SlideShare uma empresa Scribd logo
SISTEMA ELITE DE ENSINO
PROVA DE MATEMÁTICA – COLÉGIO NAVAL – 2010
(PROVA AMARELA)
GABARITO COMENTADO ELABORADO PELO PROFESSORES:
ÁLVARO
GANDHI
HAROLDO
MADEIRA
ROBERTO
QUESTÃO 1 – RESPOSTA: e
Num quadrado ABCD de lado 6 cm, traça-se a circunferência K de centro em A e raio 4 cm.
Qual é medida, em cm, do raio da circunferência tangente exterior a K e tangente ao lado BC no
ponto C?
a) 2,4
b) 2,5
c) 2,6
d) 2,7
e) 2,8
RESOLUÇÃO:
   2 22 2 2
6 r 6 r 4 36 12r r 36 r 8r 16
20r 56 r 2,8
          
   
QUESTÃO 2 – RESPOSTA: c
A área de um quadrado de 5 cm de lado, na unidade u definida como sendo a área de um círculo
de raio 1 cm, é:
a) exatamente 25.
b) exatamente 12,5
c) aproximadamente 8.
d) aproximadamente 6.
e) aproximadamente 5.
RESOLUÇÃO:
2 2 2 2 1
u π 1 cm π cm 1cm u
π
    
2 2 2 1 25
S 5 cm 25 cm 25 u u 8u
π π
     
QUESTÃO 3 – RESPOSTA e
Sabe-se que: o número natural K dividido pelo número natural A dá quociente 56 e resto zero; K
dividido pelo número natural B dá quociente 21 e resto zero; e os algarismos de A são os
mesmos de B e ambos possuem dois algarismos, porém em ordem inversa. A soma dos
algarismos de K é igual a:
a) 5
b) 6
c) 7
d) 8
e) 9
RESOLUÇÃO:
K 56A 21B 
 A xy 10x y   e  B yx 10y x  
   56 10x y 21 10y x 7x 2y    
Como x e y são algarismos, então x 2 e y 7 .
 K 56 27 1512  
A soma dos algarismos de K é 9.
QUESTÃO 4 – ANULADA
Sobre o sistema formado por 3x + 4y = 7 e 6x + 8x = 15, pode-se afirmar que é:
a) indeterminado.
b) determinado e 9x + 12y.
c) determinado e x = y = 0
d) determinado e x = – y  0.
e) impossível.
RESOLUÇÃO:
3x 4y 7 15 53
x e y
6x 8x 15 14 56
 
  
 
Logo, o sistema é determinado, mas nenhuma das opções traz uma condição correta.
A questão deve, portanto, ser anulada.
Nota-se que houve um erro de digitação no enunciado que deveria ser
3x 4y 7
6x 8y 15
  

 
e que
representa um sistema impossível já que
3 4 7
6 8 15
  . Estivesse o enunciado correto, a opção
seria letra e.
QUESTÃO 5 – RESPOSTA: d
Um funcionário usa uma empilhadeira para transportar bobinas de 70 kg ou de 45 kg, sendo uma
de cada vez. Quantas viagens com uma carga deverá fazer, no mínimo, para transportar
exatamente uma tonelada dessa carga?
a) 18
b) 17
c) 16
d) 15
e) 14
RESOLUÇÃO:
Sendo m o número de viagens com a carga de 70 kg e n o número de viagens com a carga de 45
kg, temos:
m 70 n 45 1000 14m 9n 200      
Resolvendo a equação Diofantina:
m 400 9t
, t
n 600 14t
 

  
.
 
m 400 9t 0 t 44
t 43,44
n 600 14t 0 t 43
    
 
     
t 43 m n 15
m n 200 5t
t 44 m n 20
   
     
   
O número mínimo de viagens é 15.
QUESTÃO 6 – RESPOSTA: a
A menor raiz da equação ax2
+ bx + c = 0, com abc  0, é a média geométrica entre “m” e a
maior raiz. A maior raiz é a média geométrica entre “n” e a menor raiz. Pode-se afirmar que “m
+ n” é expresso por:
a)
3
2
3abc – b
a c
b)
3
2
3abc b
a c

c)
3
2
3abc – b
c a
d)
3
2
abc b
c a

e)
3
2
abc – b
c a
RESOLUÇÃO:
Sejam 1r e 2r , com 1 2r r , temos:
2
1
1 2
2
r
r m r m
r
   
2
2
2 1
1
r
r n r n
r
   
   
3
32 2 3 3
1 2 1 2 1 21 2 1 2
2 1 1 2 1 2
3 3
3 2 2
b c b
3
r r 3r r r rr r r r a a a
m n
cr r r r r r
a
b 3bc a 3abc b
ca a a c
   
                   
 
  
     
 
QUESTÃO 7 – RESPOSTA: a
O combustível A é composto de uma mistura de 20% de álcool e 80% de gasolina. O
combustível B é constituído exclusivamente de álcool. Um motorista quer encher completamente
o tanque do seu carro com 50% de álcool e 50% de gasolina. Para alcançar o seu objetivo
colocou x litros de A e y litros de B. A razão x/y é dada por:
a) 5/3
b) 3/5
c) 2/5
d) 5/2
e) 3/2
RESOLUÇÃO:
Numa mistura de x litros de A e y litros de B, a quantidade de álcool é 0,2x y . Se o percentual
de álcool nesse combustível é 50%, então
0,2x y 1 x 1 5
0,4x 2y x y y 0,6x
x y 2 y 0,6 3

         

QUESTÃO 8 – RESPOSTA: c
Sobre o lado maior de um retângulo de base 1 e altura 2 constrói-se um retângulo de base 2 e
altura 3; sobre o maior lado desse último, constrói-se um retângulo de base 3 e altura 4; e assim
sucessivamente, até se construir o retângulo de base 99 e altura 100. Com quantos zeros termina
o produto das áreas de cada um desses retângulos?
a) 39
b) 40
c) 46
d) 78
e) 80
RESOLUÇÃO:
       
 2
100!
P 1 2 2 3 3 4 99 100
100
         
Como 100! termina em
100 100
20 4 24
5 25
   
      
   
zeros, então
 2
100!
P
100
 termina em
24 24 2 46   zeros.
QUESTÃO 9 – RESPOSTA: e
O conjunto solução de números reais, tal que o valor da expressão
   
 
 

15 10
8
x 5 2x 1
3x 1
é maior do
que, ou igual a zero, é:
a) 1 1
5; ;
3 2
 
     
 
b) 1
; 5;
2
 
      
 
c) ;   
d) 1 1
; 5;
3 2
 
      
 
e) 1
5;
2
 
     
 
RESOLUÇÃO:
   
 
15 10
8
x 5 2x 1
0
3x 1
 


No quociente acima, 5 é raiz de multiplicidade ímpar,
1
2
e
1
3
 são raízes de multiplicidade par, e
1
3
 não é um valor válido para x, pois anula o denominador.
 
