SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
INCLUSÃO DIGITALINCLUSÃO DIGITAL
O que é Inclusão Digital?O que é Inclusão Digital?
• Inclusão Digital ou infoinclusãoInclusão Digital ou infoinclusão  é a democratização do acesso às é a democratização do acesso às tecnologias
da Informação, de forma a permitir a inserção de todos na sociedade da informação
e é também simplificar a sua rotina diária, maximizar o tempo e as suasé também simplificar a sua rotina diária, maximizar o tempo e as suas
potencialidades. Um incluído digitalmente não é aquele que apenas utiliza essa novapotencialidades. Um incluído digitalmente não é aquele que apenas utiliza essa nova
linguagem, que é o mundo digital, para trocar e-mails, mas aquele que usufrui desselinguagem, que é o mundo digital, para trocar e-mails, mas aquele que usufrui desse
suporte para melhorar as suas condições de vida. Em termos concretos, incluirsuporte para melhorar as suas condições de vida. Em termos concretos, incluir
digitalmente não é apenas “alfabetizar” a pessoa em informática, mas tambémdigitalmente não é apenas “alfabetizar” a pessoa em informática, mas também
melhorar os quadros sociais a partir do manuseio dos computadores. Como fazermelhorar os quadros sociais a partir do manuseio dos computadores. Como fazer
isso? Não apenas ensinando o bê–á–bá do informatiquês, mas mostrando como elaisso? Não apenas ensinando o bê–á–bá do informatiquês, mas mostrando como ela
pode ganhar dinheiro e melhorar de vida com ajuda daquele monstrengo de bits epode ganhar dinheiro e melhorar de vida com ajuda daquele monstrengo de bits e
bytes que de vez em quando trava.bytes que de vez em quando trava.
• A Inclusão Digital, para acontecer, precisa de três instrumentos básicos que são:A Inclusão Digital, para acontecer, precisa de três instrumentos básicos que são:
computador, acesso à rede e o domínio dessas ferramentas pois não basta apenas ocomputador, acesso à rede e o domínio dessas ferramentas pois não basta apenas o
cidadão possuir um simples computador conectado à internet que iremos considerarcidadão possuir um simples computador conectado à internet que iremos considerar
ele, um incluído digitalmente. Ele precisa saber o que fazer com essas ferramentas.ele, um incluído digitalmente. Ele precisa saber o que fazer com essas ferramentas.
• Entre as estratégias inclusivas estão projetos e ações que facilitam o acesso deEntre as estratégias inclusivas estão projetos e ações que facilitam o acesso de
pessoas de baixa renda às Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Apessoas de baixa renda às Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). A
inclusão digital volta-se também para o desenvolvimento de tecnologias que amplieminclusão digital volta-se também para o desenvolvimento de tecnologias que ampliem
a acessibilidade para usuários com deficiência. Dessa forma, toda a sociedade podea acessibilidade para usuários com deficiência. Dessa forma, toda a sociedade pode
ter acesso a informações disponíveis na Internet, e assim produzir eter acesso a informações disponíveis na Internet, e assim produzir e
disseminar conhecimento. A inclusão digital insere-se no movimento maiordisseminar conhecimento. A inclusão digital insere-se no movimento maior
de inclusão social, um dos grandes objetivos compartilhados por diversos governosde inclusão social, um dos grandes objetivos compartilhados por diversos governos
ao redor do mundo nas últimas décadas.ao redor do mundo nas últimas décadas.
Telecentros de InformáticaTelecentros de Informática
O que é um telecentro?O que é um telecentro?
• TelecentroTelecentro é um espaço público onde pessoas podem utilizar microcomputadores, é um espaço público onde pessoas podem utilizar microcomputadores,
a a InternetInternet e outras tecnologias digitais que permitem coletar informações, criar, e outras tecnologias digitais que permitem coletar informações, criar,
aprender e comunicar-se com outras pessoas, enquanto desenvolvem habilidadesaprender e comunicar-se com outras pessoas, enquanto desenvolvem habilidades
digitais essenciais do Século 21.digitais essenciais do Século 21.
• É um ambiente voltado para a oferta de cursos e treinamentos presenciais e àÉ um ambiente voltado para a oferta de cursos e treinamentos presenciais e à
distância, informações, serviços e oportunidades de negócios visando odistância, informações, serviços e oportunidades de negócios visando o
fortalecimento das condições de competitividade da microempresa e da empresa defortalecimento das condições de competitividade da microempresa e da empresa de
pequeno porte e o estímulo à criação de novos empreendimentos. Serve como umpequeno porte e o estímulo à criação de novos empreendimentos. Serve como um
instrumento para aproximar os empresários, as instituições públicas e privadas,asinstrumento para aproximar os empresários, as instituições públicas e privadas,as
organizações não governamentais e a sociedade em geralorganizações não governamentais e a sociedade em geral
• É composto por vários computadores interligados em rede local e conectados àÉ composto por vários computadores interligados em rede local e conectados à
internet e tem a orientação de monitores capacitados para atender às demandas dosinternet e tem a orientação de monitores capacitados para atender às demandas dos
usuários dos Telecentros. Apesar dos telecentros serem diferentes entre si, seu focousuários dos Telecentros. Apesar dos telecentros serem diferentes entre si, seu foco
comum está em, por exemplo, no uso das tecnologias digitais para suportar ocomum está em, por exemplo, no uso das tecnologias digitais para suportar o
desenvolvimento comunitário, econômico,educacional e social – reduzindo odesenvolvimento comunitário, econômico,educacional e social – reduzindo o
isolamento, interligando as divisas digitais, promovendo questões de saúde, criandoisolamento, interligando as divisas digitais, promovendo questões de saúde, criando
oportunidades econômicas e alcançando os jovens.oportunidades econômicas e alcançando os jovens.
Analfabetismo DigitalAnalfabetismo Digital
•   O analfabetismo digital é um grande fator de exclusão, que resulta em sériasO analfabetismo digital é um grande fator de exclusão, que resulta em sérias
implicações sociais, políticas, jurídicas e econômicas. Antes se falava que aqueleimplicações sociais, políticas, jurídicas e econômicas. Antes se falava que aquele
que não fosse devidamente alfabetizado, que não conseguisse interpretar eque não fosse devidamente alfabetizado, que não conseguisse interpretar e
compreender um texto, estava marginalizado, estigmatizado. Com esteio nestacompreender um texto, estava marginalizado, estigmatizado. Com esteio nesta
assertiva, essa tal pessoa não teria sua cidadania exercida plenamente, estando,assertiva, essa tal pessoa não teria sua cidadania exercida plenamente, estando,
pois, fadada inexoravelmente a um destino sem perspectivas, restando-lhe somentepois, fadada inexoravelmente a um destino sem perspectivas, restando-lhe somente
subempregos. subempregos. 
Com efeito, a exclusão agora é outra. Hoje, "navegar" é imprescindível, sobretudo,Com efeito, a exclusão agora é outra. Hoje, "navegar" é imprescindível, sobretudo,
