SlideShare uma empresa Scribd logo

01. substâncias e misturas

1 de 73
Baixar para ler offline
01. substâncias e misturas
01. substâncias e misturas
Introdução

O que é que
determina o
estado físico
da matéria?




                       3
Os estados físicos da matéria
                               Sólido                                              Líquido   Gasoso (vapor)
    EDUARDO SANTALIESTRA/CID




                                                        EDUARDO SANTALIESTRA/CID




                                                                                               EDUARDO SANTALIESTRA/CID




                                  Capítulo 2 – Substâncias químicas
Mudanças de estado físico
                             Diminuição de temperatura (a água é resfriada)
Adilson Secco




                              Aumento de temperatura (a água é aquecida)




                   Capítulo 2 – Substâncias químicas
6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Propriedades da matéria
Propriedades da matériaPropriedades da matéria
Propriedades da matéria
 
Transformação da Materia
Transformação da MateriaTransformação da Materia
Transformação da Materia
 
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e BasesAula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
 
Aula 1 Elementos SubstâNcias E Misturas2
Aula 1   Elementos SubstâNcias E Misturas2Aula 1   Elementos SubstâNcias E Misturas2
Aula 1 Elementos SubstâNcias E Misturas2
 
Misturas Químicas
Misturas QuímicasMisturas Químicas
Misturas Químicas
 
Aula radioatividade
Aula radioatividadeAula radioatividade
Aula radioatividade
 
Propriedades da Matéria - Química
Propriedades da Matéria - QuímicaPropriedades da Matéria - Química
Propriedades da Matéria - Química
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Aula termoquímica
Aula termoquímicaAula termoquímica
Aula termoquímica
 
Misturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e HeterogeneasMisturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e Heterogeneas
 
Slide - Aula teórica densidade
Slide - Aula teórica densidadeSlide - Aula teórica densidade
Slide - Aula teórica densidade
 
Aula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicasAula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicas
 
Aula 8 sais e oxidos
Aula 8   sais e oxidosAula 8   sais e oxidos
Aula 8 sais e oxidos
 
Aula funções oxigenadas
Aula  funções oxigenadasAula  funções oxigenadas
Aula funções oxigenadas
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
 

Destaque

Estados físicos da matéria
Estados físicos da matériaEstados físicos da matéria
Estados físicos da matériaCarlos Priante
 
Exercícios de revisão 1ªetapa propriedades_2011_respostas
Exercícios de revisão 1ªetapa propriedades_2011_respostasExercícios de revisão 1ªetapa propriedades_2011_respostas
Exercícios de revisão 1ªetapa propriedades_2011_respostasProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Lista de exerccios
Lista de exercciosLista de exerccios
Lista de exercciosSabrina Abud
 
Os Estados Físicos Da MatéRia
Os Estados Físicos Da MatéRiaOs Estados Físicos Da MatéRia
Os Estados Físicos Da MatéRianunomoita
 
2016 química - separação de misturas (3)
2016   química - separação de misturas (3)2016   química - separação de misturas (3)
2016 química - separação de misturas (3)cezaoo
 
Cartas superelementos [jogo de quimica]
Cartas superelementos [jogo de quimica]Cartas superelementos [jogo de quimica]
Cartas superelementos [jogo de quimica]Manim Edições
 
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturas
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturasQuímica - Estados físicos da matéria e separação de misturas
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturasCláudia Augusto
 
Substâncias e misturas de substâncias
Substâncias e misturas de substânciasSubstâncias e misturas de substâncias
Substâncias e misturas de substânciasIsadora Girio
 
Química trabalho sobre separação de misturas
Química  trabalho sobre separação de misturasQuímica  trabalho sobre separação de misturas
Química trabalho sobre separação de misturasytamara_g22
 

Destaque (20)

Substâncias e misturas | 9 ANO | Quimica
Substâncias e misturas | 9 ANO | QuimicaSubstâncias e misturas | 9 ANO | Quimica
Substâncias e misturas | 9 ANO | Quimica
 
Estados físicos da matéria
Estados físicos da matériaEstados físicos da matéria
Estados físicos da matéria
 
"Somos Físicos" Substâncias e Misturas
"Somos Físicos" Substâncias e Misturas"Somos Físicos" Substâncias e Misturas
"Somos Físicos" Substâncias e Misturas
 
Exercícios de revisão 1ªetapa propriedades_2011_respostas
Exercícios de revisão 1ªetapa propriedades_2011_respostasExercícios de revisão 1ªetapa propriedades_2011_respostas
Exercícios de revisão 1ªetapa propriedades_2011_respostas
 
Lista de exerccios
Lista de exercciosLista de exerccios
Lista de exerccios
 
Os Estados Físicos Da MatéRia
Os Estados Físicos Da MatéRiaOs Estados Físicos Da MatéRia
Os Estados Físicos Da MatéRia
 
2016 química - separação de misturas (3)
2016   química - separação de misturas (3)2016   química - separação de misturas (3)
2016 química - separação de misturas (3)
 
Mol a unidade da química
Mol a unidade da químicaMol a unidade da química
Mol a unidade da química
 
Ligaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licasLigaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licas
 
Cartas superelementos [jogo de quimica]
Cartas superelementos [jogo de quimica]Cartas superelementos [jogo de quimica]
Cartas superelementos [jogo de quimica]
 
Ligaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licasLigaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licas
 
Lista 1 - 2015
Lista 1 - 2015Lista 1 - 2015
Lista 1 - 2015
 
Aula sobre estado gasoso
Aula sobre estado gasosoAula sobre estado gasoso
Aula sobre estado gasoso
 
Ligaã§ã£o intermolecular
Ligaã§ã£o intermolecularLigaã§ã£o intermolecular
Ligaã§ã£o intermolecular
 
Alotropia abordagem para o enem
Alotropia abordagem para o enemAlotropia abordagem para o enem
Alotropia abordagem para o enem
 
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturas
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturasQuímica - Estados físicos da matéria e separação de misturas
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturas
 
Substâncias e misturas de substâncias
Substâncias e misturas de substânciasSubstâncias e misturas de substâncias
Substâncias e misturas de substâncias
 
Aula 2 Estrutura Do Atomo2
Aula 2   Estrutura Do Atomo2Aula 2   Estrutura Do Atomo2
Aula 2 Estrutura Do Atomo2
 
9 ano | Profª Shirley | substâncias e misturas
9 ano  | Profª Shirley | substâncias e misturas9 ano  | Profª Shirley | substâncias e misturas
9 ano | Profª Shirley | substâncias e misturas
 
Química trabalho sobre separação de misturas
Química  trabalho sobre separação de misturasQuímica  trabalho sobre separação de misturas
Química trabalho sobre separação de misturas
 

Semelhante a 01. substâncias e misturas

Semelhante a 01. substâncias e misturas (20)

Mudanças de fase 03
Mudanças de fase 03Mudanças de fase 03
Mudanças de fase 03
 
Estados físicos
Estados físicosEstados físicos
Estados físicos
 
Vaporização
VaporizaçãoVaporização
Vaporização
 
8a SéRie IntroduçãO QuíMica Ii
8a SéRie   IntroduçãO QuíMica Ii8a SéRie   IntroduçãO QuíMica Ii
8a SéRie IntroduçãO QuíMica Ii
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Calorimetria aula 1
Calorimetria   aula 1Calorimetria   aula 1
Calorimetria aula 1
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
 
9 ano mudanças de estado físico
9 ano mudanças de estado físico9 ano mudanças de estado físico
9 ano mudanças de estado físico
 
Calorimetria 2
Calorimetria 2Calorimetria 2
Calorimetria 2
 
Calorimetria 2
Calorimetria 2Calorimetria 2
Calorimetria 2
 
Fisica 2 exercicios gabarito 04
Fisica 2 exercicios gabarito 04Fisica 2 exercicios gabarito 04
Fisica 2 exercicios gabarito 04
 
Fisica 1EM 2BIM
Fisica 1EM 2BIM Fisica 1EM 2BIM
Fisica 1EM 2BIM
 
Slide sobre termometria
Slide sobre termometriaSlide sobre termometria
Slide sobre termometria
 
Termologia ii
Termologia iiTermologia ii
Termologia ii
 
Dilatação
DilataçãoDilatação
Dilatação
 
Termometria-aula-1.ppt
Termometria-aula-1.pptTermometria-aula-1.ppt
Termometria-aula-1.ppt
 
Aula 8
Aula 8Aula 8
Aula 8
 
8 fervendo aos 60 c
8 fervendo aos 60 c8 fervendo aos 60 c
8 fervendo aos 60 c
 
Calorimetria calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Calorimetria  calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...Calorimetria  calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Calorimetria calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
 

Mais de Augusto Sérgio Costa Souza (7)

Ligações covalentes
Ligações covalentesLigações covalentes
Ligações covalentes
 
Polaridade e solubilidade atualizada
Polaridade e solubilidade atualizadaPolaridade e solubilidade atualizada
Polaridade e solubilidade atualizada
 
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicasAula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
 
Propriedades periódicas
Propriedades periódicas Propriedades periódicas
Propriedades periódicas
 
Mol a unidade da química
Mol a unidade da químicaMol a unidade da química
Mol a unidade da química
 
Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Leis ponderais
 
Aula 3. estrutura atômica
Aula 3. estrutura atômicaAula 3. estrutura atômica
Aula 3. estrutura atômica
 

