SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 53
Folhas e Flores
Morfologia da folha
Folha simples
As folhas são órgãos das plantas especializados em captação de luz e trocas gasosas com a atmosfera
para realizar a fotossíntese e respiração.
Bainha: forma-se no pecíolo, protege as gemas vegetativas.
Estípulas: formações geralmente duplas e pontiagudas que ficam junto a base da folha
Limbo: superfície verde, percorrida pelas nervuras.
O limbo se divide em:
• folhas simples: quando o limbo é único.
• folhas compostas: quando o limbo está dividido em partes. Pecíolo: estrutura de sustentação da folha e
liga-a ao caule.
Folhas de dicotiledôneas geralmente são pecioladas, isto é, o limbo prende-se ao ramo caulinar por
meio de um pecíolo.
Morfologia foliar
 Folha séssil – não possui pecíolo.
 Folha amplexicaule – envolve completamente o caule e não possui
pecíolo.
 Folha invaginante – a bainha é bem desenvolvida e fica em volta do
caule.
Partes da folha
 Limbo: o limbo é a região mais larga da
folha. Nele encontram-se os estômatos e
as nervuras, que possuem pequenos
vasos por onde correm a seiva bruta e a
seiva elaborada.
 Pecíolo: é a haste que sustenta a folha
prendendo-a ao caule.
 Bainha: dilatação do pecíolo, a bainha
serve para prender a folha ao caule.
Célula
vegetal
Seiva
 Seiva Bruta: Composta basicamente por água e sais minerais, é absorvida
pelas raízes e transportada para o resto da planta pelos vasos lenhosos (ou
xilemáticos) do xilema, que são células mortas (ocas). Segundo a Teoria de
Dixon ou Sucção Transpiratória quanto maior a transpiração nas folhas mais
rápido a seiva bruta subira pelo xilema.
 Seiva Elaborada: Composta Principalmente por água e açúcares, produzida
pelas folhas através da fotossíntese é transportada para o resto da planta
através dos vasos liberianos (ou floemáticos) do floema, que são células vivas
que se comunicam através de pontuações que formam uma placa crivada.
Segundo a Teoria de Münch o floema se localiza em uma região mais externa
em relação ao xilema.
Funções da Folha
 Funções da folha:
 Captar a luz solar, que permite a realização da fotossíntese;
 Realizar trocas gasosas.
 Respiração
A respiração ocorre com todas as células vivas. É o
processo realizado para se obter energia.
Fotossíntese
A Fotossíntese é o processo pelo qual a planta
produz o alimento que necessita com auxílio da luz
solar.
 Transpiração
É o processo de eliminação de vapor de
água, realizado pelos estômatos.
À medida que a planta perde água pelas
folhas, ela vai sugando água do solo pelas
raízes.
Divisão do tipo das folhas
Nas angiospermas observamos duas diferenças: as monocotiledôneas e as
dicotiledôneas.
Folhas paralelinérveas -
São comuns nas
angiospermas
monocotiledôneas. As
nervuras se apresentam
mais ou menos paralelas
entre si.
Folhas reticuladas -
Costumam ocorrer nas
angiospermas
dicotiledôneas. As
nervuras se ramificam,
formando uma espécie
de rede.
Existem, no entanto, algumas exceções a essa regra, por exemplo: a quaresmeira é uma
dicotiledônea com folhas curvinérveas, e o copo-de-leite é uma monocotiledôneas com
folhas peninérveas
Uninérvea
( uma só nervura não ramificada)
Paralelinérvea
(várias nervuras principais
paralelas )
Peninérvea
( com uma nervura
principal donde partem várias
secundárias)
Palminérvea
( com várias nervuras principais
que saem da base da folha)
Pela disposição das Nervuras
Classificação das folhas :
13
Folhas Simples Folhas Compostas
Classificação da folha pela forma do limbo
Tipos de folhas
Quanto ao Habitat da folha
As folhas submersas são
filamentares.
As folhas flutuantes são
arredondadas.
As folhas aéreas são amplas e
sagitiformes (aspecto de seta).
A ocorrência de diferentes tipos de
folhas em uma mesma planta tem o
nome de heterofilia.
Heterofilia (Aprofundando um pouco mais...)
 É o caso em que em um vegetal existem diversos tipos de folhas, surgindo
cada tipo em um ambiente diferente. Um exemplo importante é o caso da
Sagitária, em que existem três tipos de folhas: as submersas (que são
alongadas),as flutuantes (que são arredondadas) e as aéreas (que têm
forma de ponta de flexa).
Os inúmeros formatos da folhas
Modificação foliares
As funções das folhas transformadas são:
proteção;
 nutrição;
 reprodução;
 fixação.
Folhas modificadas
 São folhas que têm funções especiais e, por isso mesmo, suas formas se adaptam a
essas especializações. São exemplos:
 Espinho - folha modificada para economia de água
 Escama - folha geralmente subterrânea modificada que protege brotos, como, por
exemplo, no lírio
 Catáfilo - folha subterrânea modificada que protege o broto nos bulbos tunicados,
como na cebola
 Gavinha - folha modificada para permitir a fixação dos caules sarmentosos
 Bráctea - folha modificada que acompanha as flores com função de proteção ou
atração
 Espata - bráctea especial que protege as inflorescências do copo-de-leite e do antúrio
 Carnívorora ou insetívora - folha adapatada para atrair, capturar e digerir pequenos
animais que vão ser utilizados como adubo.