dominar as tecnologias de informação. Sem embargos, informação é poder. Diantedominar as tecnologias de informação. Sem embargos, informação é poder. Diante
de tais circunstâncias, o já estreito funil da exclusão ficou mais apertado. É dede tais circunstâncias, o já estreito funil da exclusão ficou mais apertado. É de
incontroverso saber que a Internet e o computador são ferramentas imprescindíveisincontroverso saber que a Internet e o computador são ferramentas imprescindíveis
para quem quer se inserir no mercado de trabalho. Isto porque, desde o balconistapara quem quer se inserir no mercado de trabalho. Isto porque, desde o balconista
do supermercado até o dentista ou o advogado, a todos se impõe o uso dado supermercado até o dentista ou o advogado, a todos se impõe o uso da
informática. Qualquer profissional precisa dominar as tecnologias de informação,informática. Qualquer profissional precisa dominar as tecnologias de informação,
seja ele quem for, esteja ele onde estiver,ou seja, sem informação não háseja ele quem for, esteja ele onde estiver,ou seja, sem informação não há
comunicação, o que resulta em exclusão, marginalização.comunicação, o que resulta em exclusão, marginalização.
ExclusãoExclusão DigitalDigital
• A A exclusão digitalexclusão digital é um conceito dos campos teóricos é um conceito dos campos teóricos
da comunicação, sociologia, tecnologia da informação, História eda comunicação, sociologia, tecnologia da informação, História e
outras humanidades, que diz respeito às extensas camadas das sociedades queoutras humanidades, que diz respeito às extensas camadas das sociedades que
ficaram à margem do fenômeno da sociedade da informação e da expansãoficaram à margem do fenômeno da sociedade da informação e da expansão
das redes digitais.das redes digitais.
• Os excluídos digitais, em sua grande parte são pessoas que não têm noção do queOs excluídos digitais, em sua grande parte são pessoas que não têm noção do que
é Internet e pior ainda, não sabem que pela falta de conhecimentos sobre o mundoé Internet e pior ainda, não sabem que pela falta de conhecimentos sobre o mundo
digital, muitos estão, ou vão sentir dificuldade em conseguir emprego. Olhando pordigital, muitos estão, ou vão sentir dificuldade em conseguir emprego. Olhando por
esta óptica podemos observar que o desenvolvimento industrial e tecnológico excluiesta óptica podemos observar que o desenvolvimento industrial e tecnológico exclui
da maneira mais covarde possível, porque a grande massa que esta a margemda maneira mais covarde possível, porque a grande massa que esta a margem
geralmente não tem os instrumento que são básicos para a sua inclusão na vidageralmente não tem os instrumento que são básicos para a sua inclusão na vida
digital: o computador, as linhas telefônica, o provedor de acesso e conhecimentodigital: o computador, as linhas telefônica, o provedor de acesso e conhecimento
sobre a linguagem. Isto impede que essas pessoas possam fazer uso da coletividadesobre a linguagem. Isto impede que essas pessoas possam fazer uso da coletividade
da informação. Somente com um investimento em educação digital, bem como oda informação. Somente com um investimento em educação digital, bem como o
desenvolvimento de projetos públicos ou privados com este fim, haverá possibilidadedesenvolvimento de projetos públicos ou privados com este fim, haverá possibilidade
de se dar abertura e oportunidade as quem não as tem.de se dar abertura e oportunidade as quem não as tem.
• No Brasil, o termo "exclusão digital" é mais usado para se referir ao problema,No Brasil, o termo "exclusão digital" é mais usado para se referir ao problema,
indicando o lado dos excluídos, enquanto em outros idiomas os termos equivalentesindicando o lado dos excluídos, enquanto em outros idiomas os termos equivalentes
a "a "brecha digitalbrecha digital" ou "" ou "fissura digitalfissura digital" são preferidos (como no inglês " são preferidos (como no inglês digitaldigital
dividedivide e o francês  e o francês fracture numériquefracture numérique). Os dois termos, porém, não são sinônimos). Os dois termos, porém, não são sinônimos
perfeitos, pois enquanto "exclusão digital" se refere apenas a um dos lados daperfeitos, pois enquanto "exclusão digital" se refere apenas a um dos lados da
questão, "brecha digital" faz referência à própria diferença entre excluídos equestão, "brecha digital" faz referência à própria diferença entre excluídos e
incluídos.incluídos.
• A exclusão digital é atualmente um tema de debates entre governos, organizaçõesA exclusão digital é atualmente um tema de debates entre governos, organizações
multilaterais (ONU, OMC), e o terceiro setor (ONGs, entidades assistencialistas).multilaterais (ONU, OMC), e o terceiro setor (ONGs, entidades assistencialistas).
Políticas de inclusão digital incluem a criação de pontos de acesso à internet emPolíticas de inclusão digital incluem a criação de pontos de acesso à internet em
comunidades carentes (favelas, cortiços, ocupações, assentamentos)comunidades carentes (favelas, cortiços, ocupações, assentamentos)
e capacitação (treinamento) de usuários de ferramentas digitaise capacitação (treinamento) de usuários de ferramentas digitais
(computadores, DVDs, vídeo digital, som digital, telefonia móvel).(computadores, DVDs, vídeo digital, som digital, telefonia móvel).
• As comunidades carentes, os mais pobres e pessoas com uma posição econômicaAs comunidades carentes, os mais pobres e pessoas com uma posição econômica
desprivilegiada são excluídas digitalmente, pois não tem acesso à tecnologia. Adesprivilegiada são excluídas digitalmente, pois não tem acesso à tecnologia. A
Exclusão digital atinge as partes mais pobres do país, onde ainda não chegaramExclusão digital atinge as partes mais pobres do país, onde ainda não chegaram
computadores, internet, celular etc. As pessoas que nunca viram ou usaram umcomputadores, internet, celular etc. As pessoas que nunca viram ou usaram um
computador são denominadas Sem-Tela no popular. Muitas escolas já aderiram acomputador são denominadas Sem-Tela no popular. Muitas escolas já aderiram a
laboratórios de informática, porém ainda há escolas nas regiões mais pobres quelaboratórios de informática, porém ainda há escolas nas regiões mais pobres que
ainda não tem esse tipo de recurso.ainda não tem esse tipo de recurso.
Projetos de Inclusão DigitalProjetos de Inclusão Digital
• Programa Casa BrasilPrograma Casa Brasil
Em ação: Ministério da Ciência e Tecnologia, Instituto Nacional de TI, Mininstério doEm ação: Ministério da Ciência e Tecnologia, Instituto Nacional de TI, Mininstério do
Planejamento, Ministério das Comunicações, Ministério da Cultura, Ministério daPlanejamento, Ministério das Comunicações, Ministério da Cultura, Ministério da
Educação, Secom, Petrobras, Eletrobrás/Eletronorte, Banco do Brasil e CaixaEducação, Secom, Petrobras, Eletrobrás/Eletronorte, Banco do Brasil e Caixa
Econômica Federal - Implantação de espaços multifuncionais de conhecimento eEconômica Federal - Implantação de espaços multifuncionais de conhecimento e
cidadania em comunidades de baixo IDH, por meio de parcerias com instituiçõescidadania em comunidades de baixo IDH, por meio de parcerias com instituições
locais. Cada unidade de Casa Brasil abrigará um telecentro, com uso de softwarelocais. Cada unidade de Casa Brasil abrigará um telecentro, com uso de software
