SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Soluções e Solubilidade
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
 Introdução
O que são Soluções?
É uma mistura homogênea composta de dois ou mais componentes que
consiste de:
Soluto  componente que se apresenta em menor quantidade. É a
substância que se dissolve no solvente.
Solvente  componente da solução que se apresenta em maior
quantidade. Frequentemente, mas não necessariamente, ele é a
água, o que caracteriza uma solução aquosa.
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
Quanto ao estado de agregação
Solução Soluto Solvente Exemplo
Sólida
Sólido Sólido Liga metálica Cu – Ni
Líquido Sólido Hg em Cu (amálgama de cobre)
Gasoso Sólido gás hidrogênio dissolvido em Ni
Líquida
Sólido Líquido NaCl em água
Líquido
líquido Álcool em água
Gasoso
Líquido
CO2 dissolvido em água
Gasosa
Sólido
Gasoso
Poeira no ar atmosférico
Líquido
Gasoso
Água no ar atmosférico
Gasoso
Gasoso
Ar atmosférico
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
Quanto à natureza do soluto as soluções são
classificadas em
São aquelas em que o soluto é um composto iônico.
Exemplo: água + sal de cozinha.
NaCl + H2O  Na+
+ Cl-
São aquelas em que o soluto é um composto molecular.
Exemplo: água + açúcar
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
1L de água
a 0°C
1L de água
a 0°C
1L de água
a 0°C
357 g de NaCl
Solubilidade e Curva deSolubilidade e Curva de
SolubilidadeSolubilidade
Fenômeno da Saturação da soluçãoFenômeno da Saturação da solução
200 g de NaCl
400 g de NaCl
Saturada Supersaturada
(precipitado)
insaturada
Toda substância se dissolve a substâncias semelhantes a ela.
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
Curvas de Solubilidade
CS
(g/100g de água)
Comportamento
normal
Comportamento
anormal
CS1
T1
T°C
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
Exemplo:
1) Observe a figura que representa a solução, em g por 100 mL de H2SO4, de
3 sais inorgânicos em determinadas faixas de temperatura. Diga qual o sal
que possui maior solubilidade em relação a temperatura.
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
2) Considerando o gráfico abaixo, adiciona-se, separadamente, 40 g de cada
um dos sais em 100 g de H2O. A temperatura de 40 ºC, que sais são
totalmente dissolvidos em água?
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
3) Seis soluções aquosas de (NaNO3), numeradas de I a VI, foram
preparadas, em diferentes temperaturas, dissolvendo-se diferentes massas de
NaNO3 em 100 g de água. Em alguns casos, o NaNO3 não se dissolveu
completamente. O gráfico abaixo representa a curva de solubilidade de
NaNO3 em função da temperatura. A partir da análise do gráfico, quis pontos
precipitaram?
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
1) Calcule a concentração, em g/L, de uma solução de nitrato de
potássio, sabendo que ela encerra 60 g de sal em 300 cm³ de
solução.
2) O oxalato de cálcio (CaC2O4), é encontrado nas folhas de
espinafre, nas sementes de tomate, e é um dos constituintes das
pedras formadas nos rins. Uma amostra de 25 cm³ de uma
solução aquosa de oxalato contém 0,2625 g desse sal. Qual é a
concentração comum de CaC2O4 nessa solução? (Massas
atômicas: C =12; O =16; Ca = 40 u).
3) Qual a massa dos íons Na+ existentes em 200 mL de solução de
NaOH de concentração igual a 80 g/L?
Exemplo
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
Título ( t ), porcentagem em massa (g/g %)
ou Volume (V/V %)
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
1) Uma solução contém 8 g de NaCl e 42 g de H2O. Qual o
titulo em massa da solução?
2) Quantos gramas de H2O são necessários, a fim de se
preparar uma solução, a 20% em peso, usando 80 g de
soluto?
3) Uma solução de densidade igual a 1,2 g/mL é formada
pela dissolução de 10 g de um sal e 290 g de H2O. Qual
a concentração, em g/L, desse sal?
Exemplo
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
Concentração Molar ou Molaridade ( M )
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
 2) Calcule a concentração molar de uma solução que
foi preparada dissolvendo-se 36g de glicose (C6
H12
O6
)
em água suficiente para produzir 250ml de solução.
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
Diluição de soluções: adicionar a ela uma porção do
próprio solvente puro.
DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES
Assim, para uma Concentração
comum e para a Molaridade, tem-se:
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
1) São adicionados 300 mL de água a 200 mL de
solução aquosa de NaCl de concentração igual a 50
g/L. Qual a concentração da solução em g/L após a
diluição?
Exemplo
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
Mistura de Soluções
A mistura de soluções é feita normalmente no
cotidiano.
Exemplos:
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
Imaginemos a seguinte situação:
Mistura de Soluções sem Reação Química
Mesmo soluto e solvente
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
Na mistura de soluções formadas por um mesmo
solvente, porém com solutos diferentes, pode ocorrer uma
reação química. Essa possível reação ocorre de acordo com
uma proporção estequiométrica. Assim, permitindo
encontrar a concentração desconhecida de uma solução
por meio de uma técnica, chamada Titulação.
Ponto de Equivalência: nº de mol OH-
= nº de mol H+
Mistura de Soluções Com Reação Química
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
1)Qual será o volume, em mililitros (mL), de uma solução
aquosa de hidróxido de sódio 0,1 mol/L necessários para
neutralizar 25 mL de uma solução aquosa de ácido
clorídrico 0,3 mol/L?
2)Calcule o volume, em litros, de uma solução aquosa de
ácido clorídrico de concentração 1 mol/L necessários para
neutralizar 20 mL de uma solução aquosa de hidróxido de
sódio de concentração 3 mol/L.
Exemplo
PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Soluções Químicas
Soluções QuímicasSoluções Químicas
Soluções Químicas
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Aula termoquímica
Aula termoquímicaAula termoquímica
Aula termoquímica
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
 
