SlideShare uma empresa Scribd logo
MODELO
VERDADE PRÁTICA
• “...No enfrentamento de uma crise, a sabedoria divina é
indispensável...”
LEITURA DIÁRIA
• Segunda - Gn 37.3,4: Uma túnica colorida e a crise de inveja
• Terça - Gn 37.6-8: Um sonho e o início de várias crises
• Quarta - Gn 37.22: Um plano perverso e a crise da cova
• Quinta - Gn 37.28: Da crise da cova para a crise da escravidão
• Sexta - Gn 39.20: Da crise da escravidão para a crise do
cárcere
• Sábado - Gn 39.21: A bênção de Deus e a sua benignidade em
tempos de crise
OBJETIVO GERAL
• Ressaltar que Deus deu a José sabedoria para gerenciar a
crise da fome no Egito.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• I. Apontar os sonhos de José e as crises que ele teve que
enfrentar;
• II. Ressaltar a crise da cova e da escravidão na vida de
José;
• III. Enfatizar a sabedoria de José para administrar as crises.
ESBOÇO DA LIÇÃO
I - DOIS SONHOS E MUITAS CRISES
• 1. A família de José.
• 2. A inveja dos irmãos de José.
• 3. Os sonhos de José (Gn 37.7,9).
•
II - A CRISE DA COVA E DA ESCRAVIDÃO
• 1. José é vendido como escravo (Gn 37.27,28).
• 2. José na casa de Potifar.
• 3. José prosperou na casa de Potifar.
•
III - SABEDORIA PARA ADMINISTRAR A CRISE
• 1. José é abençoado por Deus na prisão (Gn 39.21-23).
• 2. José e os dois oficiais de Faraó.
• 3. Da prisão ao palácio de Faraó (Gn 41.1-8).
PONTO CENTRAL
“Deus concedeu a José sabedoria para administrar crises.”
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Gênesis 37.1-11
• 1 - E Jacó habitou na terra das peregrinações de seu pai, na terra
de Canaã.
• 2 - Estas são as gerações de Jacó: Sendo José de dezessete anos,
apascentava as ovelhas com seus irmãos; e estava este jovem com
os filhos de Bila e com os filhos de Zilpa, mulheres de seu pai; e
José trazia uma má fama deles a seu pai.
• 3 - E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos,
porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias
cores.
• 4 - Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a
todos os seus irmãos, aborreceram-no e não podiam falar com ele
pacificamente.
• 5 - Sonhou também José um sonho, que contou a seus irmãos; por
isso, o aborreciam ainda mais.
• 6 - E disse-lhes: Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado:
• 7 - Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que
o meu molho se levantava e também ficava em pé; e eis que os
vossos molhos o rodeavam e se inclinavam ao meu molho.
• 8 - Então, lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás
sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso, tanto
mais o aborreciam por seus sonhos e por suas palavras.
• 9 - E sonhou ainda outro sonho, e o contou a seus irmãos, e disse:
Eis que ainda sonhei um sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze
estrelas se inclinavam a mim.
• 10 - E, contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai
e disse-lhe: Que sonho é este que sonhaste? Porventura viremos
eu, e tua mãe, e teus irmãos a inclinar-nos perante ti em terra?
• 11 - Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai, porém, guardava este
negócio no seu coração.
TEXTO ÁUREO
“...E o SENHOR estava com José, e foi varão próspero..." (Gn
39.2)
INTRODUÇÃO
• A história de José é uma das mais belas registradas nas
Escrituras Sagradas. É uma história que mostra o amor de um
