SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Baixar para ler offline
QUÍMICA GERAL
LIGAÇÕES INTERMOLECULARES
Professor Augusto Sérgio
Colégio ISBA
Índice
Estas respostas você encontrará no
estudo das ...
• Na ebulição da água ocorre quebra das ligações
interatômicas ou intermoleculares?
• Por que os insetos planam na água?
• Por que o gelo flutua na água?
• O que o uso cremes hidratantes tem a ver com
as ligações intermoleculares?
3
Questões Chaves
4
Vocês sabem o que faz as moléculas
ficarem mais unidas no estado sólido que
no estado líquido ou gasoso?
5
Tipos de Ligações
Intermoleculares
Ligações ou
Pontes de
Hidrogênio
Dipolo – dipolo
permanente
Dipolo instantâneo
– dipolo induzido ou
ligações de Van der
Waals
Qual é o tipo de
interação que
existe entre as
moléculas de
água?
7
Ligação ou
ponte de
hidrogênio
8
Que tipo de
interação é
quebrada durante
a ebulição da
água?
Ligações de Hidrogênio
9
Durante a
ebulição não
são rompidas
ligações
interatômicas
As moléculas apenas escapam do
líquido devido ao rompimento das
ligações de hidrogênio
Ligação de Hidrogênio ou
Ponte de Hidrogênio
10
A ligação de hidrogênio ocorre quando a
molécula é polar e possui H ligado a
elemento muito eletronegativo ( F, O, N), de
forma que o hidrogênio de uma molécula
estabelece uma ligação com o átomo muito
eletronegativo de outra molécula.
Ligação de Hidrogênio
11
δ+ δ- δ+ δ--- -- -- -- -- --
H FON H FON
Molécula Molécula
Ligação de
Hidrogênio
Vejam os Exemplos
12
H2O HF NH3
Sacarose
CH3CH2OH
Etanol
Por que a densidade da água é
menor no estado sólido?
As pontes de
hidrogênio deixam
muitos espaços
vazios entre as
moléculas de água
no estado sólido,
provocando o
aumento de seu
volume e
consequentemente
a diminuição da
densidade.
Lembre-se: d=m/v
ÁGUA, MEIO AMBIENTE E TECNOLOGIA
A água dos rios, lagos, mares e oceanos ocupa mais de 70% da superfície do planeta. Pela
absorção de energia na forma de calor, principalmente a proveniente do sol, parte dessa água evapora,
sobe, condensa-se e forma as nuvens, retornando à terra através de chuva ou neve.
A água, por ser absorvida pelo solo, chega às plantas que, através da transpiração e respiração,
passam-na para a atmosfera.
Também os animais contribuem para a circulação da água no ambiente, pois ao ingerirem
água, devolvem-na pela respiração e excreção.
De forma menos visível, a água ocorre ainda, em grande quantidade, no citoplasma das células
e nos demais fluidos biológicos onde regula a temperatura e atua como solvente universal nas reações
químicas e biológicas.
Por estar a água relacionada à maioria das ações que ocorrem na natureza, é ela também a
responsável, muitas vezes, por problemas ambientais.
Os processos tecnológicos de geração de energia são fontes importantes de impactos
ambientais. A queima de combustíveis derivados de petróleo, como a gasolina e o óleo diesel, lança, na
atmosfera, grandes quantidades de dióxido de carbono, um dos gases responsáveis pelo efeito estufa.
É, pois, relevante que nos interessemos pela água que, paradoxalmente, é fonte de vida e
veículo de poluição.
15
(Ufsm 2004) Ao contrário da maioria das substâncias, a densidade da água diminui à
pressão constante, quando ela se congela, sendo bastante familiar a imagem de cubos de