livre, e pelo menos mais dois outros módulos, que podem ser uma biblioteca popular,livre, e pelo menos mais dois outros módulos, que podem ser uma biblioteca popular,
um auditório, um estúdio multimídia, uma oficina de produção de rádio, umum auditório, um estúdio multimídia, uma oficina de produção de rádio, um
laboratório de popularização da ciência ou uma oficina de manutenção delaboratório de popularização da ciência ou uma oficina de manutenção de
equipamentos de informática, e um espaço para atividades comunitárias, além de umequipamentos de informática, e um espaço para atividades comunitárias, além de um
módulo de inclusão bancária nas localidades onde for possível. Atualmente são 74módulo de inclusão bancária nas localidades onde for possível. Atualmente são 74
unidades em funcionamento, atendendo em média 20 mil pessoas/mês. Já foramunidades em funcionamento, atendendo em média 20 mil pessoas/mês. Já foram
capacitadas mais de 1.000 pessoas nas 37 oficinas livres oferecidas a partir dacapacitadas mais de 1.000 pessoas nas 37 oficinas livres oferecidas a partir da
plataforma de educação à distância construída pelo projeto. No total 86 unidades,plataforma de educação à distância construída pelo projeto. No total 86 unidades,
selecionadas por meio de edital, serão implantas nas maiores cidades das cincoselecionadas por meio de edital, serão implantas nas maiores cidades das cinco
macro-regiões.macro-regiões.
• Centros de Inclusão DigitalCentros de Inclusão Digital
Em ação: Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) - A implantação de Centros deEm ação: Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) - A implantação de Centros de
Inclusão Digital é uma ação que compõe o Programa de Inclusão Digital do MCT. OInclusão Digital é uma ação que compõe o Programa de Inclusão Digital do MCT. O
Programa constitui-se em um instrumento de promoção da inclusão social, cujaPrograma constitui-se em um instrumento de promoção da inclusão social, cuja
responsabilidade é da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Socialresponsabilidade é da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social
(SECIS) e tem como objetivo proporcionar à população menos favorecida o acesso(SECIS) e tem como objetivo proporcionar à população menos favorecida o acesso
às tecnologias de informação, capacitando-a na prática das técnicas computacionais,às tecnologias de informação, capacitando-a na prática das técnicas computacionais,
voltadas tanto para o aperfeiçoamento da qualidade profissional quanto para avoltadas tanto para o aperfeiçoamento da qualidade profissional quanto para a
melhoria do ensino.melhoria do ensino.
• Programa Estação DigitalPrograma Estação Digital
Em ação: Fundação Banco do Brasil - Sempre com o apoio de um parceiro local,Em ação: Fundação Banco do Brasil - Sempre com o apoio de um parceiro local,
sendo a maioria organizações não governamentais, a iniciativa busca aproximar osendo a maioria organizações não governamentais, a iniciativa busca aproximar o
computador da vida de estudantes, donas-de-casa, trabalhadores, populaçõescomputador da vida de estudantes, donas-de-casa, trabalhadores, populações
tradicionais e cooperativas, economizando tempo e dinheiro, criando novastradicionais e cooperativas, economizando tempo e dinheiro, criando novas
perspectivas e melhorando a qualidade de vida da população. Desde 2004 estão emperspectivas e melhorando a qualidade de vida da população. Desde 2004 estão em
funcionamento 202 unidades pelo Brasil, 41 em processo de instalação e mais 20funcionamento 202 unidades pelo Brasil, 41 em processo de instalação e mais 20
unidades aprovadas para implantação até o final de 2008. Cerca de 56% dasunidades aprovadas para implantação até o final de 2008. Cerca de 56% das
unidades estão localizadas na região Nordeste, 16% no Centro-Oeste, 15% nounidades estão localizadas na região Nordeste, 16% no Centro-Oeste, 15% no
sudeste, 11% no norte e 2% no sul, com a capacidade para atender de 500 a 1.000sudeste, 11% no norte e 2% no sul, com a capacidade para atender de 500 a 1.000
pessoas por mês, e integradas a arranjos produtivos locais.pessoas por mês, e integradas a arranjos produtivos locais.
• Projeto Computador para InclusãoProjeto Computador para Inclusão
Em ação: Ministério do Planejamento, MEC e MTE - Implantação de um sistemaEm ação: Ministério do Planejamento, MEC e MTE - Implantação de um sistema
nacional de recondicionamento de computadores usados, doados pelas iniciativasnacional de recondicionamento de computadores usados, doados pelas iniciativas
pública e privada, recondicionados por jovens de baixa renda em formaçãopública e privada, recondicionados por jovens de baixa renda em formação
profissionalizante, e distribuídos a telecentros, escolas e bibliotecas de todo oprofissionalizante, e distribuídos a telecentros, escolas e bibliotecas de todo o
território nacional. Existem quatro Centros de Recondicionamento de Computadoresterritório nacional. Existem quatro Centros de Recondicionamento de Computadores
– CRC funcionando em caráter piloto em Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Guarulhos– CRC funcionando em caráter piloto em Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Guarulhos
(SP), Belo Horizonte (MG) e Recife (PE), e dois em implantação nos estados do Pará(SP), Belo Horizonte (MG) e Recife (PE), e dois em implantação nos estados do Pará
e Bahia. Até agosto de 2008, o projeto recebeu mais de 15 mil equipamentos usadose Bahia. Até agosto de 2008, o projeto recebeu mais de 15 mil equipamentos usados
e doou 3.025 computadores recondicionados a 347 escolas públicas, bibliotecas,e doou 3.025 computadores recondicionados a 347 escolas públicas, bibliotecas,
telecentros e outras iniciativas de inclusão digital selecionados pela Coordenaçãotelecentros e outras iniciativas de inclusão digital selecionados pela Coordenação
Nacional. Atualmente o Projeto CI atende as demandas por equipamentosNacional. Atualmente o Projeto CI atende as demandas por equipamentos
recondicionados do Programa Telecentros.BR.recondicionados do Programa Telecentros.BR.
Conclusão:Conclusão:
• Como vimos,o assunto aborda a importância da expansão tecnológicaComo vimos,o assunto aborda a importância da expansão tecnológica
digital e suas consequências causadas a parcela da população que deladigital e suas consequências causadas a parcela da população que dela
não a utiliza.É preciso manter tais programas e buscar maisnão a utiliza.É preciso manter tais programas e buscar mais
recursos,criando políticas corretas que visam de verdade levar orecursos,criando políticas corretas que visam de verdade levar o
conhecimento da informação a todos,em especial à aqueles maisconhecimento da informação a todos,em especial à aqueles mais
desfavorecidos,para que possamos ter uma sociedade mais informada edesfavorecidos,para que possamos ter uma sociedade mais informada e
mais instruída,gerando uma melhor condição de vida a população.mais instruída,gerando uma melhor condição de vida a população.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Mariana Cordeiro
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
Paula Tomaz
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
Claudio Henrique Ramos Sales
 
