, situações que exigem atenção especial e como agir em situações de emergência.
Os quimioterápicos injetáveis são manipulados em cabine de segurança biológica na farmácia da oncologia.
Os medicamentos manipulados são sinalizados com etiqueta de identificação de produtos químicos. Sua
dispensação e administração ocorrem somente após dupla checagem. Pacientes em uso de antineoplásicos
são acompanhados por equipe multiprofissional especializada.
Medicamentos de alta vigilância
Medicamentos de antineoplásicos
Há quatro tipos de soluções analgésicas disponíveis no Hospital Sírio-Libanês: venosa, plexular, peridural e
individualizada. A prescrição e a administração dessas soluções são supervisionadas pelo Serviço de
Tratamento da Dor. O preparo é realizado na farmácia da UTI, com processo diferenciado para garantia de
segurança do medicamento.
Soluções analgésicas
A nutrição parenteral pode ser industrializada ou manipulada individualmente por empresa especializada.
A prescrição e a administração são acompanhadas pela Equipe Multidisciplinar de Terapia Nutricional
(EMTN). A solicitação, conferência e dispensação são de responsabilidade do farmacêutico. Há fluxo específico
para garantia das condições de transporte e chegada e conformidade entre fórmula prescrita e recebida. A
administração ocorre após dupla checagem.
Atualizado em fevereiro/14
Nutrição parenteral
Antiarrítimicos
Agonistas
Adrenérgicos
Eletrólitos Concentrados
Hipoglicemiantes Anticoagulantes
Glicose
Hipertônica
Bloqueadores
Neuromusculares
Amiodarona
Noradrenalina Insulina
Asparte
Insulina
Detemir
Insulina
Glargina
Insulina
Lispro
Insulina
NPH
Insulina
Regular
Heparina Varfarina
Cloreto
de Cálcio
Cloreto
de Potássio
Cloreto
de Sódio
Fosfato de
Potássio
Gluconato
de Cálcio
Sulfato de
Magnésio
Glicose
Ampola 20 ml
Glicose
Frasco 500 ml
Rocurônio Cisatracúrio Suxametônio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Renato Santos
 
Erros de medicação
Erros de medicaçãoErros de medicação
Erros de medicação
enfanhanguera
 
Tipos de anestesia
Tipos de anestesiaTipos de anestesia
Tipos de anestesia
Garrote Leal
 
Farmacia Hospitalar
Farmacia HospitalarFarmacia Hospitalar
Farmacia Hospitalar
Safia Naser
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
ivanaferraz
 

Mais procurados (20)

Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
 
Punção venosa.
Punção venosa.Punção venosa.
Punção venosa.
 
Hist rico uti
Hist rico utiHist rico uti
Hist rico uti
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Curso UTI adulto
Curso UTI adulto Curso UTI adulto
Curso UTI adulto
 
8 infecção hospitalar e ccih
8   infecção hospitalar e ccih8   infecção hospitalar e ccih
8 infecção hospitalar e ccih
 
Vias de Administração de Medicamentos
Vias de Administração de MedicamentosVias de Administração de Medicamentos
Vias de Administração de Medicamentos
 
Aula 1 - UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA-UTI (2).pptx
Aula 1 - UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA-UTI (2).pptxAula 1 - UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA-UTI (2).pptx
Aula 1 - UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA-UTI (2).pptx
 
Erros de medicação
Erros de medicaçãoErros de medicação
Erros de medicação
 
Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
 
Analgesia e Sedação na UTI
Analgesia e Sedação na UTIAnalgesia e Sedação na UTI
Analgesia e Sedação na UTI
 
Prevenção de quedas
Prevenção de quedasPrevenção de quedas
Prevenção de quedas
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
 
Tipos de anestesia
Tipos de anestesiaTipos de anestesia
Tipos de anestesia
 
Farmacia Hospitalar
Farmacia HospitalarFarmacia Hospitalar
Farmacia Hospitalar
 
Slides vacinção
Slides vacinçãoSlides vacinção
Slides vacinção
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptxUrgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
 
