SlideShare uma empresa Scribd logo
MODELO
VERDADE PRÁTICA
• Somente através de uma vida espiritual frutífera o crente
poderá glorificar a Deus.
LEITURA DIÁRIA
• Segunda – Jo 15.16: Fomos escolhidos e separados do mundo
para dar fruto para Deus
• Terça – Gn 1.11: O fruto identifica a espécie a que pertence a
árvore
• Quarta – Is 57.19: Louvor e adoração, o fruto dos lábios
• Quinta – Fp 1.11: Frutos de justiça para o louvor de Deus
• Sexta - Mt 3.10: A árvore que não produz bons frutos será
cortada
• Sábado - Mc 4.20: Os discípulos de Cristo produzem frutos
OBJETIVO GERAL
Compreender o real significado da frutificação espiritual.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• I. Mostrar que uma vida
controlada pelo Espírito
requer de nós um viver santo
e uma verdadeira comunhão
com Deus;
• II. Saber que o Espírito Santo
molda o nosso caráter para
sermos como Cristo;
• III. Apresentar o propósito do
fruto e a necessidade de se
ter uma vida produtiva.
ESBOÇO DA LIÇÃO
I - A VIDA CONTROLADA PELO ESPÍRITO
• 1.O que significa ser controlado pelo Espírito?
• 2. Um viver santo.
• 3. A verdadeira comunhão.
II. O FRUTO DO ESPÍRITO EVIDENCIA O CARÁTER DE CRISTO EM NÓS
• 1. O que é caráter?
• 2. Caráter gerado pelo Espírito Santo.
• 3. Um novo estilo de vida.
III. TESTEMUNHANDO AS VIRTUDES DO REINO DE DEUS
• 1. O propósito do fruto.
• 2. Uma vida produtiva.
• 3. O que fazer para manter a produtividade?
PONTO CENTRAL
• Glorificamos a Deus quando produzimos frutos condizentes
com a vida cristã.
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Mateus 7.13-20
• 13 Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o
caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;
• 14 E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e
poucos há que a encontrem.
• 15 Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos
como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.
• 16 Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos
espinheiros, ou figos dos abrolhos?
• 17 Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má
produz frutos maus.
• 18 Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos
bons.
• 19 Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo.
• 20 Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.
TEXTO ÁUREO
"...Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento..." (Mt 3.8)
INTRODUÇÃO
• Na lição de hoje, estudaremos o propósito do fruto do
Espírito.
• Nas Escrituras Sagradas, o vocábulo fruto tem muitos
significados que podem ser utilizados para designar nossas
ações e motivos.
• Veremos que Jesus, nosso Salvador, morreu e ressuscitou para
nos ensinar o valor de uma vida frutífera (Jo 12.24).
• Nós somos fruto do sacrifício de Cristo na cruz do Calvário,
logo temos a responsabilidade de frutificar para a glória de
Deus.
O Fruto do Espírito
• Mas o fruto do Espírito é: amor,
alegria, paz, longanimidade,
benignidade, bondade, fidelidade,
mansidão, domínio próprio.
Contra estas coisas não há lei
(Gl.5:22-23).
I - A VIDA CONTROLADA
PELO ESPÍRITO
1 - O que significa ser
controlado pelo Espírito?
O que significa ser controlado pelo Espírito?
• Significa ser dominado pela Palavra. A Palavra é inseparável
do Espírito, o Espírito é o autor das escrituras. Ele é o autor,
Ele é o que interpreta, Ele é o que aplica, Ele é o que capacita,
de sua própria Palavra.
• Sim, é. Porque a vontade de Deus não está perdida, não é
obscura, não está escondida, se você não entende a vontade
de Deus então você é de mentalidade curta, você é ignorante,
porque se você prossegue lendo ele te dirá qual é.
• Aqui está verso 18 - Efésios 5:18, Não se embriaguez com