01. substâncias e misturas
01. substâncias e misturas01. substâncias e misturas
01. substâncias e misturas
 
Entalpia
EntalpiaEntalpia
Entalpia
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Dispersoes
DispersoesDispersoes
Dispersoes
 
Calculo estequiometrico
Calculo estequiometricoCalculo estequiometrico
Calculo estequiometrico
 
Densidade
DensidadeDensidade
Densidade
 
Solubilidade
SolubilidadeSolubilidade
Solubilidade
 
Equilibrio iônico
Equilibrio iônicoEquilibrio iônico
Equilibrio iônico
 
Aula 9 Mol Quantidade De Materia2
Aula 9   Mol   Quantidade De Materia2Aula 9   Mol   Quantidade De Materia2
Aula 9 Mol Quantidade De Materia2
 
Mol a unidade da química
Mol a unidade da químicaMol a unidade da química
Mol a unidade da química
 
9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria
 
Concentração das soluções
Concentração  das soluçõesConcentração  das soluções
Concentração das soluções
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
 

Destaque

solubilidade e precipitação
solubilidade e precipitaçãosolubilidade e precipitação
solubilidade e precipitaçãoFersay
 
Reacções de precipitacao
Reacções de precipitacaoReacções de precipitacao
Reacções de precipitacaoLuis Pedro
 
Livia Tirone - Iniciativa Construção Sustentável
Livia Tirone - Iniciativa Construção SustentávelLivia Tirone - Iniciativa Construção Sustentável
Livia Tirone - Iniciativa Construção SustentávelConstrução Sustentável
 
Amb g1 nick brand luana alflen, pâmela tisott
Amb g1 nick brand   luana alflen, pâmela tisottAmb g1 nick brand   luana alflen, pâmela tisott
Amb g1 nick brand luana alflen, pâmela tisottLuana Alflen
 
Tema 2 composição química celular - água e sais minerais
Tema 2   composição química celular - água e sais mineraisTema 2   composição química celular - água e sais minerais
Tema 2 composição química celular - água e sais mineraisGrupo UNIASSELVI
 
A engenharia natural na reabilitação ambiental de áreas degradadas
A engenharia natural na reabilitação ambiental de áreas degradadasA engenharia natural na reabilitação ambiental de áreas degradadas
A engenharia natural na reabilitação ambiental de áreas degradadasLuis Quinta-Nova
 