ExclusãO Digital
ExclusãO DigitalExclusãO Digital
ExclusãO Digital
izampo
 

Mais procurados (20)

Fake News na Web
Fake News na WebFake News na Web
Fake News na Web
 
fake news no cotidiano escolar
fake news no cotidiano escolarfake news no cotidiano escolar
fake news no cotidiano escolar
 
Migrações
MigraçõesMigrações
Migrações
 
Cultura Digital
Cultura DigitalCultura Digital
Cultura Digital
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Aula 3 - fluxos migratórios
Aula 3 -  fluxos migratóriosAula 3 -  fluxos migratórios
Aula 3 - fluxos migratórios
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
Ong
OngOng
Ong
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
 
O Racismo
O RacismoO Racismo
O Racismo
 
Desigualdade Social
Desigualdade SocialDesigualdade Social
Desigualdade Social
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
 
Redes sociais- Pontos positivos e negativos
Redes sociais- Pontos positivos e negativosRedes sociais- Pontos positivos e negativos
Redes sociais- Pontos positivos e negativos
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
A evolução da tecnologia
A evolução da tecnologiaA evolução da tecnologia
A evolução da tecnologia
 
ExclusãO Digital
ExclusãO DigitalExclusãO Digital
ExclusãO Digital
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
 
Ongs
OngsOngs
Ongs
 

Destaque

Inclusão digital meu slide
Inclusão digital meu slideInclusão digital meu slide
Inclusão digital meu slide
cidaeed
 
Inclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no BrasilInclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no Brasil
Iasp
 
Introdução a inclusão digital
Introdução a inclusão digitalIntrodução a inclusão digital
Introdução a inclusão digital
Marioguimas
 
Introdução a inclusão digital
Introdução a inclusão digitalIntrodução a inclusão digital
Introdução a inclusão digital
Rbneves
 

Destaque (20)

Slide De InclusãO Digital..
Slide De InclusãO Digital..Slide De InclusãO Digital..
Slide De InclusãO Digital..
 
Inclusão Digital
Inclusão DigitalInclusão Digital
Inclusão Digital
 
Inclusão digital meu slide
Inclusão digital meu slideInclusão digital meu slide
Inclusão digital meu slide
 
inclusão digital
inclusão digitalinclusão digital
inclusão digital
 
Inclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no BrasilInclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no Brasil
 
Do Meio Natural ao MTCI
Do Meio Natural ao MTCIDo Meio Natural ao MTCI
Do Meio Natural ao MTCI
 
Inclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no BrasilInclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no Brasil
 
Introdução a inclusão digital
Introdução a inclusão digitalIntrodução a inclusão digital
Introdução a inclusão digital
 
EJA- Inclusão Digital
EJA- Inclusão DigitalEJA- Inclusão Digital
EJA- Inclusão Digital
 
Inclusão digital trabalho
Inclusão digital trabalhoInclusão digital trabalho
Inclusão digital trabalho
 
Desafios da Inclusão Digital no Brasil
Desafios da Inclusão Digital no BrasilDesafios da Inclusão Digital no Brasil
Desafios da Inclusão Digital no Brasil
 
Inclusao Digital
Inclusao DigitalInclusao Digital
Inclusao Digital
 
PROJETO “Como a Inclusão Digital contribui para a Formação Cidadã?”
PROJETO “Como a Inclusão Digital contribui para a Formação Cidadã?”PROJETO “Como a Inclusão Digital contribui para a Formação Cidadã?”
PROJETO “Como a Inclusão Digital contribui para a Formação Cidadã?”
 