vinho, que isso é dissolução (asotia - grego) excesso, mas
sejam cheios do Espírito, em segundo a sua vontade (a de
Deus) é que você seja cheio do Espírito.
2. Um viver santo.
Deus Quer um Povo Santo
• Desde a criação, Deus quis um povo santo. Ele desejou uma
comunhão especial com os homens que fossem capazes de
andar com ele e falar com ele numa união especial.
• Mas a própria natureza de Deus estabelece limites para tal
associação. Seu caráter santo não pode permitir ser
contaminado pelo pecado e pela corrupção.
• Os homens só podem estar na sua presença se forem puros.
• Adão e Eva andavam no mesmo jardim que Deus, e falavam
com ele. Mas logo pecaram e perderam esta convivência
especial. Foram expulsos do jardim do Éden separados de
Deus, o que foi a morte espiritual que Deus havia prometido
como conseqüência do pecado (Gênesis 2:17; 3:23-24). Povo
sem santidade não podia permanecer na presença do santo
Deus.
3. A verdadeira comunhão.
Definindo Comunhão
• A palavra comunhão vem do grego koinonia, que no Novo
Testamento possui o sentido de associação, fraternidade,
relacionamento íntimo, generosidade, participação, partilha,
entre outros.
• Assim, comunhão (koinonia) é aquele aspecto da vida que nos
faz ver o outro como parte integrante de nós mesmos.
Envolve todas as dimensões da vida.
• Comunhão é participar da vida do outro.
Fruto
• "O termo 'fruto' é frequentemente usado de forma simbólica.
• As crianças são mencionadas como frutos (Êx 21.22; SI 21.10)
em frases como 'o fruto do ventre' (SI 127.3; Dt 7.13; Lc 1.42)
e o 'fruto do corpo' (SI 132.11; Mq 6.7).
• O louvor é poeticamente descrito como fruto dos lábios (Is
57.19; Hb 13.15), e as palavras de um homem são chamadas
de 'fruto da boca' (Pv 12.14; 18.20).
• O termo 'fruto' é aplicado às consequências das nossas ações
e motivos: 'Comerão do fruto do seu caminho (ou
procedimento) (Pv 1.31; Is 3.10).
O FRUTO DO ESPÍRITO SANTO.
• Através do Fruto do Espírito Santo o caráter de Cristo é
novamente formado no homem.
• O pecado afetou consideravelmente imagem de Deus em nós
levando-nos a produzir as obras da carne. (Efésios 2.2,3;
Gálatas 5.19-21) Entretanto através do novo nascimento,
Cristo é novamente formado em nós e assim somos
transformados constantemente de glória em glória, crescendo
na graça e no conhecimento de Jesus Cristo. (2 Co 3.17,18) A
manifestação do fruto do Espírito Santo diz respeito à nossa
santificação. (separação do pecado e consagração a Deus) É
através da manifestação do fruto do Espírito Santo que a
maturidade espiritual torna-se perceptível.
• Qualquer novo convertido pode manifestar fruto do Espírito
Santo se a sua conversão for realmente autêntica.
II. O FRUTO DO ESPÍRITO EVIDENCIA
O CARÁTER DE CRISTO EM NÓS
1. O que é caráter?
• Segundo o Dicionário Houaiss, é a "qualidade inerente a um
indivíduo, desde o nascimento; temperamento, índole."
Nossas ações e frutos identificam o caráter de Cristo em nós.
• Quem pela fé recebe a Jesus Cristo como Salvador passa por
uma transformação interior, recebendo uma nova vida, ou
seja, uma nova maneira de pensar e agir (2 Co 5.17). O caráter
de Cristo é evidenciado em nossas vidas por nossas ações.
• A Psicologia nos ajuda a compreender melhor o
comportamento humano e o define em quatro
temperamentos, que são:
• colérico, melancólico, fleumático e sanguíneo. Todos temos
um pouco dos quatro, mas sempre haverá um desses que se
destacará.
2. Caráter gerado pelo Espírito Santo.
• Segundo escreve Demchuk , no mundo Greco-romano, uma
atitude de humildade era desprezada e vista como
característica de um indivíduo de nascimento humilde ou de
um escravo.
• Esta não seria uma posição facilmente adotada pelos cidadãos
