SlideShare uma empresa Scribd logo
Oriente Médio... É aí onde fervilha a história.
Oriente Médio... É aí onde fervilha a história.
Os primeiros impérios...
O império egípcio
O Egito existe em função do rio Nilo, que nascendo no Lago Vitória na Tanzânia, desce
e atravessa o País. Anualmente a cheia do rio fertiliza suas margens, favorecendo a
agricultura. O rio também servia ao deslocamento de víveres, tropas e ao tráfego em
geral.
O império egípcio
Ainda hoje o rio exerce um papel fundamental no funcionamento do País. Abaixo,
fotografia de um passeio pelo mesmo...
O império egípcio
A civilização egípcia legou ao mundo a invenção da escrita, ainda que representada em
símbolos, os hieróglifos. Histórias, relatos e documentos oficiais podiam a partir daí ser
registradas e transmitidas de forma duradoura e uniforme.
O império egípcio
Deles também herdamos os rudimentos da matemática, da astronomia, dos livros, que
eram feitos de papiro, uma planta abundante no Rio Nilo. Acredita-se que os egípcios
foram os primeiros a sentar em cadeiras de quatro pernas, que inventaram o carimbo,
a cerveja, o calendário e o exército. Há ainda hoje imponentes construções e obejtos
que desafiam a lógica e demonstram como aquele País foi tão influente.
O império egípcio
O governo era regido pelos faraós. Ao contrário do que muitos
pensam era um título comum como César. Os faraós eram
tidos como deuses. Sua benção era indispensável para o início
do plantio e da colheita. Tinha poder sobre a vida e a morte
dos seus súditos. Ao morrer eram embalsamados e postos em
caixões luxuosos, como os de Tutancamon com 110 kg de
ouro. Em seguida, tais múmias repousavam em pirâmides.
O império egípcio
O Egito tinha muitos deuses. O panteão era imenso. Acreditava-se que eles regiam a
vida em seus mínimos aspectos. Haviam deuses para a criação, para o plantio, que
regiam os astros, que faziam as mulheres férteis, que regiam a medicina e o
conhecimento. Deuses do Nilo, da água, do ar, dos animais, da guerra, etc.
A cada novo Faraó que emergia uma dessas divindades era eleita como favorita e o
seu culto era colocado acima dos demais. De forma que praticamente não havia um
deus principal, senão um em evidência naquele momento.
O império egípcio
Alguns dos deuses egípcios:
Amon, deus
criador
Ápis, deus boi
Osíris, deus da morte.
Marido de Ísis
Ísis, deusa da
maternidade
O império egípcio
Alguns dos deuses egípcios:
Hórus, deus do
céu. Filho de Ísis
Rá, deus sol Maat, deusa da
verdade
Seth, deus da
violência
O império egípcio
Estrutura social do Egito
A sociedade egípcia era escravocrata. A base da economia era a agricultura irrigada às
margens do Nilo. A população em geral não era alfabetizada. Somente os escribas e
funcionários reais tinham tal privilégio.
O império egípcio
Curiosidades sobre o Antigo Egito
1. O pão era o principal alimento consumido
2. Os velhos eram extremamente respeitados por seu conhecimento acumulado
3. As crianças vestiam roupas a partir dos cinco anos
4. O rio Nilo é o mais extenso do mundo, percorre 6.650 kilômetros
5. Somente os templos e túmulos eram feitos de pedra. As demais construções
eram feitas de tijolos de barro misturados com palha picada
6. Grande parte das roupas no Egito Antigo era feita de linho
7. Foram os egípcios que criaram o papiro, a partir da planta de mesmo nome
8. As mulheres egípcias foram algumas das primeiras a usam maquiagem
9. Os egípcios eram muito supersticiosos e acreditavam que os sonhos sempre
significavam algo. Se alguém sonhasse com a queda dos próprios dentes, isso
significava que alguém da família poderia morrer
10. Quando um escravo morria era jogado no deserto para ser comido por abutres e
chacais
Os primórdios da nação israelita...
Devemos estar lembrados que com o
domínio egípcio sobre o Oriente Médio, a
região de Canaã era vassala do império.
A Palestina era rota de passagem dos
exércitos egípcios e das inúmeras
caravanas que se dirigiam do Egito à Síria.
Os faraós tinham interesses os mais