Adaptações especiais das folhas
Gavinhas
Brácteas
Folhas de plantas carnívoras
Dionéia (Dionaea muscipula)
Nutrição
 Cotilédones: primeiras folhas
embrionárias; podem acumular
reservas (feijão) ou servir como órgão
de transferência de reservas do
albúmen para o embrião (mamona -
Ricinus communis).
 Folhas de plantas insetívoras:
formas especializadas para a captura
de insetos .
Nas plantas do gênero Dionaea, o limbo está em
simetria, com pêlos em suas laterais, e em um
dos seus lados há uma grande quantidade de
glândulas que expelem enzimas proteolíticas.
Quando o inseto entra em contato com o limbo,
este se fecha; os pêlos se encontram e se cruzam
aprisionando o inseto, que vai ser digerido pelas
enzimas.
Proteção
 Catafilos são folhas sésseis que não possuem
pecíolo e bainha, onde o limbo insere-se
diretamente no caule.
 Brácteas são folhas que possuem o aspecto
de flores, pois em sua maioria são coloridas.
Têm a função de proteger as flores isoladas, e
funcionam como elemento de atração.
 Espinhos são modificações das folhas é a
transformação em espinho, que são em
estruturas delgadas e pontiagudas, com a
função de proteger a folha, e o controle da
transpiração da folha.
 Filódio: folha muito reduzida. O pecíolo é
desenvolvido.
acacia podalyriaefolia
Flor-de-papagaio
Função de fixação
 Gavinhas são estruturas
delgadas, maleáveis e alongadas
que são fixadas e enroladas em
um suporte, prendendo a planta.
É muito comum em chuchus.
 Folhas com multiplicação vegetativa são
folhas com a função de reprodução
vegetativa.
 Esporófilos estas folhas são representadas
por um complexo de esporângios que
produzem esporos. São encontradas nas
pteridófitas.
 Antofilos são folhas que se transformam em
flores para se reproduzirem. Este processo é
chamado metamorfose progressiva.
Raramente, ocorre o processo inverso, ou
seja, as flores se transformam em folhas, este
é denominado metamorfose regressiva.
Função de
reprodução
Duração das folhas
 Folha persistente ou folha perene
ou perenifólia.
 Folha caducifólia, caduca ou
decídua.
 Marsescentes.
A FLOR
A flor contém os órgãos reprodutores da planta. Uma flor completa é
constituída por várias peças florais: órgãos de suporte (pedúnculo e
receptáculo);órgãos de protecção (cálice e corola) e órgãos de reprodução
(androceu-estames e o gineceu - carpelos).
As flores que não apresentam, ao mesmo tempo, todos os órgãos, chamam-se incompletas.
 Estrutura complexa, presente nos vegetais vasculares e destinado a
reprodução;
 São as estruturas em que se baseiam os taxonomistas para classificar e
identificar plantas;
 As estruturas componentes de uma flor são anatomicamente semelhantes a
de uma folha.
 Partes constituintes de uma flor:
 Pedicelo (pode ser chamado de pedúnculo em flores isoladas);
 Perianto;
 Receptáculo;
 Androceu;
 Gineceu;
Estrutura da flor
Sustentação da flor
Proteção das outras
peças florais
Atrativo para
plonizadores
Microsporófilos –
folhas modificadas
Megasporófilos–
folhas modificadas
Apoio para outras peças florais
Estrutura da flor - Gineceu
Carpelo = folhas modificadas que formam o pistilo
Pistilo = órgão reprodutor feminino
Conjunto de pistilos = gineceu
Estigma – secreção viscosa para segurar o pólen
Estilete – sustentação do estigma
Ovário – formação e desenvolvimento dos óvulos
 Perianto:
 Conceito: constituído pelos elementos florais mais externos e estéreis:
cálice e corola.
 Função: proteção e atração de polinizadores;
 Apresenta estruturas foliares tais como cutícula, epiderme, parênquima,
feixes libero lenhosos e estômato (região dorsal).
 Número de perianto:
Diperiantada ou diclamídea.
 Número de perianto:
 Homoclamídea (presença de tépalas) e heteroclamídea.
 Número de perianto:
 Aperiantada ou aclamídea;
Aparelhos reprodutores das flores
Estame Nome da parte MASCULINA da flor.
Carpelo Nome da parte FEMININA da flor.
Aparelhos reprodutores das flores
Estigma
Estilete
Ovário
(parte feminina)Carpelo
Aparelhos reprodutores das flores
Estame
Antera (contém
pólen)
Filete
(parte masculina)
Flores hermafroditas
Formação do grão de pólen
Polinização e fecundação
Polinização é o transporte do grão de pólen até o estigma de uma flor.
Anemocoria
 Espécies em que a polinização é
feito pelo vento, as flores
apresentam estigmas plumosos.
Em geral pouco vistosas.
Entomofilia
A maioria das angiospermas apresentam
polinização por animais, principalmente insetos.
Nesses casos as flores são vistosas ou apresentam odor característico, o que
atrai os animais
Quiropterofilia
Ornitofilia
Fecundação é a união da célula reprodutora masculina
(anterozóide) com a célula reprodutora feminina (oosfera).
Mecanismos para evitar a autofecundação e garantir a
variabilidade genética
- Heterostilia Hercogamia
Autoesterilidade: o óvulo é estéril ao pólen de sua própria flor.
Dicogamia: gineceu e androceu amadurecem em épocas diferentes
-protandria: androceu amadurece primeiro
-Protoginia: gineceu amadurece primeiro
Dioicia: plantas com sexos separados.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
profatatiana
 