de Filipos, já que eles se orgulhavam do fato de serem
considerados cidadãos romanos.
• Para confrontar esta idéia, Paulo mostra o maior exemplo de
humildade já visto, sendo este o do próprio Senhor Jesus
Cristo já que Ele, apesar de ser Deus, não usufruiu da posição
que lhe era devida para tirar vantagens, direitos e honrarias
frente aos homens.
3. Um novo estilo de vida.
• Como identificar o crente autêntico? Ele pode ser identificado
não por aquilo que possui, mas por aquilo que é. Suas ações
precisam revelar que ele está em Jesus Cristo (Jo 15.4).
Lembre-se: não se conhece uma árvore pelas folhas, mas sim
pelos frutos.
• Pregamos em nossas igrejas que não somos desse mundo,
que somos embaixadores de Deus, sacerdócio real, nação
eleita, povo escolhido, e que temos um Rei, mais o que
vivemos na verdade é totalmente oposto a isso. Não nos
portamos como príncipes de Deus, nem embaixadores, não
obedecemos ao Rei do nosso reino, e temos medo além de
achar que Ele não ta junto de nós.
III. TESTEMUNHANDO AS VIRTUDES
DO REINO DE DEUS
1. O propósito do fruto.
• Você não foi salvo para somente frequentar a igreja, mas para
revelar Cristo ao mundo por intermédio de um viver santo,
justo, em meio a uma sociedade comprometida pelo pecado
(Fp 2.15).
• Fomos "retirados" do mundo para que sejamos testemunhas
(Is 43.10). Você foi chamado para ser "luz" do mundo e "sal"
da terra (Mt 5.14,15).
• Porém, não adianta pregar o Evangelho de Cristo e não viver
segundo os princípios do Reino (Mt 5. 1-12).
• Você precisa viver aquilo que prega e ensina se deseja uma
vida e ministério frutíferos.
2. Uma vida produtiva.
Participar da missão do Reino
• – Devemos em primeiro lugar permanecer em Cristo, em
segundo lugar permitir ser limpos por Cristo. Agora devemos
entender que o permanecer e o santificar vai gerar em nós
frutos com o propósito de sermos agentes do Reino nesta
terra.
• – Quando cumprimos isto, Deus é glorificado (vs. 8) porque
daremos muitos frutos. Fomos escolhidos para esta obra (vs.
16), nossa missão é irmos (Mt. 28.19), darmos frutos e que
estes frutos permaneçam.
• – Vemos aqui dois tipos de frutos, o fruto do Espírito em nós
(caráter), e o fruto de nossa missão, vidas ganhas para Jesus.
Através do amor, contaminaremos o mundo à nossa volta.
João 13.35 “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos:
se tiverdes amor uns aos outros”.
3. O que fazer para manter
a produtividade?
• Cristo estava ensinando por analogia que o fato de um dia
fazer parte de Seu corpo não garante a salvação final, pois é
necessária a perseverança até o fim. Da mesma forma, ele
ensina que é possível que alguém que uma vez foi salvo não
persevere e não confirme esta salvação. Alegar que tais
pessoas descritas nesta analogia não eram salvas é inútil, pois
Jesus disse que elas estavam nele (v.2). Se elas estavam nele,
faziam parte do Seu corpo, a Igreja invisível eleita para a
salvação e espalhada em todo o mundo.
• Outro detalhe que nos mostra que essas pessoas eram salvas
é o fato de já estarem limpas (v.3). Sabemos que a
santificação é um processo de purificação que sucede a
regeneração. Pessoas são salvas por Deus, regeneradas e,
então, santificadas.
CONCLUSÃO
• Precisamos ter uma vida frutífera e para isso precisamos estar
ligados à Videira.
• O propósito dos frutos é glorificar ao Pai: "Nisto é glorificado
meu Pai; que deis muito fruto; e assim sereis meus
discípulos"(Jo 15.8).
• Busque ter um relacionamento pessoal com Cristo, seja cheio
do Espírito Santo e produza muitos frutos para a glória de
Deus.
http://ebdexpositivo.blogspot.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
Pr. Andre Luiz
 