diversos com as nações ao Norte de Israel.
Quando o livro do Êxodo se desenrola, a
nação está apenas nascendo e não tinha
condições de defesa contra um exército.
Paralelamente diversos outros pequenos
reinos floresciam na região, aos quais
interessava ao Egito submeter.
Os primórdios da nação israelita...
Os primórdios da nação israelita...
Peregrinações de Abraão
1. Ur dos Caldeus (Gn 11.31)
2. Harã (Gn 12.4)
3. Siquém (Gn 12.6)
4. Betel (Gn 12.8)
5. Entre Ai e Betel (Gn 12.8)
6. Neguebe (Gn 12.9)
7. Egito (Gn 12.10)
8. Neguebe / Berseba (Gn 13.1)
9. Betel (Gn 13.3)
10. Entre Ai e Betel (Gn 13.3)
11. Carvalhais de Manre (Gn 13.18)
12. Gerar (Gn 20.1)
13. Berseba (Gn 20.21,31-33)
14. Hebrom (Gn 23.1)
Os primórdios da nação israelita...
Mas devemos voltar um pouco na história para compreender como estava
estruturada a família de Jacó, que seria a protagonista da história
Abraão (bisavô)
Isaque (avô) Esaú
Jacó (pai)
Lia
Rúben Simeão
Levi Judá
Issacar Zabulom
Diná
Bila
Dã Naftali
Zilpa
Gade Aser
Raquel
José Benjamim
Os primórdios da nação israelita...
Os filhos de Jacó nasceram na seguinte ordem (incluindo a filha):
1) Rúben (Gênesis 29:32)
2) Simeão (Gênesis 29:33)
3) Levi (Gênesis 29:34)
4) Judá (Gênesis 29:35)
5) Dã (Gênesis 30:5)
6) Naftali (Gênesis 30:7)
7) Gade (Gênesis 30:10)
8) Aser (Gênesis 30:12)
9) Issacar (Gênesis 30:17)
10) Zabulom (Gênesis 30:19)
11) Diná (filha) (Gênesis 30:21)
12) José (Gênesis 30:23)
13) Benjamin (Gênesis 35:18)
Os primórdios da nação israelita...
Depois que Diná, a filha de Jacó,
foi violentada em Siquém (Gn
24), este se estabeleceu em Betel,
cerca de 23 km ao sul.
Mas seu gado pastava nos
arredores de Siquém. Foi para lá
que Jacó enviou José a ver como
eles estavam (Gênesis 37:13).
Quando José chegou em Siquém,
foi informado que seus irmãos
estavam em Dotã. Mais ou
menos 18 km ao Norte.
Somos informados no capítulo 37
da rivalidade que havia entre os
irmãos, tanto por conta da
preferência de Jacó por José, o
filho da sua velhice, como pelos
sonhos deste.
José é preso e vendido
Então seus irmãos o prenderam
(Gênesis 37:24 ss). A ideia inicial era
matarem-no imediatamente, mas
Rubén, o mais velho, se opôs e
concordou que apenas o lançassem
numa cova, esperando resgatá-lo
mais adiante.
O grupo, então, se dispersou...
José é preso e vendido
Porém, ia passando uma caravana de ismaelitas e/ou midianitas ao qual José
foi vendido como escravo, por vinte moedas de prata, uma ideia de Judá,
seguida por seus irmãos, exceto Rubén, que não estava presente (Gênesis
37:28)
José no Egito
A caravana o levou ao
Egito, onde foi revendido
a Potifar, oficial de
Faraó, em cuja casa veio
a morar e cuidar como
mordomo.
Diz a Palavra de Deus,
que neste lugar o Senhor
abençoou ricamente a
José, mesmo vivendo
como escravo. Nada a
ver com a Teologia da
Prosperidade (Gênesis
39:2). E não só isso, o
Senhor abençoou Potifar
por amor a José (Gênesis
37:5)!
O embuste feito a Jacó
Enquanto isso, os irmãos
de José simularam sua
morte, e levaram sua
túnica suja de sangue a
seu pai, Jacó. Ele
acreditou em cada
palavra e, aos poucos, se
consolou da suposta
perda
Deus abençoa José no Egito
José ia bem e tinha a confiança de Potifar,
mas sua mulher pôs os olhos no rapaz,
que agora era forte e viril (Gênesis 39:6).
Ele recusou e o motivo mais forte deixaria
qualquer um de nós envergonhado. Disse
ele: ...como pois faria eu tamanha
maldade, e pecaria contra Deus? (Gênesis
39:9)
A pérfida mulher, então, o agarrou num
dia em que não havia ninguém em casa,
ficando com sua túnica em suas mãos.
José foi acusado de assédio sexual e
preso, injustamente (Gênesis 39:20)!
José na prisão no Egito
José foi abençoado na prisão (Gênesis
39:23), o texto bíblico faz questão de
ressaltar isso.
Numa reviravolta impressionante o
padeiro-mor e o copeiro-mor de Faraó
foram acusados e presos, lançados na
mesma cela de José.
Numa noite, depois de muitos dias presos,
ambos tiveram um sonho, mas não
sabiam a interpretação, até que José