Introdução a inclusão digital
Introdução a inclusão digitalIntrodução a inclusão digital
Introdução a inclusão digital
 
Inclusão Digital
Inclusão DigitalInclusão Digital
Inclusão Digital
 
Inclusao Digital
Inclusao DigitalInclusao Digital
Inclusao Digital
 
Inclusão Digital
Inclusão DigitalInclusão Digital
Inclusão Digital
 
Tecnologia Educacional powerpoint
Tecnologia Educacional powerpointTecnologia Educacional powerpoint
Tecnologia Educacional powerpoint
 
Informática - Aula 1
Informática - Aula 1Informática - Aula 1
Informática - Aula 1
 
Informática - Aula 2
Informática - Aula 2Informática - Aula 2
Informática - Aula 2
 

Semelhante a Inclusão digital

Informatica no mundo atual
Informatica no mundo atualInformatica no mundo atual
Informatica no mundo atual
jmchavesouza
 
Inclusão Digital Web 2.0
Inclusão Digital Web 2.0Inclusão Digital Web 2.0
Inclusão Digital Web 2.0
marlisecruz
 
Gabriel folha 125_adm_slideshare
Gabriel folha 125_adm_slideshareGabriel folha 125_adm_slideshare
Gabriel folha 125_adm_slideshare
Gabriel
 
Inclusão digital ou infoinclusão
Inclusão digital ou infoinclusãoInclusão digital ou infoinclusão
Inclusão digital ou infoinclusão
lbenevenuto
 
Inclusão digital
Inclusão digitalInclusão digital
Inclusão digital
lbenevenuto
 
Inclusão digital
Inclusão digitalInclusão digital
Inclusão digital
lbenevenuto
 
Apresentação impress
Apresentação impressApresentação impress
Apresentação impress
lbenevenuto
 
Apresentação impress
Apresentação impressApresentação impress
Apresentação impress
lbenevenuto
 
Inclusão digital
Inclusão digitalInclusão digital
Inclusão digital
lbenevenuto
 
Apresentação impress
Apresentação impressApresentação impress
Apresentação impress
lbenevenuto
 
Inclusão digital
Inclusão digitalInclusão digital
Inclusão digital
lbenevenuto
 
Apresentação impress
Apresentação impressApresentação impress
Apresentação impress
lbenevenuto
 

Semelhante a Inclusão digital (20)

Inclusao digital
Inclusao digitalInclusao digital
Inclusao digital
 
Informatica no mundo atual
Informatica no mundo atualInformatica no mundo atual
Informatica no mundo atual
 
Inclusão Digital Web 2.0
Inclusão Digital Web 2.0Inclusão Digital Web 2.0
Inclusão Digital Web 2.0
 
Inclusao digital
Inclusao digitalInclusao digital
Inclusao digital
 
Inclusão digital
Inclusão digitalInclusão digital
Inclusão digital
 
I Encontro de Tutores em Ação - Polo Estadual do Ceará ( 14 de abril de 2011)
I  Encontro de Tutores em Ação - Polo Estadual do Ceará  ( 14 de abril de 2011)I  Encontro de Tutores em Ação - Polo Estadual do Ceará  ( 14 de abril de 2011)
I Encontro de Tutores em Ação - Polo Estadual do Ceará ( 14 de abril de 2011)
 
Gabriel folha 125_adm_slideshare
Gabriel folha 125_adm_slideshareGabriel folha 125_adm_slideshare
Gabriel folha 125_adm_slideshare
 
CULTURA DIGITAL
CULTURA DIGITAL CULTURA DIGITAL
CULTURA DIGITAL
 
Infoinclusão para todos
Infoinclusão para todosInfoinclusão para todos
Infoinclusão para todos
 
Infoinclusão para todos
Infoinclusão para todosInfoinclusão para todos
Infoinclusão para todos
 
Inclusão digital ou infoinclusão
Inclusão digital ou infoinclusãoInclusão digital ou infoinclusão
Inclusão digital ou infoinclusão
 
Douglas alves slide
Douglas alves slideDouglas alves slide
Douglas alves slide
 
Inclusão digital
Inclusão digitalInclusão digital
Inclusão digital
 
Inclusão digital
Inclusão digitalInclusão digital
Inclusão digital
 
Apresentação impress
Apresentação impressApresentação impress
Apresentação impress
 
Apresentação impress
Apresentação impressApresentação impress
Apresentação impress
 
Inclusão digital
Inclusão digitalInclusão digital
Inclusão digital
 
Apresentação impress
Apresentação impressApresentação impress
Apresentação impress
 
Inclusão digital
Inclusão digitalInclusão digital
Inclusão digital
 
Apresentação impress
Apresentação impressApresentação impress
Apresentação impress
 

Último

Último (8)

ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 

Inclusão digital

  • 2. O que é Inclusão Digital?O que é Inclusão Digital? • Inclusão Digital ou infoinclusãoInclusão Digital ou infoinclusão  é a democratização do acesso às é a democratização do acesso às tecnologias da Informação, de forma a permitir a inserção de todos na sociedade da informação e é também simplificar a sua rotina diária, maximizar o tempo e as suasé também simplificar a sua rotina diária, maximizar o tempo e as suas potencialidades. Um incluído digitalmente não é aquele que apenas utiliza essa novapotencialidades. Um incluído digitalmente não é aquele que apenas utiliza essa nova linguagem, que é o mundo digital, para trocar e-mails, mas aquele que usufrui desselinguagem, que é o mundo digital, para trocar e-mails, mas aquele que usufrui desse suporte para melhorar as suas condições de vida. Em termos concretos, incluirsuporte para melhorar as suas condições de vida. Em termos concretos, incluir digitalmente não é apenas “alfabetizar” a pessoa em informática, mas tambémdigitalmente não é apenas “alfabetizar” a pessoa em informática, mas também melhorar os quadros sociais a partir do manuseio dos computadores. Como fazermelhorar os quadros sociais a partir do manuseio dos computadores. Como fazer isso? Não apenas ensinando o bê–á–bá do informatiquês, mas mostrando como elaisso? Não apenas ensinando o bê–á–bá do informatiquês, mas mostrando como ela pode ganhar dinheiro e melhorar de vida com ajuda daquele monstrengo de bits epode ganhar dinheiro e melhorar de vida com ajuda daquele monstrengo de bits e bytes que de vez em quando trava.bytes que de vez em quando trava. • A Inclusão Digital, para acontecer, precisa de três instrumentos básicos que são:A Inclusão Digital, para acontecer, precisa de três instrumentos básicos que são: computador, acesso à rede e o domínio dessas ferramentas pois não basta apenas ocomputador, acesso à rede e o domínio dessas ferramentas pois não basta apenas o cidadão possuir um simples computador conectado à internet que iremos considerarcidadão possuir um simples computador conectado à internet que iremos considerar ele, um incluído digitalmente. Ele precisa saber o que fazer com essas ferramentas.ele, um incluído digitalmente. Ele precisa saber o que fazer com essas ferramentas. • Entre as estratégias inclusivas estão projetos e ações que facilitam o acesso deEntre as estratégias inclusivas estão projetos e ações que facilitam o acesso de pessoas de baixa renda às Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Apessoas de baixa renda às Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). A inclusão digital volta-se também para o desenvolvimento de tecnologias que amplieminclusão digital volta-se também para o desenvolvimento de tecnologias que ampliem a acessibilidade para usuários com deficiência. Dessa forma, toda a sociedade podea acessibilidade para usuários com deficiência. Dessa forma, toda a sociedade pode ter acesso a informações disponíveis na Internet, e assim produzir eter acesso a informações disponíveis na Internet, e assim produzir e disseminar conhecimento. A inclusão digital insere-se no movimento maiordisseminar conhecimento. A inclusão digital insere-se no movimento maior de inclusão social, um dos grandes objetivos compartilhados por diversos governosde inclusão social, um dos grandes objetivos compartilhados por diversos governos ao redor do mundo nas últimas décadas.ao redor do mundo nas últimas décadas.
  • 3. Telecentros de InformáticaTelecentros de Informática O que é um telecentro?O que é um telecentro? • TelecentroTelecentro é um espaço público onde pessoas podem utilizar microcomputadores, é um espaço público onde pessoas podem utilizar microcomputadores, a a InternetInternet e outras tecnologias digitais que permitem coletar informações, criar, e outras tecnologias digitais que permitem coletar informações, criar, aprender e comunicar-se com outras pessoas, enquanto desenvolvem habilidadesaprender e comunicar-se com outras pessoas, enquanto desenvolvem habilidades digitais essenciais do Século 21.digitais essenciais do Século 21. • É um ambiente voltado para a oferta de cursos e treinamentos presenciais e àÉ um ambiente voltado para a oferta de cursos e treinamentos presenciais e à distância, informações, serviços e oportunidades de negócios visando odistância, informações, serviços e oportunidades de negócios visando o fortalecimento das condições de competitividade da microempresa e da empresa defortalecimento das condições de competitividade da microempresa e da empresa de pequeno porte e o estímulo à criação de novos empreendimentos. Serve como umpequeno porte e o estímulo à criação de novos empreendimentos. Serve como um instrumento para aproximar os empresários, as instituições públicas e privadas,asinstrumento para aproximar os empresários, as instituições públicas e privadas,as organizações não governamentais e a sociedade em geralorganizações não governamentais e a sociedade em geral • É composto por vários computadores interligados em rede local e conectados àÉ composto por vários computadores interligados em rede local e conectados à internet e tem a orientação de monitores capacitados para atender às demandas dosinternet e tem a orientação de monitores capacitados para atender às demandas dos usuários dos Telecentros. Apesar dos telecentros serem diferentes entre si, seu focousuários dos Telecentros. Apesar dos telecentros serem diferentes entre si, seu foco comum está em, por exemplo, no uso das tecnologias digitais para suportar ocomum está em, por exemplo, no uso das tecnologias digitais para suportar o desenvolvimento comunitário, econômico,educacional e social – reduzindo odesenvolvimento comunitário, econômico,educacional e social – reduzindo o isolamento, interligando as divisas digitais, promovendo questões de saúde, criandoisolamento, interligando as divisas digitais, promovendo questões de saúde, criando oportunidades econômicas e alcançando os jovens.oportunidades econômicas e alcançando os jovens.
  • 4. Analfabetismo DigitalAnalfabetismo Digital •   O analfabetismo digital é um grande fator de exclusão, que resulta em sériasO analfabetismo digital é um grande fator de exclusão, que resulta em sérias implicações sociais, políticas, jurídicas e econômicas. Antes se falava que aqueleimplicações sociais, políticas, jurídicas e econômicas. Antes se falava que aquele que não fosse devidamente alfabetizado, que não conseguisse interpretar eque não fosse devidamente alfabetizado, que não conseguisse interpretar e compreender um texto, estava marginalizado, estigmatizado. Com esteio nestacompreender um texto, estava marginalizado, estigmatizado. Com esteio nesta assertiva, essa tal pessoa não teria sua cidadania exercida plenamente, estando,assertiva, essa tal pessoa não teria sua cidadania exercida plenamente, estando, pois, fadada inexoravelmente a um destino sem perspectivas, restando-lhe somentepois, fadada inexoravelmente a um destino sem perspectivas, restando-lhe somente subempregos. subempregos.  