Frutos e sementes
Frutos e sementesFrutos e sementes
Frutos e sementes
UERGS
 
Biologia - Morfologia Vegetal
Biologia - Morfologia VegetalBiologia - Morfologia Vegetal
Biologia - Morfologia Vegetal
Carson Souza
 
Morfologia dos órgãos vegetativos folha
Morfologia dos órgãos vegetativos  folhaMorfologia dos órgãos vegetativos  folha
Morfologia dos órgãos vegetativos folha
ernandes damasceno
 

Mais procurados (20)

Classificação das folhas
Classificação das folhasClassificação das folhas
Classificação das folhas
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
 
Morfologia Vegetal - Caule
Morfologia Vegetal - Caule Morfologia Vegetal - Caule
Morfologia Vegetal - Caule
 
Hormônios Vegetais
Hormônios VegetaisHormônios Vegetais
Hormônios Vegetais
 
1 introdução à botânica
1 introdução à botânica1 introdução à botânica
1 introdução à botânica
 
Monocotiledôneas e dicotiledôneas
Monocotiledôneas e dicotiledôneasMonocotiledôneas e dicotiledôneas
Monocotiledôneas e dicotiledôneas
 
Aula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetaisAula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetais
 
V.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
V.5 Angiospermas - flor, fruto e sementeV.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
V.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
 
Frutos e sementes
Frutos e sementesFrutos e sementes
Frutos e sementes
 
Morfologia vegetal da flor
Morfologia vegetal da florMorfologia vegetal da flor
Morfologia vegetal da flor
 
Folhas
FolhasFolhas
Folhas
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Biologia - Morfologia Vegetal
Biologia - Morfologia VegetalBiologia - Morfologia Vegetal
Biologia - Morfologia Vegetal
 
Caule
CauleCaule
Caule
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
 
Flores
FloresFlores
Flores
 
Folha
FolhaFolha
Folha
 
Morfologia dos órgãos vegetativos folha
Morfologia dos órgãos vegetativos  folhaMorfologia dos órgãos vegetativos  folha
Morfologia dos órgãos vegetativos folha
 