1
S 5;
2
 
   
 
QUESTÃO 10 – RESPOSTA: c
Em um triângulo retângulo ABC, é a bissetriz interna relativa ao cateto maior AC e AH é a altura
relativa à hipotenusa BC. S e o ponto I é a intersecção entre BD e AH, pode-se afirmar que
med(BH)
med(BH)
é igual a:
a) med(BC)
med(AH)
b) med(BC)
med(AD)
c) med(BC)
med(CD)
d) med(AD)
med(AI)
e) med(AD)
med(IH)
RESOLUÇÃO:
1a
SOLUÇÃO:
Teorema das bissetrizes no ABHΔ :
BH BA
HI AI

ADIΔ é isósceles AI AD 
BH BA
HI AD
 
Teorema das bissetrizes no ABCΔ :
AB BC
AD CD

BH BA BC
HI AD CD
  
2a
SOLUÇÃO:
BH AB
cotg
IH AD
θ  
Lei dos senos no BCDΔ :
 
 sen 90BC CD BC cos
cotg
sen CD sen sensen 90
θ θ
θ
θ θ θθ

    

BH BC
cotg
HI CD
θ  
QUESTÃO 11 – RESPOSTA: A
Sendo A B Ch , h , e h as medidas das alturas; A B Cm ,m e m as medidas das medianas; e A B Cb ,b e b
as medidas das bissetrizes internas de um triângulo ABC, analise as afirmativas a seguir.
I – O triângulo formado pelos segmentos A B C1/ h , 1/ h e 1/ h é semelhante ao triângulo ABC.
II – O triângulo formado pelos segmentos A B C1/ m , 1/ m e 1/ m é semelhante ao triângulo ABC.
III – O triângulo formado pelos segmentos A B C1/ b , 1/ b e 1/ b é semelhante ao triângulo ABC.
Pode-se concluir que
a) apenas I é sempre verdadeira.
b) apenas II é sempre verdadeira.
c) apenas III é sempre verdadeira.
d) I, II e III são sempre verdadeiras.
e) I, II e III são sempre falsas.
RESOLUÇÃO:
I - VERDADEIRA
CA B
A B C
c ha h b h a b c
S 2S
1 1 12 2 2
h h h
 
      
II – FALSA
Observe como contra-exemplo um triângulo retângulo isósceles de lados a 2 , b 2 e c 2 2 .
As medianas são Am 5 , Bm 5 e Cm 2 .
2 2 2
2 2 2
A B C
1 1 1 1 2 1 1 1
5 2m m m5 5 2
     
           
    
Logo, o triângulo de lados
A
1
m
,
B
1
m
e
C
1
m
não é retângulo e, consequentemente, não é
semelhante ao triângulo original.
III – FALSA
Observe como contra-exemplo um triângulo retângulo isósceles de lados a 2 , b 2 e c 2 2 .
As bissetrizes são Ab 2 4 2 2  , Bb 2 4 2 2  e Cb 2 .
 
2 2 2
2 2 2
A B C
1 1 1 1 1 1 1 1
2b b b24 2 22 4 2 2 2 4 2 2
     
                    
Logo, o triângulo de lados
A
1
b
,
B
1
b
e
C
1
b
não é retângulo e, consequentemente, não é
semelhante ao triângulo original.
QUESTÃO 12 – RESPOSTA: c
Quantos são os números inteiros com os quais é possível, no conjunto dos reais, calcular o valor
numérico da expressão algébrica 2
103x– x – 300 ?
a) 100
b) 99
c) 98
d) 97
e) 96
RESOLUÇÃO:
             2 2
103x– x – 300 – x 103x – 300 0 x 100 x 3 0 3 x 100
A quantidade de valores interiros de x é 100 3 1 98  
QUESTÃO 13 – RESPOSTA: e
O número natural 198 está escrito na base 10. Em quantas bases de numeração o número dado é
escrito com três algarismos?
a) 1
b) 3
c) 5
d) 7
e) 9
RESOLUÇÃO:
Se o número 198 é escrito com 3 algarismos na base b, então  2 3
b 198 b .
 
   
   
  
2
*
3
b 198 b 14
b b 6,7,8, ,14
b 198 b 6
A quantidade de bases de numeração é   14 6 1 9 .
QUESTÃO 14 – RESPOSTA: c
Os números

4x
2 x
e
2 x
4x
são inteiros e positivos, com  x – 0;2 . Nessas condições, pode-se
concluir que:
a) x 0
b) 0 x 1/ 3 
c) 1/ 3 x 1/ 2 
d) 1/ 2 x 2 / 3 
e) 2 / 3 x 1 
RESOLUÇÃO:
Se um número e seu inverso são inteiros e positivos, então ambos são iguais a 1.
         
4x 2 1 1
1 4x 2 x x 0,4 x
2–x 5 3 2
Note que x não poderia assumir os valores 0 ou 2.
QUESTÃO 15 – RESPOSTA: e
Dado o número   
  
40
40
2009 –1 – 2010 , analise as afirmativas a seguir.
I. N é divisível por 2008.
II. N é divisível por 2009.
III. N é divisível por 40
2009 2010 .
Com base nos dados apresentados, pode-se concluir que:
a) apenas a afirmativa I é verdadeira.
b) apenas a afirmativa II é verdadeira.
c) apenas a afirmativa III é verdadeira.
d) apenas as afirmativas I e II são verdadeiras.
e) apenas as afirmativas II e III são verdadeiras.
RESOLUÇÃO:
I. FALSA
           
      
40 40
40 40
N 2009 –1 – 2010 1 –1 – 2 2 mod2008
II. VERDADEIRA
          
      
40 40
40 40
N 2009 –1 – 2010 0 –1 –1 0 mod2009
III. VERDADEIRA
1a
SOLUÇÃO:
 
   
  
          
40 40
40
4040 40
2009 1 2009 mod2009 2010
N 2009 –1 – 2010 2009 – 2010 0 mod2009 2010
2a
SOLUÇÃO:
Seja 40
p(x)= (x 1) 2010  , então o resto da divisão de p(x) por x 2010 é igual a
   40
p 2010 2009 2010 .
Concluímos que, se  40
x 2009 , então
 
4040 40 40 40
2009 –1 – 2010 (2009 2010). 2009 2010 (2009 2010).       
 
k n
Logo, o resto da divisão de   
  
40
40
2009 –1 – 2010 por 40
2009 2010 é zero.
Note que faltou no enunciado explicitar que   
  