ouvisse os mesmos e os interpretasse.
Um retornaria ao seu ofício (copeiro) e o outro (padeiro) seria enforcado, e assim se
sucedeu, três dias depois. José ainda rogou ao copeiro que ele lembrasse da injustiça
que lhe fora cometida. Mas a Bíblia diz que ele esqueceu (Gênesis 40:23)
José interpreta o sonho de Faraó
Dois anos depois Faraó sonhou que
haviam sete vacas magras engolindo
outras sete gordas. Assim como sete
espigas mirradas, devorando as espigas
sadias. Ele ficou preocupado e pediu aos
magos que lhe dessem a interpretação,
mas não o puderam fazer (Gênesis 41:8).
Foi quando o copeiro lembrou de José. O
barbearam, vestiram novas roupas e o
trouxeram a Faraó (Gênesis 41:14).
A interpretação é que sete anos de bonança seria sucedidos por outros sete de
escassez. José ainda aconselhou o rei a recolher em seus celeiros 20% de toda
produção dos anos de abundância, para que pudesse suprir a fome nos anos de
dificuldades (Gênesis 41:34).
José é exaltado
E, então, contra todas as evidências, José
foi promovido de prisioneiro a primeiro-
ministro num só dia (Gênesis 41:42). José
fez com que o Egito se tornasse mais
próspero ainda e se preparasse para os
anos de fome.
Os egípcios armazenavam cereais em silos
de pedra acomodados sobre a areia,
semelhantes à figura ao lado, descoberta
em escavações recentes.
E aí a história de José deu guinada total. É que com a fome nas terras ao redor do
Egito, seus irmãos se viram obrigados a ir comprar comida lá... (Gênesis 42:1-6). Isto
ocorreu nove anos depois do sonho de Faraó.
Os irmãos de José aparecem no Egito
Foram reconhecidos e ignorados
imediatamente por José, que agora
detinha a autoridade sobre a fazenda do
rei. Eles se prostraram diante dele
conforme previsto no sonho de José
(Gênesis 37:7).
Num primeiro momento José ordenou que
Simeão ficasse detido como garantia do
retorno deles ao Egito, ao mesmo tempo
que mandou devolver o dinheiro
amarrando em seus sacos.
Surpresos e amedrontados seguiram caminho até Canaã. E contaram tudo a Jacó
(Gênesis 42:29). Jacó relutou em deixar Benjamim ir até o Egito porque já perdera
José.
Os irmãos de José aparecem no Egito
Como a fome apertasse novamente e a
comida acabasse, retornaram ao Egito
com Benjamim e o dobro do dinheiro para
o caso de haver algum engano, além de
um presente enviado por Jacó (Gênesis
43:11-15).
José os recebeu de maneira destacada e
os convidou para o almoço. Em dado
momento reviu Benjamim e chorou em
segredo (Gênesis 43:30,31).
José os dispensou em seguida, com a mesma estratégia de devolver o dinheiro
amarrando em seus sacos, mas urdiu o seguinte plano: mandou colocar sua taça de
prata na carga de Benjamim. Eles foram interceptados com o suposto roubo e tiveram
que voltar ao Egito, amedrontados sobre qual destino lhes seria dado.
José revela-se a seus irmãos
Então, com grande emoção, José se revela
seus irmãos. Eles mal podiam acreditar no
que estava acontecendo. Porém, ficaram
preocupados sobre o que José lhes faria,
agora que a balança havia invertido
(Gênesis 45:1-4)
José os acalmou e lhes disse: Agora, pois,
não vos entristeçais, nem vos pese aos
vossos olhos por me haverdes vendido
para cá; porque para conservação da vida,
Deus me enviou adiante de vós (Gênesis
45:5). O capítulo termina com o convite de
José a que Jacó, seu pai, venha viver com
ele para suportar de maneira mais
adequada e confortável a fome que se
seguiria pelos próximos cinco anos. Com
esta migração a descendência israelita se
instalou de vez no Egito, na terra de
Gósen.
Bibliografia
http://www.suapesquisa.com
http://www.wikipedia.com
Bíblia Sagrada, diversas versões
O império egípcio
O nome dos faraós que governavam o Egito durante a estada
de Israel naquele país é matéria de longos debates. Porém,
diversas fontes apontam Amenotep II como o faraó
perseguidor dos hebreus.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
IBMemorialJC
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
mbrandao7
 