Apontamentos para físico química
Apontamentos para físico químicaApontamentos para físico química
Apontamentos para físico químicameggy20
 
Aulas de Equilíbrio químico - Parte II
Aulas de Equilíbrio químico - Parte IIAulas de Equilíbrio químico - Parte II
Aulas de Equilíbrio químico - Parte IIiqscquimica
 

Destaque (20)

Aula solubilidade
Aula  solubilidadeAula  solubilidade
Aula solubilidade
 
Solubilidade 2013 csa_v2
Solubilidade 2013 csa_v2Solubilidade 2013 csa_v2
Solubilidade 2013 csa_v2
 
9 solubilidade
9 solubilidade9 solubilidade
9 solubilidade
 
solubilidade e precipitação
solubilidade e precipitaçãosolubilidade e precipitação
solubilidade e precipitação
 
Coeficiente de solubilidade
Coeficiente de solubilidadeCoeficiente de solubilidade
Coeficiente de solubilidade
 
Solubilidade 2014
Solubilidade 2014Solubilidade 2014
Solubilidade 2014
 
"Somos Físicos" Soluções Químicas
"Somos Físicos" Soluções Químicas"Somos Físicos" Soluções Químicas
"Somos Físicos" Soluções Químicas
 
Dispersoes I I I
Dispersoes  I I IDispersoes  I I I
Dispersoes I I I
 
Reacções de precipitacao
Reacções de precipitacaoReacções de precipitacao
Reacções de precipitacao
 
Livia Tirone - Iniciativa Construção Sustentável
Livia Tirone - Iniciativa Construção SustentávelLivia Tirone - Iniciativa Construção Sustentável
Livia Tirone - Iniciativa Construção Sustentável
 
Livia Tirone - Bem Estar
Livia Tirone - Bem EstarLivia Tirone - Bem Estar
Livia Tirone - Bem Estar
 
Amb g1 nick brand luana alflen, pâmela tisott
Amb g1 nick brand   luana alflen, pâmela tisottAmb g1 nick brand   luana alflen, pâmela tisott
Amb g1 nick brand luana alflen, pâmela tisott
 
Tema 2 composição química celular - água e sais minerais
Tema 2   composição química celular - água e sais mineraisTema 2   composição química celular - água e sais minerais
Tema 2 composição química celular - água e sais minerais
 
A engenharia natural na reabilitação ambiental de áreas degradadas
A engenharia natural na reabilitação ambiental de áreas degradadasA engenharia natural na reabilitação ambiental de áreas degradadas
A engenharia natural na reabilitação ambiental de áreas degradadas
 
%C1gua nos alimentos
%C1gua nos alimentos%C1gua nos alimentos
%C1gua nos alimentos
 
Biotransformação
BiotransformaçãoBiotransformação
Biotransformação
 
Apontamentos para físico química
Apontamentos para físico químicaApontamentos para físico química
Apontamentos para físico química
 
Propriedades F Sicas
Propriedades F SicasPropriedades F Sicas
Propriedades F Sicas
 
Aulas de Equilíbrio químico - Parte II
Aulas de Equilíbrio químico - Parte IIAulas de Equilíbrio químico - Parte II
Aulas de Equilíbrio químico - Parte II
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 

Semelhante a Soluções e Solubilidade

Apresentação_solubilidade.pptx
Apresentação_solubilidade.pptxApresentação_solubilidade.pptx
Apresentação_solubilidade.pptxMagdaRafael3
 
3196659 quimica-solucoes
3196659 quimica-solucoes3196659 quimica-solucoes
3196659 quimica-solucoesUm Outro Olhar
 
Dispersões e soluções.pdf
Dispersões e soluções.pdfDispersões e soluções.pdf
Dispersões e soluções.pdfhevertonvaz
 
Soluções - resolução de exercícios
Soluções - resolução de exercíciosSoluções - resolução de exercícios
Soluções - resolução de exercíciosMateusCoelho36
 
