SlideShare uma empresa Scribd logo
402874 – ESCOLA S/3 S. PEDRO
VILA REAL
Vulcanologia
10º Ano Disciplina: Biologia e Geologia Data: 05-12-14
Domínio: Compreender a estrutura e a dinâmica da Geosfera
Subdomínio: Vulcanismo
Conteúdo Programático: Tipos de atividade vulcânica
Leia atentamente cada um dos textos e responda às questões que são propostas a seguir, com a
ajuda do manual, se necessário.
Texto 1 — O vulcão de Monserrat
Após 4 séculos de adormecimento, o vulcão Soufrière de Montserrat entrou em erupção em Julho
de 1995. Após alguns dias de abalos sísmicos, a erupção começou no dia 18. Durante mais de 2 anos
sucederam-se explosões violentas que projetavam, penachos de gases, cinzas e blocos rochosos a 15 km de
altitude. Nuvens ardentes, com enorme velocidade ao longo das vertentes do vulcão, destruíram tudo à sua
passagem. A capital Plymouth, com 4000 habitantes, foi evacuada. Dois dias após a explosão tinha-se
transformado numa cidade fantasma envolta em cinzas. Uma lava viscosa na antiga cratera constituiu uma
agulha vulcânica da qual se libertavam fumarolas.
Texto 2 - O Kilauea: o vulcão mais ativo do mundo
O arquipélago do Havai é formado por uma cadeia de ilhas vulcânicas, com mais de 200 km de
extensão. A Big Island, a única ilha do arquipélago vulcanicamente ativa, e uma das grandes atrações
procuradas pelos turistas. Possui cinco vulcões, três deles ainda ativos: Mauna Loa, Kilauea e Hualeilai.
Atualmente estão em erupção o Mauna Loa e o Kilauea.
O vulcão Kilauea, com 1.219 metros de altitude, é o mais ativo do mundo: está em erupção desde
1983. Embora com grande atividade, este é um vulcão relativamente "tranquilo", pois geralmente não
apresenta grandes explosões, embora esteja continuamente a libertar torrentes de lava que se estendem
por muitos quilómetros e queimam tudo por onde passam. Mas também são elas que permitem à ilha
crescer, pois quando chegam ao mar, a lava solidifica, aumentando o perímetro da costa da ilha.
Texto 3 — Erupção do vulcão dos Capelinhos— Ilha do Faial (1957-1958)
A erupção começou em 27 de Setembro de 1957, tendo sido precedida de uma série de abalos
sísmicos. A atividade iniciou-se numa chaminé submarina, junto a ponta do Capelinhos. Houve explosões
violentas com emissões de vapor de água e gases que, em coluna, se erguiam a 200 m de altura, e ainda de
produtos sólidos, areias e cinzas, que se foram acumulando e formaram uma ilhota. O vento forte cobriu as
casas e culturas com uma espessa camada de cinzas.
No dia 16 de Dezembro cessou temporariamente a atividade explosiva do vulcão, tendo-se iniciado
uma fase efusiva com sete repuxos de lava de cor vermelho-alaranjada. Para o lado norte constituiu-se uma
torrente de lava com cerca de 50 cm de largura que foi cobrindo o cone de cinzas ate atingir o mar.
Nos meses seguintes, as erupções assumiram, ora o tipo efusivo, com repuxos de lava e explosões,
ora o tipo fortemente explosivo, com emissão de materiais sólidos, nomeadamente cinzas. Foram
projetados milhares de metros cúbicos de materiais sólidos de todas as dimensões: cinzas, bombas e blocos
vulcânicos, e lapili.
No dia 12 de Maio de 1958 surgiu uma nova crise de abalos sísmicos, seguida de uma intensa
atividade do vulcão, que expelia jatos de lava ate atingir 50 m de altura. O derrame de lava terminou a 24
de Outubro de 1958, entrando o vulcão numa nova fase de equilíbrio.
1
QUESTÕES
1. Qual das erupções descritas no texto considera mais violenta? E menos violenta? Justifique a sua
resposta com dados do texto para cada um dos casos.
2. Indique os materiais expelidos pelos vulcões em cada um dos textos descritos.
3. Explique o que são piroclastos.
4. Coloque por ordem crescente de dimensão os piroclastos lançados pelo vulcão dos Capelinhos.
5. Justifique a seguinte afirmação: "O vulcão dos Capelinhos tem uma atividade mista".
6. Com auxílio do manual, preencha a tabela que se segue.
Tipos de erupções Efusiva Explosiva Mista
Caraterização da
atividade
Tipo de lava
Libertação de gases
Materiais expelidos pelo
vulcão
Cone vulcânico
Exemplos
7. Indique, justificando, qual dos vulcões representados terá um cone vulcânico mais alto.
8. Explique porque é que se formou a agulha vulcânica no vulcão de Monserrat.
9. Procure em cada um dos textos alguns sinais que poderão ter ajudado os cientistas a prever que vai
acontecer uma erupção vulcânica.
Bom Trabalho 
2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Guia de estudo - Atividade sísmica
Guia de estudo - Atividade sísmicaGuia de estudo - Atividade sísmica
Guia de estudo - Atividade sísmica
Sara Carvalhosa
 