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
Aula 01   farmacologia prof. clara motaAula 01   farmacologia prof. clara mota
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
 

Destaque

Barreiras de segurança no processo de medicação unidade internação
Barreiras de segurança no processo de medicação   unidade internaçãoBarreiras de segurança no processo de medicação   unidade internação
Barreiras de segurança no processo de medicação unidade internação
Arquivo-FClinico
 
Manual de-gerenciamento-de-residuos-de-servico-de-saude
Manual de-gerenciamento-de-residuos-de-servico-de-saudeManual de-gerenciamento-de-residuos-de-servico-de-saude
Manual de-gerenciamento-de-residuos-de-servico-de-saude
Izabela Bitencourt
 
Reações de hipersensibilidade_
Reações de hipersensibilidade_Reações de hipersensibilidade_
Reações de hipersensibilidade_
Alice Castro
 
Reações alérgicas
Reações alérgicasReações alérgicas
Reações alérgicas
Dalila_Marcao
 
Alergia a Medicamentos
Alergia a MedicamentosAlergia a Medicamentos
Alergia a Medicamentos
CharlieBrownQB
 

Destaque (20)

Nomes de medicamentos semelhantes na pronúncia ou na escrita
Nomes de medicamentos semelhantes na pronúncia ou na escritaNomes de medicamentos semelhantes na pronúncia ou na escrita
Nomes de medicamentos semelhantes na pronúncia ou na escrita
 
Barreiras de segurança no processo de medicação unidade internação
Barreiras de segurança no processo de medicação   unidade internaçãoBarreiras de segurança no processo de medicação   unidade internação
Barreiras de segurança no processo de medicação unidade internação
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Manual de-gerenciamento-de-residuos-de-servico-de-saude
Manual de-gerenciamento-de-residuos-de-servico-de-saudeManual de-gerenciamento-de-residuos-de-servico-de-saude
Manual de-gerenciamento-de-residuos-de-servico-de-saude
 
Segurança do paciente pediátrico
Segurança do paciente pediátricoSegurança do paciente pediátrico
Segurança do paciente pediátrico
 
Reações de hipersensibilidade_
Reações de hipersensibilidade_Reações de hipersensibilidade_
Reações de hipersensibilidade_
 
Curso Rdc 44/09 CRF-SP (Dr. AdrianoFalvo)
Curso   Rdc 44/09 CRF-SP (Dr. AdrianoFalvo)Curso   Rdc 44/09 CRF-SP (Dr. AdrianoFalvo)
Curso Rdc 44/09 CRF-SP (Dr. AdrianoFalvo)
 
Reações alérgicas
Reações alérgicasReações alérgicas
Reações alérgicas
 
Uso indiscriminado de medicamentos
Uso indiscriminado de medicamentosUso indiscriminado de medicamentos
Uso indiscriminado de medicamentos
 
Reacciones alergicas a los medicamentos
Reacciones alergicas a los medicamentosReacciones alergicas a los medicamentos
Reacciones alergicas a los medicamentos
 
Alergia a medicamentos
Alergia a medicamentosAlergia a medicamentos
Alergia a medicamentos
 
Identificar os pacientes corretamente
Identificar os pacientes corretamenteIdentificar os pacientes corretamente
Identificar os pacientes corretamente
 
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmáciaAula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
 
Reação
 Reação Reação
Reação
 
Aula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicaçãoAula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicação
 
Pressão arterial
Pressão arterialPressão arterial
Pressão arterial
 
Alergia a Medicamentos
Alergia a MedicamentosAlergia a Medicamentos
Alergia a Medicamentos
 
Reacciones adversas a medicamentos rivc
Reacciones adversas a medicamentos   rivcReacciones adversas a medicamentos   rivc
Reacciones adversas a medicamentos rivc
 