01. substâncias e misturas

  • 3. Introdução O que é que determina o estado físico da matéria? 3
  • 4. Os estados físicos da matéria Sólido Líquido Gasoso (vapor) EDUARDO SANTALIESTRA/CID EDUARDO SANTALIESTRA/CID EDUARDO SANTALIESTRA/CID Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 5. Mudanças de estado físico Diminuição de temperatura (a água é resfriada) Adilson Secco Aumento de temperatura (a água é aquecida) Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 6. 6
  • 7. (UFRN/2006) O modelo abaixo representa processos de mudanças de estado físico para uma substância pura. V IV III sistema a sistema b sistema c I II Assinale a opção correta. a) Os processos I e II denominam-se, respectivamente, condensação e fusão. b) Os processos II e III ocorrem a temperaturas diferentes. c) Os processos III e IV ocorrem com variação de temperatura. d)Os processos IV e V denominam-se, respectivamente, vaporização e sublimação. 7
  • 8. Curvas de aquecimento da água pura Início da fusão (0 ºC) Temp. (ºC) Até a seta azul só existe gelo (sólido), cuja temperatura está aumentando. PF = 0 ºC Gelo Temperatura Durante o aquecimento a de fusão água sofre fusão a 0 ºC. ADILSON SECCO Tempo Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 9. Curvas de aquecimento da água pura Temp. (ºC) Trecho de fusão: coexistem gelo e água em temperatura constante (0 ºC). Início Fim Gelo + Água PF = 0 ºC Temperatura de fusão ADILSON SECCO Tempo Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 10. Curvas de aquecimento da água pura Temp. (ºC) Início da ebulição (100 ºC) Neste trecho só existe água (líquida), cuja temperatura está PE = 100 ºC aumentando. Temperatura de Fim da fusão ebulição Água PF = 0 ºC líquida Temperatura de fusão ADILSON SECCO Tempo Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 11. Curvas de aquecimento da água pura Temp. (ºC) Início da ebulição Água Fim da ebulição (100 ºC) (100 ºC) + Vapor PE = 100 ºC Temperatura de ebulição Trecho de ebulição: coexistem líquido e vapor em temperatura constante (100 ºC). ADILSON SECCO Tempo Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 12. Curvas de aquecimento da água pura Temp. (ºC) Fim da ebulição (100 ºC) Vapor-d’água PE = 100 ºC Temperatura de Neste trecho só ebulição existe vapor-d’água, Durante o aquecimento cuja temperatura a água sofre ebulição a está aumentando. 100 ºC. Tempo Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 13. Curvas de aquecimento da água pura Temp. (ºC) Início Fim Início Fim Gelo Água Água Vapor-d’água Gelo + + PE = 100 ºC líquida Água Vapor Temperatura de ebulição PF = 0 ºC Temperatura de fusão ADILSON SECCO Tempo Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 14. Valores de PF e PE para algumas substâncias  Ponto de fusão de uma substância é a temperatura em que ela sofre fusão (durante o aquecimento) ou solidificação (durante o resfriamento).  Ponto de ebulição de uma substância é a temperatura em que ela sofre ebulição (durante o aquecimento) ou condensação (durante o resfriamento). Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 15. Valores de PF e PE para algumas substâncias Substância PF (ºC) PE (ºC) Tungstênio 3.422 5.555 Ferro 1.538 2.861 Cobre 1.085 2.562 Ouro 1.064 2.856 Prata 962 2.162 Cloreto de sódio 801 1.465 Alumínio 660 2.519 SÉRGIO DOTTA JR./CID Chumbo 327 1.749 Água 0 100 Bromo –7 59 PF do NaCl = 801 ºC Mercúrio – 39 357 Hidrogênio – 259 – 253 Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 16. Previsões a partir de PF e PE Abaixo do PF é sólida Entre o PF e Acima do PE é gasosa PE é líquida Abaixo do PF é sólido Entre o PF e PE é líquido Acima do PE é gasoso Abaixo do PF é sólido Entre o PF e PE é Acima do PE líquido é gasoso Sentido de temperatura crescente Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 17. Vamos Praticar Em alguns automóveis há, no vidro traseiro, filamentos que Em alguns automóveis há, no vidro traseiro, filamentos que servem como desembaçadores. Ao ligar este dispositivo fazemos servem como desembaçadores. Ao ligar este dispositivo fazemos com que estes filamentos se aqueçam e conseguentemente o com que estes filamentos se aqueçam e conseguentemente o vidro é desembaçado. Por que isto ocorre? vidro é desembaçado. Por que isto ocorre? Resp.: A água líquida, causadora do aspecto embaçado do vidro, recebe o calor fornecido pelos filamentos e passa para o estado de vapor. RESPOST A 17
  • 18. (MACK-SP) Indique os estados físicos das substâncias I, II, III e IV (MACK-SP) Indique os estados físicos das substâncias I, II, III e IV citadas na tabela abaixo, à temperatura de 40 °C e pressão de 1 atm. citadas na tabela abaixo, à temperatura de 40 °C e pressão de 1 atm. Resp.: I e III – gasoso II – líquido IV - sólido -100 o 0o 40 o 100 o -116 34 -63 61 -127 31 43 183 RESPOST A 18
  • 19. (PUC MG/2007) Considere o quadro abaixo, que apresenta algumas substâncias e suas respectivas temperaturas de fusão (TF) e de ebulição (TE), ao nível do mar. Substância TF(º C) TE(º C) Água 0 100,0 Clorofórmio − 63,0 62,3 Hidróxido de sódio 318,6 1389,0 Ácido acético 16,7 118,1 Considerando-se esses dados, é INCORRETO afirmar: a) O clorofórmio a 70 ºC é gasoso. b) A 85ºC, o hidróxido de sódio é sólido. c) A 25ºC, duas das substâncias são líquidas. d) A substância mais volátil é o clorofórmio. 19