gelo flutuando em água.
Analise as afirmativas:
I - Há aumento de volume quando o gelo se forma.
II - A estrutura menos densa ocorre devido à formação de pontes de hidrogênio.
III - As pontes de hidrogênio são consequência das interações de dipolo induzido do
oxigênio e dipolo permanente do hidrogênio.
Está(ão) correta(s)
a) apenas I.
b) apenas II.
c) apenas III.
d) apenas I e II.
e) apenas II e III.
Ponte de Hidrogênio nas moléculas
Fluoreto de Hidrogênio
16
H F H F
Ponte de Hidrogênio nas moléculas
Fluoreto de Hidrogênio
17
N H
H
H
N
H
H
H
Qual o mecanismo de ação
dos hidratantes e nossa
pele?
A QUÍMICA NO CONTEXTO
H2C CH CH2
OH OH OH O
H
H
O
H
H
GLICERINA ( Composição dos hidratantes)
PONTES DE HIDROGÊNIO
Veja agora uma
questão do ENEM
envolvendo este
assunto
(Enem 2011) A pele humana, quando está bem hidratada, adquire boa elasticidade e aspecto macio e
suave. Em contrapartida, quando está ressecada, perde sua elasticidade e se apresenta opaca e áspera. Para
evitar o ressecamento da pele é necessário, sempre que possível, utilizar hidratantes umectantes, feitos
geralmente à base de glicerina e polietilenoglicol:
Disponível em: http://www.brasilescola.com. Acesso em: 23 abr. 2010 (adaptado).
A retenção de água na superfície da pele promovida pelos hidratantes é consequência da interação dos
grupos hidroxila dos agentes umectantes com a umidade contida no ambiente por meio de
a) ligações iônicas.
b) forças de London.
c) ligações covalentes.
d) forças dipolo-dipolo.
e) ligações de hidrogênio.
2 2 2 2 2 2n
HO CH CH O CH CH O CH CH O H
polietilenoglicol
Ligação Dipolo – Dipolo ou
Dipolo – Dipolo Permanente
22
A ligação Dipolo – Dipolo Permanente
ocorre em moléculas polares, de modo que
o polo negativo de uma molécula atrai o polo
positivo da outra molécula.
Observe o exemplo
23
Ligação Dipolo – Dipolo
Outros exemplos:
HBr, HI, H2S, H2Se, CO, SO2
Dipolo Instantâneo – Dipolo – Induzido ou
Forças de Van der Waals
24
A ligação Dipolo Instantâneo – Dipolo –
Induzido ocorre entre moléculas Apolares ou
entre átomos de gases nobres, quando por
um motivo qualquer ocorre uma assimetria na
nuvem eletrônica gerando um dipolo que
induz as demais moléculas ou átomos a
também formarem dipolos.
Exemplos
25
H2, O2, N2, CO2, CH4, He, Ne, Ar
26
Molécula
Polar
Tem H
diretamente
ligado a FON
Não tem H
diretamente
ligado a FON
Apolar
Ligações de
Hidrogênio
Dipolo
permanente –
Dipolo
permanente
Dipolo
instantâneo
– Dipolo
induzido
Resumo das Forças Intermoleculares
27
(Udesc 2012) As principais forças intermoleculares
presentes na mistura de cloreto de sódio em água; na
substância acetona e na mistura de etanol em água são,
respectivamente:
a) dipolo-dipolo; dipolo-dipolo; ligação de hidrogênio.
b) dipolo-dipolo; íon-dipolo; ligação de hidrogênio.
c) ligação de hidrogênio; íon-dipolo; dipolo-dipolo.
d) íon-dipolo; dipolo-dipolo; ligação de hidrogênio.
e) íon-dipolo; ligação de hidrogênio; dipolo-dipolo.
Reposta:[D]
NaCl em água. Os íons provenientes da dissociação do sal
interagem com dipolos permanentes presentes em
moléculas de água. Portanto, temos a interação íon-dipolo.
Acetona em água. A acetona é uma molécula polar, que
interage com moléculas de água por meio de forças dipolo-
