SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
“FISIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS
          PARA A CIDADANIA”




                   Profª Dra. Ana Maria Caliman Filadelfi



Referência: Trebien, H.A. Medicamentos. Benefícios e riscos com
    ênfase na automedicação. PROEC-UFPR, Curitiba, 2011.
O que é?



 É a escolha e uso de medicamentos, feitos pelo indivíduo,
  para tratar sintomas ou sinais causados pelas doenças, sem
  prescrição médica;
 A automedicação tem seus riscos e deve ser realizada de
  modo consciente e restrito, afim de evitar efeitos indesejados
  e potencialmente danosos à saúde!
O que leva à prática da
 automedicação?
 Economia de tempo;
 Facilidade de acesso;
 Informação de que medicamento usar para
  cada sintoma (internet);
 Influência de propaganda e conhecidos;
 Dificuldade e demora no atendimento médico.
Medicamentos mais comuns:
 Analgésicos: dores de cabeça e na coluna;
 Antitérmicos;
 Xaropes e antirresfriados;
 Antialérgicos;
 Antidepressivos e estimulantes/SN;
 Relaxantes;
 Antibióticos e vitaminas;
 Medicamentos para o sistema
  gastrointestinal;
 Emagrecedores e anabolizantes.
Remédio x Medicamento
 Remédio: engloba toda prática eficaz no alívio de um
  sofrimento, desconforto ou dor;
 Medicamento:é um produto farmacêutico, tecnicamente obtido
  ou elaborado, com finalidade profilática, curativa, paliativa ou
  para fins de diagnóstico. O princípio ativo do medicamento é a
  substância que garante o seu efeito!



                                     X
Formas de apresentação farmacológica
 Pílulas      Cápsulas Revestidas   Comprimidos




   Soluções                         Suspensão
Formas de apresentação farmacológica
 Xarope

                              Pomadas




Aerossóis

                               Supositórios




    As vias de administração para cada um são diferentes!
Medicamento de Referência, Genérico e
               Similar
 De Referência: é o medicamento registrado no órgão federal
  responsável pela vigilância sanitária e comercializado no país,
  cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas
  cientificamente;
 Genérico e Similar: podem ser
  considerados cópias do medica-
  mento de referência. O genérico
  não possui nome comercial, tem
  o nome do princípio ativo!
Tarjas da embalagem           Vermelha
     Preta




  Amarela         Sem Tarja
REAÇÕES ADVERSAS A
  MEDICAMENTOS
REAÇÕES ADVERSAS

 RAM = resposta nociva
  e não intencional ao
  uso         de      um
  medicamento utilizado
  em doses normais para
  profilaxia, diagnóstico
  ou     tratamento    de
  doenças;
 Depende da ação do
  princípio    ativo  em
  locais do nosso corpo
  que não precisam de
  medicamentos.
REAÇÕES ADVERSAS
 Todos os medicamentos podem causar!
 Prejuízo aos pacientes e ao sistema público de saúde. São, em
  grande parte, evitáveis.
 Podem ser aumentadas pela interação medicamentosa!
Interação medicamentosa
 Pode ocorrer entre remédios e:
Tipos de reações adversas
 Tipo A – previsíveis, dependentes da dose
  e de baixa letalidade;
 Tipo B – inesperadas, ocorrem em pessoas
  mais sensíveis e independem da dose; a le-
  talidade pode ser alta!

 Leves – não requerem suspensão do uso do remédio;
 Moderadas – exigem alteração do tratamento;
 Graves – potencialmente fatais, exigem interrupção do uso do
  medicamento e podem prolongar a internação;
 Letais – contribuem para a morte do paciente.
Fatores de risco e diagnóstico
 Aumentam a ocorrência de reações adversas:
 Idade maior que 65 anos ou infantil;
 Gravidez;
 Gravidade da doença;
 Quantidade e tipo de remédios utilizados.


