SlideShare uma empresa Scribd logo
Mergulhando na Palavra
HISTÓRIA PATRIARCAL
• Aspectos da história patriarcal:
• O escritor deixa para traz a história primitiva
da raça em geral;
• Inicia a história de uma família;
• Reúne as lembranças conservadas dos grandes
antepassados de Israel;
• Os homens que ouvem a voz de Deus e
obedecem.
Os Patriarcas
Gênesis 12-50
• O período patriarcal se inicia por volta do
ano 2.000a.C. e dura aproximadamente 3
séculos.
• Abraão, Cap. 12:1-25:18.
• Isaque e Jacó, Cap. 25:19-36:43.
• José, Cap. 37-50.
Abraão, Cap. 12:1-25:18.
• O Chamado de Abraão é um dos
acontecimentos mais importantes do V.T.
• Aqui se inicia a obra do Éden (Gn 3.15).
• Os primeiros 12 capítulos de Gênesis
demonstram que Deus se relacionava com a
humanidade em geral.
• A partir de Abraão Deus muda seus métodos.
Deus chama Abraão!
• Deus chama um homem específico para a
partir dele fundar a raça escolhida mediante a
qual realizaria a restauração da humanidade.
• 39 capítulos são dedicados ao começo da
nação escolhida, da qual viria o redentor.
• Abraão é o personagem mais importante do
Gênesis, e um dos mais importantes da Bíblia.
Abraão o pai de muitas nações
• 13 capítulos se referem quase exclusivamente
a vida pessoal de Abraão.
• Deus usou Abraão para fundar a família de
Israel como a fé dos hebreus.
• As 3 grandes religiões monoteístas: o
Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo,
reverenciam-no como o pai de sua fé.
Abraão, amigo de Deus
• Abraão é o pai espiritual de todo o Israel de
Deus.
Romanos 4:16; Gálatas 3:17.
• Somente Abraão é chamado “amigo de
Deus”, II Cr. 20.7; Is. 41.8; Tg. 2.23.
• Deus ensinou a Abraão a confiar
integralmente nele.
Deus cultivou de 3 maneiras
a fé de Abraão:
1. Dando-lhe promessas;
2. Pondo-o à prova cada vez mais;
3. Concedendo-lhe muitas aparições
divinas.
1. Deus chama Abraão!
• Cap. 12:1-9.
• A família de Abraão e provavelmente o
próprio prestavam cultos a vários deuses.
(Josué 24.2).
• Abraão era um homem religioso.
• Abraão seria famoso e reverenciado pelo seu
nome.
As promessas para Abraão
• A) Herdariam Canaã;
• B) Seriam uma grande nação (muito mais do
que uma população numerosa);
• C) Por meio deles, todas as linhagens da terra
seriam abençoadas (esta é a promessa
messiânica);
Primeira prova de Abraão:
• Abraão tinha que separar-se da sua família;
• Tinha de voltar as costas para a idolatria;
• Tinha que buscar ter comunhão com Deus;
• A vida da fé de Abraão começa com a
obediência e separação;
• Abraão tinha de confiar integralmente no
Senhor.
• Hebreus 11.8.
A principio a obediência foi apenas parcial
• Foi com Terá seu pai, até com Harã, centro de
reunião de caravanas e também do impuro
culto a Sin, a deusa da Lua.
• Terá havia renunciado seus pais, mas não
havia abandonado a idolatria.
• Em Harã, radicou-se a viver o restante de sua
vida, mas depois Deus guiou Abraão a seguir
rumo a Canaã, distante 650km.
A peregrinação de Abraão
• Finalmente Abraão chegou aonde Deus o havia
guiado.
• Agora vivia como estrangeiro e peregrino,
viajando de um lugar para outro.
• Nunca foi dono de um metro quadrado de terra.
A não ser o local de sua sepultura.
• Siquém, a encruzilhada da Palestina, 50 km ao
norte de Jerusalém. Depois chegou ao Monte
Moré, considerado como centro de adivinhação e
idolatria. Ali Deus apareceu a Abraão e lhe
prometeu Canaã.
Características de Abraão
• Obediência Gn 12.4.
• Generosidade Gn 13.9.
• Coragem Gn 14.14.
• Benevolência Gn 14.20.
• Incorruptível Gn 14.23.
• Poderoso na oração Gn 18:23-33.
• Maravilhoso na fé Hb 11.17.
SEGUNDA PROVA: A FOME
• Cap. 12:10-20.
• Por falta de fé, Abraão foi para o Egito.
• Deus não havia lhe ordenado sair da Palestina.
• Recorreu a mentira para escapar do inimigo.