pai, a rejeição e a inveja dos irmãos e a beleza dos sonhos de
um jovem. São 13 capítulos que revelam os desígnios de Deus
na história de Israel.
• Nesta lição, estudaremos a respeito das crises enfrentadas
por José e a sua atitude diante de cada uma delas. Veremos
que José nos deixou preciosas lições que nos ensinam como
nos conduzir nas mais difíceis situações. As adversidades na
vida de José contribuíram para que as promessas feitas a
Abraão se cumprissem fielmente (Gn 13).
I - DOIS SONHOS E MUITAS CRISES
1.A família de José.
• Essa túnica de várias cores revelava uma posição de
favoritismo (Gn 37.3).
• “Ora, Israel gostava mais de José do que de
qualquer outro filho, porque lhe havia nascido
em sua velhice; por isso mandou fazer para ele
uma túnica longa. Quando os seus irmãos
viram que o pai gostava mais dele do que de
qualquer outro filho, odiaram-no e não
conseguiam falar com ele amigavelmente.”
2.A inveja dos irmãos de José.
• Sendo o mais moço dos irmãos, José não
participava da transgressão deles, mas
conscienciosamente levava as más notícias a
respeito deles ao seu pai. As Sagradas
Escrituras relatam que José recebera carinho
especial de seu entristecido pai, por ser filho
da sua velhice (Gênesis 37:3). Demonstrando
indisfarçável favoritismo, seu pai Jacó deu-lhe
uma comprida túnica listrada que o destacava
entre todos. Como resultado, José passou a
ser odiado por seus irmãos.
3.Os sonhos de José (Gn 37.7,9).
• Nesse sonho, o molho de trigo de José crescia
altaneiro, enquanto os dos irmãos, em
submissão, o rodeavam e se curvavam em
reverência ao molho dele (Gn 37.5-8). Um
outro sonho acirrou sobremaneira a rivalidade
fraterna. José sonhou que o sol, a lua e onze
estrelas se inclinavam perante ele, indicando
que não só seus irmãos, mas também seu pai
e mãe (evidentemente não Raquel, pois esta
já havia falecido, mas talvez a principal esposa
viva de Israel), se curvariam diante dele.
II-A CRISE DA COVA E DA ESCRAVIDÃO
1.José é vendido como escravo (Gn
37.27,28).
• Quando José alcançou os irmãos e seus rebanhos,
eles despiram-no da sua comprida túnica listrada
e em seguida lançaram-no numa profunda cova,
conforme a recomendação de Rúben. Algum
tempo depois, na ausência de Rúben, quando os
outros irmãos sentaram-se para comer, avistaram
uma caravana de ismaelitas (também chamados
de midianitas, raça árabe descendente de
Quetura- Gn 25.1-6) que fazia a sua tradicional
rota comercial que ligava a Síria ao Egito com
especiarias e outras mercadorias.
2.José na casa de Potifar.
• Na providência de Deus esta triste viagem rumo à
escravidão foi o melhor que poderia ter
acontecido a José. Apesar de José não
compreender o que estava acontecendo, Deus,
contudo, estava utilizando essa situação para
conduzir José a um magnífico futuro, que de
outra maneira não aconteceria. Vendo Potifar
que Deus era com José, fazendo prosperar em
sua mão tudo quanto ele empreendia (Gn 39.3),
decidiu Potifar promovê-lo a supervisor, com
responsabilidade sobre todas as questões
domésticas.
3.José prosperou na casa de Potifar.
• As famílias ricas como as dele habitavam em
mansões de dois ou três andares, com lindos
jardins e pátios, cercavam-se de objetos lindos
como vasos de alabastro, pinturas, tapeçarias, e
móveis trabalhados a mão. As refeições eram