Espírito X Carne _ Como está o Placar
Espírito X Carne _ Como está o PlacarEspírito X Carne _ Como está o Placar
Espírito X Carne _ Como está o Placar
fgondim
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espíritoEbd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Obras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do EspíritoObras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do Espírito
Luciana Evangelista
 
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma ModeradaLição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Erberson Pinheiro
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
Pastor Natalino Das Neves
 
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderadaEbd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo
talmidimted
 
Lição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecadoLição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecado
Natalino das Neves Neves
 
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da CarneLição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Erberson Pinheiro
 
Lição 4 - os benefícios da justificação
Lição 4 - os benefícios da justificaçãoLição 4 - os benefícios da justificação
Lição 4 - os benefícios da justificação
Ailton da Silva
 
Confronto histórico
Confronto históricoConfronto histórico
Confronto histórico
Tiago Vieira
 
Fruto do espirito
Fruto do espiritoFruto do espirito
Fruto do espirito
Pr. Gerson Eller
 
Lição 3 aluno
Lição 3 alunoLição 3 aluno
Lição 3 aluno
Demerval Fernandes
 
Lição 1 - As obras da carne e o fruto do Espírito Santo
Lição 1 - As obras da carne e o fruto do Espírito SantoLição 1 - As obras da carne e o fruto do Espírito Santo
Lição 1 - As obras da carne e o fruto do Espírito Santo
Ailton da Silva
 
Lição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecadoLição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecado
boasnovassena
 
A Maravilhosa Graça
A Maravilhosa GraçaA Maravilhosa Graça
A Maravilhosa Graça
Márcio Martins
 
Lição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela féLição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela fé
Natalino das Neves Neves
 

Mais procurados (20)

O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
 
Espírito X Carne _ Como está o Placar
Espírito X Carne _ Como está o PlacarEspírito X Carne _ Como está o Placar
Espírito X Carne _ Como está o Placar
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espíritoEbd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
 
Obras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do EspíritoObras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do Espírito
 
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma ModeradaLição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderadaEbd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
 
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
 
3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo
 
Lição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecadoLição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecado
 
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da CarneLição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
 
Lição 4 - os benefícios da justificação
Lição 4 - os benefícios da justificaçãoLição 4 - os benefícios da justificação
Lição 4 - os benefícios da justificação
 
Confronto histórico
Confronto históricoConfronto histórico
Confronto histórico
 
Fruto do espirito
Fruto do espiritoFruto do espirito
Fruto do espirito
 
Lição 3 aluno
Lição 3 alunoLição 3 aluno
Lição 3 aluno
 
Lição 1 - As obras da carne e o fruto do Espírito Santo
Lição 1 - As obras da carne e o fruto do Espírito SantoLição 1 - As obras da carne e o fruto do Espírito Santo
Lição 1 - As obras da carne e o fruto do Espírito Santo
 
Lição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecadoLição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecado
 
A Maravilhosa Graça
A Maravilhosa GraçaA Maravilhosa Graça
A Maravilhosa Graça
 
Lição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela féLição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela fé
 

Destaque

LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃOLIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoApresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Prof. Robson Santos
 
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃOLIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4 Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4  Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...Ebd 1° trimestre 2017 lição 4  Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4 Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificaçãoLBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADA
LIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADALIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADA
LIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADA
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderdaLBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
Natalino das Neves Neves
 
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfiasLição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Ailton da Silva
 
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICALição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Erberson Pinheiro
 
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha naturezaLba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Natalino das Neves Neves
 
O Propósito do Fruto do Espirito
O Propósito do Fruto do EspiritoO Propósito do Fruto do Espirito
O Propósito do Fruto do Espirito
Márcio Martins
 
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha NaturezaLição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Erberson Pinheiro
 
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissençõesLBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
Natalino das Neves Neves
 
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizadesLBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
Natalino das Neves Neves
 
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igrejaLBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
Natalino das Neves Neves
 
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituaisLBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 04 - ALEGRIA, FRUTO DO ESPÍRITO; INVEJA, HÁBITO DA VELHA NATUREZA
LIÇÃO 04 - ALEGRIA, FRUTO DO ESPÍRITO; INVEJA, HÁBITO DA VELHA NATUREZALIÇÃO 04 - ALEGRIA, FRUTO DO ESPÍRITO; INVEJA, HÁBITO DA VELHA NATUREZA
LIÇÃO 04 - ALEGRIA, FRUTO DO ESPÍRITO; INVEJA, HÁBITO DA VELHA NATUREZA
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITOLIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 

Destaque (20)

LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃOLIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
 
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoApresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
 
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃOLIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
 
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4 Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4  Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...Ebd 1° trimestre 2017 lição 4  Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4 Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
 
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificaçãoLBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
 
LIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADA
LIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADALIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADA
LIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADA
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
 
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderdaLBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
 
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfiasLição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
 
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICALição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
 
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha naturezaLba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
 