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp024 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
Pelo Siro
 
Tabela cronostratigráfica
Tabela cronostratigráficaTabela cronostratigráfica
Tabela cronostratigráfica
Claudia Costa
 
Vulcanismo em Portugal
Vulcanismo em PortugalVulcanismo em Portugal
Vulcanismo em Portugal
Luís Filipe Marinho
 
Ondas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidadesOndas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidades
Ana Castro
 
Geologia 12 arcos insulares
Geologia 12   arcos insularesGeologia 12   arcos insulares
Geologia 12 arcos insulares
Nuno Correia
 
Paisagens geológicas e os agentes que as modelam
Paisagens geológicas e os agentes que as modelamPaisagens geológicas e os agentes que as modelam
Paisagens geológicas e os agentes que as modelam
Tânia Reis
 
A medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terraA medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terra
Isabel Lopes
 
FT4 - Morfologia dos Fundos Oceânicos
FT4 - Morfologia dos Fundos OceânicosFT4 - Morfologia dos Fundos Oceânicos
FT4 - Morfologia dos Fundos Oceânicos
Gabriela Bruno
 
8 sismologia
8   sismologia8   sismologia
8 sismologia
margaridabt
 
Vulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placasVulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placas
Luís Filipe Marinho
 
Estrutura solar
Estrutura solarEstrutura solar
Estrutura solar
Instituto Iprodesc
 
1 a idade da terra
1   a idade da terra1   a idade da terra
1 a idade da terra
margaridabt
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
José Luís Alves
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Vulcanismo
Tânia Reis
 
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaMétodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Pelo Siro
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Vulcanismo
Tânia Reis
 
Fósseis e processos de fossilização
Fósseis e processos de fossilizaçãoFósseis e processos de fossilização
Fósseis e processos de fossilização
Cecília Antão
 
Geologia estrutural Falhas
Geologia estrutural   FalhasGeologia estrutural   Falhas
Geologia estrutural Falhas
marciotecsoma
 
Transgressão e regressão marinha
Transgressão e regressão marinhaTransgressão e regressão marinha
Transgressão e regressão marinha
Ezequias Guimaraes
 

Mais procurados (20)

Guia de estudo - Atividade sísmica
Guia de estudo - Atividade sísmicaGuia de estudo - Atividade sísmica
Guia de estudo - Atividade sísmica
 
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp024 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
 
Tabela cronostratigráfica
Tabela cronostratigráficaTabela cronostratigráfica
Tabela cronostratigráfica
 
Vulcanismo em Portugal
Vulcanismo em PortugalVulcanismo em Portugal
Vulcanismo em Portugal
 
