SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Pré-Vestibular Resgate Popular
História
       do
     Brasil




•   Professor: Bernardo De Carli
transição

Feudalismo                    Capitalismo Comercial




O “descobrimento” do Brasil acontece no momento da
transição do modo de produção feudal para o Capitalismo
Comercial.




É fundamental a compreensão do momento de transição desses
dois modos de produção para entendermos a colonização do
Brasil.
Origem do Feudalismo
•     Feudalismo: sistema econômico, social, político e cultural
      predominante na Europa Ocidental durante a Idade Média.
• Elementos Formadores:
    - Instituições Romanas: Vilas (grandes propriedades rurais que deram
origem aos feudos) e o colonato (originou o regime de servidão).


- Instituições Germânicas: Comitatus (juramento de fidelidade entre
guerreiros que deu origem às relações de suserania e vassalagem) e o
direito consuetudinário (baseado nos costumes e na tradição, direito oral).


- Cristianismo: Base da ideologia da Europa medieval.

- Fatores Internos: Colapso do Império Romano (esgotamento do modo
de produção escravista, ruralização da sociedade e da
economia, fragmentação política.


- Fatores Externos:     Invasões Estrangeiras (árabes, normandos...)
Características do Feudalismo
•   Economia
•   - agrária
•   - natural (sem moeda circulante)
•   - auto-suficiente (sem produção de excedentes)

•   Política
•   - descentralização: a relação de poder manifesta-se através da
    suserania e vassalagem, na qual o vassalado devia fidelidade militar
    ao suserano.
•   - O rei era o grande suserano, todavia seu poder era apenas
    formal, pois dependia da fidelidade de todo conjunto de seus
    vassalos: “O rei tinha o poder de direito, mas não de fato”.

•   Ideologia
•   - teocentrismo (ou seja, Deus era colocado no centro das
    coisas)
Sociedade
 - Alta Belicosidade

•   - Estamental (sem mobilidade social)
•     Clero: composto por membros da Igreja os quais detinham imensas propriedades
    rurais. Dividia-se em alto clero (bispos, abades...) e Baixo clero (padres, freis...)


•    Nobreza:     Hierarquizados em duques, condes, barões, marqueses e cavalheiros
    (pequena nobreza). Eram os senhores feudais.


•    Camponeses:            Servos (“presos” à terra) e Vilões (trabalhadores livres, eram
    poucos)
•




•   - O clero reza, o senhor feudal faz guerra e
•   o servo trabalha.
Crise do Feudalismo
•   - Excessivo crescimento demográfico
•   - Cruzadas (expedições imperialistas que buscavam riquezas em terras do
    oriente, diminuir as pressões do crescimento populacional, dar evasão a
    belicosidade intrínseca no sistema feudal e tinham como objetivo religioso libertar
    Jerusalém)
•   - Consequências das Cruzadas:

•   Abertura do Mar Mediterrâneo

•   Crescimento Econômico (Gênova e Vêneza)

•   Fluxo de produtos orientais

•   Apogeu do poder papal

•   Influência Cultural do Oriente

•   Fortalecimento do poder real (centralização política)

•   Enfraquecimento da nobreza (emancipação dos servos e surgimento da burguesia)


•   - Crise no modo de produção feudal: os senhores feudais desejavam
    obter moedas para conter a fuga de seus servos para as cidades em
    formação acarretando, gradualmente, na transformação dos servos em
    trabalhadores assalariados.
Renascimento Comercial
•   - Abertura do Mar Mediterrâneo
•   Feiras         Vilas         Cidades
Formação do Estado Nacional
                  Moderno
•   -   Centralização política

•   Aliança entre o Rei e a burguesia comercial




•   Vantagens da Burguesia:          padronização da moeda, uniformização das
    leis, redução dos impostos, proteção e estímulo as atividades comerciais...




•   Vantagens do rei:      com apoio financeiro da burguesia podia investir e
    comandar um exército nacional e não mais o conjunto dos seus
    vassalos, assim, surge um poder soberano sobre um território (país), ou seja, o
    Estado Nacional Moderno.
Expansão Marítima e Comercial
Fatores Internos

-   Insuficiência de metais preciosos para cunhar as moedas

-   Necessidade de novos mercados

-   Progressos técnicos

-   Centralização Política (condição básica para a expansão)

Fatores Externos

-   Monopólio Comercial, no final da idade média, das cidades
    italianas Genova e Veneza

-   Tomada de Constantinopla pelos Turcos (1493):
    praticamente estancou o comércio de especiarias no
    Mediterrâneo
Pioneirismo Português
•   - Capacidade de organização: Centralização política precoce
    (dinastia de Avis)



•   - Herança cultural dos árabes




•   - Experiência marítima: economia portuguesa estava voltada
    para o mar (sal, pesca, comércio...)




