SlideShare uma empresa Scribd logo
3 de Fevereiro de 2015
Professor Estagiário: Filipe Marinho
Turma: 8º D 1
I1
Objetivo geral: Relacionar o equilíbrio
dinâmico dos ecossistemas com a
sustentabilidade do planeta Terra
① Descrever as fases de uma sucessão
ecológica, utilizando um exemplo
concreto.
③ Identificar o tipo de sucessão
ecológica descrita em documentos
diversificados.
Descritor:
② Distinguir sucessão ecológica primária
de sucessão ecológica secundária.
Manual: 8CienTic- Porto Editora
Ciências Naturais
Ecossistema- é formado pelo conjunto dos seres vivos e do seu meio natural,
incluindo as relações entre organismos vivos e entre estes e o meio físico
químico.
I1
Recapitulando
Indivíduo
População
Comunidade
Ecossistema
Biosfera
Alguns níveis de
organização
biológica
I1
I1
Sucessão ecológica – Desenvolvimento do ecossistema
caracterizado pela substituição ordenada e gradual da
comunidade de seres vivos ao longo do tempo.
O que é uma sucessão ecológica?
Sucessão
Ato ou
efeito de
suceder.
Sequência
ou série
Continuação
ou
seguimento
Rocha
nua Líquenes
Líquenes
Musgos
Herbáceas
anuais
Herbáceas
perenes
Gramíneas
Árvores não
tolerantes à
sombra
Arbustos
Gramíneas
Árvores
tolerantes à
sombra
Comunidade
Clímax
Comunidade
Intermédia
Comunidade
Pioneira
Tempo
I1I1 Como ocorre uma sucessão ecológica?
Complexidade dos seres
Biodiversidade e densidade populacional
Rede trófica torna-se mais complexa
Figura 2.118 da página 131
I1 Fases de uma sucessão ecológica
Rocha nua
• Exposição direta à luz solar.
• Ausência de solo.
• Rápida evaporação da água da
chuva.
• Só organismos pouco exigentes
conseguem fixar-se.
I1 Fases de uma sucessão ecológica
Comunidade pioneira
• Formada pelas primeiras
espécies a fixar-se no local.
• Alteração da rocha.
• Início da formação do solo.
• Instalação de musgos e ervas.
• Enriquecimento do meio com
materiais orgânicos.
• Consolidação do terreno com as
raízes.
• Criação de zonas de sombra.
I1 Fases de uma sucessão ecológica
Comunidade intermédia
• Instalação de plantas
arbustivas.
• Surgem os animais
herbívoros.
• Surgem os carnívoros
(predadores). Aumenta o
alimento disponível.
• Instalação das primeiras
árvores.
• Aumento dos habitats.
• As cadeias e teias
alimentares tornam-se mais
complexas.
I1 Fases de uma sucessão ecológica
Comunidade clímax
• Formada por espécies
diversificadas e estáveis.
• Os fluxos de matéria e de
energia atingem o equilíbrio.
• Duradoura no tempo se não
ocorrerem perturbações.
• Equilíbrio entre as condições
bióticas e abióticas
I1 Estudo de caso – Surtsey ①
19801970 1990 2000
Ilha de Surtsey– Ocorreu uma sucessão ecológica primária,
pois o ecossistema desenvolveu-se a partir de uma ilha vulcânica
recém-formada. O ecossistema vai tornar-se cada vez mais rico e
complexo, aumentando o número de espécies de plantas e de
animais.
Pág. 133
I1 Estudo de caso – Surtsey ①
19801970 1990 2000
NINGUÉM PODE PÔR OS PÉS NA ILHA, COM EXCEÇÃO DE UM
GRUPO DE CIENTISTAS QUE A MONITORIZA POR UMA OU
DUAS SEMANAS A CADA ANO.
Curiosidade
I1 Sucessão ecológica②
Inicia-se numa área cuja comunidade
anterior foi destruída.
Sucessão
secundária
Inicia-se numa área estéril, nunca antes
habitada, em que as condições não são
inicialmente favoráveis.
pode ser
Sucessão
primária
I1 Sucessão ecológica primária
• Sucessão ecológica que se
inicia num local onde nunca
existiu nenhuma comunidade.
Ex.: ilha vulcânica recém-formada;
rocha nua.
I1 Sucessão ecológica secundária
• Sucessão ecológica que se
inicia num local onde já
existiu uma comunidade
que entretanto foi
removida.
Ex.: floresta após um
incêndio; sucessão num
campo agrícola abandonado.
I1
sucessão primária VS sucessão
secundária
• Sucessão ecológica secundária mais rápida
que a sucessão primária, devido a:
• existência de solo formado (pode instalar-se logo de início uma
comunidade pioneira com seres mais complexos);
• persistência de alguns organismos, sementes e/ou
esporos no solo.
I1 Que tipo de sucessão ecológica é?③
Página 139 Exercício 1
Características do
ecossistema
Comunidades
em desenvolvimento
Comunidade
clímax
Biodiversidade
Tamanho dos indivíduos
Crescimento
Número de descendentes
Relações tróficas
Matéria orgânica
Quantidade de solo
Fatores abióticos (efeito)
I1 Quadro resumo
Baixa? Alta?
Pequeno? Grande?
Rápido? Lento?
Elevado? Baixo?
Cadeia alimentar? ?
Pouca? Muita?
Teia alimentar
Pouca Muita? ?
Alto Menor