Mais procurados (20)

Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
 
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
 
Aula 9 e 10
Aula 9 e 10Aula 9 e 10
Aula 9 e 10
 
1. período interbíblico
1. período interbíblico1. período interbíblico
1. período interbíblico
 
As 4 Respostas de José
As 4 Respostas de JoséAs 4 Respostas de José
As 4 Respostas de José
 
3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus
 
Aula 1 - Gênesis
Aula 1 - GênesisAula 1 - Gênesis
Aula 1 - Gênesis
 
O Livro de Josué
O Livro de JosuéO Livro de Josué
O Livro de Josué
 
26. Os poéticos: Eclesiastes
26. Os poéticos: Eclesiastes26. Os poéticos: Eclesiastes
26. Os poéticos: Eclesiastes
 
Lição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no Egito
Lição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no EgitoLição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no Egito
Lição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no Egito
 
Reis e profetas - Aula 2
Reis e profetas - Aula 2Reis e profetas - Aula 2
Reis e profetas - Aula 2
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
Livro de Daniel introdução e parte 01
Livro de Daniel   introdução e parte 01Livro de Daniel   introdução e parte 01
Livro de Daniel introdução e parte 01
 
Profetas Maiores.pptx
Profetas Maiores.pptxProfetas Maiores.pptx
Profetas Maiores.pptx
 
Panorama do AT - Cântico dos Cânticos
Panorama do AT - Cântico dos CânticosPanorama do AT - Cântico dos Cânticos
Panorama do AT - Cântico dos Cânticos
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
 
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
 
BEMA - O Tribunal de Cristo
BEMA - O Tribunal de CristoBEMA - O Tribunal de Cristo
BEMA - O Tribunal de Cristo
 
2. introdução ao novo testamento
2.  introdução ao novo testamento2.  introdução ao novo testamento
2. introdução ao novo testamento
 

Destaque

A sabedoria de josé
A sabedoria de joséA sabedoria de josé
A sabedoria de josé
thamyrisbarb
 
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaãHistoria de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
RICARDO CARDOSO
 

Destaque (20)

Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
 
Prioridades em missões
Prioridades em missõesPrioridades em missões
Prioridades em missões
 
A VIDA DE JOSÉ
A VIDA DE JOSÉA VIDA DE JOSÉ
A VIDA DE JOSÉ
 
licao12.ppt
licao12.pptlicao12.ppt
licao12.ppt
 
José, semelhante a Jesus
José, semelhante a JesusJosé, semelhante a Jesus
José, semelhante a Jesus
 
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHOLIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
 
Génesis 42 46
Génesis 42 46Génesis 42 46
Génesis 42 46
 
Genesis 40
Genesis 40Genesis 40
Genesis 40
 
O sonhador
O sonhadorO sonhador
O sonhador
 
EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.
EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.
EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.
 
Brasil, coração do mundo, pátria do evangelho
  Brasil, coração do mundo, pátria do evangelho  Brasil, coração do mundo, pátria do evangelho
Brasil, coração do mundo, pátria do evangelho
 
História de São José
História de São JoséHistória de São José
História de São José
 
Lição 13 josé, a realidade de um sonho
Lição 13   josé, a realidade de um sonhoLição 13   josé, a realidade de um sonho
Lição 13 josé, a realidade de um sonho
 
Montanhas e-planicies-de-israel
Montanhas e-planicies-de-israelMontanhas e-planicies-de-israel
Montanhas e-planicies-de-israel
 
As PirâMides Do Egito
As PirâMides Do EgitoAs PirâMides Do Egito
As PirâMides Do Egito
 
O Sonho de José
O Sonho de JoséO Sonho de José
O Sonho de José
 
A sabedoria de josé
A sabedoria de joséA sabedoria de josé
A sabedoria de josé
 
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaãHistoria de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
 
3. gênesis
3. gênesis3. gênesis
3. gênesis
 
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfiasLição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
 

Semelhante a Israel: Do cativeiro ao êxodo

Introdução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelhoIntrodução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelho
Cláudio Fajardo
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1ºEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
ibrenjtijuca
 
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.comO Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
leitemel
 
Lição 3 As Pragas Divinas e as Propostas Ardilosas de Faraó
Lição 3   As Pragas Divinas e as Propostas Ardilosas de FaraóLição 3   As Pragas Divinas e as Propostas Ardilosas de Faraó
Lição 3 As Pragas Divinas e as Propostas Ardilosas de Faraó
Pr. Andre Luiz
 

Semelhante a Israel: Do cativeiro ao êxodo (20)

Escravidão e Terror no Egito
Escravidão e Terror no EgitoEscravidão e Terror no Egito
Escravidão e Terror no Egito
 