40
40
N 2009 –1 – 2010 , sem essa informação a
questão perde o sentido, sendo passível de anulação.
QUESTÃO 16 – RESPOSTA: d
Em um trapézio isósceles ABCD, de base maior AB, está inscrito um arco de circunferência
AMB, onde M é ponto médio da base menor CD. O ângulo DBC, formado pela diagonal BD e
pelo lado BC desse trapézio, mede 50 e o ângulo DBA mede 10. Qual é a razão entre as
medidas da base AB e do comprimento do arco AMB, sabendo-se que os lados congruentes
desse trapézio são tangentes ao arco AMB nos pontos A e B?
a) 3

b) 3

c) 2 3
3
d) 3 3
2
e) 2 2

RESOLUÇÃO:
O ângulo ˆABF 10 é um ângulo inscrito, então AF 20 .
O ângulo ˆCBF 50 é um ângulo de segmento, então BF 100 .
 AMB 120  AB é o lado do triângulo equilátero inscrito na circunferência
Supondo que a circunferência tenha raio R, então AB R 3 e o comprimento de AMB é  
1
2 R
3
.
Logo a razão pedida é 
 
R 3 3 3
2 R 2
3
.
Note, entretanto, que a situação exposta é impossível, pois ao se construir a figura descrita
os ângulos DBC e DBA não possuirão medidas 50 e 10 , respectivamente.
As inconsistências podem ser vistas nas figuras abaixo:
QUESTÃO 17 – RESPOSTA: a
Sobre o lado BC do quadrado ABCD constrói-se um triângulo PBC, sendo o ponto P externo ao
quadrado e o quadrilátero PCDB convexo. Se o ângulo PDC é congruente ao ângulo PBC, pode-
se afirmar que o quadrilátero PCDB é
a) sempre circunscritível em um círculo.
b) sempre circunscritível a um círculo.
c) inscritível em um círculo apenas se for um trapézio.
d) circunscritível a um círculo apenas se for um trapézio.
e) impossível de ser inscrito em um círculo.
RESOLUÇÃO:
  ˆ ˆPDC PBC  B e D estão num arco capaz de  sobre PC  #PCDB é inscritível
QUESTÃO 18 – RESPOSTA: e
Analise as afirmativas a seguir.
I)  
3
3
0,333... 27 3
(3 ) 3
II) 
  1
(2 3) 2 3
III) 3k
10 tem  3k 1 algarismos, qualquer que seja o número natural k.
Assinale a opção correta.
a) Apenas a afirmativa II é verdadeira.
b) Apenas as afirmativas I e II são verdadeiras.
c) Apenas as afirmativas I e III são verdadeiras.
d) Apenas as afirmativas II e III são verdadeiras.
e) As afirmativas I, II e III são verdadeiras.
RESOLUÇÃO:
I. VERDADEIRA
 
   
 
 
27
1 1
27
0,333... 27 93 3(3 ) 3 3 3 e  
 
   
 
 
3
27
1 1
3 27
3 93 33 3 3 3
II. VERDADEIRA
 
 
  
     
  
1
22
1 2 3 2 3
2 3 2 3
2 3 2 3 2 3
III. VERDADEIRA
   3k 0
k 0 10 10 1 possui    3 0 1 1 algarismo
  3k
3k zeros
k 0 10 1 00 0  3k
10 possui  3k 1 algarismos para qualquer natual k.
QUESTÃO 19 – RESPOSTA: b
Os números naturais x e 18 são, nessa ordem, inversamente proporcionais aos números naturais y
e 45. Se x y, quantos são os valores possíveis para x?
a) 9
b) 10
c) 15
d) 18
e) 20
RESOLUÇÃO:
       1 4x 18
xy 18 45 810 2 3 5
1 1
y 45
 x e y são divisores de 810
Como x y para encontrar a quantidade de valores de x basta calcular a metade da quantidade de
divisores naturais de 810, pois esses aparecem sempre aos pares, um maior e outro menor que
810 .
       d 1 1 4 1 1 1 20  há 
20
10
2
possíveis valores de x
QUESTÃO 20 – RESPOSTA: b
O triângulo de lados 0,333 cm, 0,5 cm e 0,666 cm é equivalente ao triângulo isósceles de
base 0,333 cm e lados congruentes medindo x centímetros cada um. Com base nos dados
apresentados, é correto afirmar que x é igual a
a)
3
2
b)
151
24
c)
1
3
d)
257
48
e) 15 4 6
36
RESOLUÇÃO:

1
0,333
3
; 
1
0,5
2
; 
2
0,666
3
      
1 1 2 3 3
2p p
3 2 3 2 4
Utilizando a Fórmula de Heron para o cálculo da área do triângulo:
   
           
   
23 3 1 3 1 3 2 3 5 1 1 15
S cm
4 4 3 4 2 4 3 4 12 4 12 48
O triângulo da figura deve possuir área igual a 215
cm
48
, então
     
1 1 15 15
S h h
2 3 48 8
Aplicando o Teorema de Pitágoras no ACH:
   
             
2 2
2 15 1 15 1 151 151
x x cm
8 6 64 36 64 9 24
COMENTÁRIO:
A questão 4 deve ser anulada e as questões 15 e 16 são passíveis de
anulação pelos motivos expostos nas suas soluções.
A questão 13 deve ser anulada, pois envolve o assunto bases de
numeração, que não faz parte do Programa para as provas escritas,
conforme anexo III do Edital do Concurso.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trigonometria introducao
Trigonometria introducaoTrigonometria introducao
Trigonometria introducao
Justi Fica-se
 
Resolução da prova do colégio naval de 2004
Resolução da prova do colégio naval de 2004Resolução da prova do colégio naval de 2004
Resolução da prova do colégio naval de 2004
2marrow
 
Arcos notaveis
Arcos notaveisArcos notaveis
Arcos notaveis
con_seguir
 
Resolução prova matematica naval 2008 2009
Resolução prova matematica naval 2008   2009Resolução prova matematica naval 2008   2009
Resolução prova matematica naval 2008 2009
cavip
 
Lista de exercícios 1 – equação do 2° grau
Lista de exercícios 1 – equação do 2° grauLista de exercícios 1 – equação do 2° grau
Lista de exercícios 1 – equação do 2° grau
Everton Moraes
 
Pg Lista
Pg ListaPg Lista
Pg Lista
tioheraclito
 
Mat utfrs 21. quadrilateros exercicios
Mat utfrs 21. quadrilateros exerciciosMat utfrs 21. quadrilateros exercicios
Mat utfrs 21. quadrilateros exercicios
trigono_metria
 
Lista com gabarito Equações fracionárias, biquadradas e irracionais
Lista com gabarito Equações fracionárias, biquadradas e irracionaisLista com gabarito Equações fracionárias, biquadradas e irracionais
Lista com gabarito Equações fracionárias, biquadradas e irracionais
Andréia Rodrigues
 