 O diagnóstico é dificultado pelo uso simultâneo de
 diversos medicamentos e porque as RAM mimetizam
 doenças que ocorrem naturalmente!
Medidas e tratamento das RAM
 A maioria é evitável se fizer-se o uso de doses e intervalos
  recomendados;
 Não fazer uso de automedicação por mais que poucos dias –
  pode mascarar uma doença mais grave e causar tolerância e
  dependência do medicamento;
 Ver histórico de hipersensibilidade do paciente
  e cuidar com as populações de risco;
 O tratamento depende da gravidade da RAM.
FAMOSOS MORTOS POR USO
   DE MEDICAMENTOS

               Morte: 16 de agosto de 1977
               Causa: arritmia cardíaca por
                overdose de drogas prescritas.
               Drogas: 14 drogas diferentes,
                incluindo a codeína (analgésico) e
                metaqualona,    AKA     Quaaludes
                            (sedativo).


        ELVIS PRESLEY (42 ANOS)
 Morte: 5 de agosto de 1962
                     Causa da morte: níveis elevados de
                       dois barbitúricos em seu sangue:
                       nembutal e hidrato de cloral
                       (medicamento para dormir).


           MARILYN MONROE (36 ANOS)

• Morte: 20 de julho de 1973
• Causa da morte: edema cerebral
 causado por alergia à um analgésico.

    BRUCE LEE (32 ANOS)
Remédios ou Venenos?

 Os medicamentos podem fazer efeitos benéficos ou
  reações adversas. O tipo de efeito depende do
  diagnóstico adequado e do conhecimento dos
  medicamentos. Quem tem a capacidade, a formação
  para avaliar os riscos e benefícios é o médico, portanto,
  os medicamentos só devem ser usados após consulta e
  prescrição médica.
 A automedicação deve ser desestimulada!
Ao iniciarem os sintomas, um
médico deverá ser consultado!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

INTERAÇ
INTERAÇINTERAÇ
INTERAÇ
 
Automedicação SENAC 2013
Automedicação SENAC 2013Automedicação SENAC 2013
Automedicação SENAC 2013
 
Farmacologia farmacocinética
Farmacologia farmacocinéticaFarmacologia farmacocinética
Farmacologia farmacocinética
 
Metodos contraceptivos spe
Metodos contraceptivos speMetodos contraceptivos spe
Metodos contraceptivos spe
 
Introdução à Farmacologia
Introdução à FarmacologiaIntrodução à Farmacologia
Introdução à Farmacologia
 
7ª aula classes de medicamentos
7ª aula   classes de medicamentos7ª aula   classes de medicamentos
7ª aula classes de medicamentos
 
Farmacologia aula-1
Farmacologia aula-1Farmacologia aula-1
Farmacologia aula-1
 
Auto Medicação
Auto MedicaçãoAuto Medicação
Auto Medicação
 
Noções de farmacologia
Noções de farmacologiaNoções de farmacologia
Noções de farmacologia
 
Aula 01 dst
Aula 01  dstAula 01  dst
Aula 01 dst
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagem
 
Adolescentes e drogas
Adolescentes e drogasAdolescentes e drogas
Adolescentes e drogas
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
 
História da Saúde Pública no Brasil
História da Saúde Pública no BrasilHistória da Saúde Pública no Brasil
História da Saúde Pública no Brasil
 
Farmacodinâmica
FarmacodinâmicaFarmacodinâmica
Farmacodinâmica
 
Tipos de receituarios
Tipos de receituariosTipos de receituarios
Tipos de receituarios
 
Vacinas: mitos e verdades
Vacinas: mitos e verdadesVacinas: mitos e verdades
Vacinas: mitos e verdades
 
Introdução à farmacologia
Introdução à farmacologiaIntrodução à farmacologia
Introdução à farmacologia
 
Farmacologia interações e RAM
Farmacologia interações e RAMFarmacologia interações e RAM
Farmacologia interações e RAM
 
Bactérias e Vírus
Bactérias e VírusBactérias e Vírus
Bactérias e Vírus
 

Semelhante a Aula 9 Riscos da automedicação

O que são transtornos menores?
O que são transtornos menores?O que são transtornos menores?
O que são transtornos menores?Cassyano Correr
 