•   - Estímulo aos estudos náuticos (Escola de Sagres)




•   - Posição geográfica (voltada para o Mar Atlântico)
Consequências das Grandes
                 Navegações
•   Mudança do eixo econômico: Mediterrâneo         Atlântico

•   Crescimento do comércio internacional

•   Expansão dos mercados em escala mundial (integração da
    economia europeia com de outros continentes)

•   Afluxo de metais preciosos para a Europa

•   Formação de impérios coloniais

•   Acúmulo de capitais na mão da burguesia européia

•   Fortalecimento das Monarquias Nacionais

•   Início da difusão da cultura europeia e do cristianismo
•   Revolução tecnológica

•   Ascensão de Portugal e Espanha como potências européias na
    época
Tratado de Tordesilhas
•   - Tratado entre as duas potências da Europa (Portugal e
    Espanha ) para dividir as terras recém descobertas
•   - 1494
•   - 370 léguas ao oeste do arquipélago Cabo Verde
    pertenceriam a Portugal
Brasil Pré-Colonial (1500-1530)
Exercícios
•   1) Não pode ser considerado como fator gerador do
    renascimento comercial que ocorre na Europa, a partir do
    século XI:

•   A) a crise do modo de produção feudal provocada pela
    superexploração da mão-de-obra, através das relações
    servis de produção.

•   B) a disponibilidade de mão-de-obra provocada, entre outros
    fatores, pelo crescimento demográfico a partir do século X.

•   C) predominância cultural e ideológica da Igreja, com a
    valorização da vida extraterrena, a condenação à usura e
    sua posição em relação aos “justo preço” das mercadorias.

•   D) a aquisição das “cartas de franquias”, que fortalecia e
    libertava a nascente burguesia das obrigações tributárias
    dos senhores feudais.

•   E) o movimento cruzadista, que, retratando a estrutura
    mental e religiosa do homem medieval, se estendeu entre os
    séculos XI e XIII
Exercícios
• 2) As cruzadas influíram decisivamente na história da
  Europa na Baixa Idade Média. A mais significativa de
  suas consequências foi:

• A) a reunificação das Igrejas católica e
  Ortodoxa, separadas em 1054 pelo Cisma do Oriente.

• B) um novo Cisma no cristianismo com o início da
  reforma protestante no século XVI.

• C) a conquista dos lugares sagrados do cristianismo
  situados na Ásia ocidental.

• D) a “reabertura” do Mar
  Mediterrâneo, que, possibilitando a reativação dos
  contratos entre Oriente e Ocidente, intensificou o
  renascimento comercial na Europa

• E) o declínio do comércio, o desaparecimento da vida
  urbana e a descentralização política no ocidente da
  Europa.
• 3) Todas as alternativas apresentam fatores
  que caracterizaram os Estados Nacionais
  formados a partir do século XV, EXCETO

• A) Criação de um exército permanente.

• B) Manutenção dos privilégios das
  corporações.

• C) Organização de um sistema nacional de
  impostos.

• D) Ordenação de uma administração
  centralizada.

• E) Unificação de pesos e medidas.
• 4) Todas as alternativas apresentam fatores que
  explicam a primazia dos portugueses no cenário
  dos grandes descobrimentos, EXCETO

• A) a atuação empreendedora da burguesia lusa no
  desenvolvimento da indústria náutica.

• B) a localização geográfica de Portugal , distante
  do Mediterrâneo oriental, dificultando as ligações
  comerciais

• C) a presença da fé e o espírito de cavalaria e das
  cruzadas que atribuíam aos portugueses a missão
  de cristianizar os povos chamados “infiéis”.

• D) o aparecimento pioneiro da monarquia
  absolutista em Portugal responsável pela
  formação do Estado Moderno.