dipolo.
Etanol em água. Devido à presença do grupo hidroxila,
tanto na água quanto no etanol. Observa-se o predomínio
de ligações de hidrogênio intermoleculares.
Força relativa das Interações
Intermoleculares
29
Dipolo
Instantâneo –
Dipolo –
Induzido ou
Forças de Van
der Waals
Dipolo –
Dipolo
Permanente
ou
Dipolo - Dipolo
Ligação de
Hidrogênio
ou Ponte de
Hidrogênio
< <
Forças Intermoleculares e
Ponto de Ebulição
30
Quanto mais
forte a atração
entre as
moléculas
Maior a
quantidade de
energia
necessária
para
separá-las
Maior a
temperatura
de ebulição
31
Dois fatores influem na TE
A)Tipo de Força Intermolecular:
Quanto mais intensas as atrações
intermoleculares, maior a sua TE.
B) O tamanho ou Massa Molecular:
Para substâncias que apresentam o mesmo tipo de
ligação intermolecular, quanto maior o tamanho ou
massa molecular, maior a sua TE.
32
Observe que as
moléculas de H2O( VIA) e
de HF( VIIA), possuem
maior PE, pois
apresentam ponte de
hidrogênio.
O Aumento do PE das
outras substâncias é
devido ao aumento
tamanho ou da massa
molecular.
Ligações Intermoleculares e Pontos de Ebulução
Influência das Ligações Intermoleculares
nos Pontos de Ebulução
33
Por que o Ponto de ebulição da água é anormalmente maior,
quando comparado aos outro hidretos da Família VIA?
Hidreto Massa
Molecular
TE (oC)
H2O 18 100
H2S 34 -60
H2Se 81 -42
H2Te 130 -2
Influência das Ligações Intermoleculares
nos Pontos de Ebulição
34
Como você explica o aumento do PE dos demais hidretos ( H2S, H2Se, H2Te) ?
Hidreto Massa
Molecular
TE (oC)
H2O 18 100
H2S 34 -60
H2Se 81 -42
H2Te 130 -2
(UFBA/2005)
O que mantém as moléculas unidas nos estados sólido e líquido são as ligações ou
interações intermoleculares. A intensidade dessas interações, bem como o tamanho das
moléculas são fatores determinantes do ponto de ebulição das substâncias moleculares.
(PERUZZO; CANTO, 2002, p.454-455).
Substância
Ponto de
ebulição
( 0oC), a 1 atm
Momento
dipolar da
molécula (D)*
Cl2 - 34 0
I2 184 0
HF 20 1,98
HI -36 0,38
Considerando as informações do texto e os dados da tabela, identifique as interações
intermoleculares que ocorrem nos halógenos (Cl2 e I2) e nos haletos de hidrogênio (HF e
HI), na fase líquida, relacionando-as com os diferentes pontos de ebulição entre esses
halógenos e entre esses haletos de hidrogênio.
RESOLUÇÃO
De acordo com os dados da tabela, as moléculas de Cl2 e I2, são
apolares, pois apresentam momento dipolo igual a zero. As forças
intermoleculares entre essas moléculas são dipolo intantâneo –
dipolo induzido, logo, o maior ponto de ebulição do I2 em relação ao
Cl2, é que o primeiro apresenta maior tamanho(massa molecular).
Já no caso dos haletos de hidrogênio o fator responsável pelo maior
ponto de ebulição do HF(1,98D) é a sua maior polaridade em
relação ao HI( 0,38D), conforme indicado pelos valores de momento
dipolo na tabela. Esta maior polaridade da molécula de HF, implica
numa maior força de atração entre suas moléculas, justificando
portanto o seu maior PE em relação ao HI. Quanto as ligações
intermoleculares o HF apresenta ligações ou ponte de hidrogênio e
as moléculas de HI intergem por dipolo – dipolo.
37
Fonte: Química Geral – Volume Único, Usberco e Salvador, pg. 122