servidas em vasilhas e pratos de ouro, e os
ambientes eram iluminados com candeeiros de
ouro. Os servos ou escravos, como José,
trabalhavam em baixo e a família ocupava os
ambientes superiores. "O Senhor abençoou a
casa do egípcio por amor de José" (v 5). Isto foi
notado por Potifar, que rapidamente o promoveu
à posição mais alta entre os seus serviçais: a de
mordomo.
III - SABEDORIA PARA ADMINISTRAR
A CRISE
1.José é abençoado por Deus na
prisão (Gn 39.21-23).
• Na prisão, José foi tratado com grande severidade
pelos seus carcereiros. Por ter decidido ser fiel,
não importando o que lhe viesse a acontecer,
“Deus era com José, estendendo sobre ele a Sua
benignidade, e dando-lhe graça aos olhos do
carcereiro.” Gn 39.21. Na prisão Deus mais uma
vez intervém. O capitão da guarda, por causa da
conduta exemplar de José, deu-lhe um cargo de
confiança sobre os outros presos, inclusive dois
de considerável importância, lançados
posteriormente na mesma prisão: o chefe dos
copeiros e o chefe dos padeiros.
2.José e os dois oficiais de Faraó.
• Certo dia, quando fazia sua ronda costumeira,
José notou que ambos tinham uma expressão
muito preocupada. Eles disseram que haviam tido
um sonho estranho e que não podiam
compreender o seu significado. Depois de atribuir
a interpretação a Deus, José fez saber a eles a
significação: em três dias o chefe dos copeiros
seria reintegrado à sua antiga posição, e daria o
copo nas mãos de Faraó, como fazia antes. O
diligente José pediu ao chefe dos copeiros que se
lembrasse dele quando estivesse de volta à corte,
pedindo ao Faraó a sua libertação. Quanto ao
chefe dos padeiros, em três dias este seria
condenado à morte por ordem do rei.
3.Da prisão ao palácio de Faraó (Gn
41.1-8).
• No mesmo instante José revelou que os sonhos
prediziam sete anos de abundância no Egito, seguidos
de sete anos de grande escassez e que os dois sonhos
tinham o mesmo significado. Disse ele a Faraó que “o
fato está bem decidido da parte de Deus e Deus tem
pressa em realizá-lo” Gn 41.32. Por isso, prosseguiu
José, o Faraó deveria escolher “um homem ajuizado e
sábio” para criar um programa de estocagem de grãos
durante o período fértil. Faraó, que escutara
atentamente tudo o que José dizia, não apenas ficou
impressionado pela clara interpretação de seus sonhos,
como também pelo sábio conselho que lhe dera. No
mesmo instante José foi nomeado governador de todo
o Egito.
CONCLUSÃO
• José atingiu a idade de 110 anos. Ele morreu no Egito,
depois de passar noventa e três anos da sua vida longe
da terra de sua parentela. O nome dele consta na
galeria dos heróis da fé (ver Hb 11.22). Antes de
morrer, José disse a seus irmãos: “Eu morro, mas Deus
certamente vos visitará, e vos fará subir desta terra
para a terra que jurou a Abraão, a Isaque e a Jacó.” Gn
50.24. Em seguida ele pediu que os irmãos dele
fizessem uma promessa. Disse José: “Quando Deus vos
visitar, levareis os meus ossos daqui.” Gn 50.25. Esta
promessa cumpriu-se com Moisés, quando da saída
dos israelitas do Egito (ver Êx 13.19). A história de José
é muito mais que um simples retrato de um homem de
grande caráter e de fé admirável.
http://ebdexpositivo.blogspot.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇASLIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
Lourinaldo Serafim
 