• E) o investimento do capital inglês e alemão em
  Portugal.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de história – 6º ano grecia antiga
Aula de história – 6º ano   grecia antigaAula de história – 6º ano   grecia antiga
Aula de história – 6º ano grecia antigastelawstel
 
1 historiografia
1   historiografia1   historiografia
1 historiografiaeiprofessor
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. anoFatima Freitas
 
Civilizações da África Antiga
Civilizações da África AntigaCivilizações da África Antiga
Civilizações da África AntigaFábio Paiva
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Culturaleiprofessor
 
Feudalimo Baixa Idade Média
Feudalimo Baixa Idade MédiaFeudalimo Baixa Idade Média
Feudalimo Baixa Idade MédiaEdenilson Morais
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)Edenilson Morais
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européiaedna2
 
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia  - Antiguidade OrientalEgito e Mesopotâmia  - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade OrientalValéria Shoujofan
 
Imperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoImperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoPaulo Alexandre
 
Povos nativos da América.
Povos nativos da América.Povos nativos da América.
Povos nativos da América.Camila Brito
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e PersasDaniel Alves Bronstrup
 
Segundo Reinado Brasileiro
Segundo Reinado BrasileiroSegundo Reinado Brasileiro
Segundo Reinado BrasileiroCaJ uNa
 

Mais procurados (20)

Aula de história – 6º ano grecia antiga
Aula de história – 6º ano   grecia antigaAula de história – 6º ano   grecia antiga
Aula de história – 6º ano grecia antiga
 
1 historiografia
1   historiografia1   historiografia
1 historiografia
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
 
hebreus persas efencios
 hebreus persas efencios hebreus persas efencios
hebreus persas efencios
 
Civilizações da África Antiga
Civilizações da África AntigaCivilizações da África Antiga
Civilizações da África Antiga
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Feudalimo Baixa Idade Média
Feudalimo Baixa Idade MédiaFeudalimo Baixa Idade Média
Feudalimo Baixa Idade Média
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
 
1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe 1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
 
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia  - Antiguidade OrientalEgito e Mesopotâmia  - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
 
Imperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoImperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismo
 
Colonização do Brasil
Colonização do BrasilColonização do Brasil
Colonização do Brasil
 
Povos nativos da América.
Povos nativos da América.Povos nativos da América.
Povos nativos da América.
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
 
A Idade Moderna
A Idade ModernaA Idade Moderna
A Idade Moderna
 
Segundo Reinado Brasileiro
Segundo Reinado BrasileiroSegundo Reinado Brasileiro
Segundo Reinado Brasileiro
 
Formação do Brasil
Formação do BrasilFormação do Brasil
Formação do Brasil
 

Destaque (20)

Slide historia
Slide historiaSlide historia
Slide historia
 
História do Brasil - Prof. Alexandre Morais
História do Brasil - Prof. Alexandre MoraisHistória do Brasil - Prof. Alexandre Morais
História do Brasil - Prof. Alexandre Morais
 
Resumo - Uma viagem pela história do Brasil
Resumo - Uma viagem pela história do BrasilResumo - Uma viagem pela história do Brasil
Resumo - Uma viagem pela história do Brasil
 
Brasil Colônia I
Brasil Colônia IBrasil Colônia I
Brasil Colônia I
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia
 
Enem e a disciplina de história
Enem e a disciplina de históriaEnem e a disciplina de história
Enem e a disciplina de história
 
História do brasil ppt aula colonia
História do brasil ppt   aula coloniaHistória do brasil ppt   aula colonia
História do brasil ppt aula colonia
 
Resumo História do Brasil
Resumo História do BrasilResumo História do Brasil
Resumo História do Brasil
 
Brasil Colonial
Brasil ColonialBrasil Colonial
Brasil Colonial
 
Aula colonização do brasil
Aula colonização do brasilAula colonização do brasil
Aula colonização do brasil
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
O QUE É HISTÓRIA
O QUE É HISTÓRIAO QUE É HISTÓRIA
O QUE É HISTÓRIA
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
 
Brasil Pré Colonial (1500 1530)
Brasil Pré Colonial (1500 1530)Brasil Pré Colonial (1500 1530)
Brasil Pré Colonial (1500 1530)
 
História do brasil
História do brasilHistória do brasil
História do brasil
 
Historia do brasil
Historia do brasilHistoria do brasil
Historia do brasil
 
Aulão história ufsc 2014 - história do brasil
Aulão história ufsc 2014 -  história do brasilAulão história ufsc 2014 -  história do brasil
Aulão história ufsc 2014 - história do brasil
 
Revisão vestibular 2010
Revisão vestibular 2010Revisão vestibular 2010
Revisão vestibular 2010
 
Slides sobreo brasil
Slides   sobreo brasilSlides   sobreo brasil
Slides sobreo brasil
 