Lista de exercícios geometria analítica - retas e circunferências
Lista de exercícios   geometria analítica - retas e circunferênciasLista de exercícios   geometria analítica - retas e circunferências
Lista de exercícios geometria analítica - retas e circunferências
bevenut
 
Mat utfrs 17. teorema de tales exercicios
Mat utfrs 17. teorema de tales exerciciosMat utfrs 17. teorema de tales exercicios
Mat utfrs 17. teorema de tales exercicios
trigono_metria
 
Prova do 8º ano
Prova do 8º anoProva do 8º ano
Prova do 8º ano
alunosderoberto
 
Exercícios função de 2° grau 2p
Exercícios função de 2° grau 2pExercícios função de 2° grau 2p
Exercícios função de 2° grau 2p
Jean Silveira
 
Lista de Exercícios 1 – Semelhança
Lista de Exercícios 1 – SemelhançaLista de Exercícios 1 – Semelhança
Lista de Exercícios 1 – Semelhança
Everton Moraes
 
Trigonometria senos - cossenos e tangentes
Trigonometria   senos - cossenos e tangentesTrigonometria   senos - cossenos e tangentes
Trigonometria senos - cossenos e tangentes
André Luís Nogueira
 
Mat geometria espacial 002
Mat geometria espacial  002Mat geometria espacial  002
Mat geometria espacial 002
trigono_metrico
 
Exercícios teorema pitagoras
Exercícios teorema pitagorasExercícios teorema pitagoras
Exercícios teorema pitagoras
Michele Boulanger
 
Lista (6) de exercícios de multiplicação e divisão
Lista (6) de exercícios de multiplicação e divisãoLista (6) de exercícios de multiplicação e divisão
Lista (6) de exercícios de multiplicação e divisão
Olicio Silva
 
Exercicios resolvidos poligonos
Exercicios resolvidos   poligonosExercicios resolvidos   poligonos
Exercicios resolvidos poligonos
con_seguir
 
Lista de Exercícios - Números racionais
Lista de Exercícios -  Números racionaisLista de Exercícios -  Números racionais
Lista de Exercícios - Números racionais
Everton Moraes
 
Prova 4º bim 9ano
Prova 4º bim   9anoProva 4º bim   9ano
Prova 4º bim 9ano
Adriano Capilupe
 

Mais procurados (20)

Trigonometria introducao
Trigonometria introducaoTrigonometria introducao
Trigonometria introducao
 
Resolução da prova do colégio naval de 2004
Resolução da prova do colégio naval de 2004Resolução da prova do colégio naval de 2004
Resolução da prova do colégio naval de 2004
 
Arcos notaveis
Arcos notaveisArcos notaveis
Arcos notaveis
 
Resolução prova matematica naval 2008 2009
Resolução prova matematica naval 2008   2009Resolução prova matematica naval 2008   2009
Resolução prova matematica naval 2008 2009
 
Lista de exercícios 1 – equação do 2° grau
Lista de exercícios 1 – equação do 2° grauLista de exercícios 1 – equação do 2° grau
Lista de exercícios 1 – equação do 2° grau
 
Pg Lista
Pg ListaPg Lista
Pg Lista
 
Mat utfrs 21. quadrilateros exercicios
Mat utfrs 21. quadrilateros exerciciosMat utfrs 21. quadrilateros exercicios
Mat utfrs 21. quadrilateros exercicios
 
Lista com gabarito Equações fracionárias, biquadradas e irracionais
Lista com gabarito Equações fracionárias, biquadradas e irracionaisLista com gabarito Equações fracionárias, biquadradas e irracionais
Lista com gabarito Equações fracionárias, biquadradas e irracionais
 
Lista de exercícios geometria analítica - retas e circunferências
Lista de exercícios   geometria analítica - retas e circunferênciasLista de exercícios   geometria analítica - retas e circunferências
Lista de exercícios geometria analítica - retas e circunferências
 
Mat utfrs 17. teorema de tales exercicios
Mat utfrs 17. teorema de tales exerciciosMat utfrs 17. teorema de tales exercicios
Mat utfrs 17. teorema de tales exercicios
 
Prova do 8º ano
Prova do 8º anoProva do 8º ano
Prova do 8º ano
 
Exercícios função de 2° grau 2p
Exercícios função de 2° grau 2pExercícios função de 2° grau 2p
Exercícios função de 2° grau 2p
 
Lista de Exercícios 1 – Semelhança
Lista de Exercícios 1 – SemelhançaLista de Exercícios 1 – Semelhança
Lista de Exercícios 1 – Semelhança
 
Trigonometria senos - cossenos e tangentes
Trigonometria   senos - cossenos e tangentesTrigonometria   senos - cossenos e tangentes
Trigonometria senos - cossenos e tangentes
 
Mat geometria espacial 002
Mat geometria espacial  002Mat geometria espacial  002
Mat geometria espacial 002
 
Exercícios teorema pitagoras
Exercícios teorema pitagorasExercícios teorema pitagoras
Exercícios teorema pitagoras
 
Lista (6) de exercícios de multiplicação e divisão
Lista (6) de exercícios de multiplicação e divisãoLista (6) de exercícios de multiplicação e divisão
Lista (6) de exercícios de multiplicação e divisão
 
Exercicios resolvidos poligonos
Exercicios resolvidos   poligonosExercicios resolvidos   poligonos
Exercicios resolvidos poligonos
 
Lista de Exercícios - Números racionais
Lista de Exercícios -  Números racionaisLista de Exercícios -  Números racionais
Lista de Exercícios - Números racionais
 
Prova 4º bim 9ano
Prova 4º bim   9anoProva 4º bim   9ano
Prova 4º bim 9ano
 

Semelhante a Matematica cn 2010_sexta feira

Prova mat-3 em-tarde
Prova mat-3 em-tardeProva mat-3 em-tarde
Prova mat-3 em-tarde
Anazaniboni
 
Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999
auei1979
 
Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999
auei1979
 
Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999
auei1979
 
Winter break 8th_grade_2016
Winter break 8th_grade_2016Winter break 8th_grade_2016
Winter break 8th_grade_2016
Paulo André Bezerra de Melo
 
Matemática cn 2015 2016 resolução (1)
Matemática cn 2015 2016 resolução (1)Matemática cn 2015 2016 resolução (1)
Matemática cn 2015 2016 resolução (1)
João Barros
 
1 fase nivel2_gabarito_2011
1 fase nivel2_gabarito_20111 fase nivel2_gabarito_2011
1 fase nivel2_gabarito_2011
Professora sonhadora
 
Matematica eletromecanica
Matematica eletromecanicaMatematica eletromecanica
Matematica eletromecanica
PROFESSOR FABRÍCIO
 
Lista de Matemática 01
Lista de Matemática 01Lista de Matemática 01
Lista de Matemática 01
Arthur Prata
 