  • 20. Densidade e flutuação  A comparação entre as densidades permite prever se um corpo irá afundar ou flutuar em um certo líquido. Exemplo: dcortiça < dágua cortiça flutua na água dchumbo > dágua chumbo afunda na água Cortiça 0,32 g/cm3 massa Densidade = Água volume 1,00 g/cm3 Unidades de densidade: Adilson Secco Chumbo 11,3 g/cm3 g/cm3, g/L, kg/L etc. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 21. (UNICAMP – SP) Três frascos de vidro transparentes, fechados, de forma e dimensões iguais, contêm a mesma massa de líquidos diferentes. Um contém água, o outro clorofórmio; e o terceiro, etanol. Os três líquidos são incolores e não preenchem totalmente os frascos, os quais não têm nenhuma identificação. Sem abrir os frascos, como você faria para identificar as substâncias? A densidade(d) de cada um dos líquidos, à temperatura ambiente, é: d(água) = 1,0g/cm3 d(clorofórmio) = 1,4 g/cm3 e d ( etanol) = 0,8g/cm3 massa Densidade = volume Pense! Para a mesma massa de líquidos diferentes, quanto menor a densidade do líquido, maior será o seu volume. 21
  • 22. Organize os dados do problema d (etanol) = 0,8g/cm3 < d(água) = 1,0g/cm3 < d (clorofómio) = 1,4g/cm3 Considerando massas iguais dos líquidos Volume do Volume do Etanol > Volume da água > Clorofórmio Conclusão: O recipiente com maior volume de líquido corresponde ao etanol, o de menor volume ao clorofórmio e o intermediário a água. 22
  • 23. Densidade e flutuação  Uma pessoa flutua sem esforço nas águas do Mar Morto. Lá, para cada litro de água do mar, existem cerca de 360 g de sais dissolvidos, enquanto no litoral do Brasil, por exemplo, para cada litro de água do mar, existem cerca de 37 g de sais dissolvidos. Paula Bronstein/Getty Images Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 24. Fatores que alteram a densidade  Material considerado EDUARDO SANTALIESTRA/CID A substância enxofre, sólido amarelo com: PF = 95 ºC, PE = 445 ºC, d = 2,07 g/cm3. EDUARDO SANTALIESTRA/CID A substância ferro, sólido cinza-metálico com: PF = 1.538 ºC, PE = 2.861 ºC, d = 7,87 g/cm3. Eduardo Santaliestra/CID  Temperatura  Mudanças de estado físico Água + gelo Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 25. Grandezas e suas unidades 247 mL 300 g EDUARDO SANTALIESTRA/CID EDUARDO SANTALIESTRA/CID O creme de leite é vendido O chantilly é vendido por massa. por volume. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 26. Propriedades da Matéria Como determinar a densidade de um sólido? Se o sólido apresentar forma geométrica bem definida, você pode determinar Se o sólido apresentar forma geométrica bem definida, você pode determinar seu volume, medindo suas dimensões e multiplicando-as. Porém, se precisar seu volume, medindo suas dimensões e multiplicando-as. Porém, se precisar determinar o volume de um sólido com formato irregular, conhecendo determinar o volume de um sólido com formato irregular, conhecendo somente a sua massa, sem conhecer a sua densidade, você pode proceder da somente a sua massa, sem conhecer a sua densidade, você pode proceder da seguinte forma: seguinte forma:
  • 27. O Detetive Químico João estava no ponto de ônibus quando foi abordado por um desconhecido, que lhe João estava no ponto de ônibus quando foi abordado por um desconhecido, que lhe contou uma estória triste, cheia de desgraça, doenças, perda de emprego etc. Ao final contou uma estória triste, cheia de desgraça, doenças, perda de emprego etc. Ao final da estória, o desconhecido ofereceu-lhe uma corrente de ouro 18 quilates, de massa da estória, o desconhecido ofereceu-lhe uma corrente de ouro 18 quilates, de massa igual a 76 g, por apenas R$ 50,00. João, condoído e tentado pela oferta vantajosa, igual a 76 g, por apenas R$ 50,00. João, condoído e tentado pela oferta vantajosa, acabou comprando a corrente. Mais tarde, meio desconfiado, ele decidiu realizar o acabou comprando a corrente. Mais tarde, meio desconfiado, ele decidiu realizar o seguinte experimento para comprovar se a corrente era ou não de ouro 18 quilates. seguinte experimento para comprovar se a corrente era ou não de ouro 18 quilates. Sabendo que a densidade do ouro 18 quilates é de 16,5 g/cm3, responda às questões: Sabendo que a densidade do ouro 18 quilates é de 16,5 g/cm3, responda às questões:
  • 28. O Detetive Químico 1. A corrente era realmente de ouro 18 quilates? Explique como você chegou a essa conclusão. Resp.: Não. Tem que calcular a densidade do metal e comparar com a densidade do ouro 18 quilates (16,5 g/cm 3). d = m/v d = 76g/8,4ml = 9,05g/ml RESPOST A 28
  • 29. O Detetive Químico 2. Por certo, a aparência da corrente contribuiu para a decisão de João, que se esqueceu ou desconhecia o fato de que um objeto pode ser recoberto por uma fina película de metal e, dessa forma, ter sua aparência alterada. Baseado na tabela de densidade apresentada a seguir, qual dos metais apresentados deve ser o mais provável constituinte da corrente? Justifique sua resposta. Resp.: Cobre RESPOST A 29
  • 30. Um vidro contém 200 cm3 de mercúrio de densidade 13,6 g/cm3. A massa de mercúrio contida no vidro é: a) 0,80 Kg b) 0,68 Kg c) 2,72 Kg d) 27,2 Kg e) 6,8 Kg d = 13,6 g/cm3 1cm3 ________ 13,6 g X = 2720 g = 2,72Kg 200cm3 ________ X 30