Semelhante a História do Brasil

Absolutismo X Mercantilismo.ppt
Absolutismo X Mercantilismo.pptAbsolutismo X Mercantilismo.ppt
Absolutismo X Mercantilismo.pptmariapinheiro710
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Baixa Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Baixa Idade Médiawww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Baixa Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Baixa Idade MédiaAnnalu Jannuzzi
 
Hist. do brasil
Hist. do brasilHist. do brasil
Hist. do brasilcallll
 
Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoMaria Luiza
 
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoIdade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoPortal do Vestibulando
 
Importância das feiras 7ºano
Importância das feiras 7ºanoImportância das feiras 7ºano
Importância das feiras 7ºanoBeatrizMarques25
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade médiaKerol Brombal
 
Baixa Idade Média, Idade Moderna e Colônia portuguesa
Baixa Idade Média, Idade Moderna e Colônia portuguesaBaixa Idade Média, Idade Moderna e Colônia portuguesa
Baixa Idade Média, Idade Moderna e Colônia portuguesaBriefCase
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideJacqueline Matilde
 
O quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivO quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivcattonia
 
A Baixa Idade Média
A Baixa Idade MédiaA Baixa Idade Média
A Baixa Idade MédiaBriefCase
 
Portugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo RegimePortugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo RegimeCarlos Pinheiro
 

Semelhante a História do Brasil (20)

Absolutismo X Mercantilismo.ppt
Absolutismo X Mercantilismo.pptAbsolutismo X Mercantilismo.ppt
Absolutismo X Mercantilismo.ppt
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Baixa Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Baixa Idade Médiawww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Baixa Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Baixa Idade Média
 
3 Bimestre
3 Bimestre3 Bimestre
3 Bimestre
 
História Geral: idade média
História Geral: idade médiaHistória Geral: idade média
História Geral: idade média
 
Hist. do brasil
Hist. do brasilHist. do brasil
Hist. do brasil
 
Baixa Idade Média.pptx
Baixa Idade Média.pptxBaixa Idade Média.pptx
Baixa Idade Média.pptx
 
Idade média ´revisão
Idade média ´revisãoIdade média ´revisão
Idade média ´revisão
 
Forte militar
Forte militarForte militar
Forte militar
 
Idade moderna i
Idade moderna iIdade moderna i
Idade moderna i
 
Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismo
 
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoIdade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
 
H8 últimos conteúdos do 7 º ano
H8 últimos conteúdos do 7 º anoH8 últimos conteúdos do 7 º ano
H8 últimos conteúdos do 7 º ano
 
Importância das feiras 7ºano
Importância das feiras 7ºanoImportância das feiras 7ºano
Importância das feiras 7ºano
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
 
Baixa Idade Média, Idade Moderna e Colônia portuguesa
Baixa Idade Média, Idade Moderna e Colônia portuguesaBaixa Idade Média, Idade Moderna e Colônia portuguesa
Baixa Idade Média, Idade Moderna e Colônia portuguesa
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
 
O quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivO quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xiv
 
O renascimento com. e urbano
O renascimento com. e urbanoO renascimento com. e urbano
O renascimento com. e urbano
 
A Baixa Idade Média
A Baixa Idade MédiaA Baixa Idade Média
A Baixa Idade Média
 
Portugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo RegimePortugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo Regime
 

Mais de Centro de Educação e Cultura Pré-Vestibular Resgate Popular

Mais de Centro de Educação e Cultura Pré-Vestibular Resgate Popular (20)

Dançar tango em Porto Alegre
Dançar tango em Porto AlegreDançar tango em Porto Alegre
Dançar tango em Porto Alegre
 
A noite das mulheres cantoras
A noite das mulheres cantorasA noite das mulheres cantoras
A noite das mulheres cantoras
 
Vanguardas e Modernismo
Vanguardas e ModernismoVanguardas e Modernismo
Vanguardas e Modernismo
 
Memórias de um sargento de milícias
Memórias de um sargento de milíciasMemórias de um sargento de milícias
Memórias de um sargento de milícias
 
Romantismo romancistas
Romantismo romancistasRomantismo romancistas
Romantismo romancistas
 
Portas abertas 2014
Portas abertas 2014Portas abertas 2014
Portas abertas 2014
 
Romantismo contexto e poetas
Romantismo contexto e poetasRomantismo contexto e poetas
Romantismo contexto e poetas
 
Egito antigo
Egito antigo Egito antigo
Egito antigo
 
Preposiciones 05 de maio
Preposiciones 05 de maioPreposiciones 05 de maio
Preposiciones 05 de maio
 