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDOEzequias Guimaraes
 
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Aula   polaridade,  geometria molecular e forças intermolecularesAula   polaridade,  geometria molecular e forças intermoleculares
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermolecularesProfª Alda Ernestina
 
4 interacoes-moleculares
4 interacoes-moleculares4 interacoes-moleculares
4 interacoes-molecularesFisica-Quimica
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICARELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICAEzequias Guimaraes
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimicaLiana Maia
 
Solubilidade e Miscibilidade
Solubilidade e MiscibilidadeSolubilidade e Miscibilidade
Solubilidade e MiscibilidadeAlex Junior
 
Forças intermoleculares[1]
Forças intermoleculares[1]Forças intermoleculares[1]
Forças intermoleculares[1]Regina Correia
 
Reações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de EliminaçãoReações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de EliminaçãoJosé Nunes da Silva Jr.
 
Reações orgânicas
Reações orgânicasReações orgânicas
Reações orgânicasparamore146
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsThiago
 
Ligações interatômicas
Ligações interatômicasLigações interatômicas
Ligações interatômicasdianalove15
 
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicosPropriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicosFernanda Cordeiro
 
Geometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecularGeometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecularIsabella Silva
 
Solubilidade e Miscibilidade - Relatório
Solubilidade e Miscibilidade - RelatórioSolubilidade e Miscibilidade - Relatório
Solubilidade e Miscibilidade - RelatórioGabriela Begalli
 

Mais procurados (20)

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Aula   polaridade,  geometria molecular e forças intermolecularesAula   polaridade,  geometria molecular e forças intermoleculares
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
 
4 interacoes-moleculares
4 interacoes-moleculares4 interacoes-moleculares
4 interacoes-moleculares
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICARELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
 
Concentração das soluções
Concentração  das soluçõesConcentração  das soluções
Concentração das soluções
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
 
Solubilidade e Miscibilidade
Solubilidade e MiscibilidadeSolubilidade e Miscibilidade
Solubilidade e Miscibilidade
 
Projeções de newman
Projeções de newmanProjeções de newman
Projeções de newman
 
Aula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicasAula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicas
 
Relatório exp. 01
Relatório exp. 01Relatório exp. 01
Relatório exp. 01
 
Forças intermoleculares[1]
Forças intermoleculares[1]Forças intermoleculares[1]
Forças intermoleculares[1]
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
 
Reações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de EliminaçãoReações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
 
Reações orgânicas
Reações orgânicasReações orgânicas
Reações orgânicas
 
Polaridade
PolaridadePolaridade
Polaridade
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
 
Ligações interatômicas
Ligações interatômicasLigações interatômicas
Ligações interatômicas
 
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicosPropriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
 
Geometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecularGeometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecular
 
Solubilidade e Miscibilidade - Relatório
Solubilidade e Miscibilidade - RelatórioSolubilidade e Miscibilidade - Relatório
Solubilidade e Miscibilidade - Relatório
 

Semelhante a Ligaã§ã£o intermolecular

Apostila Interações Moleculares
Apostila Interações MolecularesApostila Interações Moleculares
Apostila Interações MolecularesLucas Forlin
 
Bioquimica. agua
Bioquimica. aguaBioquimica. agua
Bioquimica. aguaNaisa Leal
 
Livro de bioquímica cap. 1 - 3
Livro de bioquímica cap. 1 - 3Livro de bioquímica cap. 1 - 3
Livro de bioquímica cap. 1 - 3Felipe Cavalcante
 
Resumo - Soluções aquosas, pH e sistemas tampão.pdf
Resumo - Soluções aquosas, pH e sistemas tampão.pdfResumo - Soluções aquosas, pH e sistemas tampão.pdf
Resumo - Soluções aquosas, pH e sistemas tampão.pdfMariaLuizaRolimBezer
 
Livro introdução à bioquimica básica
Livro   introdução à bioquimica básicaLivro   introdução à bioquimica básica
Livro introdução à bioquimica básicaleandro carrera
 
Forças intermoleculares e propriedades físicas
Forças intermoleculares e propriedades físicasForças intermoleculares e propriedades físicas
Forças intermoleculares e propriedades físicasAlda Ernestina dos Santos
 