Lição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
Lição 7 - José Fé em Meio às InjustiçasLição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
Lição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
Andrew Guimarães
 
Lição 13 josé, a realidade de um sonho
Lição 13   josé, a realidade de um sonhoLição 13   josé, a realidade de um sonho
Lição 13 josé, a realidade de um sonho
Andrew Guimarães
 
José do Egito
José do EgitoJosé do Egito
José do Egito
Élida Rolim
 
José, a realidade de um sonho. lição 13
José, a realidade de um sonho. lição 13 José, a realidade de um sonho. lição 13
José, a realidade de um sonho. lição 13
ANTONIO CORDEIRO DA SILVA - ADORADOR
 
2013 1o tri lição 7_a vinha de nabote
2013 1o tri lição 7_a vinha de nabote2013 1o tri lição 7_a vinha de nabote
2013 1o tri lição 7_a vinha de nabote
Natalino das Neves Neves
 
A vinha de Nabote
A vinha de NaboteA vinha de Nabote
A vinha de Nabote
Moisés Sampaio
 
História patriarcal
História patriarcalHistória patriarcal
História patriarcal
UEPB
 
José, semelhante a Jesus
José, semelhante a JesusJosé, semelhante a Jesus
José, semelhante a Jesus
André Luiz Marques
 
Israel: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodoIsrael: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodo
Daladier Lima
 
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
Lourinaldo Serafim
 
03 efraim
03 efraim03 efraim
03 efraim
SGTDASILVA2003
 
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
Marcus Wagner
 
O espírito do mundo a vinha de nabote
O espírito do mundo    a vinha de naboteO espírito do mundo    a vinha de nabote
O espírito do mundo a vinha de nabote
Jayme Bispo de Oliveira
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 10º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 10ºEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 10º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 10º
ibrenjtijuca
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 4º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 4ºEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 4º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 4º
ibrenjtijuca
 
José a realidade de um sonho
José a realidade de um sonhoJosé a realidade de um sonho
José a realidade de um sonho
Pr. Gerson Eller
 
As Consequências das Escolhas Precipitadas
As Consequências das Escolhas PrecipitadasAs Consequências das Escolhas Precipitadas
As Consequências das Escolhas Precipitadas
Márcio Martins
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 5º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 5ºEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 5º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 5º
ibrenjtijuca
 
NÃO VENDO, NÃO TROCO, NÃO EMPRESTO, SOU FIEL
NÃO VENDO, NÃO TROCO, NÃO EMPRESTO, SOU FIELNÃO VENDO, NÃO TROCO, NÃO EMPRESTO, SOU FIEL
NÃO VENDO, NÃO TROCO, NÃO EMPRESTO, SOU FIEL
Israel Evangelista Dias
 

Mais procurados (20)

LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇASLIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
 
Lição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
Lição 7 - José Fé em Meio às InjustiçasLição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
Lição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
 
Lição 13 josé, a realidade de um sonho
Lição 13   josé, a realidade de um sonhoLição 13   josé, a realidade de um sonho
Lição 13 josé, a realidade de um sonho
 
José do Egito
José do EgitoJosé do Egito
José do Egito
 
José, a realidade de um sonho. lição 13
José, a realidade de um sonho. lição 13 José, a realidade de um sonho. lição 13
José, a realidade de um sonho. lição 13
 
2013 1o tri lição 7_a vinha de nabote
2013 1o tri lição 7_a vinha de nabote2013 1o tri lição 7_a vinha de nabote
2013 1o tri lição 7_a vinha de nabote
 
A vinha de Nabote
A vinha de NaboteA vinha de Nabote
A vinha de Nabote
 
História patriarcal
História patriarcalHistória patriarcal
História patriarcal
 
José, semelhante a Jesus
José, semelhante a JesusJosé, semelhante a Jesus
José, semelhante a Jesus
 
Israel: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodoIsrael: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodo
 
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
 
03 efraim
03 efraim03 efraim
03 efraim
 
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
 
O espírito do mundo a vinha de nabote
O espírito do mundo    a vinha de naboteO espírito do mundo    a vinha de nabote
O espírito do mundo a vinha de nabote
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 10º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 10ºEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 10º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 10º
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 4º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 4ºEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 4º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 4º
 
José a realidade de um sonho
José a realidade de um sonhoJosé a realidade de um sonho
José a realidade de um sonho
 
As Consequências das Escolhas Precipitadas
As Consequências das Escolhas PrecipitadasAs Consequências das Escolhas Precipitadas
As Consequências das Escolhas Precipitadas
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 5º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 5ºEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 5º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 5º
 
NÃO VENDO, NÃO TROCO, NÃO EMPRESTO, SOU FIEL
NÃO VENDO, NÃO TROCO, NÃO EMPRESTO, SOU FIELNÃO VENDO, NÃO TROCO, NÃO EMPRESTO, SOU FIEL
NÃO VENDO, NÃO TROCO, NÃO EMPRESTO, SOU FIEL
 