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria
Margarida Cardoso
 
Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
Plínio Gonçalves
 
Ameaças à Biodiversidade
Ameaças à BiodiversidadeAmeaças à Biodiversidade
Ameaças à Biodiversidade
Ednaldo Monteiro
 
Aula 8º ano fluxo de energia
Aula 8º ano fluxo de energiaAula 8º ano fluxo de energia
Aula 8º ano fluxo de energia
Liliane Morgado
 
II - DERIVA CONTINENTAL
II - DERIVA CONTINENTALII - DERIVA CONTINENTAL
II - DERIVA CONTINENTAL
sandranascimento
 
Unidades de Conservação - Por Renato Marchesini
Unidades de Conservação - Por Renato MarchesiniUnidades de Conservação - Por Renato Marchesini
Unidades de Conservação - Por Renato Marchesini
Renato Marchesini
 
V.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologiaV.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologia
Rebeca Vale
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
profatatiana
 
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
s1lv1alouro
 
Aula Unidades de Conservação
Aula Unidades de ConservaçãoAula Unidades de Conservação
Aula Unidades de Conservação
Diego Igawa
 
Fatores limitantes
Fatores limitantesFatores limitantes
Fatores limitantes
unesp
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Cristina Vitória
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
Turma Olímpica
 
Animais invertebrados parte 1
Animais invertebrados   parte 1Animais invertebrados   parte 1
Animais invertebrados parte 1
Grazi Grazi
 
Sucessão Ecológica
Sucessão Ecológica Sucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
Teresa Monteiro
 
IV - FATORES BIÓTICOS
IV - FATORES BIÓTICOSIV - FATORES BIÓTICOS
IV - FATORES BIÓTICOS
sandranascimento
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - Temperatura
Catir
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
URCA
 
Trabalho da água 5ºano
Trabalho da água 5ºanoTrabalho da água 5ºano
Trabalho da água 5ºano
Rodrigo Marques
 
Biodiversidade ppt
Biodiversidade pptBiodiversidade ppt
Biodiversidade ppt
guest7b65ee
 

Mais procurados (20)

3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria
 
Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
 
Ameaças à Biodiversidade
Ameaças à BiodiversidadeAmeaças à Biodiversidade
Ameaças à Biodiversidade
 
Aula 8º ano fluxo de energia
Aula 8º ano fluxo de energiaAula 8º ano fluxo de energia
Aula 8º ano fluxo de energia
 
II - DERIVA CONTINENTAL
II - DERIVA CONTINENTALII - DERIVA CONTINENTAL
II - DERIVA CONTINENTAL
 
Unidades de Conservação - Por Renato Marchesini
Unidades de Conservação - Por Renato MarchesiniUnidades de Conservação - Por Renato Marchesini
Unidades de Conservação - Por Renato Marchesini
 
V.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologiaV.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologia
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
 
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
 
Aula Unidades de Conservação
Aula Unidades de ConservaçãoAula Unidades de Conservação
Aula Unidades de Conservação
 
Fatores limitantes
Fatores limitantesFatores limitantes
Fatores limitantes
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
 
Animais invertebrados parte 1
Animais invertebrados   parte 1Animais invertebrados   parte 1
Animais invertebrados parte 1
 
Sucessão Ecológica
Sucessão Ecológica Sucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
 