• Gn 20:12.
• “Não duvidou por incredulidade” das grandes
promessas, porém tropeçou nas pequenas
coisas.
Abraão no Egito
• Sara foi considerada mulher atraente, com 65
anos.
• Ela viveu 127 anos de vida.
• Comparada a uma mulher aos 40 anos hoje.
• Abraão não edificou nenhum altar no Egito.
• Saiu de lá humilhado, reconhecendo que Deus é
santo.
• Até Hagar e o gado lhe trouxeram problemas lá.
TERCEIRA PROVA: Contenda
• Cap. 13.
• Contenda sobre as pastagens.
• Ló, sobrinho de Abraão o acompanhava desde
UR dos Caldeus.
• Como Ló adquiriu muito gado e servos, houve
contenda entre os pastores deles.
• Porque houve falta de água os pastores
contenderam.
Abraão decide separar-se de Ló
• Abraão quis separar-se para não brigarem.
• Abraão tinha direito de escolher a terra pois
era mais velho, no entanto, abriu mão do seu
direito.
• Abraão demonstrou sua generosidade.
• Contudo Ló escolheu egoisticamente, guiado
pela aparência.
• Ló exemplifica um homem carnal.
Abraão liberta Ló
• Cap. 14.
• Ló preferiu a melhor terra do que a vontade
de Deus.
• Sodoma possuía melhores condições de
pastagem.
• A área onde Ló morava foi devastada por
desastres militares, pois era rica em betume.
Atitude de Abraão
• Abraão armou 318 servos, conseguiu a ajuda
de seus aliados amorreus e perseguiu os
invasores.
• Recuperou os cativos e o despojo de guerra,
mediante um ataque surpresa a noite.
• O aspecto surpresa do ataque reúne em si
uma excelente estratégia de confronto que os
leva a vitória.
• Não obstante o elemento mais importante foi
a intervenção de Deus. (14.20).
O prestigio e o poder de Abraão
• Mesmo sendo um homem separado do
mundo, Abraão se dispôs a intervir e socorrer
Ló e o povo de Sodoma.
• Abraão era sem sombra de dúvidas um
homem próspero e tinha muito prestigio.
14:14.
• Vários senhores de Canaã reconheciam
Abraão como príncipe.
• Como Deus o fazia prosperar!
Significado do dízimo
• Gn 14:20
• “E de tudo lhe deu Abraão o dízimo”.
• Primeira vez que se encontra a ideia
de dízimo na Bíblia.
Grandes princípios doutrinários do dízimo:
1. Como sinal de adoração e submissão e
reconhecimento a Deus, o Criador e dono de
tudo. Os súditos trazem tributos e presentes ao
seu Rei.
2. Também como sinal de gratidão, pois Deus havia
entregue seus inimigos nas mãos de Abraão.
3. Como sinal de mordomo que serve, reconhece e
adora àquele que é seu provedor.
Abraão negou receber presentes
• Abraão negou-se a aceitar os despojos da
guerra, os bens de Sodoma que havia
recuperado, dando bom testemunho ao Rei e
ao povo.
• Segundo o costume o libertador, recebia os
despojos como pagamento pela vitória.
• Mas Abraão queria que todos
compreendessem que o que possuía vinha
apenas das mãos do Seu Deus.
Deus faz aliança com Abraão
• Cap. 15.
• Por que o senhor disse a Abraão, não temas?
• Segundo historiadores, Abraão se encontrava
nesse momento num estado depressivo,
depois de chegar ao clímax de um tremendo
testemunho de vitória.
• Ele pensava: Voltariam os 4 reis a se vingarem
dele?
A aliança de Deus
• Abraão estava em crise.
• Naquele tempo se um home não tinha filhos
sua herança ficaria com um servo fiel.
• Porém Deus lhe prometeu um filho, e uma
numerosa descendência.
• Abraão reconheceu que a promessa era
humanamente irrealizável.
• “Creu ele no Senhor e isso foi-lhe imputado
por justiça”.
Creu no Senhor!
• Creu no Senhor, significa apoiou-se no Senhor!
• Aceitar incondicionalmente a promessa.
• Confiar integralmente no Deus do impossível.
• Abraão colocou a si mesmo e ao seu futuro
nas mãos de Deus.
• Esse é o tipo de fé que salva e galardoa.
• Gálatas 3:6-8, Deus nos aceita em virtude da
nossa fé, sem condicionar as obras.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias
PIB Penha
 