01 - SLIDES - RE CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA.pptx
01 - SLIDES - RE CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA.pptx01 - SLIDES - RE CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA.pptx
01 - SLIDES - RE CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA.pptx
 
7 a jornada de moises - 7 aula
7   a jornada de moises - 7 aula7   a jornada de moises - 7 aula
7 a jornada de moises - 7 aula
 
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
 
Introdução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelhoIntrodução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelho
 
Israel - A historia do Povo de Deus
Israel - A historia do Povo de Deus Israel - A historia do Povo de Deus
Israel - A historia do Povo de Deus
 
2 exodo
2 exodo2 exodo
2 exodo
 
6 exodo 1 12
6 exodo 1 126 exodo 1 12
6 exodo 1 12
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1ºEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
 
Uma festa no deserto!
Uma festa no deserto!Uma festa no deserto!
Uma festa no deserto!
 
5 panorama do at - exodo e numeros-francisco-ebd
5   panorama do at - exodo e numeros-francisco-ebd5   panorama do at - exodo e numeros-francisco-ebd
5 panorama do at - exodo e numeros-francisco-ebd
 
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.comO Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
 
A civilizaçao egípcia
A civilizaçao egípciaA civilizaçao egípcia
A civilizaçao egípcia
 
Aula 3 - Êxodo
Aula 3 - ÊxodoAula 3 - Êxodo
Aula 3 - Êxodo
 
Cronologia biblica-genesis-e-exodo-2
Cronologia biblica-genesis-e-exodo-2Cronologia biblica-genesis-e-exodo-2
Cronologia biblica-genesis-e-exodo-2
 
Literatura antiga II
Literatura antiga IILiteratura antiga II
Literatura antiga II
 
O Antigo Egito
O Antigo EgitoO Antigo Egito
O Antigo Egito
 
Lição 3 As Pragas Divinas e as Propostas Ardilosas de Faraó
Lição 3   As Pragas Divinas e as Propostas Ardilosas de FaraóLição 3   As Pragas Divinas e as Propostas Ardilosas de Faraó
Lição 3 As Pragas Divinas e as Propostas Ardilosas de Faraó
 

Mais de Daladier Lima

Mais de Daladier Lima (20)

Nova Almeida - Sociedade Bíblica do Brasil
Nova Almeida - Sociedade Bíblica do BrasilNova Almeida - Sociedade Bíblica do Brasil
Nova Almeida - Sociedade Bíblica do Brasil
 
Subsídio para EBD - Evangelização real na Era Digital
Subsídio para EBD - Evangelização real na Era DigitalSubsídio para EBD - Evangelização real na Era Digital
Subsídio para EBD - Evangelização real na Era Digital
 
Que igreja somos nós?
Que igreja somos nós?Que igreja somos nós?
Que igreja somos nós?
 
Seitas e heresias
Seitas e heresiasSeitas e heresias
Seitas e heresias
 
Os comunistas e a questão sexual
Os comunistas e a questão sexualOs comunistas e a questão sexual
Os comunistas e a questão sexual
 
Lessson 2, july 12, 2015
Lessson 2, july 12, 2015Lessson 2, july 12, 2015
Lessson 2, july 12, 2015
 
Lesson 13, june 28, 2015
Lesson 13, june 28, 2015Lesson 13, june 28, 2015
Lesson 13, june 28, 2015
 
Lesson 12, june 21, 2015
Lesson  12, june 21, 2015Lesson  12, june 21, 2015
Lesson 12, june 21, 2015
 
Secularização
SecularizaçãoSecularização
Secularização
 
Lesson 11, june 14, 2015
Lesson  11, june 14, 2015Lesson  11, june 14, 2015
Lesson 11, june 14, 2015
 
A ultima-pascoa macarthur
A ultima-pascoa macarthurA ultima-pascoa macarthur
A ultima-pascoa macarthur
 
Lesson 10, june 7, 2015
Lesson 10, june 7, 2015Lesson 10, june 7, 2015
Lesson 10, june 7, 2015
 
Lesson 9, may31, 2015
Lesson 9, may31, 2015Lesson 9, may31, 2015
Lesson 9, may31, 2015
 
Lesson 8, may24, 2015
Lesson 8, may24, 2015Lesson 8, may24, 2015
Lesson 8, may24, 2015
 
Lesson 7, may 17, 2015
Lesson 7, may 17, 2015Lesson 7, may 17, 2015
Lesson 7, may 17, 2015
 
Lesson 6, may 10, 2015
Lesson 6, may 10, 2015Lesson 6, may 10, 2015
Lesson 6, may 10, 2015
 