Aula 20 acidentes e complicações da anestesia local 21092013 [compatibility...
Aula 20   acidentes e complicações da anestesia local 21092013 [compatibility...Aula 20   acidentes e complicações da anestesia local 21092013 [compatibility...
Aula 20 acidentes e complicações da anestesia local 21092013 [compatibility...Isabela Ribeiro
 
Segurança de Medicamentos
Segurança de MedicamentosSegurança de Medicamentos
Segurança de MedicamentosSafia Naser
 
Drogas e medicamentos
Drogas e medicamentosDrogas e medicamentos
Drogas e medicamentos8Egrupo3
 
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
Aula 01   farmacologia prof. clara motaAula 01   farmacologia prof. clara mota
Aula 01 farmacologia prof. clara motaClara Mota Brum
 
Avaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaAvaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaCassyano Correr
 
Urgência e emergência em álcool e outras drogas
Urgência e emergência em álcool e outras drogasUrgência e emergência em álcool e outras drogas
Urgência e emergência em álcool e outras drogasGabriela Haack
 
Farmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPSFarmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPSTiago Sampaio
 
Medicamento Isento de Prescrição - Palestra Crf
Medicamento Isento de Prescrição -   Palestra CrfMedicamento Isento de Prescrição -   Palestra Crf
Medicamento Isento de Prescrição - Palestra CrfMarcelo Polacow Bisson
 
Princípios da farmacoterapia no idoso - slides.pdf
Princípios da farmacoterapia no idoso - slides.pdfPrincípios da farmacoterapia no idoso - slides.pdf
Princípios da farmacoterapia no idoso - slides.pdfLizaAguiar2
 
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdfINTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdfRaquel Souza
 
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticosAdesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticosClarissa Lessa
 
07 atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
07   atendente de farmácia (descrição de medicamentos)07   atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
07 atendente de farmácia (descrição de medicamentos)Elizeu Ferro
 
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva MuñozReações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva MuñozRilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Dependencias moda ppt
Dependencias moda pptDependencias moda ppt
Dependencias moda pptadrcab
 

Semelhante a Aula 9 Riscos da automedicação (20)

aula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptxaula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptx
 
O que são transtornos menores?
O que são transtornos menores?O que são transtornos menores?
O que são transtornos menores?
 
Abuso de medicamentos
Abuso de medicamentosAbuso de medicamentos
Abuso de medicamentos
 
Aula 20 acidentes e complicações da anestesia local 21092013 [compatibility...
Aula 20   acidentes e complicações da anestesia local 21092013 [compatibility...Aula 20   acidentes e complicações da anestesia local 21092013 [compatibility...
Aula 20 acidentes e complicações da anestesia local 21092013 [compatibility...
 
Segurança de Medicamentos
Segurança de MedicamentosSegurança de Medicamentos
Segurança de Medicamentos
 
Drogas e medicamentos
Drogas e medicamentosDrogas e medicamentos
Drogas e medicamentos
 
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
Aula 01   farmacologia prof. clara motaAula 01   farmacologia prof. clara mota
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
 
Avaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaAvaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da Farmacoterapia
 
Urgência e emergência em álcool e outras drogas
Urgência e emergência em álcool e outras drogasUrgência e emergência em álcool e outras drogas
Urgência e emergência em álcool e outras drogas
 
Farmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPSFarmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPS
 
Psicofarmacologia
PsicofarmacologiaPsicofarmacologia
Psicofarmacologia
 
Medicamento Isento de Prescrição - Palestra Crf
Medicamento Isento de Prescrição -   Palestra CrfMedicamento Isento de Prescrição -   Palestra Crf
Medicamento Isento de Prescrição - Palestra Crf
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Princípios da farmacoterapia no idoso - slides.pdf
Princípios da farmacoterapia no idoso - slides.pdfPrincípios da farmacoterapia no idoso - slides.pdf
Princípios da farmacoterapia no idoso - slides.pdf
 
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdfINTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
 
Cuidador de idoso_15
Cuidador de idoso_15Cuidador de idoso_15
Cuidador de idoso_15
 
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticosAdesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
 
07 atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
07   atendente de farmácia (descrição de medicamentos)07   atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
07 atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
 
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva MuñozReações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
 
Dependencias moda ppt
Dependencias moda pptDependencias moda ppt
Dependencias moda ppt
 