A formação do povo de deus 1250 a
A formação do povo de deus  1250 aA formação do povo de deus  1250 a
A formação do povo de deus 1250 a
José M. Vieira Rodrigues
 
Os caracteres chineses e a biblia
Os caracteres chineses e a bibliaOs caracteres chineses e a biblia
Os caracteres chineses e a biblia
PIB Penha
 
4 números
4 números4 números
4 números
PIB Penha
 
10 o reino unido, dividido e o exilio - 10 aula
10   o reino unido, dividido e o exilio - 10 aula10   o reino unido, dividido e o exilio - 10 aula
10 o reino unido, dividido e o exilio - 10 aula
PIB Penha
 
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaãHistoria de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
RICARDO CARDOSO
 
Israel - A historia do Povo de Deus
Israel - A historia do Povo de Deus Israel - A historia do Povo de Deus
Israel - A historia do Povo de Deus
Taisa
 
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-1 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-1 - BÁSICO - IBADEP)LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-1 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-1 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
9 as tribos de israel e a divisao de canaa entre elas - 9 aula
9   as tribos de israel e a  divisao de canaa entre elas - 9 aula9   as tribos de israel e a  divisao de canaa entre elas - 9 aula
9 as tribos de israel e a divisao de canaa entre elas - 9 aula
PIB Penha
 
13 ester
13 ester13 ester
13 ester
PIB Penha
 
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
2 exodo
2 exodo2 exodo
2 exodo
PIB Penha
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1ºEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
ibrenjtijuca
 
3 jeremias e lamentacoes
3   jeremias e lamentacoes3   jeremias e lamentacoes
3 jeremias e lamentacoes
PIB Penha
 
6 exodo 1 12
6 exodo 1 126 exodo 1 12
6 exodo 1 12
PIB Penha
 
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
PIB Penha
 
Arqueologia do exodo
Arqueologia do exodoArqueologia do exodo
Arqueologia do exodo
Adiel Sites
 
Lição 1 - O livro de êxodo e o cativeiro de israel no egito
Lição 1 - O livro de êxodo e o cativeiro de israel no egitoLição 1 - O livro de êxodo e o cativeiro de israel no egito
Lição 1 - O livro de êxodo e o cativeiro de israel no egito
Natalino das Neves Neves
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
mbrandao7
 
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-2 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-2 - BÁSICO - IBADEP)LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-2 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-2 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 

Mais procurados (20)

23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias
 
A formação do povo de deus 1250 a
A formação do povo de deus  1250 aA formação do povo de deus  1250 a
A formação do povo de deus 1250 a
 
Os caracteres chineses e a biblia
Os caracteres chineses e a bibliaOs caracteres chineses e a biblia
Os caracteres chineses e a biblia
 
4 números
4 números4 números
4 números
 
10 o reino unido, dividido e o exilio - 10 aula
10   o reino unido, dividido e o exilio - 10 aula10   o reino unido, dividido e o exilio - 10 aula
10 o reino unido, dividido e o exilio - 10 aula
 
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaãHistoria de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
Historia de israel aula 8 e 9 cativeiro e êxodo e conquista de canaã
 
Israel - A historia do Povo de Deus
Israel - A historia do Povo de Deus Israel - A historia do Povo de Deus
Israel - A historia do Povo de Deus
 
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-1 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-1 - BÁSICO - IBADEP)LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-1 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-1 - BÁSICO - IBADEP)
 
9 as tribos de israel e a divisao de canaa entre elas - 9 aula
9   as tribos de israel e a  divisao de canaa entre elas - 9 aula9   as tribos de israel e a  divisao de canaa entre elas - 9 aula
9 as tribos de israel e a divisao de canaa entre elas - 9 aula
 
13 ester
13 ester13 ester
13 ester
 
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
 
2 exodo
2 exodo2 exodo
2 exodo
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1ºEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Capítulo 1º
 
3 jeremias e lamentacoes
3   jeremias e lamentacoes3   jeremias e lamentacoes
3 jeremias e lamentacoes
 
6 exodo 1 12
6 exodo 1 126 exodo 1 12
6 exodo 1 12
 
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
 
Arqueologia do exodo
Arqueologia do exodoArqueologia do exodo
Arqueologia do exodo
 
Lição 1 - O livro de êxodo e o cativeiro de israel no egito
Lição 1 - O livro de êxodo e o cativeiro de israel no egitoLição 1 - O livro de êxodo e o cativeiro de israel no egito
Lição 1 - O livro de êxodo e o cativeiro de israel no egito
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
 