Ondas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidadesOndas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidades
 
Geologia 12 arcos insulares
Geologia 12   arcos insularesGeologia 12   arcos insulares
Geologia 12 arcos insulares
 
Paisagens geológicas e os agentes que as modelam
Paisagens geológicas e os agentes que as modelamPaisagens geológicas e os agentes que as modelam
Paisagens geológicas e os agentes que as modelam
 
A medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terraA medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terra
 
FT4 - Morfologia dos Fundos Oceânicos
FT4 - Morfologia dos Fundos OceânicosFT4 - Morfologia dos Fundos Oceânicos
FT4 - Morfologia dos Fundos Oceânicos
 
8 sismologia
8   sismologia8   sismologia
8 sismologia
 
Vulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placasVulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placas
 
Estrutura solar
Estrutura solarEstrutura solar
Estrutura solar
 
1 a idade da terra
1   a idade da terra1   a idade da terra
1 a idade da terra
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Vulcanismo
 
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaMétodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosfera
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Vulcanismo
 
Fósseis e processos de fossilização
Fósseis e processos de fossilizaçãoFósseis e processos de fossilização
Fósseis e processos de fossilização
 
Geologia estrutural Falhas
Geologia estrutural   FalhasGeologia estrutural   Falhas
Geologia estrutural Falhas
 
Transgressão e regressão marinha
Transgressão e regressão marinhaTransgressão e regressão marinha
Transgressão e regressão marinha
 

Semelhante a Ficha 3 tipo de erupções

Tipo de erupções
Tipo de erupçõesTipo de erupções
Tipo de erupções
home
 
Vulcão dos Capelinhos
Vulcão dos CapelinhosVulcão dos Capelinhos
Vulcão dos Capelinhos
Diana Mendes
 
Ficha vulcanismo
Ficha vulcanismoFicha vulcanismo
Ficha vulcanismo
nanci
 
Erupã§ãµes vulcã¢nicas
Erupã§ãµes vulcã¢nicasErupã§ãµes vulcã¢nicas
Erupã§ãµes vulcã¢nicas
Xavier Santos
 
Atividade vulcanica
Atividade vulcanicaAtividade vulcanica
Vesúvio mauro e rui
Vesúvio   mauro e ruiVesúvio   mauro e rui
Vesúvio mauro e rui
scostaalbino
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
lidia76
 
Vulcão dos Capelinhos.pptx
Vulcão dos Capelinhos.pptxVulcão dos Capelinhos.pptx
Vulcão dos Capelinhos.pptx
ENA SIL
 
Vulcão
VulcãoVulcão
Vulcão
Kartex Kartex
 
Erupções vulcânicas
Erupções vulcânicas Erupções vulcânicas
Erupções vulcânicas
geocoisas
 
vulcanismo
 vulcanismo vulcanismo
vulcanismo
Terceiro Calhau
 
FT1 - 8º ano
FT1 - 8º anoFT1 - 8º ano
FT1 - 8º ano
Gabriela Bruno
 
Vulcanismo e plutonismo
Vulcanismo e plutonismoVulcanismo e plutonismo
Vulcanismo e plutonismo
Wendell Fabrício
 
Vulcanologia 1
Vulcanologia 1Vulcanologia 1
Vulcanologia 1
guestbfaae7
 
Resumo vulcões
Resumo vulcõesResumo vulcões
Resumo vulcões
MINEDU
 
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
Faga1939
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
José Palma
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Vulcanismo
Catir
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
Marisa Tavares
 

Semelhante a Ficha 3 tipo de erupções (20)

Tipo de erupções
Tipo de erupçõesTipo de erupções
Tipo de erupções
 
Vulcão dos Capelinhos
Vulcão dos CapelinhosVulcão dos Capelinhos
Vulcão dos Capelinhos
 