Aula 6 - Caule
Aula 6 - CauleAula 6 - Caule
Aula 6 - Caule
 

Semelhante a Folhas e flores

óRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetaisóRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetais
aulasdoaris
 
óRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetaisóRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetais
aulasdoaris
 
3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas
rrodrigues57
 
3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas
rrodrigues57
 
Morfologia vegetal 2o.m
Morfologia vegetal 2o.mMorfologia vegetal 2o.m
Morfologia vegetal 2o.m
le_firmino
 

Semelhante a Folhas e flores (20)

óRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetaisóRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetais
 
óRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetaisóRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetais
 
Folha agronomia
Folha  agronomiaFolha  agronomia
Folha agronomia
 
Folha
FolhaFolha
Folha
 
Folhas adaptacoes
Folhas adaptacoesFolhas adaptacoes
Folhas adaptacoes
 
gimnospermas 1.pptx
gimnospermas 1.pptxgimnospermas 1.pptx
gimnospermas 1.pptx
 
MorfologiaVegeta, descricao egetall.pptx
MorfologiaVegeta, descricao egetall.pptxMorfologiaVegeta, descricao egetall.pptx
MorfologiaVegeta, descricao egetall.pptx
 
Reino Vegetal Tema:Folha
Reino Vegetal Tema:FolhaReino Vegetal Tema:Folha
Reino Vegetal Tema:Folha
 
A folha
A folhaA folha
A folha
 
Folha Órgão Vegetativo - Ciências EIA - 2016 (8º ano)
Folha Órgão Vegetativo - Ciências   EIA - 2016 (8º ano)Folha Órgão Vegetativo - Ciências   EIA - 2016 (8º ano)
Folha Órgão Vegetativo - Ciências EIA - 2016 (8º ano)
 
MorfologiaVegetal.ppt
MorfologiaVegetal.pptMorfologiaVegetal.ppt
MorfologiaVegetal.ppt
 
reino plantae
reino plantaereino plantae
reino plantae
 
3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas
 
3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas
 
Partes da planta
Partes da plantaPartes da planta
Partes da planta
 
Ctrl aula 2 gabarito avaliação de nivelamento e revisão de anatomia vegeta...
 Ctrl aula 2   gabarito avaliação de nivelamento e revisão de anatomia vegeta... Ctrl aula 2   gabarito avaliação de nivelamento e revisão de anatomia vegeta...
Ctrl aula 2 gabarito avaliação de nivelamento e revisão de anatomia vegeta...
 
Morfologia vegetal 2o.m
Morfologia vegetal 2o.mMorfologia vegetal 2o.m
Morfologia vegetal 2o.m
 
2 caule e folhas
2 caule e folhas2 caule e folhas
2 caule e folhas
 
Estudo das Folhas- Biologia
Estudo das Folhas- BiologiaEstudo das Folhas- Biologia
Estudo das Folhas- Biologia
 
Parcial biologia
Parcial   biologiaParcial   biologia
Parcial biologia
 

Mais de Vitor Morais

Mais de Vitor Morais (20)

Brainwriting 635 - Resumo
Brainwriting 635 - ResumoBrainwriting 635 - Resumo
Brainwriting 635 - Resumo
 
Criação e Estudo de Padrões - Tema: O Maior São João do Mundo
Criação e Estudo de Padrões - Tema: O Maior São João do MundoCriação e Estudo de Padrões - Tema: O Maior São João do Mundo
Criação e Estudo de Padrões - Tema: O Maior São João do Mundo
 
Projeto Análise de Guarda-Chuva
Projeto Análise de Guarda-ChuvaProjeto Análise de Guarda-Chuva
Projeto Análise de Guarda-Chuva
 
Prancha Projeto 2 - Joia Nou Vision (Projeto_2)
Prancha Projeto 2 - Joia Nou Vision (Projeto_2)Prancha Projeto 2 - Joia Nou Vision (Projeto_2)
Prancha Projeto 2 - Joia Nou Vision (Projeto_2)
 
Pranchas Conceito - Projeto 3 ( Guarda-Chuva)
Pranchas Conceito - Projeto 3 ( Guarda-Chuva)Pranchas Conceito - Projeto 3 ( Guarda-Chuva)
Pranchas Conceito - Projeto 3 ( Guarda-Chuva)
 
