SlideShare uma empresa Scribd logo
SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO (AOS PEIXES)

Padre António Vieira, Sermão de Santo
António (aos Peixes)
Brasil, 1654

Português
11º
Leitura da Epígrafe do Sermão de Santo António (aos peixes)

Este Sermão (que todo é alegórico ) pregou o Autor três
dias antes de se embarcar ocultamente para o Reino, a
procurar o remédio da salvação dos Índios, pelas causas
que se apontam no I. Sermão do I Tomo. E nele tocou todos
os pontos da doutrina (posto que perseguida) que mais
necessários eram ao bem espiritual e temporal daquela
terra, como facilmente se pode entender das mesmas
alegorias.

*pequeno texto anteposto ao início da obra

Português
11º
ALEGORIA
Concretização de uma realidade abstrata.

Este sermão é uma alegoria porque os peixes são metáfora dos homens,
as suas virtudes são por contraste metáfora dos defeitos dos homens e os
seus vícios são diretamente metáfora dos vícios dos homens. O pregador
fala aos peixes, mas quem escuta são os homens.
Leitura da Epígrafe do Sermão de Santo António (aos peixes)
Este Sermão (que todo é alegórico ) pregou o Autor três dias antes de
se embarcar ocultamente para o Reino, a procurar o remédio da
salvação dos Índios.
alegórico o Sermão fala de uma realidade – o mundo dos peixes – para figurar outra – o
mundo dos homens e, em particular, dos brancos do Maranhão (o auditório do Sermão)
–, recorrendo a analogias, metáforas, imagens e comparações.
embarcar ocultamente para o Reino partir secretamente para Portugal, ou seja, às
ocultas dos colonos ou habitantes brancos do Maranhão.
a procurar o remédio de salvação dos Índios Vieira parte para Lisboa em busca de
legislação contra a escravização dos Índios e, com efeito, em 1655, um ano depois, sai
uma disposição legal, determinando que os Índios ficam sob a proteção dos jesuítas.
Português
11º
Leitura da Epígrafe do Sermão de Santo António (aos peixes)

Português
11º
ESTRUTURA DO SERMÃO

Sermão

Português
11º
ESTRUTURA DO SERMÃO

Organização do sermão

Português
11º
ESTRUTURA DO SERMÃO

Organização do sermão

Português
11º
TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO
Sermão de Santo António (aos Peixes )
Pregado a 13 de Junho, no dia de santo António, é um sermão em louvor deste santo

Português
11º
TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO

Quem foi Santo António?
Frade franciscano português do século XIII.
Nascido em Lisboa cerca de 1190, viveu em Itália a partir dos
31 anos, tendo-se notabilizado, aí e no Sul de França, como
pregador e professor de Teologia. Morreu, em Pádua, na
Itália, em 1231. Foi canonizado 11 meses apenas após a sua
morte.

Português
11º
TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO

Passo do Evangelho glosado no Sermão: uma frase de Cristo dirigida aos Apóstolos

Tal como o sal evita que a carne e o peixe se estraguem,
conservando-os sãos
assim pela pregação da verdadeira doutrina os apóstolos
(e padres seus sucessores)
guardam a terra (os homens) da corrupção do pecado

Português
11º
TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO
Porquê o Sal?

Desde tempos remotos, elemento essencial à vida humana e de
grande importância económica:
até final do século XIX, o SAL era o único meio disponível para
preservar a carne e o peixe.

Português
11º
TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO

Pensar nas palavras
Salário e sal: que relação existe entre estas duas palavras?

Salarius era a palavra latina que designava o soldo ou vencimento dos
soldados romanos, para comprar SAL.

Português
11º
TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO
Sermão

O Sermão de Santo António (aos Peixes) é um
sermão que tem como tema de pregação a figura de
Santo António, grande pregador da Igreja.