Prova mat-3 em-noite
Prova mat-3 em-noiteProva mat-3 em-noite
Prova mat-3 em-noite
Anazaniboni
 
Testes 5 + 5.pdf
Testes 5 + 5.pdfTestes 5 + 5.pdf
Testes 5 + 5.pdf
TniaLopes50
 
Avaliação diagnóstica de matemática.
Avaliação diagnóstica de matemática.Avaliação diagnóstica de matemática.
Avaliação diagnóstica de matemática.
Ajudar Pessoas
 
Questões Matematica Fuvest 2001
Questões Matematica Fuvest 2001Questões Matematica Fuvest 2001
Questões Matematica Fuvest 2001
Marcelo Trylesinski
 
Hotmail
HotmailHotmail
F ficha de revisões nº 3 9º janeiro2017
F ficha de revisões nº 3   9º janeiro2017F ficha de revisões nº 3   9º janeiro2017
F ficha de revisões nº 3 9º janeiro2017
Susana Chaves
 
Lista 02 - 2ª fase - 2008/2009
Lista 02 - 2ª fase - 2008/2009Lista 02 - 2ª fase - 2008/2009
Lista 02 - 2ª fase - 2008/2009
FeefelipeeRS
 
Supertestes 8ª série
Supertestes 8ª sérieSupertestes 8ª série
Supertestes 8ª série
Idelma
 
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADAProva do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
thieresaulas
 
Lista de Exercícios 1 – Semelhança
Lista de Exercícios 1 – SemelhançaLista de Exercícios 1 – Semelhança
Lista de Exercícios 1 – Semelhança
Everton Moraes
 
Comentario exatas
Comentario exatasComentario exatas
Comentario exatas
Marcus Paulo
 

Semelhante a Matematica cn 2010_sexta feira (20)

Prova mat-3 em-tarde
Prova mat-3 em-tardeProva mat-3 em-tarde
Prova mat-3 em-tarde
 
Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999
 
Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999
 
Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999Vestibular ufsm 1999
Vestibular ufsm 1999
 
Winter break 8th_grade_2016
Winter break 8th_grade_2016Winter break 8th_grade_2016
Winter break 8th_grade_2016
 
Matemática cn 2015 2016 resolução (1)
Matemática cn 2015 2016 resolução (1)Matemática cn 2015 2016 resolução (1)
Matemática cn 2015 2016 resolução (1)
 
1 fase nivel2_gabarito_2011
1 fase nivel2_gabarito_20111 fase nivel2_gabarito_2011
1 fase nivel2_gabarito_2011
 
Matematica eletromecanica
Matematica eletromecanicaMatematica eletromecanica
Matematica eletromecanica
 
Lista de Matemática 01
Lista de Matemática 01Lista de Matemática 01
Lista de Matemática 01
 
Prova mat-3 em-noite
Prova mat-3 em-noiteProva mat-3 em-noite
Prova mat-3 em-noite
 
Testes 5 + 5.pdf
Testes 5 + 5.pdfTestes 5 + 5.pdf
Testes 5 + 5.pdf
 
Avaliação diagnóstica de matemática.
Avaliação diagnóstica de matemática.Avaliação diagnóstica de matemática.
Avaliação diagnóstica de matemática.
 
Questões Matematica Fuvest 2001
Questões Matematica Fuvest 2001Questões Matematica Fuvest 2001
Questões Matematica Fuvest 2001
 
Hotmail
HotmailHotmail
Hotmail
 
F ficha de revisões nº 3 9º janeiro2017
F ficha de revisões nº 3   9º janeiro2017F ficha de revisões nº 3   9º janeiro2017
F ficha de revisões nº 3 9º janeiro2017
 
Lista 02 - 2ª fase - 2008/2009
Lista 02 - 2ª fase - 2008/2009Lista 02 - 2ª fase - 2008/2009
Lista 02 - 2ª fase - 2008/2009
 
Supertestes 8ª série
Supertestes 8ª sérieSupertestes 8ª série
Supertestes 8ª série
 
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADAProva do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
 
Lista de Exercícios 1 – Semelhança
Lista de Exercícios 1 – SemelhançaLista de Exercícios 1 – Semelhança
Lista de Exercícios 1 – Semelhança
 
Comentario exatas
Comentario exatasComentario exatas
Comentario exatas
 

Mais de 2marrow

Geografia cn2
Geografia cn2Geografia cn2
Geografia cn2
2marrow
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
2marrow
 
Fisica cn2 parte6 maquinas simples
Fisica cn2 parte6 maquinas simplesFisica cn2 parte6 maquinas simples
Fisica cn2 parte6 maquinas simples
2marrow
 
Fisica cn2 parte5 trabalho de uma força
Fisica cn2 parte5 trabalho de uma forçaFisica cn2 parte5 trabalho de uma força
Fisica cn2 parte5 trabalho de uma força
2marrow
 
Fisica cn2 parte4 tipos de força
Fisica cn2 parte4 tipos de forçaFisica cn2 parte4 tipos de força
Fisica cn2 parte4 tipos de força
2marrow
 
Fisica cn2 parte3 plano inclinado
Fisica cn2 parte3 plano inclinadoFisica cn2 parte3 plano inclinado
Fisica cn2 parte3 plano inclinado
2marrow
 
Fisica cn2 parte2 lei de newton
Fisica cn2 parte2 lei de newtonFisica cn2 parte2 lei de newton
Fisica cn2 parte2 lei de newton
2marrow
 
Fisica cn2 parte1 dinamica
Fisica cn2 parte1 dinamicaFisica cn2 parte1 dinamica
Fisica cn2 parte1 dinamica
2marrow
 
Cn2008 2009
Cn2008 2009Cn2008 2009
Cn2008 2009
2marrow
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
2marrow
 
Historia cn2
Historia cn2Historia cn2
Historia cn2
2marrow
 
Gabarito colegio naval_2011_2_fase_comentado_1
Gabarito colegio naval_2011_2_fase_comentado_1Gabarito colegio naval_2011_2_fase_comentado_1
Gabarito colegio naval_2011_2_fase_comentado_1
2marrow
 
Gabarito colegio naval_2011_1_fase_completo
Gabarito colegio naval_2011_1_fase_completoGabarito colegio naval_2011_1_fase_completo
Gabarito colegio naval_2011_1_fase_completo
2marrow
 
Resolução da prova do colégio naval de 2003
Resolução da prova do colégio naval de 2003Resolução da prova do colégio naval de 2003
Resolução da prova do colégio naval de 2003
2marrow
 
Resolução da prova do colégio naval de 2006
Resolução da prova do colégio naval de 2006Resolução da prova do colégio naval de 2006
Resolução da prova do colégio naval de 2006
2marrow
 