O Propósito do Fruto do Espirito
O Propósito do Fruto do EspiritoO Propósito do Fruto do Espirito
O Propósito do Fruto do Espirito
 
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha NaturezaLição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
 
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissençõesLBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
 
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizadesLBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
 
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igrejaLBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
 
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituaisLBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
 
LIÇÃO 04 - ALEGRIA, FRUTO DO ESPÍRITO; INVEJA, HÁBITO DA VELHA NATUREZA
LIÇÃO 04 - ALEGRIA, FRUTO DO ESPÍRITO; INVEJA, HÁBITO DA VELHA NATUREZALIÇÃO 04 - ALEGRIA, FRUTO DO ESPÍRITO; INVEJA, HÁBITO DA VELHA NATUREZA
LIÇÃO 04 - ALEGRIA, FRUTO DO ESPÍRITO; INVEJA, HÁBITO DA VELHA NATUREZA
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
 
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITOLIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
 

Semelhante a E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02

Lição 2 aluno
Lição 2 alunoLição 2 aluno
Lição 2 aluno
Demerval Fernandes
 
A igreja que deus deseja
A igreja que deus desejaA igreja que deus deseja
A igreja que deus deseja
Pedro Júnior
 
LIÇÃO 03 - O PERIGO DAS OBRAS DA CARNE
LIÇÃO 03 - O PERIGO DAS OBRAS DA CARNELIÇÃO 03 - O PERIGO DAS OBRAS DA CARNE
LIÇÃO 03 - O PERIGO DAS OBRAS DA CARNE
Lourinaldo Serafim
 
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptxEvangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
lindalva da cruz
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptxdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
Tiago Silva
 
Identidade do cristão
Identidade do cristãoIdentidade do cristão
Identidade do cristão
hetejunior
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdfdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
Tiago Silva
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
Joel Silva
 
Sal da terra.
Sal da terra.Sal da terra.
Sal da terra.
Joel Silva
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
Joel Silva
 
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Jonas Martins Olímpio
 
LIÇÃO 2- O PROPÓSITO DO FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 2- O PROPÓSITO DO FRUTO DO ESPÍRITOLIÇÃO 2- O PROPÓSITO DO FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 2- O PROPÓSITO DO FRUTO DO ESPÍRITO
Lourinaldo Serafim
 
Lição 2 - O propósito do fruto do Espírito
Lição 2 - O propósito do fruto do EspíritoLição 2 - O propósito do fruto do Espírito
Lição 2 - O propósito do fruto do Espírito
Ailton da Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
Joel Silva
 
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileira
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileiraDeclaração doutrinaria da convenção batista brasileira
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileira
pibfsa
 
O Propósito do Fruto do Espírito
O Propósito do Fruto do EspíritoO Propósito do Fruto do Espírito
O Propósito do Fruto do Espírito
Luciana Evangelista
 
Vivendo de Forma Moderada.
Vivendo de Forma Moderada.Vivendo de Forma Moderada.
Vivendo de Forma Moderada.
Márcio Martins
 
Lição 03 – a vida do novo convertido
Lição 03  –  a vida do novo convertidoLição 03  –  a vida do novo convertido
Lição 03 – a vida do novo convertido
estevao01
 
Lição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagraçãoLição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagração
Natalino das Neves Neves
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
Joel de Oliveira
 

Semelhante a E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02 (20)

Lição 2 aluno
Lição 2 alunoLição 2 aluno
Lição 2 aluno
 
A igreja que deus deseja
A igreja que deus desejaA igreja que deus deseja
A igreja que deus deseja
 
LIÇÃO 03 - O PERIGO DAS OBRAS DA CARNE
LIÇÃO 03 - O PERIGO DAS OBRAS DA CARNELIÇÃO 03 - O PERIGO DAS OBRAS DA CARNE
LIÇÃO 03 - O PERIGO DAS OBRAS DA CARNE
 
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptxEvangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptxdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
 
Identidade do cristão
Identidade do cristãoIdentidade do cristão
Identidade do cristão
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdfdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
 
Sal da terra.
Sal da terra.Sal da terra.
Sal da terra.
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
 
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
 
LIÇÃO 2- O PROPÓSITO DO FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 2- O PROPÓSITO DO FRUTO DO ESPÍRITOLIÇÃO 2- O PROPÓSITO DO FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 2- O PROPÓSITO DO FRUTO DO ESPÍRITO
 