  • 31. Substâncias químicas  Substância é uma porção de matéria que tem propriedades bem definidas como PF, PE, densidade, o fato de ser inflamável ou não, a cor, o odor etc. EDUARDO SANTALIESTRA/CID EDUARDO SANTALIESTRA/CID Enxofre: sólido amarelo com Ferro: sólido cinza-metálico com PF = 95 ºC, PF = 1.538 ºC, PE = 445 ºC, d = 2,07 g/cm3. PE = 2.861 ºC, d = 7,87 g/cm3.  Uma substância pura não está misturada com outra substância ou com outras substâncias. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 32. Curva de aquecimento da substância água pura  Todo material cuja fusão e cuja ebulição ocorrem a uma temperatura constante – ou seja, do início ao fim da mudança de estado não se observa variação de temperatura – é considerado substância pura ou simplesmente substância. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 33. Mistura  Uma mistura é um sistema constituído pela adição de duas ou mais substâncias puras. A partir do momento em que são adicionadas, elas passam a ser as substâncias componentes da mistura. Eduardo Santaliestra/CID Eduardo Santaliestra/CID enxofre ferro água óleo enxofre + ferro água + óleo Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 34. Curva de aquecimento de uma mistura  Todo material cuja temperatura sofre variação durante a fusão e a ebulição é chamado mistura. As misturas caracterizam-se por apresentar uma faixa de temperatura para a ocorrência da fusão ou da ebulição. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 35. Misturas Especiais Diagrama – Misturas Eutéticas Misturas de sólidos (fundem- se à Temperatura constante), e o constante gráfico apresenta um patamar solda (estanho + chumbo) durante a fusão gelo + sal de cozinha
  • 36. Mistuaras Especiais Diagrama – Misturas Azeotrópicas Misturas de líquidos (fervem à Temperatura constante), e o constante) gráfico apresenta um patamar durante a ebulição álcool comum (96% de etanol e 4% de água)
  • 37. Misturas homogêneas e heterogêneas  Mistura homogênea ou solução é aquela que possui as mesmas propriedades em todos os seus pontos (sua extensão). açúcar água Eduardo Santaliestra/CID  A mistura homogênea ou solução de açúcar em água apresenta as mesmas propriedades físicas em água + açúcar toda extensão. A mistura água e açúcar é um exemplo de mistura homogênea ou solução. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 38. Misturas homogêneas e heterogêneas  Mistura heterogênea é aquela que não possui as mesmas propriedades em toda a sua extensão. Eduardo Santaliestra/CID Eduardo Santaliestra/CID água óleo Os fragmentos de ferro possuem as propriedades água + óleo da substância ferro (cinza-metálico, PF= 1.538 ºC Mistura (heterogênea) etc.) e os fragmentos de enxofre possuem as de água e óleo propriedades da substância enxofre (amarelo, PF = 95 ºC etc.). Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 39. Número de fases de uma mistura  Fase é uma porção de uma amostra de matéria que apresenta as mesmas propriedades em todos os seus pontos.  Uma fase pode apresentar-se contínua ou fragmentada em várias partes. Mudança de Superfície de propriedades separação JAVIER JAIME SÁNCHEZ/CID Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 40. Número de fases de uma substância pura  Em uma amostra de substância pura que esteja em diferentes estados físicos, haverá mais de uma fase.  Cada estado físico presente corresponderá a uma fase. Eduardo Santaliestra/CID Mudança de Superfície de propriedades separação Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 41. Conceituação de Sistema  Sistema é uma porção de matéria que foi escolhida para ser estudada. Eduardo Santaliestra/CID Eduardo Santaliestra/CID Eduardo Santaliestra/CID Sistema formado por Sistema formado por Sistema formado por água pura e sal água pura água pura e gelo JAVIER JAIME SÁNCHEZ/CID Photodisc/Getty images Eduardo Santaliestra/CID Sistema formado por Sistema formado por Sistema denominado água e óleo sal de cozinha granito Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 42. Sistemas homogêneos Sistema A. Sistema B. Sistema C. Sistema D. Água pura Água + sal dissolvido Água + álcool Ar atmosférico DUDAREV MIKHAIL /SHUTTERSTOCK EDUARDO SANTALIESTRA/CID EDUARDO SANTALIESTRA/CID EDUARDO SANTALIESTRA/CID Substância pura: Mistura homogênea Mistura homogênea Mistura homogênea homogêneo (1 fase). (solução): (solução): (solução): homogêneo (1 fase). homogêneo (1 fase). homogêneo (1 fase). Os sistemas A, B, C e D apresentam propriedades uniformes em todos os seus pontos, ou seja, possuem uma única fase. São denominados sistemas homogêneos. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 43. Sistemas heterogêneos Sistema E. Sistema F. Sistema G. Sistema H. Água + gelo Água + óleo Ferro + enxofre Água + areia JAVIER JAIME SÁNCHEZ/CID Eduardo Santaliestra/CID Eduardo Santaliestra/CID SÉRGIO DOTTA JR./CID Substância pura: Mistura Mistura Mistura heterogêneo heterogênea: heterogênea: heterogênea: (2 fases). heterogêneo heterogêneo heterogêneo (2 fases). (2 fases). (2 fases). Os sistemas E, F, G e H não apresentam propriedades uniformes em todos os seus pontos, ou seja, possuem mais uma fase. São denominados sistemas heterogêneos. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 44. Classificando alguns sistemas GURYANOV ANDREY VLADIMIROVICH/SHUTTERSTOCK Photodisc/Getty images O granito é um sólido constituído por A fumaça, além dos três componentes, o quartzo, de cor componentes gasosos, branca, o feldspato, de cor cinza ou apresenta partículas sólidas, marrom e a mica, de cor negra. Ele sendo, portanto, uma apresenta três fases distintas, sendo, mistura heterogênea. portanto, uma mistura heterogênea. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 45. Esquematizando Homogênea (solução) Mistura pode ser Heterogênea Amostra de matéria pode assim Quando se (sistema) classificada ser Homogênea encontrar em apenas um estado físico Substância pura pode ser assim Quando se classificada encontrar em Heterogênea mais de um estado físico Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 46. (UFES) Observe a representação dos sistemas I, II e III e seus componentes. O número de fases em cada um é, respectivamente: a) 3, 2 e 4. b) 3, 3 e 4. c) 2, 2 e 4. d) 3, 2 e 5. e) 3, 3 e 6. 46