Português
11º
Disciplina de Português
Profª: Helena Maria Coutinho

Português
11º

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sermodesantoantnioaospeixes
SermodesantoantnioaospeixesSermodesantoantnioaospeixes
Sermodesantoantnioaospeixes
ameliapadrao
 
1. introd e estrutura
1. introd e estrutura1. introd e estrutura
1. introd e estrutura
Helena Coutinho
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
António Fernandes
 
Estrutura do exórdio
Estrutura do exórdioEstrutura do exórdio
Estrutura do exórdio
Maria Góis
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
CatarinaNeivas
 
Estrutdo sermao
Estrutdo sermaoEstrutdo sermao
Estrutdo sermao
Isabel Oliveira
 
1 sermão de santo antónio aos peixes
1  sermão de santo antónio aos peixes1  sermão de santo antónio aos peixes
1 sermão de santo antónio aos peixes
António Fernandes
 
Exposição/Confirmação - Capítulo II
Exposição/Confirmação - Capítulo IIExposição/Confirmação - Capítulo II
Exposição/Confirmação - Capítulo II
Maria Góis
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
AnaGomes40
 
Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IVSermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
Cristina Leitão
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Daniel Sousa
 
Sermão Santo António aos Peixes Exórdio
Sermão Santo António aos Peixes ExórdioSermão Santo António aos Peixes Exórdio
Sermão Santo António aos Peixes Exórdio
Alexandra Madail
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e IIISermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Dina Baptista
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
FJDOliveira
 
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos PeixesResumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Raffaella Ergün
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Paula Oliveira Cruz
 

Mais procurados (18)

Sermodesantoantnioaospeixes
SermodesantoantnioaospeixesSermodesantoantnioaospeixes
Sermodesantoantnioaospeixes
 
1. introd e estrutura
1. introd e estrutura1. introd e estrutura
1. introd e estrutura
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
 
Estrutura do exórdio
Estrutura do exórdioEstrutura do exórdio
Estrutura do exórdio
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Estrutdo sermao
Estrutdo sermaoEstrutdo sermao
Estrutdo sermao
 
1 sermão de santo antónio aos peixes
1  sermão de santo antónio aos peixes1  sermão de santo antónio aos peixes
1 sermão de santo antónio aos peixes
 
Exposição/Confirmação - Capítulo II
Exposição/Confirmação - Capítulo IIExposição/Confirmação - Capítulo II
Exposição/Confirmação - Capítulo II
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IVSermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Sermão Santo António aos Peixes Exórdio
Sermão Santo António aos Peixes ExórdioSermão Santo António aos Peixes Exórdio
Sermão Santo António aos Peixes Exórdio
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e IIISermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
 
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos PeixesResumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 

Destaque

Relato hagiografico
Relato hagiograficoRelato hagiografico
Relato hagiografico
Helena Coutinho
 
P.ant vieira bio
P.ant vieira bioP.ant vieira bio
P.ant vieira bio
Helena Coutinho
 
Épocas literárias
Épocas literáriasÉpocas literárias
Épocas literárias
Helena Coutinho
 
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhançasSanto antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Helena Coutinho
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
Helena Coutinho
 
Cantigas de amor duas análises
Cantigas de amor duas análisesCantigas de amor duas análises
Cantigas de amor duas análises
Helena Coutinho
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
Helena Coutinho
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
Helena Coutinho
 

Destaque (8)

Relato hagiografico
Relato hagiograficoRelato hagiografico
Relato hagiografico
 
P.ant vieira bio
P.ant vieira bioP.ant vieira bio
P.ant vieira bio
 
Épocas literárias
Épocas literáriasÉpocas literárias
Épocas literárias
 
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhançasSanto antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
 
Cantigas de amor duas análises
Cantigas de amor duas análisesCantigas de amor duas análises
Cantigas de amor duas análises
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
 

Semelhante a Epígrafe sermao

Epígrafe sermao
Epígrafe sermaoEpígrafe sermao
Epígrafe sermao
Helena Coutinho
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
Raquel Tavares
 
Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulosSermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
Cristina Leitão
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
colegiomb
 
ApresentaçãO Para DéCimo Primeiro Ano, Aula 20
ApresentaçãO Para DéCimo Primeiro Ano, Aula 20ApresentaçãO Para DéCimo Primeiro Ano, Aula 20
ApresentaçãO Para DéCimo Primeiro Ano, Aula 20
luisprista
 