Semelhante a E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07

2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
Joel Silva
 
José - fé em em meio as injustiças
José - fé em em meio as injustiçasJosé - fé em em meio as injustiças
José - fé em em meio as injustiças
Ailton da Silva
 
José a Realidade de um Sonho
José a Realidade de um SonhoJosé a Realidade de um Sonho
José a Realidade de um Sonho
Márcio Martins
 
Topicos sobre a vida de José, de sonhador a governador do Egito
Topicos sobre a vida de José, de sonhador a governador do EgitoTopicos sobre a vida de José, de sonhador a governador do Egito
Topicos sobre a vida de José, de sonhador a governador do Egito
JadersonBoareto
 
IBADEP MÉDIO - HIESTÓRIA DE ISRAEL AULA 2
IBADEP MÉDIO - HIESTÓRIA DE ISRAEL  AULA 2IBADEP MÉDIO - HIESTÓRIA DE ISRAEL  AULA 2
IBADEP MÉDIO - HIESTÓRIA DE ISRAEL AULA 2
Rubens Sohn
 
Aula 09_O Decálogo_Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 09_O Decálogo_Escola de Aprendizes do EvangelhoAula 09_O Decálogo_Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 09_O Decálogo_Escola de Aprendizes do Evangelho
liliancostadias
 
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
PIB Penha
 
O poder do sonho
O poder do sonhoO poder do sonho
O poder do sonho
Marcos De Oliveira Leite
 
O poder do sonho
O poder do sonhoO poder do sonho
O poder do sonho
Marcos De Oliveira Leite
 
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.comO Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
leitemel
 
Lição 5 - Jacó, um exemplo de um caráter restaurado
Lição 5 - Jacó, um exemplo de um caráter restauradoLição 5 - Jacó, um exemplo de um caráter restaurado
Lição 5 - Jacó, um exemplo de um caráter restaurado
Erberson Pinheiro
 
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
Ping Ponga
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
Joel Silva
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
Joel Silva
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
Joel Silva
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
Joel Silva
 
O povo hebreu 2016
O povo hebreu 2016O povo hebreu 2016
O povo hebreu 2016
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Cultura e costumes orientais ii – francisco nascimento
Cultura e costumes orientais ii – francisco nascimentoCultura e costumes orientais ii – francisco nascimento
Cultura e costumes orientais ii – francisco nascimento
wanderson barbosa
 
Lição 2 - As Adversidades Geram Oportunidades
Lição 2 - As Adversidades Geram OportunidadesLição 2 - As Adversidades Geram Oportunidades
Lição 2 - As Adversidades Geram Oportunidades
Éder Tomé
 
8 amos
8 amos8 amos
8 amos
PIB Penha
 

Semelhante a E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07 (20)

2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
 
José - fé em em meio as injustiças
José - fé em em meio as injustiçasJosé - fé em em meio as injustiças
José - fé em em meio as injustiças
 
José a Realidade de um Sonho
José a Realidade de um SonhoJosé a Realidade de um Sonho
José a Realidade de um Sonho
 
Topicos sobre a vida de José, de sonhador a governador do Egito
Topicos sobre a vida de José, de sonhador a governador do EgitoTopicos sobre a vida de José, de sonhador a governador do Egito
Topicos sobre a vida de José, de sonhador a governador do Egito
 
IBADEP MÉDIO - HIESTÓRIA DE ISRAEL AULA 2
IBADEP MÉDIO - HIESTÓRIA DE ISRAEL  AULA 2IBADEP MÉDIO - HIESTÓRIA DE ISRAEL  AULA 2
IBADEP MÉDIO - HIESTÓRIA DE ISRAEL AULA 2
 
Aula 09_O Decálogo_Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 09_O Decálogo_Escola de Aprendizes do EvangelhoAula 09_O Decálogo_Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 09_O Decálogo_Escola de Aprendizes do Evangelho
 