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-2 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-2 - BÁSICO - IBADEP)LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-2 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05-2 - BÁSICO - IBADEP)
 

Destaque

Familia.ppt 1
Familia.ppt 1Familia.ppt 1
Familia.ppt 1
Fatima Brambilla
 
Família.pps
Família.ppsFamília.pps
Família.pps
Herbert de Carvalho
 
Os Hebreus
Os HebreusOs Hebreus
Os Hebreus
Sílvia Mendonça
 
A História de Israel - Aula 1 - Considerações Iniciais
A História de Israel - Aula 1 - Considerações IniciaisA História de Israel - Aula 1 - Considerações Iniciais
A História de Israel - Aula 1 - Considerações Iniciais
Pr. Luiz Carlos Lopes
 
HistÓria De Israel
HistÓria De IsraelHistÓria De Israel
HistÓria De Israel
Torah
 
Gênero, patriarcado e feminismo
Gênero, patriarcado e feminismoGênero, patriarcado e feminismo
Gênero, patriarcado e feminismo
Conceição Amorim
 
Historia de israel aula 10 páscoa
Historia de israel aula 10 páscoaHistoria de israel aula 10 páscoa
Historia de israel aula 10 páscoa
RICARDO CARDOSO
 
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israelHistoria de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
RICARDO CARDOSO
 
Historia de israel aula 51 israel e as profecias bíblicas [modo de compatibil...
Historia de israel aula 51 israel e as profecias bíblicas [modo de compatibil...Historia de israel aula 51 israel e as profecias bíblicas [modo de compatibil...
Historia de israel aula 51 israel e as profecias bíblicas [modo de compatibil...
RICARDO CARDOSO
 
História do Antissemitismo
História do AntissemitismoHistória do Antissemitismo
História do Antissemitismo
Sergio Rosenboim
 
Historia de israel aula 11 pães asmos e primícias
Historia de israel aula 11 pães asmos e primíciasHistoria de israel aula 11 pães asmos e primícias
Historia de israel aula 11 pães asmos e primícias
RICARDO CARDOSO
 
Historia de israel aula 16 e 17 profetas e retorno do exílio
Historia de israel aula 16 e 17 profetas e retorno do exílioHistoria de israel aula 16 e 17 profetas e retorno do exílio
Historia de israel aula 16 e 17 profetas e retorno do exílio
RICARDO CARDOSO
 
Povo hebreu
Povo hebreuPovo hebreu
Povo hebreu
Eliatan Sousa
 
Antiguidade oriental hebreus
Antiguidade oriental   hebreusAntiguidade oriental   hebreus
Antiguidade oriental hebreus
Lú Carvalho
 
Hebreus
HebreusHebreus
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unidoHistoria de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
RICARDO CARDOSO
 
O povo-hebreu
O povo-hebreuO povo-hebreu
O povo-hebreu
Fabiana Tonsis
 
Colonizacao america portuguesa acucar escravidao
Colonizacao america portuguesa acucar escravidaoColonizacao america portuguesa acucar escravidao
Colonizacao america portuguesa acucar escravidao
Edvaldo Lopes
 
Historia de israel aula 14 e 15 reino dividido e exilio
Historia de israel aula 14 e 15 reino dividido e exilioHistoria de israel aula 14 e 15 reino dividido e exilio
Historia de israel aula 14 e 15 reino dividido e exilio
RICARDO CARDOSO
 
Historia de israel aulas 1 e 2 orientações iniciais
Historia de israel aulas 1 e 2 orientações iniciaisHistoria de israel aulas 1 e 2 orientações iniciais
Historia de israel aulas 1 e 2 orientações iniciais
RICARDO CARDOSO
 

Destaque (20)

Familia.ppt 1
Familia.ppt 1Familia.ppt 1
Familia.ppt 1
 
Família.pps
Família.ppsFamília.pps
Família.pps
 
Os Hebreus
Os HebreusOs Hebreus
Os Hebreus
 
A História de Israel - Aula 1 - Considerações Iniciais
A História de Israel - Aula 1 - Considerações IniciaisA História de Israel - Aula 1 - Considerações Iniciais
A História de Israel - Aula 1 - Considerações Iniciais
 
HistÓria De Israel
HistÓria De IsraelHistÓria De Israel
HistÓria De Israel
 
Gênero, patriarcado e feminismo
Gênero, patriarcado e feminismoGênero, patriarcado e feminismo
Gênero, patriarcado e feminismo
 
Historia de israel aula 10 páscoa
Historia de israel aula 10 páscoaHistoria de israel aula 10 páscoa
Historia de israel aula 10 páscoa
 
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israelHistoria de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
 
Historia de israel aula 51 israel e as profecias bíblicas [modo de compatibil...
Historia de israel aula 51 israel e as profecias bíblicas [modo de compatibil...Historia de israel aula 51 israel e as profecias bíblicas [modo de compatibil...
Historia de israel aula 51 israel e as profecias bíblicas [modo de compatibil...
 