Geoquímica das águas usp
Geoquímica das águas   uspGeoquímica das águas   usp
Geoquímica das águas uspBruno Martins
 
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARESREVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARESRodrigo Sampaio
 
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da aguaBiofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da aguaMarcelo Silva
 
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptxMayraFonseca11
 
Quimicageral ii fisqui2_pucrs
Quimicageral ii fisqui2_pucrsQuimicageral ii fisqui2_pucrs
Quimicageral ii fisqui2_pucrsadalberto miran
 
Características Físicas e Químicas da Água.pdf
Características Físicas e Químicas da Água.pdfCaracterísticas Físicas e Químicas da Água.pdf
Características Físicas e Químicas da Água.pdflucasjunges3
 
Lista 38 forças intermoleculares
Lista 38   forças intermolecularesLista 38   forças intermoleculares
Lista 38 forças intermolecularesColegio CMC
 

Semelhante a Ligaã§ã£o intermolecular (20)

áGua
áGuaáGua
áGua
 
Apostila Interações Moleculares
Apostila Interações MolecularesApostila Interações Moleculares
Apostila Interações Moleculares
 
Bioquimica. agua
Bioquimica. aguaBioquimica. agua
Bioquimica. agua
 
Relacoes hidricas
Relacoes hidricasRelacoes hidricas
Relacoes hidricas
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Fisiologia vegetal
 
Relações hídricas
Relações hídricasRelações hídricas
Relações hídricas
 
Livro de bioquímica cap. 1 - 3
Livro de bioquímica cap. 1 - 3Livro de bioquímica cap. 1 - 3
Livro de bioquímica cap. 1 - 3
 
Resumo - Soluções aquosas, pH e sistemas tampão.pdf
Resumo - Soluções aquosas, pH e sistemas tampão.pdfResumo - Soluções aquosas, pH e sistemas tampão.pdf
Resumo - Soluções aquosas, pH e sistemas tampão.pdf
 
Iii relacoes hidricas
Iii relacoes hidricasIii relacoes hidricas
Iii relacoes hidricas
 
Livro introdução à bioquimica básica
Livro   introdução à bioquimica básicaLivro   introdução à bioquimica básica
Livro introdução à bioquimica básica
 
Forças intermoleculares e propriedades físicas
Forças intermoleculares e propriedades físicasForças intermoleculares e propriedades físicas
Forças intermoleculares e propriedades físicas
 
Geoquímica das águas usp
Geoquímica das águas   uspGeoquímica das águas   usp
Geoquímica das águas usp
 
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARESREVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
 
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da aguaBiofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
 
Bioquimica completo
Bioquimica completoBioquimica completo
Bioquimica completo
 
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
 
Quimicageral ii fisqui2_pucrs
Quimicageral ii fisqui2_pucrsQuimicageral ii fisqui2_pucrs
Quimicageral ii fisqui2_pucrs
 
Apostila de química 2 col
Apostila de química  2 colApostila de química  2 col
Apostila de química 2 col
 
Características Físicas e Químicas da Água.pdf
Características Físicas e Químicas da Água.pdfCaracterísticas Físicas e Químicas da Água.pdf
Características Físicas e Químicas da Água.pdf
 
Lista 38 forças intermoleculares
Lista 38   forças intermolecularesLista 38   forças intermoleculares
Lista 38 forças intermoleculares
 

Mais de Augusto Sérgio Costa Souza (14)

Alotropia abordagem para o enem
Alotropia abordagem para o enemAlotropia abordagem para o enem
Alotropia abordagem para o enem
 
Ligações covalentes
Ligações covalentesLigações covalentes
Ligações covalentes
 
Polaridade e solubilidade atualizada
Polaridade e solubilidade atualizadaPolaridade e solubilidade atualizada
Polaridade e solubilidade atualizada
 
Ligaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licasLigaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licas
 
Ligaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licasLigaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licas
 
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicasAula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
 
Propriedades periódicas
Propriedades periódicas Propriedades periódicas
Propriedades periódicas
 