Pressão arterial
Pressão arterialPressão arterial
Pressão arterial
 
Alergias - Aspectos Generales
Alergias - Aspectos GeneralesAlergias - Aspectos Generales
Alergias - Aspectos Generales
 

Semelhante a Medicamentos de atenção especial

Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
farmaefarma
 
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
farmaefarma
 
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
Adriana Quevedo
 
Serviço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêuticoServiço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêutico
farmaefarma
 
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
LuanMiguelCosta
 
Serviço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêuticoServiço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêutico
Rinaldo Ferreira
 
Serviço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêuticoServiço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêutico
Rinaldo Ferreira
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Busca ativa de reações adversas a medicamentos ram
Busca ativa de reações adversas a medicamentos   ramBusca ativa de reações adversas a medicamentos   ram
Busca ativa de reações adversas a medicamentos ram
Arquivo-FClinico
 
Indicação farmacêutica
Indicação farmacêuticaIndicação farmacêutica
Indicação farmacêutica
farmaefarma
 

Semelhante a Medicamentos de atenção especial (20)

Segurança na Cadeia Medicamentosa
Segurança na Cadeia MedicamentosaSegurança na Cadeia Medicamentosa
Segurança na Cadeia Medicamentosa
 
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
 
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
Serviço clínico farmacêutico gerando tráfego, fidelização e remuneração diret...
 
Praticas em farmacia clinica apostila
Praticas em farmacia clinica   apostilaPraticas em farmacia clinica   apostila
Praticas em farmacia clinica apostila
 
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
Controle de Qualidade de Medicamentos 2007
 
Serviço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêuticoServiço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêutico
 
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
 
apresentaodourados10102007-090912180506-phpapp02.ppt
apresentaodourados10102007-090912180506-phpapp02.pptapresentaodourados10102007-090912180506-phpapp02.ppt
apresentaodourados10102007-090912180506-phpapp02.ppt
 
O papel fundamental do farmacêutico no tratamento contra o câncer
O papel fundamental do farmacêutico no tratamento contra o câncerO papel fundamental do farmacêutico no tratamento contra o câncer
O papel fundamental do farmacêutico no tratamento contra o câncer
 
Sub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociais
Sub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociaisSub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociais
Sub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociais
 
Treinamentos enfermagem_All Family_Home Care
Treinamentos enfermagem_All Family_Home CareTreinamentos enfermagem_All Family_Home Care
Treinamentos enfermagem_All Family_Home Care
 
Serviço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêuticoServiço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêutico
 
Serviço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêuticoServiço clínico farmacêutico
Serviço clínico farmacêutico
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 
Medicações e diluições em neonatologia
Medicações e diluições em neonatologiaMedicações e diluições em neonatologia
Medicações e diluições em neonatologia
 
Segurança do paciente Metas Internacionais - CTI
Segurança do paciente Metas Internacionais - CTISegurança do paciente Metas Internacionais - CTI
Segurança do paciente Metas Internacionais - CTI
 
Administração de-medicamentos
Administração de-medicamentosAdministração de-medicamentos
Administração de-medicamentos
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Busca ativa de reações adversas a medicamentos ram
Busca ativa de reações adversas a medicamentos   ramBusca ativa de reações adversas a medicamentos   ram
Busca ativa de reações adversas a medicamentos ram
 
Indicação farmacêutica
Indicação farmacêuticaIndicação farmacêutica
Indicação farmacêutica
 

Mais de Arquivo-FClinico

Fluxo de medicamentos da farmácia oncológica
Fluxo de medicamentos da farmácia oncológicaFluxo de medicamentos da farmácia oncológica
Fluxo de medicamentos da farmácia oncológica
Arquivo-FClinico
 
Antidepressivos brats 2012
Antidepressivos brats 2012Antidepressivos brats 2012
Antidepressivos brats 2012
Arquivo-FClinico
 