IV - FATORES BIÓTICOS
IV - FATORES BIÓTICOSIV - FATORES BIÓTICOS
IV - FATORES BIÓTICOS
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - Temperatura
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
 
Trabalho da água 5ºano
Trabalho da água 5ºanoTrabalho da água 5ºano
Trabalho da água 5ºano
 
Biodiversidade ppt
Biodiversidade pptBiodiversidade ppt
Biodiversidade ppt
 

Destaque

I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terraI2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
Luís Filipe Marinho
 
3 4 sucessão ecológica
3 4 sucessão ecológica3 4 sucessão ecológica
3 4 sucessão ecológica
professorfabiovalente
 
J2 serviço dos ecossistemas
J2   serviço dos ecossistemasJ2   serviço dos ecossistemas
J2 serviço dos ecossistemas
Luís Filipe Marinho
 
Powerpoint Nr. 5 ImportâNcia Dos Decompositores
Powerpoint Nr. 5   ImportâNcia Dos DecompositoresPowerpoint Nr. 5   ImportâNcia Dos Decompositores
Powerpoint Nr. 5 ImportâNcia Dos Decompositores
Nuno Correia
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
marco :)
 
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp026 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
Deolinda Silva
 
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
Margarida Cardoso
 
Sucessão ecológica(1)
Sucessão ecológica(1)Sucessão ecológica(1)
Sucessão ecológica(1)
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Sucessão Ecológica
Sucessão EcológicaSucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
Carlos Priante
 
Ficha 5 medidas de minimização
Ficha 5   medidas de minimizaçãoFicha 5   medidas de minimização
Ficha 5 medidas de minimização
Luís Filipe Marinho
 
Ecossistemas em mudança sucessão ecológica
Ecossistemas em mudança   sucessão ecológicaEcossistemas em mudança   sucessão ecológica
Ecossistemas em mudança sucessão ecológica
Célia Figueiredo
 
Itens 8ºano
Itens 8ºanoItens 8ºano
Itens 8ºano
Deolinda Silva
 
Protocolo do trabalho prático - fatores abióticos luz e água
Protocolo do trabalho prático -  fatores abióticos luz e águaProtocolo do trabalho prático -  fatores abióticos luz e água
Protocolo do trabalho prático - fatores abióticos luz e água
Luís Filipe Marinho
 
Itens
ItensItens
Aendt8 doc e (1)
Aendt8 doc e (1)Aendt8 doc e (1)
Aendt8 doc e (1)
Deolinda Silva
 
Itens 7ºa..
Itens 7ºa..Itens 7ºa..
Itens 7ºa..
Deolinda Silva
 
Sucessão ecológica
Sucessão ecológicaSucessão ecológica
Sucessão ecológica
Deolinda Silva
 
Sucessões ecológicas primarias
Sucessões ecológicas primariasSucessões ecológicas primarias
Sucessões ecológicas primarias
FATEC Cariri
 
Itens 8ºano
Itens 8ºanoItens 8ºano
Itens 8ºano
Deolinda Silva
 

Destaque (20)

I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terraI2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
 
3 4 sucessão ecológica
3 4 sucessão ecológica3 4 sucessão ecológica
3 4 sucessão ecológica
 
J2 serviço dos ecossistemas
J2   serviço dos ecossistemasJ2   serviço dos ecossistemas
J2 serviço dos ecossistemas
 
Powerpoint Nr. 5 ImportâNcia Dos Decompositores
Powerpoint Nr. 5   ImportâNcia Dos DecompositoresPowerpoint Nr. 5   ImportâNcia Dos Decompositores
Powerpoint Nr. 5 ImportâNcia Dos Decompositores
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp026 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
 
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
 
Sucessão ecológica(1)
Sucessão ecológica(1)Sucessão ecológica(1)
Sucessão ecológica(1)
 
Sucessão Ecológica
Sucessão EcológicaSucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
 
Ficha 5 medidas de minimização
Ficha 5   medidas de minimizaçãoFicha 5   medidas de minimização
Ficha 5 medidas de minimização
 
Ecossistemas em mudança sucessão ecológica
Ecossistemas em mudança   sucessão ecológicaEcossistemas em mudança   sucessão ecológica
Ecossistemas em mudança sucessão ecológica
 
Itens 8ºano
Itens 8ºanoItens 8ºano
Itens 8ºano
 
Output
OutputOutput
Output
 
Protocolo do trabalho prático - fatores abióticos luz e água
Protocolo do trabalho prático -  fatores abióticos luz e águaProtocolo do trabalho prático -  fatores abióticos luz e água
Protocolo do trabalho prático - fatores abióticos luz e água
 
Itens
ItensItens
Itens
 
Aendt8 doc e (1)
Aendt8 doc e (1)Aendt8 doc e (1)
Aendt8 doc e (1)
 
Itens 7ºa..
Itens 7ºa..Itens 7ºa..
Itens 7ºa..
 