Um pouco sobre a faia europeia e o carvalho
Um pouco sobre a faia europeia e o carvalhoUm pouco sobre a faia europeia e o carvalho
Um pouco sobre a faia europeia e o carvalho
 
Tudo sobre o rio de janeiro
Tudo sobre o rio de janeiroTudo sobre o rio de janeiro
Tudo sobre o rio de janeiro
 
Suplementos Alimentares
Suplementos AlimentaresSuplementos Alimentares
Suplementos Alimentares
 
Parnasianismo de Olavo Bilac
Parnasianismo de Olavo BilacParnasianismo de Olavo Bilac
Parnasianismo de Olavo Bilac
 
A Migração de Retorno no Brasil
A Migração de Retorno no BrasilA Migração de Retorno no Brasil
A Migração de Retorno no Brasil
 
Economia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste Brasileiro
Economia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste BrasileiroEconomia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste Brasileiro
Economia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste Brasileiro
 
A física do muito pequeno
A física do muito pequenoA física do muito pequeno
A física do muito pequeno
 
A física do “muito grande”
A física do “muito grande”A física do “muito grande”
A física do “muito grande”
 
Hipérbole
HipérboleHipérbole
Hipérbole
 
Revolução cubana (of)
Revolução cubana (of)Revolução cubana (of)
Revolução cubana (of)
 
Frutos e sementes
Frutos e sementesFrutos e sementes
Frutos e sementes
 
Pães (carboidratos) e verduras e legumes
Pães (carboidratos) e verduras e legumesPães (carboidratos) e verduras e legumes
Pães (carboidratos) e verduras e legumes
 
O movimento contracultura hippie
O movimento contracultura hippieO movimento contracultura hippie
O movimento contracultura hippie
 
Resenha das principais obras de clarice lispector
Resenha das principais obras de clarice lispectorResenha das principais obras de clarice lispector
Resenha das principais obras de clarice lispector
 
Anabolizantes
AnabolizantesAnabolizantes
Anabolizantes
 

Último

Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 

Último (20)

APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 

Folhas e flores

  • 2. Morfologia da folha Folha simples As folhas são órgãos das plantas especializados em captação de luz e trocas gasosas com a atmosfera para realizar a fotossíntese e respiração. Bainha: forma-se no pecíolo, protege as gemas vegetativas. Estípulas: formações geralmente duplas e pontiagudas que ficam junto a base da folha
  • 3. Limbo: superfície verde, percorrida pelas nervuras. O limbo se divide em: • folhas simples: quando o limbo é único. • folhas compostas: quando o limbo está dividido em partes. Pecíolo: estrutura de sustentação da folha e liga-a ao caule. Folhas de dicotiledôneas geralmente são pecioladas, isto é, o limbo prende-se ao ramo caulinar por meio de um pecíolo.
  • 4. Morfologia foliar  Folha séssil – não possui pecíolo.  Folha amplexicaule – envolve completamente o caule e não possui pecíolo.  Folha invaginante – a bainha é bem desenvolvida e fica em volta do caule.
  • 5.
  • 6. Partes da folha  Limbo: o limbo é a região mais larga da folha. Nele encontram-se os estômatos e as nervuras, que possuem pequenos vasos por onde correm a seiva bruta e a seiva elaborada.  Pecíolo: é a haste que sustenta a folha prendendo-a ao caule.  Bainha: dilatação do pecíolo, a bainha serve para prender a folha ao caule.
  • 8. Seiva  Seiva Bruta: Composta basicamente por água e sais minerais, é absorvida pelas raízes e transportada para o resto da planta pelos vasos lenhosos (ou xilemáticos) do xilema, que são células mortas (ocas). Segundo a Teoria de Dixon ou Sucção Transpiratória quanto maior a transpiração nas folhas mais rápido a seiva bruta subira pelo xilema.  Seiva Elaborada: Composta Principalmente por água e açúcares, produzida pelas folhas através da fotossíntese é transportada para o resto da planta através dos vasos liberianos (ou floemáticos) do floema, que são células vivas que se comunicam através de pontuações que formam uma placa crivada. Segundo a Teoria de Münch o floema se localiza em uma região mais externa em relação ao xilema.
  • 9. Funções da Folha  Funções da folha:  Captar a luz solar, que permite a realização da fotossíntese;  Realizar trocas gasosas.
  • 10.  Respiração A respiração ocorre com todas as células vivas. É o processo realizado para se obter energia. Fotossíntese A Fotossíntese é o processo pelo qual a planta produz o alimento que necessita com auxílio da luz solar.  Transpiração É o processo de eliminação de vapor de água, realizado pelos estômatos. À medida que a planta perde água pelas folhas, ela vai sugando água do solo pelas raízes.
  • 11. Divisão do tipo das folhas Nas angiospermas observamos duas diferenças: as monocotiledôneas e as dicotiledôneas. Folhas paralelinérveas - São comuns nas angiospermas monocotiledôneas. As nervuras se apresentam mais ou menos paralelas entre si. Folhas reticuladas - Costumam ocorrer nas angiospermas dicotiledôneas. As nervuras se ramificam, formando uma espécie de rede.
  • 12. Existem, no entanto, algumas exceções a essa regra, por exemplo: a quaresmeira é uma dicotiledônea com folhas curvinérveas, e o copo-de-leite é uma monocotiledôneas com folhas peninérveas
  • 13. Uninérvea ( uma só nervura não ramificada) Paralelinérvea (várias nervuras principais paralelas ) Peninérvea ( com uma nervura principal donde partem várias secundárias) Palminérvea ( com várias nervuras principais que saem da base da folha) Pela disposição das Nervuras Classificação das folhas : 13
  • 14. Folhas Simples Folhas Compostas Classificação da folha pela forma do limbo
  • 16.
  • 17. Quanto ao Habitat da folha As folhas submersas são filamentares. As folhas flutuantes são arredondadas. As folhas aéreas são amplas e sagitiformes (aspecto de seta). A ocorrência de diferentes tipos de folhas em uma mesma planta tem o nome de heterofilia.
  • 18. Heterofilia (Aprofundando um pouco mais...)  É o caso em que em um vegetal existem diversos tipos de folhas, surgindo cada tipo em um ambiente diferente. Um exemplo importante é o caso da Sagitária, em que existem três tipos de folhas: as submersas (que são alongadas),as flutuantes (que são arredondadas) e as aéreas (que têm forma de ponta de flexa).
  • 20. Modificação foliares As funções das folhas transformadas são: proteção;  nutrição;  reprodução;  fixação.
  • 21. Folhas modificadas  São folhas que têm funções especiais e, por isso mesmo, suas formas se adaptam a essas especializações. São exemplos:  Espinho - folha modificada para economia de água  Escama - folha geralmente subterrânea modificada que protege brotos, como, por exemplo, no lírio  Catáfilo - folha subterrânea modificada que protege o broto nos bulbos tunicados, como na cebola  Gavinha - folha modificada para permitir a fixação dos caules sarmentosos  Bráctea - folha modificada que acompanha as flores com função de proteção ou atração  Espata - bráctea especial que protege as inflorescências do copo-de-leite e do antúrio  Carnívorora ou insetívora - folha adapatada para atrair, capturar e digerir pequenos animais que vão ser utilizados como adubo.
  • 22. Adaptações especiais das folhas Gavinhas