Resolução da prova do colégio naval de 2002
Resolução da prova do colégio naval de 2002Resolução da prova do colégio naval de 2002
Resolução da prova do colégio naval de 2002
2marrow
 

Mais de 2marrow (16)

Geografia cn2
Geografia cn2Geografia cn2
Geografia cn2
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Fisica cn2 parte6 maquinas simples
Fisica cn2 parte6 maquinas simplesFisica cn2 parte6 maquinas simples
Fisica cn2 parte6 maquinas simples
 
Fisica cn2 parte5 trabalho de uma força
Fisica cn2 parte5 trabalho de uma forçaFisica cn2 parte5 trabalho de uma força
Fisica cn2 parte5 trabalho de uma força
 
Fisica cn2 parte4 tipos de força
Fisica cn2 parte4 tipos de forçaFisica cn2 parte4 tipos de força
Fisica cn2 parte4 tipos de força
 
Fisica cn2 parte3 plano inclinado
Fisica cn2 parte3 plano inclinadoFisica cn2 parte3 plano inclinado
Fisica cn2 parte3 plano inclinado
 
Fisica cn2 parte2 lei de newton
Fisica cn2 parte2 lei de newtonFisica cn2 parte2 lei de newton
Fisica cn2 parte2 lei de newton
 
Fisica cn2 parte1 dinamica
Fisica cn2 parte1 dinamicaFisica cn2 parte1 dinamica
Fisica cn2 parte1 dinamica
 
Cn2008 2009
Cn2008 2009Cn2008 2009
Cn2008 2009
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Historia cn2
Historia cn2Historia cn2
Historia cn2
 
Gabarito colegio naval_2011_2_fase_comentado_1
Gabarito colegio naval_2011_2_fase_comentado_1Gabarito colegio naval_2011_2_fase_comentado_1
Gabarito colegio naval_2011_2_fase_comentado_1
 
Gabarito colegio naval_2011_1_fase_completo
Gabarito colegio naval_2011_1_fase_completoGabarito colegio naval_2011_1_fase_completo
Gabarito colegio naval_2011_1_fase_completo
 
Resolução da prova do colégio naval de 2003
Resolução da prova do colégio naval de 2003Resolução da prova do colégio naval de 2003
Resolução da prova do colégio naval de 2003
 
Resolução da prova do colégio naval de 2006
Resolução da prova do colégio naval de 2006Resolução da prova do colégio naval de 2006
Resolução da prova do colégio naval de 2006
 
Resolução da prova do colégio naval de 2002
Resolução da prova do colégio naval de 2002Resolução da prova do colégio naval de 2002
Resolução da prova do colégio naval de 2002
 