  • 47. Obtendo substâncias puras a partir de misturas  Para saber se uma amostra de matéria é substância pura ou mistura, basta uma análise de suas propriedades específicas; se o resultado indicar uma mistura de substâncias, será necessário escolher um método adequado para purificação. Ao final da separação, para saber se as substâncias foram bem separadas deveremos verificar suas constantes físicas: Água pura PF = 0 ºC PE = 100 ºC Fracionamento Eduardo Santaliestra/CID d = 1 g/cm3 (separação) Sal puro PF = 801 ºC PE = 1.465 ºC Água + sal d = 2,17 g/cm3 Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 48. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Decantação (mistura heterogêna sólido-líquido)  Após a deposição da areia no fundo, pode-se cuidadosamente transferir a água para outro recipiente inclinando-se lentamente o frasco em que está a mistura. A técnica é denominada decantação. Mistura de água e areia Após a deposição Transferência da da areia no fundo fase líquida Água SÉRGIO DOTTA JR./CID SÉRGIO DOTTA JR./CID SÉRGIO DOTTA JR./CID Areia Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 49. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Centrifugação  Caso seja muito lenta, a sedimentação da mistura heterogênea pode ser acelerada submetendo-se a mistura a uma intensa rotação, técnica conhecida como centrifugação. Photodisc/Getty images Centrífuga desligada Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 50. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Centrifugação Photodisc/Getty images Centrífuga em rotação  Nos laticínios, a manteiga é separada do leite por centrifugação. O leite, mais denso, deposita-se no fundo do recipiente, enquanto a manteiga, menos densa, concentra-se na parte superior. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 51. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Bastão de vidro Filtração simples (mistura (bagueta) heterogênea sólido-líquido) Mistura  A mistura é despejada sobre uma de água e areia superfície porosa apropriada, o Areia retida no filtro filtro. O filtro permite que a fase Funil com A fase líquida o atravesse, mas retém a papel de que filtro Béquer passa pelo fase sólida. filtro é SÉRGIO DOTTA JR./CID chamada filtrado. Filtração de uma mistura de água e areia Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 52. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Bastão de Filtração simples (mistura vidro (bagueta) heterogênea sólido-líquido)  O líquido que passa pelo filtro é Mistura de água denominado filtrado e a fase e areia sólida que nele fica retida é o Areia retida no filtro resíduo. Funil com A fase papel de que passa  O papel de filtro é elaborado com filtro Béquer pelo filtro é fibras de papel entrelaçadas, de SÉRGIO DOTTA JR./CID chamada filtrado. modo que os orifícios entre elas (invisíveis a olho nu) atuem como Filtração de uma mistura de água e areia os orifícios de uma peneira. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 53. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Filtração simples no cotidiano  Quando preparamos café, a água quente faz a extração de componentes solúveis.  Na filtração, separa-se a fase sólida do filtrado, que contém água e os componentes solúveis do café nela dissolvidos. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 54. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Filtração a vácuo (acelerando a filtração) Papel de filtro Superfície cheia  Uma mistura de farinha de furos na qual se encaixa o papel de filtro de trigo e água demora Funil de Büchner muito mais para ser filtrada que uma mistura Rolha de borracha de areia e água. Kitassato (é um erlenmeyer com uma saída lateral) Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 55. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Filtração a vácuo (acelerando a filtração) Papel de filtro  Para acelerar o processo Superfície cheia de furos na qual utiliza-se a filtração a se encaixa o papel de filtro vácuo. O papel de filtro é Funil de Büchner ajustado à superfície de um funil de Büchner, que Rolha de borracha é conectado à boca de Kitassato (é um erlenmeyer um frasco kitassato. com uma saída lateral) Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 56. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Filtração a vácuo (acelerando a filtração)  A trompa d’água é utilizada para pressão atmosférica remover o ar do interior do kitassato e faz com que a pressão interna fique menor que a pressão atmosférica. Trompa Ar d’água  Consequentemente, a pressão Retirando ar através da atmosférica força a fase líquida trompa d’água Água Filtrado da mistura a passar mais rápido pelo papel de filtro. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 57. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Filtração a vácuo no cotidiano  A mistura ar + poeira é uma mistura heterogênea sólido-gás.  A fase sólida fica retida no filtro e a fase gasosa passa por ele. Jaume Gual/AGE/Grupo Keystone Homem utilizando aspirador de pó Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 58. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Funil de Funil de separação (mistura separação heterogênea líquido-líquido) Óleo  Para efetuar a separação, a Água mistura é colocada dentro do funil.  A torneira é ligeiramente aberta, permitindo o escoamento gradual da fase inferior, que é recolhida em outro frasco. Funil de separação em uso Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 59. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Funil de Funil de separação (mistura separação heterogênea líquido-líquido) Óleo  Fechando-se a torneira no exato Água momento em que a fase inferior acabou de escoar, consegue-se a separação de ambas as fases. Funil de separação em uso Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 60. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Dissolução fracionada (mistura heterogênea sólido-sólido) Essa técnica de separação está baseada na diferença de facilidade com que os sólidos componentes de uma mistura dissolvem-se em determinado solvente. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 61. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Evaporação (mistura homogênea sólido-líquido)  Nas salinas, para fazer a KARLHEINZ WEICHERT /TYBA separação da mistura água e sal, espera-se a evaporação A evaporação é uma técnica barata, usada quando só há interesse na fase completa da água, sob ação do sólida que está dissolvida em um líquido. O componente líquido é calor solar. perdido no processo.  Terminada a evaporação, restará o sal sólido. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 62. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Evaporação (mistura homogênea sólido-líquido)  O sólido obtido passa por um processo de purificação, ou refino, Ana Hochheim/SambaPhoto durante o qual são eliminadas impurezas indesejáveis, como o cloreto de magnésio e o sulfato de A evaporação é uma técnica barata, usada quando só há magnésio, que conferem ao produto interesse na fase sólida que está dissolvida em um líquido. um sabor amargo e indesejável. O componente líquido é perdido no processo. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 63. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Destilação simples (mistura homogênea sólido-líquido)  Na mistura água e sal, para se obter somente o sal, usa-se a evaporação. Para se obter somente a água ou ambos (água e sal separados), utiliza-se a destilação simples. Ao final da destilação restará no frasco o Ao final da líquido purificado destilação resta o (destilado). sal (resíduo) no balão de destilação. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 64. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 65. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Destilação simples no cotidiano Fabricação de etanol Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 66. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Destilação fracionada (mistura homogênea líquido-líquido) Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 67. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Destilação fracionada (mistura homogênea líquido- líquido)  Nas refinarias, os componentes do petróleo são separados por meio da destilação fracionada, de acordo com as faixas de pontos de ebulição. Esse Mark A Leman/Stone/Getty Images processo é realizado em grandes colunas de fracionamento feitas de aço. Das plataformas... Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 68. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Destilação fracionada (mistura homogênea líquido-líquido)  A técnica da destilação fracionada também é usada para separar os gases componentes do ar atmosférico. O ar é resfriado e em Mark A Leman/Stone/Getty Images seguida a mistura é submetida a destilação fracionada. ...às refinarias Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 69. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Destilação fracionada (mistura homogênea líquido-líquido) Gás combustível engarrafado, uso doméstico e industrial. Até 40 ºC. Quanto mais voláteis os Gasolina, combustível de automóveis, componentes de solvente. 40 ºC a 140 ºC. uma fração, mais próximo do topo da coluna ela é obtida. Nafta, matéria-prima para produtos químicos, plásticos. 140 ºC a 175 ºC. Querosene, combustível de aviões a jato, iluminação. 175 ºC a 235 ºC. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 70. Obtendo substâncias puras a partir de misturas Destilação fracionada (mistura homogênea líquido-líquido) Gasóleo leve, combustível diesel e para fornos. 235 ºC a 305 ºC. Gasóleo pesado, Quanto mais combustível para navios e fábricas. voláteis os 305 ºC a 400 ºC. componentes de uma fração, mais próximo do topo da Óleos lubrificantes, ceras, vernizes. coluna ela é obtida. 400 ºC a 510 ºC. Resíduo inclui o piche. Acima de 510 ºC. Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 71. Principais técnicas de separação Uso do funil Decantação de separação por Método de por exemplo exemplo Destilação Filtração separação simples de misturas Dissolução Destilação fracionada fracionada Capítulo 2 – Substâncias químicas
  • 72. (UFU MG/2011) Sobre os procedimentos químicos da destilação de uma solução aquosa de sal de cozinha e suas aplicações, assinale a alternativa correta. a) O sal de cozinha entra em ebulição ao mesmo tempo da água e é colhido no erlenmeyer. b) O condensador possui a função de diminuir a temperatura dos vapores produzidos pelo aquecimento e, assim, liquefazer a água. c) A temperatura de ebulição do sal de cozinha é menor que a temperatura de ebulição da água. d) A eficiência do método de destilação é pequena para separar o sal da água.
  • 73. (ACAFE SC/2011) Petróleo é uma matéria-prima não-renovável. Pode ser explorado em áreas continentais de origem marinha, ou em áreas submarinas. Antes do refino, o petróleo bruto é submetido a processos mecânicos de separação para a retirada de água e impurezas sólidas.Nesse sentido, assinale a alternativa correta. a) O petróleo bruto é uma substância com propriedades físicas peculiares. b) Antes do refino, impurezas sólidas do petróleo bruto são separadas por destilação fracionada. c) Após decantação do petróleo bruto, impurezas sólidas são extraídas por destilação. d) Após decantação e filtração do petróleo bruto, os derivados podem ser obtidos por destilação fracionada.