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
 
O poder do sonho
O poder do sonhoO poder do sonho
O poder do sonho
 
O poder do sonho
O poder do sonhoO poder do sonho
O poder do sonho
 
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.comO Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
 
Lição 5 - Jacó, um exemplo de um caráter restaurado
Lição 5 - Jacó, um exemplo de um caráter restauradoLição 5 - Jacó, um exemplo de um caráter restaurado
Lição 5 - Jacó, um exemplo de um caráter restaurado
 
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
 
O povo hebreu 2016
O povo hebreu 2016O povo hebreu 2016
O povo hebreu 2016
 
Cultura e costumes orientais ii – francisco nascimento
Cultura e costumes orientais ii – francisco nascimentoCultura e costumes orientais ii – francisco nascimento
Cultura e costumes orientais ii – francisco nascimento
 
Lição 2 - As Adversidades Geram Oportunidades
Lição 2 - As Adversidades Geram OportunidadesLição 2 - As Adversidades Geram Oportunidades
Lição 2 - As Adversidades Geram Oportunidades
 
8 amos
8 amos8 amos
8 amos
 

Mais de Joel Silva

E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
Joel Silva
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
Joel Silva
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
Joel Silva
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
Joel Silva
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 01
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
Joel Silva
 

Mais de Joel Silva (20)

E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 01
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
 

Último

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 

Último (10)