Ficha vulcanismo
Ficha vulcanismoFicha vulcanismo
Ficha vulcanismo
 
Erupã§ãµes vulcã¢nicas
Erupã§ãµes vulcã¢nicasErupã§ãµes vulcã¢nicas
Erupã§ãµes vulcã¢nicas
 
Atividade vulcanica
Atividade vulcanicaAtividade vulcanica
Atividade vulcanica
 
Aula meteorologia 9
Aula meteorologia 9Aula meteorologia 9
Aula meteorologia 9
 
Vesúvio mauro e rui
Vesúvio   mauro e ruiVesúvio   mauro e rui
Vesúvio mauro e rui
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
 
Vulcão dos Capelinhos.pptx
Vulcão dos Capelinhos.pptxVulcão dos Capelinhos.pptx
Vulcão dos Capelinhos.pptx
 
Vulcão
VulcãoVulcão
Vulcão
 
Erupções vulcânicas
Erupções vulcânicas Erupções vulcânicas
Erupções vulcânicas
 
vulcanismo
 vulcanismo vulcanismo
vulcanismo
 
FT1 - 8º ano
FT1 - 8º anoFT1 - 8º ano
FT1 - 8º ano
 
Vulcanismo e plutonismo
Vulcanismo e plutonismoVulcanismo e plutonismo
Vulcanismo e plutonismo
 
Vulcanologia 1
Vulcanologia 1Vulcanologia 1
Vulcanologia 1
 
Resumo vulcões
Resumo vulcõesResumo vulcões
Resumo vulcões
 
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Vulcanismo
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
 

Mais de Luís Filipe Marinho

Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficosObtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Luís Filipe Marinho
 
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
Luís Filipe Marinho
 
Ingestão, digestão e absorção
Ingestão, digestão e absorçãoIngestão, digestão e absorção
Ingestão, digestão e absorção
Luís Filipe Marinho
 
Transportes de materiais através da mambrana
Transportes de materiais através da mambranaTransportes de materiais através da mambrana
Transportes de materiais através da mambrana
Luís Filipe Marinho
 
Membrana celular
Membrana celularMembrana celular
Membrana celular
Luís Filipe Marinho
 
Ficha 1 membrana plasmasmática
Ficha 1   membrana plasmasmáticaFicha 1   membrana plasmasmática
Ficha 1 membrana plasmasmática
Luís Filipe Marinho
 
J2 serviço dos ecossistemas
J2   serviço dos ecossistemasJ2   serviço dos ecossistemas
J2 serviço dos ecossistemas
Luís Filipe Marinho
 
J1 gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
J1   gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentávelJ1   gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
J1 gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
Luís Filipe Marinho
 
I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terraI2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
Luís Filipe Marinho
 
I1 sucessões ecológicas
I1   sucessões ecológicasI1   sucessões ecológicas
I1 sucessões ecológicas
Luís Filipe Marinho
 
Protocolo do trabalho prático - fatores abióticos luz e água
Protocolo do trabalho prático -  fatores abióticos luz e águaProtocolo do trabalho prático -  fatores abióticos luz e água
Protocolo do trabalho prático - fatores abióticos luz e água
Luís Filipe Marinho
 
Fatores abióticos - solo e vento
Fatores abióticos - solo e ventoFatores abióticos - solo e vento
Fatores abióticos - solo e vento
Luís Filipe Marinho
 
Fatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuaçãoFatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuação
Luís Filipe Marinho
 
Fatores abióticos - água e luz
Fatores abióticos - água e luzFatores abióticos - água e luz
Fatores abióticos - água e luz
Luís Filipe Marinho
 
Ficha 5 medidas de minimização
Ficha 5   medidas de minimizaçãoFicha 5   medidas de minimização
Ficha 5 medidas de minimização
Luís Filipe Marinho
 