Sucessão ecológica
Sucessão ecológicaSucessão ecológica
Sucessão ecológica
 
Sucessões ecológicas primarias
Sucessões ecológicas primariasSucessões ecológicas primarias
Sucessões ecológicas primarias
 
Itens 8ºano
Itens 8ºanoItens 8ºano
Itens 8ºano
 

Semelhante a I1 sucessões ecológicas

1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
Leonor Vaz Pereira
 
Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
anocas_rita
 
Sucessão ecológica
Sucessão ecológicaSucessão ecológica
Sucessão ecológica
linamelim
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
BIOGERALDO
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
BIOGERALDO
 
Aula de ecologia curso completo
Aula de ecologia   curso completoAula de ecologia   curso completo
Aula de ecologia curso completo
Marcionedes De Souza
 
A biodiversidade no sistema Terra (Banco de imagens).ppt
A biodiversidade no sistema Terra (Banco de imagens).pptA biodiversidade no sistema Terra (Banco de imagens).ppt
A biodiversidade no sistema Terra (Banco de imagens).ppt
LusMelo20
 
Sucessão ecológica aula.. Sucessão primária e secundária
Sucessão ecológica aula.. Sucessão primária e secundáriaSucessão ecológica aula.. Sucessão primária e secundária
Sucessão ecológica aula.. Sucessão primária e secundária
Universidade Federal do Pará - UFPA
 
Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
anocas_rita
 
Sucessões ecológicas
Sucessões ecológicasSucessões ecológicas
Sucessões ecológicas
Larj
 
Unidade i a vida e o ambiente
Unidade i   a vida e o ambienteUnidade i   a vida e o ambiente
Unidade i a vida e o ambiente
Cleber Nonato Conceição
 
Ecologia ! moral
Ecologia ! moralEcologia ! moral
Ecologia ! moral
Zaara Miranda
 
Ecologia ! moral
Ecologia ! moralEcologia ! moral
Ecologia ! moral
Zaara Miranda
 
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slidesEcologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
claudionc
 
Ecologia - Fundamentos
Ecologia - FundamentosEcologia - Fundamentos
Ecologia - Fundamentos
claudionc
 
Ciencias para o 6º ano ver
Ciencias para o 6º ano   verCiencias para o 6º ano   ver
Ciencias para o 6º ano ver
Cezanildo Oliveira
 
Trabalho de atividade prática montagem de um ecossistema sustentável - terr...
Trabalho de atividade prática   montagem de um ecossistema sustentável - terr...Trabalho de atividade prática   montagem de um ecossistema sustentável - terr...
Trabalho de atividade prática montagem de um ecossistema sustentável - terr...
Maria Cristina Marques Mota
 
Aula da Especialidade de Ecologia
Aula da Especialidade de Ecologia Aula da Especialidade de Ecologia
Aula da Especialidade de Ecologia
Filhos da Rocha
 
Ecologia socorro
Ecologia socorroEcologia socorro
Ecologia socorro
Flávia Fernandes
 
Ciencias Naturais
Ciencias NaturaisCiencias Naturais
Ciencias Naturais
Luis Ferreira
 

Semelhante a I1 sucessões ecológicas (20)

1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
 
Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
 
Sucessão ecológica
Sucessão ecológicaSucessão ecológica
Sucessão ecológica
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
 
Aula de ecologia curso completo
Aula de ecologia   curso completoAula de ecologia   curso completo
Aula de ecologia curso completo
 
A biodiversidade no sistema Terra (Banco de imagens).ppt
A biodiversidade no sistema Terra (Banco de imagens).pptA biodiversidade no sistema Terra (Banco de imagens).ppt
A biodiversidade no sistema Terra (Banco de imagens).ppt
 
Sucessão ecológica aula.. Sucessão primária e secundária
Sucessão ecológica aula.. Sucessão primária e secundáriaSucessão ecológica aula.. Sucessão primária e secundária
Sucessão ecológica aula.. Sucessão primária e secundária
 
Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
 
Sucessões ecológicas
Sucessões ecológicasSucessões ecológicas
Sucessões ecológicas
 
Unidade i a vida e o ambiente
Unidade i   a vida e o ambienteUnidade i   a vida e o ambiente
Unidade i a vida e o ambiente
 
Ecologia ! moral
Ecologia ! moralEcologia ! moral
Ecologia ! moral
 
Ecologia ! moral
Ecologia ! moralEcologia ! moral
Ecologia ! moral
 
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slidesEcologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
 
Ecologia - Fundamentos
Ecologia - FundamentosEcologia - Fundamentos
Ecologia - Fundamentos
 
Ciencias para o 6º ano ver
Ciencias para o 6º ano   verCiencias para o 6º ano   ver
Ciencias para o 6º ano ver
 
Trabalho de atividade prática montagem de um ecossistema sustentável - terr...
Trabalho de atividade prática   montagem de um ecossistema sustentável - terr...Trabalho de atividade prática   montagem de um ecossistema sustentável - terr...
Trabalho de atividade prática montagem de um ecossistema sustentável - terr...
 
Aula da Especialidade de Ecologia
Aula da Especialidade de Ecologia Aula da Especialidade de Ecologia
Aula da Especialidade de Ecologia
 
Ecologia socorro
Ecologia socorroEcologia socorro
Ecologia socorro
 
Ciencias Naturais
Ciencias NaturaisCiencias Naturais
Ciencias Naturais
 

Mais de Luís Filipe Marinho

Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficosObtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Luís Filipe Marinho
 
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
Luís Filipe Marinho
 
Ingestão, digestão e absorção
Ingestão, digestão e absorçãoIngestão, digestão e absorção
Ingestão, digestão e absorção
Luís Filipe Marinho
 
Transportes de materiais através da mambrana
Transportes de materiais através da mambranaTransportes de materiais através da mambrana
Transportes de materiais através da mambrana
Luís Filipe Marinho
 
Membrana celular
Membrana celularMembrana celular
Membrana celular
Luís Filipe Marinho
 
Ficha 1 membrana plasmasmática
Ficha 1   membrana plasmasmáticaFicha 1   membrana plasmasmática
Ficha 1 membrana plasmasmática
Luís Filipe Marinho
 
J1 gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
J1   gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentávelJ1   gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
J1 gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
Luís Filipe Marinho
 
Fatores abióticos - solo e vento
Fatores abióticos - solo e ventoFatores abióticos - solo e vento
Fatores abióticos - solo e vento
Luís Filipe Marinho
 
Fatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuaçãoFatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuação
Luís Filipe Marinho
 
Fatores abióticos - água e luz
Fatores abióticos - água e luzFatores abióticos - água e luz
Fatores abióticos - água e luz
Luís Filipe Marinho
 
Aula 5 minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
Aula 5  minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevençãoAula 5  minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
Aula 5 minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
Luís Filipe Marinho
 
Vulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placasVulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placas
Luís Filipe Marinho
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Ficha 3 tipo de erupções
Ficha 3  tipo de erupçõesFicha 3  tipo de erupções
Ficha 3 tipo de erupções
Luís Filipe Marinho
 
Aula 3 tipos de erupções vulcãnicas
Aula 3  tipos de erupções vulcãnicasAula 3  tipos de erupções vulcãnicas
Aula 3 tipos de erupções vulcãnicas
Luís Filipe Marinho
 
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologia
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologiaFicha de trabalho - noções básicas vulcanologia
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologia
Luís Filipe Marinho
 
introdução ao vulcanismo
introdução ao vulcanismointrodução ao vulcanismo
introdução ao vulcanismo
Luís Filipe Marinho
 
Ficha de trabalho Vulcanismo nos Açores
Ficha de trabalho Vulcanismo nos AçoresFicha de trabalho Vulcanismo nos Açores
Ficha de trabalho Vulcanismo nos Açores
Luís Filipe Marinho
 
Vulcanismo em Portugal
Vulcanismo em PortugalVulcanismo em Portugal
Vulcanismo em Portugal
Luís Filipe Marinho
 
Aspetos geomorfológicos numa região granítica
Aspetos geomorfológicos numa região graníticaAspetos geomorfológicos numa região granítica
Aspetos geomorfológicos numa região granítica
Luís Filipe Marinho
 