Ensaio sobre a palavra amor
Ensaio sobre a palavra amorEnsaio sobre a palavra amor
Ensaio sobre a palavra amor
 
Mensageiro da-paz 1288-1994_007
Mensageiro da-paz 1288-1994_007Mensageiro da-paz 1288-1994_007
Mensageiro da-paz 1288-1994_007
 
Lesson 5, may 3, 2015
Lesson 5, may 3, 2015Lesson 5, may 3, 2015
Lesson 5, may 3, 2015
 
Lesson 4, april 26, 2015
Lesson 4, april 26, 2015Lesson 4, april 26, 2015
Lesson 4, april 26, 2015
 

Último

Último (10)

Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
 
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 

Israel: Do cativeiro ao êxodo

  • 1.
  • 2. Oriente Médio... É aí onde fervilha a história.
  • 3. Oriente Médio... É aí onde fervilha a história.
  • 5. O império egípcio O Egito existe em função do rio Nilo, que nascendo no Lago Vitória na Tanzânia, desce e atravessa o País. Anualmente a cheia do rio fertiliza suas margens, favorecendo a agricultura. O rio também servia ao deslocamento de víveres, tropas e ao tráfego em geral.
  • 6. O império egípcio Ainda hoje o rio exerce um papel fundamental no funcionamento do País. Abaixo, fotografia de um passeio pelo mesmo...
  • 7. O império egípcio A civilização egípcia legou ao mundo a invenção da escrita, ainda que representada em símbolos, os hieróglifos. Histórias, relatos e documentos oficiais podiam a partir daí ser registradas e transmitidas de forma duradoura e uniforme.
  • 8. O império egípcio Deles também herdamos os rudimentos da matemática, da astronomia, dos livros, que eram feitos de papiro, uma planta abundante no Rio Nilo. Acredita-se que os egípcios foram os primeiros a sentar em cadeiras de quatro pernas, que inventaram o carimbo, a cerveja, o calendário e o exército. Há ainda hoje imponentes construções e obejtos que desafiam a lógica e demonstram como aquele País foi tão influente.
  • 9. O império egípcio O governo era regido pelos faraós. Ao contrário do que muitos pensam era um título comum como César. Os faraós eram tidos como deuses. Sua benção era indispensável para o início do plantio e da colheita. Tinha poder sobre a vida e a morte dos seus súditos. Ao morrer eram embalsamados e postos em caixões luxuosos, como os de Tutancamon com 110 kg de ouro. Em seguida, tais múmias repousavam em pirâmides.
  • 10. O império egípcio O Egito tinha muitos deuses. O panteão era imenso. Acreditava-se que eles regiam a vida em seus mínimos aspectos. Haviam deuses para a criação, para o plantio, que regiam os astros, que faziam as mulheres férteis, que regiam a medicina e o conhecimento. Deuses do Nilo, da água, do ar, dos animais, da guerra, etc. A cada novo Faraó que emergia uma dessas divindades era eleita como favorita e o seu culto era colocado acima dos demais. De forma que praticamente não havia um deus principal, senão um em evidência naquele momento.
  • 11. O império egípcio Alguns dos deuses egípcios: Amon, deus criador Ápis, deus boi Osíris, deus da morte. Marido de Ísis Ísis, deusa da maternidade
  • 12. O império egípcio Alguns dos deuses egípcios: Hórus, deus do céu. Filho de Ísis Rá, deus sol Maat, deusa da verdade Seth, deus da violência
  • 13. O império egípcio Estrutura social do Egito A sociedade egípcia era escravocrata. A base da economia era a agricultura irrigada às margens do Nilo. A população em geral não era alfabetizada. Somente os escribas e funcionários reais tinham tal privilégio.
  • 14. O império egípcio Curiosidades sobre o Antigo Egito 1. O pão era o principal alimento consumido 2. Os velhos eram extremamente respeitados por seu conhecimento acumulado 3. As crianças vestiam roupas a partir dos cinco anos 4. O rio Nilo é o mais extenso do mundo, percorre 6.650 kilômetros 5. Somente os templos e túmulos eram feitos de pedra. As demais construções eram feitas de tijolos de barro misturados com palha picada 6. Grande parte das roupas no Egito Antigo era feita de linho 7. Foram os egípcios que criaram o papiro, a partir da planta de mesmo nome 8. As mulheres egípcias foram algumas das primeiras a usam maquiagem 9. Os egípcios eram muito supersticiosos e acreditavam que os sonhos sempre significavam algo. Se alguém sonhasse com a queda dos próprios dentes, isso significava que alguém da família poderia morrer 10. Quando um escravo morria era jogado no deserto para ser comido por abutres e chacais