Mol a unidade da química
Mol a unidade da químicaMol a unidade da química
Mol a unidade da química
 
Mol a unidade da química
Mol a unidade da químicaMol a unidade da química
Mol a unidade da química
 
Aula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódicaAula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódica
 
Aula sobre estado gasoso
Aula sobre estado gasosoAula sobre estado gasoso
Aula sobre estado gasoso
 
Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Leis ponderais
 
01. substâncias e misturas
01. substâncias e misturas01. substâncias e misturas
01. substâncias e misturas
 
Aula 3. estrutura atômica
Aula 3. estrutura atômicaAula 3. estrutura atômica
Aula 3. estrutura atômica
 

Ligaã§ã£o intermolecular

  • 3. Estas respostas você encontrará no estudo das ... • Na ebulição da água ocorre quebra das ligações interatômicas ou intermoleculares? • Por que os insetos planam na água? • Por que o gelo flutua na água? • O que o uso cremes hidratantes tem a ver com as ligações intermoleculares? 3 Questões Chaves
  • 4. 4 Vocês sabem o que faz as moléculas ficarem mais unidas no estado sólido que no estado líquido ou gasoso?
  • 5. 5 Tipos de Ligações Intermoleculares Ligações ou Pontes de Hidrogênio Dipolo – dipolo permanente Dipolo instantâneo – dipolo induzido ou ligações de Van der Waals
  • 6. Qual é o tipo de interação que existe entre as moléculas de água?
  • 8. 8 Que tipo de interação é quebrada durante a ebulição da água? Ligações de Hidrogênio
  • 9. 9 Durante a ebulição não são rompidas ligações interatômicas As moléculas apenas escapam do líquido devido ao rompimento das ligações de hidrogênio
  • 10. Ligação de Hidrogênio ou Ponte de Hidrogênio 10 A ligação de hidrogênio ocorre quando a molécula é polar e possui H ligado a elemento muito eletronegativo ( F, O, N), de forma que o hidrogênio de uma molécula estabelece uma ligação com o átomo muito eletronegativo de outra molécula.
  • 11. Ligação de Hidrogênio 11 δ+ δ- δ+ δ--- -- -- -- -- -- H FON H FON Molécula Molécula Ligação de Hidrogênio
  • 12. Vejam os Exemplos 12 H2O HF NH3 Sacarose CH3CH2OH Etanol
  • 13. Por que a densidade da água é menor no estado sólido? As pontes de hidrogênio deixam muitos espaços vazios entre as moléculas de água no estado sólido, provocando o aumento de seu volume e consequentemente a diminuição da densidade. Lembre-se: d=m/v
  • 14. ÁGUA, MEIO AMBIENTE E TECNOLOGIA A água dos rios, lagos, mares e oceanos ocupa mais de 70% da superfície do planeta. Pela absorção de energia na forma de calor, principalmente a proveniente do sol, parte dessa água evapora, sobe, condensa-se e forma as nuvens, retornando à terra através de chuva ou neve. A água, por ser absorvida pelo solo, chega às plantas que, através da transpiração e respiração, passam-na para a atmosfera. Também os animais contribuem para a circulação da água no ambiente, pois ao ingerirem água, devolvem-na pela respiração e excreção. De forma menos visível, a água ocorre ainda, em grande quantidade, no citoplasma das células e nos demais fluidos biológicos onde regula a temperatura e atua como solvente universal nas reações químicas e biológicas. Por estar a água relacionada à maioria das ações que ocorrem na natureza, é ela também a responsável, muitas vezes, por problemas ambientais. Os processos tecnológicos de geração de energia são fontes importantes de impactos ambientais. A queima de combustíveis derivados de petróleo, como a gasolina e o óleo diesel, lança, na atmosfera, grandes quantidades de dióxido de carbono, um dos gases responsáveis pelo efeito estufa. É, pois, relevante que nos interessemos pela água que, paradoxalmente, é fonte de vida e veículo de poluição.