Matematica cn 2010_sexta feira

  • 1. SISTEMA ELITE DE ENSINO PROVA DE MATEMÁTICA – COLÉGIO NAVAL – 2010 (PROVA AMARELA) GABARITO COMENTADO ELABORADO PELO PROFESSORES: ÁLVARO GANDHI HAROLDO MADEIRA ROBERTO QUESTÃO 1 – RESPOSTA: e Num quadrado ABCD de lado 6 cm, traça-se a circunferência K de centro em A e raio 4 cm. Qual é medida, em cm, do raio da circunferência tangente exterior a K e tangente ao lado BC no ponto C? a) 2,4 b) 2,5 c) 2,6 d) 2,7 e) 2,8 RESOLUÇÃO:    2 22 2 2 6 r 6 r 4 36 12r r 36 r 8r 16 20r 56 r 2,8               
  • 2. QUESTÃO 2 – RESPOSTA: c A área de um quadrado de 5 cm de lado, na unidade u definida como sendo a área de um círculo de raio 1 cm, é: a) exatamente 25. b) exatamente 12,5 c) aproximadamente 8. d) aproximadamente 6. e) aproximadamente 5. RESOLUÇÃO: 2 2 2 2 1 u π 1 cm π cm 1cm u π      2 2 2 1 25 S 5 cm 25 cm 25 u u 8u π π       QUESTÃO 3 – RESPOSTA e Sabe-se que: o número natural K dividido pelo número natural A dá quociente 56 e resto zero; K dividido pelo número natural B dá quociente 21 e resto zero; e os algarismos de A são os mesmos de B e ambos possuem dois algarismos, porém em ordem inversa. A soma dos algarismos de K é igual a: a) 5 b) 6 c) 7 d) 8 e) 9 RESOLUÇÃO: K 56A 21B   A xy 10x y   e  B yx 10y x      56 10x y 21 10y x 7x 2y     Como x e y são algarismos, então x 2 e y 7 .  K 56 27 1512   A soma dos algarismos de K é 9. QUESTÃO 4 – ANULADA Sobre o sistema formado por 3x + 4y = 7 e 6x + 8x = 15, pode-se afirmar que é: a) indeterminado. b) determinado e 9x + 12y. c) determinado e x = y = 0 d) determinado e x = – y  0. e) impossível. RESOLUÇÃO:
  • 3. 3x 4y 7 15 53 x e y 6x 8x 15 14 56        Logo, o sistema é determinado, mas nenhuma das opções traz uma condição correta. A questão deve, portanto, ser anulada. Nota-se que houve um erro de digitação no enunciado que deveria ser 3x 4y 7 6x 8y 15       e que representa um sistema impossível já que 3 4 7 6 8 15   . Estivesse o enunciado correto, a opção seria letra e. QUESTÃO 5 – RESPOSTA: d Um funcionário usa uma empilhadeira para transportar bobinas de 70 kg ou de 45 kg, sendo uma de cada vez. Quantas viagens com uma carga deverá fazer, no mínimo, para transportar exatamente uma tonelada dessa carga? a) 18 b) 17 c) 16 d) 15 e) 14 RESOLUÇÃO: Sendo m o número de viagens com a carga de 70 kg e n o número de viagens com a carga de 45 kg, temos: m 70 n 45 1000 14m 9n 200       Resolvendo a equação Diofantina: m 400 9t , t n 600 14t       .   m 400 9t 0 t 44 t 43,44 n 600 14t 0 t 43              t 43 m n 15 m n 200 5t t 44 m n 20               O número mínimo de viagens é 15. QUESTÃO 6 – RESPOSTA: a A menor raiz da equação ax2 + bx + c = 0, com abc  0, é a média geométrica entre “m” e a maior raiz. A maior raiz é a média geométrica entre “n” e a menor raiz. Pode-se afirmar que “m + n” é expresso por: a) 3 2 3abc – b a c b) 3 2 3abc b a c 
  • 4. c) 3 2 3abc – b c a d) 3 2 abc b c a  e) 3 2 abc – b c a RESOLUÇÃO: Sejam 1r e 2r , com 1 2r r , temos: 2 1 1 2 2 r r m r m r     2 2 2 1 1 r r n r n r         3 32 2 3 3 1 2 1 2 1 21 2 1 2 2 1 1 2 1 2 3 3 3 2 2 b c b 3 r r 3r r r rr r r r a a a m n cr r r r r r a b 3bc a 3abc b ca a a c                                      QUESTÃO 7 – RESPOSTA: a O combustível A é composto de uma mistura de 20% de álcool e 80% de gasolina. O combustível B é constituído exclusivamente de álcool. Um motorista quer encher completamente o tanque do seu carro com 50% de álcool e 50% de gasolina. Para alcançar o seu objetivo colocou x litros de A e y litros de B. A razão x/y é dada por: a) 5/3 b) 3/5 c) 2/5 d) 5/2 e) 3/2 RESOLUÇÃO: Numa mistura de x litros de A e y litros de B, a quantidade de álcool é 0,2x y . Se o percentual de álcool nesse combustível é 50%, então 0,2x y 1 x 1 5 0,4x 2y x y y 0,6x x y 2 y 0,6 3             QUESTÃO 8 – RESPOSTA: c Sobre o lado maior de um retângulo de base 1 e altura 2 constrói-se um retângulo de base 2 e altura 3; sobre o maior lado desse último, constrói-se um retângulo de base 3 e altura 4; e assim sucessivamente, até se construir o retângulo de base 99 e altura 100. Com quantos zeros termina o produto das áreas de cada um desses retângulos?
  • 5. a) 39 b) 40 c) 46 d) 78 e) 80 RESOLUÇÃO:          2 100! P 1 2 2 3 3 4 99 100 100           Como 100! termina em 100 100 20 4 24 5 25                zeros, então  2 100! P 100  termina em 24 24 2 46   zeros. QUESTÃO 9 – RESPOSTA: e O conjunto solução de números reais, tal que o valor da expressão          15 10 8 x 5 2x 1 3x 1 é maior do que, ou igual a zero, é: a) 1 1 5; ; 3 2           b) 1 ; 5; 2            c) ;    d) 1 1 ; 5; 3 2            e) 1 5; 2           RESOLUÇÃO:       15 10 8 x 5 2x 1 0 3x 1     No quociente acima, 5 é raiz de multiplicidade ímpar, 1 2 e 1 3  são raízes de multiplicidade par, e 1 3  não é um valor válido para x, pois anula o denominador.   1 S 5; 2        
  • 6. QUESTÃO 10 – RESPOSTA: c Em um triângulo retângulo ABC, é a bissetriz interna relativa ao cateto maior AC e AH é a altura relativa à hipotenusa BC. S e o ponto I é a intersecção entre BD e AH, pode-se afirmar que med(BH) med(BH) é igual a: a) med(BC) med(AH) b) med(BC) med(AD) c) med(BC) med(CD) d) med(AD) med(AI) e) med(AD) med(IH) RESOLUÇÃO: 1a SOLUÇÃO: Teorema das bissetrizes no ABHΔ : BH BA HI AI  ADIΔ é isósceles AI AD  BH BA HI AD   Teorema das bissetrizes no ABCΔ : AB BC AD CD  BH BA BC HI AD CD    2a SOLUÇÃO: BH AB cotg IH AD θ   Lei dos senos no BCDΔ :    sen 90BC CD BC cos cotg sen CD sen sensen 90 θ θ θ θ θ θθ        BH BC cotg HI CD θ  
  • 7. QUESTÃO 11 – RESPOSTA: A Sendo A B Ch , h , e h as medidas das alturas; A B Cm ,m e m as medidas das medianas; e A B Cb ,b e b as medidas das bissetrizes internas de um triângulo ABC, analise as afirmativas a seguir. I – O triângulo formado pelos segmentos A B C1/ h , 1/ h e 1/ h é semelhante ao triângulo ABC. II – O triângulo formado pelos segmentos A B C1/ m , 1/ m e 1/ m é semelhante ao triângulo ABC. III – O triângulo formado pelos segmentos A B C1/ b , 1/ b e 1/ b é semelhante ao triângulo ABC. Pode-se concluir que a) apenas I é sempre verdadeira. b) apenas II é sempre verdadeira. c) apenas III é sempre verdadeira. d) I, II e III são sempre verdadeiras. e) I, II e III são sempre falsas. RESOLUÇÃO: I - VERDADEIRA CA B A B C c ha h b h a b c S 2S 1 1 12 2 2 h h h          II – FALSA Observe como contra-exemplo um triângulo retângulo isósceles de lados a 2 , b 2 e c 2 2 . As medianas são Am 5 , Bm 5 e Cm 2 . 2 2 2 2 2 2 A B C 1 1 1 1 2 1 1 1 5 2m m m5 5 2                        Logo, o triângulo de lados A 1 m , B 1 m e C 1 m não é retângulo e, consequentemente, não é semelhante ao triângulo original. III – FALSA Observe como contra-exemplo um triângulo retângulo isósceles de lados a 2 , b 2 e c 2 2 . As bissetrizes são Ab 2 4 2 2  , Bb 2 4 2 2  e Cb 2 .   2 2 2 2 2 2 A B C 1 1 1 1 1 1 1 1 2b b b24 2 22 4 2 2 2 4 2 2                            Logo, o triângulo de lados A 1 b , B 1 b e C 1 b não é retângulo e, consequentemente, não é semelhante ao triângulo original. QUESTÃO 12 – RESPOSTA: c Quantos são os números inteiros com os quais é possível, no conjunto dos reais, calcular o valor numérico da expressão algébrica 2 103x– x – 300 ?
