SlideShare uma empresa Scribd logo
Texto do Sermão de Santo António

Painel de azulejos de Santo António pregando aos peixes, fachada da capela de
Santo António no Grémio Cultural e Recreativo Português, em Belém do Pará,
Brasil.
Texto do Sermão de Santo António
O primeiro relato escrito que se conhece do Sermão de Santo António aos peixes consta na
Legenda Rigaldina1, do século XIV, exposto da seguinte forma:
 
Se, porém, os homens, dotados de entendimento, desprezavam a sua pregação, Deus
mostrava, com sinais e prodígios, por meio dos animais irracionais, que ela era digna de
veneração. Um dia, nos arredores de Pádua, alguns hereges desprezaram a sua palavra e
escarneceram dela. António aproximou-se do rio, que passava perto e de forma que todas as
pessoas presentes pudessem ouvir disse aos hereges: «Porque vos mostrais indignos da palavra
de Deus, vou voltar-me para os peixes, para confundir mais fulgurantemente a vossa
incredulidade». 
Com fervor de espírito começou a pregar aos peixes, referindo os dons que Deus lhes
concedera: como os tinha criado, como lhes dera a pureza das águas, e como os alimentava sem
precisarem de trabalhar.
A estas palavras, os peixes começaram a ajuntar-se e a aproximar-se dele, levantando acima
da água parte do corpo, a olhar atentamente para ele e a abrir a boca. E, enquanto aprouve ao
Santo falar-lhes, escutaram-no atentamente, como se fossem dotados de razão, e não se
afastaram sem que primeiro recebessem a sua bênção. Aquele que tornou as aves atentas à
pregação de São Francisco foi o mesmo que reuniu os peixes e os tornou atentos à pregação de
seu filho António.
In Fontes Franciscanas III – Santo António de Lisboa, Braga, Editorial Franciscana, 1998, Vol. III, p. 40 
1

A Legenda Rigaldina é um dos textos hagiográficos sobre a vida e a taumaturgia de Santo António.
Texto do Sermão de Santo António

Santo António Pregando aos Peixes,
óleo sobre tela, Paolo Veronese, 1580, Museu Galeria Borghese, Roma.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IVSermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
Cristina Leitão
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Paula Oliveira Cruz
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Paula Oliveira Cruz
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Daniel Sousa
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudoSermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
Margarida Tomaz
 
Santo António. sermao aos peixes
Santo António. sermao aos peixesSanto António. sermao aos peixes
Santo António. sermao aos peixes
João Félix
 
1. introd e estrutura
1. introd e estrutura1. introd e estrutura
1. introd e estrutura
Helena Coutinho
 
Sermão de Santo António aos peixes
Sermão de Santo António aos peixes Sermão de Santo António aos peixes
Sermão de Santo António aos peixes
nanasimao
 
Estrutdo sermao
Estrutdo sermaoEstrutdo sermao
Estrutdo sermao
Isabel Oliveira
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
CatarinaNeivas
 
Repreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesRepreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particulares
Dina Baptista
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
António Fernandes
 

Mais procurados (12)

Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IVSermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
Sermão de sto antónio aos peixes resumos capítulo I ao IV
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudoSermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
 
Santo António. sermao aos peixes
Santo António. sermao aos peixesSanto António. sermao aos peixes
Santo António. sermao aos peixes
 
1. introd e estrutura
1. introd e estrutura1. introd e estrutura
1. introd e estrutura
 
Sermão de Santo António aos peixes
Sermão de Santo António aos peixes Sermão de Santo António aos peixes
Sermão de Santo António aos peixes
 
Estrutdo sermao
Estrutdo sermaoEstrutdo sermao
Estrutdo sermao
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Repreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesRepreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particulares
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
 

Destaque

Epígrafe sermao
Epígrafe sermaoEpígrafe sermao
Epígrafe sermao
Helena Coutinho
 
P.ant vieira bio
P.ant vieira bioP.ant vieira bio
P.ant vieira bio
Helena Coutinho
 
Épocas literárias
Épocas literáriasÉpocas literárias
Épocas literárias
Helena Coutinho
 