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 

E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07

  • 2. VERDADE PRÁTICA • “...No enfrentamento de uma crise, a sabedoria divina é indispensável...”
  • 3. LEITURA DIÁRIA • Segunda - Gn 37.3,4: Uma túnica colorida e a crise de inveja • Terça - Gn 37.6-8: Um sonho e o início de várias crises • Quarta - Gn 37.22: Um plano perverso e a crise da cova • Quinta - Gn 37.28: Da crise da cova para a crise da escravidão • Sexta - Gn 39.20: Da crise da escravidão para a crise do cárcere • Sábado - Gn 39.21: A bênção de Deus e a sua benignidade em tempos de crise
  • 4. OBJETIVO GERAL • Ressaltar que Deus deu a José sabedoria para gerenciar a crise da fome no Egito.
  • 5. OBJETIVOS ESPECÍFICOS • I. Apontar os sonhos de José e as crises que ele teve que enfrentar; • II. Ressaltar a crise da cova e da escravidão na vida de José; • III. Enfatizar a sabedoria de José para administrar as crises.
  • 6. ESBOÇO DA LIÇÃO I - DOIS SONHOS E MUITAS CRISES • 1. A família de José. • 2. A inveja dos irmãos de José. • 3. Os sonhos de José (Gn 37.7,9). • II - A CRISE DA COVA E DA ESCRAVIDÃO • 1. José é vendido como escravo (Gn 37.27,28). • 2. José na casa de Potifar. • 3. José prosperou na casa de Potifar. • III - SABEDORIA PARA ADMINISTRAR A CRISE • 1. José é abençoado por Deus na prisão (Gn 39.21-23). • 2. José e os dois oficiais de Faraó. • 3. Da prisão ao palácio de Faraó (Gn 41.1-8).
  • 7. PONTO CENTRAL “Deus concedeu a José sabedoria para administrar crises.”
  • 8. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Gênesis 37.1-11 • 1 - E Jacó habitou na terra das peregrinações de seu pai, na terra de Canaã. • 2 - Estas são as gerações de Jacó: Sendo José de dezessete anos, apascentava as ovelhas com seus irmãos; e estava este jovem com os filhos de Bila e com os filhos de Zilpa, mulheres de seu pai; e José trazia uma má fama deles a seu pai. • 3 - E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores. • 4 - Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos os seus irmãos, aborreceram-no e não podiam falar com ele pacificamente.
  • 9. • 5 - Sonhou também José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso, o aborreciam ainda mais. • 6 - E disse-lhes: Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado: • 7 - Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava e também ficava em pé; e eis que os vossos molhos o rodeavam e se inclinavam ao meu molho. • 8 - Então, lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso, tanto mais o aborreciam por seus sonhos e por suas palavras. • 9 - E sonhou ainda outro sonho, e o contou a seus irmãos, e disse: Eis que ainda sonhei um sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim. • 10 - E, contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai e disse-lhe: Que sonho é este que sonhaste? Porventura viremos eu, e tua mãe, e teus irmãos a inclinar-nos perante ti em terra? • 11 - Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai, porém, guardava este negócio no seu coração.
  • 10. TEXTO ÁUREO “...E o SENHOR estava com José, e foi varão próspero..." (Gn 39.2)
  • 11. INTRODUÇÃO • A história de José é uma das mais belas registradas nas Escrituras Sagradas. É uma história que mostra o amor de um pai, a rejeição e a inveja dos irmãos e a beleza dos sonhos de um jovem. São 13 capítulos que revelam os desígnios de Deus na história de Israel. • Nesta lição, estudaremos a respeito das crises enfrentadas por José e a sua atitude diante de cada uma delas. Veremos que José nos deixou preciosas lições que nos ensinam como nos conduzir nas mais difíceis situações. As adversidades na vida de José contribuíram para que as promessas feitas a Abraão se cumprissem fielmente (Gn 13).
  • 12. I - DOIS SONHOS E MUITAS CRISES
  • 13. 1.A família de José.
  • 14. • Essa túnica de várias cores revelava uma posição de favoritismo (Gn 37.3).
  • 15. • “Ora, Israel gostava mais de José do que de qualquer outro filho, porque lhe havia nascido em sua velhice; por isso mandou fazer para ele uma túnica longa. Quando os seus irmãos viram que o pai gostava mais dele do que de qualquer outro filho, odiaram-no e não conseguiam falar com ele amigavelmente.”
  • 16. 2.A inveja dos irmãos de José.
  • 17. • Sendo o mais moço dos irmãos, José não participava da transgressão deles, mas conscienciosamente levava as más notícias a respeito deles ao seu pai. As Sagradas Escrituras relatam que José recebera carinho especial de seu entristecido pai, por ser filho da sua velhice (Gênesis 37:3). Demonstrando indisfarçável favoritismo, seu pai Jacó deu-lhe uma comprida túnica listrada que o destacava entre todos. Como resultado, José passou a ser odiado por seus irmãos.
  • 18. 3.Os sonhos de José (Gn 37.7,9).