Com efeito, a exclusão agora é outra. Hoje, "navegar" é imprescindível, sobretudo,Com efeito, a exclusão agora é outra. Hoje, "navegar" é imprescindível, sobretudo, dominar as tecnologias de informação. Sem embargos, informação é poder. Diantedominar as tecnologias de informação. Sem embargos, informação é poder. Diante de tais circunstâncias, o já estreito funil da exclusão ficou mais apertado. É dede tais circunstâncias, o já estreito funil da exclusão ficou mais apertado. É de incontroverso saber que a Internet e o computador são ferramentas imprescindíveisincontroverso saber que a Internet e o computador são ferramentas imprescindíveis para quem quer se inserir no mercado de trabalho. Isto porque, desde o balconistapara quem quer se inserir no mercado de trabalho. Isto porque, desde o balconista do supermercado até o dentista ou o advogado, a todos se impõe o uso dado supermercado até o dentista ou o advogado, a todos se impõe o uso da informática. Qualquer profissional precisa dominar as tecnologias de informação,informática. Qualquer profissional precisa dominar as tecnologias de informação, seja ele quem for, esteja ele onde estiver,ou seja, sem informação não háseja ele quem for, esteja ele onde estiver,ou seja, sem informação não há comunicação, o que resulta em exclusão, marginalização.comunicação, o que resulta em exclusão, marginalização.
  • 5. ExclusãoExclusão DigitalDigital • A A exclusão digitalexclusão digital é um conceito dos campos teóricos é um conceito dos campos teóricos da comunicação, sociologia, tecnologia da informação, História eda comunicação, sociologia, tecnologia da informação, História e outras humanidades, que diz respeito às extensas camadas das sociedades queoutras humanidades, que diz respeito às extensas camadas das sociedades que ficaram à margem do fenômeno da sociedade da informação e da expansãoficaram à margem do fenômeno da sociedade da informação e da expansão das redes digitais.das redes digitais. • Os excluídos digitais, em sua grande parte são pessoas que não têm noção do queOs excluídos digitais, em sua grande parte são pessoas que não têm noção do que é Internet e pior ainda, não sabem que pela falta de conhecimentos sobre o mundoé Internet e pior ainda, não sabem que pela falta de conhecimentos sobre o mundo digital, muitos estão, ou vão sentir dificuldade em conseguir emprego. Olhando pordigital, muitos estão, ou vão sentir dificuldade em conseguir emprego. Olhando por esta óptica podemos observar que o desenvolvimento industrial e tecnológico excluiesta óptica podemos observar que o desenvolvimento industrial e tecnológico exclui da maneira mais covarde possível, porque a grande massa que esta a margemda maneira mais covarde possível, porque a grande massa que esta a margem geralmente não tem os instrumento que são básicos para a sua inclusão na vidageralmente não tem os instrumento que são básicos para a sua inclusão na vida digital: o computador, as linhas telefônica, o provedor de acesso e conhecimentodigital: o computador, as linhas telefônica, o provedor de acesso e conhecimento sobre a linguagem. Isto impede que essas pessoas possam fazer uso da coletividadesobre a linguagem. Isto impede que essas pessoas possam fazer uso da coletividade da informação. Somente com um investimento em educação digital, bem como oda informação. Somente com um investimento em educação digital, bem como o desenvolvimento de projetos públicos ou privados com este fim, haverá possibilidadedesenvolvimento de projetos públicos ou privados com este fim, haverá possibilidade de se dar abertura e oportunidade as quem não as tem.de se dar abertura e oportunidade as quem não as tem.
  • 6. • No Brasil, o termo "exclusão digital" é mais usado para se referir ao problema,No Brasil, o termo "exclusão digital" é mais usado para se referir ao problema, indicando o lado dos excluídos, enquanto em outros idiomas os termos equivalentesindicando o lado dos excluídos, enquanto em outros idiomas os termos equivalentes a "a "brecha digitalbrecha digital" ou "" ou "fissura digitalfissura digital" são preferidos (como no inglês " são preferidos (como no inglês digitaldigital dividedivide e o francês  e o francês fracture numériquefracture numérique). Os dois termos, porém, não são sinônimos). Os dois termos, porém, não são sinônimos perfeitos, pois enquanto "exclusão digital" se refere apenas a um dos lados daperfeitos, pois enquanto "exclusão digital" se refere apenas a um dos lados da questão, "brecha digital" faz referência à própria diferença entre excluídos equestão, "brecha digital" faz referência à própria diferença entre excluídos e incluídos.incluídos. • A exclusão digital é atualmente um tema de debates entre governos, organizaçõesA exclusão digital é atualmente um tema de debates entre governos, organizações multilaterais (ONU, OMC), e o terceiro setor (ONGs, entidades assistencialistas).multilaterais (ONU, OMC), e o terceiro setor (ONGs, entidades assistencialistas). Políticas de inclusão digital incluem a criação de pontos de acesso à internet emPolíticas de inclusão digital incluem a criação de pontos de acesso à internet em comunidades carentes (favelas, cortiços, ocupações, assentamentos)comunidades carentes (favelas, cortiços, ocupações, assentamentos) e capacitação (treinamento) de usuários de ferramentas digitaise capacitação (treinamento) de usuários de ferramentas digitais (computadores, DVDs, vídeo digital, som digital, telefonia móvel).(computadores, DVDs, vídeo digital, som digital, telefonia móvel). • As comunidades carentes, os mais pobres e pessoas com uma posição econômicaAs comunidades carentes, os mais pobres e pessoas com uma posição econômica desprivilegiada são excluídas digitalmente, pois não tem acesso à tecnologia. Adesprivilegiada são excluídas digitalmente, pois não tem acesso à tecnologia. A Exclusão digital atinge as partes mais pobres do país, onde ainda não chegaramExclusão digital atinge as partes mais pobres do país, onde ainda não chegaram computadores, internet, celular etc. As pessoas que nunca viram ou usaram umcomputadores, internet, celular etc. As pessoas que nunca viram ou usaram um computador são denominadas Sem-Tela no popular. Muitas escolas já aderiram acomputador são denominadas Sem-Tela no popular. Muitas escolas já aderiram a laboratórios de informática, porém ainda há escolas nas regiões mais pobres quelaboratórios de informática, porém ainda há escolas nas regiões mais pobres que ainda não tem esse tipo de recurso.ainda não tem esse tipo de recurso.