Notas do Editor

  1. FICHA TÉCNICA QUÍMICA GERAL Substâncias e Funções Inorgânicas Condutividade Elétrica de Soluções Aquosas Conteúdo: Livro de Química na Abordagem do Cotidiano Vol. 1 (Tito Canto) - pg. 330 a 337 Objetivo Didático: Fornecer ao aluno a compreensão .... Estrutura: Este módulo é composto por 23 slides e uma animação com tempo previsto para 1 hora aula (50 min) Contextualização: a relação entra soluções eletrolíticas e os líquidos corporais
  2. SLIDE 4 - INTRODUÇÃO PENSE - O que é que determina o estado físico da matéria?
  3. SLIDE 24 – VAMOS PRATICAR – Questão Aberta
  4. SLIDE 25 – VAMOS PRATICAR – Questão (MACK-SP)
  5. Determinação do volume de um sólido Se o sólido apresentar forma geométrica bem definida, você pode determinar seu volume, medindo suas dimensões e multiplicando-as. Porém, se precisar determinar o volume de um sólido com formato irregular, conhecendo somente a sua massa, sem conhecer a sua densidade, você pode proceder da seguinte forma: a) Coloque água em um recipiente graduado, como uma proveta, até um determinado volume. b) Mergulhe o sólido de formato irregular no recipiente contendo água e verifique o novo volume de água. c) A diferença entre o volume final e o volume inicial é o volume deste sólido. A partir deste procedimento podemos determinar a densidade do sólido utilizando a expressão. Usberco, João Química — volume único / João Usberco, Edgard Salvador.— 5. ed. reform. — São Paulo : Saraiva, 2002.
  6. SLIDE 16 - PROPRIEDAES DA MATÉRIA – DIAGRAMA – MISTURAS EUTÉTICAS Misturas eutéticas são misturas em que o ponto de fusão dos elementos que a compõem são muito parecidos. Isso é muito comum em misturas entre metais. Ex.: o bronze é uma mistura de cobre com o estanho , impossível separar por fusão. Exemplos: solda (estanho + chumbo) gelo + sal de cozinha Ponto Vermelho: Misturas de sólidos (fundem-se à Temperatura constante ), e o gráfico apresenta um patamar durante a fusão Fontes: QUIMICA VOL. ÙNICO – Usberco e Salvador – pg.39 (Gráfico) WIKIPÉDIA - http://pt.wikipedia.org/wiki/Mistura#Misturas_Azeotr.C3.B3picas_e_Eut.C3.A9ticas (Definição)
  7. SLIDE 17 - PROPRIEDAES DA MATÉRIA – DIAGRAMA – MISTURAS AZEOTRÓPICAS Definição: são misturas em que o ponto de ebulição não se altera, em temperatura constante, comportando-se como um composto químico ou um elemento. Esse tipo de mistura acontece quando o ponto de ebulição atinge o patamar. É muito comum entre líquidos. Ex.: O álcool de cozinha (96% de etanol e 4% de água) é uma mistura azeotrópica, isso se deve porque esse álcool está misturado à água em uma proporção onde é impossível separar pela ebulição, já que a temperatura se mantém constante. PE = 78,5°C Ponto Vermelho: Misturas de líquidos (fervem à Temperatura constante) , e o gráfico apresenta um patamar durante a ebulição Fontes: QUIMICA VOL. ÙNICO – Usberco e Salvador – pg.39 (Gráfco) WIKIPÉDIA - http://pt.wikipedia.org/wiki/Mistura#Misturas_Azeotr.C3.B3picas_e_Eut.C3.A9ticas (Definição)