Refluxo gastroesofágico - MS
Refluxo gastroesofágico - MSRefluxo gastroesofágico - MS
Refluxo gastroesofágico - MS
Arquivo-FClinico
 
Hipertensão arterial - MS
Hipertensão arterial - MSHipertensão arterial - MS
Hipertensão arterial - MS
Arquivo-FClinico
 
Hipertensão arterial referencias - MS
Hipertensão arterial referencias - MSHipertensão arterial referencias - MS
Hipertensão arterial referencias - MS
Arquivo-FClinico
 
Epilepsia referencias - MS
Epilepsia referencias - MSEpilepsia referencias - MS
Epilepsia referencias - MS
Arquivo-FClinico
 
Dislipidemia referencias - MS
Dislipidemia referencias - MSDislipidemia referencias - MS
Dislipidemia referencias - MS
Arquivo-FClinico
 
Disfunção erétil referências - MS
Disfunção erétil referências - MSDisfunção erétil referências - MS
Disfunção erétil referências - MS
Arquivo-FClinico
 
Anemia por deficiência de ferro - MS
Anemia por deficiência de ferro - MSAnemia por deficiência de ferro - MS
Anemia por deficiência de ferro - MS
Arquivo-FClinico
 

Mais de Arquivo-FClinico (20)

Ebola Ministério da Saúde
Ebola Ministério da SaúdeEbola Ministério da Saúde
Ebola Ministério da Saúde
 
Diretrizes brasileiras de diabetes 2013/2014
Diretrizes brasileiras de diabetes 2013/2014Diretrizes brasileiras de diabetes 2013/2014
Diretrizes brasileiras de diabetes 2013/2014
 
Armazenamento e descarte de medicamentos e materiais
Armazenamento e descarte de medicamentos e materiaisArmazenamento e descarte de medicamentos e materiais
Armazenamento e descarte de medicamentos e materiais
 
Avaliação de prescrição e protocolos de tratamento oncológico
Avaliação de prescrição e protocolos de tratamento oncológicoAvaliação de prescrição e protocolos de tratamento oncológico
Avaliação de prescrição e protocolos de tratamento oncológico
 
Cristalóides e colóides na prática clínica
Cristalóides e colóides na prática clínicaCristalóides e colóides na prática clínica
Cristalóides e colóides na prática clínica
 
Fluxo de medicamentos da farmácia oncológica
Fluxo de medicamentos da farmácia oncológicaFluxo de medicamentos da farmácia oncológica
Fluxo de medicamentos da farmácia oncológica
 
Antidepressivos brats 2012
Antidepressivos brats 2012Antidepressivos brats 2012
Antidepressivos brats 2012
 
Osteoporose
OsteoporoseOsteoporose
Osteoporose
 
Refluxo gastroesofágico - MS
Refluxo gastroesofágico - MSRefluxo gastroesofágico - MS
Refluxo gastroesofágico - MS
 
Osteoporose -MS
Osteoporose -MSOsteoporose -MS
Osteoporose -MS
 
Hipertensão arterial - MS
Hipertensão arterial - MSHipertensão arterial - MS
Hipertensão arterial - MS
 
Hipertensão arterial referencias - MS
Hipertensão arterial referencias - MSHipertensão arterial referencias - MS
Hipertensão arterial referencias - MS
 
Glaucoma - MS
Glaucoma - MSGlaucoma - MS
Glaucoma - MS
 
Epilepsia - MS
Epilepsia - MSEpilepsia - MS
Epilepsia - MS
 
Epilepsia referencias - MS
Epilepsia referencias - MSEpilepsia referencias - MS
Epilepsia referencias - MS
 
Dislipidemia - MS
Dislipidemia - MSDislipidemia - MS
Dislipidemia - MS
 
Dislipidemia referencias - MS
Dislipidemia referencias - MSDislipidemia referencias - MS
Dislipidemia referencias - MS
 