  • 7. Projetos de Inclusão DigitalProjetos de Inclusão Digital • Programa Casa BrasilPrograma Casa Brasil Em ação: Ministério da Ciência e Tecnologia, Instituto Nacional de TI, Mininstério doEm ação: Ministério da Ciência e Tecnologia, Instituto Nacional de TI, Mininstério do Planejamento, Ministério das Comunicações, Ministério da Cultura, Ministério daPlanejamento, Ministério das Comunicações, Ministério da Cultura, Ministério da Educação, Secom, Petrobras, Eletrobrás/Eletronorte, Banco do Brasil e CaixaEducação, Secom, Petrobras, Eletrobrás/Eletronorte, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal - Implantação de espaços multifuncionais de conhecimento eEconômica Federal - Implantação de espaços multifuncionais de conhecimento e cidadania em comunidades de baixo IDH, por meio de parcerias com instituiçõescidadania em comunidades de baixo IDH, por meio de parcerias com instituições locais. Cada unidade de Casa Brasil abrigará um telecentro, com uso de softwarelocais. Cada unidade de Casa Brasil abrigará um telecentro, com uso de software livre, e pelo menos mais dois outros módulos, que podem ser uma biblioteca popular,livre, e pelo menos mais dois outros módulos, que podem ser uma biblioteca popular, um auditório, um estúdio multimídia, uma oficina de produção de rádio, umum auditório, um estúdio multimídia, uma oficina de produção de rádio, um laboratório de popularização da ciência ou uma oficina de manutenção delaboratório de popularização da ciência ou uma oficina de manutenção de equipamentos de informática, e um espaço para atividades comunitárias, além de umequipamentos de informática, e um espaço para atividades comunitárias, além de um módulo de inclusão bancária nas localidades onde for possível. Atualmente são 74módulo de inclusão bancária nas localidades onde for possível. Atualmente são 74 unidades em funcionamento, atendendo em média 20 mil pessoas/mês. Já foramunidades em funcionamento, atendendo em média 20 mil pessoas/mês. Já foram capacitadas mais de 1.000 pessoas nas 37 oficinas livres oferecidas a partir dacapacitadas mais de 1.000 pessoas nas 37 oficinas livres oferecidas a partir da plataforma de educação à distância construída pelo projeto. No total 86 unidades,plataforma de educação à distância construída pelo projeto. No total 86 unidades, selecionadas por meio de edital, serão implantas nas maiores cidades das cincoselecionadas por meio de edital, serão implantas nas maiores cidades das cinco macro-regiões.macro-regiões.
  • 8. • Centros de Inclusão DigitalCentros de Inclusão Digital Em ação: Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) - A implantação de Centros deEm ação: Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) - A implantação de Centros de Inclusão Digital é uma ação que compõe o Programa de Inclusão Digital do MCT. OInclusão Digital é uma ação que compõe o Programa de Inclusão Digital do MCT. O Programa constitui-se em um instrumento de promoção da inclusão social, cujaPrograma constitui-se em um instrumento de promoção da inclusão social, cuja responsabilidade é da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Socialresponsabilidade é da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (SECIS) e tem como objetivo proporcionar à população menos favorecida o acesso(SECIS) e tem como objetivo proporcionar à população menos favorecida o acesso às tecnologias de informação, capacitando-a na prática das técnicas computacionais,às tecnologias de informação, capacitando-a na prática das técnicas computacionais, voltadas tanto para o aperfeiçoamento da qualidade profissional quanto para avoltadas tanto para o aperfeiçoamento da qualidade profissional quanto para a melhoria do ensino.melhoria do ensino.
  • 9. • Programa Estação DigitalPrograma Estação Digital Em ação: Fundação Banco do Brasil - Sempre com o apoio de um parceiro local,Em ação: Fundação Banco do Brasil - Sempre com o apoio de um parceiro local, sendo a maioria organizações não governamentais, a iniciativa busca aproximar osendo a maioria organizações não governamentais, a iniciativa busca aproximar o computador da vida de estudantes, donas-de-casa, trabalhadores, populaçõescomputador da vida de estudantes, donas-de-casa, trabalhadores, populações tradicionais e cooperativas, economizando tempo e dinheiro, criando novastradicionais e cooperativas, economizando tempo e dinheiro, criando novas perspectivas e melhorando a qualidade de vida da população. Desde 2004 estão emperspectivas e melhorando a qualidade de vida da população. Desde 2004 estão em funcionamento 202 unidades pelo Brasil, 41 em processo de instalação e mais 20funcionamento 202 unidades pelo Brasil, 41 em processo de instalação e mais 20 unidades aprovadas para implantação até o final de 2008. Cerca de 56% dasunidades aprovadas para implantação até o final de 2008. Cerca de 56% das unidades estão localizadas na região Nordeste, 16% no Centro-Oeste, 15% nounidades estão localizadas na região Nordeste, 16% no Centro-Oeste, 15% no sudeste, 11% no norte e 2% no sul, com a capacidade para atender de 500 a 1.000sudeste, 11% no norte e 2% no sul, com a capacidade para atender de 500 a 1.000 pessoas por mês, e integradas a arranjos produtivos locais.pessoas por mês, e integradas a arranjos produtivos locais.
  • 10. • Projeto Computador para InclusãoProjeto Computador para Inclusão Em ação: Ministério do Planejamento, MEC e MTE - Implantação de um sistemaEm ação: Ministério do Planejamento, MEC e MTE - Implantação de um sistema nacional de recondicionamento de computadores usados, doados pelas iniciativasnacional de recondicionamento de computadores usados, doados pelas iniciativas pública e privada, recondicionados por jovens de baixa renda em formaçãopública e privada, recondicionados por jovens de baixa renda em formação profissionalizante, e distribuídos a telecentros, escolas e bibliotecas de todo oprofissionalizante, e distribuídos a telecentros, escolas e bibliotecas de todo o território nacional. Existem quatro Centros de Recondicionamento de Computadoresterritório nacional. Existem quatro Centros de Recondicionamento de Computadores – CRC funcionando em caráter piloto em Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Guarulhos– CRC funcionando em caráter piloto em Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Guarulhos (SP), Belo Horizonte (MG) e Recife (PE), e dois em implantação nos estados do Pará(SP), Belo Horizonte (MG) e Recife (PE), e dois em implantação nos estados do Pará e Bahia. Até agosto de 2008, o projeto recebeu mais de 15 mil equipamentos usadose Bahia. Até agosto de 2008, o projeto recebeu mais de 15 mil equipamentos usados e doou 3.025 computadores recondicionados a 347 escolas públicas, bibliotecas,e doou 3.025 computadores recondicionados a 347 escolas públicas, bibliotecas, telecentros e outras iniciativas de inclusão digital selecionados pela Coordenaçãotelecentros e outras iniciativas de inclusão digital selecionados pela Coordenação Nacional. Atualmente o Projeto CI atende as demandas por equipamentosNacional. Atualmente o Projeto CI atende as demandas por equipamentos recondicionados do Programa Telecentros.BR.recondicionados do Programa Telecentros.BR.
  • 11. Conclusão:Conclusão: • Como vimos,o assunto aborda a importância da expansão tecnológicaComo vimos,o assunto aborda a importância da expansão tecnológica digital e suas consequências causadas a parcela da população que deladigital e suas consequências causadas a parcela da população que dela não a utiliza.É preciso manter tais programas e buscar maisnão a utiliza.É preciso manter tais programas e buscar mais recursos,criando políticas corretas que visam de verdade levar orecursos,criando políticas corretas que visam de verdade levar o conhecimento da informação a todos,em especial à aqueles maisconhecimento da informação a todos,em especial à aqueles mais desfavorecidos,para que possamos ter uma sociedade mais informada edesfavorecidos,para que possamos ter uma sociedade mais informada e mais instruída,gerando uma melhor condição de vida a população.mais instruída,gerando uma melhor condição de vida a população.