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhançasSanto antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Helena Coutinho
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
Helena Coutinho
 
Cantigas de amor duas análises
Cantigas de amor duas análisesCantigas de amor duas análises
Cantigas de amor duas análises
Helena Coutinho
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
Helena Coutinho
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
Helena Coutinho
 

Destaque (8)

Epígrafe sermao
Epígrafe sermaoEpígrafe sermao
Epígrafe sermao
 
P.ant vieira bio
P.ant vieira bioP.ant vieira bio
P.ant vieira bio
 
Épocas literárias
Épocas literáriasÉpocas literárias
Épocas literárias
 
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhançasSanto antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
 
Cantigas de amor duas análises
Cantigas de amor duas análisesCantigas de amor duas análises
Cantigas de amor duas análises
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
 

Semelhante a Relato hagiografico

Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulosSermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
Cristina Leitão
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
António Fernandes
 
1 sermão de santo antónio aos peixes
1  sermão de santo antónio aos peixes1  sermão de santo antónio aos peixes
1 sermão de santo antónio aos peixes
António Fernandes
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
Mónica Alexandra
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
camoespirata
 
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes   resumo-esquema por capítulosSermão aos peixes   resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
ClaudiaSacres
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
Raquel Tavares
 
ae_pag11_teste_1.pdf
ae_pag11_teste_1.pdfae_pag11_teste_1.pdf
ae_pag11_teste_1.pdf
ConceioMota6
 
Sermão de santo antonio aos peixes
Sermão de santo antonio aos peixesSermão de santo antonio aos peixes
Sermão de santo antonio aos peixes
Susana Taio
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 35-36
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 35-36Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 35-36
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 35-36
luisprista
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
beonline5
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
FJDOliveira
 
Sermodesantoantnioaospeixes
SermodesantoantnioaospeixesSermodesantoantnioaospeixes
Sermodesantoantnioaospeixes
ameliapadrao
 
mpag11_sermao_sto_antonio (1).pptx
mpag11_sermao_sto_antonio (1).pptxmpag11_sermao_sto_antonio (1).pptx
mpag11_sermao_sto_antonio (1).pptx
LaraRamos34
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 

Semelhante a Relato hagiografico (20)

Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulosSermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
Sermão de sto antónio aos peixes resumo i e ii capítulos
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
 
1 sermão de santo antónio aos peixes
1  sermão de santo antónio aos peixes1  sermão de santo antónio aos peixes
1 sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
 
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes   resumo-esquema por capítulosSermão aos peixes   resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
ae_pag11_teste_1.pdf
ae_pag11_teste_1.pdfae_pag11_teste_1.pdf
ae_pag11_teste_1.pdf
 
Sermão de santo antonio aos peixes
Sermão de santo antonio aos peixesSermão de santo antonio aos peixes
Sermão de santo antonio aos peixes
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 35-36
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 35-36Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 35-36
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 35-36
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
 
Sermodesantoantnioaospeixes
SermodesantoantnioaospeixesSermodesantoantnioaospeixes
Sermodesantoantnioaospeixes
 
mpag11_sermao_sto_antonio (1).pptx
mpag11_sermao_sto_antonio (1).pptxmpag11_sermao_sto_antonio (1).pptx
mpag11_sermao_sto_antonio (1).pptx
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 

Mais de Helena Coutinho

Cap vi
Cap viCap vi
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
Helena Coutinho
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
Helena Coutinho
 
Cap iii louvores particular
Cap iii louvores particularCap iii louvores particular
Cap iii louvores particular
Helena Coutinho
 
Contexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieiraContexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieira
Helena Coutinho
 
. O texto dramático
. O texto dramático. O texto dramático
. O texto dramático
Helena Coutinho
 
. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir
Helena Coutinho
 
Fls figuras reais
Fls figuras reaisFls figuras reais
Fls figuras reais
Helena Coutinho
 
. Enredo
. Enredo. Enredo
. Enredo
Helena Coutinho
 
. A obra e o contexto
. A obra e o contexto. A obra e o contexto
. A obra e o contexto
Helena Coutinho
 
Ondados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzenteOndados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzente
Helena Coutinho
 