  • 19. • Nesse sonho, o molho de trigo de José crescia altaneiro, enquanto os dos irmãos, em submissão, o rodeavam e se curvavam em reverência ao molho dele (Gn 37.5-8). Um outro sonho acirrou sobremaneira a rivalidade fraterna. José sonhou que o sol, a lua e onze estrelas se inclinavam perante ele, indicando que não só seus irmãos, mas também seu pai e mãe (evidentemente não Raquel, pois esta já havia falecido, mas talvez a principal esposa viva de Israel), se curvariam diante dele.
  • 20. II-A CRISE DA COVA E DA ESCRAVIDÃO
  • 21. 1.José é vendido como escravo (Gn 37.27,28).
  • 22. • Quando José alcançou os irmãos e seus rebanhos, eles despiram-no da sua comprida túnica listrada e em seguida lançaram-no numa profunda cova, conforme a recomendação de Rúben. Algum tempo depois, na ausência de Rúben, quando os outros irmãos sentaram-se para comer, avistaram uma caravana de ismaelitas (também chamados de midianitas, raça árabe descendente de Quetura- Gn 25.1-6) que fazia a sua tradicional rota comercial que ligava a Síria ao Egito com especiarias e outras mercadorias.
  • 23. 2.José na casa de Potifar.
  • 24. • Na providência de Deus esta triste viagem rumo à escravidão foi o melhor que poderia ter acontecido a José. Apesar de José não compreender o que estava acontecendo, Deus, contudo, estava utilizando essa situação para conduzir José a um magnífico futuro, que de outra maneira não aconteceria. Vendo Potifar que Deus era com José, fazendo prosperar em sua mão tudo quanto ele empreendia (Gn 39.3), decidiu Potifar promovê-lo a supervisor, com responsabilidade sobre todas as questões domésticas.
  • 25. 3.José prosperou na casa de Potifar.
  • 26. • As famílias ricas como as dele habitavam em mansões de dois ou três andares, com lindos jardins e pátios, cercavam-se de objetos lindos como vasos de alabastro, pinturas, tapeçarias, e móveis trabalhados a mão. As refeições eram servidas em vasilhas e pratos de ouro, e os ambientes eram iluminados com candeeiros de ouro. Os servos ou escravos, como José, trabalhavam em baixo e a família ocupava os ambientes superiores. "O Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José" (v 5). Isto foi notado por Potifar, que rapidamente o promoveu à posição mais alta entre os seus serviçais: a de mordomo.
  • 27. III - SABEDORIA PARA ADMINISTRAR A CRISE
  • 28. 1.José é abençoado por Deus na prisão (Gn 39.21-23).
  • 29. • Na prisão, José foi tratado com grande severidade pelos seus carcereiros. Por ter decidido ser fiel, não importando o que lhe viesse a acontecer, “Deus era com José, estendendo sobre ele a Sua benignidade, e dando-lhe graça aos olhos do carcereiro.” Gn 39.21. Na prisão Deus mais uma vez intervém. O capitão da guarda, por causa da conduta exemplar de José, deu-lhe um cargo de confiança sobre os outros presos, inclusive dois de considerável importância, lançados posteriormente na mesma prisão: o chefe dos copeiros e o chefe dos padeiros.
  • 30. 2.José e os dois oficiais de Faraó.
  • 31. • Certo dia, quando fazia sua ronda costumeira, José notou que ambos tinham uma expressão muito preocupada. Eles disseram que haviam tido um sonho estranho e que não podiam compreender o seu significado. Depois de atribuir a interpretação a Deus, José fez saber a eles a significação: em três dias o chefe dos copeiros seria reintegrado à sua antiga posição, e daria o copo nas mãos de Faraó, como fazia antes. O diligente José pediu ao chefe dos copeiros que se lembrasse dele quando estivesse de volta à corte, pedindo ao Faraó a sua libertação. Quanto ao chefe dos padeiros, em três dias este seria condenado à morte por ordem do rei.
  • 32. 3.Da prisão ao palácio de Faraó (Gn 41.1-8).
  • 33. • No mesmo instante José revelou que os sonhos prediziam sete anos de abundância no Egito, seguidos de sete anos de grande escassez e que os dois sonhos tinham o mesmo significado. Disse ele a Faraó que “o fato está bem decidido da parte de Deus e Deus tem pressa em realizá-lo” Gn 41.32. Por isso, prosseguiu José, o Faraó deveria escolher “um homem ajuizado e sábio” para criar um programa de estocagem de grãos durante o período fértil. Faraó, que escutara atentamente tudo o que José dizia, não apenas ficou impressionado pela clara interpretação de seus sonhos, como também pelo sábio conselho que lhe dera. No mesmo instante José foi nomeado governador de todo o Egito.
  • 35. • José atingiu a idade de 110 anos. Ele morreu no Egito, depois de passar noventa e três anos da sua vida longe da terra de sua parentela. O nome dele consta na galeria dos heróis da fé (ver Hb 11.22). Antes de morrer, José disse a seus irmãos: “Eu morro, mas Deus certamente vos visitará, e vos fará subir desta terra para a terra que jurou a Abraão, a Isaque e a Jacó.” Gn 50.24. Em seguida ele pediu que os irmãos dele fizessem uma promessa. Disse José: “Quando Deus vos visitar, levareis os meus ossos daqui.” Gn 50.25. Esta promessa cumpriu-se com Moisés, quando da saída dos israelitas do Egito (ver Êx 13.19). A história de José é muito mais que um simples retrato de um homem de grande caráter e de fé admirável.