  • 24. Folhas de plantas carnívoras Dionéia (Dionaea muscipula)
  • 25.
  • 26.
  • 27. Nutrição  Cotilédones: primeiras folhas embrionárias; podem acumular reservas (feijão) ou servir como órgão de transferência de reservas do albúmen para o embrião (mamona - Ricinus communis).  Folhas de plantas insetívoras: formas especializadas para a captura de insetos . Nas plantas do gênero Dionaea, o limbo está em simetria, com pêlos em suas laterais, e em um dos seus lados há uma grande quantidade de glândulas que expelem enzimas proteolíticas. Quando o inseto entra em contato com o limbo, este se fecha; os pêlos se encontram e se cruzam aprisionando o inseto, que vai ser digerido pelas enzimas.
  • 28. Proteção  Catafilos são folhas sésseis que não possuem pecíolo e bainha, onde o limbo insere-se diretamente no caule.  Brácteas são folhas que possuem o aspecto de flores, pois em sua maioria são coloridas. Têm a função de proteger as flores isoladas, e funcionam como elemento de atração.  Espinhos são modificações das folhas é a transformação em espinho, que são em estruturas delgadas e pontiagudas, com a função de proteger a folha, e o controle da transpiração da folha.  Filódio: folha muito reduzida. O pecíolo é desenvolvido. acacia podalyriaefolia Flor-de-papagaio
  • 29. Função de fixação  Gavinhas são estruturas delgadas, maleáveis e alongadas que são fixadas e enroladas em um suporte, prendendo a planta. É muito comum em chuchus.  Folhas com multiplicação vegetativa são folhas com a função de reprodução vegetativa.  Esporófilos estas folhas são representadas por um complexo de esporângios que produzem esporos. São encontradas nas pteridófitas.  Antofilos são folhas que se transformam em flores para se reproduzirem. Este processo é chamado metamorfose progressiva. Raramente, ocorre o processo inverso, ou seja, as flores se transformam em folhas, este é denominado metamorfose regressiva. Função de reprodução
  • 30. Duração das folhas  Folha persistente ou folha perene ou perenifólia.  Folha caducifólia, caduca ou decídua.  Marsescentes.
  • 31.
  • 32. A FLOR A flor contém os órgãos reprodutores da planta. Uma flor completa é constituída por várias peças florais: órgãos de suporte (pedúnculo e receptáculo);órgãos de protecção (cálice e corola) e órgãos de reprodução (androceu-estames e o gineceu - carpelos). As flores que não apresentam, ao mesmo tempo, todos os órgãos, chamam-se incompletas.
  • 33.  Estrutura complexa, presente nos vegetais vasculares e destinado a reprodução;  São as estruturas em que se baseiam os taxonomistas para classificar e identificar plantas;  As estruturas componentes de uma flor são anatomicamente semelhantes a de uma folha.
  • 34.  Partes constituintes de uma flor:  Pedicelo (pode ser chamado de pedúnculo em flores isoladas);  Perianto;  Receptáculo;  Androceu;  Gineceu;
  • 35. Estrutura da flor Sustentação da flor Proteção das outras peças florais Atrativo para plonizadores Microsporófilos – folhas modificadas Megasporófilos– folhas modificadas Apoio para outras peças florais
  • 36. Estrutura da flor - Gineceu Carpelo = folhas modificadas que formam o pistilo Pistilo = órgão reprodutor feminino Conjunto de pistilos = gineceu Estigma – secreção viscosa para segurar o pólen Estilete – sustentação do estigma Ovário – formação e desenvolvimento dos óvulos
  • 37.  Perianto:  Conceito: constituído pelos elementos florais mais externos e estéreis: cálice e corola.  Função: proteção e atração de polinizadores;  Apresenta estruturas foliares tais como cutícula, epiderme, parênquima, feixes libero lenhosos e estômato (região dorsal).
  • 38.  Número de perianto: Diperiantada ou diclamídea.
  • 39.  Número de perianto:  Homoclamídea (presença de tépalas) e heteroclamídea.
  • 40.  Número de perianto:  Aperiantada ou aclamídea;
  • 41.
  • 42. Aparelhos reprodutores das flores Estame Nome da parte MASCULINA da flor. Carpelo Nome da parte FEMININA da flor.
  • 43. Aparelhos reprodutores das flores Estigma Estilete Ovário (parte feminina)Carpelo
  • 44. Aparelhos reprodutores das flores Estame Antera (contém pólen) Filete (parte masculina)
  • 46. Formação do grão de pólen
  • 47. Polinização e fecundação Polinização é o transporte do grão de pólen até o estigma de uma flor.
  • 48. Anemocoria  Espécies em que a polinização é feito pelo vento, as flores apresentam estigmas plumosos. Em geral pouco vistosas.
  • 49. Entomofilia A maioria das angiospermas apresentam polinização por animais, principalmente insetos.
  • 50. Nesses casos as flores são vistosas ou apresentam odor característico, o que atrai os animais Quiropterofilia Ornitofilia
  • 51. Fecundação é a união da célula reprodutora masculina (anterozóide) com a célula reprodutora feminina (oosfera).
  • 52. Mecanismos para evitar a autofecundação e garantir a variabilidade genética - Heterostilia Hercogamia
  • 53. Autoesterilidade: o óvulo é estéril ao pólen de sua própria flor. Dicogamia: gineceu e androceu amadurecem em épocas diferentes -protandria: androceu amadurece primeiro -Protoginia: gineceu amadurece primeiro Dioicia: plantas com sexos separados.