AP SOLUÇÕES.PDF
AP SOLUÇÕES.PDFAP SOLUÇÕES.PDF
AP SOLUÇÕES.PDFJoseNeves49
 
2016 aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite
2016   aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite2016   aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite
2016 aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noitepaulomigoto
 
Atv 2º c (solubilidade e concentração)
Atv   2º c (solubilidade e concentração)Atv   2º c (solubilidade e concentração)
Atv 2º c (solubilidade e concentração)Analynne Almeida
 
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptxMayraFonseca11
 

Semelhante a Soluções e Solubilidade (20)

Soluções EEHG
Soluções EEHGSoluções EEHG
Soluções EEHG
 
Apresentação_solubilidade.pptx
Apresentação_solubilidade.pptxApresentação_solubilidade.pptx
Apresentação_solubilidade.pptx
 
3196659 quimica-solucoes
3196659 quimica-solucoes3196659 quimica-solucoes
3196659 quimica-solucoes
 
Dispersões e soluções.pdf
Dispersões e soluções.pdfDispersões e soluções.pdf
Dispersões e soluções.pdf
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
Soluções - resolução de exercícios
Soluções - resolução de exercíciosSoluções - resolução de exercícios
Soluções - resolução de exercícios
 
AP SOLUÇÕES.PDF
AP SOLUÇÕES.PDFAP SOLUÇÕES.PDF
AP SOLUÇÕES.PDF
 
As Soluções
As SoluçõesAs Soluções
As Soluções
 
Ficha 1 soluções
Ficha 1  soluçõesFicha 1  soluções
Ficha 1 soluções
 
2016 aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite
2016   aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite2016   aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite
2016 aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite
 
funções organicas
funções organicasfunções organicas
funções organicas
 
2 ano quimica
2 ano quimica2 ano quimica
2 ano quimica
 
2 ano quimica
2 ano quimica2 ano quimica
2 ano quimica
 
1 Misturas e Soluções
1 Misturas e Soluções1 Misturas e Soluções
1 Misturas e Soluções
 
Quimica solucoes
Quimica solucoesQuimica solucoes
Quimica solucoes
 
solucoes.pdf
solucoes.pdfsolucoes.pdf
solucoes.pdf
 
Estudo das Soluções
Estudo das SoluçõesEstudo das Soluções
Estudo das Soluções
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
Atv 2º c (solubilidade e concentração)
Atv   2º c (solubilidade e concentração)Atv   2º c (solubilidade e concentração)
Atv 2º c (solubilidade e concentração)
 
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
 

Último

música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfWALDIRENEPINTODEMACE
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