  • 15. 15 (Ufsm 2004) Ao contrário da maioria das substâncias, a densidade da água diminui à pressão constante, quando ela se congela, sendo bastante familiar a imagem de cubos de gelo flutuando em água. Analise as afirmativas: I - Há aumento de volume quando o gelo se forma. II - A estrutura menos densa ocorre devido à formação de pontes de hidrogênio. III - As pontes de hidrogênio são consequência das interações de dipolo induzido do oxigênio e dipolo permanente do hidrogênio. Está(ão) correta(s) a) apenas I. b) apenas II. c) apenas III. d) apenas I e II. e) apenas II e III.
  • 16. Ponte de Hidrogênio nas moléculas Fluoreto de Hidrogênio 16 H F H F
  • 17. Ponte de Hidrogênio nas moléculas Fluoreto de Hidrogênio 17 N H H H N H H H
  • 18. Qual o mecanismo de ação dos hidratantes e nossa pele? A QUÍMICA NO CONTEXTO
  • 19. H2C CH CH2 OH OH OH O H H O H H GLICERINA ( Composição dos hidratantes) PONTES DE HIDROGÊNIO
  • 20. Veja agora uma questão do ENEM envolvendo este assunto
  • 21. (Enem 2011) A pele humana, quando está bem hidratada, adquire boa elasticidade e aspecto macio e suave. Em contrapartida, quando está ressecada, perde sua elasticidade e se apresenta opaca e áspera. Para evitar o ressecamento da pele é necessário, sempre que possível, utilizar hidratantes umectantes, feitos geralmente à base de glicerina e polietilenoglicol: Disponível em: http://www.brasilescola.com. Acesso em: 23 abr. 2010 (adaptado). A retenção de água na superfície da pele promovida pelos hidratantes é consequência da interação dos grupos hidroxila dos agentes umectantes com a umidade contida no ambiente por meio de a) ligações iônicas. b) forças de London. c) ligações covalentes. d) forças dipolo-dipolo. e) ligações de hidrogênio. 2 2 2 2 2 2n HO CH CH O CH CH O CH CH O H polietilenoglicol
  • 22. Ligação Dipolo – Dipolo ou Dipolo – Dipolo Permanente 22 A ligação Dipolo – Dipolo Permanente ocorre em moléculas polares, de modo que o polo negativo de uma molécula atrai o polo positivo da outra molécula.
  • 23. Observe o exemplo 23 Ligação Dipolo – Dipolo Outros exemplos: HBr, HI, H2S, H2Se, CO, SO2
  • 24. Dipolo Instantâneo – Dipolo – Induzido ou Forças de Van der Waals 24 A ligação Dipolo Instantâneo – Dipolo – Induzido ocorre entre moléculas Apolares ou entre átomos de gases nobres, quando por um motivo qualquer ocorre uma assimetria na nuvem eletrônica gerando um dipolo que induz as demais moléculas ou átomos a também formarem dipolos.
  • 25. Exemplos 25 H2, O2, N2, CO2, CH4, He, Ne, Ar
  • 26. 26 Molécula Polar Tem H diretamente ligado a FON Não tem H diretamente ligado a FON Apolar Ligações de Hidrogênio Dipolo permanente – Dipolo permanente Dipolo instantâneo – Dipolo induzido Resumo das Forças Intermoleculares
  • 27. 27 (Udesc 2012) As principais forças intermoleculares presentes na mistura de cloreto de sódio em água; na substância acetona e na mistura de etanol em água são, respectivamente: a) dipolo-dipolo; dipolo-dipolo; ligação de hidrogênio. b) dipolo-dipolo; íon-dipolo; ligação de hidrogênio. c) ligação de hidrogênio; íon-dipolo; dipolo-dipolo. d) íon-dipolo; dipolo-dipolo; ligação de hidrogênio. e) íon-dipolo; ligação de hidrogênio; dipolo-dipolo.