  • 15. Os primórdios da nação israelita... Devemos estar lembrados que com o domínio egípcio sobre o Oriente Médio, a região de Canaã era vassala do império. A Palestina era rota de passagem dos exércitos egípcios e das inúmeras caravanas que se dirigiam do Egito à Síria. Os faraós tinham interesses os mais diversos com as nações ao Norte de Israel. Quando o livro do Êxodo se desenrola, a nação está apenas nascendo e não tinha condições de defesa contra um exército. Paralelamente diversos outros pequenos reinos floresciam na região, aos quais interessava ao Egito submeter.
  • 16. Os primórdios da nação israelita...
  • 17. Os primórdios da nação israelita... Peregrinações de Abraão 1. Ur dos Caldeus (Gn 11.31) 2. Harã (Gn 12.4) 3. Siquém (Gn 12.6) 4. Betel (Gn 12.8) 5. Entre Ai e Betel (Gn 12.8) 6. Neguebe (Gn 12.9) 7. Egito (Gn 12.10) 8. Neguebe / Berseba (Gn 13.1) 9. Betel (Gn 13.3) 10. Entre Ai e Betel (Gn 13.3) 11. Carvalhais de Manre (Gn 13.18) 12. Gerar (Gn 20.1) 13. Berseba (Gn 20.21,31-33) 14. Hebrom (Gn 23.1)
  • 18. Os primórdios da nação israelita... Mas devemos voltar um pouco na história para compreender como estava estruturada a família de Jacó, que seria a protagonista da história Abraão (bisavô) Isaque (avô) Esaú Jacó (pai) Lia Rúben Simeão Levi Judá Issacar Zabulom Diná Bila Dã Naftali Zilpa Gade Aser Raquel José Benjamim
  • 19. Os primórdios da nação israelita... Os filhos de Jacó nasceram na seguinte ordem (incluindo a filha): 1) Rúben (Gênesis 29:32) 2) Simeão (Gênesis 29:33) 3) Levi (Gênesis 29:34) 4) Judá (Gênesis 29:35) 5) Dã (Gênesis 30:5) 6) Naftali (Gênesis 30:7) 7) Gade (Gênesis 30:10) 8) Aser (Gênesis 30:12) 9) Issacar (Gênesis 30:17) 10) Zabulom (Gênesis 30:19) 11) Diná (filha) (Gênesis 30:21) 12) José (Gênesis 30:23) 13) Benjamin (Gênesis 35:18)
  • 20. Os primórdios da nação israelita... Depois que Diná, a filha de Jacó, foi violentada em Siquém (Gn 24), este se estabeleceu em Betel, cerca de 23 km ao sul. Mas seu gado pastava nos arredores de Siquém. Foi para lá que Jacó enviou José a ver como eles estavam (Gênesis 37:13). Quando José chegou em Siquém, foi informado que seus irmãos estavam em Dotã. Mais ou menos 18 km ao Norte. Somos informados no capítulo 37 da rivalidade que havia entre os irmãos, tanto por conta da preferência de Jacó por José, o filho da sua velhice, como pelos sonhos deste.
  • 21. José é preso e vendido Então seus irmãos o prenderam (Gênesis 37:24 ss). A ideia inicial era matarem-no imediatamente, mas Rubén, o mais velho, se opôs e concordou que apenas o lançassem numa cova, esperando resgatá-lo mais adiante. O grupo, então, se dispersou...
  • 22. José é preso e vendido Porém, ia passando uma caravana de ismaelitas e/ou midianitas ao qual José foi vendido como escravo, por vinte moedas de prata, uma ideia de Judá, seguida por seus irmãos, exceto Rubén, que não estava presente (Gênesis 37:28)
  • 23. José no Egito A caravana o levou ao Egito, onde foi revendido a Potifar, oficial de Faraó, em cuja casa veio a morar e cuidar como mordomo. Diz a Palavra de Deus, que neste lugar o Senhor abençoou ricamente a José, mesmo vivendo como escravo. Nada a ver com a Teologia da Prosperidade (Gênesis 39:2). E não só isso, o Senhor abençoou Potifar por amor a José (Gênesis 37:5)!
  • 24. O embuste feito a Jacó Enquanto isso, os irmãos de José simularam sua morte, e levaram sua túnica suja de sangue a seu pai, Jacó. Ele acreditou em cada palavra e, aos poucos, se consolou da suposta perda
  • 25. Deus abençoa José no Egito José ia bem e tinha a confiança de Potifar, mas sua mulher pôs os olhos no rapaz, que agora era forte e viril (Gênesis 39:6). Ele recusou e o motivo mais forte deixaria qualquer um de nós envergonhado. Disse ele: ...como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus? (Gênesis 39:9) A pérfida mulher, então, o agarrou num dia em que não havia ninguém em casa, ficando com sua túnica em suas mãos. José foi acusado de assédio sexual e preso, injustamente (Gênesis 39:20)!