Soluções e Solubilidade

  • 2.  Introdução O que são Soluções? É uma mistura homogênea composta de dois ou mais componentes que consiste de: Soluto  componente que se apresenta em menor quantidade. É a substância que se dissolve no solvente. Solvente  componente da solução que se apresenta em maior quantidade. Frequentemente, mas não necessariamente, ele é a água, o que caracteriza uma solução aquosa. PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 3. Quanto ao estado de agregação Solução Soluto Solvente Exemplo Sólida Sólido Sólido Liga metálica Cu – Ni Líquido Sólido Hg em Cu (amálgama de cobre) Gasoso Sólido gás hidrogênio dissolvido em Ni Líquida Sólido Líquido NaCl em água Líquido líquido Álcool em água Gasoso Líquido CO2 dissolvido em água Gasosa Sólido Gasoso Poeira no ar atmosférico Líquido Gasoso Água no ar atmosférico Gasoso Gasoso Ar atmosférico PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 4. Quanto à natureza do soluto as soluções são classificadas em São aquelas em que o soluto é um composto iônico. Exemplo: água + sal de cozinha. NaCl + H2O  Na+ + Cl- São aquelas em que o soluto é um composto molecular. Exemplo: água + açúcar PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 5. 1L de água a 0°C 1L de água a 0°C 1L de água a 0°C 357 g de NaCl Solubilidade e Curva deSolubilidade e Curva de SolubilidadeSolubilidade Fenômeno da Saturação da soluçãoFenômeno da Saturação da solução 200 g de NaCl 400 g de NaCl Saturada Supersaturada (precipitado) insaturada Toda substância se dissolve a substâncias semelhantes a ela. PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 6. Curvas de Solubilidade CS (g/100g de água) Comportamento normal Comportamento anormal CS1 T1 T°C PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 7. Exemplo: 1) Observe a figura que representa a solução, em g por 100 mL de H2SO4, de 3 sais inorgânicos em determinadas faixas de temperatura. Diga qual o sal que possui maior solubilidade em relação a temperatura. PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 8. 2) Considerando o gráfico abaixo, adiciona-se, separadamente, 40 g de cada um dos sais em 100 g de H2O. A temperatura de 40 ºC, que sais são totalmente dissolvidos em água? PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 9. 3) Seis soluções aquosas de (NaNO3), numeradas de I a VI, foram preparadas, em diferentes temperaturas, dissolvendo-se diferentes massas de NaNO3 em 100 g de água. Em alguns casos, o NaNO3 não se dissolveu completamente. O gráfico abaixo representa a curva de solubilidade de NaNO3 em função da temperatura. A partir da análise do gráfico, quis pontos precipitaram? PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 11. 1) Calcule a concentração, em g/L, de uma solução de nitrato de potássio, sabendo que ela encerra 60 g de sal em 300 cm³ de solução. 2) O oxalato de cálcio (CaC2O4), é encontrado nas folhas de espinafre, nas sementes de tomate, e é um dos constituintes das pedras formadas nos rins. Uma amostra de 25 cm³ de uma solução aquosa de oxalato contém 0,2625 g desse sal. Qual é a concentração comum de CaC2O4 nessa solução? (Massas atômicas: C =12; O =16; Ca = 40 u). 3) Qual a massa dos íons Na+ existentes em 200 mL de solução de NaOH de concentração igual a 80 g/L? Exemplo PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 12. Título ( t ), porcentagem em massa (g/g %) ou Volume (V/V %) PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 13. 1) Uma solução contém 8 g de NaCl e 42 g de H2O. Qual o titulo em massa da solução? 2) Quantos gramas de H2O são necessários, a fim de se preparar uma solução, a 20% em peso, usando 80 g de soluto? 3) Uma solução de densidade igual a 1,2 g/mL é formada pela dissolução de 10 g de um sal e 290 g de H2O. Qual a concentração, em g/L, desse sal? Exemplo PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 14. Concentração Molar ou Molaridade ( M ) PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 15.  2) Calcule a concentração molar de uma solução que foi preparada dissolvendo-se 36g de glicose (C6 H12 O6 ) em água suficiente para produzir 250ml de solução. PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 16. Diluição de soluções: adicionar a ela uma porção do próprio solvente puro. DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES Assim, para uma Concentração comum e para a Molaridade, tem-se: PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 17. 1) São adicionados 300 mL de água a 200 mL de solução aquosa de NaCl de concentração igual a 50 g/L. Qual a concentração da solução em g/L após a diluição? Exemplo PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 18. Mistura de Soluções A mistura de soluções é feita normalmente no cotidiano. Exemplos: PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 19. Imaginemos a seguinte situação: Mistura de Soluções sem Reação Química Mesmo soluto e solvente PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 20. Na mistura de soluções formadas por um mesmo solvente, porém com solutos diferentes, pode ocorrer uma reação química. Essa possível reação ocorre de acordo com uma proporção estequiométrica. Assim, permitindo encontrar a concentração desconhecida de uma solução por meio de uma técnica, chamada Titulação. Ponto de Equivalência: nº de mol OH- = nº de mol H+ Mistura de Soluções Com Reação Química PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.
  • 22. 1)Qual será o volume, em mililitros (mL), de uma solução aquosa de hidróxido de sódio 0,1 mol/L necessários para neutralizar 25 mL de uma solução aquosa de ácido clorídrico 0,3 mol/L? 2)Calcule o volume, em litros, de uma solução aquosa de ácido clorídrico de concentração 1 mol/L necessários para neutralizar 20 mL de uma solução aquosa de hidróxido de sódio de concentração 3 mol/L. Exemplo PROFESSORA LUANA SALGUEIRO.