Mais de Luís Filipe Marinho (20)

Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficosObtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos
 
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
Ingestão, digestão e absorção (parte 2)
 
Ingestão, digestão e absorção
Ingestão, digestão e absorçãoIngestão, digestão e absorção
Ingestão, digestão e absorção
 
Transportes de materiais através da mambrana
Transportes de materiais através da mambranaTransportes de materiais através da mambrana
Transportes de materiais através da mambrana
 
Membrana celular
Membrana celularMembrana celular
Membrana celular
 
Ficha 1 membrana plasmasmática
Ficha 1   membrana plasmasmáticaFicha 1   membrana plasmasmática
Ficha 1 membrana plasmasmática
 
J1 gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
J1   gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentávelJ1   gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
J1 gestão dos ecossitemas e desenvolvimento sustentável
 
Fatores abióticos - solo e vento
Fatores abióticos - solo e ventoFatores abióticos - solo e vento
Fatores abióticos - solo e vento
 
Fatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuaçãoFatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuação
 
Fatores abióticos - água e luz
Fatores abióticos - água e luzFatores abióticos - água e luz
Fatores abióticos - água e luz
 
Aula 5 minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
Aula 5  minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevençãoAula 5  minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
Aula 5 minimização dos riscos vulcanicos- previsão e prevenção
 
Vulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placasVulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placas
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Vulcanismo
 
Ficha 3 tipo de erupções
Ficha 3  tipo de erupçõesFicha 3  tipo de erupções
Ficha 3 tipo de erupções
 
Aula 3 tipos de erupções vulcãnicas
Aula 3  tipos de erupções vulcãnicasAula 3  tipos de erupções vulcãnicas
Aula 3 tipos de erupções vulcãnicas
 
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologia
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologiaFicha de trabalho - noções básicas vulcanologia
Ficha de trabalho - noções básicas vulcanologia
 
introdução ao vulcanismo
introdução ao vulcanismointrodução ao vulcanismo
introdução ao vulcanismo
 
Ficha de trabalho Vulcanismo nos Açores
Ficha de trabalho Vulcanismo nos AçoresFicha de trabalho Vulcanismo nos Açores
Ficha de trabalho Vulcanismo nos Açores
 
Vulcanismo em Portugal
Vulcanismo em PortugalVulcanismo em Portugal
Vulcanismo em Portugal
 
Aspetos geomorfológicos numa região granítica
Aspetos geomorfológicos numa região graníticaAspetos geomorfológicos numa região granítica
Aspetos geomorfológicos numa região granítica
 