  • 8. a) 100 b) 99 c) 98 d) 97 e) 96 RESOLUÇÃO:              2 2 103x– x – 300 – x 103x – 300 0 x 100 x 3 0 3 x 100 A quantidade de valores interiros de x é 100 3 1 98   QUESTÃO 13 – RESPOSTA: e O número natural 198 está escrito na base 10. Em quantas bases de numeração o número dado é escrito com três algarismos? a) 1 b) 3 c) 5 d) 7 e) 9 RESOLUÇÃO: Se o número 198 é escrito com 3 algarismos na base b, então  2 3 b 198 b .              2 * 3 b 198 b 14 b b 6,7,8, ,14 b 198 b 6 A quantidade de bases de numeração é   14 6 1 9 . QUESTÃO 14 – RESPOSTA: c Os números  4x 2 x e 2 x 4x são inteiros e positivos, com  x – 0;2 . Nessas condições, pode-se concluir que: a) x 0
  • 9. b) 0 x 1/ 3  c) 1/ 3 x 1/ 2  d) 1/ 2 x 2 / 3  e) 2 / 3 x 1  RESOLUÇÃO: Se um número e seu inverso são inteiros e positivos, então ambos são iguais a 1.           4x 2 1 1 1 4x 2 x x 0,4 x 2–x 5 3 2 Note que x não poderia assumir os valores 0 ou 2. QUESTÃO 15 – RESPOSTA: e Dado o número       40 40 2009 –1 – 2010 , analise as afirmativas a seguir. I. N é divisível por 2008. II. N é divisível por 2009. III. N é divisível por 40 2009 2010 . Com base nos dados apresentados, pode-se concluir que: a) apenas a afirmativa I é verdadeira. b) apenas a afirmativa II é verdadeira. c) apenas a afirmativa III é verdadeira. d) apenas as afirmativas I e II são verdadeiras. e) apenas as afirmativas II e III são verdadeiras. RESOLUÇÃO: I. FALSA                    40 40 40 40 N 2009 –1 – 2010 1 –1 – 2 2 mod2008 II. VERDADEIRA                   40 40 40 40 N 2009 –1 – 2010 0 –1 –1 0 mod2009 III. VERDADEIRA 1a SOLUÇÃO:                     40 40 40 4040 40 2009 1 2009 mod2009 2010 N 2009 –1 – 2010 2009 – 2010 0 mod2009 2010 2a SOLUÇÃO: Seja 40 p(x)= (x 1) 2010  , então o resto da divisão de p(x) por x 2010 é igual a    40 p 2010 2009 2010 . Concluímos que, se  40 x 2009 , então   4040 40 40 40 2009 –1 – 2010 (2009 2010). 2009 2010 (2009 2010).          k n
  • 10. Logo, o resto da divisão de       40 40 2009 –1 – 2010 por 40 2009 2010 é zero. Note que faltou no enunciado explicitar que       40 40 N 2009 –1 – 2010 , sem essa informação a questão perde o sentido, sendo passível de anulação. QUESTÃO 16 – RESPOSTA: d Em um trapézio isósceles ABCD, de base maior AB, está inscrito um arco de circunferência AMB, onde M é ponto médio da base menor CD. O ângulo DBC, formado pela diagonal BD e pelo lado BC desse trapézio, mede 50 e o ângulo DBA mede 10. Qual é a razão entre as medidas da base AB e do comprimento do arco AMB, sabendo-se que os lados congruentes desse trapézio são tangentes ao arco AMB nos pontos A e B? a) 3  b) 3  c) 2 3 3 d) 3 3 2 e) 2 2  RESOLUÇÃO: O ângulo ˆABF 10 é um ângulo inscrito, então AF 20 . O ângulo ˆCBF 50 é um ângulo de segmento, então BF 100 .  AMB 120  AB é o lado do triângulo equilátero inscrito na circunferência Supondo que a circunferência tenha raio R, então AB R 3 e o comprimento de AMB é   1 2 R 3 . Logo a razão pedida é    R 3 3 3 2 R 2 3 . Note, entretanto, que a situação exposta é impossível, pois ao se construir a figura descrita
  • 11. os ângulos DBC e DBA não possuirão medidas 50 e 10 , respectivamente. As inconsistências podem ser vistas nas figuras abaixo: QUESTÃO 17 – RESPOSTA: a Sobre o lado BC do quadrado ABCD constrói-se um triângulo PBC, sendo o ponto P externo ao quadrado e o quadrilátero PCDB convexo. Se o ângulo PDC é congruente ao ângulo PBC, pode- se afirmar que o quadrilátero PCDB é a) sempre circunscritível em um círculo. b) sempre circunscritível a um círculo. c) inscritível em um círculo apenas se for um trapézio. d) circunscritível a um círculo apenas se for um trapézio. e) impossível de ser inscrito em um círculo. RESOLUÇÃO:   ˆ ˆPDC PBC  B e D estão num arco capaz de  sobre PC  #PCDB é inscritível
  • 12. QUESTÃO 18 – RESPOSTA: e Analise as afirmativas a seguir. I)   3 3 0,333... 27 3 (3 ) 3 II)    1 (2 3) 2 3 III) 3k 10 tem  3k 1 algarismos, qualquer que seja o número natural k. Assinale a opção correta. a) Apenas a afirmativa II é verdadeira. b) Apenas as afirmativas I e II são verdadeiras. c) Apenas as afirmativas I e III são verdadeiras. d) Apenas as afirmativas II e III são verdadeiras. e) As afirmativas I, II e III são verdadeiras. RESOLUÇÃO: I. VERDADEIRA           27 1 1 27 0,333... 27 93 3(3 ) 3 3 3 e             3 27 1 1 3 27 3 93 33 3 3 3 II. VERDADEIRA                 1 22 1 2 3 2 3 2 3 2 3 2 3 2 3 2 3 III. VERDADEIRA    3k 0 k 0 10 10 1 possui    3 0 1 1 algarismo   3k 3k zeros k 0 10 1 00 0  3k 10 possui  3k 1 algarismos para qualquer natual k. QUESTÃO 19 – RESPOSTA: b Os números naturais x e 18 são, nessa ordem, inversamente proporcionais aos números naturais y e 45. Se x y, quantos são os valores possíveis para x? a) 9 b) 10 c) 15 d) 18 e) 20 RESOLUÇÃO:        1 4x 18 xy 18 45 810 2 3 5 1 1 y 45  x e y são divisores de 810
  • 13. Como x y para encontrar a quantidade de valores de x basta calcular a metade da quantidade de divisores naturais de 810, pois esses aparecem sempre aos pares, um maior e outro menor que 810 .        d 1 1 4 1 1 1 20  há  20 10 2 possíveis valores de x QUESTÃO 20 – RESPOSTA: b O triângulo de lados 0,333 cm, 0,5 cm e 0,666 cm é equivalente ao triângulo isósceles de base 0,333 cm e lados congruentes medindo x centímetros cada um. Com base nos dados apresentados, é correto afirmar que x é igual a a) 3 2 b) 151 24 c) 1 3 d) 257 48 e) 15 4 6 36 RESOLUÇÃO:  1 0,333 3 ;  1 0,5 2 ;  2 0,666 3        1 1 2 3 3 2p p 3 2 3 2 4 Utilizando a Fórmula de Heron para o cálculo da área do triângulo:                     23 3 1 3 1 3 2 3 5 1 1 15 S cm 4 4 3 4 2 4 3 4 12 4 12 48 O triângulo da figura deve possuir área igual a 215 cm 48 , então
  • 14.       1 1 15 15 S h h 2 3 48 8 Aplicando o Teorema de Pitágoras no ACH:                   2 2 2 15 1 15 1 151 151 x x cm 8 6 64 36 64 9 24 COMENTÁRIO: A questão 4 deve ser anulada e as questões 15 e 16 são passíveis de anulação pelos motivos expostos nas suas soluções. A questão 13 deve ser anulada, pois envolve o assunto bases de numeração, que não faz parte do Programa para as provas escritas, conforme anexo III do Edital do Concurso.