Disfunção erétil - MS
Disfunção erétil - MSDisfunção erétil - MS
Disfunção erétil - MS
 
Disfunção erétil referências - MS
Disfunção erétil referências - MSDisfunção erétil referências - MS
Disfunção erétil referências - MS
 
Anemia por deficiência de ferro - MS
Anemia por deficiência de ferro - MSAnemia por deficiência de ferro - MS
Anemia por deficiência de ferro - MS
 

Último

Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
DanieldaSade
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
DanieldaSade
 

Último (10)

Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
 

Medicamentos de atenção especial

  • 1. MEDICAMENTOS DE ATENÇÃO ESPECIAL Medicamentos de atenção especial são aqueles que exigem maior cuidado, pois oferecem risco aos pacientes se forem utilizados incorretamente. No Hospital Sírio-Libanês, além dos medicamentos de alta vigilância, todos os quimioterápicos injetáveis, soluções analgésicas e nutrição parenteral também são considerados medicamentos que necessitam de cuidados adicionais durante todo o seu processo de utilização. Essa escolha é baseada nas metas internacionais de segurança do paciente, da Joint Commission lnternational (JCI), juntamente com o Comitê de Segurança Assistencial da instituição. O objetivo é aumentar a segurança do paciente ao se implantarem cuidados adicionais nos processos de recebimento, armazenamento, identificação, dispensação, preparo, administração e monitoramento clínico. Os medicamentos eleitos como de alta vigilância são identificados com a cor vermelha durante todo o seu processo de utilização (paletes, etiquetas de identificação, mobiliário, embalagem plástica de dispensação). São sinalizados na prescrição eletrônica por meio de alerta no Sistema de Informação Hospitalar (SIH) e na prescrição manual com caneta marca-texto amarela. As fichas técnicas dos medicamentos estão disponíveis no Guia Farmacêutico, com informações sobre posologia, preparo e administração, interações medicamentosas, situações que exigem atenção especial e como agir em situações de emergência. Os quimioterápicos injetáveis são manipulados em cabine de segurança biológica na farmácia da oncologia. Os medicamentos manipulados são sinalizados com etiqueta de identificação de produtos químicos. Sua dispensação e administração ocorrem somente após dupla checagem. Pacientes em uso de antineoplásicos são acompanhados por equipe multiprofissional especializada. Medicamentos de alta vigilância Medicamentos de antineoplásicos Há quatro tipos de soluções analgésicas disponíveis no Hospital Sírio-Libanês: venosa, plexular, peridural e individualizada. A prescrição e a administração dessas soluções são supervisionadas pelo Serviço de Tratamento da Dor. O preparo é realizado na farmácia da UTI, com processo diferenciado para garantia de segurança do medicamento. Soluções analgésicas A nutrição parenteral pode ser industrializada ou manipulada individualmente por empresa especializada. A prescrição e a administração são acompanhadas pela Equipe Multidisciplinar de Terapia Nutricional (EMTN). A solicitação, conferência e dispensação são de responsabilidade do farmacêutico. Há fluxo específico para garantia das condições de transporte e chegada e conformidade entre fórmula prescrita e recebida. A administração ocorre após dupla checagem. Atualizado em fevereiro/14 Nutrição parenteral Antiarrítimicos Agonistas Adrenérgicos Eletrólitos Concentrados Hipoglicemiantes Anticoagulantes Glicose Hipertônica Bloqueadores Neuromusculares Amiodarona Noradrenalina Insulina Asparte Insulina Detemir Insulina Glargina Insulina Lispro Insulina NPH Insulina Regular Heparina Varfarina Cloreto de Cálcio Cloreto de Potássio Cloreto de Sódio Fosfato de Potássio Gluconato de Cálcio Sulfato de Magnésio Glicose Ampola 20 ml Glicose Frasco 500 ml Rocurônio Cisatracúrio Suxametônio