História do Antissemitismo
História do AntissemitismoHistória do Antissemitismo
História do Antissemitismo
 
Historia de israel aula 11 pães asmos e primícias
Historia de israel aula 11 pães asmos e primíciasHistoria de israel aula 11 pães asmos e primícias
Historia de israel aula 11 pães asmos e primícias
 
Historia de israel aula 16 e 17 profetas e retorno do exílio
Historia de israel aula 16 e 17 profetas e retorno do exílioHistoria de israel aula 16 e 17 profetas e retorno do exílio
Historia de israel aula 16 e 17 profetas e retorno do exílio
 
Povo hebreu
Povo hebreuPovo hebreu
Povo hebreu
 
Antiguidade oriental hebreus
Antiguidade oriental   hebreusAntiguidade oriental   hebreus
Antiguidade oriental hebreus
 
Hebreus
HebreusHebreus
Hebreus
 
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unidoHistoria de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
 
O povo-hebreu
O povo-hebreuO povo-hebreu
O povo-hebreu
 
Colonizacao america portuguesa acucar escravidao
Colonizacao america portuguesa acucar escravidaoColonizacao america portuguesa acucar escravidao
Colonizacao america portuguesa acucar escravidao
 
Historia de israel aula 14 e 15 reino dividido e exilio
Historia de israel aula 14 e 15 reino dividido e exilioHistoria de israel aula 14 e 15 reino dividido e exilio
Historia de israel aula 14 e 15 reino dividido e exilio
 
Historia de israel aulas 1 e 2 orientações iniciais
Historia de israel aulas 1 e 2 orientações iniciaisHistoria de israel aulas 1 e 2 orientações iniciais
Historia de israel aulas 1 e 2 orientações iniciais
 

Semelhante a História patriarcal

2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
Joel Silva
 
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
Gerson G. Ramos
 
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
Andrew Guimarães
 
Ebd aula 3 4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
Ebd aula 3  4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.Ebd aula 3  4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
Ebd aula 3 4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015
Gerson G. Ramos
 
liçao 3 Abraão, a esperança do pai da fé
 liçao 3  Abraão, a esperança do pai da fé liçao 3  Abraão, a esperança do pai da fé
liçao 3 Abraão, a esperança do pai da fé
antonio vieira
 
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da féLição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Natalino das Neves Neves
 
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
Joel Silva
 
2016 4º trimestre adultos lição 05.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 05.pptx2016 4º trimestre adultos lição 05.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 05.pptx
Joel Silva
 
Ebd 4°trimestre 2016 aula 5 As consequências das escolhas precipitadas.
Ebd 4°trimestre 2016 aula 5 As consequências das escolhas precipitadas.Ebd 4°trimestre 2016 aula 5 As consequências das escolhas precipitadas.
Ebd 4°trimestre 2016 aula 5 As consequências das escolhas precipitadas.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Regio Davis
 
Abraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da féAbraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da fé
Márcio Martins
 
A fé de abraão
A fé de abraãoA fé de abraão
A fé de abraão
Pr Pedro
 
lio5-asconsequnciasdasescolhasprecipitadas-161020222357.pdf
lio5-asconsequnciasdasescolhasprecipitadas-161020222357.pdflio5-asconsequnciasdasescolhasprecipitadas-161020222357.pdf
lio5-asconsequnciasdasescolhasprecipitadas-161020222357.pdf
Tiago Silva
 
Lição 5 as consequências das escolhas precipitadas
Lição 5   as consequências das escolhas precipitadasLição 5   as consequências das escolhas precipitadas
Lição 5 as consequências das escolhas precipitadas
antonio vieira
 
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
Daniel Felipe Kroth
 
5º encontro abraão - inicio da salvação
5º encontro   abraão - inicio da salvação5º encontro   abraão - inicio da salvação
5º encontro abraão - inicio da salvação
Catequese Anjos dos Céus
 
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
Lourinaldo Serafim
 

Semelhante a História patriarcal (20)

2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
 
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
 
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
 
Ebd aula 3 4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
Ebd aula 3  4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.Ebd aula 3  4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
Ebd aula 3 4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
 
Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015
 
liçao 3 Abraão, a esperança do pai da fé
 liçao 3  Abraão, a esperança do pai da fé liçao 3  Abraão, a esperança do pai da fé
liçao 3 Abraão, a esperança do pai da fé
 
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da féLição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
 
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
 
2016 4º trimestre adultos lição 05.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 05.pptx2016 4º trimestre adultos lição 05.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 05.pptx
 
Ebd 4°trimestre 2016 aula 5 As consequências das escolhas precipitadas.
Ebd 4°trimestre 2016 aula 5 As consequências das escolhas precipitadas.Ebd 4°trimestre 2016 aula 5 As consequências das escolhas precipitadas.
Ebd 4°trimestre 2016 aula 5 As consequências das escolhas precipitadas.
 
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
 
Abraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da féAbraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da fé
 
A fé de abraão
A fé de abraãoA fé de abraão
A fé de abraão
 
lio5-asconsequnciasdasescolhasprecipitadas-161020222357.pdf
lio5-asconsequnciasdasescolhasprecipitadas-161020222357.pdflio5-asconsequnciasdasescolhasprecipitadas-161020222357.pdf
lio5-asconsequnciasdasescolhasprecipitadas-161020222357.pdf
 
Lição 5 as consequências das escolhas precipitadas
Lição 5   as consequências das escolhas precipitadasLição 5   as consequências das escolhas precipitadas
Lição 5 as consequências das escolhas precipitadas
 
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
 
5º encontro abraão - inicio da salvação
5º encontro   abraão - inicio da salvação5º encontro   abraão - inicio da salvação
5º encontro abraão - inicio da salvação
 
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
 

Mais de UEPB

Sindrome de timóteo
Sindrome de timóteoSindrome de timóteo
Sindrome de timóteo
UEPB
 
O dilúvio
O dilúvioO dilúvio
O dilúvio
UEPB
 
A Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoA Epistola de Tiago
A Epistola de Tiago
UEPB
 
Romanos 2
Romanos 2Romanos 2
Romanos 2
UEPB
 
Dons do espírito santo 2
Dons do espírito santo 2Dons do espírito santo 2
Dons do espírito santo 2
UEPB
 
Os Dons do Espirito Santo
Os Dons do Espirito Santo Os Dons do Espirito Santo
Os Dons do Espirito Santo
UEPB
 
Continuação da Análise de I Corintios
Continuação da Análise de I CorintiosContinuação da Análise de I Corintios
Continuação da Análise de I Corintios
UEPB
 
Estudo Bíblico de I Corintios
Estudo Bíblico de I CorintiosEstudo Bíblico de I Corintios
Estudo Bíblico de I Corintios
UEPB
 
Carta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesCarta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossenses
UEPB
 
Intimidade x privacidade
Intimidade x privacidadeIntimidade x privacidade
Intimidade x privacidade
UEPB
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
UEPB
 
I Corintios Inicio
 I Corintios Inicio I Corintios Inicio
I Corintios Inicio
UEPB
 
Jesus, a figueira e a adoração
Jesus, a figueira e a adoraçãoJesus, a figueira e a adoração
Jesus, a figueira e a adoração
UEPB
 
Pecado
PecadoPecado
Pecado
UEPB
 

Mais de UEPB (14)

Sindrome de timóteo
Sindrome de timóteoSindrome de timóteo
Sindrome de timóteo
 
O dilúvio
O dilúvioO dilúvio
O dilúvio
 
A Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoA Epistola de Tiago
A Epistola de Tiago
 
Romanos 2
Romanos 2Romanos 2
Romanos 2
 
Dons do espírito santo 2
Dons do espírito santo 2Dons do espírito santo 2
Dons do espírito santo 2
 
Os Dons do Espirito Santo
Os Dons do Espirito Santo Os Dons do Espirito Santo
Os Dons do Espirito Santo
 
Continuação da Análise de I Corintios
Continuação da Análise de I CorintiosContinuação da Análise de I Corintios
Continuação da Análise de I Corintios
 
Estudo Bíblico de I Corintios
Estudo Bíblico de I CorintiosEstudo Bíblico de I Corintios
Estudo Bíblico de I Corintios
 
Carta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesCarta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossenses
 
Intimidade x privacidade
Intimidade x privacidadeIntimidade x privacidade
Intimidade x privacidade
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
 
I Corintios Inicio
 I Corintios Inicio I Corintios Inicio
I Corintios Inicio
 
Jesus, a figueira e a adoração
Jesus, a figueira e a adoraçãoJesus, a figueira e a adoração
Jesus, a figueira e a adoração
 