Aula 5 minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
Aula 5  minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevençãoAula 5  minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
Aula 5 minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
Luís Filipe Marinho
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Aula 3 tipos de erupções vulcãnicas
Aula 3  tipos de erupções vulcãnicasAula 3  tipos de erupções vulcãnicas
Aula 3 tipos de erupções vulcãnicas
Luís Filipe Marinho
 
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologia
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologiaFicha de trabalho - noções básicas vulcanologia
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologia
Luís Filipe Marinho
 
introdução ao vulcanismo
introdução ao vulcanismointrodução ao vulcanismo
introdução ao vulcanismo
Luís Filipe Marinho
 

Mais de Luís Filipe Marinho (20)

Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficosObtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos
 
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
 
Ingestão, digestão e absorção
Ingestão, digestão e absorçãoIngestão, digestão e absorção
Ingestão, digestão e absorção
 
Transportes de materiais através da mambrana
Transportes de materiais através da mambranaTransportes de materiais através da mambrana
Transportes de materiais através da mambrana
 
Membrana celular
Membrana celularMembrana celular
Membrana celular
 
Ficha 1 membrana plasmasmática
Ficha 1   membrana plasmasmáticaFicha 1   membrana plasmasmática
Ficha 1 membrana plasmasmática
 
J2 serviço dos ecossistemas
J2   serviço dos ecossistemasJ2   serviço dos ecossistemas
J2 serviço dos ecossistemas
 
J1 gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
J1   gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentávelJ1   gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
J1 gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
 
I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terraI2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
 
I1 sucessões ecológicas
I1   sucessões ecológicasI1   sucessões ecológicas
I1 sucessões ecológicas
 
Protocolo do trabalho prático - fatores abióticos luz e água
Protocolo do trabalho prático -  fatores abióticos luz e águaProtocolo do trabalho prático -  fatores abióticos luz e água
Protocolo do trabalho prático - fatores abióticos luz e água
 
Fatores abióticos - solo e vento
Fatores abióticos - solo e ventoFatores abióticos - solo e vento
Fatores abióticos - solo e vento
 
Fatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuaçãoFatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuação
 
Fatores abióticos - água e luz
Fatores abióticos - água e luzFatores abióticos - água e luz
Fatores abióticos - água e luz
 
Ficha 5 medidas de minimização
Ficha 5   medidas de minimizaçãoFicha 5   medidas de minimização
Ficha 5 medidas de minimização
 
Aula 5 minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
Aula 5  minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevençãoAula 5  minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
Aula 5 minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Vulcanismo
 
Aula 3 tipos de erupções vulcãnicas
Aula 3  tipos de erupções vulcãnicasAula 3  tipos de erupções vulcãnicas
Aula 3 tipos de erupções vulcãnicas
 
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologia
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologiaFicha de trabalho - noções básicas vulcanologia
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologia
 
introdução ao vulcanismo
introdução ao vulcanismointrodução ao vulcanismo
introdução ao vulcanismo
 

Último

A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
maria-oliveira
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 

Último (20)