Transcrição e tradução
Transcrição e traduçãoTranscrição e tradução
Transcrição e tradução
 
Artigos - espanhol
Artigos - espanholArtigos - espanhol
Artigos - espanhol
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Luís vaz de camões
Luís vaz de camõesLuís vaz de camões
Luís vaz de camões
 
Gil vicente aula
Gil vicente aulaGil vicente aula
Gil vicente aula
 
Aula caminha
Aula caminhaAula caminha
Aula caminha
 
Aula arcadismo
Aula arcadismoAula arcadismo
Aula arcadismo
 
Aula barroco
Aula barrocoAula barroco
Aula barroco
 
Gregório de matos
Gregório de matosGregório de matos
Gregório de matos
 
Falsos cognatos
Falsos cognatosFalsos cognatos
Falsos cognatos
 
Pe antonio vieira
Pe antonio vieiraPe antonio vieira
Pe antonio vieira
 

História do Brasil

  • 2. História do Brasil • Professor: Bernardo De Carli
  • 3. transição Feudalismo Capitalismo Comercial O “descobrimento” do Brasil acontece no momento da transição do modo de produção feudal para o Capitalismo Comercial. É fundamental a compreensão do momento de transição desses dois modos de produção para entendermos a colonização do Brasil.
  • 4. Origem do Feudalismo • Feudalismo: sistema econômico, social, político e cultural predominante na Europa Ocidental durante a Idade Média. • Elementos Formadores: - Instituições Romanas: Vilas (grandes propriedades rurais que deram origem aos feudos) e o colonato (originou o regime de servidão). - Instituições Germânicas: Comitatus (juramento de fidelidade entre guerreiros que deu origem às relações de suserania e vassalagem) e o direito consuetudinário (baseado nos costumes e na tradição, direito oral). - Cristianismo: Base da ideologia da Europa medieval. - Fatores Internos: Colapso do Império Romano (esgotamento do modo de produção escravista, ruralização da sociedade e da economia, fragmentação política. - Fatores Externos: Invasões Estrangeiras (árabes, normandos...)
  • 5. Características do Feudalismo • Economia • - agrária • - natural (sem moeda circulante) • - auto-suficiente (sem produção de excedentes) • Política • - descentralização: a relação de poder manifesta-se através da suserania e vassalagem, na qual o vassalado devia fidelidade militar ao suserano. • - O rei era o grande suserano, todavia seu poder era apenas formal, pois dependia da fidelidade de todo conjunto de seus vassalos: “O rei tinha o poder de direito, mas não de fato”. • Ideologia • - teocentrismo (ou seja, Deus era colocado no centro das coisas)
  • 6. Sociedade - Alta Belicosidade • - Estamental (sem mobilidade social) • Clero: composto por membros da Igreja os quais detinham imensas propriedades rurais. Dividia-se em alto clero (bispos, abades...) e Baixo clero (padres, freis...) • Nobreza: Hierarquizados em duques, condes, barões, marqueses e cavalheiros (pequena nobreza). Eram os senhores feudais. • Camponeses: Servos (“presos” à terra) e Vilões (trabalhadores livres, eram poucos) • • - O clero reza, o senhor feudal faz guerra e • o servo trabalha.
  • 7. Crise do Feudalismo • - Excessivo crescimento demográfico • - Cruzadas (expedições imperialistas que buscavam riquezas em terras do oriente, diminuir as pressões do crescimento populacional, dar evasão a belicosidade intrínseca no sistema feudal e tinham como objetivo religioso libertar Jerusalém) • - Consequências das Cruzadas: • Abertura do Mar Mediterrâneo • Crescimento Econômico (Gênova e Vêneza) • Fluxo de produtos orientais • Apogeu do poder papal • Influência Cultural do Oriente • Fortalecimento do poder real (centralização política) • Enfraquecimento da nobreza (emancipação dos servos e surgimento da burguesia) • - Crise no modo de produção feudal: os senhores feudais desejavam obter moedas para conter a fuga de seus servos para as cidades em formação acarretando, gradualmente, na transformação dos servos em trabalhadores assalariados.
  • 8. Renascimento Comercial • - Abertura do Mar Mediterrâneo • Feiras Vilas Cidades
  • 9. Formação do Estado Nacional Moderno • - Centralização política • Aliança entre o Rei e a burguesia comercial • Vantagens da Burguesia: padronização da moeda, uniformização das leis, redução dos impostos, proteção e estímulo as atividades comerciais... • Vantagens do rei: com apoio financeiro da burguesia podia investir e comandar um exército nacional e não mais o conjunto dos seus vassalos, assim, surge um poder soberano sobre um território (país), ou seja, o Estado Nacional Moderno.