Lição 2 - O propósito do fruto do Espírito
Lição 2 - O propósito do fruto do EspíritoLição 2 - O propósito do fruto do Espírito
Lição 2 - O propósito do fruto do Espírito
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
 
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileira
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileiraDeclaração doutrinaria da convenção batista brasileira
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileira
 
O Propósito do Fruto do Espírito
O Propósito do Fruto do EspíritoO Propósito do Fruto do Espírito
O Propósito do Fruto do Espírito
 
Vivendo de Forma Moderada.
Vivendo de Forma Moderada.Vivendo de Forma Moderada.
Vivendo de Forma Moderada.
 
Lição 03 – a vida do novo convertido
Lição 03  –  a vida do novo convertidoLição 03  –  a vida do novo convertido
Lição 03 – a vida do novo convertido
 
Lição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagraçãoLição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagração
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 

Mais de Joel Silva

E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 02
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 02E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 02
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 02
Joel Silva
 

Mais de Joel Silva (20)

E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 02
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 02E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 02
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 02
 

Último

Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Janilson Noca
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
ceciliafonseca16
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (16)

Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 

E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02

  • 2. VERDADE PRÁTICA • Somente através de uma vida espiritual frutífera o crente poderá glorificar a Deus.
  • 3. LEITURA DIÁRIA • Segunda – Jo 15.16: Fomos escolhidos e separados do mundo para dar fruto para Deus • Terça – Gn 1.11: O fruto identifica a espécie a que pertence a árvore • Quarta – Is 57.19: Louvor e adoração, o fruto dos lábios • Quinta – Fp 1.11: Frutos de justiça para o louvor de Deus • Sexta - Mt 3.10: A árvore que não produz bons frutos será cortada • Sábado - Mc 4.20: Os discípulos de Cristo produzem frutos
  • 4. OBJETIVO GERAL Compreender o real significado da frutificação espiritual.
  • 5. OBJETIVOS ESPECÍFICOS • I. Mostrar que uma vida controlada pelo Espírito requer de nós um viver santo e uma verdadeira comunhão com Deus; • II. Saber que o Espírito Santo molda o nosso caráter para sermos como Cristo; • III. Apresentar o propósito do fruto e a necessidade de se ter uma vida produtiva.
  • 6. ESBOÇO DA LIÇÃO I - A VIDA CONTROLADA PELO ESPÍRITO • 1.O que significa ser controlado pelo Espírito? • 2. Um viver santo. • 3. A verdadeira comunhão. II. O FRUTO DO ESPÍRITO EVIDENCIA O CARÁTER DE CRISTO EM NÓS • 1. O que é caráter? • 2. Caráter gerado pelo Espírito Santo. • 3. Um novo estilo de vida. III. TESTEMUNHANDO AS VIRTUDES DO REINO DE DEUS • 1. O propósito do fruto. • 2. Uma vida produtiva. • 3. O que fazer para manter a produtividade?
  • 7. PONTO CENTRAL • Glorificamos a Deus quando produzimos frutos condizentes com a vida cristã.
  • 8. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Mateus 7.13-20 • 13 Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; • 14 E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. • 15 Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. • 16 Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? • 17 Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. • 18 Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. • 19 Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. • 20 Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.
  • 9. TEXTO ÁUREO "...Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento..." (Mt 3.8)