Pecado
PecadoPecado
Pecado
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
Sammis Reachers
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
PIB Penha
 

Último (14)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
 

História patriarcal

  • 2. HISTÓRIA PATRIARCAL • Aspectos da história patriarcal: • O escritor deixa para traz a história primitiva da raça em geral; • Inicia a história de uma família; • Reúne as lembranças conservadas dos grandes antepassados de Israel; • Os homens que ouvem a voz de Deus e obedecem.
  • 3. Os Patriarcas Gênesis 12-50 • O período patriarcal se inicia por volta do ano 2.000a.C. e dura aproximadamente 3 séculos. • Abraão, Cap. 12:1-25:18. • Isaque e Jacó, Cap. 25:19-36:43. • José, Cap. 37-50.
  • 4. Abraão, Cap. 12:1-25:18. • O Chamado de Abraão é um dos acontecimentos mais importantes do V.T. • Aqui se inicia a obra do Éden (Gn 3.15). • Os primeiros 12 capítulos de Gênesis demonstram que Deus se relacionava com a humanidade em geral. • A partir de Abraão Deus muda seus métodos.
  • 5. Deus chama Abraão! • Deus chama um homem específico para a partir dele fundar a raça escolhida mediante a qual realizaria a restauração da humanidade. • 39 capítulos são dedicados ao começo da nação escolhida, da qual viria o redentor. • Abraão é o personagem mais importante do Gênesis, e um dos mais importantes da Bíblia.
  • 6. Abraão o pai de muitas nações • 13 capítulos se referem quase exclusivamente a vida pessoal de Abraão. • Deus usou Abraão para fundar a família de Israel como a fé dos hebreus. • As 3 grandes religiões monoteístas: o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo, reverenciam-no como o pai de sua fé.
  • 7. Abraão, amigo de Deus • Abraão é o pai espiritual de todo o Israel de Deus. Romanos 4:16; Gálatas 3:17. • Somente Abraão é chamado “amigo de Deus”, II Cr. 20.7; Is. 41.8; Tg. 2.23. • Deus ensinou a Abraão a confiar integralmente nele.
  • 8. Deus cultivou de 3 maneiras a fé de Abraão: 1. Dando-lhe promessas; 2. Pondo-o à prova cada vez mais; 3. Concedendo-lhe muitas aparições divinas.
  • 9. 1. Deus chama Abraão! • Cap. 12:1-9. • A família de Abraão e provavelmente o próprio prestavam cultos a vários deuses. (Josué 24.2). • Abraão era um homem religioso. • Abraão seria famoso e reverenciado pelo seu nome.
  • 10. As promessas para Abraão • A) Herdariam Canaã; • B) Seriam uma grande nação (muito mais do que uma população numerosa); • C) Por meio deles, todas as linhagens da terra seriam abençoadas (esta é a promessa messiânica);
  • 11. Primeira prova de Abraão: • Abraão tinha que separar-se da sua família; • Tinha de voltar as costas para a idolatria; • Tinha que buscar ter comunhão com Deus; • A vida da fé de Abraão começa com a obediência e separação; • Abraão tinha de confiar integralmente no Senhor. • Hebreus 11.8.
  • 12. A principio a obediência foi apenas parcial • Foi com Terá seu pai, até com Harã, centro de reunião de caravanas e também do impuro culto a Sin, a deusa da Lua. • Terá havia renunciado seus pais, mas não havia abandonado a idolatria. • Em Harã, radicou-se a viver o restante de sua vida, mas depois Deus guiou Abraão a seguir rumo a Canaã, distante 650km.
  • 13. A peregrinação de Abraão • Finalmente Abraão chegou aonde Deus o havia guiado. • Agora vivia como estrangeiro e peregrino, viajando de um lugar para outro. • Nunca foi dono de um metro quadrado de terra. A não ser o local de sua sepultura. • Siquém, a encruzilhada da Palestina, 50 km ao norte de Jerusalém. Depois chegou ao Monte Moré, considerado como centro de adivinhação e idolatria. Ali Deus apareceu a Abraão e lhe prometeu Canaã.
  • 14. Características de Abraão • Obediência Gn 12.4. • Generosidade Gn 13.9. • Coragem Gn 14.14. • Benevolência Gn 14.20. • Incorruptível Gn 14.23. • Poderoso na oração Gn 18:23-33. • Maravilhoso na fé Hb 11.17.