  • 10. Expansão Marítima e Comercial Fatores Internos - Insuficiência de metais preciosos para cunhar as moedas - Necessidade de novos mercados - Progressos técnicos - Centralização Política (condição básica para a expansão) Fatores Externos - Monopólio Comercial, no final da idade média, das cidades italianas Genova e Veneza - Tomada de Constantinopla pelos Turcos (1493): praticamente estancou o comércio de especiarias no Mediterrâneo
  • 11. Pioneirismo Português • - Capacidade de organização: Centralização política precoce (dinastia de Avis) • - Herança cultural dos árabes • - Experiência marítima: economia portuguesa estava voltada para o mar (sal, pesca, comércio...) • - Estímulo aos estudos náuticos (Escola de Sagres) • - Posição geográfica (voltada para o Mar Atlântico)
  • 12. Consequências das Grandes Navegações • Mudança do eixo econômico: Mediterrâneo Atlântico • Crescimento do comércio internacional • Expansão dos mercados em escala mundial (integração da economia europeia com de outros continentes) • Afluxo de metais preciosos para a Europa • Formação de impérios coloniais • Acúmulo de capitais na mão da burguesia européia • Fortalecimento das Monarquias Nacionais • Início da difusão da cultura europeia e do cristianismo • Revolução tecnológica • Ascensão de Portugal e Espanha como potências européias na época
  • 13. Tratado de Tordesilhas • - Tratado entre as duas potências da Europa (Portugal e Espanha ) para dividir as terras recém descobertas • - 1494 • - 370 léguas ao oeste do arquipélago Cabo Verde pertenceriam a Portugal
  • 15. Exercícios • 1) Não pode ser considerado como fator gerador do renascimento comercial que ocorre na Europa, a partir do século XI: • A) a crise do modo de produção feudal provocada pela superexploração da mão-de-obra, através das relações servis de produção. • B) a disponibilidade de mão-de-obra provocada, entre outros fatores, pelo crescimento demográfico a partir do século X. • C) predominância cultural e ideológica da Igreja, com a valorização da vida extraterrena, a condenação à usura e sua posição em relação aos “justo preço” das mercadorias. • D) a aquisição das “cartas de franquias”, que fortalecia e libertava a nascente burguesia das obrigações tributárias dos senhores feudais. • E) o movimento cruzadista, que, retratando a estrutura mental e religiosa do homem medieval, se estendeu entre os séculos XI e XIII
  • 16. Exercícios • 2) As cruzadas influíram decisivamente na história da Europa na Baixa Idade Média. A mais significativa de suas consequências foi: • A) a reunificação das Igrejas católica e Ortodoxa, separadas em 1054 pelo Cisma do Oriente. • B) um novo Cisma no cristianismo com o início da reforma protestante no século XVI. • C) a conquista dos lugares sagrados do cristianismo situados na Ásia ocidental. • D) a “reabertura” do Mar Mediterrâneo, que, possibilitando a reativação dos contratos entre Oriente e Ocidente, intensificou o renascimento comercial na Europa • E) o declínio do comércio, o desaparecimento da vida urbana e a descentralização política no ocidente da Europa.
  • 17. • 3) Todas as alternativas apresentam fatores que caracterizaram os Estados Nacionais formados a partir do século XV, EXCETO • A) Criação de um exército permanente. • B) Manutenção dos privilégios das corporações. • C) Organização de um sistema nacional de impostos. • D) Ordenação de uma administração centralizada. • E) Unificação de pesos e medidas.
  • 18. • 4) Todas as alternativas apresentam fatores que explicam a primazia dos portugueses no cenário dos grandes descobrimentos, EXCETO • A) a atuação empreendedora da burguesia lusa no desenvolvimento da indústria náutica. • B) a localização geográfica de Portugal , distante do Mediterrâneo oriental, dificultando as ligações comerciais • C) a presença da fé e o espírito de cavalaria e das cruzadas que atribuíam aos portugueses a missão de cristianizar os povos chamados “infiéis”. • D) o aparecimento pioneiro da monarquia absolutista em Portugal responsável pela formação do Estado Moderno. • E) o investimento do capital inglês e alemão em Portugal.