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes   resumo-esquema por capítulosSermão aos peixes   resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
ClaudiaSacres
 
Repreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesRepreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particulares
Dina Baptista
 
Subsídio da lição 3 juvenis
Subsídio da lição 3 juvenisSubsídio da lição 3 juvenis
Subsídio da lição 3 juvenis
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 

Semelhante a Epígrafe sermao (8)

Epígrafe sermao
Epígrafe sermaoEpígrafe sermao
Epígrafe sermao
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulosSermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
 
ApresentaçãO Para DéCimo Primeiro Ano, Aula 20
ApresentaçãO Para DéCimo Primeiro Ano, Aula 20ApresentaçãO Para DéCimo Primeiro Ano, Aula 20
ApresentaçãO Para DéCimo Primeiro Ano, Aula 20
 
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes   resumo-esquema por capítulosSermão aos peixes   resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
 
Repreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesRepreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particulares
 
Subsídio da lição 3 juvenis
Subsídio da lição 3 juvenisSubsídio da lição 3 juvenis
Subsídio da lição 3 juvenis
 

Mais de Helena Coutinho

Cap vi
Cap viCap vi
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
Helena Coutinho
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
Helena Coutinho
 
Cap iii louvores particular
Cap iii louvores particularCap iii louvores particular
Cap iii louvores particular
Helena Coutinho
 
Cap ii louvores geral
Cap ii louvores geralCap ii louvores geral
Cap ii louvores geral
Helena Coutinho
 
Contexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieiraContexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieira
Helena Coutinho
 
. O texto dramático
. O texto dramático. O texto dramático
. O texto dramático
Helena Coutinho
 
. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir
Helena Coutinho
 
Fls figuras reais
Fls figuras reaisFls figuras reais
Fls figuras reais
Helena Coutinho
 
. Enredo
. Enredo. Enredo
. Enredo
Helena Coutinho
 
. A obra e o contexto
. A obra e o contexto. A obra e o contexto
. A obra e o contexto
Helena Coutinho
 
Ondados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzenteOndados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzente
Helena Coutinho
 
Sete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob serviaSete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob servia
Helena Coutinho
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Helena Coutinho
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereça
Helena Coutinho
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Helena Coutinho
 
Enquanto quis fortuna que tivesse
Enquanto quis fortuna que tivesseEnquanto quis fortuna que tivesse
Enquanto quis fortuna que tivesse
Helena Coutinho
 
Aquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugadaAquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugada
Helena Coutinho
 
Amor é fogo que arde
Amor é fogo que ardeAmor é fogo que arde
Amor é fogo que arde
Helena Coutinho
 
A formosura desta fresca serra
A formosura desta fresca serraA formosura desta fresca serra
A formosura desta fresca serra
Helena Coutinho
 

Mais de Helena Coutinho (20)

Cap vi
Cap viCap vi
Cap vi
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 
Cap iii louvores particular
Cap iii louvores particularCap iii louvores particular
Cap iii louvores particular
 
Cap ii louvores geral
Cap ii louvores geralCap ii louvores geral
Cap ii louvores geral
 
Contexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieiraContexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieira
 
. O texto dramático
. O texto dramático. O texto dramático
. O texto dramático
 
. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir
 
Fls figuras reais
Fls figuras reaisFls figuras reais
Fls figuras reais
 
. Enredo
. Enredo. Enredo
. Enredo
 
. A obra e o contexto
. A obra e o contexto. A obra e o contexto
. A obra e o contexto
 
Ondados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzenteOndados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzente
 
Sete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob serviaSete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob servia
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em ano
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereça
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
 
Enquanto quis fortuna que tivesse
Enquanto quis fortuna que tivesseEnquanto quis fortuna que tivesse
Enquanto quis fortuna que tivesse
 
Aquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugadaAquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugada
 
Amor é fogo que arde
Amor é fogo que ardeAmor é fogo que arde
Amor é fogo que arde
 