Último

Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 

I1 sucessões ecológicas

  • 1. 3 de Fevereiro de 2015 Professor Estagiário: Filipe Marinho Turma: 8º D 1
  • 2. I1 Objetivo geral: Relacionar o equilíbrio dinâmico dos ecossistemas com a sustentabilidade do planeta Terra ① Descrever as fases de uma sucessão ecológica, utilizando um exemplo concreto. ③ Identificar o tipo de sucessão ecológica descrita em documentos diversificados. Descritor: ② Distinguir sucessão ecológica primária de sucessão ecológica secundária. Manual: 8CienTic- Porto Editora Ciências Naturais
  • 3. Ecossistema- é formado pelo conjunto dos seres vivos e do seu meio natural, incluindo as relações entre organismos vivos e entre estes e o meio físico químico. I1 Recapitulando Indivíduo População Comunidade Ecossistema Biosfera Alguns níveis de organização biológica
  • 4. I1
  • 5. I1 Sucessão ecológica – Desenvolvimento do ecossistema caracterizado pela substituição ordenada e gradual da comunidade de seres vivos ao longo do tempo. O que é uma sucessão ecológica? Sucessão Ato ou efeito de suceder. Sequência ou série Continuação ou seguimento
  • 6. Rocha nua Líquenes Líquenes Musgos Herbáceas anuais Herbáceas perenes Gramíneas Árvores não tolerantes à sombra Arbustos Gramíneas Árvores tolerantes à sombra Comunidade Clímax Comunidade Intermédia Comunidade Pioneira Tempo I1I1 Como ocorre uma sucessão ecológica? Complexidade dos seres Biodiversidade e densidade populacional Rede trófica torna-se mais complexa Figura 2.118 da página 131
  • 7. I1 Fases de uma sucessão ecológica Rocha nua • Exposição direta à luz solar. • Ausência de solo. • Rápida evaporação da água da chuva. • Só organismos pouco exigentes conseguem fixar-se.
  • 8. I1 Fases de uma sucessão ecológica Comunidade pioneira • Formada pelas primeiras espécies a fixar-se no local. • Alteração da rocha. • Início da formação do solo. • Instalação de musgos e ervas. • Enriquecimento do meio com materiais orgânicos. • Consolidação do terreno com as raízes. • Criação de zonas de sombra.
  • 9. I1 Fases de uma sucessão ecológica Comunidade intermédia • Instalação de plantas arbustivas. • Surgem os animais herbívoros. • Surgem os carnívoros (predadores). Aumenta o alimento disponível. • Instalação das primeiras árvores. • Aumento dos habitats. • As cadeias e teias alimentares tornam-se mais complexas.
  • 10. I1 Fases de uma sucessão ecológica Comunidade clímax • Formada por espécies diversificadas e estáveis. • Os fluxos de matéria e de energia atingem o equilíbrio. • Duradoura no tempo se não ocorrerem perturbações. • Equilíbrio entre as condições bióticas e abióticas
  • 11. I1 Estudo de caso – Surtsey ① 19801970 1990 2000 Ilha de Surtsey– Ocorreu uma sucessão ecológica primária, pois o ecossistema desenvolveu-se a partir de uma ilha vulcânica recém-formada. O ecossistema vai tornar-se cada vez mais rico e complexo, aumentando o número de espécies de plantas e de animais. Pág. 133
  • 12. I1 Estudo de caso – Surtsey ① 19801970 1990 2000 NINGUÉM PODE PÔR OS PÉS NA ILHA, COM EXCEÇÃO DE UM GRUPO DE CIENTISTAS QUE A MONITORIZA POR UMA OU DUAS SEMANAS A CADA ANO. Curiosidade
  • 13. I1 Sucessão ecológica② Inicia-se numa área cuja comunidade anterior foi destruída. Sucessão secundária Inicia-se numa área estéril, nunca antes habitada, em que as condições não são inicialmente favoráveis. pode ser Sucessão primária
  • 14. I1 Sucessão ecológica primária • Sucessão ecológica que se inicia num local onde nunca existiu nenhuma comunidade. Ex.: ilha vulcânica recém-formada; rocha nua.
  • 15. I1 Sucessão ecológica secundária • Sucessão ecológica que se inicia num local onde já existiu uma comunidade que entretanto foi removida. Ex.: floresta após um incêndio; sucessão num campo agrícola abandonado.
  • 16. I1 sucessão primária VS sucessão secundária • Sucessão ecológica secundária mais rápida que a sucessão primária, devido a: • existência de solo formado (pode instalar-se logo de início uma comunidade pioneira com seres mais complexos); • persistência de alguns organismos, sementes e/ou esporos no solo.
  • 17. I1 Que tipo de sucessão ecológica é?③ Página 139 Exercício 1
  • 18. Características do ecossistema Comunidades em desenvolvimento Comunidade clímax Biodiversidade Tamanho dos indivíduos Crescimento Número de descendentes Relações tróficas Matéria orgânica Quantidade de solo Fatores abióticos (efeito) I1 Quadro resumo Baixa? Alta? Pequeno? Grande? Rápido? Lento? Elevado? Baixo? Cadeia alimentar? ? Pouca? Muita? Teia alimentar Pouca Muita? ? Alto Menor

Notas do Editor

  1. Apresentar-me. Num ecossistema, cada ser vivo é permanentemente sujeito às condições do meio – factores abióticos – e à acção dos outros seres vivos – factores bióticos. Estes factores influenciam o comportamento e a fisiologia dos organismos, o crescimento das populações e a sua distribuição geográfica. Os factores abióticos são, como já se disse, os factores do meio que influenciam os organismos. A temperatura, a luz, a humidade, a disponibilidade ou composição da água, as características físico-químicas do solo e o vento são alguns exemplos de factores abióticos. É difícil determinar a influência de cada dos factores abióticos isoladamente, uma vez que todos actuam conjuntamente. Vamos apenas analisar alguns.
  2. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  3. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  4. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  5. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  6. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  7. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  8. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  9. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  10. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  11. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  12. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  13. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  14. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  15. Há muitos milhões de anos atrás, aquand
  16. Há muitos milhões de anos atrás, aquand