  • 10. INTRODUÇÃO • Na lição de hoje, estudaremos o propósito do fruto do Espírito. • Nas Escrituras Sagradas, o vocábulo fruto tem muitos significados que podem ser utilizados para designar nossas ações e motivos. • Veremos que Jesus, nosso Salvador, morreu e ressuscitou para nos ensinar o valor de uma vida frutífera (Jo 12.24). • Nós somos fruto do sacrifício de Cristo na cruz do Calvário, logo temos a responsabilidade de frutificar para a glória de Deus.
  • 11. O Fruto do Espírito • Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei (Gl.5:22-23).
  • 12. I - A VIDA CONTROLADA PELO ESPÍRITO
  • 13. 1 - O que significa ser controlado pelo Espírito?
  • 14. O que significa ser controlado pelo Espírito? • Significa ser dominado pela Palavra. A Palavra é inseparável do Espírito, o Espírito é o autor das escrituras. Ele é o autor, Ele é o que interpreta, Ele é o que aplica, Ele é o que capacita, de sua própria Palavra. • Sim, é. Porque a vontade de Deus não está perdida, não é obscura, não está escondida, se você não entende a vontade de Deus então você é de mentalidade curta, você é ignorante, porque se você prossegue lendo ele te dirá qual é. • Aqui está verso 18 - Efésios 5:18, Não se embriaguez com vinho, que isso é dissolução (asotia - grego) excesso, mas sejam cheios do Espírito, em segundo a sua vontade (a de Deus) é que você seja cheio do Espírito.
  • 15. 2. Um viver santo.
  • 16. Deus Quer um Povo Santo • Desde a criação, Deus quis um povo santo. Ele desejou uma comunhão especial com os homens que fossem capazes de andar com ele e falar com ele numa união especial. • Mas a própria natureza de Deus estabelece limites para tal associação. Seu caráter santo não pode permitir ser contaminado pelo pecado e pela corrupção. • Os homens só podem estar na sua presença se forem puros. • Adão e Eva andavam no mesmo jardim que Deus, e falavam com ele. Mas logo pecaram e perderam esta convivência especial. Foram expulsos do jardim do Éden separados de Deus, o que foi a morte espiritual que Deus havia prometido como conseqüência do pecado (Gênesis 2:17; 3:23-24). Povo sem santidade não podia permanecer na presença do santo Deus.
  • 17. 3. A verdadeira comunhão.
  • 18. Definindo Comunhão • A palavra comunhão vem do grego koinonia, que no Novo Testamento possui o sentido de associação, fraternidade, relacionamento íntimo, generosidade, participação, partilha, entre outros. • Assim, comunhão (koinonia) é aquele aspecto da vida que nos faz ver o outro como parte integrante de nós mesmos. Envolve todas as dimensões da vida. • Comunhão é participar da vida do outro.
  • 19.
  • 20. Fruto • "O termo 'fruto' é frequentemente usado de forma simbólica. • As crianças são mencionadas como frutos (Êx 21.22; SI 21.10) em frases como 'o fruto do ventre' (SI 127.3; Dt 7.13; Lc 1.42) e o 'fruto do corpo' (SI 132.11; Mq 6.7). • O louvor é poeticamente descrito como fruto dos lábios (Is 57.19; Hb 13.15), e as palavras de um homem são chamadas de 'fruto da boca' (Pv 12.14; 18.20). • O termo 'fruto' é aplicado às consequências das nossas ações e motivos: 'Comerão do fruto do seu caminho (ou procedimento) (Pv 1.31; Is 3.10).
  • 21. O FRUTO DO ESPÍRITO SANTO. • Através do Fruto do Espírito Santo o caráter de Cristo é novamente formado no homem.
  • 22. • O pecado afetou consideravelmente imagem de Deus em nós levando-nos a produzir as obras da carne. (Efésios 2.2,3; Gálatas 5.19-21) Entretanto através do novo nascimento, Cristo é novamente formado em nós e assim somos transformados constantemente de glória em glória, crescendo na graça e no conhecimento de Jesus Cristo. (2 Co 3.17,18) A manifestação do fruto do Espírito Santo diz respeito à nossa santificação. (separação do pecado e consagração a Deus) É através da manifestação do fruto do Espírito Santo que a maturidade espiritual torna-se perceptível. • Qualquer novo convertido pode manifestar fruto do Espírito Santo se a sua conversão for realmente autêntica.
  • 23. II. O FRUTO DO ESPÍRITO EVIDENCIA O CARÁTER DE CRISTO EM NÓS
  • 24. 1. O que é caráter?
  • 25. • Segundo o Dicionário Houaiss, é a "qualidade inerente a um indivíduo, desde o nascimento; temperamento, índole." Nossas ações e frutos identificam o caráter de Cristo em nós. • Quem pela fé recebe a Jesus Cristo como Salvador passa por uma transformação interior, recebendo uma nova vida, ou seja, uma nova maneira de pensar e agir (2 Co 5.17). O caráter de Cristo é evidenciado em nossas vidas por nossas ações. • A Psicologia nos ajuda a compreender melhor o comportamento humano e o define em quatro temperamentos, que são: • colérico, melancólico, fleumático e sanguíneo. Todos temos um pouco dos quatro, mas sempre haverá um desses que se destacará.