A formosura desta fresca serra
A formosura desta fresca serraA formosura desta fresca serra
A formosura desta fresca serra
 

Último

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 

Último (20)

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 

Epígrafe sermao

  • 1. SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO (AOS PEIXES) Padre António Vieira, Sermão de Santo António (aos Peixes) Brasil, 1654 Português 11º
  • 2. Leitura da Epígrafe do Sermão de Santo António (aos peixes) Este Sermão (que todo é alegórico ) pregou o Autor três dias antes de se embarcar ocultamente para o Reino, a procurar o remédio da salvação dos Índios, pelas causas que se apontam no I. Sermão do I Tomo. E nele tocou todos os pontos da doutrina (posto que perseguida) que mais necessários eram ao bem espiritual e temporal daquela terra, como facilmente se pode entender das mesmas alegorias. *pequeno texto anteposto ao início da obra Português 11º
  • 3. ALEGORIA Concretização de uma realidade abstrata. Este sermão é uma alegoria porque os peixes são metáfora dos homens, as suas virtudes são por contraste metáfora dos defeitos dos homens e os seus vícios são diretamente metáfora dos vícios dos homens. O pregador fala aos peixes, mas quem escuta são os homens.
  • 4. Leitura da Epígrafe do Sermão de Santo António (aos peixes) Este Sermão (que todo é alegórico ) pregou o Autor três dias antes de se embarcar ocultamente para o Reino, a procurar o remédio da salvação dos Índios. alegórico o Sermão fala de uma realidade – o mundo dos peixes – para figurar outra – o mundo dos homens e, em particular, dos brancos do Maranhão (o auditório do Sermão) –, recorrendo a analogias, metáforas, imagens e comparações. embarcar ocultamente para o Reino partir secretamente para Portugal, ou seja, às ocultas dos colonos ou habitantes brancos do Maranhão. a procurar o remédio de salvação dos Índios Vieira parte para Lisboa em busca de legislação contra a escravização dos Índios e, com efeito, em 1655, um ano depois, sai uma disposição legal, determinando que os Índios ficam sob a proteção dos jesuítas. Português 11º
  • 5. Leitura da Epígrafe do Sermão de Santo António (aos peixes) Português 11º
  • 7. ESTRUTURA DO SERMÃO Organização do sermão Português 11º
  • 8. ESTRUTURA DO SERMÃO Organização do sermão Português 11º
  • 9. TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO Sermão de Santo António (aos Peixes ) Pregado a 13 de Junho, no dia de santo António, é um sermão em louvor deste santo Português 11º
  • 10. TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO Quem foi Santo António? Frade franciscano português do século XIII. Nascido em Lisboa cerca de 1190, viveu em Itália a partir dos 31 anos, tendo-se notabilizado, aí e no Sul de França, como pregador e professor de Teologia. Morreu, em Pádua, na Itália, em 1231. Foi canonizado 11 meses apenas após a sua morte. Português 11º
  • 11. TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO Passo do Evangelho glosado no Sermão: uma frase de Cristo dirigida aos Apóstolos Tal como o sal evita que a carne e o peixe se estraguem, conservando-os sãos assim pela pregação da verdadeira doutrina os apóstolos (e padres seus sucessores) guardam a terra (os homens) da corrupção do pecado Português 11º
  • 12. TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO Porquê o Sal? Desde tempos remotos, elemento essencial à vida humana e de grande importância económica: até final do século XIX, o SAL era o único meio disponível para preservar a carne e o peixe. Português 11º
  • 13. TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO Pensar nas palavras Salário e sal: que relação existe entre estas duas palavras? Salarius era a palavra latina que designava o soldo ou vencimento dos soldados romanos, para comprar SAL. Português 11º
  • 14. TEMÁTICA E ENQUADRAMENTO RELIGIOSOS DO SERMÃO Sermão O Sermão de Santo António (aos Peixes) é um sermão que tem como tema de pregação a figura de Santo António, grande pregador da Igreja. Português 11º
  • 15. Disciplina de Português Profª: Helena Maria Coutinho Português 11º