Sete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob serviaSete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob servia
Helena Coutinho
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Helena Coutinho
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereça
Helena Coutinho
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Helena Coutinho
 
Enquanto quis fortuna que tivesse
Enquanto quis fortuna que tivesseEnquanto quis fortuna que tivesse
Enquanto quis fortuna que tivesse
Helena Coutinho
 
Aquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugadaAquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugada
Helena Coutinho
 
Amor é fogo que arde
Amor é fogo que ardeAmor é fogo que arde
Amor é fogo que arde
Helena Coutinho
 
A formosura desta fresca serra
A formosura desta fresca serraA formosura desta fresca serra
A formosura desta fresca serra
Helena Coutinho
 
Um mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadosoUm mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadoso
Helena Coutinho
 

Mais de Helena Coutinho (20)

Cap vi
Cap viCap vi
Cap vi
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 
Cap iii louvores particular
Cap iii louvores particularCap iii louvores particular
Cap iii louvores particular
 
Contexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieiraContexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieira
 
. O texto dramático
. O texto dramático. O texto dramático
. O texto dramático
 
. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir
 
Fls figuras reais
Fls figuras reaisFls figuras reais
Fls figuras reais
 
. Enredo
. Enredo. Enredo
. Enredo
 
. A obra e o contexto
. A obra e o contexto. A obra e o contexto
. A obra e o contexto
 
Ondados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzenteOndados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzente
 
Sete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob serviaSete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob servia
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em ano
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereça
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
 
Enquanto quis fortuna que tivesse
Enquanto quis fortuna que tivesseEnquanto quis fortuna que tivesse
Enquanto quis fortuna que tivesse
 
Aquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugadaAquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugada
 
Amor é fogo que arde
Amor é fogo que ardeAmor é fogo que arde
Amor é fogo que arde
 
A formosura desta fresca serra
A formosura desta fresca serraA formosura desta fresca serra
A formosura desta fresca serra
 
Um mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadosoUm mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadoso
 

Último

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 

Relato hagiografico

  • 1. Texto do Sermão de Santo António Painel de azulejos de Santo António pregando aos peixes, fachada da capela de Santo António no Grémio Cultural e Recreativo Português, em Belém do Pará, Brasil.
  • 2. Texto do Sermão de Santo António O primeiro relato escrito que se conhece do Sermão de Santo António aos peixes consta na Legenda Rigaldina1, do século XIV, exposto da seguinte forma:   Se, porém, os homens, dotados de entendimento, desprezavam a sua pregação, Deus mostrava, com sinais e prodígios, por meio dos animais irracionais, que ela era digna de veneração. Um dia, nos arredores de Pádua, alguns hereges desprezaram a sua palavra e escarneceram dela. António aproximou-se do rio, que passava perto e de forma que todas as pessoas presentes pudessem ouvir disse aos hereges: «Porque vos mostrais indignos da palavra de Deus, vou voltar-me para os peixes, para confundir mais fulgurantemente a vossa incredulidade».  Com fervor de espírito começou a pregar aos peixes, referindo os dons que Deus lhes concedera: como os tinha criado, como lhes dera a pureza das águas, e como os alimentava sem precisarem de trabalhar. A estas palavras, os peixes começaram a ajuntar-se e a aproximar-se dele, levantando acima da água parte do corpo, a olhar atentamente para ele e a abrir a boca. E, enquanto aprouve ao Santo falar-lhes, escutaram-no atentamente, como se fossem dotados de razão, e não se afastaram sem que primeiro recebessem a sua bênção. Aquele que tornou as aves atentas à pregação de São Francisco foi o mesmo que reuniu os peixes e os tornou atentos à pregação de seu filho António. In Fontes Franciscanas III – Santo António de Lisboa, Braga, Editorial Franciscana, 1998, Vol. III, p. 40  1 A Legenda Rigaldina é um dos textos hagiográficos sobre a vida e a taumaturgia de Santo António.
  • 3. Texto do Sermão de Santo António Santo António Pregando aos Peixes, óleo sobre tela, Paolo Veronese, 1580, Museu Galeria Borghese, Roma.