  • 26. José na prisão no Egito José foi abençoado na prisão (Gênesis 39:23), o texto bíblico faz questão de ressaltar isso. Numa reviravolta impressionante o padeiro-mor e o copeiro-mor de Faraó foram acusados e presos, lançados na mesma cela de José. Numa noite, depois de muitos dias presos, ambos tiveram um sonho, mas não sabiam a interpretação, até que José ouvisse os mesmos e os interpretasse. Um retornaria ao seu ofício (copeiro) e o outro (padeiro) seria enforcado, e assim se sucedeu, três dias depois. José ainda rogou ao copeiro que ele lembrasse da injustiça que lhe fora cometida. Mas a Bíblia diz que ele esqueceu (Gênesis 40:23)
  • 27. José interpreta o sonho de Faraó Dois anos depois Faraó sonhou que haviam sete vacas magras engolindo outras sete gordas. Assim como sete espigas mirradas, devorando as espigas sadias. Ele ficou preocupado e pediu aos magos que lhe dessem a interpretação, mas não o puderam fazer (Gênesis 41:8). Foi quando o copeiro lembrou de José. O barbearam, vestiram novas roupas e o trouxeram a Faraó (Gênesis 41:14). A interpretação é que sete anos de bonança seria sucedidos por outros sete de escassez. José ainda aconselhou o rei a recolher em seus celeiros 20% de toda produção dos anos de abundância, para que pudesse suprir a fome nos anos de dificuldades (Gênesis 41:34).
  • 28. José é exaltado E, então, contra todas as evidências, José foi promovido de prisioneiro a primeiro- ministro num só dia (Gênesis 41:42). José fez com que o Egito se tornasse mais próspero ainda e se preparasse para os anos de fome. Os egípcios armazenavam cereais em silos de pedra acomodados sobre a areia, semelhantes à figura ao lado, descoberta em escavações recentes. E aí a história de José deu guinada total. É que com a fome nas terras ao redor do Egito, seus irmãos se viram obrigados a ir comprar comida lá... (Gênesis 42:1-6). Isto ocorreu nove anos depois do sonho de Faraó.
  • 29. Os irmãos de José aparecem no Egito Foram reconhecidos e ignorados imediatamente por José, que agora detinha a autoridade sobre a fazenda do rei. Eles se prostraram diante dele conforme previsto no sonho de José (Gênesis 37:7). Num primeiro momento José ordenou que Simeão ficasse detido como garantia do retorno deles ao Egito, ao mesmo tempo que mandou devolver o dinheiro amarrando em seus sacos. Surpresos e amedrontados seguiram caminho até Canaã. E contaram tudo a Jacó (Gênesis 42:29). Jacó relutou em deixar Benjamim ir até o Egito porque já perdera José.
  • 30. Os irmãos de José aparecem no Egito Como a fome apertasse novamente e a comida acabasse, retornaram ao Egito com Benjamim e o dobro do dinheiro para o caso de haver algum engano, além de um presente enviado por Jacó (Gênesis 43:11-15). José os recebeu de maneira destacada e os convidou para o almoço. Em dado momento reviu Benjamim e chorou em segredo (Gênesis 43:30,31). José os dispensou em seguida, com a mesma estratégia de devolver o dinheiro amarrando em seus sacos, mas urdiu o seguinte plano: mandou colocar sua taça de prata na carga de Benjamim. Eles foram interceptados com o suposto roubo e tiveram que voltar ao Egito, amedrontados sobre qual destino lhes seria dado.
  • 31. José revela-se a seus irmãos Então, com grande emoção, José se revela seus irmãos. Eles mal podiam acreditar no que estava acontecendo. Porém, ficaram preocupados sobre o que José lhes faria, agora que a balança havia invertido (Gênesis 45:1-4) José os acalmou e lhes disse: Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos pese aos vossos olhos por me haverdes vendido para cá; porque para conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós (Gênesis 45:5). O capítulo termina com o convite de José a que Jacó, seu pai, venha viver com ele para suportar de maneira mais adequada e confortável a fome que se seguiria pelos próximos cinco anos. Com esta migração a descendência israelita se instalou de vez no Egito, na terra de Gósen.
  • 33. O império egípcio O nome dos faraós que governavam o Egito durante a estada de Israel naquele país é matéria de longos debates. Porém, diversas fontes apontam Amenotep II como o faraó perseguidor dos hebreus.