  • 26. 2. Caráter gerado pelo Espírito Santo.
  • 27. • Segundo escreve Demchuk , no mundo Greco-romano, uma atitude de humildade era desprezada e vista como característica de um indivíduo de nascimento humilde ou de um escravo. • Esta não seria uma posição facilmente adotada pelos cidadãos de Filipos, já que eles se orgulhavam do fato de serem considerados cidadãos romanos. • Para confrontar esta idéia, Paulo mostra o maior exemplo de humildade já visto, sendo este o do próprio Senhor Jesus Cristo já que Ele, apesar de ser Deus, não usufruiu da posição que lhe era devida para tirar vantagens, direitos e honrarias frente aos homens.
  • 28. 3. Um novo estilo de vida.
  • 29. • Como identificar o crente autêntico? Ele pode ser identificado não por aquilo que possui, mas por aquilo que é. Suas ações precisam revelar que ele está em Jesus Cristo (Jo 15.4). Lembre-se: não se conhece uma árvore pelas folhas, mas sim pelos frutos. • Pregamos em nossas igrejas que não somos desse mundo, que somos embaixadores de Deus, sacerdócio real, nação eleita, povo escolhido, e que temos um Rei, mais o que vivemos na verdade é totalmente oposto a isso. Não nos portamos como príncipes de Deus, nem embaixadores, não obedecemos ao Rei do nosso reino, e temos medo além de achar que Ele não ta junto de nós.
  • 30. III. TESTEMUNHANDO AS VIRTUDES DO REINO DE DEUS
  • 31. 1. O propósito do fruto.
  • 32. • Você não foi salvo para somente frequentar a igreja, mas para revelar Cristo ao mundo por intermédio de um viver santo, justo, em meio a uma sociedade comprometida pelo pecado (Fp 2.15). • Fomos "retirados" do mundo para que sejamos testemunhas (Is 43.10). Você foi chamado para ser "luz" do mundo e "sal" da terra (Mt 5.14,15). • Porém, não adianta pregar o Evangelho de Cristo e não viver segundo os princípios do Reino (Mt 5. 1-12). • Você precisa viver aquilo que prega e ensina se deseja uma vida e ministério frutíferos.
  • 33. 2. Uma vida produtiva.
  • 34. Participar da missão do Reino • – Devemos em primeiro lugar permanecer em Cristo, em segundo lugar permitir ser limpos por Cristo. Agora devemos entender que o permanecer e o santificar vai gerar em nós frutos com o propósito de sermos agentes do Reino nesta terra. • – Quando cumprimos isto, Deus é glorificado (vs. 8) porque daremos muitos frutos. Fomos escolhidos para esta obra (vs. 16), nossa missão é irmos (Mt. 28.19), darmos frutos e que estes frutos permaneçam. • – Vemos aqui dois tipos de frutos, o fruto do Espírito em nós (caráter), e o fruto de nossa missão, vidas ganhas para Jesus. Através do amor, contaminaremos o mundo à nossa volta. João 13.35 “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros”.
  • 35. 3. O que fazer para manter a produtividade?
  • 36. • Cristo estava ensinando por analogia que o fato de um dia fazer parte de Seu corpo não garante a salvação final, pois é necessária a perseverança até o fim. Da mesma forma, ele ensina que é possível que alguém que uma vez foi salvo não persevere e não confirme esta salvação. Alegar que tais pessoas descritas nesta analogia não eram salvas é inútil, pois Jesus disse que elas estavam nele (v.2). Se elas estavam nele, faziam parte do Seu corpo, a Igreja invisível eleita para a salvação e espalhada em todo o mundo. • Outro detalhe que nos mostra que essas pessoas eram salvas é o fato de já estarem limpas (v.3). Sabemos que a santificação é um processo de purificação que sucede a regeneração. Pessoas são salvas por Deus, regeneradas e, então, santificadas.
  • 37. CONCLUSÃO • Precisamos ter uma vida frutífera e para isso precisamos estar ligados à Videira. • O propósito dos frutos é glorificar ao Pai: "Nisto é glorificado meu Pai; que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos"(Jo 15.8). • Busque ter um relacionamento pessoal com Cristo, seja cheio do Espírito Santo e produza muitos frutos para a glória de Deus.