  • 15. SEGUNDA PROVA: A FOME • Cap. 12:10-20. • Por falta de fé, Abraão foi para o Egito. • Deus não havia lhe ordenado sair da Palestina. • Recorreu a mentira para escapar do inimigo. • Gn 20:12. • “Não duvidou por incredulidade” das grandes promessas, porém tropeçou nas pequenas coisas.
  • 16. Abraão no Egito • Sara foi considerada mulher atraente, com 65 anos. • Ela viveu 127 anos de vida. • Comparada a uma mulher aos 40 anos hoje. • Abraão não edificou nenhum altar no Egito. • Saiu de lá humilhado, reconhecendo que Deus é santo. • Até Hagar e o gado lhe trouxeram problemas lá.
  • 17. TERCEIRA PROVA: Contenda • Cap. 13. • Contenda sobre as pastagens. • Ló, sobrinho de Abraão o acompanhava desde UR dos Caldeus. • Como Ló adquiriu muito gado e servos, houve contenda entre os pastores deles. • Porque houve falta de água os pastores contenderam.
  • 18. Abraão decide separar-se de Ló • Abraão quis separar-se para não brigarem. • Abraão tinha direito de escolher a terra pois era mais velho, no entanto, abriu mão do seu direito. • Abraão demonstrou sua generosidade. • Contudo Ló escolheu egoisticamente, guiado pela aparência. • Ló exemplifica um homem carnal.
  • 19. Abraão liberta Ló • Cap. 14. • Ló preferiu a melhor terra do que a vontade de Deus. • Sodoma possuía melhores condições de pastagem. • A área onde Ló morava foi devastada por desastres militares, pois era rica em betume.
  • 20. Atitude de Abraão • Abraão armou 318 servos, conseguiu a ajuda de seus aliados amorreus e perseguiu os invasores. • Recuperou os cativos e o despojo de guerra, mediante um ataque surpresa a noite. • O aspecto surpresa do ataque reúne em si uma excelente estratégia de confronto que os leva a vitória. • Não obstante o elemento mais importante foi a intervenção de Deus. (14.20).
  • 21. O prestigio e o poder de Abraão • Mesmo sendo um homem separado do mundo, Abraão se dispôs a intervir e socorrer Ló e o povo de Sodoma. • Abraão era sem sombra de dúvidas um homem próspero e tinha muito prestigio. 14:14. • Vários senhores de Canaã reconheciam Abraão como príncipe. • Como Deus o fazia prosperar!
  • 22. Significado do dízimo • Gn 14:20 • “E de tudo lhe deu Abraão o dízimo”. • Primeira vez que se encontra a ideia de dízimo na Bíblia.
  • 23. Grandes princípios doutrinários do dízimo: 1. Como sinal de adoração e submissão e reconhecimento a Deus, o Criador e dono de tudo. Os súditos trazem tributos e presentes ao seu Rei. 2. Também como sinal de gratidão, pois Deus havia entregue seus inimigos nas mãos de Abraão. 3. Como sinal de mordomo que serve, reconhece e adora àquele que é seu provedor.
  • 24. Abraão negou receber presentes • Abraão negou-se a aceitar os despojos da guerra, os bens de Sodoma que havia recuperado, dando bom testemunho ao Rei e ao povo. • Segundo o costume o libertador, recebia os despojos como pagamento pela vitória. • Mas Abraão queria que todos compreendessem que o que possuía vinha apenas das mãos do Seu Deus.
  • 25. Deus faz aliança com Abraão • Cap. 15. • Por que o senhor disse a Abraão, não temas? • Segundo historiadores, Abraão se encontrava nesse momento num estado depressivo, depois de chegar ao clímax de um tremendo testemunho de vitória. • Ele pensava: Voltariam os 4 reis a se vingarem dele?
  • 26. A aliança de Deus • Abraão estava em crise. • Naquele tempo se um home não tinha filhos sua herança ficaria com um servo fiel. • Porém Deus lhe prometeu um filho, e uma numerosa descendência. • Abraão reconheceu que a promessa era humanamente irrealizável. • “Creu ele no Senhor e isso foi-lhe imputado por justiça”.
  • 27. Creu no Senhor! • Creu no Senhor, significa apoiou-se no Senhor! • Aceitar incondicionalmente a promessa. • Confiar integralmente no Deus do impossível. • Abraão colocou a si mesmo e ao seu futuro nas mãos de Deus. • Esse é o tipo de fé que salva e galardoa. • Gálatas 3:6-8, Deus nos aceita em virtude da nossa fé, sem condicionar as obras.