  • 28. Reposta:[D] NaCl em água. Os íons provenientes da dissociação do sal interagem com dipolos permanentes presentes em moléculas de água. Portanto, temos a interação íon-dipolo. Acetona em água. A acetona é uma molécula polar, que interage com moléculas de água por meio de forças dipolo- dipolo. Etanol em água. Devido à presença do grupo hidroxila, tanto na água quanto no etanol. Observa-se o predomínio de ligações de hidrogênio intermoleculares.
  • 29. Força relativa das Interações Intermoleculares 29 Dipolo Instantâneo – Dipolo – Induzido ou Forças de Van der Waals Dipolo – Dipolo Permanente ou Dipolo - Dipolo Ligação de Hidrogênio ou Ponte de Hidrogênio < <
  • 30. Forças Intermoleculares e Ponto de Ebulição 30 Quanto mais forte a atração entre as moléculas Maior a quantidade de energia necessária para separá-las Maior a temperatura de ebulição
  • 31. 31 Dois fatores influem na TE A)Tipo de Força Intermolecular: Quanto mais intensas as atrações intermoleculares, maior a sua TE. B) O tamanho ou Massa Molecular: Para substâncias que apresentam o mesmo tipo de ligação intermolecular, quanto maior o tamanho ou massa molecular, maior a sua TE.
  • 32. 32 Observe que as moléculas de H2O( VIA) e de HF( VIIA), possuem maior PE, pois apresentam ponte de hidrogênio. O Aumento do PE das outras substâncias é devido ao aumento tamanho ou da massa molecular. Ligações Intermoleculares e Pontos de Ebulução
  • 33. Influência das Ligações Intermoleculares nos Pontos de Ebulução 33 Por que o Ponto de ebulição da água é anormalmente maior, quando comparado aos outro hidretos da Família VIA? Hidreto Massa Molecular TE (oC) H2O 18 100 H2S 34 -60 H2Se 81 -42 H2Te 130 -2
  • 34. Influência das Ligações Intermoleculares nos Pontos de Ebulição 34 Como você explica o aumento do PE dos demais hidretos ( H2S, H2Se, H2Te) ? Hidreto Massa Molecular TE (oC) H2O 18 100 H2S 34 -60 H2Se 81 -42 H2Te 130 -2
  • 35. (UFBA/2005) O que mantém as moléculas unidas nos estados sólido e líquido são as ligações ou interações intermoleculares. A intensidade dessas interações, bem como o tamanho das moléculas são fatores determinantes do ponto de ebulição das substâncias moleculares. (PERUZZO; CANTO, 2002, p.454-455). Substância Ponto de ebulição ( 0oC), a 1 atm Momento dipolar da molécula (D)* Cl2 - 34 0 I2 184 0 HF 20 1,98 HI -36 0,38 Considerando as informações do texto e os dados da tabela, identifique as interações intermoleculares que ocorrem nos halógenos (Cl2 e I2) e nos haletos de hidrogênio (HF e HI), na fase líquida, relacionando-as com os diferentes pontos de ebulição entre esses halógenos e entre esses haletos de hidrogênio.
  • 36. RESOLUÇÃO De acordo com os dados da tabela, as moléculas de Cl2 e I2, são apolares, pois apresentam momento dipolo igual a zero. As forças intermoleculares entre essas moléculas são dipolo intantâneo – dipolo induzido, logo, o maior ponto de ebulição do I2 em relação ao Cl2, é que o primeiro apresenta maior tamanho(massa molecular). Já no caso dos haletos de hidrogênio o fator responsável pelo maior ponto de ebulição do HF(1,98D) é a sua maior polaridade em relação ao HI( 0,38D), conforme indicado pelos valores de momento dipolo na tabela. Esta maior polaridade da molécula de HF, implica numa maior força de atração entre suas moléculas, justificando portanto o seu maior PE em relação ao HI. Quanto as ligações intermoleculares o HF apresenta ligações ou ponte de hidrogênio e as moléculas de HI intergem por dipolo – dipolo.
  • 37. 37 Fonte: Química Geral – Volume Único, Usberco e Salvador, pg. 122