A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 

Ficha 3 tipo de erupções

  • 1. 402874 – ESCOLA S/3 S. PEDRO VILA REAL Vulcanologia 10º Ano Disciplina: Biologia e Geologia Data: 05-12-14 Domínio: Compreender a estrutura e a dinâmica da Geosfera Subdomínio: Vulcanismo Conteúdo Programático: Tipos de atividade vulcânica Leia atentamente cada um dos textos e responda às questões que são propostas a seguir, com a ajuda do manual, se necessário. Texto 1 — O vulcão de Monserrat Após 4 séculos de adormecimento, o vulcão Soufrière de Montserrat entrou em erupção em Julho de 1995. Após alguns dias de abalos sísmicos, a erupção começou no dia 18. Durante mais de 2 anos sucederam-se explosões violentas que projetavam, penachos de gases, cinzas e blocos rochosos a 15 km de altitude. Nuvens ardentes, com enorme velocidade ao longo das vertentes do vulcão, destruíram tudo à sua passagem. A capital Plymouth, com 4000 habitantes, foi evacuada. Dois dias após a explosão tinha-se transformado numa cidade fantasma envolta em cinzas. Uma lava viscosa na antiga cratera constituiu uma agulha vulcânica da qual se libertavam fumarolas. Texto 2 - O Kilauea: o vulcão mais ativo do mundo O arquipélago do Havai é formado por uma cadeia de ilhas vulcânicas, com mais de 200 km de extensão. A Big Island, a única ilha do arquipélago vulcanicamente ativa, e uma das grandes atrações procuradas pelos turistas. Possui cinco vulcões, três deles ainda ativos: Mauna Loa, Kilauea e Hualeilai. Atualmente estão em erupção o Mauna Loa e o Kilauea. O vulcão Kilauea, com 1.219 metros de altitude, é o mais ativo do mundo: está em erupção desde 1983. Embora com grande atividade, este é um vulcão relativamente "tranquilo", pois geralmente não apresenta grandes explosões, embora esteja continuamente a libertar torrentes de lava que se estendem por muitos quilómetros e queimam tudo por onde passam. Mas também são elas que permitem à ilha crescer, pois quando chegam ao mar, a lava solidifica, aumentando o perímetro da costa da ilha. Texto 3 — Erupção do vulcão dos Capelinhos— Ilha do Faial (1957-1958) A erupção começou em 27 de Setembro de 1957, tendo sido precedida de uma série de abalos sísmicos. A atividade iniciou-se numa chaminé submarina, junto a ponta do Capelinhos. Houve explosões violentas com emissões de vapor de água e gases que, em coluna, se erguiam a 200 m de altura, e ainda de produtos sólidos, areias e cinzas, que se foram acumulando e formaram uma ilhota. O vento forte cobriu as casas e culturas com uma espessa camada de cinzas. No dia 16 de Dezembro cessou temporariamente a atividade explosiva do vulcão, tendo-se iniciado uma fase efusiva com sete repuxos de lava de cor vermelho-alaranjada. Para o lado norte constituiu-se uma torrente de lava com cerca de 50 cm de largura que foi cobrindo o cone de cinzas ate atingir o mar. Nos meses seguintes, as erupções assumiram, ora o tipo efusivo, com repuxos de lava e explosões, ora o tipo fortemente explosivo, com emissão de materiais sólidos, nomeadamente cinzas. Foram projetados milhares de metros cúbicos de materiais sólidos de todas as dimensões: cinzas, bombas e blocos vulcânicos, e lapili. No dia 12 de Maio de 1958 surgiu uma nova crise de abalos sísmicos, seguida de uma intensa atividade do vulcão, que expelia jatos de lava ate atingir 50 m de altura. O derrame de lava terminou a 24 de Outubro de 1958, entrando o vulcão numa nova fase de equilíbrio. 1
  • 2. QUESTÕES 1. Qual das erupções descritas no texto considera mais violenta? E menos violenta? Justifique a sua resposta com dados do texto para cada um dos casos. 2. Indique os materiais expelidos pelos vulcões em cada um dos textos descritos. 3. Explique o que são piroclastos. 4. Coloque por ordem crescente de dimensão os piroclastos lançados pelo vulcão dos Capelinhos. 5. Justifique a seguinte afirmação: "O vulcão dos Capelinhos tem uma atividade mista". 6. Com auxílio do manual, preencha a tabela que se segue. Tipos de erupções Efusiva Explosiva Mista Caraterização da atividade Tipo de lava Libertação de gases Materiais expelidos pelo vulcão Cone vulcânico Exemplos 7. Indique, justificando, qual dos vulcões representados terá um cone vulcânico mais alto. 8. Explique porque é que se formou a agulha vulcânica no vulcão de Monserrat. 9. Procure em cada um dos textos alguns sinais que poderão ter ajudado os cientistas a prever que vai acontecer uma erupção vulcânica. Bom Trabalho  2