Mais de Ana Filadelfi

Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdfFisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdfAna Filadelfi
 
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdfCartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdfAna Filadelfi
 
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infânciaCartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infânciaAna Filadelfi
 
Cartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer InfantilCartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer InfantilAna Filadelfi
 
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúdeCartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúdeAna Filadelfi
 
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitarCartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitarAna Filadelfi
 
Cartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioCartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioAna Filadelfi
 
Cartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema NervosoCartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema NervosoAna Filadelfi
 
Cartilha A nossa saúde e o ambiente
Cartilha  A nossa saúde e o ambienteCartilha  A nossa saúde e o ambiente
Cartilha A nossa saúde e o ambienteAna Filadelfi
 
Cartilha ritmos biológicos sono em animais
Cartilha ritmos biológicos   sono em animaisCartilha ritmos biológicos   sono em animais
Cartilha ritmos biológicos sono em animaisAna Filadelfi
 
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentesCartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentesAna Filadelfi
 
A nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambienteA nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambienteAna Filadelfi
 
Cartilha hipertensão
Cartilha hipertensãoCartilha hipertensão
Cartilha hipertensãoAna Filadelfi
 
Cartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estarCartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estarAna Filadelfi
 
Cartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúdeCartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúdeAna Filadelfi
 
Cartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicosCartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicosAna Filadelfi
 
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedadeAula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedadeAna Filadelfi
 
Cartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitosCartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitosAna Filadelfi
 
Aula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reproduçãoAula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reproduçãoAna Filadelfi
 

Mais de Ana Filadelfi (20)

Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdfFisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
 
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdfCartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
 
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infânciaCartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância
 
Cartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer InfantilCartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer Infantil
 
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúdeCartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
 
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitarCartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
 
Cartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioCartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema Respiratório
 
Cartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema NervosoCartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema Nervoso
 
Cartilha A nossa saúde e o ambiente
Cartilha  A nossa saúde e o ambienteCartilha  A nossa saúde e o ambiente
Cartilha A nossa saúde e o ambiente
 
Cartilha ritmos biológicos sono em animais
Cartilha ritmos biológicos   sono em animaisCartilha ritmos biológicos   sono em animais
Cartilha ritmos biológicos sono em animais
 
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentesCartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
 
A nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambienteA nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambiente
 
Cartilha hipertensão
Cartilha hipertensãoCartilha hipertensão
Cartilha hipertensão
 
Cartilha diabetes
Cartilha diabetesCartilha diabetes
Cartilha diabetes
 
Cartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estarCartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estar
 
Cartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúdeCartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúde
 
Cartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicosCartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicos
 
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedadeAula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
 
Cartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitosCartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitos
 
Aula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reproduçãoAula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
 

Último

Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...GisellySobral
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 

Último (20)

Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 

Aula 9 Riscos da automedicação

  • 1. “FISIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS PARA A CIDADANIA” Profª Dra. Ana Maria Caliman Filadelfi Referência: Trebien, H.A. Medicamentos. Benefícios e riscos com ênfase na automedicação. PROEC-UFPR, Curitiba, 2011.
  • 2. O que é?  É a escolha e uso de medicamentos, feitos pelo indivíduo, para tratar sintomas ou sinais causados pelas doenças, sem prescrição médica;  A automedicação tem seus riscos e deve ser realizada de modo consciente e restrito, afim de evitar efeitos indesejados e potencialmente danosos à saúde!
  • 3. O que leva à prática da automedicação?  Economia de tempo;  Facilidade de acesso;  Informação de que medicamento usar para cada sintoma (internet);  Influência de propaganda e conhecidos;  Dificuldade e demora no atendimento médico.
  • 4. Medicamentos mais comuns:  Analgésicos: dores de cabeça e na coluna;  Antitérmicos;  Xaropes e antirresfriados;  Antialérgicos;  Antidepressivos e estimulantes/SN;  Relaxantes;  Antibióticos e vitaminas;  Medicamentos para o sistema gastrointestinal;  Emagrecedores e anabolizantes.
  • 5. Remédio x Medicamento  Remédio: engloba toda prática eficaz no alívio de um sofrimento, desconforto ou dor;  Medicamento:é um produto farmacêutico, tecnicamente obtido ou elaborado, com finalidade profilática, curativa, paliativa ou para fins de diagnóstico. O princípio ativo do medicamento é a substância que garante o seu efeito! X
  • 6. Formas de apresentação farmacológica Pílulas Cápsulas Revestidas Comprimidos Soluções Suspensão
  • 7. Formas de apresentação farmacológica Xarope Pomadas Aerossóis Supositórios As vias de administração para cada um são diferentes!
  • 8. Medicamento de Referência, Genérico e Similar  De Referência: é o medicamento registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária e comercializado no país, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente;  Genérico e Similar: podem ser considerados cópias do medica- mento de referência. O genérico não possui nome comercial, tem o nome do princípio ativo!
  • 9. Tarjas da embalagem Vermelha Preta Amarela Sem Tarja
  • 10. REAÇÕES ADVERSAS A MEDICAMENTOS
  • 11. REAÇÕES ADVERSAS  RAM = resposta nociva e não intencional ao uso de um medicamento utilizado em doses normais para profilaxia, diagnóstico ou tratamento de doenças;  Depende da ação do princípio ativo em locais do nosso corpo que não precisam de medicamentos.
  • 12. REAÇÕES ADVERSAS  Todos os medicamentos podem causar!  Prejuízo aos pacientes e ao sistema público de saúde. São, em grande parte, evitáveis.  Podem ser aumentadas pela interação medicamentosa!
  • 13. Interação medicamentosa  Pode ocorrer entre remédios e:
  • 14. Tipos de reações adversas  Tipo A – previsíveis, dependentes da dose e de baixa letalidade;  Tipo B – inesperadas, ocorrem em pessoas mais sensíveis e independem da dose; a le- talidade pode ser alta!  Leves – não requerem suspensão do uso do remédio;  Moderadas – exigem alteração do tratamento;  Graves – potencialmente fatais, exigem interrupção do uso do medicamento e podem prolongar a internação;  Letais – contribuem para a morte do paciente.
  • 15. Fatores de risco e diagnóstico  Aumentam a ocorrência de reações adversas:  Idade maior que 65 anos ou infantil;  Gravidez;  Gravidade da doença;  Quantidade e tipo de remédios utilizados.  O diagnóstico é dificultado pelo uso simultâneo de diversos medicamentos e porque as RAM mimetizam doenças que ocorrem naturalmente!
  • 16. Medidas e tratamento das RAM  A maioria é evitável se fizer-se o uso de doses e intervalos recomendados;  Não fazer uso de automedicação por mais que poucos dias – pode mascarar uma doença mais grave e causar tolerância e dependência do medicamento;  Ver histórico de hipersensibilidade do paciente e cuidar com as populações de risco;  O tratamento depende da gravidade da RAM.
  • 17. FAMOSOS MORTOS POR USO DE MEDICAMENTOS  Morte: 16 de agosto de 1977  Causa: arritmia cardíaca por overdose de drogas prescritas.  Drogas: 14 drogas diferentes, incluindo a codeína (analgésico) e metaqualona, AKA Quaaludes (sedativo). ELVIS PRESLEY (42 ANOS)
  • 18.  Morte: 5 de agosto de 1962  Causa da morte: níveis elevados de dois barbitúricos em seu sangue: nembutal e hidrato de cloral (medicamento para dormir). MARILYN MONROE (36 ANOS) • Morte: 20 de julho de 1973 • Causa da morte: edema cerebral causado por alergia à um analgésico. BRUCE LEE (32 ANOS)
  • 19. Remédios ou Venenos?  Os medicamentos podem fazer efeitos benéficos ou reações adversas. O tipo de efeito depende do diagnóstico adequado e do conhecimento dos medicamentos. Quem tem a capacidade, a formação para avaliar os riscos e benefícios é o médico, portanto, os medicamentos só devem ser usados após consulta e prescrição médica.  A automedicação deve ser desestimulada!
  • 20. Ao iniciarem os sintomas, um médico deverá ser consultado!!